A agonia de correr atrás de status

04 de Fevereiro de 2022

Por Zheng Yuan, China

Em 2017, eu fui selecionada como uma líder de igreja e recebi como parceiras duas irmãs para supervisionar o trabalho de várias igrejas. Quando minhas irmãs viram que eu trabalhava mais rápido do que elas e fazia algumas sugestões sensatas quando discutíamos o trabalho, elas ficaram com inveja, dizendo que eu tinha boa qualidade e habilidade no trabalho. Fiquei muito feliz ao ouvi-las dizerem isso. Pensei: “No passado, meu chefe me valorizava na empresa em que eu trabalhava e, depois de crer em Deus, meus irmãos me apoiaram. Agora, em meu dever como líder, minhas parceiras também me admiram. Talvez eu realmente tenha um talento. Quando os líderes superiores virem minhas habilidades, certamente dirão que sou melhor do que minhas parceiras”. Pensando nisso, eu me senti ainda mais inspirada em meus deveres. Com o tempo, passei a tomar a maioria das decisões no trabalho. Minhas irmãs faziam o que eu arranjava para elas, e eu gostava muito dessa sensação.

Mais tarde, os líderes arranjaram para que a irmã Chen se juntasse a nós. Nas reuniões, vi que a comunhão dela era muito prática. Senti que, como minha parceria, ela me beneficiaria e fiquei muito feliz. Mas depois disso, em cada reunião, Quando vi como a comunhão da irmã Chen era prática e clara e como os irmãos a ouviam com atenção e concordavam com ela, comecei a me preocupar. Pensei: “Eu costumava dominar as reuniões e comunhão, mas agora todos querem ouvir a comunhão dela, quem me admirará no futuro?”. Eu estava com muita inveja porque temia que ela me ultrapassaria. Depois disso, vi que, quando os irmãos tinham alguma dificuldade em seus deveres, a irmã Chen oferecia comunhão imediatamente para ajudá-los e ela implementava trabalho rapidamente. No passado, um grupo não era formado porque as pessoas certas não podiam ser encontradas, mas ela formava o grupo em pouco tempo. Quando nossos líderes vinham às reuniões, ela também fazia sugestões boas para o trabalho da igreja. Tudo isso me levou a invejá-la. Eu queria ter o mesmo nível de calibre para que os irmãos me admirassem mais. Até quis que os líderes a transferissem para outro lugar para que ninguém roubasse meus holofotes e os irmãos me vissem como a melhor. Mais tarde, várias igrejas realizaram eleições e os líderes sempre pediam a ajuda da irmã Chen para administrá-las. Isso me deixou muito perdida. As pessoas que gerenciam eleições são pessoas capazes que sabem discernir os outros. Antes, os líderes sempre tinham pedido a minha ajuda. Agora, pediam à irmã Chen. Ela parecia ser muito importante para os líderes e eu parecia não importar nem um pouco. Mais tarde, em relação a várias tarefas importantes, nossos líderes entregaram a responsabilidade à irmã Chen, o que me pareceu ser ainda mais injusto.

Uma vez, quando uma igreja precisou reeleger seus líderes e diáconos e a irmã Chen não conhecia os detalhes do pessoal dessa igreja, a diaconisa de rega eleita estava num estado ruim, era passiva e negligente em seus deveres. Eu sabia que essa irmã não era apta para ser diaconisa de rega, mas por ter inveja da irmã Chen, eu não quis dizer nada. Pensei: “Você escolheu essa irmã, portanto, você errou ao fazer a escolha errada. Vejamos se a pessoa que você escolheu consegue fazer o trabalho”. Ela gerenciou a rega por alguns meses antes de ser acusada de incompetência e se demitir. Mais tarde, a irmã Chen me criticou duas vezes por ser uma bajuladora e não apontar os problemas que eu via. Embora não tenha discutido, eu pensei comigo mesma: “Você é responsável por esse trabalho e você recebe todo mérito quando é bem feito. Por que eu diria algo?”. Naquele tempo, a irmã Chen sempre me incomodou, e fiquei profundamente ressentida dela. Eu a odiava por roubar meu brilho e estava na miséria. Mais tarde, a irmã Chen teve um problema em seu trabalho e pediu minha opinião, e eu lhe dei uma resposta superficial. Por fora, eu parecia estar cumprindo meus deveres com ela, mas não havia nenhuma comunicação sobre o trabalho nem qualquer cooperação harmoniosa. Uma vez, houve problemas no trabalho pelo qual a irmã Chen era responsável, e nosso líder a criticou por isso numa reunião. Enquanto a irmã Chen soluçava em autoacusação, eu estava feliz e me vangloriava: “Agora os irmãos veem suas habilidades reais. Sua imagem já não é mais tão boa, e parece que minha chance de mostrar meus talentos chegou”. Mais tarde, fiquei surpresa ao ver o quanto nossos líderes ainda valorizavam a irmã Chen. Ela ainda era responsável por várias tarefas importantes da igreja, e eu tive um colapso. Perdi o interesse por meus deveres. Até comecei a me frustrar com eles. Uma vez, a equipe de vídeo teve algumas dificuldades, e a irmã Chen pediu que eu fosse resolvê-los. Eu não queria. Pensei: “Se eu fizer isso, o mérito será dela e ninguém olhará para mim. Você tem sido responsável por esse trabalho desde que veio, então lide com isso você mesma”. Uma ideia cruel também surgiu em mim: “Espero que você falhe em seu trabalho para que ninguém a admire”. Eu disse com insistência: “Eu não vou”. Naquele momento, vi a irmã Chen sentada ali, impotente e em silêncio, e também me senti incomodada, pois eu sabia que o trabalho da igreja é nosso dever comum e que eu deveria fazer aquilo, então, relutante, concordei em ir. Mas minhas intenções eram erradas, eu queria provar que eu era melhor do que a irmã Chen, por isso eu carecia da proteção e orientação de Deus em meus deveres, e os problemas da equipe de vídeo nunca foram resolvidos. Naquela época, eu vivia num estado de lutar por fama e fortuna, meu espírito escureceu e eu sempre me deparava com obstáculos nos meus deveres. Eu não ousava dizer nada, pois temia ser menosprezada. Nenhum dos trabalhos que eu supervisionava era eficiente. Eu me sentia muito horrível na época. Pensei: “Eu costumava cumprir bem os meus deveres, meus irmãos me apoiavam e minhas parceiras me ouviam, mas agora, eu me sinto abjeta. É porque a irmã Chen está aqui que sinto que não consigo fazer nada bem”. Na época, eu sentia nojo quando via a irmã Chen. Eu só queira sumir para um lugar em que não tivesse que vê-la.

Depois disso, houve muitos problemas nas igrejas que eu supervisionava. Cada aspecto do trabalho da igreja era ineficiente, estava quase paralisado, e me senti muito culpada por isso, mas nunca busquei a verdade para resolver meu estado. Nosso líder pediu que refletíssemos sobre porque nosso trabalho era ineficiente, mas eu carecia de autoconhecimento e apontei o dedo para a irmã Chen. Pensei que, antes de ela vir, quando eu era responsável, nosso trabalho não estava tão ruim, mas agora que a responsabilidade era dela, ela tinha criado essa situação. Uma vez, quando uma irmã e eu estávamos discutindo essas coisas, eu expressei minha insatisfação com a irmã Chen e disse em muitas palavras que ela não prestava. Depois disso, eu me senti um pouco culpada: Eu não estou julgando ela por trás das costas dela? Isso é algo que Deus odeia! Mas, na época, era apenas um pensamento e não refleti sobre mim mesma. Honestamente, eu sou muito entorpecida e rígida. Eu tive que ser demitida para comover meu coração. Nosso líder nos procurou e disse que a eficácia do trabalho da igreja estava diminuindo e que a irmã Chen e eu não cooperávamos bem. Me senti um pouco incomodada, mas, sem autoconhecimento, meu olhar permaneceu fixo na irmã Chen. Pensei que nosso trabalho só ficou ruim depois da vinda dela. Vendo que eu não conhecia a mim mesma, nosso líder lidou comigo, dizendo que eu lutava por fama e fortuna em meus deveres, não refletia sobre mim mesma, apesar de meu trabalho ser ineficiente, que, em vista do meu estado, eu não era apta para ser uma líder, e que eu precisava de um tempo para reflexão espiritual.

Ser demitida foi muito doloroso para mim. Eu não sabia como os irmãos me veriam, e quanto mais eu pensava, mais escuro meu espírito ficava. Eu cochilava enquanto lia as palavras de Deus, não conseguia aquietar meu coração diante de Deus, e passei o período seguinte nesse estado confuso. Então percebi que havia algo de errado com meu estado, e eu orei a Deus para pedir Sua orientação para conhecer a mim mesma. Um dia, vi duas passagens da palavra de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Para os anticristos, seu status e reputação são mais importantes do que qualquer outra coisa. Essas pessoas são não somente desonestas, intrigantes e perversas, mas também cruéis por natureza. O que elas fazem quando detectam que seu status está em risco, ou quando perdem seu lugar no coração das pessoas, quando perdem o apoio e o afeto dessas pessoas, quando as pessoas não as veneram nem admiram mais e elas caem em desgraça? De repente, elas mudam. Assim que perdem seu status, elas não querem fazer nada, e tudo que fazem é fajuto. Elas não têm interesse em cumprir seu dever. Mas essa não é a pior manifestação. Qual é a pior manifestação? Assim que essas pessoas perdem seu status e ninguém as admira mais, e ninguém é seduzido por elas, surgem a inveja e a vingança, surge o ódio. Elas não só não têm temor de Deus, mas carecem também de obediência e conhecimento verdadeiros. Em seu coração, são propensas a odiar a casa de Deus e a igreja; em seu coração, desejam que o trabalho da igreja se depare com problemas ou venha a parar; querem rir da casa de Deus e dos irmãos e irmãs. Também odeiam qualquer um que busque a verdade e tema a Deus. Atacam e zombam de qualquer um que seja fiel em seu dever e esteja disposto a pagar um preço. Esse é o caráter do anticristo — e ele não é cruel?” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 2)’ em “Expondo os anticristos”). “Se algumas pessoas virem alguém que é melhor do que elas, elas o suprimem, iniciam um boato sobre ele ou empregam algum meio inescrupuloso para que as outras pessoas não o admirem e para que ninguém seja melhor do que qualquer outra pessoa, então isso é o caráter corrupto da arrogância e presunção, assim como da desonestidade, enganação e insídia, e essas pessoas fazem de tudo para alcançar seus objetivos. Elas vivem desse modo e, mesmo assim, pensam que são pessoas maravilhosas e boas. No entanto, elas têm um coração que teme a Deus? Em primeiro lugar, para falar do ponto de vista das naturezas dessas questões, as pessoas que agem dessa forma não estão simplesmente fazendo o que lhes agrada? Elas consideram os interesses da família de Deus? Elas só pensam em seus próprios sentimentos e só querem alcançar seus próprios objetivos, independentemente da perda sofrida pelo trabalho da família de Deus. Pessoas assim são não só arrogantes e presunçosas, são também egoístas e desprezíveis; não têm nenhuma consideração pela intenção de Deus e, sem dúvida alguma, pessoas desse tipo não possuem um coração que teme a Deus. É por isso que fazem o que querem e agem arbitrariamente, sem qualquer senso de culpa, sem qualquer receio, sem qualquer apreensão ou preocupação e sem considerar as consequências. É isso que geralmente fazem e como sempre se comportaram. Quais são as consequências que essas pessoas enfrentam? Elas terão problemas, certo? Falando em termos brandos, tais pessoas são ciumentas demais e têm um desejo intenso demais de obter fama e status pessoal; são enganosas e traiçoeiras demais. Falando em termos mais duros, o problema essencial é que o coração de tais pessoas não é nem um pouco temente a Deus. Elas não temem a Deus, acreditam que são de suma importância e veem cada aspecto de si mesmas como mais alto do que Deus e mais alto do que a verdade. Em seu coração, Deus é o menos digno de ser mencionado e o mais insignificante, e Deus não tem qualquer status no coração delas. Aqueles que não têm lugar para Deus em seu coração e que não reverenciam a Deus chegaram a entrar na verdade? (Não.) Então, quando andam normalmente por aí alegres, mantendo-se ocupados e consumindo muita energia, o que estão fazendo? Tais pessoas até alegam ter abandonado tudo para se despenderem por Deus e sofrido bastante, mas, na verdade, o motivo, o princípio, o objetivo de todas as suas ações é beneficiar-se; só estão tentando proteger todos os interesses próprios. Vocês diriam que esse tipo de pessoa é terrível ou não? Que tipo de pessoa acredita em Deus há muitos anos, mas não tem temor de Deus? Pessoas que são arrogantes. E quais coisas mais carecem do temor de Deus? Além dos animais, são os perversos, os anticristos, os diabos e Satanás. Eles têm a ousadia de competir com Deus; estão desprovidos do temor de Deus” (‘Os cinco estados necessários para estar na trilha certa em sua fé’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Essas palavras perfuraram meu coração. Anticristos valorizam posição e reputação acima de tudo. Ficam com inveja quando veem outros buscarem a verdade, então os atacam e excluem, porque temem ser ultrapassados. Cometem qualquer maldade para manter seu status, até esperam que seus irmãos falhem em seus deveres e trabalhem sem eficiência. Quanto melhor a casa de Deus faz o seu trabalho, pior eles se sentem. Eles têm caracteres ferozes e são diabos. Naquele período, meu comportamento era igual ao de um anticristo. Quando vi que a irmã Chen tinha bom calibre, fazia bem o seu trabalho, comungava sobre a verdade melhor do que eu e ganhava a admiração de todos, eu fiquei com inveja por ela roubar meus holofotes e esperava que os líderes a transferissem, para que eu me destacasse na igreja. Quando vi como os líderes a valorizavam e cultivavam, fiquei com inveja e incomodada. Eu sabia que ela tinha acabado de chegar, que não conhecia os funcionários da igreja e que a diaconisa de rega não era a pessoa certa, mas eu não disse nada. Fiquei olhando, esperando que ela falhasse. Quando ela tentava discutir o trabalho comigo, eu a ignorava. Eu esperava que seu trabalho desse errado e que ela fosse demitida e ninguém a admirasse. Eu até a julguei e destruí por trás das costas dela, a menosprezei e exaltei a mim mesma para realizar meu próprio desejo de me destacar. Vi que, a despeito de meus anos de fé, eu tinha ignorado a entrada na vida e não tinha colocado o trabalho da casa de Deus em primeiro lugar e gastei todo meu tempo lutando por status e reputação. Quando não os recebi, senti que tinha perdido minha vida. Isso me deixou com tanta inveja que me vinguei da minha irmã e negligenciei o trabalho da igreja. Eu temia tanto que a irmã Chen trabalharia bem que estava disposta a prejudicar os interesses da casa de Deus para favorecer os meus. Eu não tinha nenhum temor de Deus nem lugar para Ele em meu coração. O que eu fiz foi agir como serva de Satanás, interromper o trabalho da casa de Deus e impedir o trabalho da igreja até paralisá-lo. Eu não estava cumprindo meu dever nem um pouco! Eu era como uma raposa na vinha, roubando uvas e destruindo as videiras. Minha natureza era igual aos anticristos expostos por Deus! Eu pensei nos anticristos ao meu redor que foram expulsos. Eles se aproveitaram de seus deveres para se exibir e exaltar a si mesmos na vã esperança de possuir o coração das pessoas e garantir seu apoio. Quando veem um irmão que os ultrapassa e ameaça seu status, eles atacam e retaliam, arruínam o trabalho da casa de Deus e, no fim, ofendem o caráter de Deus e são revelados e eliminados. Finalmente vi que correr atrás de status é perigoso demais! Foi só quando percebi isso que senti medo. Orei a Deus por Sua orientação para conhecer a mim mesma, me arrepender e mudar. Depois de orar, perguntei a mim mesma: “Por que sempre luto por status e me agarro à minha posição? Sempre corro atrás de status, qual, então, é a raiz disso?”.

Mais tarde, vi uma passagem da palavra de Deus em “Ter um caráter inalterado é estar em inimizade contra Deus”. “A fonte de oposição e de rebeldia do homem contra Deus é a sua corrupção por Satanás. Porque ele foi corrompido por Satanás, a consciência do homem se tornou entorpecida, ele é imoral, seus pensamentos são degenerados e ele tem uma perspectiva mental subdesenvolvida. Antes de ser corrompido por Satanás, o homem naturalmente seguia a Deus e obedecia às Suas palavras depois de ouvi-las. Ele tinha naturalmente bom senso, boa consciência e humanidade normal. Depois de corrompido por Satanás, seu sentido original, sua consciência e sua humanidade ficaram embotados e foram comprometidos por Satanás. Assim, o homem perdeu a obediência e o amor para com Deus. O sentido do homem tornou-se aberrante, seu caráter tornou-se o mesmo que o de um animal, sua rebeldia para com Deus é cada vez mais frequente e grave. No entanto, o homem ainda não sabe nem reconhece isso e apenas se opõe e se rebela cegamente. A revelação do caráter do homem é a expressão de seu sentido, percepção e consciência e, como o seu sentido e percepção estão deteriorados e sua consciência se tornou extremamente entorpecida, seu caráter se rebela contra Deus” (“A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler a palavra de Deus, encontrei a fonte do problema. Eu era tão corrompida por Satanás que não sabia como viver nem como me comportar. Eu só sabia buscar fama e fortuna e via coisas como “Destaque-se acima da multidão”, “Eu reino soberano”, “Só pode existir um macho alfa” e “Os homens devem sempre se empenhar para serem melhores do que seus contemporâneos”, essas filosofias satânicas, como leis da vida. Quando vi que a irmã Chen me ultrapassou em todos os aspectos, que os irmãos e os líderes a admiravam e valorizavam, achei que ela tinha roubado meus holofotes e a tratei como espinho em meu olho e carne. Quando minha irmã quis discutir o trabalho, eu quis ignorá-la. Eu até a julguei, a derrubei, a menosprezei deliberadamente, esperando que ela fosse demitida por errar em seus deveres, e não me importei se o trabalho da casa de Deus sofreria. Vi que, ao viver segundo esses pensamentos e visões de Satanás, eu me tornei arrogante, egoísta e cruel e minha humanidade foi deformada. Eu faria de tudo por status e reputação, como os oficiais do grande dragão vermelho. Se alguém os ultrapassa ou ameaça seu status, eles os chamam de inimigos políticos e os arruínam. Deus, que é supremo, veio encarnado e expressa a verdade para salvar a humanidade, mas o Partido Comunista temia que, se as pessoas aceitassem o caminho verdadeiro e seguissem Deus Todo-Poderoso, ninguém o seguiria nem adoraria mais, então começaram a caçar Cristo e perseguir os cristãos com crueldade na esperança fútil de criar uma zona sem Deus em que as pessoas só adoram e obedecem ao Partido Comunista. Ao me comparar com a maldade, tirania, brutalidade e violência do grande dragão vermelho, fiquei aterrorizada. Havia qualquer diferença entre meu caráter e o grande dragão vermelho? Por status, excluí dissidentes e perdi toda consciência e razão. Deus tinha me exaltado com o dever de uma líder. Eu deveria cooperar com minha irmã para cumprir nossos deveres e retribuir o amor de Deus, mas eu estava cegada por meu status e me comparava com minha irmã. Eu me tornei negativa e negligente quando não consegui ultrapassá-la nem ganhar fama, fortuna e status e prejudiquei seriamente o trabalho da casa de Deus. Eu era muito negligente em meu dever e estava trilhando a senda errada!

Eu refleti e percebi que havia também pontos de vista equivocados em mim. Eu sempre pensei que ter status na casa de Deus fazia de mim uma pessoa útil e que eu seria salva e aperfeiçoada, mas eu não sabia que Deus não considera seu status na igreja ou se as pessoas admiram você. Deus vê seu coração e sua atitude em relação aos seus deveres. Na casa de Deus, se você aceitar a verdade, tem as intenções certas e age com princípios em seus deveres, obedece a Deus e é leal a Deus, somente então Deus aprova você. Eu era tão ignorante. Não buscava a vontade de Deus, vivia segundo filosofias e opiniões satânicas, buscava fama e fortuna e queria status elevado. Mas buscar essas coisas é um erro. Eu estava trilhando a senda do anticristo e, se não voltasse para Deus, eu seria eliminada e destruída por Deus. Eu fui demitida por causa da justiça de Deus e de sua proteção para mim. Repetidamente, Deus usou Suas palavras para despertar meu coração entorpecido e me mostrar a verdade da minha corrupção. Foi quando percebi as boas intenções de Deus. Tudo que Deus faz é para me guiar para a senda certa. Em meu coração, orei a Deus para me arrepender e pedir que Ele me guiasse para mudar meus hábitos.

Depois disso, vi outra passagem da palavra de Deus. “Não é fácil deixar de lado status e prestígio. Para aqueles que são um pouco talentosos, que têm algum grau de calibre ou possuem certa experiência de trabalho, deixar essas coisas de lado é ainda mais difícil. […] Quando as pessoas não têm status, seu impulso competitivo está no estágio nascente; assim que adquirem status, quando a casa de Deus lhes confiou alguma tarefa importante, e especialmente se trabalharam por muitos anos e têm muita experiência e capital, o impulso já não é mais nascente, já se enraizou, floresceu e está prestes a dar fruto. Quando alguém tem o desejo e a ambição constantes de fazer coisas grandes, de se tornar famoso, de se tornar uma figura importante, ele está acabado. E então, antes que isso resulte numa calamidade, você deve reverter rapidamente a situação e deixar essas coisas de lado. Sempre que faz algo — e não importa qual seja o contexto —, você deve praticar treinar-se para buscar a verdade, ser alguém que é honesto e obediente a Deus, e deve não só deixar de lutar por essas coisas, mas também deixá-las de lado. Você deve estar ciente de quando você tem o desejo constante de competir. Se não for resolvido, o desejo de competir só poderá resultar em coisas ruins, portanto não perca tempo e comece a buscar a verdade, iniba sua competitividade e substitua esse comportamento competitivo pela prática da verdade. Quando você pratica a verdade, sua competitividade, suas ambições selvagens e seus desejos diminuirão completamente e deixarão de interferir no trabalho da casa de Deus. Dessa forma, suas ações serão lembradas e elogiadas por Deus. Portanto, convém ressaltar que você deve erradicar seu impulso competitivo e sua ambição antes que floresçam e produzam fruto. Algumas pessoas perguntam: ‘Como posso erradicá-los? Devo apenas mantê-los no estágio nascente?’. Isso depende de como você experimenta, depende de como você se sente em relação a isso, de quão determinado você é. Algumas pessoas dizem: ‘Eu nem permito que brotem’. Isso é bom. Você não tenta ser um indivíduo honorável com status e posição, mas uma pessoa comum; mesmo que Deus diga que você é inútil, isso está ótimo, você continua feliz em ser alguém que é baixo aos olhos de Deus, um seguidor pequeno e insignificante, mas um seguidor que, no fim, é chamado de criatura aceitável por Deus. Tal pessoa é boa” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus me mostraram que eu não devia buscar coisas como tornar-me altiva ou ser a melhor. “Destaque-se acima da multidão” e “Eu reino soberano” são mentiras satânicas. Se as coisas se desenvolvessem assim, eu seria um demônio, não um ser humano. Deus exige que sejamos pessoas comuns, os menores seguidores, e cumpramos os deveres de seres criados para ganhar Sua aprovação. Essa é a coisa mais importante. Ao mesmo tempo, entendi que, quando coisas acontecem, devemos orar a Deus, renunciar a nós mesmos e praticar a verdade, e nossos desejos e ambições diminuirão com o tempo. No passado, eu não conhecia a mim mesma nem buscava a verdade. Eu sempre senti que era talentosa e quis ser admirada e valorizada. Deixei-me levar pela ambição, de modo que lutava por fama e fortuna em todos os lugares. Eu era claramente inferior, mas não suportava ver outros me ultrapassarem. Eu era tão arrogante que perdi toda razão. Orei a Deus e disse que eu não queria mais fama e fortuna. Eu só queria ser uma pessoa comum e cooperar bem com minhas parceiras nos meus deveres. Sei que minhas parceiras em qualquer momento são escolhidas pela soberania de deus e há lições que devo aprender. A irmã Chen tinha calibre bom, experiência e conseguia comungar sobre a verdade para resolver problemas, o que era útil para o trabalho da casa de Deus e a entrada na vida dos nossos irmãos. Eu devia ter aprendido com os pontos fortes dela para compensar as minhas deficiências e trabalhado em harmonia com ela para fazer o trabalho da igreja.

Logo, o líder arranjou que eu fosse a diaconisa de rega. Numa reunião de obreiros, eu me abri para a irmã Chen sobre minha corrupção durante esse período. Ela não me menosprezou e também compartilhou comunhão sobre a palavra de Deus comigo. Meu distanciamento dela foi eliminado, e senti muita libertação. Em seguida, tentei discutir algumas coisas durante o trabalho e fiz de tudo para cooperar com ela. Quando me concentrei em meu dever, senti a orientação de Deus. Comecei a obter resultados melhores no meu trabalho e me senti grata a Deus.

Depois de ser demitida, vi que o amor de Deus por mim é muito prático. O julgamento e castigo na palavra de Deus me mostraram minha corrupção. Permitiram que eu visse claramente a essência e os resultados de buscar fama e status. Ao mesmo tempo, a palavra de Deus me guiou em direção da senda certa e me permitiu renunciar a mim mesma e praticar a verdade. Sem ela, eu ainda não me conheceria, ainda lutaria contra outros por fama e fortuna e seria o brinquedo de Satanás, cometendo o mal e resistindo a Deus. Sou grata a Deus por me salvar!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Uma escolha angustiante

Por Chen Min, Espanha Aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias em 1999 e logo comecei a servir como uma líder. Fui presa pela...

Sentindo o amor especial de Deus

Por Jiayi, Provincía de Anhui A minha natureza é principalmente arrogante; seja o que eu estiver fazendo, uso sempre a criatividade e a...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp