Por que eu não conseguia me comportar com honestidade

01 de Agosto de 2022

Por Xiaofan, China

Quando comecei a supervisionar o trabalho de rega dos recém-convertidos, minha parceira, a irmã Zhang, falava muito de doutrina, exaltava a si mesma e se exibia nas reuniões, e muitos problemas no trabalho não foram resolvidos a tempo. Eu denunciei o comportamento da irmã Zhang aos líderes, e, depois de investigar a situação, os líderes determinaram que ela era inapta a ser supervisora e a dispensaram. Depois disso, eu também transferi algumas pessoas inaptas no grupo e comunguei com os irmãos para resolver os problemas em seus deveres. Dois meses depois, o trabalho melhorou, e todos eram proativos em seus deveres. Uma vez, uma carta dos líderes mencionou que a nossa rega dos recém-convertidos tinha melhorado. Minhas irmãs parceiras diziam também que eu era boa no trabalho e conseguia resolver os problemas práticos dos irmãos. Quando tinham problemas, eles me perguntavam. Quando vi os líderes aprovarem meu trabalho e as minhas parceiras me estimarem e admirarem, fiquei muito feliz. Pensei: “Parece que tenho algumas das realidades da verdade e consigo fazer trabalho prático”. Aos poucos, comecei a me achar. Pensei que, já que eu era a supervisora e a líder de grupo entre as minhas parceiras, eu devia ser melhor do que os outros em resolver problemas.

Na época, eu era responsável pelo trabalho de um grupo. Frequentemente eu encontrava e comungava com os membros para resolver os problemas e desvios no trabalho, e logo o trabalho melhorou significativamente. Mas os grupos supervisionados pelas minhas parceiras não melhoraram muito, especialmente o grupo supervisionado pela irmã Li, em que os membros não cooperavam e os problemas permaneciam irresolvidos. A irmã Li estava muito ansiosa e me perguntou: “Como você comungou com eles? Como alcançou resultados tão bons?”. Respondi com uma descrição vívida dos meus métodos. Quando terminei, lembrei-me de um irmão de caráter arrogante que não cooperava com os outros. Eu não tinha resolvido esse problema completamente e precisava buscar e comungar com todos sobre ele. Mas então pensei: “Eu sou a líder de grupo, um exemplo para todos, se eu disser que há problemas que não consigo resolver, o que minhas irmãs pensarão de mim? Acabei de falar com tanto prazer. Como posso permitir problemas sem solução? Elas não me menosprezariam?”. No fim, não tive coragem de tocar no assunto. Algumas vezes depois disso, quando discutíamos o trabalho, eu sempre falava sobre como eu resolvia os problemas e quais resultados eu alcançava, mas não mencionava os problemas sem solução. Como resultado, minhas duas parceiras me admiravam e achavam que eu conseguia resolver problemas. Até diziam: “Você entende a verdade e possui suas realidades”. Você percebeu que seu jeito de falar era errado? Eu tinha certa consciência na época, então dizia que havia também problemas que eu não conseguia resolver e não falava mais nisso.

Mais tarde, havia um grupo que era ineficiente, e os irmãos tinham umas dificuldades nos deveres deles. Então a irmã Li me disse: “Eu comunguei com eles várias vezes, mas não consigo resolver seus problemas. Agora estou muito negativa”. Quando ouvi isso, eu também me senti muito desconfortável, pois eu também tinha ido várias vezes, mas não tinha resolvido os problemas. Me senti muito impotente naquele momento, como se tivesse tentado de tudo, e não entendi por que não podiam ser resolvidos. Eu queria me abrir sobre o meu estado, mas quando vi que a irmã Li estava negativa, pensei que, se eu também me abrisse sobre as minhas dificuldades naquela hora, eu poderia espalhar negatividade. Além disso, eu era a líder do grupo. Quando tínhamos problemas, eu tinha que resistir, persistir e não ficar negativa. Foi aí que a irmã Li me perguntou: “Confrontada com essas dificuldades, como devo experimentar?”. Eu não soube o que responder. Eu não tinha senda e não sabia como comungar. Mas a fim de manter minha boa imagem aos olhos deles, eu enfrentei a situação e disse: “Em dificuldades desse tipo, devemos confiar em Deus. Para Noé, foi difícil construir a arca, mas ele o fez confiando em Deus. Devemos ser iguais a Noé e encarar nossos problemas de frente”. Então falei sobre as vezes em que eu encontrara dificuldades no meu dever no passado e como tinha liderado todos pra superar dificuldades e alcançar bons resultados. Algumas irmãs sem discernimento até me elogiaram pela minha experiência, mas eu não estava feliz. Ainda não tínhamos resolvido as dificuldades no nosso trabalho, portanto, eu não estava enganando as pessoas com as minhas palavras? Mas eu me consolei, pensando: “Que mais eu poderia ter feito? Como líder de grupo, que mais poderia fazer? Aconteça o que acontecer, devo suportar!”. Embora não quisesse, eu disse: “Deixem-me cuidar desse problema”. Eu não fazia ideia de como lidar com ele. Era como se uma montanha me esmagasse, e não havia como escapar, mas eu não ousei me abrir e comungar com as irmãs. Foi quando a irmã Li disse: “Ultimamente, os problemas no nosso trabalho não têm sido resolvidos. Não deveríamos refletir sobre isso?”. A irmã Xin me disse: “Esse tempo todo admiramos você. Achamos que você entende a verdade e consegue resolver problemas, por isso confiamos em você em tudo. Esse nosso estado está errado”. Então a irmã Li disse: “É verdade. Desde que trabalhamos com você, você raramente fala da sua corrupção. Só fala da sua entrada positiva. Mas num momento como este, em que temos tantos problemas e dificuldades no trabalho, nós duas estamos num estado negativo, mas você não demonstrou fraqueza. Você está se disfarçando?”. Quando ela disse isso, fiquei triste. Tudo isso era o resultado de eu me disfarçar? Mas eu ainda estava muito confusa e pensei: “Eu sou a líder do grupo. Se eu me abrir e disser que me sinto fraca, isso não seria espalhar negatividade? Como numa guerra, se os generais caem, os soldados não são derrotados mais rapidamente?”. Mas então pensei que, já que as minhas parceiras me admiravam e eu as tinha trazido para diante de mim, devia haver um problema com a senda que eu tinha seguido. Eu sabia que devia refletir sobre mim mesma. Nesse momento, eu soube também que vários outros estavam num estado negativo e queriam desistir, o que estava afetando seriamente o trabalho. Confrontada com esses problemas, eu me senti muito negativa. Eu não conseguia resolver nenhum problema prático na época. Eu não conseguia suportar uma comissão tão importante. Se continuasse assim, eu só impediria o trabalho da casa de Deus. No fim, não aguentei mais e pedi dispensa aos meus líderes.

Depois da dispensa, comecei a refletir sobre mim mesma: “Por que não consigo me abrir e comungar meus problemas e dificuldades? Por que sempre me disfarço? Por que não consigo ser honesta?”. Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus e ganhei um pouco de autoconhecimento. Deus diz: “Vocês sabem quem é realmente um fariseu? Existem fariseus ao seu redor? Por que essas pessoas são chamadas de ‘fariseus’? Como um fariseu é descrito? São pessoas que são hipócritas, completamente falsas e encenam tudo que fazem. Que tipo de encenação elas fazem? Elas fingem ser boas, gentis e positivas. É isso que essas pessoas são de fato? De forma alguma. Dado que são hipócritas, tudo que é manifestado e revelado nelas é falso; é tudo fingimento — não é a sua face verdadeira. Onde se esconde seu rosto verdadeiro? Ele se esconde no fundo do seu coração para jamais ser visto por outros. Tudo o que está do lado de fora é uma encenação, é tudo falso, mas só podem enganar pessoas; não podem enganar a Deus. Se as pessoas não buscam a verdade, se elas não praticam nem experimentam as palavras de Deus, então não podem realmente compreender a verdade e, assim, independentemente de quão agradáveis soem suas palavras, essas palavras não são a realidade de verdade, mas palavras de doutrina. Algumas pessoas só se concentram em papaguear palavras de doutrina, imitam qualquer um que pregue os sermões mais elevados, com o resultado de que, em apenas poucos anos, seu recital de doutrinas fica ainda mais elevado, e elas são veneradas e admiradas por muitas pessoas; depois disso, começam a se camuflar e a dar muita atenção ao que dizem e fazem, mostrando-se especialmente piedosas e espirituais. Elas usam essas assim chamadas teorias espirituais para se camuflar. So falam sobre isso onde quer que vão, coisas ilusórias que se encaixam nas noções das pessoas, mas que não têm nenhuma realidade da verdade. E por meio da pregação dessas coisas — coisas que estão alinhadas com as noções e os gostos das pessoas — elas enganam muita gente. Para os outros, essas pessoas parecem muito devotas e humildes, mas, na verdade, isso é falso; elas parecem tolerantes, pacientes e amorosas, mas, na verdade, é fingimento; elas dizem que amam a Deus, mas, na verdade, é uma encenação. Outros acham que essas pessoas são santas, mas, na verdade, são falsas. Onde pode ser encontrada uma pessoa verdadeiramente santa? A santidade humana é toda falsa. Tudo é fingimento, falsa aparência. Por fora, elas parecem leais a Deus, mas na verdade estão só representando para os outros verem. Quando ninguém está olhando, elas não são nem um pouco leais e tudo o que fazem é superficial. Aparentemente, elas se despendem por Deus e abriram mão da família e da carreira. Mas o que estão fazendo em segredo? Estão desenvolvendo sua própria empresa e administrando sua própria operação na igreja, lucrando da igreja e roubando ofertas secretamente sob o disfarce de trabalhar para Deus… Essas pessoas são os fariseus hipócritas modernos” (As declarações de Cristo dos últimos dias). As palavras de Deus revelam claramente a essência dos fariseus. Os fariseus se disfarçavam e enganavam os outros em tudo que faziam. Eles usavam boas obras externas para enganar as pessoas e conquistar sua estima alta. Eu vi que eu tinha me comportado como os fariseus. Desde o momento em que começara a supervisionar o trabalho de rega, quando vi que o trabalho do grupo estava progredindo e era mais eficiente e que os líderes e as minhas parceiras me admiravam, eu achei que entendia as realidades da verdade melhor do que os outros e, inconscientemente, comecei a me achar. Achava que, como supervisora, eu devia ser mais forte e não podia ser negativa, e que devia ser um exemplo para os meus irmãos, por isso me disfarçava e encobria em tudo que fazia. Quando a irmã Li encontrou dificuldades e me pediu soluções, eu fingi entender, mas não entendia, e me forcei a responder com palavras de doutrina pra que as minhas irmãs acreditassem que eu entendia a verdade e possuía suas realidades. Quando tinha dificuldades e não as conseguia resolver, eu ficava deprimida, mas temia que os meus irmãos vissem a minha fraqueza, por isso fingia ser forte, o que fez com que as minhas parceiras me admirassem e as levou a achar que eu tinha uma estatura maior e conseguia resolver qualquer problema. A fim de estabelecer uma boa imagem e um status alto na frente dos meus irmãos, eu nunca mencionava a minha corrupção, suportava tudo, por mais difícil que fosse. Eu fingia e me disfarçava e usava doutrina para confundir e enganar os outros. Assim, não só eu não conseguia resolver meus problemas e dificuldades como também impedia o trabalho da casa de Deus. Eu estava prejudicando os outros e a mim mesma! Eu estava trilhando a senda dos fariseus hipócritas. Foi só aí que eu entendi o que Deus disse: “Ser uma pessoa comum tem significado; você pode viver livre de ansiedade e ter alegria e paz de espírito. Essa é a senda certa na vida. Se você sempre quer ser alguém que se sobressai, alguém que está acima da média, você está se jogando aos lobos, se expõe a um processo destrutivo e torna sua vida difícil” (‘Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus são tão reais. Sempre querer ser admirado pelos outros e ser superior só faz com que Satanás brinque com você e você viva em dor. Devemos renunciar a status e fama, buscar ser uma pessoa honesta e comum com os pés no chão pra que possamos nos comportar com liberdade e libertação e sentir paz e segurança.

Por meio da reflexão, eu percebi também que o meu ponto de vista estava errado. Eu achava que me abrir sobre as minhas fraquezas e dificuldades era espalhar negatividade, por isso não ousava me abrir. Na verdade, eu não entendia o que significa se abrir e o que significa espalhar negatividade. Meus conceitos estavam confusos. Mais tarde, busquei partes relevantes da palavra de Deus pra comer e beber. As palavras de Deus dizem: “Primeiro vejamos como deve ser entendida e identificada a negatividade exalante, como deve ser distinguida a negatividade das pessoas, que comentários e manifestações nelas exalam negatividade. Acima de tudo, a negatividade que as pessoas exalam não é positiva, é algo adverso que contradiz a verdade, é algo produzido a partir de seu caráter corrupto. Ter um caráter corrupto resulta em dificuldades em praticar a verdade e obedecer a Deus — e devido a essas dificuldades, os pensamentos negativos e outras coisas negativas são revelados nas pessoas. Essas coisas são produzidas no contexto de elas tentarem praticar a verdade; são pensamentos e pontos de vista que afetam e impedem as pessoas quando estas tentam praticar a verdade, e são coisas totalmente negativas. Não importa quão alinhados eles sejam às noções do homem, e quão sensatos esses pensamentos negativos soem, eles não provêm do entendimento das palavras de Deus, muito menos são o experimentar e o conhecer das palavras de Deus. Em vez disso, são produzidos pela mente humana, e não estão nem um pouco de acordo com a verdade — e por isso são coisas negativas, coisas adversas. A intenção das pessoas que exalam negatividade é encontrar muitas razões objetivas para a sua incapacidade de praticar a verdade, a fim de ganhar a simpatia e a compreensão de outras pessoas. Em graus variados, esse comportamento influencia e ataca a iniciativa das pessoas de praticar a verdade, e pode até impedir muitas pessoas de praticar a verdade. Essas consequências e esses impactos adversos tornam essas coisas negativas ainda mais merecedoras de serem definidas como adversas, resistentes a Deus e totalmente hostis à verdade. Algumas pessoas são cegas para a essência da negatividade e pensam que a negatividade frequente é normal, que ela não exerce um efeito grande sobre a sua busca da verdade. Isso está errado; na verdade, o efeito é muito grande, e se a negatividade se torna insuportável, ela pode facilmente se tornar traição. Essa consequência terrível é causada por nada além da negatividade. Como, então, a libertação da negatividade deve ser identificada e compreendida? Em termos simples, exalar a negatividade é enganar as pessoas e impedi-las de praticar a verdade; é o uso de táticas suaves, de métodos aparentemente normais, para enganar as pessoas e fazê-las tropeçar. Isso é prejudicial para elas? Na verdade, é profundamente prejudicial para elas. E portanto, exalar negatividade é algo adverso, é condenado por Deus; essa é a interpretação mais simples de exalar negatividade. […] A negatividade não contém a rebeldia, a insatisfação, as queixas e o ressentimento das pessoas? Há também coisas muito sérias, tais como oposição, resistência e até retrucar. Os comentários que contêm esses elementos podem ser definidos como algo que exala negatividade” (Identificando falsos líderes). “‘Compartilhar e comunicar experiências’ significa comungar suas experiências e o conhecimento das palavras de Deus, dar voz a cada pensamento em seu coração, a seu estado de ser, e ao caráter corrupto que se revela em você e permitir que os outros os discernem, e então resolver o problema por meio da comunhão da verdade. Somente quando as experiências são comungadas dessa forma todos se beneficiam e ganham muito; só isso é vida de igreja verdadeira” (‘A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Depois de ler as palavras de Deus, eu entendi. Espalhar negatividade significa expressar, com seus motivos e seus caracteres corruptos, insatisfação com o trabalho da casa de Deus e equívocos e queixas sobre Deus, pra que os outros desenvolvam noções sobre Deus ou nem queiram seguir a Deus e cumprir seus deveres. Por exemplo, se alguém é podado e tratado, ele pode discutir e se queixar pra que os outros desenvolvam noções e equívocos sobre Deus. Isso é espalhar negatividade. Mas abrir-se é ser uma pessoa honesta. Não é só comungar sua experiência de praticar a verdade. Você também deve se abrir sobre corrupção, dificuldades, deficiências e a adulteração e as intenções erradas no seu dever, pra que todos possam ver, pra que todos possam discerni-las e analisá-las. O propósito de se abrir é buscar a verdade pra resolver seus problemas e dificuldades e pra resolver seus caracteres corruptos. Isso é um tipo de prática positiva. Quando entendi esse aspecto da verdade, eu me abri sobre a minha corrupção e as minhas deficiências no meu dever e busquei a verdade com meus irmãos para resolvê-las. Aos poucos, meu estado mudou, e eu passei a ser mais eficiente no meu dever. Mais tarde, meus líderes viram que eu tinha arrependimento e autoconhecimento, então perguntaram se eu podia continuar meu trabalho como supervisora de rega para os recém-convertidos. Fiquei comovida. Eu não achava que teria chance de continuar nesse dever. Agradeci a graça de Deus e me dispus a cumprir minhas responsabilidades. Depois disso, fiquei cada vez mais confiante em relação a ser uma pessoa honesta e achei que não era tão difícil me abrir. Depois de um tempo, a irmã Xin me disse: “Sinto que você mudou um pouco agora. É ótimo que você sempre pratica a verdade, se abrindo assim”. Fiquei muito feliz quando ela disse isso e achei que finalmente tinha conseguido mudar. Mas os bons tempos sempre acabam. Não demorou, e o meu problema voltou com tudo.

No fim de uma reunião, perguntei se alguém tinha alguma dúvida. Uma irmã disse que, recentemente, ela tinha problemas no dever e não sabia o que fazer, por isso queria a minha ajuda. Na hora, não encontrei uma resposta boa, então perguntei a todos o que achavam. Um irmão ofereceu uma solução, e todos concordaram, e eu também entendi. Contente, a irmã disse: “A sua solução é ótima. Por que não pensei nisso?”. Eu quis responder: “Eu também não pensei nessa solução”. Mas então pensei: “Eu sou a supervisora. Se eu disser isso, o que as pessoas pensarão de mim? Dirão que não sou tão boa quanto os meus irmãos em resolver problemas?”. Então, roubei o mérito pela solução que o meu irmão ofereceu e acrescentei meus conselhos detalhados. Depois da minha comunhão, a irmã disse: “Agora eu tenho uma senda”. Depois de ouvir isso, me senti um pouco culpada e pensei: “Eu não estou enganando as pessoas? Por que estou me disfarçando de novo?”. Mais tarde, refleti sobre mim mesma e comi e bebi algumas das palavras de Deus relacionadas ao meu estado. As palavras de Deus dizem: “Que caráter é esse quando as pessoas sempre exibem uma fachada, sempre se camuflam, sempre fingem para que os outros as admirem e não consigam ver suas falhas ou deficiências, quando sempre tentam apresentar seu melhor lado às pessoas? Isso é arrogância, falsidade, hipocrisia, é o caráter de Satanás, é algo maligno. Veja os membros do regime satânico: não importa o quanto lutem, briguem e matem nos bastidores, ninguém tem permissão para denunciar nem expor isso. Eles temem que as pessoas vejam seu rosto demoníaco, e eles fazem tudo que podem para o encobrir. Em público, fazem o máximo que podem para encobrir quem são, dizendo quanto amam as pessoas, quão maravilhosos, gloriosos e corretos eles são. Essa é a natureza de Satanás. O traço saliente da natureza de Satanás é a artimanha e a enganação. E qual é o objetivo desses artifícios e enganação? Ludibriar as pessoas, impedi-las de ver sua essência e como realmente são, e assim alcançar o objetivo de prolongar seu governo. […] Satanás usa métodos de todos os tipos para enganar as pessoas, iludi-las e fazê-las de bobas, dando-lhes uma imagem falsa. Ele até usa intimidação e ameaças para fazer com que as pessoas sintam reverência e medo, com o objetivo último de fazê-las se submeterem a Satanás e adorá-lo. Isso é o que agrada a Satanás; esse é também o objetivo ao competir com Deus para conquistar as pessoas. Portanto, quando vocês lutam por status e reputação entre outras pessoas, vocês estão lutando para quê? É realmente por renome? Não. Na verdade, vocês estão lutando pelas vantagens que o renome lhes traz” (‘Os princípios que devem guiar a conduta da pessoa’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). “Pessoas que nunca se abrem, que sempre escondem as coisas, que sempre fingem ser honestas, que sempre estão tentando fazer com que os outros as tenham em alta estima, que não permitem que outros obtenham uma noção total delas e fazem com que os outros as admirem — essas pessoas não são estúpidas? Essas pessoas são extremamente estúpidas! Isso é porque a verdade sobre uma pessoa virá à luz mais cedo ou mais tarde. Que senda elas trilham em sua conduta? A senda dos fariseus. Os hipócritas estão em perigo ou não? Eles são as pessoas que Deus mais odeia, então você imagina que eles não estão em perigo? Todos aqueles que são fariseus trilham a estrada para a perdição!” (‘Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Depois de ponderar a palavra de Deus, eu entendi que a causa principal do disfarce é o desejo de se estabelecer e conquistar a admiração dos outros e dominar as pessoas, controlá-las e estabilizar a sua posição. Isso é governado por caracteres arrogantes e malignos, e é trilhar a senda de resistir a Deus. Quanto ao problema da minha irmã, eu não soube resolvê-lo, mas temia que os meus irmãos me menosprezariam se soubessem disso, então me disfarcei, acrescentei minhas ideias ao conhecimento do outro e o vendi como meu. Queria mostrar a todos que eu era perceptiva, entendia a verdade, possuía suas realidades. Eu usava enganação pra conquistar a estima de todos, na ilusão de que eles me admirariam e confiariam em mim. Eu estava trilhando a senda dos fariseus. Os fariseus eram enganadores hipócritas e foram condenados e amaldiçoados por Deus. O caráter justo de Deus não tolera ofensa, então, se eu não me arrependesse, eu sabia que também seria amaldiçoada e punida por Deus. Quando vi a seriedade do problema, fiquei meio assustada, então orei a Deus pra dizer que queria me arrepender.

Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus que me mostrou como lidar corretamente com a promoção a líder ou obreiro. As palavras de Deus dizem: “Algumas pessoas são promovidas e nutridas pela igreja e isso é algo bom, é uma boa chance de ser treinado. Pode-se dizer que elas foram elevadas e agraciadas por Deus. Como, então, elas deveriam cumprir seu dever? O primeiro princípio que deveriam seguir é entender a verdade. Quando não entendem a verdade, elas devem buscar a verdade, e se elas ainda não entenderem depois de buscarem, elas podem encontrar alguém que entenda a verdade para comungar e com quem buscar, o que tornará a resolução do problema mais rápida e oportuna. Se você se concentrar apenas em passar mais tempo lendo as palavras de Deus sozinho e em passar mais tempo ponderando essas palavras, a fim de alcançar entendimento da verdade e resolver o problema, isso é lento demais; como diz o ditado, ‘a água distante não saciará uma sede urgente’. Se, quando se trata da verdade, você deseja progredir rapidamente, então deve aprender a trabalhar em harmonia com os outros, a fazer mais perguntas e a fazer mais busca. Só então a sua vida crescerá rapidamente e você será capaz de resolver os problemas em tempo oportuno, sem qualquer atraso em qualquer dos dois. Visto que você acabou de ser promovido e ainda está em período de teste, e não compreende realmente a verdade nem possui a realidade da verdade — porque ainda lhe falta essa estatura — não pensa que a sua promoção significa que você possui a realidade da verdade; não é o caso. É apenas porque você tem um senso de fardo em relação ao trabalho e possui o calibre de um líder que você é selecionado para a promoção e nutrição. Você deveria ter esse senso. Se, depois de ser promovido e aproveitado, você ocupa a posição de líder ou obreiro e acredita que tem a realidade da verdade e que é alguém que busca a verdade — e se, independentemente dos problemas que os irmãos e irmãs têm, você finge que entende e que é espiritual — então essa é uma maneira estúpida de ser, e é aos fariseus hipócritas. Você deve falar e agir verdadeiramente. Quando não entende, você pode perguntar aos outros ou buscar respostas e comunhão com o alto — não há nada de vergonhoso em nada disso. Mesmo que não pergunte, o alto conhecerá a sua estatura verdadeira e saberá que a realidade da verdade está ausente em você. Buscar e comungar é o que você deveria estar fazendo; esse é o senso que deveria ser encontrado na humanidade normal e é o princípio que deveria ser seguido por líderes e obreiros. Não é algo do qual você deve se envergonhar. Se você acha que, uma vez que você se torna líder, é vergonhoso sempre estar fazendo perguntas a outras pessoas ou ao Alto ou não entender os princípios, e se você passar a fingir como resultado, fazendo de conta que você entende, que você sabe, que você é capaz de trabalhar, que você consegue fazer qualquer trabalho de igreja e não precisa de ninguém para lembrá-lo ou para comungar com você, nem de ninguém para prover para você e apoiá-lo, então isso é perigoso e é arrogante e hipócrita demais, é desprovido demais de senso. Você nem conhece a sua medida — isso não faz de você um idiota? Tais pessoas não cumprem os critérios para serem promovidas e nutridas pela casa de Deus, e, mais cedo ou mais tarde, elas serão substituídas ou expulsas” (Identificando falsos líderes). Depois de ler as palavras de Deus, eu entendi. Deus não quer que eu seja um mestre ou um sabichão. Deus quer que eu tenha a intenção correta no meu dever, cumpra o meu dever com todo o coração e com toda a mente, e, apesar das deficiências que eu tenho, que eu busque e comungue mais com os irmãos e coopere em harmonia. É assim que se age com razão. Mas eu era arrogante e ignorante e eu sempre achava que, como supervisora, eu devia estar acima dos meus irmãos e devia ser capaz de resolver todos os problemas. Como resultado, eu fingia e me disfarçava sempre e fazia de conta que entendia as coisas. Eu me desgastava e impedia o trabalho da casa de Deus. Eu era tão descarada, e as minhas opiniões eram ridículas e absurdas! Minha promoção a supervisora era só uma chance que Deus me deu pra praticar e ser cultivada. Não aconteceu porque eu entendia a verdade mais do que os outros, e não era um meio pra provar que o meu status, minha identidade eram mais altos do que os dos outros. Eu era igual aos meus irmãos, havia muita verdade que eu não entendia e havia muitos problemas que eu não enxergava nem resolvia. Eu só tinha um pouco de percepção em certas questões, e até isso era esclarecimento de Deus; não significava que eu possuía realidade. Mas eu não conhecia os meus limites. A fim de manter status e reputação, eu só tentava fingir e me disfarçar. Eu não só não entendia a verdade nem entrava nas suas realidades, como eu estava ficando cada vez mais maligna, astuta e arrogante. Eu era tão tola! Quando percebi isso, jurei a mim mesma que não me disfarçaria nem me enganaria mais. Quero praticar ser uma pessoa honesta e cumprir bem o meu dever e as minhas responsabilidades.

Alguns dias depois, quando estávamos discutindo o trabalho, a irmã Xin disse que viu um recém-convertido que estava progredindo rapidamente. Eu logo disse: “Eu rego esse recém-convertido”. Quando terminei, percebi: “Eu não estou me exibindo? Devo me abrir e me expor”. Mas então pensei: “Isso seria vergonhoso. A irmã Xin não vai pensar que eu sou insensata e que eu me exibo sempre que faço algo bom porque temo que os outros não ficarão sabendo?”. Eu percebi que eu estava prestes a me disfarçar de novo, então orei a Deus e pedi que Ele me guiasse pra renunciar a mim mesma. Então juntei coragem pra me abrir e expor que o propósito das minhas palavras era me exaltar e revelar. A irmã Xin disse: “Nós reparamos, quando você falou. Se você consegue se abrir sobre si mesma, você está praticando ser uma pessoa honesta”. Fiquei envergonhada quando ela disse isso, mas também achei que, se eu não me disfarçasse ou enganasse, e se eu sempre me abrisse assim, eu teria um senso de segurança e libertação.

Depois de experimentar tudo isso, eu vi um fato claramente. No passado, eu nunca queria expor a minha corrupção, sempre queria me disfarçar, achando que, se os outros não vissem, eu poderia manter a minha imagem. Na verdade, isso era autoenganação, e era uma tolice. Deus vê tudo. Não importa como eu finja, Deus vê as coisas, e, mais cedo ou mais tarde, eu serei revelada. Além disso, os irmãos estão entendendo a verdade aos poucos após ouvirem as palavras de Deus. Eles são cada vez mais capazes de discernir diferentes tipos de pessoas e podem ver de forma cada vez mais clara as manifestações dos diferentes caracteres satânicos, então, por mais que eu me disfarça, aqueles que entendem a verdade me discernirão imediatamente. Agora eu estou mais convencida do que nunca de que só aqueles que buscam a verdade e que são pessoas puras e honestas, com os pés no chão, são pessoas sábias das quais Deus e as outras pessoas gostam, e só essa é a senda da luz que Deus apontou para nós.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Liberta do jugo do status

Por Vladhia, França No ano passado, nossa líder de igreja, a irmã Laura, foi substituída por não fazer nenhum trabalho prático. Depois de...

Libertada dos grilhões do lar

Por Cheng Shi, China Pouco tempo após aceitar a obra de Deus nos últimos dias, preguei o evangelho ao meu marido. Fiquei surpresa quando,...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp