Encontrei a senda para o reino dos céus

28 de Julho de 2020

Deus Todo-Poderoso diz: “Quando Jesus veio para o mundo do homem, Ele trouxe a Era da Graça e encerrou a Era da Lei. Durante os últimos dias, Deus mais uma vez Se tornou carne, e quando Ele Se tornou carne desta vez, Ele encerrou a Era da Graça e trouxe a Era do Reino. Todos aqueles que aceitam a segunda encarnação de Deus serão conduzidos para a Era do Reino e serão capazes de aceitar pessoalmente a orientação de Deus. Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens; Ele não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e essa obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus são muito claras. O Senhor Jesus fez a obra da redenção, que era perdoar os pecados da humanidade. Ele não nos livrou de nossa natureza pecaminosa. O Senhor precisa retornar nos últimos dias para fazer a obra de julgamento e purificação, para nos dar mais verdades e resolver nossa natureza pecaminosa para nos livrarmos das amarras do pecado. Então não pecaremos e resistiremos mais a Deus e nos tornaremos pessoas que obedecem e temem a Ele. É a única maneira de sermos aptos para entrar no reino de Deus. Antes, eu não entendia a obra de Deus. Pensava que o Senhor tinha perdoado nossos pecados para nos justificar pela fé e entrarmos ao céu. Mas após mais de 10 anos de fé, eu ainda pecava o tempo todo e não conseguia praticar as palavras do Senhor. Deus é santo, e nenhuma pessoa não santa pode ver Deus, então alguém que vivia em pecado como eu realmente poderia ser arrebatado para o reino de Deus quando o Senhor viesse? Eu estava confusa. Não conseguia entender. Só entendi após ler as palavras de Deus Todo-Poderoso que me faltava experiência no passo mais crucial da obra de Deus – a obra de julgamento dos últimos dias, a começar pela casa de Deus. Na nossa fé, devemos passar pelo julgamento de Deus nos últimos dias para que nossos caracteres corruptos sejam purificados. É a única maneira de ser salvo e entrar no reino. Gostaria de compartilhar minha própria experiência com isso.

Cresci indo para a igreja com meus pais. Eu amava ouvir como os irmãos e irmãs se comunicavam sobre as palavras do Senhor. Quando me casei, meu marido e eu ainda colocávamos o trabalho da igreja em primeiro lugar. Estávamos ativamente envolvidos nos cultos da igreja, fossem grandes ou pequenos. Mas, ao longo do tempo, percebi que os sermões do pastor eram secos, suas palavras eram vazias e sempre nos encorajava a fazer ofertas. Ele se preocupava muito mais com dinheiro do que com nossa vida. Os pastores e presbíteros brigavam por causa do púlpito e por seus cargos, e se envolviam em intrigas uns com os outros. Um número cada vez menor de irmãos e irmãs assistia aos cultos, e quando assistiam, fofocavam ou conversavam sobre prazeres físicos e cochilavam durante os sermões. Eu mesma não conseguia sentir a orientação do Senhor, e participar dos cultos era realmente cansativo. Eu não conseguia praticar as palavras do Senhor e vivia num estado de pecar e então confessar. E quando meu marido voltava do trabalho e se enfiava em jogos online sem fazer nada mais, eu só reclamava e o repreendia, ordenando que fizesse isso ou aquilo num tom de mandona. Ele não me ouvia, e eu me irritava ainda mais. Eu nem suportava vê-lo fazer algo devagar e o criticava por fazer as coisas de forma ineficiente. Ele também sempre me criticava, dizendo: “Você não mudou nem um pouco em todos esses anos como crente”. Eu me sentia culpada e me lembrava das palavras do Senhor Jesus: “E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu?” (Mateus 7:3-4). O Senhor nos ensinou que não devemos ver as deficiências nos outros, mas examinar mais as nossas próprias falhas. Mas quando meu marido dizia ou fazia algo que eu não gostava, eu não tinha tolerância. Eu sempre perdia a cabeça e comprava briga com ele. Nosso relacionamento estava deteriorando, e eu estava sofrendo. Deus disse: “Santificai-vos, e sede santos, porque Eu sou santo” (Levítico 11:44). Deus é santo, e qualquer pessoa não santa não pode ver o Senhor. Mas eu não observava os ensinamentos do Senhor nem praticava Suas palavras. Eu pecava o tempo todo, incapaz de escapar das amarras do pecado. Como alguém como eu poderia entrar no reino dos céus? Esse pensamento me deixou inquieta.

Certa vez após um culto, perguntei ao pastor sobre meu dilema. Ele disse: “Não se preocupe. Mesmo que pequemos com frequência, o Senhor Jesus já perdoou todos os nossos pecados. Contanto que continuemos orando e confessando ao Senhor, quando Ele vier, Ele nos levará para o reino dos céus”. O que ele disse não resolveu minha confusão. A Bíblia diz: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14). “Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados” (Hebreus 10:26). Está escrito claramente que, se não praticarmos as palavras do Senhor, se pecarmos intencionalmente, não haverá mais sacrifício pelos pecados. Então, as pessoas que pecam o tempo todo podem realmente ser arrebatadas para o céu? Eu não sabia como parar de pecar, então, me esforcei muito na tolerância e paciência que o Senhor ensinava, mas não conseguia colocar isso em prática. Em minha dor, procurei mais uma vez o pastor. Ele balançou sua cabeça e disse: “Também não tenho uma solução para o problema de pecar e então confessar. Até Paulo disse: ‘Com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico’ (Romanos 7:18-19). Não podemos evitar o pecado, então se arrependa e confesse mais ao Senhor, e eu também vou orar mais por você”. Foi muito desencorajador ouvir isso do pastor. Em minha dor, orei ao Senhor: “Ó Senhor! Não quero pecar, mas não consigo evitar. Viver em pecado é muito doloroso, mas não sei como escapar disso. Temo que Tu me abandonarás se isso continuar. Senhor, por favor, salva-me”.

Onde o homem termina, Deus começa. Certo dia, em maio de 2018, conheci a irmã Susan online. Nós nos comunicamos muito sobre a Bíblia. Ela tinha uma percepção única sobre a Bíblia, e sua comunhão era esclarecedora, então compartilhei minhas preocupações e meu dilema com ela. Eu disse: “Tenho acreditado no Senhor por anos, mas nem consigo praticar perdão e tolerância. Peco o tempo todo. Temo que não entrarei no reino dos céus. Nosso pastor diz que o Senhor Jesus perdoou todos os nossos pecados, e, contanto que oremos e nos confessemos ao Senhor com frequência, Ele nos levará para o céu quando Ele vier. Mas meu coração continua confuso. O que você acha disso?” A irmã Susan disse: “É verdade que o Senhor Jesus perdoou nossos pecados, mas isso não significa que fomos purificados ou que estamos livres de pecado. O Senhor Jesus disse: ‘todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. Ora, o escravo não fica para sempre na casa; o filho fica para sempre’ (João 8:34-35). ‘Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus’ (Mateus 7:21). O Senhor Jesus nunca disse que iremos ao céu só porque nossos pecados foram perdoados, e Ele nos disse claramente que só aqueles que cumprem a vontade do Pai podem entrar no reino dos céus”. “Podemos ver que entrar no reino de Deus porque nossos pecados foram perdoados é apenas uma noção e imaginação humana. Não existe base para isso nas palavras de Deus. Temos visto uma coisa com certeza em nossos anos de fé: quando as pessoas ganham fé e seus pecados são perdoados, elas continuam vivendo num estado de pecar e então confessar, confessar e então pecar. Isso mostra que crer no Senhor e ter seus pecados perdoados não é igual a se livrar das amarras e restrições do pecado e certamente não significa que fomos purificados. Deus é santo. Ele jamais deixaria alguém que ainda peca e resiste a Ele entrar em Seu reino. Apenas aqueles que obedecem a Deus e fazem Sua vontade podem entrar no reino dos céus.” Essa comunhão me fez pensar: “É isso. Se Deus permitir que nós, que sempre pecamos, entremos no reino dos céus, como Sua santidade se expressaria?”

Ela continuou sua comunhão: “Embora oremos e confessemos ao Senhor e nos esforcemos para praticar Seus ensinamentos, não importa o quanto nos esforcemos, ainda somos limitados pelo pecado. Qual é a razão real por trás disso?” Então ela leu algumas passagens das palavras de Deus. Vamos lê-las juntos. “Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens; Ele não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e essa obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Embora o homem possa ter sido redimido e perdoado de seus pecados, isso só pode ser considerado como Deus não Se lembrar das transgressões do homem e não tratar o homem de acordo com as suas transgressões. No entanto, quando o homem, que vive num corpo de carne, não foi liberto do pecado, ele só pode continuar pecando, revelando infinitamente o caráter satânico corrupto. Essa é a vida que o homem leva, um ciclo interminável de pecar e ser perdoado. A maioria dos homens peca de dia apenas para confessar à noite. Desse modo, mesmo que a oferta pelo pecado seja para sempre efetiva para o homem, ela não será capaz de salvar o homem do pecado. Apenas metade da obra da salvação já foi concluída, pois o homem ainda tem caráter corrupto… Não é fácil para o homem tomar consciência de seus pecados; ele não tem como reconhecer sua própria natureza profundamente enraizada e deve confiar no julgamento pela palavra para alcançar esse resultado. Só assim o homem pode ser mudado paulatinamente desse ponto em diante” (‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Por meio dessa obra de julgamento e castigo, o homem conhecerá por completo a substância imunda e corrupta dentro de si mesmo, e ele poderá mudar completamente e se tornar limpo. Só assim o homem pode se tornar digno de retornar diante do trono de Deus. Toda a obra feita neste dia é para que o homem possa ser limpo e mudado; através do julgamento e castigo pela palavra, bem como por meio do refinamento, o homem pode remover sua corrupção e ser purificado. Em vez de considerar este estágio da obra como sendo o da salvação, seria mais apropriado dizer que é a obra de purificação” (‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Depois da leitura, a irmã Susan continuou sua comunhão: “Embora tenhamos recebido a redenção do Senhor Jesus e nossos pecados tenham sido perdoados, a natureza satânica que nos impele a pecar não foi resolvida. É por isso que continuamos pecando e resistindo a Deus o tempo todo e não praticamos as palavras do Senhor. Na Era da Graça, o Senhor Jesus só fez a obra da redenção para nos remir dos nossos pecados para que pudéssemos escapar da condenação e das amarras da lei, ser aptos de chegarmos diante de Deus e desfrutarmos da graça e da alegria que Ele dá. Mesmo que o Senhor Jesus tenha perdoado nossos pecados, nosso caráter e natureza satânicos não foram resolvidos. Ainda somos muito arrogantes, presunçosos, desonestos, egoístas e desprezíveis. Nós nos achamos importantes demais, sempre queremos ter a última palavra e que os outros façam as coisas do nosso jeito. Quando alguém faz algo que não gostamos, nós o repreendemos e reprimimos. Também mentimos e enganamos o tempo todo, e nossas orações a Deus são apenas palavras vazias, promessas vazias. Falamos em obedecer e amar a Deus, mas, na verdade, fazemos tudo para nosso próprio benefício. Nós nos despendemos e fazemos sacrifícios por Deus só para sermos abençoados e entrarmos em Seu reino. Ficamos felizes quando agraciados pelo Senhor, mas quando enfrentamos adversidade e provação, ficamos negativos e reclamamos. Até negamos e traímos a Deus. Esses caracteres satânicos são ainda piores e estão mais enraizados do que o pecado. Se não forem resolvidos, podemos cometer o mal e nos opor a Deus a qualquer momento. Ainda somos da laia de Satanás. Como poderíamos ser dignos do reino de Deus? É por isso que o Senhor Jesus prometeu que retornaria. Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias, é o Senhor Jesus retornado. Ele expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade. Ele faz a obra de julgamento, a começar pela casa de Deus, principalmente, para resolver os caracteres e a natureza satânicos da humanidade corrupta, para erradicar nosso problema de sempre pecar e resistir a Deus e para nos purificar e salvar e nos levar para o reino dos céus”. “A obra e as palavras de Deus Todo-Poderoso cumprem estas profecias do Senhor Jesus: ‘Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade’ (João 16:12-13). ‘Eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia’” (João 12:47-48). “Em 1 Pedro diz: Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus’ (1 Pedro 4:17). Se aceitarmos o julgamento das palavras de Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias, podemos ganhar a verdade. Nossos caracteres satânicos podem ser purificados, e somente então podemos entrar no reino de Deus.”

Vi que a comunhão da irmã Susan estava cheia de luz e completamente alinhada com a Bíblia. Isso me convenceu totalmente. Percebi que, na Era da Graça, o Senhor Jesus só fez a obra de redenção, mas essa não era a obra de resolver a natureza pecaminosa da humanidade. Nossa fé no Senhor só pode nos trazer o perdão dos nossos pecados, e devemos passar pela obra de julgamento de Deus nos últimos dias para resolver a raiz da nossa pecaminosidade, a escapar do pecado e ser purificados. Meus olhos haviam sido abertos. Vi que havia um estágio da obra de Deus que eu não tinha experimentado em minha fé. Ouvi essa irmã comunicar que o Senhor Jesus já tinha retornado e expressado muitas verdades para fazer a obra do julgamento, a começar pela casa de Deus, para purificar e salvar a humanidade e levar-nos para o reino de Deus. Fiquei tão entusiasmada e, buscando, perguntei à irmã Susan: “Como Deus Todo-Poderoso faz Sua obra de julgamento para nos purificar?”

Ela leu para mim algumas passagens das palavras de Deus. Vamos lê-las agora. “Quando Deus Se torna carne desta vez, Sua obra é expressar Seu caráter, primeiramente por meio de castigo e julgamento. Usando isso como fundamento, Ele traz mais verdade ao homem, mostra mais caminhos de prática e assim alcança Seu objetivo de conquistar o homem e salvá-lo de seu caráter corrupto. Isso está por trás da obra de Deus na Era do Reino” (‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não só torna clara a natureza do homem com apenas algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda no longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo são considerados julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua substância corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a substância dessa obra é, de fato, a obra de abrir a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele. Essa obra é a obra de julgamento realizada por Deus” (‘Cristo realiza a obra do julgamento com a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Então a irmã Susan continuou sua comunhão: “Nos últimos dias, Deus Todo-Poderoso expressa a verdade para fazer a obra de julgamento. Ele expressou todas as verdades para purificar e salvar a humanidade, e desvelou os mistérios da obra de gerenciamento de Deus. Ele revelou a essência e a verdade da corrupção da humanidade por Satanás e expôs e dissecou nossa natureza satânica de resistir a Deus, nos disse quais caracteres e venenos satânicos estão em nossa natureza, quais estados e pensamentos esses venenos satânicos produzem e como resolver essas coisas. As palavras de Deus também esclarecem cada aspecto da verdade, inclusive o que é submissão a Deus, o que é amor verdadeiro por Deus e como ser uma pessoa honesta. Elas nos mostram o caminho de nos livrar dos caracteres corruptos e alcançar salvação plena. Também revelam à humanidade o caráter santo e justo de Deus que não pode ser ofendido. Quando passamos pelo julgamento e castigo das palavras de Deus, podemos, aos poucos, entender a verdade e a essência e a verdade da nossa corrupção por Satanás. Então passamos a odiar o quanto Satanás nos corrompeu, nos prostramos diante de Deus e nos arrependemos e nos concentramos em praticar a verdade. Aos poucos, nossos caracteres corruptos podem ser purificados e mudados, e nós podemos ganhar alguma reverência e obediência a Deus. Então pecamos e resistimos a Deus cada vez menos”. A irmã Susan também compartilhou comigo sua experiência pessoal. Disse que sempre se achava mais capaz do que outras pessoas, que era egocêntrica em tudo e forçava as pessoas a aceitarem as opiniões dela. Ela excluía e repreendia todos que não concordassem com ela. Isso era doloroso e sufocante para todos os outros. Através do julgamento e das revelações nas palavras de Deus, ela percebeu que estava vivendo segundo as leis e a lógica de Satanás de “somente eu reino soberana” e “o mundo gira em torno de mim”. Ela era muito arrogante e não se curvava a ninguém, sempre querendo que outros aceitassem e obedecessem às ideias dela como se fossem a verdade. Ela não tinha qualquer reverência por Deus e era totalmente insensata. Isso enojava a Deus e repugnava as pessoas. Ela sempre queria que os outros a ouvissem, e isso é um caráter satânico típico. Satanás é arrogante e presunçoso, sempre quer estar em pé de igualdade com Deus. Ele quer controlar as pessoas, quer que as pessoas o ouçam e o reverenciem, e assim ele é amaldiçoado por Deus. Quando percebeu a natureza e as consequências do problema, ela ficou com medo, então começou a se odiar e a se concentrar em praticar a verdade. Tornou-se mais modesta em suas interações com outros. Ela deixou de menosprezá-los e de limitá-los como antes. Agora, conseguia aceitar quando as pessoas estavam certas, quando as ideias delas estavam alinhadas com a verdade, e conseguia conviver melhor com as pessoas. Meu coração se iluminou quando ouvi sua comunhão sobre as palavras de Deus Todo-Poderoso e sua experiência. Aprendi que Deus está professando palavras para julgar e purificar nossos caracteres corruptos. Essa obra de Deus para nos salvar é tão prática! Eu tinha crido por anos, mas não conseguia escapar das amarras do pecado. Eu vivia em dor terrível, mas finalmente encontrei a senda!

Depois disso, comecei a ler as palavras de Deus, assisti a filmes evangélicos e ouvi hinos da Igreja de Deus Todo-Poderoso no aplicativo do celular todos os dias. Também fui a reuniões com irmãos e irmãs para me comunicar sobre as palavras de Deus. Eu realmente podia sentir a obra e orientação do Espírito Santo. Entendi muitos mistérios e verdades que nunca tinha conhecido em anos de fé. Eu estava realmente gostando disso. Eu sabia em meu coração que Deus Todo-Poderoso é o Senhor Jesus retornado!

Depois disso, li mais das palavras de Deus e ganhei algum entendimento do meu caráter arrogante. Vi que, muitas vezes, eu diminuía e repreendia os outros e que isso era meu caráter satânico que se revelava. Isso é algo que Deus odeia. Orei a Deus para me arrepender. Eu não queria mais agir com base em meu caráter satânico ou me concentrar sempre nos problemas dos outros. Isso é tão insensato. Quando via meu marido jogando ou fazendo algo que eu não gostava, eu orava a Deus para aquietar meu coração para que pudesse falar com ele calmamente. Certa vez, meu marido me disso como que do nada: “Você mudou! Você está diferente desde que começou a crer em Deus Todo-Poderoso. Você não se irrita nem me repreende como antes e consegue conversar sobre as coisas quando acontece algo”. Fiquei agradecendo a Deus em meu coração. Eu sabia que tudo isso tinha sido realizado em mim através das palavras de Deus. O que realmente me surpreendeu foi que, quando meu marido viu as mudanças em mim, ele também começou a ler as palavras de Deus Todo-Poderoso e aceitou a obra de Deus dos últimos dias. Mais tarde, meu marido percebeu através das palavras de Deus que os jogos online são uma das formas de Satanás de seduzir, controlar e corromper as pessoas. Ele começou a entender a essência e o perigo dos jogos online e deixou de se hipnotizar tanto por eles. Não brigamos mais. Lemos as palavras de Deus juntos e nos comunicamos um com o outro. Quando encontramos uma dificuldade ou um problema, buscamos a verdade nas palavras de Deus para encontrar uma senda de resolução. Sinto que a obra de julgamento de Deus Todo-Poderoso é exatamente o que preciso e que ela é crucial para nos purificar e salvar. Finalmente encontrei a senda para ser purificada e entrar no reino dos céus. Graças a Deus Todo-Poderoso!

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

O Senhor apareceu no Leste

Por Qiu Zhen, China Certo dia, minha irmã mais nova me ligou para me informar que ela tinha retornado do Norte e que tinha algo importante...

Deixar uma resposta