Quando tive dificuldades pregando o evangelho

27 de Outubro de 2022

Por An’fen, Myanmar

Em 2020, aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Foi a minha grande bênção poder acolher o retorno do Senhor. Para espalhar essas boas novas incrivelmente importantes, comecei a pregar o evangelho, esperando que mais pessoas voltassem para Deus depois de ouvir a Sua voz. No entanto, em fevereiro de 2022, devido à opressão da crença religiosa do governo de Myanmar, minha igreja foi perseguida, e o trabalho evangelístico foi fortemente impedido. Alguns irmãos não participavam das reuniões devido a covardia e fraqueza, alguns se tornaram passivos em seus deveres, e o trabalho evangelístico foi praticamente paralisado. Na época, eu também era passiva em meu dever. Eu fazia tudo que meu líder arranjava para mim. Achei que estava regando as pessoas normalmente, mas eram elas que não participavam das reuniões regularmente e que estavam sendo passivas em seu dever. Não havia nada que eu pudesse fazer. E, às vezes, não havia internet, por isso eu não podia entrar em contato com meus irmãos on-line para me informar sobre o trabalho, o que significava que eu era forçada a sair para encontrar uma conexão. Às vezes, eu procurava por muito tempo e não conseguia encontrar uma boa conexão, e, com o passar do tempo, perdi o desejo de entrar na internet para me informar sobre o trabalho. Na época, eu pregava o evangelho à parente de uma irmã. Os três membros da família aceitaram a obra de Deus dos últimos dias. Eu fiquei com eles e os reguei por dez dias. Eu me contentava em regar esses três recém-convertidos e não queria mais pregar. Pensei: “Estão espalhando tantos boatos nos vilarejos vizinhos que está difícil pregar o evangelho. Se eu regar bem essa família, eles me levarão para pregar aos seus parentes e amigos. Isso não é um bom jeito de pregar o evangelho?”. Assim, quando meus irmãos mencionavam possíveis alvos evangelísticos em vilarejos vizinhos, eu raramente discutia como pregar o evangelho a eles. Isso afetou diretamente o trabalho evangelístico.

Quando analisamos o trabalho mais tarde, o líder disse que o trabalho evangelístico da nossa igreja tinha praticamente parado naquele mês e mencionou alguns outros problemas. Isso me deixou muito triste. Mais tarde, uma irmã me lembrou de que eu tinha me contentado com o status quo e não tinha buscado progresso em meu dever. Foi um despertar repentino para mim. Percebi que eu não estava suportando um fardo no meu dever. Como a líder de igreja, eu não estava fazendo o que um líder deveria fazer e não encarava nem resolvia dificuldades, o que afetava o trabalho evangelístico. Quanto mais pensava nisso, pior eu me sentia. Enquanto refletia, eu li na palavra de Deus: “No momento, há alguns que não carregam nenhum fardo pela igreja. Essas pessoas são indolentes e descuidadas e se importam somente com a própria carne. Tais pessoas são extremamente egoístas e também são cegas. Se você não consegue ver esta questão com clareza, você não carregará nenhum fardo. Quanto mais atento você estiver à vontade de Deus, maior será o fardo que Ele confiará a você. Os egoístas não estão dispostos a sofrer tais coisas; não têm disposição de pagar o preço e, como resultado, perderão as oportunidades de serem aperfeiçoados por Deus. Não estão causando danos a si mesmos? Se você for alguém atento à vontade de Deus, então você desenvolverá um verdadeiro fardo pela igreja. De fato, em vez de chamar isso de um fardo que você carrega pela igreja, seria melhor chamá-lo de um fardo que você carrega em prol da sua própria vida, porque o propósito desse fardo que você desenvolve para a igreja é para fazer você usar tais experiências para ser aperfeiçoado por Deus. Portanto, todos aqueles que carregam o maior fardo pela igreja, todos aqueles que carregam um fardo para entrar na vidaeles serão aqueles que são aperfeiçoados por Deus. Você viu isso claramente? Se a igreja com a qual você está for espalhada como areia, mas você não está preocupado nem ansioso e você faz vista grossa quando seus irmãos e irmãs não estão comendo nem bebendo das palavras de Deus normalmente, então você não está carregando nenhum fardo. Tais pessoas não são o tipo em que Deus tem prazer. O tipo de pessoas em quem Deus tem prazer tem fome e sede de justiça e está atento à Sua vontade(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Fique atento à vontade de Deus para alcançar a perfeição”). Ao ponderar as palavras de Deus, eu me senti muito culpada. Eu era uma líder de igreja, mas quando vi que o trabalho evangelístico estava parado, eu não senti nenhuma urgência, inventei desculpas objetivas e achei que, já que eu não tinha uma internet boa, era compreensível que eu não me informasse sobre o trabalho. Quanto aos possíveis alvos evangelísticos providenciados pelos meus irmãos, eu raramente comungava com todos como pregar o evangelho a eles, e quando minhas irmãs queriam discutir o trabalho comigo, elas não conseguiam me achar. Confrontados com a perseguição da igreja, meus irmãos estavam tímidos e fracos, incapazes de se reunir ou de cumprir seus deveres, mas eu não buscava a verdade para resolver isso. Finalmente percebi que a paralisação do trabalho evangelístico estava diretamente relacionada a mim. As palavras de Deus dizem: “No momento, há alguns que não carregam nenhum fardo pela igreja. Essas pessoas são indolentes e descuidadas e se importam somente com a própria carne. Tais pessoas são extremamente egoístas e também são cegas”. Percebi que eu era a pessoa egoísta descrita na palavra de Deus. Eu não suportava um fardo no trabalho da igreja, sempre estava satisfeita com o status quo, eu só me importava com meu conforto, me recusava a sofrer ou a pagar um preço. Quando vi que o trabalho evangelístico sofria, eu não senti nenhuma urgência ou ansiedade e me tornei fraca e passiva nas minhas dificuldades. Eu era egoísta demais. Pensei nas igrejas em outros lugares que também eram perseguidas pelo governo, mas os irmãos continuavam pregando o evangelho e construindo novas igrejas, enquanto o nosso trabalho evangelístico tinha parado. Tudo isso era porque eu era egoísta e desprezível, não assumia um fardo nem responsabilidade. Eu me senti em dívida com Deus. Quando eu costumava suportar um fardo e alguém investigava o caminho verdadeiro, eu logo arranjava alguém para pregar o evangelho, e quando os irmãos tinham problemas, eu comungava a verdade para resolvê-los. Quanto mais eu cooperava, mais eu tinha a obra do Espírito Santo, nosso trabalho evangelístico era eficiente e eu sentia paz e prazer. Mas, mais recentemente, já que eu cumpria meu dever sem assumir um fardo, o trabalho evangelístico era ineficiente. A essa altura, graças a estas palavras de Deus: “Todos aqueles que carregam o maior fardo pela igreja, todos aqueles que carregam um fardo para entrar na vidaeles serão aqueles que são aperfeiçoados por Deus”, eu finalmente ganhei um pouco de entendimento. Só aqueles que consideram a vontade de Deus e que assumem um fardo no trabalho da igreja podem ser aperfeiçoados por Deus. Também percebi que, se eu não conseguisse reverter meu estado passivo, isso não só afetaria o trabalho da igreja, eu acabaria sendo revelada e excluída. Pensando nisso, fiquei com um pouco de medo. Eu não podia mais ser passiva e negligente. Orei a Deus, pedindo que Ele me ajudasse a suportar um fardo e me guiasse a considerar a Sua vontade e a cumprir bem o meu dever.

Depois disso, discuti com o supervisor e os líderes de grupo onde poderíamos pregar o evangelho. Encontramos um vilarejo onde todos acreditavam no Senhor, mas não havia nenhuma pessoa adequada que pudesse ir. Pensei: “Dessa vez, tenho que considerar a vontade de Deus e não posso rejeitar um fardo como antes. Tenho que assumir essa responsabilidade proativamente”. Assim, eu me voluntariei a ir até aquele vilarejo para pregar o evangelho. Mas eu estava um pouco nervosa, pois eu nunca tinha testificado da obra de Deus nos últimos dias sozinha, por isso temia que não conseguisse falar claramente. Pensei: “Não sei se eles têm internet ali. É possível fazer com que irmãos que pregam o evangelho comunguem on-line?”. Percebi que meu estado era errado e que eu estava confiando em pessoas, assim orei em meu coração, pedindo que Deus me desse sabedoria e fé ao espalhar o evangelho ali. Quando cheguei ao vilarejo, uma irmã me levou diretamente para a casa do prefeito para pregar. Inesperadamente, o prefeito quis me levar ao pastor. Quando ouvi isso, fiquei animada, mas também tive alguns receios: “Eu nunca preguei o evangelho sozinha. Se o pastor tiver noções, como deverei comungar com ele? E se ele não só não aceitar, mas se opor a mim? Ainda seremos capazes de espalhar o evangelho nesse vilarejo?”. Eu estava muito apreensiva. Quando cheguei à casa do pastor, eu quis pedir a ajuda dos meus irmãos, mas não havia internet no meu celular. Eu não sabia por onde começar, então fiquei orando sem parar, implorando que Deus ficasse comigo e me desse fé para que eu pudesse testificar da obra de Deus nos últimos dias. Depois de orar, lembrei-me das palavras de Deus: “O coração e o espírito do homem são guardados na mão de Deus, tudo de sua vida é observado pelos olhos de Deus. Não importa se você acredita nisso ou não, todas as coisas, vivas ou mortas, vão se transformar, mudar, se renovar e desaparecer de acordo com os pensamentos de Deus. Tal é a maneira pela qual Deus preside sobre todas as coisas(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Deus é a fonte da vida do homem”). Era verdade. Deus é onipotente, e todas as pessoas, assuntos e coisas estão nas mãos de Deus, inclusive o coração e o espírito das pessoas, assim, eu devia aprender a confiar em Deus. Orei a Deus no meu coração: “Deus, se esse pastor for Tua ovelha, tenho certeza de que ele entenderá a Tua voz e aceitará a Tua obra”. Depois de orar, eu senti uma força no meu coração, como se nada fosse impossível com Deus ao meu lado. Então usei os desastres atuais e os assuntos globais para falar sobre as profecias da vinda do Senhor. Depois de me ouvir, o pastor concordou, achando que era provável que o Senhor tinha retornado. Ele também mandou chamar dois outros pastores para ouvirem. Eu temi que não seria capaz de falar claramente e resolver seus problemas, então clamei a Deus sem parar no meu coração para pedir que Ele me guiasse. Lembrei-me de quando Deus pediu que Moisés tirasse os israelitas do Egito. Moisés sabia que falar com o faraó do Egito seria difícil e perigoso, mas sua atitude foi obediência e submissão. Deus estava com ele e o apoiava, e com a orientação de Deus, Moisés tirou os israelitas do Egito. Então pensei na história de Davi e Golias. Quando os israelitas viram Golias, eles tiveram medo. Só Davi ousou sair e lutar. Davi disse a Golias: “Tu vens a mim com espada, com lança e com escudo; mas eu venho a ti em nome de Jeová dos exércitos” (1 Samuel 17:45). Como resultado, Davi matou Golias com uma pedrinha. Essas duas histórias me mostraram que, diante de dificuldades, só fé verdadeira nos permite ver os feitos de Deus e que o fim das pessoas é o início de Deus. Pensando nisso, encontrei coragem.

Naquele momento, dois outros pastores vieram. Eu usei profecias bíblicas para comungar com eles como Deus aparece e opera na carne encarnada nos últimos dias, o significado da encarnação de Deus e o que é encarnação. Também testifiquei que Deus veio para fazer a obra de julgamento e purificação, que, nos últimos dias, o nome de Deus é Deus Todo-Poderoso e que Ele é o Senhor Jesus retornado. Quando terminei, o primeiro pastor estava tão emocionado que chorou. Ele enxugou suas lágrimas e disse: “Tenho pregado pelo Senhor por mais de quarenta anos e tenho aguardado o Seu retorno por toda a minha vida. Agora, o Senhor realmente voltou! Sou tão grato a Deus pelo fato de poder acolher o Senhor no dia de hoje!”. Quando o pastor disse isso, eu fiquei tão comovida que chorei com ele e também dei graças a Deus. Na verdade, minha comunhão não era muito boa, de modo que o fato de o pastor aceitar o evangelho e entender as palavras de Deus só aconteceu graças à orientação de Deus.

O pastor aceitou e disse que levaria o vilarejo inteiro para ouvir o meu sermão naquela noite. Fiquei tão animada que agradecia a Deus sem parar. Naquela noite, o pastor e o prefeito convidaram os habitantes de dois vilarejos para uma reunião e contaram a todos as boas novas da vinda do Senhor. Naquela noite, mais de trinta pessoas aceitaram a obra de Deus dos últimos dias. Algumas pessoas disseram: “Quatro anos atrás, o governo baniu nossa crença no Senhor. Vivemos em dor e sentimos falta das reuniões. Graças a Deus!” Outro habitante se comoveu e disse: “Não temos nos reunido há anos. Você veio para pregar o evangelho para nós para que pudéssemos ouvir a voz de Deus, e sou muito grato a Deus por isso”. Em uma noite, o evangelho foi pregado ao vilarejo inteiro. Eu nunca esperava que, na primeira vez que pregasse o evangelho, o pastor o aceitaria juntamente com tantos outros. Foi simplesmente incrível! Eu sabia que isso era o resultado da obra do Espírito Santo, mas eu ainda achava que eu era habilidosa e cumpria bem o meu dever. Num piscar de olhos, comecei a sentir orgulho e a me satisfazer com o status quo novamente, por isso, só quis regar esses recém-convertidos com a irmã responsável pela rega e não quis mais sair para pregar o evangelho. Naquele tempo, eu raramente me informava sobre o trabalho da igreja e orava a Deus menos do que antes.

Um dia, eu estava carregando meu celular e houve um curto-circuito. Coloquei meu chip em outro celular, mas, supreendentemente, esse celular também quebrou. A essa altura, percebi que eu estava esbarrando contra uma parede e que isso podia ser a disciplina de Deus, então comecei a refletir sobre meus problemas. Li na palavra de Deus: “Em geral, todos vocês existem dentro de um estado de preguiça, desmotivados, relutantes em fazer qualquer sacrifício pessoal; ou esperam passivamente, e alguns até reclamam; não entendem os objetivos e o significado da obra de Deus, e é difícil para eles buscar a verdade. Tais pessoas detestam a verdade e, no final, serão eliminadas. Nenhuma delas pode ser aperfeiçoada e nenhuma pode sobreviver. Se as pessoas não tiverem um pouco de determinação com a qual resistir às forças de Satanás, então não há esperança para elas!(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Prática (7)”). “Não seja um seguidor passivo de Deus e não busque aquilo que faz você ficar curioso. Por não ser nem frio nem quente você arruinará a si próprio e atrasará sua vida. Você deve livrar-se dessa passividade e inatividade e tornar-se adepto de buscar coisas positivas e superar suas próprias fraquezas para poder ganhar a verdade e vivê-la. Não há nada de temível em suas fraquezas, e suas falhas não são seu maior problema. Seu maior problema e sua maior falha são não ser nem quente nem frio e sua falta de desejo de buscar a verdade. O maior problema de todos vocês é uma mentalidade acovardada com que ficam felizes com as coisas do jeito que estão e apenas ficam esperando passivamente. Esse é seu maior obstáculo e o maior inimigo da sua busca da verdade(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento”). Depois de ler a palavra de Deus, refleti sobre mim mesma. Quando vi que o evangelho tinha sido espalhado para todo o vilarejo, achei que Deus estava satisfeito com o desempenho do meu dever, então fiquei orgulhosa e satisfeita com o status quo e não quis continuar espalhando o evangelho. Obtidos alguns resultados, eu não busquei progresso adicional. Meu desejo de me contentar com o status quo foi forte demais. No passado, eu atrasava o trabalho evangelístico exatamente por me contentar com o status quo, e agora estava fazendo o mesmo de novo. Deus exige que coloquemos todo o nosso coração e toda a nossa mente no nosso dever. Como Deus poderia estar satisfeito com o desempenho do meu dever? Foi aí que percebi que, se eu não estava progredindo no meu dever, eu estava regredindo, e em termos de entrada na vida e de resultados na pregação do evangelho, eu seria deixada para trás. Eu sempre me contentava com o status quo, não buscava a verdade e estava me alienando de Deus. Em longo prazo, eu só poderia me prejudicar desse jeito. Contentar-me com o status quo era meu maior obstáculo na busca da verdade e no cumprimento do meu dever, e eu só prejudicaria e arruinaria a mim mesma. É como dizem as palavras de Deus: “Por não ser nem frio nem quente você arruinará a si próprio e atrasará sua vida”. E Apocalipse diz: “Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da Minha boca(Apocalipse 3:16). Eu era a água morna na palavra de Deus, eu não era fria nem quente e estava contente com o status quo. Se eu continuasse assim, não haveria esperança para mim, e eu seria excluída. Pensando nisso, fiquei com um pouco de medo, então orei a Deus para me arrepender, dizendo que, não importavam as dificuldades que enfrentasse no futuro, eu me esforçaria, nunca regrediria e nunca me satisfaria com o status quo.

Mas justamente quando comecei a ser proativa na minha pregação, deparei-me com outra grande dificuldade. Fomos denunciados, assim o governo do município sabia que pessoas vinham para pregar o evangelho. Se fôssemos encontrados, seríamos presos, juntamente com o prefeito e os habitantes. O prefeito e os habitantes do vilarejo temiam ser implicados, por isso pediram que partíssemos e voltássemos após as coisas se acalmarem. Pensei: “O que acontecerá com esses recém-convertidos se partirmos? Eles acabaram de aceitar o evangelho e não têm fundamento. Mas se nós duas ficarmos, poderemos chamar atenção”. Finalmente, decidimos que a irmã regadora partiria, enquanto eu permaneceria no vilarejo sozinha para apoiar os recém-convertidos. Embora soubesse que esse arranjo era o mais apropriado, fiquei um pouco triste. Me senti como se estivesse totalmente sozinha num lugar estranho. O pastor ainda tinha muitas noções e não tinha certeza sobre o caminho verdadeiro e temia ser preso, por isso também quis que eu partisse. Fiquei muito aflita. O pastor e o prefeito estavam me expulsando, e era como se eu não tivesse um lar. Vivendo nesse estado, eu não tinha motivação para orar e sentia saudades de casa. Quando comunguei com o pastor, vi que ele ainda tinha muitas noções. Achei que o pastor não tinha um bom entendimento. Quando vi que só poucos recém-convertidos vinham às reuniões por causa das prisões, eu não assumi um fardo para apoiá-los. Naquele momento, pensei: “É bom que esses poucos vieram. Eu os chamei, mas o resto não veio, não há nada mais que eu possa fazer”. Cada vez menos recém-convertidos vinham às reuniões regularmente, e eu estava atolada em dificuldades e depressão. Mais tarde, falei pelo celular com uma irmã sobre o meu estado, e ela me enviou uma passagem da palavra de Deus. “É assim que as pessoas são quando não ganharam a verdade, todas elas vivem segundo a paixãouma paixão que é incrivelmente difícil de manter: elas têm de ter alguém que lhes pregue e que comungue com elas todos os dias; quando não há ninguém que as regue e proveja para elas e ninguém que as apoie, seu coração volta a esfriar, elas voltam a relaxar. E quando o seu coração relaxa, elas se tornam menos eficazes no seu dever; se trabalham mais, a eficácia aumenta, o desempenho do seu dever se torna mais produtivo, e elas ganham mais. É essa a experiência de vocês? […] As pessoas devem ter uma vontade; somente aquelas que têm uma vontade podem verdadeiramente buscar a verdade, e só depois de terem entendido a verdade elas podem cumprir devidamente o seu dever, e satisfazer a Deus, e trazer vergonha para Satanás. Se você tiver esse tipo de sinceridade e não planejar para o seu próprio bem, mas apenas para ganhar a verdade e cumprir corretamente o seu dever, o desempenho do seu dever se tornará normal, e permanecerá sempre constante; quaisquer que sejam as circunstâncias que encontre, você será capaz de persistir no desempenho do seu dever. Não importa quem ou o que possa vir para enganar ou perturbar você, não importa se o seu humor for bom ou ruim, você ainda será capaz de cumprir o seu dever normalmente. Dessa forma, Deus não precisa se preocupar com você, e o Espírito Santo poderá iluminá-lo no entendimento dos princípios da verdade e guiá-lo na entrada na realidade da verdade, e, como resultado, o desempenho do seu dever certamente estará à altura dos padrões. […] Você deve ter fé que tudo está nas mãos de Deus e que os humanos estão apenas cooperando com Ele. Se o seu coração for sincero, Deus verá e abrirá todas as sendas para você, tornando as dificuldades não mais difíceis. Essa é a fé que você deve ter. Portanto, vocês não precisam se preocupar com nada enquanto cumprem seu dever, contanto que você use todas as suas forças e coloque seu coração nisso. Deus não tornará as coisas difíceis para você nem o forçará a fazer o que você não é capaz de fazer(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Na crença em Deus, o crucial é praticar e experimentar Suas palavras”). Ao aplicar a palavra de Deus, vi que eu estava cumprindo meu dever apenas a partir do entusiasmo e que eu não era leal a Deus. Quando a perseguição do governo nos alcançou, o prefeito pediu que eu fosse embora, e os recém-convertidos não participaram das reuniões porque temiam ser presos. Diante dessas dificuldades, eu não tive uma atitude positiva, não busquei a orientação de Deus nem me esforcei para regar os recém-convertidos e estabelecer um fundamento na fé. Em vez disso, tornei-me passiva e me contentei com poucos recém-convertidos. Justamente porque eu cumpria meu dever sem assumir um fardo nem buscar progresso, a frequência nas reuniões dos recém-convertidos estava se tornando cada vez mais irregular. É como dizem as palavras de Deus: “Quando o seu coração relaxa, elas se tornam menos eficazes no seu dever; se trabalham mais, a eficácia aumenta, o desempenho do seu dever se torna mais produtivo, e elas ganham mais”. Isso é verdade. Quando eu assumia um fardo e estava disposta a pagar um preço, eu podia ver a orientação e as bênçãos de Deus, e minha pregação do evangelho era eficaz. Mas quando eu tinha dificuldades, eu não assumia um fardo no meu dever, era irresponsável, fraca e passiva, e assim me tornava ineficiente no meu dever. O fato de eu poder cumprir um dever era a graça de Deus, mas eu não conseguia cumpri-lo bem para satisfazer a Deus. Eu era rebelde demais!

Mais tarde, li outra passagem da palavra de Deus: “O que significa ‘manter-se firme em seu dever’? Significa que, quaisquer que sejam as dificuldades que você encontra, você não desiste, nem se torna um desertor, nem se esquiva de suas responsabilidades. Você faz o máximo que pode. É isso que significa manter-se firme em seu dever. Digamos, por exemplo, que é feito o arranjo para que você faça algo. Não há ninguém para vigiá-lo, não há ninguém para supervisioná-lo nem para incentivá-lo a continuar. Como seria manter-se fiel em seu dever? (Aceitar o escrutínio de Deus e viver diante Dele.) Aceitar o escrutínio de Deus é o primeiro passo; é uma parte disso. A outra parte é fazer essa coisa com todo o seu coração e com toda a sua mente. O que você deve fazer para ser capaz de agir com todo o seu coração e toda a sua mente? Você deve aceitar a verdade e colocá-la em prática; você deve aceitar e obedecer a tudo que Deus exige; você deve tratar seu dever como seu assunto pessoal, sem exigir a preocupação de mais ninguém nem sua observação, verificação e encorajamento constantes, nem sua supervisãonem mesmo seu tratamento e poda. Você deve pensar: ‘Cumprir esse dever é minha responsabilidade. É minha parte, e já que foi me dado para que eu o faça, e fui informado sobre os princípios e eu os entendi, eu serei resoluto e o farei com concentração. Farei tudo que puder para garantir que seja bem-feito. Só pararei quando alguém disser “pare”; até então, continuarei concentrado nisso’. É isso que significa manter-se fiel ao seu dever com todo o seu coração e com toda a sua mente. É assim que as pessoas devem se comportar. Então, com o que alguém deve se equipar a fim de se manter fiel ao seu dever com todo o seu coração e com toda a sua mente? Deve, primeiro, ter a consciência que um ser criado deve ter. Isso é o mínimo. Além disso, deve também ser devotado. A fim de aceitar a comissão de Deus como um humano, é preciso ser devotado. É preciso ser completamente devotado a Deus, e não se pode ser indiferente ou não assumir responsabilidade; agir com base nos interesses ou humores próprios está errado; isso é não ser devotado. Ao que se refere ser devotado? Significa que, enquanto cumpre os seus deveres, você não é influenciado nem constrangido por humores, ambientes, pessoas, questões ou coisas. Você deve pensar assim: ‘Eu recebi essa comissão de Deus; Ele a deu para mim. É isso que devo fazer. Portanto, eu a farei considerando-a como um assunto pessoal e de uma forma que renda bons resultados, com atenção especial em satisfazer a Deus.’ Quando tem esse estado, você não está sendo apenas controlado pela sua consciência, a devoção também está envolvida. Se você estiver satisfeito em simplesmente fazê-lo sem a ambição de ser eficiente e alcançar resultados, se sentir que basta simplesmente empenhar algum esforço, então isso é meramente o padrão da consciência e não pode ser considerado devoção(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Depois de ler as palavras de Deus, entendi como ser fiel ao meu dever. Esse dever me foi confiado, por isso eu devia fazer de tudo para cumpri-lo bem e sem a supervisão de ninguém. Não importava se eu enfrentasse dificuldades, se meus interesses fossem envolvidos ou se eu tivesse que sofrer, eu devia aceitar a inspeção de Deus e cumprir bem o meu dever. Enquanto o trabalho evangelístico continuasse, eu devia fazer tudo que podia e tratar meu dever como minha missão, e eu não podia desistir, me esquivar da responsabilidade nem fazer coisas com base em meu humor. Então eu estaria sendo fiel ao meu dever.

Em seguida, fui comungar com os recém-convertidos que não estavam frequentando as reuniões. Eu disse: “Se vocês não podem vir às reuniões à noite, quando têm tempo durante o dia, posso vir comungar com vocês”. Isso comoveu alguns dos recém-convertidos, e eles se dispuseram a vir às reuniões. Uma noite, organizei uma reunião com o pastor e os aldeões. Eu disse: “Agora, a obra de Deus está prestes a concluir, portanto, não devemos ter medo de nos reunir para ler as palavras de Deus por causa da perseguição do governo. Se fizermos isso, perderemos a salvação de Deus. Agora os desastres estão aumentando, e só Deus Todo-Poderoso pode nos salvar. Devemos acreditar que Deus governa sobre todas as coisas, ter fé em Deus e não recuar diante da perseguição que enfrentamos. Eu preguei o evangelho em seu vilarejo, e se me encontrarem, eu serei presa. Eu só sou uma mulher jovem e tenho medo de ser presa; por que, então, não vou embora? Porque essa é a minha responsabilidade. Vocês acabaram de aceitar o evangelho do reino de Deus e finalmente ouviram a voz de Deus. Agora veio essa pequena perseguição e vocês pediram que eu fosse embora, mas se eu partisse para me proteger e abandonasse todos vocês, isso seria abandono do meu dever”. Depois da minha fala honesta, o pastor disse aos aldeões: “Devemos protegê-la a partir de agora. Não contem a ninguém que ela está pregando o evangelho neste vilarejo. Se alguém perguntar, digam que vocês não sabem”. Quando ouvi o que o pastor disse, fiquei muito comovida. Embora ainda tivesse muitas noções religiosas, ele estava disposto a buscar, por isso, forneci comunhão que visava às suas noções, e os irmãos enviaram algumas das palavras de Deus Todo-Poderoso ao pastor. O pastor ouviu com atenção, e algumas de suas noções foram resolvidas. Mais tarde, o pastor participou ativamente das reuniões e disse aos aldeões: “Quero que todos vocês venham às reuniões. Devemos aceitar a obra de Deus dos últimos dias, acompanhá-la e não ficar para trás. Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado!”. Graças a Deus! Depois dessa experiência, vi que tudo está realmente nas mãos de Deus. No passado, eu só dizia que tudo estava nas mãos de Deus, mas agora realmente experimentei que tudo está nas mãos de Deus. Contanto que as pessoas cooperem sinceramente com Deus, Ele as guiará. Com Deus, nada é impossível.

Algum tempo depois, os funcionários do município vieram para a aldeia e me levaram com o pastor para a prefeitura. Eu estava nervosa e com medo, mas me lembrei de que tudo estava nas mãos de Deus, e já que Deus tinha permitido que esse ambiente me acometesse, eu devia obedecer. Enquanto caminhávamos pela estrada, eu orei a Deus, pedindo que Ele ficasse comigo. Lembrei-me da palavra de Deus: “Independentemente de quão ‘poderoso’ Satanás seja, independentemente de quão audacioso e ambicioso seja, independentemente de quão grande seja sua capacidade de causar danos, independentemente de quão abrangentes sejam as técnicas com as quais corrompe e seduz o homem, independentemente de quão inteligente são os truques e artimanhas com os quais intimida o homem, independentemente de quão mutável seja a forma em que existe, ele nunca foi capaz de criar uma única coisa vivente, nunca foi capaz de estabelecer leis ou regras para a existência de todas as coisas, e nunca foi capaz de governar e controlar nenhum objeto, seja animado ou inanimado. Dentro do cosmo e do firmamento, não há uma única pessoa ou objeto que tenha nascido dele ou que exista devido a ele; não há uma única pessoa ou objeto que seja governado por ele ou controlado por ele. Pelo contrário, ele não só tem de viver sob o domínio de Deus, como, além disso, deve obedecer a todas as ordens e comandos de Deus. Sem a permissão de Deus, é difícil para Satanás tocar até mesmo uma gota de água ou grão de areia na terra; sem a permissão de Deus, Satanás nem ao menos é livre para mover as formigas sobre terra, quanto mais a humanidade, que foi criada por Deus(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único I”). Quando pensei nas palavras de Deus, fiquei calma e perdi o medo e acreditei que tudo estava nas mãos de Deus.

Na prefeitura, o pastor e eu fomos trancados numa sala de interrogatório. Naquele momento, a enxaqueca do pastor voltou. Ele estava sem forças, suas mãos e seus pés tremiam. Ele estava sofrendo e temia morrer ali. Eu comunguei com ele, dizendo: “Este ambiente é um teste para nós, para ver se realmente seguimos a Deus. Tudo está nas mãos de Deus, e Satanás não fará nada sem a permissão de Deus, por isso devemos ter fé”. Depois da minha comunhão, o pastor chorou comovido. Ele disse: “Graças a Deus! Tudo está nas mãos de Deus, e Deus está conosco, por isso não posso ter medo da morte”. Então ele me disse: “Se eles nos interrogarem, eu direi que você é minha filha e que você está aqui para me ajudar no meu trabalho”. E assim o pastor e eu tivemos a confiança para experimentar esse ambiente. No fim, o governador nos deu uma multa de 300 yuans e nos liberou.

Depois de passar por essa prisão, eu vi a soberania onipotente de Deus e que o coração e o espírito das pessoas estão nas mãos de Deus. Embora a senda de pregar o evangelho seja difícil e perigosa, naquele tempo, eu amadureci um pouco. Quando eu era perseguida no passado, eu ficava passiva, mas agora eu era capaz de assumir responsabilidade quando enfrentava perigo. Essa mudança e esse ganho precioso são coisas que eu não teria recebido de outra forma. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

O despertar de uma falsa líder

Por Yang Fan, China Em 2019, comecei meu dever como líder. Eu sabia que isso era a exaltação de Deus e jurei a mim mesma que cumpriria bem...

Como mudei meu jeito orgulhoso

No passado, eu sempre me via como uma pessoa muito inteligente. Achava que sempre conseguia fazer tudo sem a ajuda dos outros. Na escola e...

Conecte-se conosco no Whatsapp