Um dever não pode dar frutos sem os princípios

01 de Agosto de 2022

Por Shu Qin, China

Em fevereiro do ano passado, fui transferido para uma igreja como líder. Percebi que nenhum dos aspectos do trabalho na igreja era muito eficiente, e pensei: “Os líderes que arranjaram que eu viesse para essa igreja devem me valorizar muito e acreditam que consigo reverter o curso do trabalho dessa igreja, então, devo sair-me bem e mostrar aos líderes que consigo fazer trabalho prático e que eles acertaram ao me escolher”. Em seguida, visitei cada grupo na igreja para me informar sobre sua situação de trabalho e resolver os problemas e dificuldades dos irmãos em seus deveres. Alguns irmãos estavam num estado ruim, então eu os ajudei e apoiei com amor. Quando descobria pessoas inaptas em certas funções, eu discutia isso com minha parceira e as transferia ou substituía de acordo com os princípios. Passado algum tempo, o trabalho da igreja tinha melhorado um pouco. Eu estava muito feliz e não pude evitar de pensar: “Parece que consigo fazer algum trabalho prático. Devo continuar trabalhando muito e produzir resultados melhores para que meus irmãos vejam que tenho a capacidade de trabalhar e digam que eu sou um bom líder”.

Um dia, analisando algum trabalho, percebi que a eficácia do trabalho de rega tinha diminuído muito e que vários recém-convertidos não estavam participando das reuniões. Pensei: “Todos os outros trabalhos já estão mais eficientes, mas a eficácia do trabalho de rega diminuiu. Não podemos permitir que a rega afete os resultados gerais, caso contrário, todos dirão que sou um líder incapaz, e isso afetará minha imagem no coração deles”. Então procurei a equipe de rega às pressas, investiguei e descobri que a líder de grupo, a irmã Wu, não considerava as dificuldades dos recém-convertidos quando arranjava as reuniões e os deveres deles. Ela arranjava reuniões para alguns recém-convertidos quando eles precisavam trabalhar, impossibilitando que eles participassem, e alguns deles tinham dificuldades, achavam que não estavam à altura de seus deveres e se sentiam negativos. Isso me deixou um pouco irritado. Pensei: “Eu disse para ela que devemos considerar a situação dos recém-convertidos quando arranjamos reuniões e deveres para eles. Por que ela não pode ser flexível, dominar o conceito e usá-lo bem? Parece que ela não tem calibre para regar recém-convertidos. Os resultados ruins que estamos obtendo estão todos vinculados a ela. Não posso permitir que ela sozinha impacte o trabalho de toda a igreja. Ela deve ser dispensada imediatamente. Se eu não dispensá-la, o resultados nunca melhorarão. Isso não só impedirá o trabalho da casa de Deus, mas meus superiores e irmãos pensarão que eu não consigo fazer o trabalho nem resolver problemas reais. Não posso permitir que questionem minha competência”. Assim, depois da reunião, eu falei da dispensa da irmã Wu com minha parceira e com os diáconos. O diácono de rega disse: “A irmã Wu era eficiente na rega de recém-convertidos no passado. É possível que esteja num estado ruim e que tenha sido apressada demais ao treinar os recém-convertidos, e só. Devemos investigar a situação dela e então comungar e ajudá-la. Se ela não mudar após um tempo, então poderemos dispensá-la”. Mas, na época, só pensei que meu status e reputação poderiam ser prejudicados. Pensei: “A irmã Wu já rega recém-convertidos há algum tempo. Eu também já a lembrei disso antes. Acho que ela não aceita ajuda nem lembretes. Se não a dispensarmos a tempo e se houver um atraso e o trabalho for impactado, a responsabilidade sempre recairá sobre mim, portanto, dessa vez, preciso fazer com que eles concordem comigo e dispensem a irmã Wu”. Então eu disse, irritado: “A irmã Wu não é eficiente em seu dever, o que prova que ela é incompetente e não é apta para cumpri-lo. Se ficarem com ela e os resultados não melhorarem, quem de vocês assumirá a responsabilidade? Vocês podem ajudá-la, mas não comigo!”. Quando viram minha atitude, minha parceira e os diáconos não disseram nada.

Mais tarde, eu soube que a irmã Wu ficou muito negativa depois de ser substituída. Ela achava que tinha regado os recém-convertidos por muitos anos com resultados decentes. Ela estava treinando recém-convertidos que eram novos na fé, porque havia uma falta de pessoal de rega na igreja, e ela juntava vários pontos de reunião. Os problemas ocorriam quando ela estava ocupada demais cuidando das dificuldades de todos os recém-convertidos. Ela achava que não devia ser dispensada desse jeito, que nós a dispensamos sem princípios e que o fizemos com base num comportamento momentâneo, não numa avaliação equilibrada do comportamento consistente dela. Mas quando ouvi isso, eu não só não busquei a verdade e refleti sobre mim mesmo, como achei que a estatura dela era baixa e que ela não conseguia conhecer a si mesma nem aprender lições, então, não levei isso a sério.

Quando a irmã Wu foi dispensada, escolhemos a irmã Liu como líder de grupo. Feliz, eu pensei: “Agora o trabalho de rega será mais eficiente”. Mas depois de um tempo, descobri que a capacidade da irmã Liu de trabalhar era ruim e que ela não era tão responsável como a irmã Wu. Ela não compreendia os estados dos recém-convertidos a tempo e não sabia resolver seus problemas. Como resultado, depois de um tempo, o trabalho de rega não melhorou. Comecei a ficar inquieto e me perguntei se a dispensa da irmã Wu tinha sido um erro, mas, a essa altura, eu decidi comungar e ajudar mais a irmã Liu para ver se era possível melhorar os resultados dela.

Mais recém-convertidos estavam vindo para a igreja, e a prioridade era treinar rapidamente mais obreiros de rega. Então comecei a procurar candidatos. Lembrei-me da irmã Chen, que havia sido dispensada e ainda estava em isolamento e autorreflexão. Ela tinha pregado o evangelho antes e tinha produzido alguns resultados, por isso quis treiná-la. Só achava que ela era amável e boa em se comunicar com pessoas, então, se a treinássemos, os problemas do trabalho de rega seriam resolvidos e meus superiores diriam que eu tinha calibre bom e era um bom líder. Então, pedi à diaconisa de rega que se concentrasse em cultivar a irmã Chen. Envergonhada, a diaconisa de rega disse: “Pensamos em arranjar as coisas desse jeito, mas vimos que a irmã Chen ainda não tinha autoconhecimento após ser dispensada. Quando ela pregava o evangelho, ela competia por fama e ganho e semeava inveja e disputas, o que impediu que outros cumprissem seus deveres normalmente. Se a treinamos agora para regar recém-convertidos, ela não praticará mais perversidade e causará mais interrupções? Rega é uma das tarefas mais importantes na casa de Deus. Os que são treinados para ela devem ter boa humanidade e não devem interromper o trabalho da casa de Deus. Devemos fazer as coisas de acordo com os princípios!” As palavras dela me angustiaram. Eu pensei: “A irmã Chen é amável e tem calibre. Treiná-la para regar os recém-convertidos tornará o trabalho mais efetivo rapidamente. Se decidirmos não treiná-la agora porque ela parece carecer de arrependimento genuíno, meus líderes não verão minha capacidade de trabalhar. Isso não é bom. Devo convencê-la a fazer o que eu quero. Não posso ceder”. Então lidei com a diaconisa de rega e disse: “Essa é a hora de seguir regras cegamente? Os princípios também dizem que aqueles que transgrediram no passado devem receber a chance de se arrepender. A irmã Chen é amável e tem o calibre para regar recém-convertidos, portanto, podemos treiná-la. Só devemos acompanhá-la de perto e não permitir que ela cause perturbações. A irmã Chen tem calibre bom e aprende rapidamente. Ter outra regadora hábil resolverá muitos problemas para a igreja. Chame-a e traga-a para a reunião!”. Quando a diaconisa de rega viu minha atitude teimosa, ela não disse mais nada.

Mas alguns dias depois, a diaconisa de rega relatou que a irmã Chen não investigava as noções e confusões dos recém-convertidos antes de regá-los e não oferecia comunhão específica. Em vez disso, ela insistia em comungar com base em suas próprias ideias, o que levou dois recém-convertidos a se opor, resistir e parar de crer. Na época, isso me inquietou um pouco. Com o calibre da irmã Chen, ela não deveria estar fazendo tais coisas. Mais tarde, quando falei com a irmã Chen, percebi que ela era proativa só por fora em seus deveres. Ela não tinha entendimento de suas transgressões passadas, e quando um problema tão grave ocorreu em sua rega, ela não refletiu sobre si mesma nem aprendeu lições. Ela estava entorpecida. Só então tive alguma consciência de que eu poderia ter sido apressado demais ao cultivá-la e que ela deveria continuar a ser isolada para refletir. Mas, pensando bem, a irmã Chen tinha calibre bom e tinha sido líder, então, se eu a ajudasse mais, ela deveria ser capaz de entender rapidamente e reverter a situação. Tudo que eu devia fazer era treiná-la e melhorar os resultados do trabalho de rega, e meus líderes me aprovariam.

Então, enquanto esperava bons resultados, uma manhã, minha parceira me disse: “Os irmãos escreveram dizendo que você não cumpre seu dever de acordo com os princípios. Você insistiu em arranjar a irmã Chen, que ainda estava em isolamento, para o trabalho de rega. Durante esse tempo, a irmã Chen tem tido muitos problemas regando os recém-convertidos, mas ela não refletiu nem demonstrou qualquer autoconsciência. Em vista da conduta consistente dela, ela é completamente inadequada para ser cultivada, e eles recomendam que ela continue em isolamento e reflexão”. Quando minha parceira disse isso, meu coração parou. “É o fim. Estou acabado! Isso não é um simples feedback, é uma denúncia formal para me expor por não agir de acordo com os princípios. Tenho acreditado em Deus por anos, e nunca fui denunciado por ninguém. O que os meus irmãos pensarão de mim agora?” Na época, eu fiquei muito envergonhado. Peguei meu copo e tomei uns goles de água, tentando me acalmar, mas meu coração estava agitado igual a um mar tempestuoso: “Se meus líderes souberem do conteúdo dessa carta, eles dirão que eu não cumpro meu dever de acordo com os princípios e que estou perturbando o trabalho da igreja. Eles me dispensarão por causa disso?”. Minha mente estava em tumulto. No fim, caí na minha cadeira como uma bola murcha. Quando minha parceira viu meu estado, ela disse: “Ser monitorados e expostos por nossos irmãos é útil para nós. Agora, você deveria aceitar de Deus”. Prometi aceitar de Deus com minha boca, mas não consegui acalmar minha mente. Não consegui comer nem dormir o dia todo. Pensar em como a carta expunha os fatos do meu comportamento perfurava meu coração. Caí de joelhos e orei a Deus: “Deus! Sei que Tu tens boas intenções ao permitir que isso aconteça comigo. Por favor, guia-me a entender a Tua vontade e a aprender lições com isso”.

Mais tarde, ao refletir e buscar, li algumas das palavras de Deus. “Não importa o que estejam fazendo, os anticristos sempre têm os seus próprios objetivos e intenções, sempre estão agindo de acordo com seu próprio plano, e a sua atitude em relação aos arranjos e trabalho da casa de Deus é: ‘Você pode ter mil planos, mas eu tenho uma regra’; tudo isso é determinado pela natureza do anticristo. Um anticristo pode mudar a sua mentalidade e agir de acordo com os princípios da verdade? Isso seria absolutamente impossível. […] Independentemente do dever que desempenhe, ele sempre se atém ao mesmo princípio: ele deve colher algum benefício. O tipo de trabalho que os anticristos mais gostam é quando não há custo para eles, quando não precisam sofrer nem pagar qualquer preço e quando há um benefício para o seu status e reputação. Em suma, não importa o que estejam fazendo, os anticristos consideram primeiro os próprios interesses e só agem depois de pensarem em tudo; não obedecem verdadeira, nem sincera, nem absolutamente à verdade sem fazer concessões, mas o fazem seletiva e condicionalmente. Que condição é esta? É que seu status e reputação devem ser protegidos e não devem sofrer qualquer perda. Só quando essa condição é satisfeita é que eles decidem e escolhem o que fazer. Isto é, os anticristos levam em alta consideração como tratar os princípios da verdade, as comissões de Deus e o trabalho da casa de Deus, ou como lidar com algo com que são confrontados. Eles não consideram como cumprir a vontade de Deus, como não prejudicar os interesses da casa de Deus, como satisfazer a Deus ou como beneficiar os irmãos e irmãs; essas não são as coisas que eles consideram. O que os anticristos consideram? Se seu status e sua reputação serão afetados e se seu prestígio diminuirá. Se fazer algo de acordo com os princípios da verdade beneficiasse o trabalho da igreja e trouxesse benefícios para os irmãos e irmãs, mas causasse dano à sua reputação e levasse muitas pessoas a perceber sua estatura verdadeira e a saber que tipo de natureza e essência eles têm, eles definitivamente não agiriam de acordo com os princípios da verdade. Se fazer algum trabalho prático fará com que mais pessoas os tenham em alta estima, os venerem e admirem, e capacitem suas palavras a ter autoridade e a fazer com que mais pessoas se submetam a eles, então eles escolherão fazer isso dessa forma; caso contrário, jamais considerarão os interesses da casa de Deus, ou dos irmãos e irmãs, e escolherão descartar os próprios interesses. Essas são a natureza e a essência dos anticristos” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). A revelação na palavra de Deus me mostrou que tudo que os anticristos fazem é proteger seu status e reputação. Em questões que não envolvem status e reputação, eles até agem segundo os princípios da verdade, mas se agir de segundo os princípios da verdade ameaça seu status e reputação, os anticristos violarão descaradamente os princípios e agirão de acordo com suas ideias. Eles preferem prejudicar os interesses da casa de Deus para proteger seus interesses. Eu refleti sobre o que eu fiz desde que me tornei líder e vi que era igual aos anticristos revelados pela palavra de Deus. Eu queria mostrar uma conquista rapidamente para provar que eu era competente e sabia fazer trabalho prático, para que meus superiores e irmãos vissem que minha escolha como líder havia sido certa. Assim, quando eu selecionei e usei pessoas, eu não busquei os princípios da verdade, não pensei em como beneficiar o trabalho da casa de Deus, não ouvi os conselhos dos outros e insisti em decidir sozinho. Quando vi que a irmã Wu não arranjava reuniões e deveres para os recém-convertidos com base em suas situações, eu não investiguei o estado e as dificuldades dela nem trabalhei com ela para encontrar a raiz dos problemas e entrar nos princípios e assim evitar que ela cometesse os mesmos erros. Achei que ela não produzia resultados em seu dever, o que prejudicaria o meu status e reputação, então a rotulei injustamente, a excluí e quis dispensá-la. A fim de proteger meu status e reputação, ignorei os princípios e o conselho dos meus obreiros e removi a irmã Wu à força. Ainda assim, eu não tive amor nem paciência com ela. Eu sabia que ela tinha dificuldades em cumprir seu dever, mas não comunguei para ajudá-la, eu simplesmente a dispensei. Agi como um assassino de sangue frio. Eu fui desumano! Depois de dispensá-la, a nova irmã que selecionei não conseguiu fazer o trabalho, o que impactou o trabalho de rega. Ainda assim, eu não soube refletir sobre mim mesmo e continuei promovendo alguém que tinha perturbado o trabalho da igreja sob a bandeira de cultivar talento e melhorar o trabalho de rega. Até tirei as coisas do contexto e disse que deveríamos lhe dar uma chance de se arrepender. Eu lidei com a diaconisa de rega por seguir regras, fazendo com que ela tivesse medo de me refutar. O resultado foi que a irmã Chen não estava apta e prejudicou o trabalho de rega. Vi que, em nome de status e reputação, eu tomava atalhos no meu dever, ignorava princípios e os lembretes dos outros e, até após ser denunciado e exposto, o que mais me importava era como os líderes me viam. Eu não refleti sobre as razões dos meus fracassos, protegi teimosamente meu status e reputação e preferi permitir que os interesses da casa de Deus sofressem para proteger meus interesses. O que eu manifestava era o caráter de um anticristo!

Mais tarde, em minha busca, li na palavra de Deus: “Se alguém diz que ama a verdade e busca a verdade, mas, em essência, o objetivo que ele busca é, distinguir-se, exibir-se, fazer com que as pessoas o admirem, realizar os próprios interesses, e ele cumpre seu dever não para obedecer ou satisfazer a Deus, mas para alcançar prestígio e status, então sua busca é ilegítima. Assim sendo, quando se trata do trabalho da igreja, as suas ações são um obstáculo ou o ajudam a avançar? Elas são claramente um obstáculo; elas não o avançam. Todos que levantam a bandeira de fazer o trabalho da igreja, mas buscam seu prestígio e status pessoais, administram uma operação própria, criam seu grupinho, seu próprio reino pequeno — esse tipo de pessoa está cumprindo seu dever? Todo trabalho que eles fazem interrompe, perturba e prejudica o trabalho da igreja. Qual é a consequência da sua busca por status e prestígio? Em primeiro lugar, isso afeta como o povo escolhido de Deus come e bebe a palavra de Deus e como entende a verdade, isso impede sua entrada na vida, o impede de entrar na trilha certa da fé em Deus e o leva para a senda errada — o que prejudica os escolhidos e os leva à ruína. E o que isso acaba por fazer ao trabalho da igreja? É desmantelamento, interrupção e depreciação” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 1)’ em “Expondo os anticristos”). Depois de ler a palavra de Deus, entendi que, quando buscamos reputação e status pessoais sob o pretexto de cumprir nosso dever, a essência disso é agir como servos de Satanás e interromper o trabalho da casa de Deus. A palavra de Deus revelou a essência das minhas ações. Deus me exaltou como líder porque Ele esperava que eu pudesse considerar Sua vontade, regar bem os meus irmãos, resolver os problemas e as dificuldades deles na entrada na vida e promover e treinar pessoas aptas para fazerem o trabalho da igreja garantindo que ele avance normalmente. Mas eu não considerei a vontade nem as exigências de Deus e não cumpri minhas responsabilidades como líder. Quando escolhia e usava pessoas, eu só considerava meus interesses. Como resultado, não só deixei de apoiar os recém-convertidos, como impedi o trabalho de rega, o que fez com que os recém-convertidos se retirassem. Como eu estava cumprindo meu dever? Eu estava interrompendo o trabalho da casa de Deus e estava cometendo o mal! Ainda assim, eu não tive consciência. Eu era egoísta e estava entorpecido demais. Lembrei-me dos anticristos e das pessoas perversas que foram expulsas da igreja. Eles estavam sempre tramando em prol de seu próprio benefício, Ignoravam os princípios da verdade para manter seu status e reputação, cumpriam seus deveres arbitrária e tiranicamente, perturbavam o trabalho da casa de Deus e, por fim, por causa de seus muitos atos perversos, foram odiados e expulsos por Deus. Não havia diferença substancial entre o que eu fazia e os atos desses anticristos! Quando reconheci isso, suei frio, e orei a Deus: “Deus, fui negligente em meu dever. Busquei fama, status e sucesso rápido e segui a senda errada. Deus, quero me arrepender diante de Ti. Por favor, guia-me”.

Mais tarde, por meio de reflexão e busca, percebi que, para sermos eficientes em nosso dever, devemos ter as intenções certas, concentrar-nos em buscar a verdade e agir de acordo com os princípios. Só então podemos receber a orientação de Deus e melhorar nossos resultados continuamente. Lembrei-me de algumas das palavras de Deus. “Quando as pessoas aceitam uma comissão de Deus, elas devem primeiro entender a vontade de Deus a fim de cumprir os seus deveres e completar as suas missões. Você deve saber que essa comissão veio de Deus; essa é a Sua vontade, e você deve aceitá-la, estar atento a ela e, sobretudo, submeter-se a ela. Além disso, você deve buscar respostas para quais verdades você precisa entender, quais princípios deve obedecer, e como deve praticar de modo a beneficiar os escolhidos de Deus e o trabalho da casa de Deus no cumprimento desse dever. Estes devem ser os princípios de como você deve praticar. Uma vez que entende a vontade de Deus, você não deveria perder tempo para buscar e entender as verdades para o cumprimento desse tipo de dever; e uma vez que entende essas verdades, você deve determinar os princípios e a senda para pô-las em prática. A que se referem os ‘princípios’? Especificamente, os princípios se referem às coisas que devem ser seguidas para alcançar os padrões e efeitos da prática da verdade; para praticar a verdade, as pessoas devem ter um entendimento dos princípios — o princípio é a coisa mais crucial e mais fundamental. Uma vez que você tenha dominado os princípios básicos do cumprimento do seu dever, isso é a prova de que você dominou os padrões exigidos para o cumprimento desse dever; e ter dominado os princípios é equivalente a ser capaz de colocar a verdade em prática. Então, sobre que base é construída essa capacidade de praticar a verdade? Sobre a compreensão da vontade de Deus e o entendimento da verdade. Será que estar meramente consciente do que Deus exige conta como entendimento da verdade? Não — então que padrão é exigido para que conte como entendimento da verdade? Você deve entender o significado e o valor do cumprimento do seu dever; entender essas duas coisas é entender a verdade do cumprimento do seu dever. Além disso, uma vez que entender a verdade, você deve entender os princípios do cumprimento do seu dever, e a senda para a prática. Se for capaz de entender e aplicar os princípios para o cumprimento desse dever, e também conseguir exercer sabedoria quando necessário, você terá a garantia de ser eficaz no cumprimento desse dever; e quando entender os princípios e fizer as coisas de acordo com os princípios, isso contará como prática da verdade. Se não for manchado por ideias humanas, e for executado em obediência absoluta às exigências de Deus e de acordo com os arranjos de trabalho da casa de Deus, e estiver em total conformidade com as palavras de Deus, então o seu desempenho do seu dever estará totalmente à altura dos padrões, e mesmo que haja alguma discrepância entre a sua eficácia e o que Deus exige, isso ainda contará como cumprir as exigências de Deus. Se o desempenho do seu dever estiver totalmente de acordo com os princípios e você o tiver cumprido com devoção, se você investiu todo o seu esforço nele, então o desempenho do seu dever estará totalmente de acordo com a vontade de Deus, e você terá cumprido o dever de uma criatura de Deus com todo o seu coração, toda a sua mente e toda a sua força — que é o efeito alcançado pela prática da verdade” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus são muito claras. A fim de aceitarmos a comissão de Deus, devemos primeiro buscar a vontade Dele, buscar os princípios do nosso dever em que devemos entrar, entender a verdade, obedecer a Deus e seguir os princípios da verdade em nosso dever. Além disso, ao cumpri-lo, devemos considerar os interesses da casa de Deus, examinar-nos com frequência e não tramar por ganho pessoal. Isso reduz a adulteração das nossas ideias e os erros que cometemos em nosso dever. No caso, pensei em como eu agia com base em minhas ambições e desejos. Raramente buscava os princípios da verdade e até quando conhecia um pouco, eu não obedecia. Ao escolher o pessoal de rega, as qualidades necessárias são comungar a verdade claramente, ter paciência e ser responsável. A irmã Wu era responsável em seu dever e era amorosa e paciente com os recém-convertidos. Não importavam os estados ou dificuldades que eles tivessem, ela conseguia comungar ativamente e resolver problemas, ela também entendia alguns dos princípios para regar recém-convertidos. No passado, ela tinha sido eficiente em seu dever, e ela só cometia alguns erros agora por causa de algumas dificuldades que não conseguia resolver. Nessa situação, deveríamos oferecer comunhão e ajudar por amor, ou tratar, podar, expor e repreender, mas não dispensá-la. E quando vi que a irmã Chen era entusiasmada e amorosa por fora, eu imaginei que ela era capaz de ser cultivada, mas, agora, percebi que isso não estava alinhado com os princípios. Pessoas com humanidade ruim que cometem o mal e perturbam o trabalho da casa de Deus não devem ser cultivadas. O desejo da irmã Chen por status e reputação era forte e ela lutou muitas vezes por isso no passado, e perturbou o trabalho da igreja. Depois de ser dispensada e isolada, ela nunca demonstrou um entendimento genuíno de suas transgressões passadas. Ela ainda tomaria a senda errada em seu dever e poderia interromper o trabalho da igreja a qualquer momento. Tais pessoas não podem ser objetos de cultivação importante. Vi que eu não entendia os princípios de dispensar e usar pessoas, assim, fiz coisas com ambição e desejo, o que interrompeu e impediu o trabalho da casa de Deus e prejudicou e arruinou também a irmã Chen. Quando percebi essas coisas, agradeci a Deus por arranjar que meus irmãos escrevessem a carta para me denunciar e expor, o que me impediu de continuar na minha senda maligna.

Mais tarde, li outra passagem da palavra de Deus. “Na casa de Deus, seja o que for que você faça, você não está trabalhando em seu empreendimento próprio; é o trabalho da casa de Deus, é a obra de Deus. Você precisa manter constantemente esse saber e essa consciência em mente e dizer: ‘Esse não é um assunto meu; estou fazendo o meu dever e cumprindo a minha responsabilidade. Estou fazendo o trabalho da igreja. Essa é uma tarefa que Deus confiou a mim e a estou fazendo por Ele. Esse é meu dever, não um assunto particular meu.’ Essa é a primeira coisa que as pessoas deveriam entender. Se tratar um dever como se fosse seu assunto pessoal, e não buscar os princípios da verdade quando agir, e executá-lo de acordo com seus próprios motivos, opiniões e agenda, muito provavelmente, você cometerá erros. Então, como você deverá agir se fizer uma distinção muito clara entre o seu dever e os seus assuntos pessoais e estiver ciente de que se trata de um dever? (Busque o que Deus exige e busque princípios). É isso mesmo. Se algo lhe acontecer e você não entender a verdade e tiver alguma ideia, mas as coisas ainda não estiverem claras para você, então você deverá procurar um irmão ou irmã que entenda a verdade para comungar; isso é buscar a verdade e, acima de tudo, essa é a atitude que você deveria ter em relação ao seu dever. Você não deveria decidir as coisas com base no que pensa ser apropriado e então bater o martelo e dizer que o caso está encerrado — isso facilmente resulta em problemas. Um dever não é um assunto pessoal seu; quer sejam importantes ou insignificantes, os assuntos da casa de Deus não são assuntos pessoais de ninguém. Desde que esteja relacionado ao dever, não é assunto privado seu, não é assunto pessoal seu — diz respeito à verdade, e diz respeito ao princípio. Então, qual é a primeira coisa que vocês deveriam fazer? Deveriam buscar a verdade e buscar os princípios. E se não entenderem a verdade, devem primeiro buscar os princípios; se já entenderem a verdade, identificar os princípios será fácil” (‘Qual o desempenho adequado do dever?’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus me deu uma senda de prática. Deveres são comissões de Deus, não são assuntos pessoais, não podemos fazê-los do jeito que queremos para satisfazer nossos interesses pessoais. Em tudo, devemos buscar os princípios da verdade e praticar de acordo com as exigências de Deus. Se você não entende, você deve comungar e buscar mais com os outros. Não importa o que os outros pensem, tudo que deve fazer é aceitar o escrutínio de Deus e dar o seu melhor. Mesmo que haja erros em seu trabalho e você não alcance resultados bons rapidamente, se você faz as coisas diante de Deus e não para que os outros vejam, você está trilhando a senda certa e Deus o guiará e abençoará. Mais tarde, eu me abri aos meus irmãos, eu expus como eu cumpria meu dever por status e reputação, meu desejo de sucesso rápido, minhas violações dos princípios ao usar pessoas, meu agir arbitrário e o uso da minha posição para tratar e repreender os outros, o que os prejudicou. Solenemente, pedi perdão a eles e pedi que me monitorassem mais. Quando pratiquei desse jeito, meus irmãos não me menosprezaram, eles me encorajaram e disseram que podíamos supervisionar uns aos outros e trabalhar juntos para cumprir bem os nossos deveres.

Não demorou, e outra coisa aconteceu. A diaconisa evangelística ficou temporariamente incapacitada de cumprir seu dever devido à obstrução por parte da família dela. Quando soube disso, fiquei um pouco angustiado. Pensei: “Agora, cada igreja está fazendo de tudo para pregar o evangelho, assim, a essa altura, se a diaconisa evangelística não puder cumprir seu dever, isso afetará muito o nosso trabalho! Se eu não substituí-la a tempo, nossos resultados não melhorarão. Meus superiores acharão que sou incompetente e inapto para esse trabalho”. Então, discuti com minha parceira se deveríamos transferir a diaconisa evangelística e encontrar outra pessoa para preencher o seu lugar. Minha parceira disse: “A diaconisa evangelística sempre tem sido uma obreira responsável e capaz, e os resultados do seu trabalho têm sido bons. Se você a transferir só por causa de uma incapacidade temporária para lidar com a obstrução familiar, isso violaria os princípios”. Eu estava prestes a defender a minha causa quando me lembrei de como eu tinha substituído a irmã Wu. Eu não estava agindo para proteger meu status e reputação de novo? Minha parceira me lembrou de que eu devia cumprir meu dever de acordo com os princípios. Quase cometi outro erro grande. Ao agradecer a Deus no meu coração, eu disse à minha parceira: “Minhas intenções estavam erradas. Estou a transferindo sem princípios para proteger minha reputação. Ela é responsável e é uma pessoa correta. Se ela não conseguir fazer o trabalho dela no momento, então assumimos a parte dela e fazemos o trabalho evangelístico. Vamos nos informar mais sobre a situação dela e apoiá-la e ajudá-la”. Depois de me ouvir, minha parceira concordou e eu me senti à vontade praticando desse jeito.

Depois disso, quando cumpria meu dever, eu me perguntava com frequência: “Eu cumpri meu dever hoje de acordo com os princípios da verdade? Eu fiz as coisas com um caráter corrupto em minhas interações com as pessoas?”. Quando fazia algo contrário aos princípios e à vontade de Deus, eu orava para que Deus me ajudasse a mudá-lo. Quando pratiquei assim, eu vi as bênçãos de Deus, o trabalho da igreja melhorou um pouco e meus irmãos podiam cumprir ativamente os seus deveres. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Afrouxando os laços que unem

Por Cuibai, Itália As palavra de Deus dizem: “Pelo bem do seu destino, vocês devem buscar ser aprovados por Deus. Ou seja, já que...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp