Denunciando uma líder falsa: uma estrada acidentada

04 de Fevereiro de 2022

Em julho de 2019, eu tinha acabado de ser eleita como líder de igreja pelos irmãos, e minha parceira era a irmã Lin. A irmã Lin acreditava em Deus por mais tempo do que eu e já tinha sido líder havia vários anos. Pensei: “Isso significa que ela possui algumas realidades da verdade. No future, terei que buscar mais com ela e trabalhar com ela para fazermos o trabalho da igreja juntas”. Fiquei surpresa quando, depois de um tempo de contato, descobri que a comunhão dela nas reuniões consistia em grande parte em palavras de doutrina, que ela nunca analisava sua própria corrupção. Ela exaltava a si mesma e se exibia, falando sobre os deveres que tinha cumprido, o quanto tinha viajado e o quanto tinha sofrido, e como, quando era tratada, ela persistia em seus deveres e satisfazia a vontade de Deus. Quando os irmãos ouviam a comunhão dela, os olhos de alguns se enchiam de lágrimas, e outros diziam, tristes: “Se tivéssemos cumprido nossos deveres corretamente, você não teria sido tratada”. Fiquei um pouco chocada quando vi essas coisas. Pensei: “Comungar assim não é se exibir para que os outros a admirem e adorem?”. Uma vez, eu lhe dei um lembrete de seu comportamento. Eu disse: “Você está se exaltando e se exibindo com esse tipo de comunhão”. Quando terminei, ela me deixou perplexa ao responder, infeliz: “Em que eu estava me exaltando e me exibindo? Tudo que eu disse é fato. Se isso foi errado, como devo comungar?”. Ao ver a atitude dela, só pude dizer: “Você deveria ler a palavra de Deus e refletir sobre si mesma”.

Não demorou, e, sem dizer nada para mim, a irmã Lin transferiu uma irmã para pregar o evangelho sem as habilidades necessárias, e transferiu a irmã apta para pregar para outro dever, o que impactou diretamente o progresso do trabalho evangelístico. Depois de alguns dias, sem considerar o histórico real, a irmã Lin transferiu um recém-convertido sem raízes no caminho verdadeiro para pregar o evangelho. A pressão deixou o recém-convertido tão mal que quase largou a fé. Felizmente, o diácono de rega ofereceu ajuda e apoio a tempo, e o estado do recém-convertido melhorou. Quando fiquei sabendo dessas coisas, eu a lembrei mais uma vez de que devemos ter princípios, que não podemos agir arbitrariamente e que devemos falar com o parceiro antes de tomar decisões. Ela se recusou a aceitar, negou responsabilidade e se defendeu. Vi que ela não refletia nem conhecia a si mesma. Também me lembrei de como sua comunhão era sempre palavras de doutrina e de como ela agia arbitrariamente e não buscava os princípios da verdade. Eu tinha certeza de que ela era uma falsa líder e quis denunciá-la ao meu líder, mas hesitei um pouco. Pensei: “A irmã Lin tem sido uma líder por anos. Recentemente, nossas líderes pensaram em promovê-la. Se eu a denunciar como uma falsa líder agora, nossas líderes não dirão que sou muito arrogante e que acuso os outros cegamente logo após me tornar líder? Além disso, se a irmã Lin souber que eu a denunciei, ela poderá dizer algo negativo sobre mim às nossas líderes. Nossas líderes me demitirão se isso acontecer?”. Quando pensei nisso, não quis denunciá-la. Mas se eu não a denunciasse, ela continuaria líder, o que prejudicaria nossos irmãos e danificaria o trabalho da igreja. Naqueles dias, vivi um dilema, não sabia o que fazer, então fui a Deus em oração para pedir que Deus me ajudasse a entender Sua vontade e encontrar uma senda de prática.

Depois de orar, li uma passagem das palavras de Deus. “Qual é a causa do surgimento da categoria de pessoas que são líderes e obreiras, e como foi que elas surgiram? Em uma grande escala, elas são necessárias para a obra de Deus; em uma escala menor, elas são exigidas para o trabalho da igreja, elas são exigidas pelo povo escolhido de Deus. […] A diferença entre o dever delas e o de outras pessoas é questão de uma característica especial que elas têm. Que característica especial é essa? O que se destaca especialmente é a função de liderança. Por exemplo, há uma equipe de pessoas com uma pessoa a conduzindo; se essa pessoa for chamada de ‘líder’ ou de ‘obreira’, qual é a função dela dentro da equipe? (A função de liderança.) Que efeito a liderança dessa pessoa tem sobre as pessoas que ela lidera e sobre a equipe como um todo? Ela afeta a direção da equipe e sua senda. Isso implica que, se essa pessoa em uma posição de liderança trilhar a senda errada, então, no mínimo, isso fará com que as pessoas abaixo dela e toda a equipe se desviem da senda certa; além disso, isso pode interromper ou destruir a direção de toda a equipe enquanto avançam, bem como sua velocidade e ritmo. Então, quando se trata desse grupo de pessoas, a senda que seguem e a direção da senda que escolhem, a medida na qual entendem a verdade, bem como sua crença em Deus afetam não apenas a si mesmas, mas a todos os irmãos e irmãs que estejam dentro da esfera de sua liderança. Se um líder for uma pessoa correta, alguém que esteja trilhando a senda certa e busque e pratique a verdade, então as pessoas que ele liderar comerão e beberão adequadamente e buscarão adequadamente, e, ao mesmo tempo, o progresso pessoal do líder será constantemente visível a outros. Então, qual é a senda correta que um líder deveria trilhar? É ser capaz de conduzir outros a um entendimento da verdade e a uma entrada na verdade, e levar outros para diante de Deus. O que é uma senda incorreta? É frequentemente elevar a si mesmo e dar testemunho de si mesmo, buscando status, fama e lucro, e nunca dando testemunho de Deus. Que efeito isso tem sobre as pessoas abaixo dele? (Isso leva as pessoas para diante dele.) As pessoas irão se afastar de Deus e ficar sob o controle desse líder. Se você conduz as pessoas para virem para diante de você, então você as está conduzindo para virem para diante da humanidade corrupta, e você as está conduzindo para virem para diante de Satanás, não de Deus. Somente conduzir pessoas para virem para diante da verdade é conduzi-las para virem para diante de Deus. Líderes e obreiros, não importa se trilhem a senda certa ou a errada, têm uma influência direta sobre o povo escolhido de Deus. Que senda os fiéis escolhem, que senda eles trilham está diretamente relacionado à senda trilhada pelos líderes e pode, em medidas variáveis, ser influenciado por esses líderes e obreiros” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). Nas palavras de Deus, eu vi que o tipo de senda que um líder segue e se ele busca a verdade tem um impacto não só sobre ele, afeta também diretamente o trabalho de toda a igreja e a entrada na vida de seus irmãos. Quando o líder de igreja é a pessoa certa, que busca a verdade e trilha a senda certa, seus irmãos podem se beneficiar dele e ter facilidade de trilhar a senda da salvação. Mas se os líderes de igreja não buscam a verdade nem seguem a senda certa, eles não podem levar os outros a entender a verdade nem a entrar nas realidades da palavra de Deus, e eles interrompem o trabalho da casa de Deus. Pensei em como a irmã Lin não buscava a verdade quando algo acontecia, e ela não refletia sobre si mesma, não conseguia resolver os problemas de seus irmãos. Ela falava palavras de doutrina em seus deveres e nas reuniões, e ela se exaltava e se exibia, levando seus irmãos a adorá-la e admirá-la. Em seus deveres, ela era arrogante, hipócrita e arbitrária, ela nunca aceitava um conselho correto. Se não fosse demitida com urgência, ela só interromperia o trabalho da casa de Deus e prejudicaria seus irmãos. O fato de uma falsa líder assim aparecer na nossa igreja era um desastre para os nossos irmãos. Também me lembrei de que eu tinha orado a Deus antes e jurado que protegeria os interesses da casa de Deus e que faria de tudo para cumprir bem os meus deveres, mas quando aconteceu algo que violava a verdade e prejudicava os interesses da igreja, eu recuei como uma tartaruga assustada e defendi meus próprios interesses. Eu sabia que a irmã Lin era arrogante e arbitrária em seus deveres, que ela não aceitava a verdade e já tinha afetado o trabalho da casa de Deus. Eu a deveria ter denunciado ao meu líder, em vez disso tentei proteger a mim mesma, porque temia que a irmã Lin diria coisas ruins sobre mim quando soubesse disso e que nossas líderes me substituiriam. Fiquei olhando enquanto uma falsa líder perturbava e interrompia o trabalho da casa de Deus, em vez de me levantar e defendê-lo. Eu era egoísta e desprezível. Eu não tinha nenhuma consciência! Eu sabia que não devia mais ser egoísta. Devia praticar a verdade, ser uma pessoa com senso de justiça, ficar do lado de Deus e proteger os interesses da casa de Deus. Quando percebi isso, decidi denunciar isso às nossas líderes.

Mais tarde, numa reunião com minhas líderes, descrevi todos os comportamentos da irmã Lin. Depois de terminar, fiquei chocada quando uma das minhas líderes leu várias passagens da palavra de Deus que expõem anticristos e me podou e tratou severamente, dizendo que eu era ambiciosa demais e desejava status e que, ao tornar-me líder, eu desenvolvi fome de poder. Ela me instruiu a refletir mais sobre mim mesma e a concentrar meus esforços em tratar bem do trabalho da igreja com a irmã Lin. Nossa outra líder disse que a irmã Lin tinha calibre bom e era capaz de trabalho prático. Fiquei perplexa ao ouvir tudo isso. Pensei: “Como pode esse ser o resultado? Tudo que eu lhes disse é verdade, Mas elas lidaram comigo cegamente sem investigar. Isso não é resolver o problema”. No início, quis explicar mais a elas sobre a irmã Lin, mas então pensei: “Se eu disser mais, as líderes dirão que eu não reflito sobre mim mesma e não aceito a verdade e me demitirão, e então o que eu faria?”. Quando refleti sobre isso, decidi desistir.

Um dia uma irmã relatou para mim que a irmã Lin, como supervisora do trabalho evangelístico, não fazia nada além de forçar as pessoas abaixo dela a espalhar o evangelho. Quando as pessoas tinham estados ou dificuldades, ela não comungava para resolvê-los, o que tornava o trabalho evangelístico cada vez mais ineficaz. Ela queria que eu comungasse com a irmã Lin o quanto antes. Pensei: “O trabalho mais importante de um líder é comungar sobre a palavra de Deus e resolver as dificuldades que os irmãos têm em seus deveres. A irmã Lin não se cansa de fazer sermões, mas não resolve nenhum problema real. Sua comunhão não é só doutrina vazia?”. Assim, fui diretamente para a irmã Lin para discutir esse problema. Quando terminei, fiquei surpresa quando ela se voltou para mim e disse: “Quem diz que eu não resolvo problemas práticos? Quem disse isso? Que pessoa disse isso?”. Vi que ela não aceitava a verdade e não refletia nem entendia a si mesma. Sua primeira reação foi perguntar quem tinha relatado o problema. Tive ainda mais certeza de que ela era uma falsa líder. Se ela continuasse seu trabalho, ela só prejudicaria e atrasaria o trabalho da casa de Deus. Eu queria denunciar isso às nossas líderes. Mas então me lembrei da última vez em que denunciei um problema. A irmã Lin não foi substituída e eu fui tratada pelas nossas líderes. Se eu a denunciasse novamente a elas, nossas líderes não pensariam que eu estava procurando problemas na irmã Lin? Não pensariam que eu não era a pessoa certa, que eu não conseguia ser uma boa parceira? Elas me condenariam por interromper o trabalho da casa de Deus, me demitiriam dos meus deveres e me mandariam embora para refletir? Quando pensei nessas coisas, comecei a me preocupar de novo. Mas não denunciar isso me deixou inquieta, assim, fui para diante de Deus e orei: “Deus, sei claramente que a irmã Lin é uma falsa líder que devo expor e denunciar, mas sempre me sinto restringida pelas forças das trevas. Temo ser tratada e demitida de meus deveres. Deus, por favor, guia-me e ajuda-me a conhecer a mim mesma”.

Durante um dos meus devocionais, vi um vídeo com uma leitura da palavra de Deus que me ajudou muito. Deus Todo-Poderoso diz: “A maioria das pessoas deseja buscar e praticar a verdade, mas, na maior parte do tempo, só têm a determinação e o desejo de fazê-lo; sai verdade não se tornou sua vida. Como resultado, quando deparam com forças malignas ou encontram pessoas perversas e más cometendo atos malignos ou falsos líderes e anticristos fazendo coisas de uma maneira que viole princípios — assim fazendo com que a obra da casa de Deus sofra perdas e prejudicando os escolhidos de Deus — elas depois perdem a coragem de se manifestar e se pronunciar. O que significa quando você não tem coragem? Significa que você é tímido ou inarticulado? Ou é que você não entende completamente e portanto não tem confiança para se pronunciar? Não é nada disso; é que você está sendo controlado por vários tipos de caracteres corruptos. Um desses caracteres é astúcia. Você pensa primeiro em si mesmo, pensando: ‘Se eu me pronunciar, como isso me beneficiará? Se eu me pronunciar e desagradar alguém, como conviveremos no futuro?’. Essa é uma mentalidade astuta, certo? Isso não é o resultado de um caráter astuto? Outro é um caráter egoísta e mau. Você pensa: ‘O que uma perda dos interesses da casa de Deus tem a ver comigo? Por que deveria me importar? Não tem nada a ver comigo. Ainda que eu veja ou ouça acontecer, não preciso fazer nada. Não é responsabilidade minha — não sou um líder’. Essas coisas estão dentro de você, como se tivessem brotado de sua mente inconsciente e como se ocupassem posição permanente em seu coração — elas são o caráter satânico corrupto do homem. […] Você nunca diz o que realmente pensa. Tudo foi pré-editado pelo seu cérebro, em sua mente. Tudo que você diz é uma mentira, é contrário aos fatos, tudo é em prol de sua defesa espúria, para a sua vantagem. Algumas pessoas são enganadas, e isso lhe basta: suas palavras e ações alcançaram seus objetivos. É isso que está em seu coração, esses são os seus caracteres. Você é totalmente controlado por seus caracteres satânicos. Você não tem poder sobre aquilo que diz e faz. Mesmo que quisesse, você não conseguiria dizer a verdade nem aquilo que realmente pensa; mesmo que quisesse, não conseguiria praticar a verdade; mesmo que quisesse, não conseguiria cumprir suas responsabilidades. Tudo que você diz, faz e pratica é uma mentira, e você simplesmente é desleixado e superficial. Evidentemente, você está completamente acorrentado e controlado por seu caráter satânico. Você pode querer aceitar e buscar a verdade, mas não é capaz disso: você nada mais é do que um fantoche de carne corrupta, você se tornou um instrumento de Satanás, você diz e faz tudo que seu caráter satânico o instrui a fazer. Em seu coração, você pensa: ‘Vou me esforçar muito desta vez, e vou orar a Deus. Devo assumir uma postura e repreender aqueles que interrompem o trabalho da casa de Deus, que são irresponsáveis em seu dever. Devo assumir essa responsabilidade’. Assim, com grande dificuldade, você junta sua coragem e se manifesta. Como resultado, assim que a outra pessoa bate na mesa e se irrita, você recua. Você está realmente no controle? Que utilidade teve a sua determinação, sua resolução? Elas foram inúteis. Certamente você já se viu nessa situação muitas vezes. Você se desculpa diante da primeira dificuldade, sentindo que não há nada que possa fazer. Você desiste de si mesmo, acreditando não ser um amante da verdade e que você foi totalmente eliminado. É verdade que você não ama a verdade, mas você tem buscado a verdade? Você tem praticado a verdade? Você não entendeu nada após ouvir os sermões por todos esses anos? Por que você é incapaz de praticar nem mesmo um pingo de verdade? Você nunca busca a verdade, menos ainda a pratica. Você apenas continua orando, consolidando sua determinação, fazendo resoluções, prestando juramentos. E em que isso tudo tem resultado? Você ainda é um bajulador; você não provoca ninguém nem ofende ninguém Se uma questão não for de seu interesse, fica fora dela e pensa: ‘Não direi nada sobre coisas que não tenham a ver comigo, e isso sem exceção. Se alguma coisa puder prejudicar meus próprios interesses, meu orgulho ou meu autorrespeito, não darei nenhuma atenção a nada disso e abordarei tudo isso com cautela; não devo agir precipitadamente. O prego que se salienta é atingido primeiro, e eu não sou tão tolo assim!’. Você está totalmente sob o controle de seus caracteres corruptos de maldade, astúcia, dureza e detestação da verdade. Eles estão acabando com você, e tornou-se ainda mais difícil aguentá-los do que o Arco Dourado usado pelo Rei Macaco. Viver sob o controle de um caráter corrupto é tão exaustivo e excruciante!” (‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). A palavra de Deus me mostrou que eu não ousava denunciar a irmã Lin porque eu era egoísta e enganosa demais. Quando algo acontecia comigo, eu sempre pensava em meus interesses e não no trabalho da igreja. Eu tinha discernido que a irmã Lin era uma falsa líder. Eu sabia que, se ela não fosse substituída logo, ela prejudicaria o trabalho da igreja ainda mais e que eu devia continuar a expô-la e denunciá-la, mas eu temia que, se minha denúncia falhasse, eu seria tratada ou até demitida, então eu tentava me proteger e fechava um olho. Em tudo, eu protegia meus interesses e ignorava os interesses da casa de Deus. Eu era egoísta e desprezível demais. Eu não só estava prejudicando meus irmãos, eu estava traindo a comissão de Deus. Como alguém poderia dizer que eu cumpria meus deveres lealmente? Eu estava do lado de Satanás e servindo como cúmplice de uma falsa líder. Embora, por fora, eu não estivesse fazendo nenhuma maldade grande, havia uma falsa líder interrompendo o trabalho da casa de Deus, mas eu não praticava a verdade nem protegia o trabalho da casa de Deus. Em vez disso, tolerava uma falsa líder que o prejudicava. Em que isso era diferente das interrupções que a irmã Lin causava no trabalho da igreja? Isso não fazia também de mim uma falsa líder? Quando percebi isso, rapidamente fiz uma oração da Deus para me arrepender, dizendo que eu não queria ser egoísta, desprezível nem proteger meus próprios interesses, que eu queria me levantar, praticar a verdade e denunciar a irmã Lin novamente.

Depois disso, arranjei uma reunião com vários diáconos da igreja e a irmã Xiao, que era responsável pelo trabalho da igreja. Eu lhes contei tudo sobre os comportamentos da irmã Lin e pedi que discernissem de acordo com os princípios e analisassem como deveríamos lidar com a questão. Quando terminei, o diácono de rega também mencionou alguns dos problemas da irmã Lin. Na época, a irmã Xiao não disse nada, exceto que investigaria o assunto, e então a reunião foi rapidamente encerrada. No início, pensei que tinha apresentado claramente o problema e que logo a irmã Lin seria substituída. Jamais teria imaginado que fosse podada e tratada severamente mais uma vez. Um dia, a irmã Xiao veio conversar comigo em particular. Ela disse que eu devia procurá-la caso encontrasse alguns problemas e não falar sobre a irmã Lin na frente dos outros diáconos da igreja. Ela disse que eu estava reprimindo uma pessoa que tinha a obra do Espírito Santo, que estava formando panelinha e perturbando a vida da igreja. Disse também que deveria ver os outros com uma visão de desenvolvimento e não rotulá-los arbitrariamente. Finalmente, ela me perguntou: “Você a denunciou como uma falsa líder, você tem uma pessoa melhor em mente? Caso contrário, ela continuará com seus deveres como líder. Já analisamos isso. A irmã Lin tem calibre suficiente para cumprir os deveres de uma líder…” Quando ouvi-la dizer isso, eu me desanimei na hora. Eu nem soube como encerrar a conversa. Chorei quando cheguei em casa naquela noite. Eu não sabia como experimentar esse ambiente. Pensei: “Por que as coisas estão ficando cada vez mais complicadas? Tudo que eu disse é fato, e esses são problemas óbvios. Por que você não quer investigar o problema seriamente e descobrir? Por que, sempre que eu denuncio os problemas da irmã Lin, todos lidam comigo e me expõem?”. Quanto mais refletia sobre isso, mais me sentia injustiçada. Percebi que, agora, eu era alguém que estava causando interrupções aos olhos deles. Isso significava que minhas líderes me demitiriam de meus deveres? Significava que não havia chance de as coisas irem bem para mim? Se isso era verdade, era melhor para mim sair desse ambiente. “Prefiro não ser uma líder. É tormento demais”, pensei. Com esses pensamentos em mente, decidi escrever uma carta de demissão. Mas quando estava prestes a escrevê-la, senti muita autoacusação. Em minha miséria, vim para diante de Deus de novo e orei chorando. Eu disse: “Deus, não sei o que fazer. Por favor, guia-me para entender Tua vontade e mostra-me uma senda de prática”.

Depois de orar, li uma passagem da palavra de Deus que me ajudou a entender os princípios de como devemos tratar líderes e obreiros. As palavras de Deus dizem: “Qual é a atitude que as pessoas devem ter em termos de como tratar um líder ou obreiro? Se o que um líder ou obreiro faz é certo, então você pode lhes obedecer; se o que eles fazem é errado, então você pode expô-los e até se opor a eles e expressar uma opinião diferente. Se eles forem incapazes de fazer trabalho prático e forem revaldos como um falso líder, falso obreiro ou anticristo, então você pode se recusar a aceitar sua liderança e também pode denunciá-los e expô-los. Entretanto, alguns entre o povo escolhido de Deus não entendem a verdade e são especialmente covardes; então não ousam fazer nada. Eles dizem: ‘Se o líder me expulsar, para mim acabou; se ele fizer com que todos me exponham ou abandonem, então eu não serei mais capaz de crer em Deus. Se eu deixar a igreja, então Deus não vai me querer e não me salvará. A igreja representa Deus!’. Essas formas de pensar não afetam a atitude de tal pessoa em relação a essas coisas? Poderia realmente ser verdade que, se o líder o expulsar, você não pode mais ser salvo? A questão de sua salvação depende da atitude de seu líder em relação a você? Por que tantas pessoas têm tal grau de temor? Se, assim que alguém que é um falso líder ou anticristo o ameaça, você não ousa denunciar aos superiores e até garante que, dali em diante, você terá o mesmo modo de pensar que o líder, então você não está perdido? Esse é o tipo de pessoa que busca a verdade? Não só você não ousa expor tal comportamento perverso como pode ser cometido por anticristos satânicos, mas, ao contrário, você lhes obedece e até toma as palavras deles como verdade, às quais você se submete. Esse não é o epítome da estupidez? Então, quando você é prejudicado, isso não é o que você merece? Deus fez com que você fosse prejudicado? Você mesmo desejou isso para si mesmo. Você tomou um anticristo para que fosse seu líder e o tratou como se fosse um irmão ou irmã — e isso é culpa sua. Qual é a atitude com a qual se deve tratar um anticristo? Ele deve ser exposto e combatido. Se você não consegue fazer isso sozinho, então muitas pessoas devem se unir e denunciá-lo. Quando descobriram que certos líderes e obreiros em posições mais altas estavam trilhando a senda de um anticristo, fazendo os irmãos e as irmãs sofrer, não fazendo um trabalho real e cobiçando os benefícios do status, algumas pessoas assinaram uma petição para remover esses anticristos. Que trabalho fantástico fizeram essas pessoas! Isso mostra que algumas pessoas entendem a verdade, que possuem certa estatura e que não são nem controladas nem enganadas por Satanás. Isso prova também que anticristos e falsos líderes não detêm uma posição dominante na igreja, e não ousam mostrar seu ser verdadeiro de forma demasiadamente clara em qualquer coisa que digam ou façam. Se revelarem a si mesmos, há pessoas para monitorá-los, identificá-los e rejeitá-los. Isto é, no coração das pessoas que genuinamente entendem a verdade, o status, o prestígio e a autoridade de uma pessoa não são coisas que imperam; todos aqueles que entendem a verdade têm discernimento e repensam e refletem sobre que senda as pessoas devem seguir em sua fé em Deus e também como devem tratar líderes e obreiros. Também começam a pensar sobre quem as pessoas devem seguir, quais comportamentos constituem seguir pessoas e quais comportamentos constituem seguir a Deus. Tendo ponderado essas verdades por vários anos e ouvido sermões muitas vezes, elas inconscientemente vêm a entender as verdades sobre crer em Deus, e assim ganharam alguma estatura. Elas se puseram na trilha certa de crer em Deus” (‘Eles excluem e atacam aqueles que buscam a verdade’ em “Expondo os anticristos”). Contemplei a palavra de Deus e percebi que devemos defender os princípios da verdade em como tratamos líderes e obreiros, não lhes obedecer cegamente. Quando fazem as coisas certas que se conformam aos princípios da verdade, devemos apoiá-los e cooperar. Mas falsos líderes que não fazem trabalho prático devem ser expostos, denunciados e banidos. Quando comungava com meus irmãos no passado, eu sempre dizia que, na casa de Deus, governam a verdade e a justiça e que falsos líderes e anticristos não conseguem fincar o pé nela. No fim, serão revelados e eliminados. Mas quando uma falsa líder realmente apareceu, eu não ousei expô-la nem denunciá-la e acreditei que, após ofender minhas líderes, elas me reprimiriam, me puniriam e demitiriam dos meus deveres e que eu perderia qualquer esperança de ser salva. Para me proteger, eu quis ceder, recuar e até me demitir, como um soldado que foge do campo de batalha. Isso não podia produzir testemunho e eu era covarde. Meu destino estava nas mãos de Deus. Minha salvação está em Suas mãos e era determinada por minha prática da verdade e pela mudança de meu caráter de vida, não por algum líder. A verdade e Cristo governam na casa de Deus, e denunciar uma falsa líder era proteger os interesses da casa de Deus, uma coisa positiva e algo que estava de acordo com a vontade de Deus. Mesmo se os líderes lidassem comigo e me demitissem, eu acredito que Deus examina tudo e, mais cedo ou mais tarde, os fatos serão revelados. Também percebi que Deus permite que falsos líderes apareçam na igreja para que nós possamos desenvolver discernimento e não sejamos enganados nem restringidos por eles. Ao mesmo tempo, serve também para praticarmos a verdade, nos levantarmos e expormos falsos líderes e lutarmos contra Satanás, pois o que Deus quer são bons soldados do reino, aqueles que conseguem dar testemunho de Deus diante das forças malignas de Satanás. Como uma líder de igreja, meu dever era proteger o trabalho da igreja, proteger meus irmãos dos danos de falsos líderes e anticristos e guiá-los no entendimento da verdade e em ganhar discernimento, para que eles possam rejeitar falsos líderes do fundo de seu coração. Quando percebi essas coisas, entendi que eu não devia me sentir restringida por meus líderes e que devia continuar a denunciar essa falsa líder. Assim, vim para diante de Deus e orei. Eu disse: “Deus, eu estava errada. Quero me arrepender e parar de proteger a mim mesma e de querer fugir. Coloco essa questão em Tuas mãos. Se outra chance aparecer, eu denunciarei essa falsa líder. Por favor, abre o caminho para mim”.

Logo depois disso, por serem arrogantes, arbitrárias e não fazerem trabalho prático, as líderes acima de mim foram substituídas uma após a outra. Então denunciei o comportamento da irmã Lin aos líderes recém-eleitos. Ao mesmo tempo, meus irmãos também me procuraram e comungaram comigo para avaliar o comportamento da irmã Lin e determinamos unanimemente que ela era uma falsa líder e que ela devia ser denunciada. Quando vi que meus irmãos discerniam a irmã Lin e que estavam prontos a se levantar e proteger os interesses da casa de Deus, fiquei envergonhada, pois percebi que eu era negligente. Se eu continuado a expor e denunciar a irmã Lin, meus irmãos poderiam ter desenvolvido discernimento dela mais cedo. Quando ouvi que nossos líderes a substituiriam em breve, fiquei tão comovida que quase chorei.

Alguns dias depois, a irmã Lin foi demitida de seus deveres, a igreja elegeu uma nova líder e todos os aspectos do trabalho da igreja se normalizaram. Logo após a irmã Lin ser demitida, a irmã Xiao, que supervisionava o trabalho da nossa igreja, também foi demitida e mandada para casa para refletir por ter um caráter arrogante, negligenciar seus deveres e agir como escudo para uma falsa líder. Quando vi esses resultados, louvei a justiça de Deus em meu coração, mas fiquei ainda mais envergonhada. Para proteger meus próprios interesses, eu não considerei nem um pouco os interesses da casa de Deus. Quando minha denúncia da falsa líder foi reprimida, eu quis me tornar uma traidora e fugir e não ousei defender os princípios. Eu não tinha entendimento do caráter justo de Deus. Eu era totalmente cega.

Depois dessa experiência, eu vi como a casa de Deus e o mundo são diferentes. Todos no mundo vivem segundo filosofias satânicas mundanas, e só os bajuladores insidiosos podem prosperar. Mas na casa de Deus governam a verdade, Cristo e a justiça. Mesmo que falsos líderes e anticristos detenham poder por um tempo, no fim, eles não têm onde se apoiar. Praticar a verdade, proteger os interesses da casa de Deus e agir com princípios é o único jeito de se conformar à vontade de Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Derrotando Satanás na batalha

Por Chang Moyang, Província de Henan As palavras de Deus Todo-Poderoso dizem: “Quando você se rebelar contra a carne, inevitavelmente,...

Uma parceira não é uma rival

Por Ou’zhen, Myanmar Pouco tempo atrás, aceitei a obra de Deus dos últimos dias e comecei a praticar a rega de recém-convertidos. Já que eu...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp