Divulgar o Evangelho é meu dever inabalável

19 de Junho de 2024

Por Li Hui, China

Cresci na zona rural com oito irmãos e irmãs. A saúde de minha mãe era precária e ela não podia trabalhar, enquanto meu pai não cuidava da casa nem ganhava dinheiro. Nós só conseguíamos viver do trabalho na fazenda. Todos ao nosso redor riam de minha mãe e de meu pai por não terem habilidades, e até nossos parentes nos desprezavam e se recusavam a ter algo a ver conosco. Com o passar do tempo, senti que, por estar vivendo nessa família, meu status social era baixo e eu era uma pessoa de classe baixa. Mesmo quando saía, normalmente não me atrevia a trocar palavras com outras pessoas. Depois que me casei, meu marido era um trabalhador comum — todos os seus colegas eram mais promissores do que ele e sempre que nos viam, ficavam de nariz empinado; às vezes, falavam com sarcasmo ou até nos repreendiam. Era muito difícil para mim, e eu não me valorizava. Isto é, até eu começar a acreditar em Deus e ler Suas palavras — foi quando reconheci meus pontos de vista errados e meu coração encontrou alívio.

Em 2021, comecei a espalhar o evangelho. Então, conheci alguns receptores podenciais do evangelho que eram chefes ou membros do quadro de trabalho: todos eles eram pessoas com algum status e posição. Eu me senti constrangida, achei que as condições da minha família eram ruins, que eu não tinha conhecimento nem status e que eu não estava à altura de lidar com essas pessoas com status e posição elevados. Mas percebi que esse era meu dever, que eu não podia adiá-lo, então orei a Deus dizendo que estava disposta a fazê-lo.

Certa vez, eu estava me preparando para espalhar o evangelho a uma chefe. Quando ela descobriu que eu era trabalhadora, ela se recusou terminantemente, dizendo: “Não deixem que ela venha aqui — eu só conheço pessoas com status e prestígio”. Quando ouvi essas palavras, reagi muito mal e pensei: “Meu status e minha posição são baixos; não sou digna nem mesmo de me encontrar com um receptor potencial do evangelho. Como posso espalhar o evangelho? Se eu tivesse algum status e posição, e se minha origem familiar fosse um pouco melhor, talvez as outras pessoas não me desprezassem dessa maneira”. Quando pensei nisso, eu não estava muito disposta a divulgar o evangelho para ela. Eu queria voltar para o lugar em que eu morava. Muitas pessoas de lá eram trabalhadores de fora, e seu status e posição eram praticamente iguais aos meus — eles não me desprezariam. Eu disse ao líder que era difícil pregar o evangelho aqui, que as pessoas aqui tinham dinheiro e influência, mas eu era apenas uma trabalhadora de fora, por isso era difícil fazer contato com eles, além disso, a pandemia era grave e não havia como eu cooperar. O líder concordou. Depois que voltei, não fiz nenhuma autorreflexão, assim o assunto ficou sem solução.

No verão de 2022, alguém que havia sido removido me forneceu um receptor potencial do evangelho de uma denominação religiosa. Quando me encontrei com a pessoa que havia sido removida, ela achou que eu não era refinada e que minhas roupas eram simples, então me perguntou: “Você consegue espalhar o evangelho? Você entende a Bíblia?”. Naquela época, eu ainda não entendia o significado do que ela disse, então respondi com sinceridade: “Já espalhei o evangelho a pessoas religiosas e entendo um pouco a Bíblia”. Ela continuou: “Não é que eu a despreze; o receptor potencial do evangelho a despreza — suas condições familiares são boas e seu status e posição são elevados!”. Naquela época, fiquei mal e pensei: “Estou bem vestida e de forma adequada; só que não estou usando roupas luxuosas, por isso ela me despreza. Se ela fosse a receptora potencial do evangelho, ela definitivamente me desprezaria. Meu status e posição não são compatíveis, e será difícil espalhar o evangelho!”. Eu achava que, se tivesse uma boa origem, se meu status e posição fossem um pouco mais altos, se eu tivesse dinheiro e influência, então espalhar o evangelho não seria necessariamente tão difícil. Eu estava muito deprimida, então orei e busquei a Deus, pedindo que Ele me guiasse para que eu pudesse aprender uma lição. Enquanto buscava, li uma passagem das palavras de Deus: “Ao espalhar o evangelho, com frequência, você se deparará com ridicularização, zombaria, desdém e calúnia desse tipo ou pode até se encontrar em situações perigosas. Alguns irmãos, por exemplo, são denunciados ou sequestrados por pessoas malignas, outros são delatados à polícia e entregues ao governo. Alguns podem ser presos e jogados na prisão, e outros podem até ser espancados até a morte. Tudo isso são coisas que acontecem. Mas agora que sabemos dessas coisas, deveríamos mudar nossa atitude em relação ao trabalho de espalhar o evangelho? (Não.) Espalhar o evangelho é responsabilidade e obrigação de todos. A qualquer tempo, independentemente do que ouvimos ou do que vemos, ou do tipo de tratamento que encontramos, devemos sempre defender essa responsabilidade de propagar o evangelho. Em circunstância alguma podemos desistir desse dever por causa de negatividade ou fraqueza. O dever de propagar o evangelho não é navegação em águas calmas, mas está repleto de perigo. Quando propagarem o evangelho, vocês não enfrentarão anjos, alienígenas ou robôs. Vocês enfrentarão somente humanidade maligna e corrupta, demônios vivos, bestas — eles todos são humanos que estão sobrevivendo neste espaço maligno, neste mundo maligno, que foram profundamente corrompidos por Satanás, e resistem a Deus. Portanto, no processo de propagar o evangelho, há certamente todo tipo de perigo, sem falar de difamação mesquinha, escárnio e equívocos, que são ocorrências normais. Se realmente considerar a propagação do evangelho uma responsabilidade, uma obrigação e seu dever, então você será capaz de ver essas coisas corretamente e até lidar com elas corretamente. Você não desistirá de sua responsabilidade e obrigação, nem se desviará de sua intenção original de propagar o evangelho e testificar para Deus por causa dessas coisas, e nunca deixará essa responsabilidade de lado, pois esse é seu dever. Como esse dever deve ser entendido? São o valor e a obrigação principal da vida humana. Espalhar as boas novas da obra de Deus nos últimos dias e o evangelho da obra de Deus é o valor da vida humana(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Divulgar o evangelho é o dever a que todos os crentes estão moralmente obrigados”). As palavras de Deus nos dizem que, durante a divulgação do evangelho, é normal sermos zombados, ridicularizados, desedenhados e humilhados, porque todos aqueles que enfrentamos ao espalhar o evangelho são humanos corrompidos por Satanás. Mas, independentemente das circunstâncias ou dificuldades que encontrarmos, devemos manter essa responsabilidade de espalhar o evangelho. Naquela época, quando descobri que a receptora potencial do evangelho não queria me ver, senti que, como meu status e posição não estavam à altura dela e ela iria me desprezaria e me envergonharia, seria melhor que eu não pregasse o evangelho a ela, para evitar a humilhação. Hoje foi a mesma coisa. Minhas roupas eram comuns, e eu não tinha nenhum status nem posição; as outras pessoas me olhavam com desprezo, e senti que, se eu pregasse o evangelho à receptora potencial do evangelho, ela me desprezaria e me envergonharia. Então comecei a recuar, temendo que minha honra e meu orgulho fossem afetados negativamente — culpei minha origem pobre. Não notei que isso era vaidade, que meu desejo de ter reputação e status era o que estava causando problemas. Pensei nos irmãos que haviam sido presos e torturados pelo regime satânico por pregar o evangelho. Eles passaram por muitas dificuldades, e alguns quase perderam a vida, mas conseguiram confiar em Deus e permanecer firmes em seu testemunho. Quando foram libertados da prisão, continuaram a espalhar o evangelho e a dar testemunho de Deus. Comparadas a eles, minhas adversidades não eram nada. Perdi a vontade de espalhar o evangelho depois de perder apenas um pouco de minha honra. Descobri que não estava cumprindo meu dever com sinceridade — não tinha nenhum testemunho. Deus expressou milhões de palavras durante Sua obra nos últimos dias a fim de salvar aqueles que sinceramente acreditam Nele e buscam Sua aparição. Como um ser criado, eu deveria levar em consideração a intenção de Deus, espalhar o evangelho e dar testemunho de Deus, permitindo que as pessoas ouçam a voz de Deus e vejam Sua aparição. Essa é a coisa mais justa, e é minha missão e responsabilidade. Embora possamos sofrer algumas adversidades e ser envergonhados durante esse período, tudo isso é valioso e significativo. Agora que entendia a intenção de Deus, eu não estava mais disposta a fugir ou recuar. Não importava o quanto a receptora potencial do evangelho me desprezasse ou me envergonhasse, eu deveria deixar de lado minha reputação e cumprir o dever. Ao mesmo tempo, também percebi que, depois que a humanidade foi corrompida por Satanás, as pessoas só olham para a aparência externa de uma pessoa, se ela tem status e posição: se tiver, elas a admiram e a respeitam, mas se não tiver status e posição nem dinheiro e influência, ela será menosprezada. Tudo isso é causado pela corrupção da humanidade por Satanás. A pessoa que havia sido removida e a receptora potencial do evangelho me desprezavam por causa de meu status e posição — isso era normal. Quando percebi isso, meu estado mudou um pouco. Mais tarde, entrei em contato mais uma vez com a pessoa que havia sido removida, e ela estava disposta a cooperar. Entrei em contato com ela e descobri que o entendimento dela era absurdo e que se apegava principalmente às próprias noções e imaginações. Tivemos que desistir. Mas ganhei algum conhecimento sobre mim mesma por meio dessas circunstâncias — esse é o amor de Deus.

Depois disso, li uma passagem das palavras de Deus e ganhei algum conhecimento sobre meu estado. Deus Todo-Poderoso diz: “Não importa quais sejam seu status e sua identidade, tudo é preordenado por Deus. Não importa que tipo de família ou origem familiar Deus preordenou para você, a identidade que você herdou dela não é vergonhosa nem honrosa. O princípio para como você trata sua identidade não deveria se basear no princípio de honra e vergonha. Não importa em que tipo de família Deus coloque você, não importa que tipo de família Ele permita ser sua origem, você só tem uma identidade diante de Deus, e essa é a identidade de um ser criado. Diante de Deus, você é um ser criado, portanto, aos olhos de Deus, você é igual a qualquer um na sociedade que tem identidade e status social diferentes. Todos vocês são membros da humanidade corrupta, e todos vocês são pessoas que Deus quer salvar. E, é claro, diante de Deus, todos vocês têm a mesma oportunidade de desempenhar seus deveres como seres criados, e todos vocês têm a mesma oportunidade de buscar a verdade e alcançar a salvação. Nesse nível, com base na identidade de um ser criado que Deus lhe deu, você não deveria ter sua identidade em alta estima, nem deveria menosprezá-la. Ao contrário, você deveria tratar corretamente sua identidade que vem de Deus — que é a de um ser criado, e ser capaz de conviver harmoniosamente com todos em pé de igualdade e de acordo com os princípios que Deus ensina às pessoas e com os quais Ele as admoesta. Não importa qual seja o status ou a identidade social das outras pessoas, e não importa qual seja seu status ou sua identidade social, qualquer um que vem para a casa de Deus e vem para diante de Deus só tem uma identidade, que é a de um ser criado. Portanto, aqueles com status e identidade sociais baixos não deveriam sentir-se inferiores. Não importa se você tem talento ou não, não importa quão alto é seu calibre, não importa se você tem habilidade ou não, você deveria largar seu status social. Você também deveria largar as ideias ou opiniões sobre classificar e avaliar as pessoas como eminentes ou humildes com base em sua origem familiar e seu histórico familiar. Você não deveria se sentir inferior por causa de seu status e de sua identidade sociais baixos. Você deveria se alegrar com o fato de que, embora sua origem familiar não seja tão poderosa e espetacular, e o status que você herdou seja baixo, Deus não o abandonou. Deus levanta pessoas humildes da poeira e do esterco e dá a você uma identidade igual à de outras pessoas, a de um ser criado. Na casa de Deus e diante de Deus, seu status e sua identidade são iguais aos de todas as outras pessoas que foram escolhidas por Deus. Quando perceber isso, você deveria largar seu complexo de inferioridade e parar de se agarrar a ele(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (13)”). Depois de ler as palavras de Deus, fiquei bastante emocionada. No passado, eu achava que as pessoas com status social e boas condições familiares tinham uma posição nobre, que pertenciam a uma classe superior de pessoas e que aqueles sem status e posição eram inferiores e de classe baixa. Essa opinião não estava de acordo com a verdade. Desde que eu era jovem, as condições de minha família haviam sido ruins. Eu não tive uma boa educação nem aprendi nenhuma habilidade e fui menosprezada pelos outros durante toda a minha infância e até a idade adulta. Depois que me casei, meu marido também era pobre e não tinha status social, sentia que meu status e posição eram muito baixos e me sentia especialmente inferior. E particularmente invejava e reverenciava aqueles que tinham status e posição social. Depois que comecei a acreditar em Deus, como eu era uma trabalhadora, a receptora potencial do evangelho não me deixou pregar o evangelho para ela, por isso, me senti ainda mais constrangida. Eu acreditava que minha origem era pobre, meu status era baixo e eu só seria envergonhada pelos outros, e que seria difícil espalhar o evangelho, por isso desejei fugir e recuar. Na verdade, aos olhos de Deus, cada pessoa é um ser criado, todos têm o mesmo status e posição, e não existe distinção entre alto e baixo. Os seres humanos se colocam em classes diferentes com base na origem familiar e no status social, mas Deus trata todos de forma justa. As pessoas só precisam aceitar a verdade para que Deus as salve. Sou um ser criado, portanto, devo cumprir meu dever e não ser limitada por status e posição.

Depois disso, um irmão me mostrou uma passagem das palavras de Deus, e ela me tocou bastante. Deus Todo-Poderoso diz: “Reflita sobre isto — como você deve abordar o valor, o status social e a origem familiar do homem? Qual é a atitude correta que você deve ter? Em primeiro lugar, você precisa ver nas palavras de Deus a forma como Ele aborda esse assunto; somente assim você entenderá a verdade e não fará nada que vá contra a verdade. Então, como Deus vê a origem familiar de alguém, seu status social, sua educação futura e a riqueza que ele possui na sociedade? Se você não vê as coisas com base nas palavras de Deus e não consegue ficar do lado de Deus nem aceitar as coisas de Deus, então a maneira como você vê as coisas certamente será muito diferente daquilo que Deus pretende. Se não houver muita diferença, se houver apenas uma pequena discrepância, então isso não é um problema; se a maneira como você vê as coisas for completamente contrária ao que Deus pretende, então ela está em desacordo com a verdade. No que diz respeito a Deus, o que Ele dá às pessoas e o quanto Ele dá depende Dele, e o status que as pessoas têm na sociedade também é ordenado por Deus e de forma alguma é planejado pelas próprias pessoas. Se Deus faz com que alguém sofra dor e pobreza, isso significa que essa pessoa não tem esperança de ser salva? Se seu valor for baixo e tiver uma posição social baixa, Deus não a salvará? Se ela tiver um status baixo na sociedade, ela terá um status baixo aos olhos de Deus? Não necessariamente. Do que isso depende? Depende da senda que essa pessoa trilha, do que ela busca e de sua atitude em relação à verdade e a Deus. Se o status social de uma pessoa é muito baixo, sua família é muito pobre e ela tem um baixo nível de instrução, mas ela acredita em Deus de maneira prática e ama a verdade e as coisas positivas, então, aos olhos de Deus, ela tem um valor alto ou baixo, é valiosa ou inútil? Ela é valiosa. Olhando por essa perspectiva, de que depende o valor de alguém — seja ele alto ou baixo, nobre ou humilde? Depende de como Deus vê você. Se Deus o vê como alguém que busca a verdade, você tem valor e é valioso — é um vaso valioso. Se Deus vê que você não busca a verdade e não se despende sinceramente por Ele, você não tem valor e não é valioso — é um vaso inferior. Não importa quão instruído você seja nem quão elevado seja seu status na sociedade, se você não buscar nem entender a verdade, seu valor nunca será alto; mesmo que muitas pessoas o apoiem, o elogiem e o adorem, você continua sendo um miserável desprezível. Então, por que Deus vê as pessoas dessa forma? Por que uma pessoa tão ‘nobre’, com um status tão elevado na sociedade, com tantas pessoas elogiando-a e admirando-a, até com seu prestígio tão alto, é vista por Deus como inferior? Por que a maneira como Deus vê as pessoas é totalmente contrária à visão que as pessoas têm das outras? Deus está Se colocando contra as pessoas de propósito? De forma alguma. É porque Deus é a verdade, Deus é a justiça, enquanto o homem é corrupto e não tem verdade nem justiça, e Deus mede o homem segundo Seu próprio padrão, e Seu padrão para medir o homem é a verdade(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Sete: Eles são malignos, insidiosos e enganosos (parte 1)”). As palavras de Deus me mostraram que todos os lugares e as famílias em que as pessoas nascem são ordenados por Deus, não são algo que os humanos possam escolher, portanto, as pessoas devem se submeter à soberania e aos arranjos de Deus. Deus não olha para o status social nem para a educação das pessoas, seja ela alta ou baixa; Ele vê se as pessoas conseguem praticar Suas palavras e cumprir seu dever de acordo com as verdades princípios. Se alguém tiver um status social elevado e sua origem familiar for boa, mas não buscar ou aceitar a verdade, Deus não a salvará. Se alguém não tiver conhecimento ou status, mas amar coisas positivas, aceitar a verdade e agir de acordo com as palavras de Deus, então Deus a valorizará. Deus olha para o coração das pessoas e sua atitude em relação à verdade. Não importa quão alto seja o status social de alguém, se ele puder vir para diante de Deus, ler Suas palavras, buscar conhecê-Lo e cumprir o dever de um ser criado, ele é nobre aos olhos de Deus. Todos aqueles que não vêm para diante de Deus são baixos e sem valor. Já que eu poderia ser elevada por Deus e receber Sua graça, cumprindo o dever de um ser criado, eu deveria valorizar a oportunidade dada por Deus para cumprir meu dever.

Mais tarde, li outra passagem das palavras de Deus: “Não importa se sua família lhe traz glória ou vergonha ou se a identidade e o status social que você herda de sua família são nobres ou humildes, no que diz respeito a você, essa família nada mais é do que isso. Ela não determina se você consegue entender a verdade, se consegue buscar a verdade ou se pode entrar na senda de buscar a verdade. Portanto, as pessoas não devem considerá-la uma questão de grande importância, porque ela não determina o destino nem o futuro de uma pessoa e menos ainda determina a senda que uma pessoa trilha. A identidade que você herdou de sua família só pode determinar seus sentimentos e percepções pessoais entre os demais. Independentemente de a identidade que você herdou de sua família ser algo que você despreze ou algo de que possa se gabar, ela não pode determinar se você será capaz de entrar na senda de buscar a verdade. Assim, quando se trata de buscar a verdade, não importa o tipo de identidade ou status social que você herdou de sua família. Mesmo que a identidade que você herdou faça você se sentir superior e honrado, não vale a pena mencioná-la. Ou, se ela lhe der sentimentos de vergonha, inferioridade e baixa autoestima, isso não afetará sua busca pela verdade. Não é assim? (Sim.) Isso não afetará em nada sua busca pela verdade, nem afetará sua identidade como um ser criado diante de Deus. Ao contrário, não importam a identidade e o status social que você herda de sua família, do ponto de vista de Deus, todos têm a mesma oportunidade de serem salvos, e desempenham seu dever e buscam a verdade com o mesmo status e identidade. A identidade que você herdou de sua família, seja ela honrosa ou vergonhosa, não determina sua humanidade nem determina a senda que você trilha. No entanto, se você atribuir muita importância a ela e considerá-la uma parte essencial de sua vida e de seu ser, você se agarrará a ela com firmeza, nunca a largará e se orgulhará dela. Se a identidade que você herdou de sua família for nobre, você a verá como um tipo de capital, mas se a identidade que você herdou de sua família for humilde, você a considerará uma coisa vergonhosa. Não importa se a identidade que você herdou de sua família é nobre, gloriosa ou vergonhosa, isso é apenas seu entendimento pessoal e meramente o resultado de olhar para a questão a partir da perspectiva de sua humanidade corrupta. É somente seu sentimento, percepção e entendimento pessoal, que não estão alinhados com a verdade e não têm nada a ver com a verdade. Não é capital para sua busca da verdade e, é claro, não é um obstáculo para sua busca da verdade. Se seu status social é nobre e elevado, isso não significa que ele seja um capital para sua salvação. Se seu status social é baixo e humilde, isso não significa que seja um obstáculo para sua busca da verdade, muito menos um obstáculo para sua busca da salvação(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (12)”). Depois de ler as palavras de Deus, percebi que família e status social não têm nada a ver com o fato de as pessoas acreditarem em Deus, buscarem a verdade e receberem a salvação. Além disso, espalhar o evangelho não tem nada a ver com o status e a posição de uma pessoa, mas tem a ver com sua atitude em relação a seu dever, bem como se ela consegue comunicar claramente e dar testemunho da obra de Deus enquanto espalha o evangelho, e se os receptores potenciais do evangelho acreditam sinceramente em Deus, porque somente aqueles que acreditam sinceramente em Deus são as ovelhas de Deus, e somente eles podem ouvir e entender a voz de Deus. Lembrei-me de um irmão em um filme evangelístico que era um padre católico com status e posição bastante elevados. Quando os irmãos lhe pregaram o evangelho, ele não olhou para o status e a posição deles, mas ouviu as palavras de Deus e estava disposto a buscar e investigar. Ele determinou que era a voz de Deus e aceitou. Descobri que o que os crentes sinceros querem ouvir são as palavras de Deus e a verdade. A razão pela qual, muitas vezes, eu me sentia constrangida por meu status e posição baixos era porque não havia lugar para Deus em meu coração e eu não via as coisas com base nas palavras de Deus. A essa altura, entendi que eu era um ser criado e que espalhar o evangelho era minha responsabilidade e obrigação. Não importava se o status e a posição de um receptor potencial do evangelho eram altos ou baixos, todos eles eram pessoas corrompidas que precisavam da salvação de Deus. Minha responsabilidade era dar testemunho do que Deus diz e faz; quanto ao fato de eles conseguirem aceitar ou não, isso dependia de serem ou não ovelhas de Deus. Se fossem, naturalmente seriam capazes de ouvir e entender a voz de Deus.

Em agosto de 2023, uma irmã me pediu que divulgasse o evangelho a uma receptora potencial do evangelho. Quando descobri que a família da receptora do evangelho era rica e influente e que um dos membros de sua família era um oficial militar, meu primeiro pensamento foi que meu status e posição eram baixos, que havia uma distância muito grande entre nós e que eu não poderia cooperar. E se ela me desprezasse e não estivesse disposta a ouvir meu testemunho? Pensei no sentimento que tinha quando era ridicularizada e desprezada, por isso não queria entrar em contato com aqueles que tinham um status elevado. Então me lembrei destas palavras de Deus: “Então, como Deus vê a origem familiar de alguém, seu status social, sua educação futura e a riqueza que ele possui na sociedade? Se você não vê as coisas com base nas palavras de Deus e não consegue ficar do lado de Deus nem aceitar as coisas de Deus, então a maneira como você vê as coisas certamente será muito diferente daquilo que Deus pretende(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Sete: Eles são malignos, insidiosos e enganosos (parte 1)”). Percebi que ainda me sentia constrangida por status e posição, que eu deveria ver as questões com base nas palavras de Deus. Independentemente do status e da posição receptora potencial do evangelho, aos olhos de Deus, somos todos seres criados, nosso caráter corrupto é o mesmo, e todos nós precisamos da salvação de Deus. Eu só precisava confiar em Deus e fazer o meu melhor para cooperar. Quanto ao fato de a receptora potencial do evangelho aceitar ou não o evangelho, isso estava nas mãos de Deus. Quando pensei nisso, não me senti mais constrangida. Mais tarde, quando fui pregar o evangelho a essa receptora potencial do evangelho, senti-me totalmente em paz, pensando apenas em como conquistá-la. Quem poderia imaginar que ela nos receberia com tanta hospitalidade. Li as palavras de Deus Todo-Poderoso para ela, comunicando e dando testemunho de Sua obra nos últimos dias. Ela ouviu e foi capaz de entender. Quando comuniquei pela quarta vez, ela disse: “Irmã, eu gosto de ouvir sua pregação; você pode vir à minha casa todos os dias. Se estiver trazendo pessoas para uma reunião, venha para meu lar no quinto andar. Vou lhe mostrar agora mesmo”. Quando vi que ela não só não me tratou com desdém, como estava disposta a investigar a obra de Deus, fiquei muito emocionada. Vi que aqueles que acreditam sinceramente em Deus ouvem as palavras de Deus e a verdade, e que precisamos apenas comunicar claramente e dar testemunho da obra de Deus para que eles alcancem resultados. Se eles são ovelhas de Deus, então conseguem ouvir e entender a voz de Deus e vir para diante Dele. Não importa qual seja seu status e posição na sociedade. Mais tarde, quando me deparava com receptores potenciais do evangelho com status e posição elevados enquanto espalhava o evangelho, com base nas palavras de Deus e nos princípios, eu avaliava se eles eram pessoas às quais o evangelho poderia ser pregado. Se fosse alguém que acreditasse sinceramente em Deus, eu cooperava de todo o coração, comunicando e dando testemunho da obra de Deus. Não me sentia mais constrangida por status e posição, e meu coração encontrou alívio. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Despertando da minha arrogância

Por Johnny, Itália Comecei a espalhar o evangelho em 2015 e, sob a orientação de Deus, tive algum sucesso. Às vezes, aqueles aos quais eu...

Depois de perder o meu status

Por Huimin, Província de Henan Todas as vezes que eu via ou ouvia falar de alguém que havia sido substituído como líder e se sentia mal,...

Depois de ser substituída

Deus Todo-Poderoso diz: “Deus opera em cada pessoa, e não importa qual seja Seu método, de que tipo de pessoas, coisas ou problemas Ele...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp