Agora sei o que humanidade boa realmente é

16 de Dezembro de 2022

Por Mu Yan, China

Desde que era pequena, meus pais e professores me ensinaram que, na relação com os outros, harmonia é algo precioso e que devemos ser sensatos e compreensivos. Não podemos dizer coisas que prejudicam as relações, e temos que permitir que os outros não sejam humilhados. “Nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas” e “seja piedoso sempre que possível” são os únicos jeitos de se dar bem com os outros. Assim, desde pequena, tomei essas filosofias mundanas como regras de vida, sempre levando em conta o orgulho das pessoas e raramente discutindo com os outros. Fui muito elogiada por agir assim. Depois de me converter, já que eu não conhecia a verdade, continuei tratando esses padrões morais e filosofias mundanas como regras de vida, até achando que fazer essas coisas era possuir a humanidade normal que Deus exige e era ser uma boa pessoa. Só quando fui exposta por meio de um fracasso que vi, a partir das palavras de Deus, que esse pensamento tradicional não é a verdade e realmente não é o padrão para ter humanidade boa. Só as palavras de Deus deveriam ser os critérios para as nossas ações.

Em janeiro, alguns irmãos me contaram que a irmã Xu Qing, uma líder de igreja, impedia as pessoas e não fazia trabalho real, então fui investigar. Descobri que, embora a irmã Xu Qing tivesse alguns talentos e habilidades, ela não tinha feito muito trabalho prático durante seu tempo como líder e que os projetos pelos quais ela era responsável não tinham muito sucesso. Ela também se exibia muito para ganhar a admiração dos outros e desejava ganhos rápidos e fáceis. Ela tinha nomeado várias pessoas inapropriadas como líderes de equipe e supervisores, violando os princípios, causando interrupções e atrasos no trabalho da igreja. Os irmãos lhe ofereceram sugestões muitas vezes, mas não quis aceitá-las e não teve nenhuma autoconsciência após o ocorrido. Com base em seu desempenho consistente, ela era uma falsa líder que devia ser dispensada. Então pensei em escrever uma carta informando o líder superior sobre os problemas da irmã Xu Qing. Depois de escrevê-la, pensei em como a irmã Xu Qing costumava ser muito afetuosa comigo e confiava em mim, então, se ela soubesse que eu tinha investigado e denunciado os problemas dela, ela ficaria ressentida comigo? Isso não arruinaria a boa impressão que ela tinha de mim? Eu fiquei dividida quando pensei nisso desse jeito. E assim inventei uma desculpa para mim mesma: talvez a irmã Xu Qing estivesse num estado ruim recentemente, assim eu poderia oferecer-lhe comunhão e apoio, e então ver se ela mudava. Não enviei a carta de denúncia. Marquei um horário para me encontrar com a irmã Xu Qing e me preparei para expor os problemas dela. Mas quando nos encontramos, vi que ela não estava num estado bom, e, em lágrimas, ela disse que vinha vivendo na dor de lutar por nome e ganho. Já com as palavras na ponta da língua, eu as engoli. Ela estava passando por tempos difíceis, então, se eu enfiasse o dedo na ferida, isso não seria aumentar ainda mais a sua dor? Então, se eu informasse o líder sobre os problemas dela e ele a dispensasse, ela me acusaria de ser uma pessoa sem coração? Fiquei hesitando e, no fim, só passei por cima do fato de ela buscar nome e status e nomear pessoas em violação dos princípios, e então encerrei a nossa reunião.

Em casa, revisei a carta que eu já tinha esboçado, dizendo que a irmã Xu Qing se preocupava demais com nome e status e carecia de entrada na vida, que eu tinha comungado com ela e que ela queria se arrepender e sugeri ajuda e comunhão contínuas. Depois de enviar a carta, tive esse sentimento de culpa consistente e incômodo. Eu sabia muito bem que eu não tinha dito a verdade. Li algo nas palavras de Deus. “Quando a verdade se tornar vida em você, quando você observar alguém que blasfema contra Deus, que não tem temor de Deus e que é descuidado e superficial ao cumprir o seu dever, ou que interrompe e interfere no trabalho da igreja, você responderá de acordo com os princípios da verdade e será capaz de identificá-lo e expô-lo conforme necessário. Se a verdade não se tornar sua vida e você ainda viver em seu caráter satânico, quando descobrir pessoas perversas e diabos que causam interrupções e perturbações no trabalho da casa de Deus, você fará vista grossa e se fingirá de surdo; você as ignorará sem ser repreendido por sua consciência. Você até achará que qualquer um que cause perturbações no trabalho da igreja não tem nada a ver com você. Não importa quanto o trabalho da igreja e os interesses da casa de Deus sofram, você não se importa, não intervém nem se sente culpadoo que faz de você alguém que não tem consciência nem senso, um incrédulo, um servidor. Você come o que é de Deus, bebe o que é de Deus e desfruta tudo o que vem de Deus, mas acha que qualquer dano aos interesses da casa de Deus não está relacionado a vocêo que faz de você um traidor que morde a mão que o alimenta. Se você não protege os interesses da casa de Deus, você é mesmo humano? Isso é um demônio que se insinuou na igreja. Você finge acreditar em Deus, finge ser um escolhido e quer se aproveitar da casa de Deus. Você não vive a vida de um ser humano e é claramente um dos incrédulos. Se você for alguém que realmente acredita em Deus, mesmo que ainda tenha que ganhar a verdade e a vida, no mínimo, você falará e agirá ao lado de Deus; no mínimo, você não ficará parado ao ver que os interesses da casa de Deus estão sendo comprometidos. Quando tiver o desejo de fazer vista grossa, você se sentirá culpado e incomodado e dirá para si mesmo: ‘Eu não posso ficar sentado aqui e não fazer nada, devo me levantar e dizer algo, devo assumir a responsabilidade, devo revelar esse comportamento maligno, devo impedir isso, para que os interesses da casa de Deus não sejam prejudicados e a vida de igreja não seja perturbada’. Se a verdade se tornou sua vida, você não somente terá essa coragem e determinação e será capaz de entender completamente a questão, mas também cumprirá a responsabilidade que tem para com a obra de Deus e com os interesses de Sua casa, e assim seu dever será cumprido(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só aqueles que realmente se submetem a Deus têm um coração que O teme”). As palavras de Deus foram muito pungentes. A igreja me colocou no controle das cartas de denúncia, esperando que eu considerasse a vontade de Deus e defendesse a justiça, que, quando falsos líderes, anticristos e malfeitores perturbassem o trabalho da igreja, eu defendesse os princípios da verdade e me levantasse para expô-los, protegendo o trabalho da igreja. Esse era meu dever, minha responsabilidade. Àquela altura, eu já tinha discernido a irmã Xu Qing como falsa líder. Muitos projetos sob responsabilidade dela caíram, em termos de produtividade, e não houve uma mudança real após a comunhão. Se ela não fosse dispensada logo, isso causaria perdas ainda maiores ao trabalho da igreja. Mas eu temia que, se ela descobrisse que eu tinha investigado e denunciado os problemas dela, causando sua dispensa, ela dissesse que eu era impiedosa. Ainda mais após vê-la chorando e num estado ruim, fiquei com medo de que, se eu revelasse os problemas dela, ela dissesse que eu não entendia as dificuldades dela e me odiasse. Assim, ocultei a situação real e não denunciei o problema dela, escolhendo a meia verdade, com um olho aberto e o outro fechado, protegendo uma falsa líder sem considerar se o trabalho da igreja e a entrada dos irmãos na vida estavam sendo prejudicados. Em minha fé, eu desfrutava da rega e do sustento das palavras de Deus, mas eu favorecia interesses externos, mordendo a mão que me alimenta. Eu era tão vil e egoísta, sem nenhuma humanidade. Quando pensei isso, eu me enchi de remorso e culpa por causa do que eu tinha feito. Eu odiei quão egoísta e astuta eu tinha sido.

Mais tarde, li outra passagem das palavras de Deus. “Não importa quão bem alguém o finja, não importa quão apresentável ou decoroso seja seu comportamento, quão bem ou lindamente ele se embrulhe, ou quão enganoso ele seja, o que não pode ser negado é que cada pessoa corrupta está cheia de caráter satânico. Sob a máscara desse comportamento externo, ela ainda resiste e se rebela contra Deus, resiste e se rebela contra o Criador. […] Em suma, ser uma pessoa de bom comportamento que se conforma às noções tradicionais da moral não é buscar a verdade; não é a busca de ser um verdadeiro ser criado. Ao contrário, muitos segredos sombrios e indizíveis se escondem por trás da busca desses bons comportamentos. Não importa que tipo de bom comportamento o homem busque, o objetivo por trás disso nada mais é do que ganhar o afeto e o respeito de mais pessoas, é fortalecer sua posição e fazer com que as pessoas pensem que ele é respeitável e digno de confiança e comissão. Se você busca ser uma pessoa bem-comportada, isso não é, em termos de qualidade, igual àqueles que são famosos e grandes? Se você é uma pessoa que só é bem-comportada, mas não ama a palavra de deus e não aceita a verdade, então, em termos de qualidade, você é igual a eles. E qual é o resultado? Você se absteve da verdade; o que você perdeu é sua chance de ser salvo. Esse é o mais tolo dos comportamentosé a escolha, a busca de um idiota. Alguma vez vocês já desejaram ser aquela pessoa grande, famosa e memorável no palco, que vocês admiraram por tanto tempo? Aquela pessoa doce e acessível? Aquela pessoa acadêmica educada, genial? Aquela pessoa que, por fora, parece ser amigável e amável? Vocês não seguiram pessoas desse tipo antes? (Sim.) Se você ainda está seguindo pessoas desse tipo agora, ainda está idolatrando pessoas desse tipo, deixe-Me dizer-lhe: você não está longe da morte, pois as pessoas que você idolatra são pessoas malignas que fingem ser boas. Deus não salvará pessoas malignas. Se você idolatrar pessoas malignas e não aceitar a verdade, no fim, você também será destruído(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (3)”). Eu estava imersa e era influenciada pela cultura tradicional desde que era uma garotinha, tomando “nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas”, “não adianta decapitar um homem executado; seja piedoso sempre que possível”, “calar diante das falhas de bons amigos ajuda a criar uma amizade boa e duradoura” e outras filosofias satânicas como meu padrão de comportamento e para avaliar a humanidade das pessoas. Depois de ganhar a fé, continuei considerando o orgulho dos outros em todas as minhas interações com os irmãos, raramente apontava falhas e deficiências que eu via, sempre deixava uma margem de manobra para os outros para que achassem que eu era compreensiva e tivessem uma boa impressão de mim. Eu sabia que a irmã Xu Qing era uma falsa líder e precisava ser dispensada imediatamente, mas para não a ofender, para proteger nosso relacionamento, eu não só não chamei a atenção dela, mas escondi a verdade e não denunciei seus problemas. Quase me tornei escudo de uma falsa líder, o que seria uma transgressão. Agora entendo que eu parecia ser amorosa e bondosa por fora, mas, na verdade, eu queria estabelecer uma imagem positiva no coração dos outros e ganhar sua admiração. A fim de alcançar meu objetivo desprezível, eu podia prejudicar o trabalho da igreja e a entrada dos irmãos na vida. Não importa quão bem alguém siga essas noções, ética e moral humanas, isso não significa que ele é uma pessoa boa. Ao contrário, motivos vergonhosos estão por trás desses comportamentos agradáveis. Viver segundo esses pensamentos e perspectivas satânicos só me tornaria cada vez mais escorregadia, astuta, egoísta e maligna. Tudo que eu fazia era contrário à verdade e a Deus. Mais tarde, li algumas passagens das palavras de Deus que realmente me ajudaram. Deus Todo-Poderoso diz: “Tem que haver um padrão para se ter boa humanidade. Isso não envolve tomar a senda da moderação, não aderir a princípios, esforçar-se para não ofender ninguém, bajular em todo lugar para onde for, ser tranquilo e astuto com todos a quem encontrar e fazer com que todos falem bem de você. Esse não é o padrão. Então, qual é o padrão? É ter princípios e assumir responsabilidade no seu tratamento de Deus, da verdade, do cumprimento do seu dever, e de todos os tipos de pessoas, eventos e coisas. Isso é óbvio para todos; cada um tem clareza sobre isso em seu coração(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade”). “Qual deveria ser a base para a fala das pessoas? As palavras de Deus. Então, quais são as exigências e os padrões que Deus tem para a fala das pessoas? (Que ela seja construtiva para as pessoas.) Está certo. O mais fundamental é que você deve falar a verdade, falar com honestidade e beneficiar os outros. No mínimo, a fala deve edificar as pessoas, e não iludir, zombar, enganar, satirizar, insultar, restringir, ferir, expor as fraquezas das pessoas nem ridicularizar as pessoas. Essa é a expressão da humanidade normal. É a virtude da humanidade. […] O que significa dizer que não se deve expor as fraquezas das pessoas? Significa não jogar lama em outras pessoas. Não se agarre aos seus erros ou falhas do passado para julgá-las ou condená-las. Esse é o mínimo que você deveria fazer. Do lado proativo, como a fala construtiva se expressa? Ela é principalmente encorajadora, orientadora, condutora, exortadora, compreensiva e confortadora. Também, às vezes, é necessário apontar e criticar as falhas, deficiências e erros de outros diretamente. Isso é de grande benefício para as pessoas. É uma ajuda real para elas e é construtivo para elas, não é? Digamos, por exemplo, que você é especialmente teimoso e arrogante. Você nunca esteve ciente disso, mas alguém que conhece você bem se manifesta e lhe explica o problema. Você pensa: ‘Eu sou teimoso? Sou arrogante? Nenhuma outra pessoa ousou dizer-me, mas essa me entende. O fato de ter conseguido dizer tal coisa sugere que é verdade. Devo passar um tempo refletindo sobre isso’. Depois disso, você diz à pessoa: ‘As outras pessoas só me dizem coisas agradáveis, cantam meus louvores, ninguém me diz coisas pessoais, ninguém nunca apontou esses problemas e deficiências em mim. Só você foi capaz de me dizer isso e se tornar mais pessoal comigo. Foi uma ajuda tão grande e maravilhosa para mim’. Isso é ter uma conversa de coração para coração, não é? Aos poucos, a outra pessoa lhe comunicou o que estava em sua mente, seus pensamentos sobre você e suas experiências de como a pessoa tinha noções, imaginações, negatividade e fraqueza nessa questão e como foi capaz de escapar disso buscando a verdade. Isso é ter uma conversa séria e íntima, é uma comunhão de almas(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (3)”). As palavras de Deus me mostraram claramente que humanidade verdadeiramente boa não é ser bondosa, compassiva e sensata, e não é sempre ser compreensiva e proteger relacionamentos interpessoais, ganhar o consentimento dos outros, mas é ser genuíno com Deus e os outros, e tratar as pessoas com sinceridade. Se você vê falsos líderes, anticristos ou malfeitores que interrompem as coisas na igreja e consegue defender os princípios da verdade para proteger o trabalho da igreja, se consegue apontar os problemas dos outros, comungar e ajudá-los, edificando-os em ato e palavra — só isso é realmente ser uma pessoa boa. Se você só considera seu próprio status e honra em seu dever, se você vê alguém que interrompe o trabalho da igreja, mas não o expõe nem impede, ignorando a vontade de Deus, você não é uma pessoa boa, por melhores que sejam seus relacionamentos com os outros, mas é uma pessoa egoísta, vil e baixa. Antes, eu achava que filosofias satânicas como “nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas” significavam ser compreensiva e tolerante, que isso era algo bom. Agora sei que isso é totalmente diferente de Deus dizer: “Não se deve expor as fraquezas das pessoas”. Deus dizer isso significava não criticar as pessoas nem aproveitar seus pontos fracos para julgá-las e condená-las, mas tratá-las corretamente. É isso que a humanidade normal deveria possuir. E Satanás instila em nós pensamentos como “nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas” para nos levar a proteger nosso status e imagem, a não apontar os problemas dos outros, a nos tornar cada vez mais egoístas e astutas, e a não termos humanidade normal. Não importa quão legal alguém pareça ser, isso só é hipocrisia e enganação para satisfazer seus interesses pessoais. Isso não é ser uma pessoa verdadeiramente boa. Se não formos dominadas pela corrupção, mas dermos algumas dicas e ajuda comungando a verdade para que eles possam ganhar conhecimento e arrependimento reais, isso é uma representação verdadeira de ter amor e humanidade boa.

Houve outra passagem que eu li que me deu uma senda de prática mais clara. As palavras de Deus dizem: “Depois de comungar ditados sobre o bom comportamento na cultura tradicional, vocês ganharam algum entendimento sobre eles? Como vocês deveriam abordar esse tipo de bom comportamento? Algumas pessoas poderiam dizer: ‘A partir de hoje, não serei uma pessoa acadêmica genial ou educada. Não serei uma tal “boa” pessoa; não serei alguém que respeita os idosos ou que ama os jovens; não serei uma pessoa doce e acessível. Nada disso é uma manifestação natural da humanidade normal; é um comportamento enganoso que é falso e fingido, e não está à altura do nível de praticar a verdade. Que tipo de pessoa eu serei? Eu serei uma pessoa honesta; começarei por ser uma pessoa honesta. Em minha fala, posso ser inculto, posso não entender as regras, carecer de conhecimento e ser menosprezado pelos outros, mas falarei francamente, com sinceridade e sem falsidade. Como uma pessoa e em minhas ações, não serei falso nem fingirei. Sempre que falar, eu o farei a partir do coraçãodirei o que penso. Se eu tiver ódio contra alguém, eu me examinarei e não farei nada que o machuque; só farei coisas que são construtivas. Quando falar, eu não considerarei meu ganho pessoal nem serei constrangido por minha honra ou reputação. Além do mais, não terei a intenção de fazer com que as pessoas me tenham em alta estima. Só darei importância a se Deus está feliz. Não machucar as pessoas será meu padrão mínimo. O que farei será feito de acordo com as exigências de Deus; não farei coisas para prejudicar os outros nem farei coisas que prejudiquem os interesses da casa de Deus. Só farei coisas que são benéficas para os outros, só serei uma pessoa honesta e uma pessoa que faz Deus feliz’. Isso não é uma mudança numa pessoa? Se ela realmente praticar essas palavras, ela terá mudado de verdade. Seu futuro e seu destino terão mudado para melhor. Logo ela embarcará na senda de buscar a verdade, logo entrará na realidade da verdade, e logo se tornará uma pessoa com a esperança de ser salva. Isso é uma coisa boa, uma coisa positiva(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (3)”). Ao ponderar as palavras de Deus, vi que, ao ser uma pessoa honesta e ao falar honestamente como Deus exige, ser francas em nossas interações, tomar as palavras de Deus como nossa base em tudo e viver com a verdade como nosso padrão, aos poucos, podemos nos livrar dos laços dos venenos de Satanás e ter mais de uma semelhança humana. Fiz uma oração a Deus para parar de pensar em como os outros me veriam e para parar de proteger relacionamentos interpessoais. Eu só queria ser uma pessoa honesta que satisfaz a Deus. E assim eu informei o líder superior de novo sobre os problemas da irmã Xu Qing e me abri sobre meus motivos incorretos ao editar a carta. Finalmente me senti um pouco mais em paz e à vontade após fazer isso. Alguns dias depois, o líder superior investigou e determinou que a irmã Xu Qing era uma falsa líder e a dispensou de acordo com os princípios.

Pouco tempo depois, precisei lidar com outra carta de denúncia. A acusadora, a irmã Lin Min, denunciou sua líder de igreja, a irmã Zhang Yue, como falsa líder. Ao verificar, vi que a irmã Zhang tinha estado num estado ruim recentemente, o que impactou sua eficácia em seu dever, mas que, em geral, conseguia fazer trabalho real e ajudar os outros a resolver problemas. Ela não era uma falsa líder. O que a irmã Lin Min relatou era verdade, mas a irmã Lin Min era um tanto arrogante. Ela não teve a abordagem correta das falhas e dos déficits no trabalho da irmã Zhang Yue e não entendeu completamente a situação dela. Ela definiu a irmã Zhang Yue cegamente como falsa líder. Isso era aumentar os problemas dela e não se conformava aos princípios — isso provavelmente a prejudicaria. Eu devia comungar com a irmã Lin Min e apontar os problemas dela. Pensei que, dessa vez, eu devia praticar a verdade e apontar o problema para ela. Mas no dia em que me encontraria com a irmã Lin Min, eu ainda estava preocupada. A irmã Lin Min tinha me ajudado havia pouco tempo quando me deparei com dificuldades, e ficou com uma impressão muito boa de mim. Se eu a informasse sobre os resultados da revisão e mencionasse seus problemas, ela entenderia errado e acharia que eu estava sendo injusta e então teria uma visão negativa de mim? Então percebi que eu não estava no estado correto, assim fiz uma oração silenciosa a Deus em meu coração: “Deus, estou de novo pensando em seguir filosofias satânicas e em proteger meus relacionamentos. Por favor, esclarece e ilumina-me para que eu possa renunciar à carne. Não importa o que aconteça, não quero mais considerar minha reputação. Quero praticar a verdade e ajudar essa irmã”. Lembrei-me de uma passagem das palavras de Deus que eu tinha lido uns dias antes: “Quando alguém encontra uma situação em que ele tem intenção e planos pessoais, e quando o caráter corrupto de alguém se manifesta claramente, isso é quando ele precisa refletir sobre si mesmo e buscar a verdade, e é também um momento crítico em que Deus examina essa pessoa. Como tal, se você é capaz de buscar a verdade, de aceitar a verdade e de se arrepender de verdade, esse é o momento mais revelador de uma pessoa. […] Você pretende se arrepender; você tem esse pingo de intenção, e você o exige com mais força do que antes, mas ninguém sabe quanto tempo levará até você realmente se arrepender. Se você não tomou passos concretos ou não tem um plano concreto para praticar o arrependimento, então isso não é arrependimento verdadeiro. Você deve agir de verdade. Uma vez que você agir de verdade, a obra de Deus seguirá(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (2)”). Correto. Quando me deparei com essa questão, Deus estava examinando meu coração para ver se eu tinha me arrependido, se eu escolheria praticar a verdade ou proteger meu orgulho e interesses. Então, corrigi meus motivos e comunguei com a irmã Lin Min. Depois, a irmã Lin Min não desenvolveu preconceitos contra mim porque eu tinha apontado os problemas dela, mas ela refletiu e aprendeu sobre si mesma por meio das palavras de Deus e disse que, se não tivesse sido exposta desse jeito, ela não teria visto que ela era arrogante e não estava tratando a irmã Zhang Yue corretamente. Ela teria achado que estava praticando a verdade e protegendo o trabalho da igreja. A irmã Lin Min também se abriu e pediu ajuda para tratar desse problema, e nós comungamos uma com a outra. Senti que estávamos muito próximas, sem nenhuma barreira. Fiquei muito comovida naquele momento e vi que viver e agir de acordo com as palavras de Deus e a verdade é a única coisa que realmente pode beneficiar e ajudar as pessoas. Eu me senti satisfeita e em paz.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp