O que resulta de sempre agradar aos outros

16 de Dezembro de 2022

Por Xincheng, Estados Unidos

Eu coordeno o trabalho evangelístico na igreja. Wanda e eu atuamos juntas como líderes de grupo. No início, eu via que Wanda era proativa em seu dever e que ela era bem eficiente em seu trabalho. Achava que ela era uma pessoa responsável que assumia fardos. Mas, depois de um tempo, percebi que ela estava cada vez mais passiva no dever dela. Ela raramente percebia problemas, muito menos os resolvia. No passado, quando avaliávamos nosso trabalho, ela sempre me procurava para relatar problemas ou desvios no trabalho e discutir soluções para eles. Mas dessa vez só houve silêncio. Normalmente, dividíamos a maior parte do trabalho no nosso grupo e analisávamos os problemas de maneira oportuna. Isso resolvia melhor os problemas e melhorava a eficácia do trabalho. Mas agora Wanda não estava investindo seu coração nos problemas do grupo. Pensei: “Ela não está cumprindo seus deveres como líder de grupo. Isso não é aceitável, preciso comungar com ela sobre isso”. Mas então pensei: “Minha relação com Wanda costuma ser boa. Se eu for direta e disser que ela assume um fardo leve no dever dela e que não faz trabalho real, isso a envergonhará? Se eu perturbar a paz dizendo isso, como conviveremos depois? Esqueça. É melhor não arriscar. Não devo irritá-la”. Na época, eu fiquei me acusando na minha mente: “O estado de Wanda não está ruim há tempos? Se isso continuar, a vida dela sofrerá, e isso impactará o trabalho dela. Eu não devo correr e comungar com ela? Mas se eu apontar diretamente que ela não assume um fardo, ela se sentirá constrangida e pensará que estou monitorando o trabalho dela? Talvez deva falar com a líder e deixar que ela ajude Wanda. Assim não terei que ofendê-la”. Mas então pensei: “Se eu contar à líder, e Wanda descobrir, ela dirá que eu a dedurei? Não, é melhor não dizer nada”. Fiquei vacilando desse jeito e não conseguia obter nenhum alívio na questão. Eu estava ciente de que meu estado estava errado, então orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse a buscar a verdade e consertar meus problemas.

Uma vez, durante uma reunião, vi que as palavras de Deus dizem: “Quando vocês veem um problema e não fazem nada para interceptá-lo e não o comungam nem tentam limitá-lo e, além disso, não o relatam aos seus superiores, mas exercem o papel de uma ‘pessoa legal’, isso é um sinal de deslealdade? Aqueles que são pessoas legais são leais a Deus? Nem um pouco. Tal pessoa não é apenas desleal a Deus — ela está agindo como cúmplice de Satanás, como seu assistente e seguidor. Ela é infiel em seu dever e responsabilidade, mas a Satanás, ela é bastante leal. Aqui está a essência do problema. Quanto à inadequação profissional, é possível aprender constantemente e juntar suas experiências enquanto cumpre o seu dever. Tais problemas podem ser resolvidos facilmente. A coisa mais difícil a resolver é o caráter corrupto do homem. Se vocês não buscarem a verdade nem resolverem seu caráter corrupto, mas sempre fingirem ser uma pessoa legal, e não lidarem com aqueles que vocês viram violando os princípios nem os ajudarem, nem os exporem nem revelarem, mas sempre recuarem, não assumindo responsabilidade, tal cumprimento do dever como o seu só comprometerá e atrasará o trabalho da igreja(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa”). “O comportamento das pessoas e a forma como tratam os outros devem se basear nas palavras de Deus; esse é o princípio mais básico para a conduta humana. Como as pessoas podem praticar a verdade se elas não entendem os princípios da conduta humana? Praticar a verdade não é dizer palavras vazias e recitar frases fixas. Não importa o que alguém encontre na vida, contanto que envolva os princípios de conduta humana, perspectivas sobre eventos ou a questão do cumprimento de seu dever, ele é confrontado com uma escolha e deve buscar a verdade, deve buscar uma base e um princípio nas palavras de Deus e então deve buscar uma senda para praticar; aqueles que conseguem praticar dessa forma são pessoas que buscam a verdade. Ser capaz de buscar a verdade desse jeito, por maiores que sejam as dificuldades encontradas, significa trilhar a senda de Pedro e a senda de buscar a verdade. Por exemplo: qual princípio deve ser seguido ao interagir com outros? Seu ponto de vista original é que você não deve ofender ninguém, mas manter a paz e evitar que qualquer pessoa seja humilhada, para que, no futuro, todos consigam conviver. Restringido por esse ponto de vista, quando você vê alguém fazer algo ruim, cometer um erro ou cometer um ato que contraria os princípios, você prefere tolerar isso a mencionar isso à pessoa. Restringido pelo seu ponto de vista, você se torna avesso a ofender alguém. Não importa com quem você se associe, impedido, como você está, por pensar em reputação, emoções ou por sentimentos que cresceram ao longo de muitos anos de interação, você sempre diz coisas agradáveis para deixar a pessoa feliz. Quando há coisas que você acha insatisfatórias, você também é tolerante; você só dá vazão a um pouco de raiva em particular, solta algumas difamações, mas quando a encontra em pessoa, você não cria confusão e ainda mantém um relacionamento com ela. O que vocês acham de tal conduta? Não é a de um homem que quer agradar a todos? Isso não é um tanto escorregadio? Isso viola os princípios de conduta. Então, não é baixo agir dessa forma? Aqueles que agem dessa forma não são pessoas boas, tampouco são nobres. Não importa quanto você tenha sofrido, não importa que preço tenha pago, se você se comportar sem princípios, você falhou e não será aprovado diante de Deus, nem será lembrado por Ele, nem agradará a ele(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Para realizar bem o dever, deve-se, no mínimo, possuir uma consciência e razão”). As palavras de Deus me fizeram perceber que eu tinha cultivado a opinião errada de que as relações entre as pessoas sempre precisavam ser pacíficas. Se eu sempre apontasse e expusesse os problemas dos outros, isso os ofenderia e feriria seu orgulho e prejudicaria o nosso relacionamento, dificultando o nosso convívio. Ao comparar essa opinião com as palavras de Deus, vi finalmente que ela não estava alinhada com a verdade e contrariava os princípios de ser uma pessoa. Essas pessoas são egoístas, baixas, escorregadias e enganosas. A fim de manter boas relações, elas não dizem nada quando veem que alguém tem um problema e só oferecem palavras de elogio e bajulação. São insinceras em suas interações e não ajudam de verdade; ao contrário, prejudicam as pessoas. Essas pessoas são imorais aos olhos de Deus, e Ele não as aprova. Era como eu tratava Wanda — Eu vi claramente que ela não assumia um fardo no dever dela e não estava fazendo trabalho real, mas eu não pratiquei a verdade mencionando os problemas dela. Eu não tive a coragem de relatar os problemas dela. Tudo que eu considerei foi como preservar minha relação com minha irmã. Eu achava que expor os problemas de alguém o ofenderia e magoaria. Embora visse que isso estava impactando o trabalho, eu não estava disposta a negar a carne e praticar a verdade. Eu estava sendo uma bajuladora enganosa! Descobri o problema da minha irmã, mas não o expus. Embora preservasse a nossa relação, isso não beneficiava a entrada na vida dela e afetava o trabalho evangelístico da igreja. Ao fazer isso, eu estava prejudicando os outros e o trabalho da igreja.

Depois disso, ponderei quais deveriam ser os princípios para interagir com as pessoas. Vi que a palavra de Deus diz: “Vocês devem se concentrar na verdadesomente então poderão entrar na vida, e somente quando tiverem entrado na vida vocês poderão prover para os outros e guiá-los. Se for descoberto que as ações de outros são contrárias à verdade, devemos ajudá-los com amor a buscar a verdade. Se outros forem capazes de praticar a verdade e houver princípios na maneira com que fazem as coisas, devemos tentar aprender com eles e imitá-los. Isso que é amor mútuo. Este é o tipo de atmosfera que você deve ter dentro da igreja: todos se concentrando na verdade e se esforçando para alcançá-la. Não importa quão velhos ou jovens as pessoas sejam, nem se são ou não crentes veteranos. Tampouco importa se eles têm calibre alto ou baixo. Essas coisas não importam. Diante da verdade, todos são iguais. As coisas que você deve observar são quem fala corretamente e em conformidade com a verdade, quem pensa nos interesses da casa de Deus, quem suporta o maior fardo no trabalho da casa de Deus, quem entende a verdade com maior clareza, quem compartilha um senso de justiça, e quem está disposto a pagar o preço. Tais pessoas devem ser apoiadas e aplaudidas por seus irmãos e irmãs. Essa atmosfera de retidão que vem da busca da verdade deve prevalecer dentro da igreja; dessa forma, você terá a obra do Espírito Santo, e Deus concederá bênçãos e orientação(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só quem cumpre seu dever com todo o coração, mente e alma é amado por Deus”). Na igreja, a verdade reina; os irmão devem interagir de acordo com os princípios da verdade. Os membros da igreja deveriam ter a verdade como sua prioridade quando interagem. Qualquer um que viola os princípios deve ser informado, tratado e apoiado com amor para que possa empenhar-se pela verdade. Qualquer um que fale e aja de acordo com a verdade e que seja honesto e capaz de proteger o trabalho da igreja deveria ser apoiado e protegido. Só se todos se concentrarem em buscar e praticar a verdade e permitirem que a busca da verdade prevaleça na igreja o Espírito Santo pode fazer a Sua obra. Quando entendi essas coisas, meu coração se animou, e eu tinha uma senda de prática. Também pensei em como cada crente verdadeiro em Deus deseja cumprir bem o seu dever e retribuir o amor Dele. Mas ninguém pode evitar a manifestação de sua corrupção e muitas insuficiências ao longo do seu dever. Os irmãos devem ajudar e corrigir uns aos outros nisso. Apontar e expor os problemas dos outros não se faz para envergonhá-los nem para atacá-los, é para ajudar as pessoas a se darem conta dos seus problemas e reverterem seu estado incorreto. Só isso é amor verdadeiro e a expressão de amor mútuo. Serve para proteger o trabalho da igreja. Mas quando você vê os problemas dos outros e permanece calado, executando a filosofia de Satanás para proteger seus interesses pessoais, isso é ser irresponsável com a entrada na vida das pessoas e o trabalho da igreja. Viver assim é egoísta e baixo demais. Refleti sobre minhas interações com Wanda. Vi que havia problemas no dever dela, mas não lhe ofereci nenhuma ajuda real, pois eu só me preocupava em proteger a minha imagem e não pensei na entrada na vida dela nem no trabalho da igreja. Eu era muito egoísta, baixa e não tinha humanidade! A essa altura, eu me enchi de repreensão e me dispus a praticar as palavras de Deus e a tratar minha irmã de acordo com os princípios da verdade.

Mais tarde, procurei Wanda e me abri e comunguei com ela. Um por um, citei todos os problemas que tinha visto. Ela ficou muito comovida após ler uma passagem das palavras de Deus e disse que seu estado estava péssimo e que ela não tinha nada a dizer nas orações dela. Fiquei chocada ao ouvir isso e me culpei. Se eu tivesse apontado isso e ajudado mais cedo, talvez ela teria conseguido reverter o estado incorreto dela e isso não teria impactado o dever dela. Vi como não praticar a verdade e agir como uma bajuladora só para preservar minha relação com minha irmã a prejudicava. Então orei a Deus e resolvi que, em minhas interações futuras com as pessoas, eu me concentraria em praticar a verdade, e que, se descobrisse um problema, eu o apontaria e ajudaria imediatamente em vez de ser uma bajuladora.

A partir de então, Wanda passou a ser mais ativa em seu dever. Mas, depois de um tempo, percebi que o trabalho dela violava os princípios com frequência. Mesmo quando alguém tinha uma humanidade ruim e não se conformava aos princípios para compartilhar o evangelho, ela ainda assim compartilhava o evangelho com ele, desperdiçando esforço. Eu estava confusa. Wanda tinha espalhado o evangelho por tanto tempo. Ela deveria entender melhor cada aspecto dos princípios. Como ela podia cometer erros tão óbvios? O estado dela ainda não tinha sido revertido? Talvez eu devesse lembrá-la. Mas então pensei: “Eu já a ajudei antes. Não preciso corrigi-la constantemente. Isso é tão desagradável. Se eu a corrigir sempre, ela pensará que sou uma pessoa arrogante, que estou sempre criticando os problemas dos outros ou que exijo demais das pessoas? Isso seria ruim para a minha imagem. Eu deveria esquecer isso”. Então, sem mais nem menos, eu vi que o estado e a condição de Wanda estavam errados em seu dever, mas eu me fingi de cega e não apontei isso para ela nem a ajudei. Algum tempo passou, e Wanda foi dispensada por ter sido desleixada e ineficiente em seus deveres por muito tempo. Eu me senti muito culpada. Vi claramente que havia problemas no dever da minha irmã, mas eu não dei atenção. Eu me fingi de cega e não fiz nada para lembrá-la ou ajudá-la. Agora que ela tinha sido dispensada, eu também não era responsável? Eu estava atormentada e perdida. Por que eu sempre bajulava as pessoas e era incapaz de praticar a verdade? Qual era a raiz desse problema?

Enquanto eu refletia e buscava, vi que a palavra de Deus diz: “Existe uma doutrina nas filosofias de vida que diz: ‘Calar diante das falhas de bons amigos ajuda a criar uma amizade boa e duradoura’. Significa que, a fim de preservar um relacionamento amigável, é preciso calar-se sobre os problemas dos amigos, mesmo que sejam vistos claramenteque se deve defender os princípios de não atacar a dignidade do outro ou expor suas deficiências. Eles devem enganar um ao outro, esconder-se um do outro, empenhar-se em intrigas um com o outro; e embora saibam com clareza cristalina que tipo de pessoa o outro é, eles não o dizem diretamente, mas empregam métodos astutos para preservar seus relacionamentos amigáveis. Por que alguém desejaria preservar tais relacionamentos? Trata-se de não querer fazer inimigos nesta sociedade, dentro do grupo, o que significaria sujeitar-se com frequência a situações perigosas. Visto que você não sabe de que forma alguém o prejudicará após você ter exposto as falhas dele ou o machucado e ele se tornar seu inimigo, e você não quer colocar-se em tal posição, você emprega a doutrina das filosofias de vida que diz: ‘Nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas’. À luz disso, se duas pessoas estão nesse tipo de relacionamento, elas contam como amigos verdadeiros? (Não.) Elas não são amigos verdadeiros, muito menos são confidentes uma da outra. Então que tipo de relacionamento, exatamente, é esse? Não é um relacionamento social fundamental? (É.) Em tais relacionamentos sociais, as pessoas não podem oferecer seus sentimentos, nem ter trocas profundas, nem dizer o que quiserem, nem dizer em voz alta o que está em seu coração, ou os problemas que veem no outro, ou palavras que beneficiariam o outro. Em vez disso, escolhem palavras agradáveis para não magoar o outro. Não querem fazer inimigos. O objetivo disso é impedir que as pessoas próximas representem uma ameaça. Quando ninguém as ameaça, elas vivem em paz e tranquilidade relativas. Não é esse o objetivo das pessoas ao promoverem a frase: ‘Nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas’? (É.) É claro que esse é um modo de existir astuto e enganoso, com um elemento de atitude defensiva e cujo objetivo é a autopreservação. Pessoas que vivem assim não têm confidentes nem amigos próximos a quem possam dizer qualquer coisa. Elas são defensivas umas com as outras, são calculistas e estratégicas, e cada uma tira do relacionamento o que precisa. Não é assim? Em sua raiz, o objetivo do ditado ‘Nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas’ é evitar ofender os outros e fazer inimigos, é proteger-se não machucando ninguém. São uma técnica e um método adotados para impedir que você seja machucado(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (8)”). “A natureza satânica do homem contém muito dessas filosofias. Às vezes, você mesmo nem está ciente delas ou não as entende; mesmo assim, cada momento da sua vida está baseado nessas coisas. Além do mais, você acha que essas filosofias são bastante corretas e razoáveis e nem um pouco equivocadas. Isso basta para mostrar que as filosofias de Satanás se tornaram a natureza das pessoas e que elas estão vivendo em completa concordância com elas, achando que esse modo de viver é bom e, sem qualquer senso de arrependimento. Por isso, elas estão revelando constantemente sua natureza satânica e, em todos os aspectos, continuam a viver segundo as filosofias de Satanás. A natureza de Satanás é a vida da humanidade e é a natureza e essência da humanidade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Como trilhar a senda de Pedro”). Por meio da revelação da palavra de Deus, eu entendi. A razão pela qual eu não conseguia evitar ser uma bajuladora era que eu tinha sido profundamente corrompida por Satanás. Meu coração estava cheio das filosofias e leis de Satanás, como “nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas” e “calar diante das falhas de bons amigos ajuda a criar uma amizade boa e duradoura” etc. Essas coisas tinham se tornado o código segundo o qual que vivia minha vida. Sob o comando dessas filosofias satânicas, eu achava que não ofender as pessoas com minhas palavras e ações, manter boas relações e preservar a paz era um jeito sábio de viver. Assim, mesmo quando vi que Wanda era desleixada em seu dever e violava os princípios e que isso já tinha impactado o trabalho, eu não quis expô-la nem corrigi-la. Preferia permitir que o trabalho evangelístico sofresse para manter minhas relações. Eu estava tão presa às filosofias satânicas que não conseguia praticar a verdade e não tinha um pingo de consciência ou razão! Vi que a palavra de Deus diz: “É claro que esse é um modo de existir astuto e enganoso, com um elemento de atitude defensiva e cujo objetivo é a autopreservação”. Isso me afetou profundamente. As palavras de Deus acertavam em cheio e expunham minhas intenções baixas quando eu vivia segundo as filosofias satânicas. Antes, eu achava pomposamente que a razão pela qual eu não corrigia minha irmã era porque eu temia que isso a constrangesse. Mas, na verdade, isso só era uma desculpa para não praticar a verdade. Eu temia que, se eu a corrigisse demais, ela se ofenderia e acharia que eu era uma pessoa arrogante que gosta de criticar e não consegue tratar as pessoas com justiça. Para passar uma boa impressão para a minha irmã, eu me fingi de cega em relação aos problemas dela, levando-a a viver constantemente na corrupção dela e sem autoconsciência. Eu não era verdadeira em minhas interações com os outros, era tudo truque e fingimento. Eu tinha sido tão escorregadia e enganosa! Pensei em como, quando eu fazia parceria com Wanda nos nossos deveres, eu não praticava a verdade que devia ter praticado e não cumpria a responsabilidade que devia ter cumprido. Agora ela tinha sido dispensada, e eu estava arrependida. Eu tinha experimentado como viver de acordo com as filosofias de Satanás machuca os outros e a você mesmo. Sua vida é baixa e repreensível. Eu não queria mais viver segundo elas. Queria buscar a verdade e cumprir bem o meu dever.

Mais tarde, vi que a palavra de Deus diz: “Para ser um pouco mais específico: ser uma pessoa honesta é ser alguém que é simples e aberto, que não se dobra nem se esconde, que não mente nem fala indiretamente, que é uma pessoa direta, que tem senso de justiça e fala honestamente. Essa é a primeira coisa que deve ser feita. […] Pessoas enganosas são as que Deus mais odeia. Se você deseja se livrar da influência de Satanás e ser salvo, você deve aceitar a verdade. Deve começar por ser uma pessoa honesta, dizer coisas reais e verdadeiras, não ser constrangido pela emoção, livrar-se de fingimento e trapaçaria, e vir a falar e a agir com princípios. Viver assim é livre e feliz, e você é capaz de viver diante de Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só pela prática da verdade é possível se livrar dos grilhões de um caráter corrupto”). “Meu reino exige os que são honestos, os que não são hipócritas nem enganadores. As pessoas sinceras e honestas não são impopulares no mundo? Sou exatamente o oposto. É aceitável que as pessoas honestas venham a Mim; fico feliz com esse tipo de pessoa e também necessito desse tipo de pessoa. Essa é precisamente a Minha justiça(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Declarações de Cristo no princípio, Capítulo 33”). As palavras de Deus me fizeram entender que Deus gosta de pessoas puras, sinceras e honestas, pessoas que conseguem ser diretas e não enganosas em sua fala e ações. Só pessoas honestas são dignas de entrar no reino de Deus. Isso foi decidido pelo caráter justo de Deus. Pensem em como, no mundo dos incrédulos, cada interação é performativa. Só palavras agradáveis e bajuladoras são ditas na frente dos outros. Nenhuma palavra de honestidade. Diante de coisas malignas que violam a consciência e a ética, a maioria das pessoas decide proteger-se, e acha que é melhor não agitar os ânimos. Elas não ousam falar uma palavra honesta. São especialmente hipócritas e enganosas e não têm integridade nem coragem. Mas quando eu interagia com os outros, eu também executava essas filosofias satânicas. Quando via um problema, eu não o expunha nem ajudava. Eu só protegia minhas relações com os outros. Viver assim é escorregadio e enganoso demais. Isso enoja a Deus, e Ele o odeia. A essa altura, pensei em como Deus é santo e tem uma essência confiável. Deus encarnado está interagindo com as pessoas de modo real. Ele expressa a verdade, julga e expõe as pessoas em toda parte o tempo todo, de acordo com o caráter corrupto que elas expõem e de acordo com suas noções de Deus. As palavras de julgamento e exposição de Deus falam diretamente da raiz e da essência da nossa corrupção. Embora Suas palavras sejam duras e severas, todas elas servem para fazer com que nos conheçamos, nos arrependamos e mudemos. As palavras de Deus são leais e inequívocas. Todas elas vêm do coração. Deus tem um coração especialmente honesto e confiável em relação às pessoas. Se Deus não apontasse e explicasse isso para nós, se Ele não expusesse a verdade de quão profundamente fomos corrompidos por Satanás, nós jamais nos conscientizaríamos de nós mesmos. Em vez disso, estaríamos vivendo em nossas imaginações, achando que somos bons. Nosso caráter corrupto nunca mudaria, e nós nunca alcançaríamos a salvação. Deus espera que possamos reconhecer a verdade da nossa corrupção por meio de Suas palavras de julgamento e exposição, e que nos arrependamos a Deus, vivamos segundo Suas palavras e busquemos ser uma pessoa honesta. Esse é o amor de Deus pelas pessoas. Após ponderar tudo isso, tive uma sensação de encorajamento. Resolvi que eu estava disposta a seguir as exigências de Deus e ser uma pessoa pura, correta e honesta.

Uma vez, a nossa líder Belinda estava discutindo o trabalho conosco. Percebi que havia um desvio no trabalho que ela atribuiu e quis apontá-lo para ela. Mas então pensei: “Essa irmã é a líder. Seu eu apontar um lapso ou desvio em seu dever, ela ficará envergonhada? Se ela pensar que estou dificultando as coisas para ela e tentar se vingar de mim — e aí? Esqueça, não devo dizer nada. Todos cometem erros”. A essa altura, percebi que minha mentalidade de bajuladora estava emergindo de novo. Então orei que Deus me guiasse a praticar os princípios da verdade. Depois, li a palavra de Deus, que diz: “Se você tiver as motivações e a perspectiva de uma ‘pessoa legal’, então, em todos os assuntos, você será incapaz de praticar a verdade e de obedecer aos princípios, e você sempre falhará e cairá. Se você não despertar e nunca buscar a verdade, então você será um incrédulo e jamais ganhará a verdade e a vida. O que, então, você deveria fazer? Quando confrontado com tais coisas, você deve clamar a Deus em oração, implorando pela salvação e pedindo que Deus lhe dê mais fé e força, para o capacitar a seguir o princípio, a fazer o que você deveria fazer, a lidar com as coisas de acordo com o princípio, a permanecer firme e proteger os interesses da casa de Deus e impedir que qualquer dano aconteça ao trabalho da casa de Deus. Se você for capaz de abandonar seus interesses pessoais, sua reputação e sua postura de uma ‘pessoa legal’, e se você fizer o que deveria fazer com um coração honesto e íntegro, então você terá derrotado Satanás e terá ganhado esse aspecto da verdade. Se você sempre viver segundo a filosofia de Satanás, mantendo seus relacionamentos com os outros e nunca praticando a verdade, não ousando obedecer aos princípios, então você será capaz de praticar a verdade em outros assuntos? Você não terá fé, não terá força. Se você nunca for capaz de buscar nem de aceitar a verdade, então tal fé em Deus lhe permitirá obter a verdade? (Não.) E se você não consegue obter a verdade, você pode ser salvo? Não pode. Se você sempre vive segundo a filosofia de Satanás, se carece completamente da realidade da verdade, então você nunca pode ser salvo. Deveria ser claro para você que obter a verdade é uma condição necessária para a salvação. Como, então, você pode obter a verdade? Se você for capaz de praticar a verdade, se conseguir viver segundo a verdade e a verdade se tornar a base da sua vida, então você ganhará a verdade e terá vida, e assim você será um daqueles que são salvos(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Depois de ler as palavras de Deus, vi que, se as pessoas viverem segundo as filosofias satânicas e sempre forem bajuladoras, elas nunca obterão a verdade e nunca alcançarão a salvação. Ao mesmo tempo, entendi que, se você quiser consertar o problema de ser um bajulador, você deve orar muito e confiar em Deus, pedir força a Deus, ser capaz de negar a carne, renunciar a interesses pessoais e considerar o trabalho da igreja. Ao praticar desse jeito, aos poucos você pode superar as restrições de seu caráter corrupto. Se você sempre for incapaz de praticar a verdade e não se dedicar ao seu dever, você acabará sendo exposto e expulso. Quando pensei nisso, tive coragem e motivação para praticar a verdade. Eu não podia continuar sendo uma bajuladora sem consciência e humanidade. Assim, falei do problema com a minha líder. Depois de contar-lhe, senti um grande alívio. Mais tarde, numa reunião, a líder comungou sua reflexão e seus ganhos após ser confrontada. Quando minha irmã falou de sua experiência e percepção, fiquei comovida e provei da doçura de praticar a verdade! Essa experiência aumentou minha fé em praticar a verdade. Quando encontrava situações semelhantes depois disso, embora ainda manifestasse as opiniões de uma bajuladora, a dor e a dificuldade que experimentava eram muito menores do que antes. Eu conseguia negar a mim mesma e praticar a verdade. Ao praticar a verdade desse jeito, meu coração se sentia aliviado e em paz. Foram as palavras de Deus que alcançaram esse efeito. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Jurando minha vida à devoção

Zhou Xuan Província de Shandong No dia 3 de abril de 2003, fui com uma irmã visitar um recém-convertido. Esse novo crente estava incerto...

Saindo do hospício

Por Xiaocao, China Em janeiro de 2012, eu aceitei o evangelho de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. Depois de crer, a séria distensão...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp