Erguendo-se da opressão das trevas

01 de Agosto de 2020

Deus Todo-Poderoso diz: “Em muitos lugares, Deus profetiza ganhar um grupo de vencedores na terra de Sinim, que Ele o ganhará no oriente do mundo. Portanto, o local em que Ele encarna uma segunda vez é, sem dúvida, a terra de Sinim, o local exato em que o grande dragão vermelho descansa enrolado. Lá, Ele ganhará os descendentes do grande dragão vermelho, derrotando-o e humilhando-o totalmente. Deus despertará essas pessoas sitiadas completamente para que saiam do nevoeiro e rejeitem o grande dragão vermelho. Deus quer despertá-las de seu sonho, para que conheçam a essência do grande dragão vermelho e doem seu coração a Deus, insurgir-se e sair da opressão das forças das trevas, levantar-se no oriente do mundo e tornar-se prova da vitória de Deus. Só então Deus ganhará glória” (“A Palavra manifesta em carne”). Eu gostaria de compartilhar uma experiência relacionada a essas palavras de Deus.

No dia 28 de novembro de 2002, eu e outros irmãos estávamos pregando o evangelho a um líder de uma igreja cristã, quando uns 12 policiais invadiram a sala. Alguns portavam revólveres e outros, cassetetes, e gritaram para colocarmos as mãos na cabeça e nos agacharmos de frente para a parede. Eles nos revistaram e levaram cinco mil yuans e outras coisas. Duas das irmãs mais jovens ficaram com medo, então, sussurrei para elas: “Não tenham medo. Precisamos apenas confiar em Deus”. Alguns policiais imediatamente vieram me espancar. Eles saquearam o lugar completamente. Uma irmã estava se escondendo noutro cômodo, e um policial invadiu o quarto e a arrastou de lá violentamente. Outro, vendo que ela era bonita, começou a apalpá-la toda. Incapaz de evitar o assédio, ela apenas chorava e gritava. Felizmente, o senhorio deu um fim a isso, e o policial a deixou em paz. Eu estava furioso com o comportamento descarado da polícia. Eles colocaram todos nós numa van e nos levaram para a delegacia, onde nos algemaram e nos deixaram num saguão sem comida nem água por 48 horas. Mais tarde, tentaram arrancar informações sobre a igreja de um dos irmãos. Como ele não disse nada, eles o pressionaram contra o chão e enfiaram fezes de cachorro em sua boca. Aquilo foi demais para o espírito dele. Vê-lo ser torturado daquela forma me deixou furioso. Os policiais não eram humanos, eram demônios! Orei a Deus em silêncio, pedindo que Ele nos guiasse para sermos testemunhas diante das torturas de Satanás e não nos rendêssemos a elas.

Passamos a terceira noite sendo interrogados no Departamento de Segurança Pública. O subchefe do departamento tentou me enganar, dizendo: “Diga-nos quem são os líderes da igreja e onde a igreja guarda o dinheiro, e poderá ir para casa. Sua família precisa de você. Se não for por si mesmo, faça isso por sua família”. Meu coração ficou um pouco indeciso, e pensei: “Se eu lhes contar algumas coisas sem importância, talvez me deixem ir. Eu não teria que sofrer mais aqui. E poderia ir para casa cuidar da minha família”. Imediatamente, as palavras de Deus me vieram à mente: “não terei mais misericórdia daqueles que não Me ofereceram sequer um pingo de lealdade em tempos de adversidade, pois Minha misericórdia vai só até esse ponto. Além disso, não tenho apreço algum por quem quer que já tenha Me traído e gosto ainda menos de Me associar com quem trai os interesses de seus amigos. Esse é Meu caráter, seja quem for a pessoa” (“A Palavra manifesta em carne”). Recobrei a razão. Eu estava pensando em trair a Deus e ser um Judas! Percebi que havia caído na armadilha de Satanás. Se me preocupasse com meu corpo, minha família e confortos efêmeros, e me tornasse um Judas, traindo a Deus e entregando meus irmãos e irmãs, isso seria odioso para Deus e ofenderia Seu caráter! Orei a Deus, dizendo: “Mesmo que me aleijem ou me matem, jamais trairei a Ti ou serei um Judas vergonhoso”. Vendo que suas táticas suaves não estavam funcionando, a polícia mostrou seu rosto demoníaco. Um policial pisou no meu dedão do pé com o salto do sapato e pressionou com toda a força. Senti uma dor insuportável e gritei. Minhas roupas ficaram ensopadas de suor. Continuei a orar a Deus em meio à dor, pedindo que Ele protegesse meu coração, me desse fé e força para não ceder a Satanás. Quando o policial finalmente parou, meu dedo estava cheio de sangue e a unha do dedão tinha caído. Eles não tinham conseguido nenhuma informação comigo, mas não tinham terminado ainda. Eles me enviaram, junto com um irmão e uma irmã, à equipe da polícia tática municipal para mais interrogatórios.

Quando chegamos lá, os policiais nos fizeram tirar a roupa. Depois, algemaram nossas mãos e pés. Eles nos forçaram a ficar saltando no pátio para nos humilhar. Vários policiais se juntaram ao redor, apontando e rindo. Foi muito degradante. Sempre que eu pulava, ficava cada vez mais furioso. Se eu mesmo não tivesse passado por isso, jamais acreditaria que “a polícia do povo” fosse capaz de nos torturar de modos tão vis e cruéis. Passei a odiar aqueles demônios, aqueles monstros vestidos de gente. É exatamente como dizem as palavras de Deus: “Durante milhares de anos, essa tem sido a terra da imundice, é insuportavelmente suja, a miséria abunda, fantasmas correm descontroladamente, espalhando engano, caluniando sem fundamento, desferindo golpes cruéis, pisoteando essa cidade fantasma e a deixando coberta de cadáveres; o fedor da decadência cobre a terra e permeia o ar, e é fortemente vigiada. Quem é capaz de enxergar o mundo além dos céus?… Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado!” (“A Palavra manifesta em carne”). Nós, crentes, não quebramos a lei nem fazemos nada errado. Tudo o que fazemos é pregar o evangelho para que os outros possam adorar a Deus, obter a verdade, livrar-se da aflição de Satanás e ser salvos por Deus. Mas o PC Chinês não nos deixa crer em Deus e trilhar a senda correta na vida, nem pregar o evangelho e dar testemunho a Deus. Ele faz tudo o que pode para nos prender, perseguir e torturar cruelmente, desesperado para matar todos os que creem em Deus. Então, diante desses fatos, vi a essência diabólica do PC Chinês, que odeia a verdade e se opõe a Deus. Eu o odiei e o rejeitei do fundo do coração, e decidi ser uma testemunha para envergonhar e derrotar Satanás.

A polícia me interrogou de novo quatro dias depois, querendo informações sobre a igreja. Como eu não disse nada, eles me arrastaram com o outro irmão para o pátio. Acorrentaram nossas mãos e pés, cobriram nossa cabeça com um saco preto e nos penduraram em uma árvore grande no centro. Totalmente enlouquecidos, colocaram montes de formigas na árvore, e elas escalaram a árvore e subiram em nós, nos mordendo o corpo todo. Senti como se elas estivessem me perfurando até os ossos e desejei morrer. Eu sabia que não conseguiria suportar, então orei desesperadamente a Deus, pedindo que Ele me concedesse a vontade e a força para suportar para que eu não O traísse. Pensei nas palavras de Deus, que dizem: “para que a Minha glória possa encher o cosmo, todas as pessoas sofrem a última dificuldade por Mim. Vocês entendem a Minha vontade? Essa é a exigência final que Eu faço do homem, o que significa dizer que Eu espero que todas as pessoas possam dar um testemunho forte e ressonante de Mim diante do grande dragão vermelho, que elas possam se oferecer a Mim uma última vez e cumprir as Minhas exigências uma última ocasião. Vocês podem verdadeiramente fazer isso? Vocês foram incapazes de satisfazer Meu coração no passadovocês poderiam quebrar esse padrão no último momento?” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me deixaram envergonhado. Nunca tinha satisfeito a Deus, e agora que eu precisava testemunhar diante de Satanás, eu sabia que não poderia trair a Deus nem partir Seu coração por causa de minha dor física. Deus é o Criador e está acima de todas as coisas. Para nos salvar, Ele pessoalmente tornou-se carne e sofreu uma terrível humilhação, sendo perseguido pelo PC Chinês e rejeitado pelo mundo. Ainda assim, Ele expressa a verdade para prover por nós. Deus pagou um preço altíssimo pela humanidade. O que era meu pouco sofrimento perto disso? Decidi que estaria disposto a morrer para satisfazer e glorificar a Deus. Minhas forças foram renovadas com esse pensamento. Foi assim que confiei em Deus para suportar a tortura, segundo por segundo. Depois de mais dois dias sofrendo isso, eu estava a ponto de desabar. Era o início do inverno, e estava chovendo. Eu estava usando apenas uma blusa fina e estava pendurado descalço na árvore. Eu não tinha comido nem bebido nada por 48 horas e estava todo dolorido. Estava em agonia e queria morrer. Então, continuei a orar a Deus, temendo que minha fraqueza carnal me fizesse traí-Lo. Em minha dor, pensei no apóstolo Estevão, da Era da Graça, que foi apedrejado até a morte por uma multidão por pregar o evangelho do Senhor. Quando estava a ponto de morrer, ele pediu a Deus que levasse seu espírito. Então, eu disse isto a Deus em oração: Querido Deus, não posso mais suportar esta dor. Por favor, leva meu espírito. Prefiro morrer a trair-Te!” Depois de orar, um milagre incrível aconteceu: meu espírito saiu do corpo! Eu estava numa enorme planície verdejante, coberta com um capim bem verde, com vacas e ovelhas até onde a vista alcançava. Senti uma paz incrível e cantei em voz alta um hino louvando a Deus: “Louvai a Deus Todo-Poderoso em alta voz, tudo o que há no céu e na terra Te louvem, Te louvem, todos Te louvarão. Que todos os Teus anjos Te louvem. Que todas os Teus exércitos celestiais Te louvem, a expansão do universo Te louva, Deus Todo-Poderoso! As estrelas resplandecentes Te louvam. Os céus e a terra e as águas Te louvam, Te louvam, tudo Te louvará. Que as montanhas e os montes louvem a Ti, Deus Todo-Poderoso. Que as ondas e vagalhões Te louvem. Louvado sejas a Ti no lugar mais alto, Deus Todo-Poderoso!… Louvado sejas em voz alta, Deus Todo-Poderoso! O som dos altos trovões Te louvam, Te louvam, Te louvam em alta voz! O poderoso firmamento louva ao Deus Todo-Poderoso. Que tudo o que tem fôlego Te louve. O cântico de louvor abala os confins da terra. Louvado seja Deus!” Eu estava completamente imerso em um êxtase incomparável, em um estado de total liberdade. A dor, a fome e o frio que senti pendurado naquela árvore, além da agonia de ser mordido por formigas, desapareceram. Quando voltei a mim, já era noite, e os policiais tinham me tirado da árvore. Além de ainda estar vivo depois de ficar pendurado por três dias, sentia meu espírito revigorado. Isso sem dúvida foi devido à proteção impressionante e toda-poderosa de Deus. Agradeci e louvei a Deus Todo-poderoso. Vi que nossa vida e nossa morte estão nas mãos de Deus, e minha fé Nele aumentou. Também me tornei mais decidido a testemunhar por Deus.

No dia seguinte, a polícia me interrogou novamente, tentando me fazer entregar meus irmãos e irmãs, e blasfemar e trair a Deus. Indignado, eu disse: “Deus Todo-poderoso é o Criador. Ele é o único Deus verdadeiro que governa todas as coisas! Vocês chamam o preto de branco e incriminam o inocente”. Um policial ficou com raiva ao ouvir isso e começou a me espancar com um banquinho de madeira, como um louco. O sangue escorria da minha boca, e caí desmaiado no chão. Eles me acordaram com água gelada, me levantaram e começaram a me espancar de novo. Comecei a enfraquecer e pensei nestas palavras de Deus: “Vocês já aceitaram as bênçãos que lhe foram dadas? Alguma vez vocês já procuraram as promessas que foram feitas para vocês? Vocês, sob a orientação da Minha luz, certamente romperão a repressão das forças das trevas. Certamente, no meio da escuridão, não perderão a luz que os guia. Vocês certamente vão ser o mestre de toda criação. Vocês certamente serão vencedores diante de Satanás. Vocês certamente, na queda do reino do grande dragão vermelho, levantar-se-ão no meio das miríades das multidões para dar testemunho da Minha vitória. Vocês certamente serão firmes e inabaláveis na terra de Sinim. Através dos sofrimentos que vocês suportam, vão herdar a bênção que vem de Mim, e certamente irradiarão Minha glória por todo o universo” (“A Palavra manifesta em carne”). Eu me senti tão tocado, e fiz esta oração a Deus: “Eles podem me espancar até a morte, mas jamais trairei a Ti”. Depois de ser espancado selvagemente pela polícia, meu peito e minhas costas estavam cheios de hematomas, e eu estava cheio de ferimentos internos. Uma semana mais tarde, eu ainda estava urinando sangue. Meu rim direito ficou tão ferido que dói até hoje.

Um mês depois de minha prisão, a polícia ainda não tinha nenhuma evidência, então inventaram uma e me forçaram a assiná-la antes de me prenderem na casa de detenção municipal. Três meses depois, o PC Chinês me acusou de “prejudicar a manutenção da lei” e me condenou a um ano de reeducação por meio de trabalho. No campo de trabalho, nunca havia comida suficiente, e eu tinha que trabalhar mais de dez horas por dia. Os guardas me maltratavam e insultavam, me atacavam com seus cassetetes elétricos ou me trancavam numa cela escura. Se eu não tivesse sido protegido e cuidado por Deus, aquela gangue de demônios teria me torturado até a morte. No dia 7 de novembro de 2003, fui solto e finalmente saí daquele verdadeiro inferno.

Apesar de ter sofrido na carne, depois de ser preso e perseguido pelo PC Chinês, eu tinha obtido discernimento. Vi a essência diabólica do PC Chinês, que odeia a verdade e resiste a Deus, e depois de testemunhar o poder, a soberania e os maravilhosos feitos de Deus, minha fé em Deus se fortaleceu. Senti também o poder das palavras de Deus. Foram elas que me guiaram para que eu percebesse os planos de Satanás. E quando eu estava no limite de minha fraqueza, as palavras de Deus me deram fé e forças, até que finalmente venci aqueles diabos e sobrevivi ao covil de demônios do PC Chinês. Essa experiência me fez rejeitar o grande dragão vermelho, o que fortaleceu minha fé para seguir a Deus.

Anterior: Milagres da vida
Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Deixar uma resposta