Depois que todos, menos eu, são promovidos

01 de Agosto de 2022

Por Li Fei, Itália

Em janeiro de 2021, o projeto pelo qual eu era responsável estava prestes a ser concluído. Aos poucos, meus irmãos foram transferidos para outros deveres, até só eu e alguns parceiros restarmos para concluir o trabalho. Na época, fiquei pensando sobre concluir meu trabalho e permanecer no meu dever até o fim. Surpreendentemente, um dia, eu soube que uma das minhas parceiras fora promovida a líder. Ela seria responsável pelo trabalho evangelístico. Isso me deixou inquieta e um pouco ressentida. Por que eu não tinha sido promovida a líder? Eu também não podia servir como líder ou supervisora? Mas então pensei: “Talvez ela seja uma obreira mais capaz, por isso foi promovida primeiro. Em todo caso, meu trabalho aqui ainda não terminou, e meus parceiros também estão continuando o dever deles aqui, então, assim que o trabalho terminar, novos deveres serão arranjados para nós”. Mas não demorou, e meus três outros parceiros também foram promovidos a líderes de igreja ou a responsáveis por igrejas de recém-convertidos. Essa notícia me deixou ainda mais desconfortável. Todos eles tinham se tornado líderes e obreiros, mas eu continuava no mesmo lugar. Eu tive que assumir tudo em que eles estiveram trabalhando. Parecia que eu seria responsável por tudo até o fim. Eu também trabalhava na equipe, por que, então, todos foram promovidos e eu não? Eu realmente era tão ruim? Parecia que meus irmãos se achavam melhores do que eu. Agora, eu era a pior de todos os meus parceiros. Será que meus líderes achavam que eu não era digna de ser cultivada? Eles tinham algum preconceito contra mim? Eu não queria assumir o trabalho deles. Sentia que, quanto mais eu assumisse, menos poderia fazer outros tipos de trabalho. Quando eu terminasse meu trabalho, meus parceiros já estariam praticando por algum tempo. Teriam se familiarizado com seu trabalho e dominado alguns princípios, mas eu ainda seria uma novata. Se, mais tarde, eu fosse enviada para pregar ou regar recém-convertidos e minha ex-parceira se tornasse minha supervisora, tamanha disparidade seria muito vergonhosa. Quanto mais pensava nisso, pior eu me sentia. Quando meus irmãos pediram que eu assumisse as tarefas deles, eu me opus fortemente. Eu estava contrariada e não queria fazer isso. Por mais de dois dias, não tentei aprender as tarefas que eles me entregaram. Eu não me importei muito com meu próprio trabalho. Procrastinei e não quis dar sequência e não pensei sobre quais problemas precisavam ser resolvidos nem como fazer bem as coisas. Embora eu tentasse me convencer a obedecer ao ambiente arranjado por Deus, ainda assim me senti passiva, desmotivada e desinteressada. Não sabia o que dizer quando orava e não lia as palavras de Deus com meu coração. Eu tinha alguma consciência disso. Vim para diante de Deus e orei: “Deus, tenho resistido muito a assumir o trabalho dos meus parceiros. Sei que meu estado é errado. Por favor, guia-me para que eu possa conhecer a mim mesma”.

Depois de orar, li uma passagem das palavras de Deus que me deu alguma consciência do meu estado. As palavras de Deus dizem: “Agora, todos vocês são cumpridores em tempo integral de seus deveres. Vocês não são constrangidos nem limitados por família, casamento ou riqueza. Vocês já emergiram disso. No entanto, as noções, imaginações, conhecimento e intenção e desejos pessoais que enchem a cabeça de vocês permanecem inalterados em sua forma original. Então, em tudo o que envolve reputação, status ou que os pode expor — quando as pessoas ouvem que a casa de Deus planeja nutrir vários tipos de talentos, por exemplo — o coração de todos salta em expectativa, e cada um de vocês sempre quer criar um nome para si mesmo e ser reconhecido. Todos querem lutar por status e reputação, e têm vergonha disso, mas se sentem mal quando não o fazem. Eles sentem inveja e ódio quando veem alguém se destacar, ficam ressentidos e acham que isso é injusto, pensando: ‘Por que eu não posso me destacar? Por que são sempre as outras pessoas que ganham glória? Por que nunca é a minha vez?’. E depois de sentir ressentimento, tentam reprimi-lo, mas não conseguem. Elas oram a Deus e se sentem melhor por algum tempo, mas quando se deparam com esse tipo de situação novamente, elas não conseguem vencê-la. Isso não demonstra uma estatura imatura? Quando as pessoas são lançadas em tais estados, elas não caíram na armadilha de Satanás? Esses são os grilhões da natureza corrupta de Satanás que prendem os humanos. […] Quanto mais você lutar, mais trevas o cercarão, e mais inveja e ódio você sentirá, e seu desejo de obter apenas aumentará. Quanto mais forte seu desejo de obter, menor será sua capacidade de consegui-lo, e, na medida em que você obtiver menos, seu ódio aumentará. Na medida em que seu ódio aumentar, você ficará mais escuro por dentro. Quanto mais escuro você for por dentro, pior será o cumprimento do seu dever; quanto pior for o cumprimento do seu dever, menos útil para a casa de Deus você será. Isso é um ciclo vicioso interconectado. Se você nunca consegue cumprir bem o seu dever, aos poucos você será expulso(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade”). A palavra de Deus revelou meu estado. Eu resistia e estava tão insatisfeita naqueles dias porque meu desejo por status e reputação não foi satisfeito. Quando vi meus parceiros sendo promovidos, meu coração se agitou. Eu esperava ser promovida também para que pudesse ganhar status e a alta estima das pessoas. Mas quando soube que meus líderes não pretendiam me promover e me fizeram assumir o trabalho dos meus parceiros, fiquei com inveja deles e achei que os líderes tinham preconceito contra mim ou até me menosprezavam. Quando pensei em como eu era a pior aos olhos dos meus líderes, que todos os meus parceiros tinham sido promovidos a líderes e supervisores e que eu não tinha cargo nenhum, eu me senti péssima e insatisfeita. Até dei vazão à minha raiva no meu dever. Parei de me importar com as tarefas repassadas para mim e não fiz meu próprio trabalho de coração. Deus odiava me ver nesse estado rebelde, por isso eu não encontrava palavras na minha oração, nem esclarecimento na palavra Dele, e piorei no meu dever. As palavras de Deus dizem que competir por status é um ciclo vicioso que leva à escuridão, e eu estava nela. Pensando nesse período, lembrei-me do meu juramento de que eu permaneceria em meu dever até o fim, mas assim que vi que os outros estavam sendo promovidos e que meu desejo não era satisfeito, eu perdi o interesse pelo meu dever. Meu desejo por status era forte demais, e eu devia buscar a verdade para resolver meu estado.

Depois disso, li uma passagem da palavra de Deus sobre como enxergar a promoção e a cultivação que resolveu meu estado. As palavras de Deus dizem: “Se você acha que é apto a ser líder, que possui talento, calibre e humanidade para a liderança, mas a casa de Deus não o promoveu e os irmãos e irmãs não o elegeram, como você deve tratar o assunto? Existe aqui uma senda na qual você pode praticar. Você deve conhecer bem a si mesmo. Procure ver se você realmente tem um problema com a sua humanidade ou se algum aspecto do seu caráter corrupto repulsa as pessoas; procure ver se você não possui a realidade da verdade e não convence os outros ou se o dever que cumpre é insatisfatório. Você deve refletir sobre todas essas coisas e ver onde, exatamente, você fica aquém das expectativas. Depois de refletir por algum tempo e descobrir onde está o seu problema, você deve buscar a verdade prontamente para resolvê-lo, entrar na realidade da verdade, e esforçar-se para alcançar uma mudança e crescer, para que, quando os que o cercam virem, digam: ‘Hoje em dia, ele tem sido muito melhor do que no passado. Ele trabalha solidamente e leva a sua profissão a sério, e ele está concentrado especialmente nos princípios da verdade. Ele não faz as coisas impetuosamente ou sem cuidado e superficialmente, e ele é mais consciencioso e responsável em relação ao seu trabalho. Ele costumava se gabar um pouco, mas agora é muito mais discreto e já não é autoritário. Ele não se vangloria do que pode fazer, e quando termina algo, ele reflete repetidamente sobre isso, temendo cometer algum erro. Ele é muito mais cauteloso ao fazer as coisas e teme a Deus no seu coração agora — e, acima de tudo, ele pode comungar a verdade para resolver alguns problemas. Ele realmente cresceu’. Quando aqueles que cercam você tiverem interagido com você por algum tempo, eles descobrirão que você passou por mudanças e crescimento óbvios; no seu dia a dia, na sua conduta em relação aos outros, na sua atitude em relação ao seu trabalho e no seu tratamento dos princípios da verdade, você faz um esforço maior do que antes e é mais rigoroso na sua fala e nos seus atos. Se os irmãos e irmãs virem tudo isso e o levarem em consideração, talvez você possa concorrer como candidato nas próximas eleições. Como candidato, você terá uma esperança; se você realmente puder cumprir algum dever importante, você ganhará a bênção de Deus. Se você realmente tiver assumido um fardo, tiver tal senso de responsabilidade e desejar carregar um fardo, apresse-se e treine. Concentre-se na prática da verdade e venha a agir com princípios; assim que tiver experiência de vida e puder escrever artigos testemunhais, você realmente terá crescido. E se você conseguir dar testemunho de Deus, certamente poderá ganhar a obra do Espírito Santo. Se o Espírito Santo está operando, Deus olha para você com favor, e com o Espírito Santo guiando você, a sua oportunidade surgirá em breve. Você pode ter um fardo agora, mas a sua estatura é insuficiente e a sua experiência de vida é superficial demais, por isso, mesmo que se tornasse líder, você seria suscetível a cair. Você deve buscar entrada na vida, resolver os seus desejos extravagantes, ser um seguidor de bom grado e vir a obedecer sinceramente a Deus, sem palavras de ressentimento por qualquer coisa que Ele orquestre ou planeje. Quando você possuir essa estatura, a sua oportunidade virá. O fato de você desejar assumir um fardo pesado, de você ter esse fardo, é uma coisa boa. Mostra que você tem um coração positivo e proativo e que deseja seguir a vontade de Deus e considerar as Suas intenções. Isso não é ambição, mas um fardo verdadeiro; é a responsabilidade daqueles que buscam a verdade e o objeto da sua busca. Se você é altruísta e não está em busca de seu próprio bem, mas para dar testemunho de Deus e satisfazê-Lo, então o que você está fazendo é o que é mais abençoado por Deus, e Ele fará os arranjos adequadas para você. […] A vontade de Deus é ganhar mais pessoas que possam dar testemunho Dele; é aperfeiçoar todos os que O amam e formar o quanto antes um grupo de pessoas que são de um só coração e de uma só mente com Ele. Portanto, na casa de Deus, todos os que buscam a verdade têm ótimas perspectivas, e as perspectivas daqueles que sinceramente amam a Deus são ilimitadas. Todos deveriam entender a Sua vontade. É realmente algo positivo ter esse fardo, e é algo que aqueles com consciência e razão deveriam possuir, mas nem todos serão necessariamente capazes de assumir um fardo pesado. De onde vem essa discrepância? Quaisquer que sejam os seus pontos fortes ou capacidades, e por mais elevado que seja o seu QI, o que é crucial é a sua busca e a senda que você trilha(“Identificando falsos líderes”). A palavra de Deus me mostrou que ser promovido e cultivado depende de nossa busca e senda. Se buscamos a verdade e assumimos um fardo com sinceridade, e temos algum calibre e talento, a casa de Deus nos dará chances, nos promoverá e cultivará e nos dará tarefas importantes. Mas se as pessoas não buscarem a verdade e seguirem a senda errada, mesmo que se tornem líderes, elas não durarão muito. Pessoas como essa são inaptas a serem promovidas. Apliquei a palavra de Deus a mim mesma e senti vergonha. Vi que eu era insensata e que não tinha conhecimento de mim nem da minha estatura verdadeira. Eu me achava especialmente capaz e boa, e que, se meus parceiros foram promovidos, eu também merecia ser promovida. Não analisei se eu era alguém que buscava a verdade, se minha humanidade era qualificada nem se eu podia suportar o fardo do trabalho. Em vez disso, comparei cegamente e busquei ser promovida. Na verdade, eu não considerei a vontade de Deus. Eu não queria participar do trabalho da igreja nem cumprir minhas responsabilidades. Queria provar que eu não era pior do que meus parceiros e obter um status elevado para me exibir na frente de mais pessoas e fazer com que os outros me admirassem. Eu cumpria meu dever com desejos e ambições próprios, de modo que, mesmo que me tornasse líder, eu ainda buscaria status. Trabalhar por status e reputação torna impossível o bom cumprimento de um dever. O fato de eu não ser líder era uma proteção para mim. Também entendi que, diante do fato de não ser promovida, alguém com razão se contentaria em cumprir bem o seu dever. Ele também refletiria sobre suas deficiências e buscaria a verdade para resolver seus problemas e lutaria para avançar e mudar. Ao refletir sobre mim mesma com base na palavra de Deus, vi que eu tinha um calibre mediano e não era alguém que buscava a verdade. Eu me contentava em concluir minhas tarefas diárias e não me concentrava em resolver meus caracteres corruptos, assim, após anos crendo em Deus, eu ainda era muito competitiva, me preocupava com status e reputação e, quando não recebia status, eu dava vazão à minha raiva no meu dever e ignorava o trabalho. Eu não tinha nenhuma das realidades da verdade e, a despeito disso, ainda queria ser promovida. Eu não tinha o mínimo autoconhecimento. Eu sabia que devia deixar de buscar promoção. Em vez disso, devia ser obediente e cumprir meu dever com os pés no chão. Essa era a razão que eu devia possuir. Quando percebi isso, não me senti mais chateada e comecei a fazer progresso normal no trabalho em questão. Também comecei a pensar sobre como fazer a parte final do trabalho com maior exatidão, para que eu pudesse concluí-lo sem remorsos. Também analisei os desvios, erros e benefícios do dever com meus irmãos. Ao praticar desse jeito, eu me senti à vontade e segura.

Depois de um tempo, a igreja arranjou que eu supervisionasse várias igrejas de recém-convertidos em meio período. Quando soube desse arranjo, tive sentimentos conflitantes. Senti que eu tinha deficiências demais e que iniciaria minha prática regando recém-convertidos, mas a igreja estava me dando uma chance de ser cultivada ao nomear-me supervisora. Eu entendi errado e conjeturei que meus líderes tiveram preconceito contra mim e não me promoveram deliberadamente. Na verdade, eles avaliaram as coisas com base nos princípios para selecionar e usar pessoas e as necessidades do trabalho da igreja. Eu só pensei isso porque eu vivia num estado de lutar por status, por isso fui insensata. Pensar sobre isso me deixou muito envergonhada. Ao praticar como supervisora, senti muita pressão e quis estar equipada com a verdade para cumprir bem o meu dever. Nos dias seguintes, quando eu encontrava coisas que não entendia, eu buscava respostas com meus parceiros e gastava quase todo o meu tempo com o trabalho da igreja. Mas, depois de um tempo, o trabalho das igrejas que eu supervisionava não estava muito eficiente e só então eu vi que tinha muitas deficiências. Também percebi que, mesmo com status, é impossível trabalhar bem se faltar a verdade, então fiquei ainda mais envergonhada por sempre ter desejado ser líder no passado. Naquele tempo, parei de pensar sobre como fazer os outros me admirarem e só quis cumprir bem o meu dever. Eu tinha uma atitude mais realista em relação ao meu dever, por isso achei que a minha busca por status e fama tinha mudado um pouco e que eu conseguia me concentrar em cumprir corretamente o meu dever. Mas quando aconteceu outra situação, eu fui revelada novamente.

Em junho de 2021, a igreja arranjou que eu assumisse outro projeto com uma carga de trabalho maior e um prazo apertado. Enfrentamos muitas dificuldades, mas, com o esforço de todos nós, depois de alguns meses, nosso trabalho se tornou mais eficiente e nós completamos o dobro do trabalho do ano anterior. Fiquei muito orgulhosa e achei que eu tinha exercido um papel no fato de termos alcançado esses resultados, então, se os líderes quisessem promover alguém, certamente pensariam em mim. Inesperadamente, nos dias seguintes, eu soube que os líderes estavam pensando em promover e treinar pessoas, e, de vez em quando, eu ouvia os nomes de irmãos que eu conhecia. Meu coração se ressentiu, e a minha mente começou a se agitar de novo: “Parece que estão procurando pessoas para promover e cultivar por toda parte e considerarão qualquer um que seja apto. Tenho sido eficiente em meu dever, então, diante dessa falta de pessoal, por que os líderes não consideraram a minha promoção? Será que me enxergaram de todo e decidiram que não sou uma pessoa que busca a verdade? Acham que eu sou alguém que só sabe lidar com coisas externas? Se for isso que pensam, será que algum dia terei chance de ser promovida e cultivada?”. Esses pensamentos me incomodaram muito, e meu futuro parecia sombrio. Achei que, por mais que eu buscasse, eu nunca teria a chance de avançar em meu dever. Também desenvolvi preconceitos contra os líderes. Às vezes, quando os líderes falavam comigo, eu os ignorava. Eu dizia o mínimo possível e nem mesmo gostava de ver minhas irmãs perto de mim. Eu estava sempre emburrada, não queria falar muito e queria passar todo o meu tempo sozinha. Inconscientemente, parei de assumir um fardo em meu dever. Achava que, por melhor que me saísse, os líderes não veriam meu esforço e dedicação, para que, então, trabalhar tanto? Eu só fazia o mínimo.

Um dia, li uma passagem da palavra de Deus. “No coração dos anticristos, eles acreditam que a fé em Deus e a busca da verdade são a busca de status e prestígio; a busca de status e prestígio também é a busca da verdade, e ganhar status e prestígio é ganhar verdade e vida. Se acham que não têm prestígio nem status, que ninguém os admira, ou os venera, ou os segue, eles ficam muito frustrados, acreditam que não faz sentido acreditar em Deus, que isso não tem valor, e dizem para si mesmos: ‘Essa fé em Deus é um fracasso? É inútil?’. Muitas vezes eles ponderam sobre tais coisas em seu coração, ponderam sobre como podem construir um lugar para si na casa de Deus, como podem ter uma reputação elevada na igreja, para que as pessoas escutem quando eles falam, e os apoiem quando eles agem, e os sigam para onde quer que eles vão; para que tenham uma voz na igreja, uma reputação, para que desfrutem de benefícios e tenham status — eles ponderam sobre tais coisas com frequência. Isso é o que essas pessoas buscam. Por que estão sempre pensando nessas coisas? Depois de lerem as palavras de Deus, depois de ouvirem sermões, eles realmente não entendem nada disso, eles realmente não são capazes de discernir tudo isso? As palavras de Deus e a verdade realmente não são capazes de mudar suas noções, ideias e opiniões? De forma alguma é o que ocorre. O problema começa com eles, é totalmente porque eles não amam a verdade, porque, em seu coração, eles estão cansados da verdade e, como resultado, não são nem um pouco receptivos para a verdade — algo que é determinado por sua natureza e essência(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)”). A palavra de Deus me mostrou que anticristos prezam status e fama e veem isso como mais importante do que qualquer outra coisa. Quando não recebem status, a crença em Deus os entedia. Eles não têm sinceridade em sua crença em Deus nem em seu dever, nem fazem essas coisas para entender a verdade. Em vez disso, eles as fazem para ganhar fama e status e para que as pessoas os admirem. Isso mostra que os caracteres dos anticristos são especialmente malignos. Pensei em como eu sempre buscava ser promovida e cultivada, e quando não era, eu me tornava passiva e desmotivada. Minha busca por status e fama já estava fora de controle. Era igual ao que um anticristo manifesta. Pensei em como, na escola, eu entendia “o homem luta para subir; a água flui para baixo”, “um soldado que não sonha em se tornar um general é um mau soldado” e venenos satânicos semelhantes, como leis de sobrevivência, então procurava receber as melhores notas. Se eu não conquistasse o primeiro lugar, deveria pelo menos ser uma aluna avançada e ganhar o elogio dos meus colegas e professores. Depois de crer em Deus, eu busquei ser líder como meu objetivo, pensando que, se eu tivesse status, eu poderia ter um lugar na casa de Deus, eu poderia marcar presença, levar mais pessoas a me admirar e fazer minha palavra valer. Assim, quando o trabalho da igreja exigiu pessoas com urgência e os líderes pareciam não pensar em mim, eu me senti passiva e infeliz, não tive energia para cumprir meu dever e até achei que não havia direção nem objetivo para buscar em minha crença em Deus. Vi que a busca por status e fama tinha se tornado minha vida. Todos os dias, ela controlava minha vida e minhas ações, de modo que, não importando em que grupo eu estivesse, eu sempre queria ser admirada e elogiada pelos outros e odiava ser deixada para trás. Quando os líderes me apreciavam, me tinham em alta estima e me promoviam para fazer trabalho importante, eu ficava muito satisfeita, mas sem seu apreço e promoção, eu me tornava negativa e depravada, eu improvisava em meus deveres, perdia o interesse e até queria desistir. Então, eu vi claramente que minha crença em Deus não era sincera, era só por status. Quando meu status era alto, eu buscava com vigor, mas quando não podia ganhar status, eu perdia minha direção e os objetivos em minha busca. Vi que minha busca por status e fama tinha se alastrado pelo no meu sangue. Sempre que me deparava com uma situação semelhante, eu ficava negativa e fraca, vivia num estado de rebeldia e não tinha nenhuma intenção de cumprir o meu dever. De repente, percebi que eu estaria em grande perigo se continuasse assim.

Depois disso, li na palavra de Deus: “Algumas pessoas realmente prezam status e prestígio, está profundamente apegado a eles, não suporta renunciar a eles. Elas sempre acham que, sem status e prestígio, não existe alegria nem esperança na vida, que só há esperança nesta vida quando se vive por status e prestígio, que elas continuarão lutando até mesmo por um pouco de renome, nunca desistirão. Se este é o pensamento e a visão que você tem, se o seu coração está cheio de tais coisas, então você é incapaz de amar e buscar a verdade, você carece da direção e dos objetivos certos em sua fé em Deus, e é incapaz de buscar o conhecimento de si mesmo, expulsando a corrupção e vivendo a imagem do homem; você deixa as coisas passar ao cumprir o seu dever, é desprovido de qualquer senso de responsabilidade e se satisfaz apenas em não cometer o mal, não causar problemas, não ser expulso. Tais pessoas poderiam cumprir o seu dever à altura de um padrão aceitável? E elas poderiam ser salvas por Deus? Impossível. Quando age em nome de status e reputação, você ainda pensa: ‘Exibir-se não é maligno. Estou cumprindo o meu dever; contanto que aquilo que faço não seja um feito maligno e não constitua uma perturbação, então, mesmo que o meu motivo esteja errado, ninguém pode vê-lo ou me condenar’. Você não sabe que Deus escrutina tudo. Se você não aceitar nem praticar a verdade e for abominado e rejeitado por Deus, tudo está acabado para você. Todos os que não temem a Deus se julgam espertos; na verdade, nem sequer sabem quando O ofenderam. Algumas pessoas não veem essas coisas com clareza; elas pensam: ‘Só busco status e reputação para fazer mais, para assumir mais responsabilidade. Isso não constitui uma interrupção ou perturbação do trabalho da casa de Deus e certamente não prejudica os interesses da Sua casa. Não é um problema grave. O que Deus requer não é muito, e Ele não obriga as pessoas a fazer coisas que não podem ou não querem. Posso amar e proteger meu status, mas isso não é um ato maligno’. Por fora, tal busca pode não parecer um ato de maldade, mas a que isso leva, no final? Será que tais pessoas ganharão a verdade? Será que alcançarão a salvação? De forma alguma. Portanto, buscar status e reputação não é a senda certa — isso é diametralmente oposto à busca da verdade. Em suma, independentemente da direção ou da meta da sua busca, se você não refletir sobre a busca de status e prestígio e se achar muito difícil deixar essas coisas de lado, elas afetarão a sua entrada na vida; enquanto o status tiver um lugar no seu coração, ele controlará e influenciará totalmente a direção da sua vida e os objetivos que você busca, caso em que será muito difícil para você entrar na realidade da verdade, para não dizer nada sobre a conquista de mudanças no seu caráter; se, no fim, você é capaz de ganhar a aprovação de Deus é, evidentemente, uma questão diferente. Além disso, se você nunca for capaz de renunciar à sua busca de status, isso afetará a sua capacidade de desempenhar adequadamente o seu dever, o que tornará muito difícil para você tornar-se uma criatura de Deus aceitável. Por que digo isso? Deus odeia nada mais do que quando as pessoas buscam status, porque a busca de status é um caráter satânico, é uma senda errada, ela nasce da corrupção de Satanás, é algo condenado por Deus e é exatamente a coisa que Deus julga e purifica. Deus não despreza nada mais do que quando as pessoas buscam status, e, no entanto, você ainda compete teimosamente por status, você o preza e protege infalivelmente, tentando sempre tomá-lo para si mesmo. E em sua natureza, tudo isso não é antagônico a Deus? Deus não ordenou status para as pessoas; Deus provê as pessoas com a verdade, o caminho e a vida e, no fim, faz com que elas se tornem uma criatura aceitável de Deus, uma criatura pequena e insignificante de Deus — não alguém que tem status e prestígio e é reverenciado por milhares de pessoas. E então, não importa sob qual perspectiva isso seja visto, a busca de status é um beco sem saída. Não importa quão sensata seja sua desculpa para buscar status, essa senda continua sendo errada e não é elogiada por Deus. Não importa quanto você tente ou quão grande seja o preço que você paga, se você desejar status, Deus não lhe dará; se não for dado por Deus, você falhará ao lutar para obtê-lo, e se você continuar lutando, haverá apenas um desfecho: você será exposto e expulso, o que é um beco sem saída(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)”). Depois de ler as palavras de Deus, fiquei aterrorizada e senti que era um alerta de Deus. Se eu continuasse prezando meu status e achando que uma vida sem status e funções importantes era uma vida perdida, essa busca seria lutar por status e me opor a Deus, seria não me comportar e não cumprir o meu dever a partir da posição de um ser criado, então, continuar nessa senda seria um beco sem saída e, no fim, eu seria mandada para o inferno e punida! Tremendo de medo, li essa passagem da palavra de Deus várias vezes, e, no coração, senti que o caráter justo de Deus não pode ser ofendido. Eu costumava pensar que os humanos têm caracteres corruptos, portanto, era normal buscar status e fama, que todos tentam melhorar seu status, e aqueles que não fazem isso não têm ambição, nem objetivos, nem determinação. Por isso não levei a sério a minha corrupção nessa área. Simplesmente ficava negativa de vez em quando e achava que me sentiria melhor depois de uns dias. Isso não atrasava demais o meu trabalho e eu não fazia nada inapropriado, por isso achava que não era um problema sério. Mas Deus disse claramente que a busca por status é um beco sem saída! Por meio da contemplação, entendi uma coisa. Buscar status e fama é um caráter satânico e é a senda de resistir a Deus. Buscar desse jeito é se opor a Deus e competir com Ele por status, e aqueles que fazem isso serão punidos por Deus por resistirem a Ele. Lembrei-me do arcanjo, cujo status já era elevado, mas ele não estava satisfeito. Ele cobiçou o status de Deus e queria estar à altura de Deus, e, no fim, Deus o derrubou. Eu já era responsável por algum trabalho na igreja. Em vista de meu calibre e estatura, eu era indigna de assumir um trabalho tão importante. Ainda assim, eu não estava satisfeita. Eu não me esforçava para alcançar os melhores resultados no meu dever. Em vez disso, queria fazer trabalho maior para me exibir e fazer com que as pessoas me admirassem. Eu não era igual ao arcanjo? E quando eu vivia em meu estado de lutar por status e fama, não eram apenas poucos dias de negatividade, como eu imaginava. Aquilo acabava impedindo o trabalho, chegando ao ponto em que eu estava disposta a desistir quando não obtinha status, em que eu não levava a sério o trabalho da casa de Deus, em que eu era indiferente em relação ao meu dever, improvisando sempre que possível e procrastinando, e em que eu não me importava se o trabalho da casa de Deus fosse prejudicado. Eu não estava disposta a me submeter aos arranjos de Deus, sempre lutava por status e me tornava passiva e hostil quando não o recebia. Eu estava trilhando a senda de resistir a Deus. Como Deus poderia não me detestar? Pensando nisso, senti medo e remorso. Rapidamente, orei a Deus para dizer que eu queria me arrepender e não queria mais buscar status e fama.

Mais tarde, encontrei um jeito de escapar dos grilhões de status e fama nas palavras de Deus e entendi o que um ser criado deve buscar. As palavras de Deus dizem: “Como uma das criaturas, o homem deve guardar sua própria posição, e se comportar conscienciosamente. Obedientemente guarde aquilo que lhe é confiado pelo Criador. Não aja indevidamente, nem faça coisas além de sua capacidade ou que são abomináveis para Deus. Não tente ser grande nem se tornar um super-homem nem estar acima dos outros, nem busque tornar-se Deus. É isso que as pessoas não devem desejar ser. Querer se tornar grande ou um super-homem é absurdo. Querer se tornar Deus é ainda mais vergonhoso; é repugnante e desprezível. O que é louvável, e o que as criaturas devem valorizar acima de tudo, é se tornar uma criatura verdadeira; esse é o único objetivo que todas as pessoas devem perseguir(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único I”). A palavra de Deus diz claramente que a busca por status e ser um super-homem é algo que Deus odeia. O que as pessoas devem buscar é ser um ser criado genuíno. Depois de ler a palavra de Deus, eu sabia o que devia buscar. Eu sou um ser criado, e Deus sabe que tipo de trabalho eu posso fazer. Não importa a posição em que eu esteja, o que Deus quer para mim é que eu cumpra o papel de um ser criado com os pés no chão e cumpra meu dever corretamente. Devo orar a Deus para renunciar aos meus desejos e ambições, e não importa que dever eu cumpra, eu devo obedecer aos arranjos de Deus, cumprir minhas responsabilidades com sinceridade e ser eficiente em meu dever. É isso que um ser criado deve fazer. Depois disso, deixei de considerar se eu seria promovida. Em vez disso, contemplei conscientemente como ser mais eficiente para alcançar os melhores resultados e procurei meios para resolver as coisas quando problemas surgiam. Depois de um tempo, trabalhei com meus irmãos para superar algumas dificuldades, e a eficiência do nosso trabalho também melhorou.

Nos dias seguintes, eu ainda ouvia de vez em quando que meus ex-parceiros estavam sendo promovidos a líderes ou supervisores. Embora ainda ficasse um pouco decepcionada, porque achava que outros podiam marcar presença ao serem promovidos, enquanto eu permanecia presa no mesmo lugar, eu percebi rapidamente que isso era meu desejo por status se manifestando novamente. Assim, eu orava rapidamente e renunciava a mim mesma, e me lembrava da palavra de Deus: “Deus não ordenou status para as pessoas; Deus provê as pessoas com a verdade, o caminho e a vida e, no fim, faz com que elas se tornem uma criatura aceitável de Deus, uma criatura pequena e insignificante de Deus — não alguém que tem status e prestígio e é reverenciado por milhares de pessoas”. Então meus objetivos ficaram claros no meu coração. Vi que status não é algo preordenado por Deus para as pessoas. Não importa qual seja o seu dever, você está cumprindo sua responsabilidade. É também usar seus pontos fortes e habilidades na posição certa. Ser um líder não significa que você tem status, e não há posições mais altas ou mais baixas. As exigências de Deus às pessoas é que nós nos tornemos seres criados qualificados e obedeçamos aos arranjos de Deus. Somente essas são buscas corretas. Se as pessoas não conseguem obedecer a Deus nem permanecer em seu dever e só buscam avançar na carreira e ganhar status, isso é vergonhoso. Também entendi que ver e ouvir como irmãos em minha volta eram promovidos era o teste de Deus para mim. Deus estava observando minha atitude. Ao orar e ler as palavras de Deus, eu podia aceitar essas coisas corretamente, não era mais negativa e conseguia cumprir meu dever corretamente. Depois de passar por essas coisas, percebi as boas intenções de Deus. Se eu, com meu amor por status, me tornasse líder, eu trilharia involuntariamente a senda do anticristo e poderia me arruinar. Agora, posso ser obediente e sensata em meu dever. Esses são os efeitos do julgamento das palavras de Deus. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Entre em contato conosco pelo WhatsApp