Agora sei como dar testemunho de Deus

04 de Fevereiro de 2022

Por Xu Lu, China

Em abril de 2021, eu comecei a trabalhar espalhando o evangelho com a irmã Chen Zhengxin. Como eu já tinha espalhado o evangelho no passado e tinha alguma experiência relevante, comecei a ter resultados melhores do que ela depois de um período. Eu me gabava com frequência de como eu espalhava o evangelho e respondia às perguntas de possíveis receptores do evangelho, entrando em muitos detalhes. Zhengxin ficava maravilhada. Uma vez, depois de comungar com alguns novos crentes que não frequentavam as reuniões, todos eles começaram a participar de costume. Eu sabia que era Deus que os estava guiando e tocando seu coração, mas eu ainda fiquei contente comigo mesma, achando que eu tinha tido parte nisso. Depois de voltar da reunião, não pude deixar de me gabar para Zhengxin, dizendo: “Eu confiei em Deus e logo depois de comungar algumas palavras, todos eles concordaram em participar das reuniões”. Vendo como ela olhou para mim com tanta admiração, eu me senti ainda melhor. Noutra ocasião, ela voltou cabisbaixa, decepcionada por não ter conseguido responder à pergunta de alguém a quem estava pregando. Perguntei o que a irmã tinha dito a essa pessoa, e ela me deu um resumo. Pensei: “Você ainda não tem experiência suficiente. Essa não era uma pergunta difícil, e eu a teria resolvido num piscar de olhos. Eu preciso atualizá-la e mostrar-lhe como é que se compartilha o evangelho de verdade”. Com isso, eu lhe contei como comungar de modo mais eficaz. Zhengxin concordou com o que lhe disse, dizendo que era muito deficiente, e pediu que eu a ajudasse mais. Eu lhe disse que devíamos confiar em Deus, mas, no coração, eu estava muito satisfeita comigo mesma, pensando em como eu era talentosa em compartilhar o evangelho.

Numa reunião, uma líder perguntou o que tínhamos aprendido e que experiências tínhamos tido recentemente enquanto divulgávamos o evangelho. Zhengxin disse: “Por meio da divulgação do evangelho, eu aprendi que ainda tenho muitas insuficiências. Houve muitas perguntas dos potenciais recipientes do evangelho que eu não soube responder. Xu Lu parece ser capaz de encontrar as palavras de Deus para comungar e responder as perguntas deles tão depressa”. A líder sorriu para mim e assentiu com a cabeça. Eu queria mostrar para a líder o quanto eu sabia e que eu sabia responder qualquer pergunta com facilidade, por isso, eu intencionalmente tomei a palavra no lugar de Zhengxin, dizendo: “Algumas das perguntas dos potenciais recipientes do evangelho realmente eram muito difíceis de responder”. A líder perguntou: “Que perguntas?”. Peneirei rapidamente as muitas perguntas, pensando que eu deveria escolher uma pergunta difícil para mostrar à líder como eu era talentosa. Assim, gesticulando energicamente e com uma conduta radiante e agitada, narrei as perguntas dos potenciais recipientes do evangelho, como eu tinha comungado para respondê-las e como, no fim, eu as tinha sinceramente convencido. Eu exagerei, retratei as coisas como se fossem mais difíceis do que eram, como se os outros nunca conseguissem resolver essas questões e eu fosse a única capaz. Eu queria que a líder pensasse que eu tinha alguma verdade realidade, que eu era a melhor de todos que compartilhavam o evangelho. A líder e todos os outros irmãos me apoiaram, e eu me deleitei com aquilo. Depois das perguntas sobre o trabalho de compartilhar o evangelho, a líder comungou os princípios de compartilhar o evangelho com relação a nossas questões recentes. Depois que a líder tinha acabado de fazer suas observações, eu pensei: “Tenho algumas experiências relevantes que eu realmente deveria compartilhar agora mesmo. Se mudarmos de assunto, perderei a oportunidade para falar”. Então, interrompi, dizendo: “E tem muito mais”. Entrei numa discussão extensa, tirando de minha experiência para elucidar como alcancei resultados enquanto compartilhei o evangelho. Vendo que todos estavam concordando com a cabeça, fui falando com entusiasmo ainda maior. Os outros irmãos contribuíam com suas opiniões, mas eu não absorvia nada disso. Para mim, era como se eles não tivessem percepções nem pensamentos valiosos de verdade. Continuei compartilhando minhas opiniões, não dando aos outros a oportunidade de falar. Eu só queria descarregar todas as minhas experiências de uma só vez, para que a líder visse que eu tinha calibre e dons, que eu sabia buscar princípios no meu dever, que eu era um talento raro. Enquanto falava, passou pela minha cabeça que eu poderia estar me exibindo, então tentei ir mais devagar e falar um pouco sobre meus erros e minha corrupção. Mas também achava que esses métodos práticos deveriam ser comungados para o bem maior. Tudo isso era minha experiência de primeira mão e eu não podia deixar de comungar por medo de me exibir. Assim, continuei num tagarelar sem fim. Quando terminei, a líder assentiu com a cabeça e os outros pareciam olhar para mim com admiração. Foi um sentimento maravilhoso. Então, durante aquela reunião, todos só ficaram me ouvindo falar. Não só isso, mas nas reuniões e comunhão, eu raramente contava aos outros meus estados negativos ou exemplos de meus fracassos em compartilhar o evangelho. Achava que isso arruinaria minha imagem, por isso, sempre escolhia meus sucessos com cuidado. Depois de algumas reuniões, todos achavam que eu era ótima em compartilhar o evangelho, e outras pessoas naquele dever começaram a depender de mim. Pediam-me diretamente que eu falasse com as pessoas presas em suas noções. Isso me deu uma opinião de mim mesma ainda mais elevada e gostei da sensação de ser admirada. Justo quando estava me sentindo tão satisfeita comigo mesma, fui confrontada com o castigo e a disciplina de Deus.

Comecei a me deparar com muitos obstáculos e não estava alcançando nenhum resultado na divulgação do evangelho. Pensei: “Estava sempre me gabando me exibindo nas reuniões com os irmãos e que agora me tornei não ineficaz na divulgação do evangelho. Será que Deus está enojado comigo e Se escondendo de mim?”. Eu me abri para Zhengxin sobre o estado em que me encontrava, e ela disse: “Durante o tempo em que a conheço, percebi que você tende a se gabar. Você falou o tempo todo quando a líder participou de nossa reunião. Você a interrompeu antes que ela pudesse terminar de falar, e eu nem pude fazer uma pergunta. Eu me senti tão inferior depois de ouvir sobre todas as suas experiências em compartilhar o evangelho e sobre como você era eficiente na resolução dos problemas das pessoas”. Enquanto falava, ela começou a chorar e eu me senti simplesmente péssima. Eu nunca imaginei que eu me exibir a tinha prejudicado tanto. Isso não era cometer o mal? Vim para diante de Deus para refletir sobre mim mesma e então li estas palavras de Deus: “Todos os que trilham a senda dos anticristos exaltam e dão testemunho de si mesmos, promovem a si mesmos e exibem-se a todo momento, e não se importam nem um pouco com Deus. Vocês experimentaram essas coisas sobre as quais estou falando? Muitas pessoas testificam de si mesmas persistentemente, falando sobre como sofrem isto e aquilo, como trabalham, como Deus as valoriza e lhes confia certo trabalho, e como essas pessoas são, usando deliberadamente tons específicos ao falar, e empregando certos maneirismos, até que, no fim, algumas pessoas começarão, provavelmente, a pensar que elas são Deus. O Espírito Santo, há muito tempo, abandonou aqueles que chegam a esse nível, e, embora eles não tenham sido removidos, e são deixados, em vez disso, para prestar serviço, seu destino já está selado, e eles estão apenas aguardando sua punição(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “As pessoas fazem demandas demais a Deus”). A revelação das palavras de Deus me cortou até a medula e me senti verdadeiramente terrível. Percebi que a razão de encontrar muitas pedras de tropeço e não conseguir sentir a orientação de Deus era que eu tinha enojado a Deus com minha ostentação. O caráter de Deus é tão justo e santo! Eu me senti um tanto assustada. Eu sabia que, se continuasse daquele jeito, Deus me abandonaria e me excluiria com nojo. Eu devia buscar a verdade para resolver esse problema.

Depois disso, deparei-me com uma passagem das palavras de Deus expondo os que se exaltam e se exibem. Deus diz: “Exaltar-se e testificar de si mesmo, exibir-se, tentar fazer com que as pessoas o estimem e adorem — a humanidade corrupta é capaz dessas coisas. É assim que as pessoas reagem instintivamente quando são governadas por sua natureza satânica, e é algo comum a toda a humanidade corrupta. Como as pessoas costumam se exaltar e testificar de si mesmas? Como alcançam esse objetivo de fazer com que as pessoas as estimem e as adorem? Elas testificam quanto trabalho fizeram, quanto sofreram, quanto se despenderam, e que preço pagaram. Elas usam essas coisas como capital com o qual se exaltam, o que lhes garante um lugar mais elevado, mais firme e mais seguro na mente das pessoas, para que mais pessoas as apreciem, estimem, admirem e até mesmo as venerem, valorizem e sigam. Para alcançar esse objetivo, as pessoas fazem muitas coisas que testificam de Deus por fora, mas que, em essência, as exaltam e testificam delas mesmas. Agir dessa forma é sensato? Elas estão além do alcance da racionalidade e não têm vergonha, isto é, elas testificam descaradamente daquilo que fizeram por Deus e de quanto sofreram por Ele. Até exibem seus dons, talentos, experiência, habilidades especiais, suas técnicas inteligentes para negócios mundanos, os meios que usam para brincar com as pessoas, e assim por diante. Seu método de se exaltar e testificar de si mesmas é se exibir e diminuir os outros. Além disso, elas se camuflam e dissimulam, escondendo das pessoas as suas fraquezas, defeitos e deficiências para que estas só vejam sua excelência. Nem ousam contar a outras pessoas quando se sentem negativas; carecem da coragem de se abrir e comungar com elas, e quando cometem algum erro, fazem de tudo para escondê-lo e encobri-lo. Jamais mencionam os danos que causaram ao trabalho da igreja durante o cumprimento de seu dever. Quando, porém, fazem alguma contribuição insignificante ou alcançam algum sucesso menor, elas são rápidas em exibi-lo. Não conseguem esperar para contar ao mundo inteiro como são capazes, como é alto o seu calibre, quão excepcionais são e quão melhores são do que as pessoas normais. Isso não é uma maneira de se exaltar e testificar de si mesmo?(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Quatro: Eles se exaltam e dão testemunho de si mesmos”). Eu não tinha me exibido e me exaltado exatamente como Deus descreveu? No desempenho do meu dever, eu estava me exibindo para ganhar a admiração das pessoas, em vez de dar testemunho de Deus e de O exaltar. Estava usando minha experiência evangelística como capital pessoal, achando-me esperta e eloquente. Eu me exibia e me atirava nos holofotes em toda oportunidade. Quando tinha algum sucesso na divulgação do evangelho, eu me gabava para Zhengxin sobre a minha capacidade de comungar a verdade e de resolver problemas, e quando a vi enfrentar alguns fracassos, eu contei a ela todas as minhas experiências. Eu agi sob o pretexto de ajudá-la, mas, na verdade, era só para me exibir e mostrar minhas habilidades. Eu queria que ela pensasse que eu era melhor do que ela, e, como resultado, ela acabou se sentindo inferior a mim e caindo em negatividade. Quando a líder veio para nossa reunião, eu fiquei chamando atenção e me exibindo o tempo todo, exagerando a dificuldade dos problemas que tinha resolvido para salientar minhas habilidades. Também interrompi as pessoas e transformei a reunião em minha sessão de palestra pessoal, falando sem parar sobre como eu tinha alcançado resultados em compartilhar o evangelho, para salientar minhas realizações e ganhar a admiração dos outros. Eu fui realmente desprezível e sem vergonha! Como eu estava sempre interrompendo e me exibindo, eu privei os irmãos da oportunidade de buscar e comungar a verdade. Como resultado, suas questões e dificuldades não foram prontamente resolvidas. Eu tinha interrompido completamente a reunião. Além disso, porque eu só me importava com minha exibição pessoal, eu não fiz o menor esforço para ponderar as palavras de Deus e ouvir as experiências e conhecimento dos outros. Como resultado, eu também não tirei proveito algum da reunião. Eu sabia que eu tinha muitas falhas e deficiências, mas eu temia danificar a imagem que os outros tinham de mim, por isso eu encobria essas deficiências e falhas, só falando sobre meus sucessos. O resultado foi que alguns irmãos começaram a me admirar e a depender de mim. Eu estava os trazendo para diante de mim, e não só eu não temia, como me deleitava com isso. Refletindo sobre minha conduta, percebi que eu não tentava cumprir bem meu dever e satisfazer a Deus, mas que eu estava só enganando e seduzindo as pessoas.

Mais tarde, li esta passagem das palavras de Deus que me ajudou a entender minha natureza e essência. As palavras de Deus dizem: “Algumas pessoas particularmente idolatram Paulo. Elas gostam de sair, dar palestras e trabalhar, gostam de participar de reuniões e pregar e gostam de ter pessoas que as ouçam, adorem e girem em torno delas. Elas gostam de manter um lugar no coração dos outros e apreciam quando os outros valorizam a imagem que elas apresentam. Vamos analisar sua natureza a partir desses comportamentos. Qual é a natureza delas? Se elas realmente se comportam assim, então isso é suficiente em mostrar que são arrogantes e convencidas. Elas não adoram a Deus de modo algum; elas buscam um status mais elevado e desejam ter autoridade sobre os outros, possuí-los e manter uma posição no coração deles. Essa é a imagem clássica de Satanás. Os aspectos de sua natureza que se sobressaem são a arrogância e a presunção, uma relutância em adorar a Deus e um desejo de ser adorado pelos outros. Tais comportamentos podem lhe dar uma visão muito clara de sua natureza(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Como conhecer a natureza do homem”). Isso me fez perceber que a ostentação constante é o resultado de se ser controlado por uma natureza arrogante. Desde pequena, eu amava a sensação de ser admirada e apoiada — havia uma sensação tão grande de prestígio e de prazer — então, isso era algo que eu sempre tinha buscado na vida. Continuei fazendo isso até após ganhar a fé, gabando-me e exibindo-me sempre que podia. Eu me deleitava com isso e ficava feliz sempre que via a expressão de admiração em alguém. Espalhar o evangelho era minha responsabilidade, meu dever, e quaisquer sucessos se deviam à orientação de Deus. Mas eu era controlada por minha natureza arrogante, usando os dons, a experiência e os poucos resultados que eu tinha na divulgação do evangelho como capital pessoal. Eu acreditava que eu era um talento indispensável e desdenhava todos os outros. Eu também aproveitava cada oportunidade de me gabar na frente dos meus irmãos, de como tinha tido sucesso ao compartilhar o evangelho, sem jamais mencionar minhas falhas ou deficiências. Consequentemente, meus irmãos começaram a depender de mim em vez de esperar em Deus e depender de Deus. Deus deveria ocupar um lugar sagrado no coração das pessoas, mas eu estava trazendo os outros para diante de mim, portanto, só havia espaço para mim no coração deles. Eu não estava resistindo a Deus? Lembrei-me de Paulo, na Era da Graça, que era tão arrogante. Ele nunca exaltou o Senhor Jesus Cristo nem testificou Dele em suas epístolas, nem deu testemunho do que a obra do Senhor Jesus fez pela humanidade. Ele estava só se gabando de seus dons e calibre, seduzindo os outros para que o admirassem e seguissem. Ele testificou que não era inferior a nenhum dos outros apóstolos e, no fim, disse que vivia como Cristo, o que ofendeu seriamente o caráter de Deus. O fato de Paulo constantemente exaltar a si mesmo por fez com que as pessoas o adulassem a ponto de, por dois mil anos, as pessoas tratarem suas palavras como se fossem a próprias palavras de Deus, como o fundamento de sua fé e como princípios a serem praticados. Para elas, as palavras dele ultrapassam as palavras de Deus, transformando Deus num Deus nominal. Paulo acabou se tornando o anticristo primário e foi punido por Deus. Eu não era igual a Paulo. Eu não estava exaltando Deus nem testificando Dele em meu dever, mas só estava me exibindo e seduzindo o coração das pessoas. De que maneira eu estava desempenhando meu dever? Eu estava simplesmente administrando meu próprio negócio. Àquela altura, fiquei horrorizada por minhas ações e percebi que continuar assim seria verdadeiramente perigoso. Vim para diante de Deus e orei: “Deus, não quero viver contra Ti, no meu caráter corrupto. Por favor, disciplina-me e castiga-me se eu me exibir de novo. Deus, por favor, guia-me para que eu ganhe um entendimento mais profundo de mim mesma”. Mais tarde, deparei-me com outra passagem das palavras de Deus na qual Ele julga e expõe a humanidade: “Não pense que você entende tudo. Eu digo a você que tudo o que você tem visto e experimentado é insuficiente para que você entenda até mesmo uma milésima parte do Meu plano de gerenciamento. Por que, então, você age com tanta soberba? Esse pouquinho de talento e pouquinho de conhecimento que você tem são insuficientes para que Jesus os utilize até mesmo num único segundo da Sua obra! Quanta experiência você realmente possui? O que você tem visto e tudo o que você tem ouvido na sua vida e o que você tem imaginado são menos do que a obra que Eu faço em um único momento! Seria melhor você não procurar defeito e encontrar falha. Você pode ser tão arrogante quanto quiser, mas você nada mais é do que uma criatura que nem chega a ser igual a uma formiga! Tudo o que você tem na sua barriga é menos do que está na barriga de uma formiga! Não pense que, só porque você ganhou alguma experiência e senioridade, isso lhe dá o direito de gesticular desenfreadamente e se gabar. A sua experiência e a sua senioridade não são produtos das palavras que Eu tenho professado? Você crê que foram em troca de sua própria labuta e esforço? Hoje, você vê que Eu Me tornei carne, e só por causa disso, existe em você um excesso de conceitos e não há fim às noções a partir deles. Se não fosse pela Minha encarnação, mesmo se possuísse talentos extraordinários, você não teria tantos conceitos; e não é deles que surgem as suas noções?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “As duas encarnações completam o significado da encarnação”). Eu não tinha a verdade realidade e só era capaz de falar palavras e doutrinas. Depois de ganhar apenas um pouco de experiência e de fazer um pouco de trabalho, eu prontamente desprezei a todos os outros e até a Deus. Eu estava roubando a glória de Deus, era loucamente arrogante e carecia do mínimo de racionalidade! Quando compartilhava o evangelho, eu de fato estava totalmente ciente de que era Deus que defendia Sua própria obra. Às vezes, quando alguém fazia uma pergunta que eu não sabia responder, eu orava a Deus e me apoiava Nele. Então a resposta vinha até mim e eu sabia como abordar o problema por meio da iluminação do Espírito Santo. Às vezes, eu nem falava tanto assim, só uma passagem das palavras de Deus, mas as pessoas eram tocadas, reconheciam a voz de Deus e se prontificavam a buscar e a aceitar Sua obra dos últimos dias. Tudo isso era alcançado pelas palavras de Deus; era Ele que estava tocando o coração das pessoas. Uma vez, compartilhei o evangelho com o irmão de uma irmã na igreja. Muitos já tinham comungado com ele antes, mas suas noções o constrangiam, e ele não estava disposto a buscar e a investigar. Eu não me sentia muito confiante, mas me preparei um pouco com base em minha experiência anterior. Quando conversei com ele sobre o que eu já tinha preparado, ele não só não teve uma reação positiva, ele também trouxe algumas noções que tinha. Eu não soube como comungar, então orei, pedindo que Deus o tocasse e esclarecesse. Eu simplesmente lhe mostrei um vídeo de um testemunho e não comunguei muito com ele, mas ele ficou realmente comovido pela comunhão no vídeo e quis investigar a nova obra de Deus. Isso me surpreendeu: ele tinha dado meia-volta em pouco mais de meia hora. Eu sabia que não era porque eu tinha comungado tão bem, mas porque Deus o tinha tocado. Quando meus motivos eram errados em meu dever, não importava o quanto eu falasse, ninguém queria aceitar o evangelho. Minha experiência me mostrou que, em meus deveres, as palavras de Deus e a obra do Espírito Santo exerciam um papel decisivo; meus talentos e calibre não eram o fator determinante. As ovelhas de Deus ouvem Sua voz. Aqueles que Deus pré-selecionou reconhecem Sua voz em Suas palavras e querem investigar o caminho verdadeiro. Se não for alguém que Deus escolheu, nenhuma quantidade de comunhão fará diferença alguma. Mesmo sem nenhum talento ou calibre bom, se o coração de uma pessoa estiver no lugar certo e ela realmente olhar para Deus e confiar Nele, ela pode ganhar Sua orientação e será igualmente bem-sucedida em seus deveres. No entanto, eu estava cega para esse fato, não tinha o menor reconhecimento da obra do Espírito Santo, e não tinha um coração que teme a Deus. Eu dava a mim mesma toda a glória pela menor conquista, usando isso como desculpa para me gabar. Eu era descarada. Lembrando-me de como eu tinha me exibido, eu me senti tão vil e envergonhada. Era uma palhaça, cegamente fazendo uma encenação e expondo meu estado deplorável para todos, sem a menor autoconsciência. Se eu não tivesse me deparado com obstáculos ao espalhar o evangelho e se minha irmã não tivesse me podado e lidado comigo, eu teria permanecido entorpecida, sem qualquer autoconhecimento. Quando percebi isso, orei a Deus, disposta a me arrepender, a parar de me exaltar e de me exibir.

Mais tarde, busquei conscientemente como eu deveria praticar a fim de exaltar a Deus e dar testemunho Dele. Li uma passagem das palavras de Deus que diz: “Ao dar testemunho de Deus, deveriam sobretudo falar mais de como Deus julga e castiga as pessoas, e que provações Ele usa para refinar as pessoas e mudar o caráter delas. Deveriam falar também de quanta corrupção foi revelada em sua experiência, o quanto sofreram, quantas coisas fizeram para resistir a Deus e como foram finalmente conquistados por Deus. Falem sobre quanto conhecimento real da obra de Deus vocês têm e de como deveriam dar testemunho de Deus e retribuir-Lhe por Seu amor. Vocês deveriam pôr substância nesse tipo de linguagem, ao mesmo tempo em que a colocam de maneira simples. Não falem sobre teorias vazias. Falem de forma mais realista; falem a partir do coração. É assim que vocês deveriam experimentar as coisas. Não se equipem com teorias vazias que pareçam profundas em um esforço para se exibir; fazer isso faz com que pareçam bastante arrogantes e insensatos. Vocês deveriam falar mais sobre coisas reais a partir de sua experiência atual e falar mais do coração; isso é mais benéfico para os outros e mais apropriado para eles verem(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente buscando a verdade pode-se alcançar uma mudança no caráter”). As palavras de Deus me mostraram que o caminho para exaltar a Deus e dar testemunho Dele é o de testificar da Sua obra e do Seu caráter, falando sobre nossa própria corrupção e rebeldia e como aprendemos sobre nós mesmos por meio do julgamento e castigo das Suas palavras. Então, os outros podem chegar a ver o caráter justo de Deus e também o Seu amor por nós e nossa salvação. Mas eu só falava sobre meus sucessos ao compartilhar o evangelho, raramente falava sobre a corrupção que eu tinha exibido ou como eu tinha resistido a Deus e me rebelado contra Ele. Por conseguinte, as pessoas começaram a me admirar e a depender de mim. Eu precisava mostrar meu eu verdadeiro, revelar como eu tinha me exaltado e me exibido, e como Deus tinha me castigado e disciplinado para guiar-me ao autoconhecimento. Eu também deveria revelar minhas dificuldades e deficiências ao pregar o evangelho e compartilhar como o Espírito Santo me guiava. Eu precisava comungar tudo isso para que os outros me vissem claramente e vissem também como Deus opera. Então, eles teriam a fé para confiar em Deus e esperar de Deus em seu dever e ganhar a Sua orientação. Quando me abri dessa forma, todos perceberam que não tinham Deus em seu coração. Eles quiseram mudar, depender de Deus em seu dever.

Depois, li isso nas palavras de Deus: “Deus é o Criador, e Sua identidade e Seu status são supremos. Deus possui autoridade, sabedoria e poder, e Ele tem Seu próprio caráter e Seus bens e ser. Alguém sabe há quantos anos Deus tem operado em meio à humanidade e toda a criação? O número específico de anos pelos quais Deus tem operado e administrado toda a humanidade é desconhecido; ninguém pode dar um número exato, e Deus não informa esses assuntos à humanidade. No entanto, se Satanás fosse fazer algo assim, ele o informaria? Certamente informaria. Ele quer se exibir para enganar mais pessoas e conscientizar mais pessoas das contribuições dele. Por que Deus não informa esses assuntos? Existe um aspecto humilde e oculto na essência de Deus. O que é o oposto de ser humilde e oculto? É ser arrogante e se exibir. […] Deus exige que as pessoas deem testemunho Dele, mas será que Ele deu testemunho de Si mesmo? (Não.) Por outro lado, Satanás tem medo de que as pessoas não saibam nem mesmo as menores coisas que ele faz. Os anticristos não são diferentes: eles se gabam de cada coisinha que fazem na frente de todos. Ouvindo-os, parece que estão testificando de Deus — mas se ouvir com atenção, você descobrirá que eles não estão testificando de Deus, mas se exibindo, aumentando a si mesmos. A motivação e a essência por trás daquilo que eles dizem é competir com Deus por Seus escolhidos e por status. Deus é humilde e oculto, e Satanás se exibe. Existe uma diferença? Exibir-se versus humildade e ocultação: quais são as coisas positivas? (Humildade e ocultação.) Satanás poderia ser descrito como humilde? (Não.) Por quê? A julgar por sua natureza essência demoníaca, ele é um pedaço de lixo sem nenhum valor; seria anormal se Satanás não se exibisse. Como Satanás poderia ser chamado de ‘humilde’? ‘Humildade’ é algo que se diz sobre Deus. A identidade, a essência e o caráter de Deus são elevados e honráveis, mas Ele nunca se exibe. Deus é humilde e oculto, para que as pessoas não vejam o que Ele fez, mas enquanto Ele opera em tal obscuridade, a humanidade é incessantemente sustentada, nutrida e orientada — e tudo isso é arranjado por Deus. Não é ocultação e humildade o fato de que Deus nunca declara essas coisas, nunca as menciona? Deus é humilde exatamente porque Ele é capaz de fazer essas coisas, mas nunca as menciona nem declara, e Ele não discute com as pessoas sobre elas. Que direito você tem de falar de humildade quando é incapaz de fazer essas coisas? Você não fez nenhuma dessas coisas, mas insiste em ficar com o mérito por elas — isso se chama ser descarado. Orientando a humanidade, Deus executa uma obra tão grande, e Ele preside sobre todo o universo. Seu poder e autoridade são tão vastos, mas Ele nunca disse: ‘Meu poder é extraordinário’. Ele permanece oculto entre todas as coisas, presidindo sobre tudo, nutrindo e provendo para a humanidade, permitindo que toda a humanidade continue geração após geração. Veja, por exemplo, o ar e o brilho do sol ou todas as coisas materiais necessárias para a existência humana na Terra — todas elas jorram sem cessar. Não há dúvida de que Deus provê para o homem. Se Satanás fizesse algo bom, ele permaneceria em silêncio e seria um herói anônimo? Jamais. É como o fato de que existem alguns anticristos na igreja que, no passado, fizeram trabalho perigoso, que renunciaram a coisas e suportaram sofrimento, que podem até ter ido para a prisão; há também alguns que, no passado, contribuíram para um aspecto do trabalho da casa de Deus. Eles nunca se esquecem dessas coisas, acham que merecem crédito vitalício por elas, acham que elas são o capital de toda a sua vida — o que mostra como as pessoas são pequenas! As pessoas são mesmo pequenas, e Satanás é descarado(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Sete: Eles são malignos, insidiosos e enganosos (parte 2)”). Fui tocada pela humildade e ocultabilidade de Deus. Quando comparei a conduta Dele com a minha, fiquei profundamente envergonhada. Deus é tão supremo, mesmo assim Ele passou por grande sofrimento e humilhação ao Se tornar carne e vir para a Terra, expressando verdades para salvar a humanidade. Não importam quão grande seja a Sua obra ou quantas verdades Ele expresse, Ele nunca Se gaba. Ele simplesmente supre e salva a humanidade em silêncio. A essência de Deus é incrivelmente linda. Mas eu sou só um grão de pó e fui profundamente corrompida por Satanás. Não sou nada especial e, no entanto, morria de vontade de ser admirada. Eu me gabava de qualquer coisinha que fazia, preocupada com que os outros não notassem. Embora claramente tudo isso fosse uma obra feita por Deus e eu só cooperasse um pouco, eu ainda descaradamente buscava roubar a glória de Deus, constantemente me exibindo. Quanto mais refletia sobre isso, mais baixa e desprezível eu me sentia — era tão repugnante para Deus. Eu não queria mais ser esse tipo de pessoa.

Nas reuniões depois disso, eu propositadamente exaltava a Deus e a dava testemunho Dele, falando sobre minha corrupção e rebeldia, cujas intenções desprezíveis tinham levado aos meus fracassos, e sobre como Deus tinha me disciplinado e orientado para que eu entendesse os princípios e ganhasse uma senda de prática. Isso permitiu que os irmãos aprendessem com meus fracassos e reconhecessem o caráter justo e a salvação de Deus. Às vezes, ainda sinto um pouco de desejo de me exibir, mas assim que percebo isso, eu oro e renuncio a mim mesma imediatamente. Eu tenho me sentido muito melhor depois de colocar isso em prática. Foi graças ao amor e à salvação de Deus que eu pude ter essa transformação.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Como a astúcia me prejudicou

Por Shan Yi, Japão Uma vez, quando revisamos o nosso trabalho, um líder de igreja mencionou que o nosso trabalho evangelístico não tinha...

Uma decisão indelével

Por Bai Yang, China Quando eu tinha quinze anos de idade, meu pai adoeceu repentinamente e morreu. Minha mãe não suportou esse golpe e...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp