O julgamento e o castigo são o amor de Deus

20 de Janeiro de 2022

Por Rebecca, Estados Unidos

As palavras de Deus dizem: “Por fim, qual é o testemunho que o homem dá de Deus? O homem testifica que Deus é o Deus justo, que Seu caráter é justiça, ira, castigo e julgamento; o homem testifica o justo caráter de Deus. Deus utiliza Seu julgamento para aperfeiçoar o homem, Ele amou e salvou o homem — mas o quanto está contido em Seu amor? Há julgamento, majestade, ira e maldição. Embora Deus tenha amaldiçoado o homem no passado, Ele não o lançou completamente no abismo sem fundo, mas usou esse meio para refinar a fé do homem; Ele não matou o homem, mas agiu para aperfeiçoá-lo. A substância da carne é aquilo que é de Satanás — Deus disse isso exata e corretamente — mas os fatos realizados por Deus não são completados de acordo com Suas palavras. Ele o amaldiçoa para que você O ame e conheça a substância da carne; Ele o castiga para que você possa despertar, para que conheça suas deficiências interiores e conheça a absoluta indignidade do homem. Assim, as maldições de Deus, Seu julgamento, Sua majestade e ira — são todos apenas para aperfeiçoar o homem. Tudo que Deus realiza hoje e o justo caráter que Ele esclarece dentro de vocês — tudo é para aperfeiçoar o homem. Tal é o amor de Deus(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a amabilidade de Deus”). Quando as pessoas mencionavam o amor de Deus, eu pensava em Sua misericórdia e compaixão, em Sua graça e Suas bênçãos. Eu não entendia Seu amor de julgamento e castigo. Mas, depois de uma experiência prática com isso, eu ganhei certo entendimento pessoal e vi que as palavras de Deus são a verdade, e são todas tão práticas, e que o julgamento e o castigo são o amor de Deus pela humanidade e a salvação desta.

Eu era responsável pelo trabalho de rega, e, então, em setembro do ano passado, fui demitida por não fazer trabalho prático. O líder da igreja arranjou que a irmã Joyce assumisse o meu trabalho. Eu não tenho palavras para expressar como me senti. Eu já tinha supervisionado o trabalho de Joyce, e agora ela supervisionaria o meu. Isso não me fazia parecer incompetente? Passei de uma posição de liderança a um membro regular da equipe de rega. Não seria humilhante se os irmãos que me conheciam descobrissem? Pensar nisso fez eu me arrepender muito de não ter cumprido bem o meu dever. Mais tarde, numa discussão sobre o nosso trabalho, todos ficaram em silêncio por um tempo. Eu pensei que, embora não estivesse mais no controle, eu tinha alguma experiência em regar os recém-convertidos, por isso devia assumir um fardo e expressar meus pensamentos. Assim, todos veriam que eu ainda exercia um papel importante, e todos me admirariam. Então comecei a apresentar meus pensamentos e ideias proativamente, e, depois de algumas discussões, os outros concordaram com a minha opinião. Em quase todas as discussões, eles acataram as minhas ideias, e eu senti que as minhas habilidades se destacavam na equipe. Eu não era supervisora, mas ainda conseguia fazer esse tipo de trabalho. Pensei que os outros me admirariam e que, um dia, eu voltaria a ser promovida. Passei a ser mais ativa depois disso e, antes de todas as reuniões, eu tentava obter informações de como os recém-convertidos estavam e encontrava palavras relevantes de Deus. Isso exigia muito tempo e energia, mas pensei que, fazendo um bom trabalho, eu provaria a minha capacidade, por isso valia a pena pagar esse preço. Eu era proativa no meu dever, era capaz de descobrir alguns problemas no trabalho, e os outros concordavam com soluções e sugestões que eu apresentava. Eu sentia como se todos pudessem ver quanto eu estava trabalhando, de modo que eu poderia ser promovida quando o líder avaliasse o nosso trabalho e visse como eu me saía. Mas o tempo passou, e o líder não parecia ter a menor intenção de me promover. Eu reparei que mais e mais recém-convertidos estavam entrando na igreja, e mais pessoas precisavam assumir posições, mas parecia que ninguém pretendia me promover. Ver isso me fez sentir desanimada. Eu achava que tinha feito algumas mudanças e que estava indo bem no meu dever. Já que a igreja precisava de ajuda, por que não me davam mais uma chance? Depois de ser dispensada uma vez, eu nunca mais teria chance de estar a cargo? Isso não fazia sentido para mim. Eu não sabia por que todo o meu trabalho não estava dando resultados. O que faltava? Mais tarde, eu achei que talvez não estivesse trabalhando tanto ou tão bem o suficiente, ou que não estava alcançando o bastante. Pensei que devia continuar trabalhando duro e me concentrar não só nas conquistas no meu dever, mas também na entrada na vida e na busca pela verdade, para que os outros vissem meu progresso pessoal. Então Deus teria misericórdia de mim e me daria uma chance. Pensei que, com uma “busca” correta, um dia haveria uma mudança, e mesmo que não fosse promovida, eu me destacaria na nossa equipe e ganharia a admiração dos outros irmãos. Então me dediquei ainda mais ao trabalho de rega, e quando os recém-convertidos tinham problemas, eu refletia e encontrava palavras de Deus para comungar. Quando não entendia algo, eu orava e buscava com sinceridade. Depois de um tempo, tive sucesso cada vez maior na rega dos recém-convertidos. Em algum momento depois, numa reunião, a líder de equipe disse que eu assumia um fardo no meu dever e era boa em resolver problemas dos recém-convertidos. Fiquei muito satisfeita comigo mesma. Achei que todos começariam a ver como eu era boa, e que, se eu melhorasse o meu desempenho, eu ganharia a admiração de todos. Então teria uma chance de ser promovida. Depois disso, me dediquei ainda mais ao meu dever. Além das minhas responsabilidades, assumi o máximo que podia do trabalho da equipe e ofereci feedback e ajuda à supervisora quando descobri problemas. Também continuei em minha busca da verdade, lia as palavras de Deus a cada minuto livre. Eu vinha para Diante de Deus em oração, e buscava sempre que me sentia mal, e me empenhava ativamente nas reuniões. Mas fiquei bem decepcionada quando nem mesmo após bastante tempo de trabalho intenso eu fui promovida. Eu achava que, não importava quanto eu trabalhasse ou quão bem eu me saísse, o líder nunca me promoveria. Qual era o sentido de tudo isso? Depois disso, não me esforcei mais tanto, e quando via que os recém-convertidos não se reuniam, eu só fazia algumas perguntas, mas não investigava a fundo. Às vezes, quando a Joyce pedia que eu procurasse palavras de Deus para os problemas ou falhas dos irmãos antes das reuniões, eu achava que isso não era trabalho meu e que ninguém repararia, por maior que fosse o meu sucesso, e então me livrava disso com uma desculpa. Meu estado começou a deteriorar, e eu não sabia o que dizer em oração. A leitura das palavras de Deus não me iluminava, e, às vezes, eu ficava com sono. Sentia uma escuridão no meu espírito e não sentia a obra do Espírito Santo. Não demorou, e vi outros irmãos sendo promovidos, enquanto eu ainda era um membro comum da equipe de rega. Eu desanimei ainda mais. Eu tinha trabalhado tanto por tanto tempo, mas ficava apenas girando em círculos, sem sair do lugar. Parecia que não havia chance de eu ser promovida. Crentes como eu eram capazes de se tornar supervisores e líderes de equipe, tinham a admiração dos outros, mas eu nunca era promovida. Isso significava que eu era um fracasso como crente? Fiquei tão negativa que não conseguia encontrar motivação para nada.

Mais tarde, eu me perguntei por que estava tão abatida. Por que eu só vivia por status? Eu só tinha buscado status em todos os meus anos de fé? Como pude ser tão patética? Por que eu estava tão obcecada com status? Eu realmente me odiei. Ajoelhei Diante de Deus em oração e disse: “Deus, quero buscar a verdade na minha fé, retribuir o Teu amor e cumprir o dever de um ser criado. Mas agora sou atormentada pelo meu desejo de status, que me desanima e deixa deprimida. Não quero viver desse jeito, mas não consigo evitar. Deus, por favor, esclarece-me e salva-me, para que eu possa entender meu problema e resolvê-lo”. Depois de orar, li esta passagem das palavras de Deus: “Um anticristo tem o caráter e a essência de um anticristo, e é isso que o distingue de uma pessoa normal. Embora ele não diga nada por fora após ser substituído, em seu coração ele continua a resistir. Ele não admite seus erros e nunca é capaz de se conhecer de verdade. Isso foi provado há muito tempo. Há também outra coisa num anticristo que nunca muda: não importa onde ele faça algo, ele quer se destacar da multidão, ser visto e admirado pelos outros; mesmo que não tenha cargo nem título legítimo como um líder de igreja ou de equipe, ainda assim deseja estar muito acima dos outros em termos de posição e status. Não importa se consegue fazer o trabalho, que tipo de humanidade ou experiência de vida tem, ele inventará todo tipo de meio e fará um esforço enorme para encontrar chances de se exibir, de se infiltrar no coração das pessoas, de conquistar os outros, de aliciar e enganá-los, a fim de ganhar a admiração deles. O que há no anticristo para admirar? Embora ele tenha sido dispensado, ‘Um camelo magro ainda é mais alto do que um cavalo’, e ele continua sendo uma águia sobrevoando galinhas. Isso não é a arrogância, a hipocrisia do anticristo, sua excepcionalidade? Ele não consegue se reconciliar com o fato de não ter status, de ser um crente comum, de ser apenas uma pessoa comum. Ele não consegue simplesmente cumprir seu dever com os pés no chão e permanecer em seu lugar, fazer um bom trabalho em seu dever, dedicar-se a este e fazer o máximo possível. Essas coisas nem chegam perto de satisfazê-lo. Ele não está disposto a ser esse tipo de pessoa ou a fazer esses tipos de coisas. Qual é sua grande ambição? É ser admirado e deter poder. Assim, mesmo que não tenha nenhum título específico vinculado ao seu nome, um anticristo lutará por si mesmo, defenderá a si mesmo e justificará a si mesmo, fazendo de tudo para dar um espetáculo, com medo de que ninguém o notará nem prestará atenção nele. Ele aproveitará cada oportunidade para se tornar mais conhecido, para aumentar seu prestígio, para fazer com que mais pessoas vejam seus dons e pontos fortes, para que vejam que ele é superior aos outros. Ao fazer essas coisas, um anticristo está disposto a pagar qualquer preço necessário para se exibir e recomendar, para fazer com que todos pensem que, ainda que não ele seja mais um líder e não tenha mais status, ele continua sendo superior às pessoas comuns. Dessa forma, um anticristo alcançou seu objetivo. Ele não está disposto a ser uma pessoa normal, uma pessoa comum; ele quer poder e prestígio, e ser exaltado(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Doze: Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos”). Lendo as palavras de Deus, senti que Deus estava bem ali, me expondo. Deus diz que pessoas como anticristos querem reputação e status, poder e admiração dos outros de todo jeito. Para cumprir essa ambição selvagem, os anticristos pagam qualquer preço para serem notados, se exaltar e conquistar as pessoas. Eu vi que a minha busca era exatamente igual à de um anticristo. Na fé, eu queria ter status, ser uma líder ou supervisora. Queria me destacar no meu grupo e ser admirada e apoiada pelos outros. Depois de dispensada, não tratei do meu desejo de ser supervisora. Eu participava ativamente das discussões e fazia sugestões, dava feedback à supervisora assim que descobria problemas, para que ela soubesse que não somente eu podia encontrar problemas, como também fornecer soluções, que eu sabia usar a cabeça. Então eu entraria na fila para ser promovida. Trabalhei muito no meu dever, para que os irmãos vissem que eu sabia fazer trabalho prático, e então eu teria chance de ser promovida. Eu era proativa mesmo quando não era da minha responsabilidade, disposta a gastar tempo e energia, querendo que todos vissem o fardo que eu assumia pelo meu dever e que eu podia aguentar muita coisa. Não relaxei na minha busca da verdade, também, para que me aprovassem. Eu aproveitava cada chance de provar meu valor e me mostrar. Não é esse o tipo de comportamento de anticristo que Deus expõe?

Li alguma das palavras de Deus que descrevem muito minuciosamente a essência corrupta dos anticristos. Deus Todo-Poderoso diz: “Para os anticristos, se seu status ou reputação é atacado ou retirado, isso é uma questão ainda mais séria do que tentar tirar sua vida. Não importam quantos sermões ouçam nem quantas das palavras de Deus leiam, eles não sentirão tristeza nem arrependimento por nunca terem praticado a verdade e por terem seguido a senda dos anticristos, nem por possuírem a natureza essência dos anticristos. Em vez disso, eles estão sempre quebrando a cabeça para encontrar maneiras de ganhar status e aumentar sua reputação. Pode-se dizer que tudo que os anticristos fazem é feito para se exibirem na frente dos outros, e não é feito diante de Deus. Por que digo isso? Porque tais pessoas estão tão apaixonadas pelo status que tratam tudo como sua própria vida, como o objetivo de toda a sua vida. Ademais, por amarem tanto o status, elas nunca acreditam na existência da verdade, e pode-se dizer até que elas não abrigam crença alguma na existência de Deus. Assim, não importa como calculem para ganhar status e reputação ou como tentem usar aparências falsas para enganar a Deus e às pessoas, no fundo de seu coração, elas não têm percepção nem culpa, muito menos qualquer ansiedade. Em sua busca consistente de status e reputação, elas também negam descaradamente o que Deus fez. Por que digo isso? No fundo do coração dos anticristos, eles acreditam que: ‘Todo status e reputação são conquistados pelas próprias pessoas. Só se conquistarem uma posição firme entre as pessoas e ganharem status e reputação eles poderão usufruir das bênçãos de Deus. A vida só tem valor quando as pessoas ganham poder e status absolutos. Só isso é viver como um humano. Em contraste, seria inútil viver de modo a se submeter à soberania e aos arranjos de Deus em tudo, permanecer voluntariamente na posição de um ser criado e viver como uma pessoa normal, como dito na palavra de Deus — ninguém admiraria uma pessoa assim. O status, a reputação e a felicidade de uma pessoa devem ser conquistados por meio de seus esforços; é preciso lutar por eles e conquistá-los com uma atitude positiva e proativa. Ninguém mais os dará para vocês — ficar esperando passivamente só pode levar ao fracasso’. […] Os anticristos acreditam firmemente, em seu coração, que só com status e reputação eles têm dignidade e são verdadeiros seres criados, e que só com status eles serão recompensados e coroados, se qualificarão para a aprovação de Deus, ganharão tudo e serão uma pessoa genuína. O que é o status para os anticristos? Eles o veem como a verdade; eles o consideram o objetivo mais alto a ser buscado pelas pessoas. Isso não é um problema? As pessoas que conseguem ficar obcecadas com o status desse jeito são anticristos genuínos. São do mesmo tipo de pessoa que Paulo. Acreditam que buscar a verdade, buscar a submissão a Deus e buscar a honestidade são processos que as levam ao status mais alto possível; essas coisas são meramente processos, não o objetivo nem o padrão para ser humano, e que elas são feitas inteiramente para Deus ver. Esse entendimento é absurdo e ridículo! Somente as pessoas absurdas que odeiam a verdade poderiam produzir uma ideia tão ridícula(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Nove: parte 3”). A leitura dessa passagem das palavras de Deus foi muito pungente. Era como se o que eu escondia em meu coração tivesse sido trazido à luz por Deus. Eu não tinha onde me esconder. Comecei a refletir sobre mim mesma, e quanto mais fazia isso, mais eu sentia que meu pensamento era igual ao de um anticristo. Todas as minhas ações e palavras giravam em torno de status, e tudo que eu fazia era para ganhar admiração. Para mim, status era mais importante do que tudo. Antes de ganhar fé, eu sempre queria me destacar da multidão e amava ganhar apoio e aprovação dos outros. Depois de ganhar fé, corri atrás de posições de liderança para que fosse admirada e tivesse um papel importante na igreja. Depois que fui dispensada, eu não tive o menor arrependimento pelas transgressões do passado e não pensei em como realmente me arrepender e fazer bem o meu dever para pagar minha dívida para com Deus. Em vez disso, eu usei essa oportunidade de fazer um dever como uma chance para eu me mostrar. Eu me empenhei no meu dever e trabalhei muito para reconquistar um papel importante. Quando não consegui isso depois de trabalhar muito, fiquei desencorajada. Eu achava que ninguém notava, por mais que eu me esforçasse no dever, por melhor que eu me saísse nele. Achei que todos os meus esforços não significavam nada. Perdi a motivação para cumprir bem o meu dever quando não ganhei status. Até entendi Deus errado e O culpei, argumentando com Ele e sendo resistente. Deixei-me levar por pensamentos de reputação e status. Perdi a consciência e a razão que um ser criado deve ter. Eu buscava status e não me contentava em ser um membro comum da equipe. Fui maligna e descarada como um anticristo, totalmente insensata. Estas palavras de Deus me ajudaram muito: “Acreditam que buscar a verdade, buscar a submissão a Deus e buscar a honestidade são processos que as levam ao status mais alto possível; essas coisas são meramente processos, não o objetivo nem o padrão para ser humano, e que elas são feitas inteiramente para Deus ver”. Foi como levar um tapa na cara. Buscar e praticar a verdade são coisas positivas e o nosso dever como pessoas. Devemos buscar a verdade em nossa vida e viver segundo as palavras de Deus. No entanto, eu estava usando a busca e a prática da verdade como moeda de troca por status pessoal. Com um motivo tão vil no meu dever, eu jamais ganharia a aprovação de Deus. As palavras de Deus me mostraram como a minha perspectiva estava equivocada. Eu pensava que só se tivesse status e poder, fosse admirada e conhecida por todos, a minha vida teria valor. Não ter status como crente, ser uma seguidora comum era um jeito patético de viver e era um fracasso. Que perspectiva maluca! Deus exige que sejamos seres criados qualificados, que fiquemos em nosso lugar, nos submetamos ao governo e aos arranjos de Deus, executemos as responsabilidades de um ser criado. Mas eu não queria ficar no meu lugar, queria ser uma pessoa grandiosa que faz trabalho importante, ter uma posição elevada e, assim, receber mais admiração. Isso é um caráter satânico. Na verdade, no trabalho de rega, por maior que fosse o preço que eu pagava ou o papel importante que eu cumpria, isso era somente o dever que eu tinha de cumprir. Era a minha responsabilidade, mas eu queria me exibir novamente para ganhar certo status. Visto que as minhas ambições malucas não foram realizadas, eu perdi o interesse no dever. Confundi minha ambição com devoção a Deus. Essa tal de devoção era desonesta e transacional. Como isso era praticar a verdade e cumprir um dever? Era tentar usar e enganar Deus; e eu estava na senda de um anticristo. Deus é justo e santo e Ele vê nosso coração e nossa mente. Eu estava a todo o vapor na senda errada. Como poderia ganhar a obra do Espírito Santo? Meu estado estava deteriorando, e eu estava em trevas. Isso era Deus me deixando de lado e me castigando. Foi quando vi como é assustadora a busca por reputação e status. Eu não conhecia a mim mesma, nem sabia se conseguia fazer trabalho prático. Eu só buscava status, na esperança de ser promovia. Eu tinha perdido humanidade e razão adequados e não tinha autoconsciência. Então me lembrei de uma passagem das palavras de Deus: “Todos vocês reconhecerão um dia que fama e ganho são grilhões monstruosos que Satanás usa para amarrar o homem. Quando aquele dia vier, você resistirá completamente ao controle de Satanás e resistirá completamente aos grilhões que Satanás usa para amarrá-lo. Quando chegar a hora em que você desejar livrar-se de todas as coisas que Satanás tem incutido em você, você fará uma ruptura clara com Satanás e você detestará verdadeiramente tudo que Satanás trouxe para você. Só então a humanidade terá amor e anseio verdadeiro por Deus(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único VI”). As palavras de Deus são tão verdadeiras. Eu estava buscando status, era um brinquedo de Satanás, que me atormentava. Perdi a orientação do Espírito Santo e estava vivendo em trevas. Aquele meu desejo estava acabando comigo. Eu não podia impedir as lágrimas de rolar e odiei como eu tinha sido teimosa e rígida. Eu estivera na senda de um anticristo esse tempo todo, buscando reputação e status. Mas Deus ainda usou Suas palavras para me avisar e me expor para que eu pudesse ver o problema na minha busca e dar meia-volta. Mas eu não entendi. Eu entendi mal e culpei a Deus, fui negativa, fui contra Deus. Fui tão insensata. Quando percebi isso, fui tomada de culpa e disse isto em oração: “Deus, não quero mais buscar reputação e status, mas buscar a verdade para resolver minha corrupção, e me arrepender. Por favor, esclarece-me e guia-me, mostra-me o caminho”.

Li outra passagem das palavras de Deus, depois disso: “Quando Deus exige que as pessoas cumpram bem o dever, Ele não está lhes pedindo que completem certo número de tarefas ou que realizem algum empreendimento grande, nem que desempenhem alguma grande empreitada. O que Deus quer é que as pessoas sejam capazes de fazer tudo o que puderem de maneira realista e de viver em concordância com Suas palavras. Deus não precisa de que você seja grande ou nobre, nem de que realize milagres, nem quer Ele ver surpresas agradáveis em você. Ele não precisa de tais coisas. Tudo de que Deus precisa é que você pratique resolutamente de acordo com as palavras Dele. Quando você ouvir as palavras de Deus, faça o que você entendeu, execute o que compreendeu, lembre-se bem do que ouviu e, então, quando chegar a hora de praticar, faça-o de acordo com as palavras de Deus. Permita que elas se tornem sua vida, suas realidades e o que você vive. Dessa forma, Deus ficará satisfeito. Você sempre busca grandeza, nobreza e status; sempre busca exaltação. Como Deus Se sente quando vê isso? Ele detesta isso e Se distanciará de você. Quanto mais você busca coisas como grandeza, nobreza, ser superior aos outros, distinto, proeminente e digno de nota, mais Deus o acha repugnante. Se você não refletir sobre si mesmo e não se arrepender, então Deus o desprezará e abandonará. Evite tornar-se alguém que Deus considera repugnante; seja uma pessoa que Deus ama. Como, então, pode-se alcançar o amor de Deus? Aceitando-se a verdade obedientemente, permanecendo-se na posição de um ser criado, agindo-se pelas palavras de Deus com os pés no chão, cumprindo-se adequadamente o dever, sendo-se uma pessoa honesta e vivendo-se uma semelhança humana. Isso basta, Deus estará satisfeito. As pessoas devem assegurar-se de não ter ambição nem de entreter sonhos vãos, de não buscar fama, ganhos, status ou de destacar-se da multidão. Mais ainda, não devem tentar ser uma pessoa de grandeza ou sobre-humana, superior entre os homens e fazendo com que os outros a adorem. Esse é o desejo da humanidade corrupta e é a senda de Satanás; Deus não salva tais pessoas. Se as pessoas incessantemente buscam fama, ganhos e status sem se arrepender, não há cura para elas e há só um desfecho: ser eliminadas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa”). As palavras de Deus me mostraram que Ele não quer que sejamos famosos, grandes ou altivos. Ele espera que tenhamos os pés no chão e cumpramos nosso dever e nos submetamos aos arranjos Dele. Mas eu não cumpria fielmente o meu dever. Ser uma pessoa comum não me bastava. Eu só queria uma posição mais elevada e ser especial. Eu era tão arrogante. Deus é o Criador, e Ele é tão grande e honrado. Ele se tornou carne, vindo para a Terra para expressar a verdade, mas Ele nunca se mostra. Em vez disso, Ele executa em silêncio a Sua obra de salvar a humanidade. Deus é tão humilde e oculto, e incrivelmente amável. Senti muita vergonha quando refleti sobre isso e decidi que devia renunciar à minha carne e praticar a verdade.

Depois disso, eu me empenhei de todo o coração no meu dever e refleti sobre como regar recém-convertidos. Não pensei mais em meu status, e me senti feliz sendo uma pessoa comum e cumprindo meu dever da melhor forma possível. Colocar isso em prática me deu grande sensação de firmeza. Quando investi meu coração, Deus me esclareceu, dando-me uma senda em meu trabalho de rega. Num piscar de olhos, eu estava indo melhor no meu dever. Lembro-me de uma vez em que fizemos uma reunião para os recém-convertidos, mas a irmã que era nova na equipe de rega não tinha familiaridade com os recém-convertidos e não sabia como se aproximar deles. Eu sabia que eu devia ajudar, mas lembrei-me de que fazer o trabalho preparatório de entrar em contato com as pessoas era muito simplório. Eu não me rebaixaria se me oferecesse para fazer isso? Nesse momento eu vi que estava errada, que os deveres não variam em termos de importância, e que a comunicação também é um dever. Por que eu não podia fazer aquilo? Então ofereci minha ajuda para entrar em contato com os irmãos. Quando fiz isso, eu percebi que, não importando o dever, contanto que você possa aceitar o escrutínio de Deus, tenha a intenção correta e faça isso com o coração, você se sentirá em paz. Às vezes, quando via que os irmãos estavam perguntando sobre detalhes do trabalho de rega e a supervisora estava ocupada demais para tirar as dúvidas deles, eu fazia de tudo para comungar com eles e resolver as coisas. Eu não pensava se eles iam me admirar ou se isso melhoraria o meu status, pois só queria trabalhar bem com todo mundo e cumprir bem o meu dever. Depois que eu pus de lado minhas ambições selvagens e pratiquei de acordo com as palavras de Deus, tudo mudou no meu dever. Senti mais responsabilidade e encontrei mais problemas, e, aos poucos, meu estado melhorou. Também me senti mais iluminada e mais à vontade, e senti que comportar-me desse jeito era realmente bom. Entendi que as palavras de Deus realmente são a verdade e que elas são capazes de mudar e purificar as pessoas. Só comportar-me e fazer as coisas de acordo com a palavra de Deus e a verdade e obedecer aos arranjos de Deus forma meu fundamento de vida como um ser criado. De agora em diante, não importa se eu tenho status ou não, não importa onde Deus me coloca, estou disposta a colocar-me à mercê de Deus e cumprir meu dever honestamente como um ser criado.

Eu sempre busquei reputação e status incansavelmente, o que me deixou atormentada e exausta. Sem o julgamento e as revelações das palavras de Deus, eu nunca teria visto a profundeza da corrupção de Satanás ou quanto eu me importava com status. Eu teria continuado a lutar por essas coisas, sendo um brinquedo de Satanás sem semelhança humana. Com isso, eu realmente senti que o julgamento e o castigo de Deus são Sua melhor proteção e salvação, e são Seu amor. É como Deus diz: “Se o homem desejar ser purificado e obter mudanças em seu caráter em sua vida, se desejar viver uma vida com sentido e cumprir seu dever como criatura, ele precisará aceitar o castigo e o julgamento de Deus e não poderá permitir que a disciplina de Deus e os golpes de Deus se afastem dele, para que ele possa se livrar da manipulação e influência de Satanás e viver na luz de Deus. Saiba que o castigo e o julgamento de Deus são a luz, a luz da salvação do homem, e que não há maior bênção, graça ou proteção para ele(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento”).

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp