Reflexões após usar a pessoa errada

16 de Dezembro de 2022

Por Xiaofan, China

No verão de 2020, eu era responsável pelo trabalho textual da igreja. Um dia, percebi que Yang Can era boa com palavras e uma boa escritora. Seu raciocínio era claro em sua comunhão da verdade, e ela era entusiasmada no dever dela. Eu queria que ela fizesse trabalho textual. Depois de alguma investigação, descobri que a maioria dos irmãos achava que ela tinha um caráter arrogante, que sempre queria que os outros a ouvissem e que era difícil cooperar com ela, mas que ela conseguia aceitar poda e tratamento, refletir e conhecer a si mesma. Eu pensei: “Mesmo que ela seja um pouco arrogante, contanto que consiga aceitar poda e tratamento, mais cedo ou mais tarde ela mudará, portanto não deverá haver problemas maiores”. Assim, arranjei que ela começasse a fazer trabalho textual. Para confirmar o que eu pensava, quando vi Yang Can, eu a expus por ser arrogante e não aceitar as sugestões dos outros e comunguei com ela que essa era a senda de um anticristo para ver qual era o entendimento dela. Com um olhar de remorso, ela disse: “Irmã, sem a sua comunhão, eu não teria visto quão sério é esse problema. Eu tenho uma natureza arrogante — quero me arrepender”. Vendo que ela tinha alguma consciência e parecia sentir algum remorso, tomei isso como confirmação de que Yang Can não tinha um problema maior. Além disso, ela era entusiasmada no dever dela, assim eu a escolhi como líder de equipe. Mas algum tempo passou e o trabalho que ela administrava não produzia muitos resultados. Uma colega, a irmã Li, foi ver o que estava acontecendo e descobriu que Yang Can e outra irmã não conseguiam trabalhar juntas. Mas por meio de alguma comunhão, Yang Can ganhou alguma autoconsciência. Eu não dei muita importância ao problema. Uma vez, numa reunião, minha líder me avisou que Yang Can era bastante arrogante e sempre queria que os outros a ouvissem, que ela estava na senda de um anticristo e que tinha cometido transgressões sérias no passado. Ela queria que eu acompanhasse e supervisionasse mais o trabalho de Yang Can e pediu informações sobre como ela estava indo. Mas na época eu era muito autoconfiante e disse à líder: “É verdade que Yang Can é bastante arrogante, mas ela consegue aceitar poda e tratamento, ela é a pessoa certa”. Também contei à líder da vez em que tinha lidado com Yang Can. Depois disso, não dei mais muita atenção ao alerta da líder.

Alguns meses depois, o trabalho pelo qual Yang Can era responsável continuava lento. Quando fui investigar, Yang Can relatou que um membro da equipe, a irmã Lin, tinha calibre baixo e ainda não entendia os princípios. Yang Can tinha que ajudá-la com cada problema, o que exigia grande parte do tempo dela e a impedia de trabalhar com eficiência. Era isso que tinha atrasado o trabalho. Quando ouvi isso, achei que a falta de resultados devia ser um problema com a irmã Lin. Então, mais tarde, a irmã Li disse: “O trabalho dessa equipe não está dando em nada. Yang Can é a líder de equipe, então ela deve ser o problema, ou não?”. Eu não poderia ter discordado mais quando ouvi isso. Eu disse: “Yang Can é muito arrogante, mas ela consegue aceitar poda e tratamento, ela tem um entendimento bom dos princípios e suporta um fardo no dever dela. A falta de resultados não pode ser um problema com ela. A irmã Lin carece de calibre, é ela que está impedindo o progresso do trabalho. Contanto que façamos as mudanças apropriadas na equipe, Yang Can poderá usar seus pontos fortes, e com certeza seu trabalho vai melhorar”. Minhas colegas não conheciam Yang Can muito bem, por isso concordaram em transferir a irmã Lin depois de eu dizer isso. Logo depois, enviei Yang Can para trabalhar com alguns irmãos que estavam sendo treinados em trabalho textual para que ela pudesse orientar o trabalho deles. Achei que, se eu deixasse Yang Can treinar esses irmãos por um tempo, eles certamente progrediriam em seu trabalho.

Depois de um mês, descobrimos que todos eles tinham ficado negativos e passivos em seu dever, dizendo que tinham calibre baixo. E eles não só não tinham melhorado, sua eficiência também tinha diminuído. Eu estava perplexa. Antes da chegada de Yang Can, todos os irmãos estavam muito animados; por que, então, tinham ficado deprimidos depois da chegada dela? Então, a irmã Li mencionou que ela achava que Yang Can tinha um problema e me perguntou que tipo de pessoa ela era. Mas eu continuei a insistir que Yang Can era alguém que aceitava a verdade. Então a irmã Li continuou: “Ela aceita poda e tratamento na sua presença, mas às vezes ela resiste muito quando apontamos os problemas dela”. Fiquei surpresa: eu tinha sido enganada por uma imagem falsa de Yang Can? E assim, pouco tempo depois, pedi que a irmã Xin investigasse a situação na equipe. Ela descobriu que Yang Can sempre exercia a autoridade dela sobre a equipe e, se alguém expressava uma ideia diferente, ela negava essa opinião, e, no fim, todos faziam o que ela queria. Depois de um tempo, já que todas as ideias dos irmãos eram rejeitadas, eles passaram a achar que seu calibre era baixo demais para esse dever e deixaram de expressar suas opiniões em discussões de trabalho e só ouviam Yang Can. Yang Can não só não refletia sobre si mesma, muitas vezes, ela reclamava que estava sob pressão excessiva e que era a única que se preocupava com o trabalho, fazendo com que os outros se sentissem culpados pela ineficiência de seu trabalho, deixando-os ainda mais deprimidos. A irmã Xin e Yang Can sempre agiam dessa forma. Eu me senti péssima quando ouvi tudo isso. As palavras dela eram como um tapa na cara após o outro. Percebi que Yang Can tinha me apresentado uma fachada falsa para me iludir e enganar. Ela não tinha nenhuma autoconsciência e não era alguém que aceitava a verdade. Só então percebi que a falta de resultados no trabalho textual havia sido causada por mim, porque eu tinha sido cega, não tinha discernimento e tinha usado a pessoa errada. Os obreiros e eu dispensamos Yang Can depois disso por causa de seu modo de agir.

Depois da dispensa de Yang Can, comecei a refletir sobre a razão do meu fracasso. Um dia, li esta passagem nas palavras de Deus: “Como, então, se deveria avaliar se alguém ama a verdade? Isso depende do que ele manifesta normalmente e de se ele vive a realidade da verdade ou não, se ele faz o que diz, se o que ele diz e faz são iguais. Se o que ele diz soa coerente e conveniente, mas ele não o faz, não o vive, então, nisso, ele se tornou um dos fariseus, ele é um hipócrita e de forma alguma é alguém que ama a verdade. Muitas pessoas soam muito coerentes quando comungam a verdade, mas elas não percebem quando têm derramamentos de um caráter corrupto. Estas são pessoas que conhecem a si mesmas? Se as pessoas não conhecem a si mesmas, elas são pessoas que entendem a verdade? Todos que não conhecem a si mesmos são pessoas que não entendem a verdade, e todos que falam palavras de autoconhecimento vazias têm uma espiritualidade falsa, são mentirosos. […] Qual, então, deveria ser a base para avaliar se as pessoas realmente conhecem a si mesmas? Não deve ser apenas aquilo que sai da boca delas. Você deve analisar o que realmente se manifesta nelas, e o método mais simples para fazer isso é analisar se elas são capazes de praticar a verdadeisso é o mais importante. A capacidade delas de praticar a verdade prova que elas realmente conhecem a si mesmas, pois aqueles que realmente conhecem a si mesmos manifestam arrependimento, e somente quando as pessoas manifestam arrependimento elas realmente conhecem a si mesmas. Por exemplo, uma pessoa pode saber que é enganosa, que está cheia de esquemas e tramas mesquinhos, e pode também ser capaz de reconhecer quando os outros revelam falsidade. Nesse caso, depois de ela dizer que tem sido enganosa em algum caso, veja se ela se arrepende de verdade e se livra de sua falsidade. E se ela volta a revelar falsidade, veja se ela sente repreensão e tem um senso de vergonha por ter agido assim, se ela está sinceramente arrependida. Se não tiver senso de vergonha, sem falar em arrependimento, então o autoconhecimento dela é uma coisa superficial e desleixada. Ela só está agindo sem se envolver; seu conhecimento não é verdadeiro(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só o autoconhecimento ajuda na busca da verdade”). Ao ponderar as palavras de Deus, percebi que eu carecia da habilidade de avaliar e selecionar pessoas. Nossas avaliações dos outros não devem se basear apenas no entendimento que professam. O importante é ver como eles abordam os problemas que encontram e o que fazem. Aqueles que realmente amam a verdade conseguem aceitá-la e quando as coisas acontecem, eles buscam a verdade e refletem sobre si mesmos e eles se arrependem e mudam após o ocorrido. Aqueles que não amam a verdade podem dizer coisas agradáveis, mas continuam fazendo o que querem sem praticar a verdade. Não importa quão bom ou profundo seu entendimento pareça ser, é tudo falso. É igual aos fariseus — o que eles diziam soava muito bem, muito elevado, mas, no coração, eles estavam fartos da verdade. Eles não praticavam as palavras de Deus nem seguiam os mandamentos Dele. Quando o Senhor Jesus apareceu e operou, eles resistiram loucamente a Ele e O condenaram para proteger seu status e seu sustento. No fim, eles O pregaram na cruz, cometendo um pecado abominável. Evidentemente, o conhecimento espiritual do qual os fariseus sempre falavam só era para os outros ouvirem e para ganhar a admiração e estima dos outros. Era tudo falso.

Em minhas interações com Yang Can, eu achava que ela conseguia aceitar a verdade porque admitia que sua natureza era arrogante e dizia que estava disposta a se arrepender. Mas, na verdade, ela só estava dizendo isso na minha cara para que eu pensasse que ela aceitava poda e tratamento. Ela fazia isso só para apresentar uma fachada para manter seu nome e status, criando uma imagem falsa para me enrolar e enganar. Ela não aceitava a verdade nem um pouco. Ela não tinha autoconsciência, muito menos se arrependia ou mudava. Ela queria estar no controle para onde quer que fosse e que todos a ouvissem. Ninguém conseguia trabalhar com ela, o que deixou seu trabalho em desordem. Ela até jogava a culpa nos outros, dizendo que outra irmã carecia de calibre para que eu pensasse que o trabalho estava sofrendo por causa dessa irmã. Tudo que ela dizia e fazia era fingimento, era para enganar, mas eu era tola e cega e carecia de discernimento. Eu fui enganada pelas mentiras dela, por isso transferi aquela irmã e vi Yang Can como sendo responsável e assumindo um fardo no dever dela. Isso acabou atrasando o trabalho da igreja. Eu era cega em todos os sentidos possíveis! Senti remorso e culpa profundos quando percebi isso, especialmente quando li isto nas palavras de Deus: “Todos os falsos líderes são cegos. Eles não enxergam nenhum problema. Não sabem dizer quem é uma pessoa perversa ou um incrédulo. Permanecem inconscientes quando alguém interfere ou interrompe o trabalho da igreja, e até dão cargos importantes a idiotas. Os falsos líderes depositam muita confiança em todos aqueles que eles promovem; lhes confiam, despreocupados, trabalho importante. Essas pessoas transformam o trabalho da igreja numa bagunça e traem muitos dos interesses da casa de Deusmas os falsos líderes permanecem completamente inconscientes. […] Ao usar uma pessoa errada, já cometeram um grande erro, e depois agravam o erro nunca fazendo perguntas, nem tentando descobrir mais, nem investigando o trabalho dessa pessoa; tampouco supervisionam ou observam. Tudo que fazem é tolerar, sem questionar, as ações descontroladas dessa pessoa. É assim que os falsos líderes trabalham. Sempre que um trabalho precisa de pessoas, os falsos líderes arranjam despreocupadamente alguém para ser responsável, e esse é o fim da história; eles nunca inspecionam o trabalho nem jamais se encontram com a pessoa, nem a observam nem tentam saber mais. Em algumas áreas, a situação não é propícia para encontrá-la e conversar com ela, mas você deve investigar o trabalho dela e dar um jeito de perguntar o que ela tem feito e como ela o tem feito: pergunte aos irmãos e irmãs ou a alguém próximo dela. Isso pode ser feito? Mas os falsos líderes nunca fazem nenhuma pergunta, tamanha é a sua confiança. Seu trabalho é organizar reuniões e pregar doutrina, e quando a reunião termina e os arranjos de trabalho foram feitos, eles não fazem mais nada; não vão ver se a pessoa que escolheram é capaz de fazer trabalho real. No início, você não entendia essa pessoa, mas, com base no calibre dela, no comportamento e na paixão dela, você achou que ela era apta para esse trabalho e assim você a usoue não há nada de errado com isso, pois ninguém sabe como as pessoas se sairão. Mas depois de promovê-la, você não deveria ver se ela faz trabalho real, como ela trabalha e se ela tem tentado ser escorregadia, preguiçosa e superficial? Isso é exatamente o que você deveria estar fazendo, mas você não faz nada disso, não assume nenhuma responsabilidadee isso é um falso líder, e você deveria ser substituído e expulso(A Palavra, vol. 5: As responsabilidades dos líderes e dos obreiros). As palavras de Deus expõem esse tipo de falso líder que não faz trabalho prático, que é superficial e não tem princípios ao promover e treinar os outros e que designa pessoas arbitrariamente, que não se encaixam nos princípios, para tarefas importantes. Ele também é muito irresponsável, e quando designa uma pessoa errada, ele não a supervisiona nem acompanha seu trabalho; ele simplesmente esquece quando alguém foi designado. Isso realmente interrompe o trabalho da igreja. Eu me senti péssima em relação a tudo que tinha feito. Eu não era uma falsa líder que não só carecia de discernimento e percepção, mas que também não fazia trabalho real? Yang Can era claramente uma pessoa arrogante na senda de um anticristo, causava interrupções na equipe, atacando e constrangendo os irmãos. Mas eu não fazia ideia e acreditava em tudo que ela dizia, agindo como o escudo dela, permitindo que ela desmontasse e perturbasse o trabalho da igreja. Eu era cega com os olhos bem abertos! No início, eu carecia de discernimento e escolhi Yang Can, mas quando o desempenho dela continuou sendo ruim, eu não investiguei nem me informei sobre a situação do trabalho dela, e quando minha líder e meus colegas mencionaram isso, eu continuei não dando importância, decidi acreditar em meus próprios olhos. Isso nos custou vários meses de trabalho. E, pior ainda, eu estava ciente de que o trabalho pelo qual Yang Can era responsável estava um caos, mesmo assim achei que ela era talentosa e arranjei que ela treinasse o pessoal novo. Como resultado, por causa dos ataques e da depreciação dela, os irmãos viviam num estado de equívocos e negatividade, o que impactou o trabalho deles. Se eu tivesse tido um mínimo de responsabilidade e desejo de buscar, eu teria acompanhado e supervisionado o trabalho de Yang Can e não teria demorado tanto para descobrir os problemas dela. Isso prejudicou muito o trabalho. Um líder ou obreiro com senso de responsabilidade e temor de Deus assume um fardo e faz as coisas com princípios. Ele é cauteloso em relação a quem ele promove e nomeia, ele investiga essa pessoa e depois supervisiona o trabalho dela para ver se ela está à altura do trabalho. Especialmente quando não tem certeza, ele supervisiona e investiga ainda mais as coisas e transfere ou dispensa a pessoa no momento em que descobre que ela não é a pessoa certa. Isso impede perdas ao trabalho da igreja por causa de uma escolha errada. Mas minha escolha de Yang Can violou os princípios, e, depois disso, eu não supervisionei nem acompanhei o trabalho dela. Eu negligenciei meu dever e fui irresponsável. Eu era o tipo de falso obreiro que não faz trabalho prático e que a palavra de Deus expõe.

Fiquei inquieta por muito tempo depois disso. Eu sabia que Yang Can era muito arrogante; por que eu não tinha supervisionado o trabalho dela? Por que confiei tanto nela, a despeito dos alertas de todo mundo? Fiquei revirando isso na minha mente sem parar. Então, um dia, vi esta passagem das palavras de Deus. “Falsos líderes têm também uma falha importante: eles são rápidos em confiar nas pessoas com base nas próprias imaginações. E isso é causado por não entender a verdade, não é? Como a palavra de Deus revela a essência da humanidade corrupta? Por que eles deveriam confiar nas pessoas se Deus não confia? Em vez de julgar as pessoas pelas aparências, Deus vigia constantemente o coração delaspor que, então, os falsos líderes são assim tão casuais quando julgam os outros e depositam confiança neles? Os falsos líderes são presunçosos demais, não são? O que eles pensam é: ‘Eu não estava errado quando descobri essa pessoa. Nada poderia dar errado; ela definitivamente não é alguém que fica à toa, que gosta de se divertir e odeia trabalho duro. Ela é absolutamente confiável. Ela não mudará; se mudasse, isso significaria que eu me enganei em relação a ela, não é?’. Que tipo de lógica é essa? Você é algum tipo de especialista? Você tem visão de raio X? Essa é a sua habilidade especial? Você poderia viver com essa pessoa por um ou dois anos, mas você seria capaz de ver quem ela realmente é sem um ambiente apropriado para desnudar totalmente a natureza e a essência dela? Se ela não fosse exposta por Deus, você poderia conviver com ela por três ou até cinco anos e ainda teria dificuldade de ver exatamente que tipo de natureza e essência ela tem. E quanto mais isso se aplica quando você raramente a vê, raramente se encontra com ela? Você confia nela displicentemente com base em uma impressão passageira ou numa avaliação positiva dela por outra pessoa e ousa confiar o trabalho da igreja a tal pessoa. Você não está sendo extremamente cego nisso? Não está sendo impetuoso? E quando eles trabalham desse jeito, os falsos líderes não estão sendo extremamente irresponsáveis?(A Palavra, vol. 5: As responsabilidades dos líderes e dos obreiros). “Se sua atitude é insistir com teimosia, negar a verdade, rejeitar as sugestões de todos os outros, não buscar a verdade, só ter fé em si mesmo e só fazer o que você querse essa é a sua atitude, seja lá o que Deus faz ou pede, qual é a reação de Deus? Deus não lhe dá atenção, Ele deixa você de lado. Você não é teimoso? Você não é arrogante? Você não acha sempre que está certo? Se você é desprovido de obediência, se você nunca busca, se seu coração está totalmente fechado e resistente a Deus, Deus não lhe dá atenção. Por que Deus não lhe dá atenção? Porque, se o seu coração está fechado para Deus, você consegue aceitar o esclarecimento de Deus? Consegue sentir quando Deus o repreende? Quando as pessoas são intransigentes, quando suas naturezas satânicas e barbáricas estão em jogo, elas não sentem nada que Deus faz, tudo é em vãoportanto Deus não faz obra inútil. Se você tem esse tipo de atitude antagonista e teimosa, tudo que Deus faz é permanecer oculto de você, Deus não fará coisas supérfluas. Quando você é tão teimoso e antagonista, e tão fechado, Deus jamais faria nada forçosamente em você nem imporia nada a você, Ele jamais continuaria tentando movê-lo e esclarecê-lo, vez após vezDeus não age assim. Por que Deus não age assim? Principalmente, porque Deus viu certo tipo de caráter em você, uma bestialidade que está farta da verdade e é impermeável à razão. E você acha que as pessoas conseguem controlar um animal selvagem quando sua bestialidade está em jogo? Gritar e berrar para ele adianta alguma coisa? Discutir com ele ou oferecer-lhe conforto adianta alguma coisa? As pessoas ousam aproximar-se dele? Existe um bom jeito de descrever isso: ele é impermeável à razão. Quando a bestialidade das pessoas está em jogo e elas são impermeáveis à razão, o que Deus faz? Deus não lhes dá atenção. O que mais Deus tem a dizer a você quando você é impermeável à razão? Dizer mais qualquer coisa é inútil. E quando Deus não lhe dá atenção, você é abençoado ou você sofre? Você ganha algum benefício ou sofre uma perda? Sem dúvida alguma, você sofrerá perda. E quem causou isso? (Nós causamos isso.) Você causou isso. Ninguém o obrigou a agir desse jeito, e ainda assim você fica chateado. Você não causou isso para si mesmo? Deus não lhe dá atenção, você não consegue sentir Deus, há escuridão no seu coração, sua vida está comprometidae você causou isso para si mesmo, você merece!(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”).

As palavras de Deus revelavam meu estado exato. Eu não estava buscando os princípios da verdade em meu dever. Eu era autoconfiante, arrogante e intransigente. Eu fui alertada várias vezes, mas não quis ouvir e teimosamente me agarrei às minhas ideias. Eu era tão insensata. Antes disso, eu não tinha nenhum conhecimento de Yang Can, e quando ouvi as avaliações dos outros sobre ela, segui minhas imaginações, achando que ela só tinha um caráter arrogante e que isso não era nada sério. Eu comunguei com ela e a expus, e quando vi que ela parecia aceitar e expressou arrependimento, eu achei que ela aceitava a verdade. Eu confiava demais em meus olhos e não tinha nenhuma intenção de buscar. Li as palavras de Deus que dizem: “Em vez de julgar as pessoas pelas aparências, Deus vigia constantemente o coração delaspor que, então, os falsos líderes são assim tão casuais quando julgam os outros e depositam confiança neles? Os falsos líderes são presunçosos demais, não são?(A Palavra, vol. 5: As responsabilidades dos líderes e dos obreiros). Deus é o Senhor da criação e consegue ver todas as coisas. Deus não olha as aparências das pessoas. Eu só sou uma humana corrupta que não possui nada da verdade nem percebe nada, mas eu fui tão arrogante, acreditando naquilo que via, confiando casualmente em Yang Can e promovendo-a a líder de equipe. Não importava como eu fosse alertada nem quão ruim fosse o trabalho dela, eu continuei convencida de que eu não a tinha julgado errado. Isso impediu o trabalho por vários meses. Eu era tão arrogante e intransigente. Como isso era cumprir um dever? Eu estava cometendo o mal! As pessoas foram profundamente corrompidas por Satanás, e nossos caracteres corruptos estão profundamente enraizados. Antes de ganharmos a verdade e mudarmos nossos caracteres, vivemos de acordo com nossos caracteres satânicos. Somos arrogantes e enganosos e totalmente inconfiáveis. Quanto à natureza e à essência de uma pessoa, se não entendermos a verdade e não a conhecermos por muito tempo, é muito difícil saber. Mas eu era arrogante e autoconfiante, eu não entendia a verdade e não conseguia ver o interior das pessoas; mesmo assim, me agarrava às minhas opiniões e imaginações. Por mais que as pessoas me alertassem, eu me recusava a aceitar o que elas diziam. Continuei fazendo o que queria. Eu era tão insensata. Lembrei-me de Deus dizer que os fariseus são “obstinados, arrogantes e não obedeciam à verdade(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Quando você contemplar o corpo espiritual de Jesus, Deus terá feito novo céu e nova terra”). Eles estão cheios de noções e imaginações em relação à obra de Deus. Quando o Senhor Jesus apareceu para operar, eles se agarraram às suas noções. Por mais poder e autoridade que a obra e as palavras do Senhor Jesus tivessem, eles não as aceitavam, mas O negavam e condenavam loucamente e, no fim, pregaram-No na cruz. Sua teimosia, arrogância e falta de razão os levou a não aceitar a obra de Deus, mas a condenar e a resistir a Deus, e no fim eles foram punidos e amaldiçoados por Deus. Então vi que o caráter que eu tinha manifestado era igual ao dos fariseus e que eu estava na senda dos fariseus de resistir a Deus. Se eu não lidasse com meu caráter arrogante e intransigente, ele me levaria a resistir a Deus e, mais cedo ou mais tarde, eu ofenderia o caráter de Deus e seria abandonada e expulsa por Ele. Quando percebi isso, eu me assustei bastante e me apressei a orar, confessar e me arrepender.

Então li que as palavras de Deus dizem: “Não importa o que você esteja fazendo, você deve aprender a buscar e obedecer à verdade; contanto que esteja de acordo com os princípios da verdade, é correto. Podem ser as palavras de uma criança ou de um jovem irmão ou irmã pouco notável, mas, contanto que esteja em conformidade com a verdade, você deve aceitar e obedecer, e o resultado de agir assim será bom e de acordo com a vontade de Deus. O essencial é qual é o seu motivo e quais sãos os seus princípios e métodos para lidar com as coisas. Se seus princípios e métodos para lidar com as coisas nascem da vontade humana, de ideias e noções humanas, das filosofias de Satanás, então seus princípios e métodos são impraticáveis, e estão fadados a ser ineficientes, pois a origem dos seus princípios e métodos é errada, e eles não estão de acordo com os princípios da verdade. Se suas opiniões estão de acordo com os princípios da verdade, e você lida com as coisas de acordo com os princípios da verdade, então é certo que você lidará com elas corretamente, e mesmo que, na hora, as pessoas não aceitem, ou tenham noções, ou resistam, depois de um tempo você será confirmado. Os efeitos das coisas que estão de acordo com os princípios da verdade serão cada vez melhores; coisas que não estão de acordo com os princípios da verdade podem corresponder às noções das pessoas na hora, mas as consequências serão cada vez piores, e todas as pessoas confirmarão isso. Nada que você faça deve estar sujeito a restrições humanas nem à sua delineação pessoal; primeiro, você deve orar a Deus e buscar a verdade, e então todos devem sondar e comungar juntos. E qual é o objetivo de comungar? É fazer as coisas precisamente de acordo com a vontade de Deus, agir alinhado com a vontade de Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A senda da resolução do caráter corrupto”). A leitura dessa passagem me deu um caminho adiante. Quando somos confrontados com algo, devemos buscar a verdade. Não podemos ser arrogantes nem agir de acordo com nossas noções e imaginações pessoais. Temos que nos deixar de lado, pedir feedback, ouvir os outros e fazer as coisas com base nos princípios da verdade. Só se cumprirmos os nossos deveres desse jeito podemos ganhar a orientação de Deus e alcançar resultados no nosso trabalho. Fazer isso pode garantir também que não cometamos o mal e resistamos a Deus. Aprendi uma lição com esse fracasso e trabalhei para agir de acordo com as palavras de Deus, para buscar as sugestões dos outros quando algo ocorria e para parar de me agarrar às minhas opiniões e ideias.

Não demorou, e percebi que, desde a promoção de Wang Juan a supervisora, o progresso do trabalho da equipe dela estava piorando. Alguns obreiros e eu discutimos isso. A irmã Xin perguntou se isso podia ter algo a ver com Wang Juan. Eu pensei que, embora Wang Juan fosse um pouco arrogante, ela parecia ansiar pela verdade e que ela era sincera quando um problema dela era apontado. Achei que ela não era o problema. Eu estava prestes a compartilhar minha opinião quando me lembrei da lição que eu tinha aprendido com meu fracasso anterior. Já que a irmã Xin tinha mencionado que Wang Juan poderia ter um problema e eu não conhecia a verdade nem tinha certeza nessa questão, eu não podia ser arrogante e teimosa. Lembrei-me das palavras de Deus: “Se as pessoas desejam ser esclarecidas e guiadas por Deus, e receber as graças de deus, que tipo de atitude elas devem ter? Elas devem, com frequência, ter uma atitude de busca e obediência diante de Deus. Não importa se você está cumprindo seu dever, interagindo com os outros ou lidando com alguma coisa específica que você está enfrentando, você deve ter uma atitude de busca e obediência(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Sem entender totalmente a situação, se os resultados ruins tinham a ver com Wang Juan não era algo que eu podia julgar cegamente. Eu tinha que obter um entendimento real das coisas e ouvir as sugestões de todos e então tomar uma decisão com base nos princípios. Mais tarde, ao fazer uma investigação prática e comungar as verdades relevantes com os outros obreiros, descobri que Wang Juan tinha um caráter arrogante, sinistro e enganoso. A fim de manter seu nome e status, nas discussões de trabalho com os outros, ela sempre cuspia suas opiniões altivas e exibia seu conhecimento profissional para derrubar as opiniões dos outros e obrigá-los a ouvi-la. E para impedir que eles dissessem que ela era autocrática, ela dizia com falsa humildade: “Não tenho certeza se estou certa”, ou “Posso estar errada”, levando todos a pensar que ela sabia o que estava fazendo, a segui-la cegamente e fazer o que ela queria. Como resultado, seu trabalho era sempre impedido, e eles não conseguiam chegar a lugar nenhum. Embora parecesse que Wang Juan estava buscando a opinião de todos, no coração dela, ela não aceitava a verdade. Ela estava apresentando uma fachada falsa para esconder sua natureza autoritária, para enganar e controlar os outros e para fazer com que eles a ouvissem. Mais tarde, lemos as palavras de Deus sobre confiar em dons no nosso trabalho que mostraram claramente que Wang Juan não entendia os princípios. Ela só usava a eloquência dela, a boa memória e o conhecimento de doutrina para se exibir, mas, na verdade, ela não tinha nenhuma senda de prática. Com base em seu desempenho contínuo, vimos que ela estava na senda de um anticristo e a dispensamos de acordo com os princípios. Depois da dispensa dela, os impedimentos no trabalho da equipe foram resolvidos, e seu trabalho progrediu.

Por meio dessa experiência, vim a entender que não buscar os princípios da verdade no nosso dever e só confiar num caráter arrogante nas nossas ações significa que podemos cometer o mal e resistir a Deus a qualquer hora, ofendendo assim o Seu caráter. Também entendi a importância de buscar a verdade e de ver as pessoas e coisas de acordo com a palavra de Deus. Esse é o único jeito de evitar fazer a coisa errada e é o único jeito de satisfazer a Deus no nosso dever. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

O que ganhei de uma eleição

Por Mu Tong, Japão Recentemente, a igreja realizou uma eleição especial para preencher um cargo de liderança. Quando soube que a liderança...

Como deixei de ser convencido

Por Mo Wen, EspanhaEu me lembro de que, em 2018, eu estava cumprindo um dever evangelístico na igreja e acabei assumindo a responsabilidade...

Uma bifurcação na estrada

Por Li Yang, China Eu nasci no interior e cresci numa família pobre. Meus pais eram camponeses simplórios e sofriam muito bullying. Como...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp