Um dever requer a verdade

08 de Março de 2022

Por Teresa, Filipinas

Em maio de 2021, assumi um papel de liderança e a responsabilidade pelo trabalho de várias igrejas. Sentia que eu deveria pagar um preço e cumprir bem o meu dever, caso contrário Deus não aprovaria. Por isso me ocupava com o trabalho da igreja todos os dias, gastava muito tempo e energia comunicando com os líderes de igreja, discutindo jeitos de melhorar seu evangelismo e regar recém-convertidos, e, no tempo livre, eu acompanhava os recém-convertidos. Investia muito esforço em tudo isso. Minha agenda estava lotada todos os dias. às vezes, eu nem tinha tempo para comer, e isso chegou a um ponto em que nem conseguia encaixar meus devocionais. Acreditava que bastava me esforçar em meu dever e pagar um preço para obter resultados, então eu ganharia a aprovação e as bênçãos de Deus e teria um bom destino.

Quanto ao meu dever, eu renunciei à carne e investi nele tudo que tinha, até passava meus intervalos de almoço conversando com recém-convertidos ou planejando reuniões e não me importava quando me esgotava. Mais tarde, uma igreja estava montando uma equipe evangelística, então comecei a procurar candidatos e pensei em quem treinar. Quando via recém-convertidos sem entusiasmo, eu corria para encontrar palavras de Deus para eles, para que encontrassem sentido em seu dever. Depois de muito trabalho, finalmente conseguimos reunir uma equipe evangelística. Mas eu não estava satisfeita. Achava que devia pagar um preço mais alto, fazer mais trabalho real e guiar os irmãos a obterem mais membros novos, assim eu contribuiria mais e Deus aprovaria, e eu teria um bom destino. Mas sempre que me deparava com dificuldades no dever, eu ficava negativa e fraca. Por exemplo, quando via líderes confusos em seu trabalho ou recém-convertidos sem entusiasmo em seu dever ou quando algo não era bem-planejado, eu achava que eu não era competente naquele dever. Se eu não alcançasse nada, eu teria um bom destino? Esse pensamento sempre me deixava muito estressada e eu me sentia cansada, deprimida e muito preocupada. Eu não estava ciente do meu problema e só lia as palavras de Deus quando estava num estado ruim. Na maior parte do tempo, eu estava ocupada com meu dever. Achava que comer e beber as palavras de Deus e ponderá-las demorava demais e que não restaria tempo suficiente para o meu dever, então eu o adiava. Às vezes, esperava até a noite, mas aí eu estava cansada do trabalho e sonolenta. Então eu deixava pra lá. Eu não trabalhava na entrada na vida, só me esforçava na superfície, e cumprir meu dever naquele estado me deixou exausta. Um dia me perguntei se cumprir meu dever desse jeito estava alinhado com a vontade de Deus, se Ele o aprovava. Senti que algo estava errado e percebi que havia um problema com a minha atitude. Eu estava ocupada trabalhando e ignorando minha entrada na vida. Eu nunca tinha refletido sobre como Deus queria que eu cumprisse meu dever. Vim para diante de Deus e orei: “Deus, temo ser malsucedida em meu dever e que Tu não aprovarás, que meu future será impactado. Deus, se eu estou na senda errada, por favor, me esclarece e me mostra onde estou errando. Ó Deus, quero satisfazer-Te, mas não sei o que fazer. Preciso de Tua orientação”.

Um dia uma irmã me contou que ela não sabia buscar a verdade quando tinha problemas e não sabia como cumprir bem o seu dever. Ela não entendia seu próprio estado, por isso queria que eu lhe dissesse como entender melhor e o que fazer quando manifestasse corrupção. Eu lhe disse que, para entender nosso estado, devemos refletir sobre nosso raciocínio e se nossos pensamentos, perspectivas, objetivos e condutas satisfazem a vontade de Deus. Depois disso, ela me perguntou como eu obtive um entendimento do meu raciocínio para refletir e conhecer a mim mesma. Fiquei perplexa. A pergunta dela foi como um tapa no rosto. Eu não praticava isso, como, então, poderia ajudá-la? Eu trabalhava muito, mas não buscava a verdade em meu dever. Eu me deparava com muitos problemas e revelava muita corrupção, como falta de paciência e amor ao tentar apoiar recém-convertidos e criticar o trabalho e desempenho dos líderes quando verificava o trabalho deles. Era como se nada desse certo, mas eu não refleti nem aprendi sobre mim mesma. Achava que só devia cumprir o meu dever, e que, se fizesse mais, Deus aprovaria e isso bastaria. Deixei de lado minha entrada na vida e não gastei tempo com as palavras de Deus. Achava que beber e comer as palavras de Deus era tempo que eu podia gastar no meu dever. Estava sempre ocupada, mas não estava me despendendo por Deus com sinceridade. Eu só trabalhava, completava tarefas. Eu não refletia sobre mim mesma nem buscava a verdade quando estava num estado ruim. Estava negligenciando minha entrada na vida e não tinha um relacionamento correto com Deus. Estava cumprindo meu dever do meu jeito, como eu queria. Foi quando fiquei preocupada com meu próprio estado. Perguntei-me como Deus me via e se Ele aprovava minha busca.

Ao ver o meu problema, eu disse àquela irmã: “Tenho o mesmo problema. Fico me ocupando com tarefas, mas não entendo meu estado. Muitas vezes, acho que não estou no estado certo, mas ignoro isso. Não reflito sobre mim mesma nem tenho entrada na vida”. Então, juntas, lemos uma passagem das palavras de Deus. “Se quiserem ter o coração verdadeiramente em paz diante de Deus, então vocês precisam fazer o trabalho de cooperação consciente. Isso quer dizer que cada um de vocês precisa ter um tempo para as suas devoções, um tempo em que deixam pessoas, eventos e coisas de lado; assentam seu coração e aquietam-se diante de Deus. Todos precisam ter anotações devocionais individuais, registrando seu conhecimento da palavra de Deus e como o seu espírito é comovido, independentemente de serem profundas ou superficiais; todos precisam aquietar seu coração diante de Deus com consciência. Se puder dedicar uma ou duas horas por dia à vida espiritual verdadeira, então nesse dia sua vida se sentirá enriquecida e seu coração ficará brilhante e claro. Se você viver esse tipo de vida espiritual todos os dias, então seu coração será capaz de voltar mais para a posse de Deus, seu espírito se tornará cada vez mais forte, sua condição melhorará constantemente, você se tornará mais capaz de trilhar a senda pela qual o Espírito Santo conduz e Deus lhe concederá bênçãos maiores. O propósito da sua vida espiritual é ganhar conscientemente a presença do Espírito Santo. Não é observar regras nem dirigir rituais religiosos, mas agir verdadeiramente em consonância com Deus, disciplinar verdadeiramente seu corpo — isso é o que o homem deveria fazer, assim vocês deveriam fazê-lo com o máximo esforço” (‘Uma vida espiritual normal conduz as pessoas à trilha certa’ em “A Palavra manifesta em carne”). Isso me ajudou a ver que preciso de uma vida espiritual correta e tempo para as palavras de Deus, por mais ocupada que esteja, e que devo refletir sobre se minhas ideias e ações estão alinhadas com a vontade de Deus. Mas eu não tinha me concentrado em ler nem refletir sobre as palavras de Deus. Até achava que meus devocionais eram desperdício de um tempo que eu poderia usar para trabalhar. Eu não estava buscando a verdade no dever nem refletindo sobre se estava fazendo o que Deus exige. Eu não buscava a verdade quando me deparava com problemas, só me concentrava em trabalho, tentando resolver coisas com minha própria esperteza e experiência. Às vezes, quando já estava num estado ruim e não conseguia sentir a obra do Espírito, eu me forçava a continuar na luta. Eu parecia estar muito ocupada, mas meu coração estava vazio e escuro, e eu não estava aprendendo nada. Depois de ler as palavras de Deus, pude ver como é importante comer e beber Suas palavras, fazer devocionais e autorreflexão. Se não lermos as palavras de Deus, seremos incapazes de analisar nossos pensamentos e comportamentos com elas e não saberemos que tipo de corrupção revelamos. Assim, nossos caracteres corruptos nunca mudarão e nós jamais ganharemos a aprovação de Deus. Perceber tudo isso me despertou. Ver os estados em que eu estivera me assustou e não quis continuar desse jeito, mas queria me concentrar em minha vida espiritual enquanto cumpria meu dever, praticar e entrar nas palavras de Deus.

Lemos algumas das palavras de Deus sobre isso. Deus Todo-Poderoso diz: “Se deseja ser louvado por Deus, então você precisa primeiro fugir da influência tenebrosa de Satanás, abrindo seu coração para Deus e volvendo-o a Ele completamente. Deus louvaria as coisas que você está fazendo agora? Já volveu seu coração para Deus? As coisas que você fez foram o que Deus exige de você? Elas estão alinhadas com a verdade? Examine-se em todos os momentos e concentre-se no comer e beber das palavras de Deus; exponha seu coração diante Dele, ame-O com sinceridade e despenda-se devotadamente a Deus. Pessoas que fazem isso certamente receberão o elogio de Deus”. “Se os homens viverem dentro das palavras de Deus, então o Espírito Santo estará com eles e realizará a obra neles. Se os homens não vivem dentro das palavras de Deus, então eles vivem nas amarras de Satanás. Se os homens vivem com um caráter corrupto, então não têm a presença nem a obra do Espírito Santo. Se você vive dentro dos limites das palavras de Deus e se vive no estado que Deus exige, então você é alguém que pertence a Ele, e Sua obra será realizada em você; se você não estiver vivendo dentro dos limites das exigências de Deus, mas, em vez disso, estiver vivendo sob o império de Satanás, então decididamente está vivendo dentro da corrupção de Satanás. Só vivendo dentro das palavras de Deus e entregando seu coração a Ele você pode satisfazer Suas exigências; você precisa fazer como Deus diz, tornando Suas declarações o fundamento de sua existência e a realidade de sua vida; só então você pertencerá a Deus” (‘Fuja da influência das trevas e você será ganho por Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu refleti sobre mim mesma à luz das palavras de Deus. Eu era entusiasmada em meu dever, mas fazia tudo de acordo com minhas próprias ideias. Eu me desviei das palavras de Deus por não buscar a verdade e só me concentrava no trabalho. Isso não era a vontade de Deus. Eu costumava pensar que, contanto que desse tudo de mim em meu dever e pagasse um preço mais alto, Deus aprovaria, mas não era esse o caso. Deus não olha só para as contribuições superficiais, Ele vê nosso coração, espera que obedeçamos às Suas palavras, que busquemos a verdade em nosso dever, coloquemos em prática as Suas palavras e escapemos das amarras da corrupção por Satanás. Mas eu só queria resolver coisas. Eu não buscava a verdade, nem refletia sobre a corrupção que revelava, nem praticava as palavras de Deus. Foi quando vi que eu estava na senda errada, e seguir essa estrada seria perigoso — Deus nunca aprovaria.

Mais tarde, lembrei-me de uma passagem das palavras de Deus sobre Paulo, que me ajudou a entender os problemas em minha busca. Deus Todo-Poderoso diz: “Atualmente, a maioria das pessoas está neste tipo de estado: ‘A fim de ganhar bênçãos, preciso me despender por Deus e pagar um preço por Ele. A fim de ganhar bênçãos, preciso abandonar tudo por Deus; preciso completar o que Ele me confiou e desempenhar bem o meu dever’. Isso é dominado pela intenção de ganhar bênçãos, o que é um exemplo de despender-se inteiramente pelo propósito de obter recompensas de Deus e ganhar uma coroa. Tais pessoas não têm a verdade no coração e seu entendimento certamente consiste apenas em poucas palavras de doutrina com as quais elas se exibem para onde quer que vão. A senda delas é a de Paulo. A crença de tais pessoas é um ato de labuta constante e, lá no fundo, elas sentem que, quanto mais fizerem, mais isso provará sua lealdade a Deus; que, quanto mais fizerem, certamente Ele ficará mais satisfeito e que, quanto mais fizerem, mais merecerão que uma coroa lhes seja concedida diante de Deus e que certamente receberão as maiores bênçãos na Sua casa. Elas pensam que, se puderem suportar sofrimento, pregar e morrer por Cristo, se sacrificarem a própria vida e se conseguirem completar todos os deveres que Deus lhes confiou, estarão entre os mais abençoados de Deus — aqueles que ganham as maiores bênçãos — e uma coroa certamente lhes será concedida. Isso é precisamente o que Paulo imaginava e buscava; é exatamente a senda que ele trilhou, e foi sob a orientação de tais pensamentos que ele trabalhou para servir a Deus. Tais pensamentos e intenções não têm origem numa natureza satânica? É como os humanos mundanos, que acreditam que, enquanto estiverem na Terra, precisam buscar conhecimento e que somente após obtê-lo podem destacar-se da multidão, tornar-se oficiais e ter status; acreditam que, uma vez que tiverem status, poderão realizar suas ambições e levar seu lar e negócio a determinado nível. Não são os incrédulos, todos eles, que trilham essa senda? Aqueles que são dominados por essa natureza satânica só podem ser iguais a Paulo em sua fé. Eles pensam: ‘Devo renunciar a tudo e despender-me por Deus; devo ser fiel diante Dele, e um dia definitivamente receberei a coroa mais magnífica e as maiores bênçãos’. Essa é a mesma atitude das pessoas mundanas que buscam coisas mundanas; elas não são nem um pouco diferentes, e estão sujeitas à mesma natureza. Quando as pessoas têm esse tipo de natureza satânica, lá fora no mundo, elas buscarão obter conhecimento, status, aprendizado e destacar-se da multidão; se acreditarem em Deus, buscarão obter coroas e grandes bênçãos. Se as pessoas não buscarem a verdade quando acreditam em Deus, certamente seguirão essa senda; isso é um fato imutável, é uma lei natural” (‘Como trilhar a senda de Pedro’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Eu costumava pensar que meu objetivo em meu dever era satisfazer a Deus, mas, depois de ler as palavras de Deus, eu vi que eu estava errada. Eu parecia entusiasmada no meu dever, mas eu não estava tentando ganhar a verdade nem satisfazer a Deus. Eu queria ser abençoada por Deus e ter um bom destino. Eu achava que, contanto fizesse meu trabalho e pagasse um preço, trabalhasse muito e sofresse mais, Deus aprovaria e eu teria um bom destino. Pelas bênçãos de Deus, eu adiava minhas refeições e dormia menos e até economizava nos devocionais e na leitura das palavras de Deus para poupar tempo. Eu queria trocar meu esforço no trabalho por um lindo destino no futuro, como um funcionário que trabalha para seu chefe. Era como trabalhar para receber um salário do empregador. Eu estava sendo transacional com Deus em meu dever, enganando a Deus. Deus quer que sejamos sinceros no nosso dever, não transacionais e exigentes, mas eu estava tentando fazer acordos com Deus, a fim de trocar meu esforço por uma passagem para o céu. Essa também era a busca de Paulo. Paulo só se concentrava no trabalho, queria ser coroado, recompensado, mas ele não buscou a verdade nem levou as palavras de Deus a sério, muito menos tentou mudar a si mesmo. Ele estava numa senda contrária a Deus. Eu era igual — eu me esforçava muito, também esperava mais bênçãos de Deus para obter um destino melhor. Vi que eu não buscava a verdade nem amava a Deus de verdade, como, então, poderia ganhar a aprovação de Deus? Sem ler as palavras de Deus, eu não conhecia minha própria corrupção, nem sabia que tinha abandonado a senda de Deus. Mais tarde, refleti sobre as consequências para líderes que seguem a senda errada e encontrei esta passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Qual é a causa do surgimento da categoria de pessoas que são líderes e obreiras, e como foi que elas surgiram? Em uma grande escala, elas são necessárias para a obra de Deus; em uma escala menor, elas são exigidas para o trabalho da igreja, elas são exigidas pelo povo escolhido de Deus. […] A diferença entre o dever delas e o de outras pessoas é questão de uma característica especial que elas têm. Que característica especial é essa? O que se destaca especialmente é a função de liderança. Por exemplo, não importa quantas pessoas uma igreja tenha, o líder é o chefe. Então, qual é o papel que esse líder exerce entre os membros? (Ele assume a liderança.) Ele lidera todos os escolhidos na igreja. Que efeito, então, ele tem sobre toda a igreja? Se esse líder tomar a senda errada, isso terá um impacto enorme sobre todos os escolhidos na igreja: todos eles seguirão o líder em tomar a senda errada. É igual a como Paulo liderou todas as igrejas que fundou e as pessoas para quem espalhou o evangelho e as quais converteu; quando Paulo se desviou, as igrejas e as pessoas que ele liderava também se desviaram. Quando os líderes se desviam, eles não são os únicos que são impactados; todos os irmãos e irmãs que estejam dentro da esfera de sua liderança também são impactados” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus me mostraram que a senda que eu seguia como líder era muito importante. Minha atitude em relação à verdade, a senda que eu trilhava e como eu cumpria meu dever tinham um impacto direto sobre a entrada dos outros. Se eu seguisse a senda errada, eu levaria os outros junto comigo. Como líder, eu era responsável por guiar os irmãos em sua busca da verdade, mas eu me concentrava no trabalho, não na busca da verdade. Deixei de lado a leitura das palavras de Deus e a busca pela verdade e me distanciei de Deus. Eu não estava concentrada na minha entrada na vida, como, então, eu poderia guiar os irmãos a buscarem a verdade? Eu só os levaria para a mesma senda de Paulo, e se eles fossem eliminados porque não estavam buscando a verdade, isso seria maligno da minha parte e eu estaria arruinando sua chance de serem salvos. Esse tipo de trabalho não seria fazer o bem, mas cometer o mal e seria trabalhar contra Deus! Também percebi como é perigoso só levar os outros a fazer trabalho superficial e distanciar-nos de Deus e da verdade. As palavras de Deus revelaram minha corrupção e me mostraram a senda certa da busca e a responsabilidade de um líder. Eu sabia que devia me concentrar em ler mais as palavras de Deus, buscando a verdade e resolvendo minha corrupção. Então eu não seguiria a senda errada.

Mais tarde, li mais algumas passagens. Deus Todo-Poderoso diz: “Os destinos de Paulo e de Pedro foram mensurados de acordo com o fato de eles terem sido capazes ou não de cumprir o seu dever como criaturas de Deus, não segundo o tamanho de sua contribuição; os destinos deles foram determinados de acordo com o que eles buscaram desde o princípio, não de acordo com a quantidade de trabalho que fizeram nem com o apreço de outras pessoas por eles. Portanto, procurar cumprir ativamente o dever como criatura de Deus é a senda para o sucesso; buscar a senda do verdadeiro amor a Deus é a senda mais correta; buscar mudanças no antigo caráter, bem como buscar o amor puro a Deus é a senda para o sucesso. Tal senda para o sucesso é a senda da recuperação tanto do dever original quanto da aparência original de uma criatura de Deus. Ela é a senda da recuperação e também é o objetivo de toda a obra de Deus, do início ao fim. Se a busca do homem for maculada por exigências pessoais extravagantes e anseios irracionais, o efeito obtido não será de mudanças no caráter do homem. Isso contraria a obra de recuperação. Isso sem dúvida não é a obra feita pelo Espírito Santo, e assim isso prova que a busca desse tipo não é aprovada por Deus. Que significado tem uma busca que não é aprovada por Deus?” (‘O sucesso ou o fracasso dependem da senda que o homem percorre’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Eu decido o destino de cada pessoa não com base na idade, senioridade, quantidade de sofrimento, muito menos o grau em que ela causa compaixão, mas de acordo com ela possuir ou não a verdade. Não há outra escolha além dessa. Vocês devem entender que todos os que não seguem a vontade de Deus também hão de ser punidos. Esse é um fato imutável. Logo, todos os punidos assim o são para a justiça de Deus e como retribuição por seus numerosos atos malignos” (‘Prepare boas ações suficientes para o seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”). Isso me ajudou a entender que Deus não determina nosso desfecho com base na extensão das nossas contribuições, nosso trabalho ou sofrimento. Ele nunca disse que nos abençoa com base em quanto trabalhamos ou que nossa labuta pode nos dar um bom destino. Mas eu costumava pensar que, contanto que trabalhasse muito, cumprisse meu dever e contribuísse mais, eu ganharia a aprovação de Deus e teria um bom destino. Eu era entusiasmada no trabalho da igreja e na resolução dos problemas dos outros e estava disposta a sofrer por meu dever. Mas a leitura das palavras de Deus me mostrou que a minha perspectiva estava errada, que Deus determina nosso desfecho com base em se buscamos a verdade e mudamos pessoalmente. Como Paulo — ele se esforçou muito, trabalhou muito, sofreu muito e fundou várias igrejas. As pessoas acham que ele fez contribuições maravilhosas, mas sua motivação era ser recompensado, ser coroado, assim, todo o seu esforço não ganhou a aprovação de Deus. Ele foi eliminado por Deus porque nunca mudou seu caráter. Embora Pedro não tenha feito tanto trabalho, ele se concentrou na busca da verdade e autorreflexão com base nas palavras de Deus. Ele colocou as palavras de Deus em prática e acabou alcançando uma mudança de caráter. Sua busca estava alinhada com a vontade de Deus. Eu nunca entendia o padrão de Deus para determinar o desfecho de uma pessoa, mas tinha minhas próprias noções na fé. Achava que trabalho duro me levaria ao reino de Deus, e queria trocar meu esforço desprezível por um destino lindo. Essa busca nada tinha a ver com Deus. Eu não estava buscando a verdade com um coração puro para satisfazer a Deus, e minha fé perdeu seu sentido com esse tipo de busca. Não importa quão ocupada parecesse ser, eu não estava mudando meu caráter corrupto. Ainda estava cheia de arrogância, ganância, orgulho, inveja e astúcia. Como alguém igual a mim, tão cheia de corrupção satânica, poderia ter um bom destino? E em meu dever, eu não me concentrava em autorreflexão nem em buscar a vontade de Deus. Eu não estava fazendo o que Deus exige, como, então, meu trabalho poderia estar alinhado com a vontade de Deus? O julgamento e castigo das palavras de Deus me deram algum entendimento da minha abordagem errada à busca. Sem isso, eu teria continuado labutando cegamente, cheia de enganação e mentalidade transacional, e essa busca só me levaria a resistir a Deus e eu acabaria sendo punida. Depois de ver a importância de buscar a verdade, comecei a mudar minha busca incorreta, não querendo mais viver num estado de só trabalhar.

Depois disso, por mais ocupada que estivesse, eu tomava tempo para comer e beber as palavras de Deus todos os dias e tentava experimentar a palavra de Deus por meio do meu dever. Quando me deparava com problemas, eu buscava os princípios da verdade e comunicava sobre a verdade para ajudar os outros com seus problemas. Praticando as palavras de Deus, fiquei menos confusa e obtive mais direção em meu dever. Antes, quando as coisas ficavam corridas, eu temia não estar trabalhando rápido o bastante, que isso impactaria meu destino se não me saísse bem, mas agora não fico mais tão ansiosa quando estou com muito trabalho. Primeiro busco os princípios da verdade para ver o que Deus exige, e quando coopero com Deus desse jeito, consigo ver Sua orientação, e tenho obtido resultados cada vez melhores. Em algum momento, percebi que os irmãos estavam um pouco passivos em seu dever e fiquei muito frustrada e irritada. Gastei tanto tempo comunicando com eles, mas sem nenhum resultado. Alguns deles ainda eram muito passivos, e isso estava impedindo nosso progresso. Então vim para diante de Deus em oração para saber o que me irritava tanto e o que realmente me motivava. Ao ler as palavras de Deus, eu vi que me sentia daquele jeito porque achava que, por não obter resultados bons, eu causaria uma impressão negativa e que eu poderia perder minha posição. Foi quando percebi que isso era minha corrupção. Eu devia renunciar à carne pela verdade. Meu status e reputação eram nada. Não importava o que os outros pensassem de mim ou se eu tivesse uma posição de liderança, eu devia cumprir o meu dever. Era a única coisa que importava. Então investiguei a razão pela qual eles eram tão passivos e que atitude eles tinham em relação ao seu dever. Lemos as palavras de Deus juntos, e, por meio da comunhão, o estado de todos foi melhorando aos poucos, e eles conseguiram alcançar mais. Essa experiência me mostrou que buscar a verdade é a única senda de crença verdadeira, de seguir a Deus. Resolver coisas não pode bastar, devo ler as palavras de Deus, experimentar a Sua obra e buscar mudança de caráter. Graças a Deus!

Anterior: Acorrentada

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Uma avaliação que me expôs

Por Xidan, Estados Unidos Em meados de maio de 2021, a irmã Chen, uma líder, me procurou e perguntou se eu conhecia bem a irmã Lu, se ela...

Quem me deu minha liberdade?

Por Ruizhi, China Quando decidi me converter, meu marido disse que ter fé era maravilhoso e, às vezes, me acompanhava nas reuniões. Então,...

Depois das mentiras

Por Chen Shi, China Deus Todo-Poderoso diz: “Vocês devem saber que Deus gosta de pessoas honestas. Deus tem a substância da fidelidade,...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp