Milagres da vida

01 de Agosto de 2020

Deus Todo-Poderoso diz: “A força de vida de Deus pode prevalecer sobre qualquer poder; além do mais, ela ultrapassa qualquer poder. Sua vida é eterna, Seu poder, extraordinário, e Sua força vital não pode ser vencida por qualquer ser criado ou força inimiga. A força de vida de Deus existe e fulgura em seu brilhante esplendor, independentemente de tempo ou lugar. O céu e a terra podem passar por grandes mudanças, mas a vida de Deus é a mesma para sempre. Todas as coisas podem passar, mas a vida de Deus ainda permanecerá, porque Deus é a fonte e a raiz da existência de todas as coisas. A vida do homem se origina de Deus, a existência do céu se deve a Deus, e a existência da terra provém do poder de vida de Deus. Nenhum objeto possuidor de vitalidade pode transcender a soberania de Deus, e coisa alguma com vigor pode se separar do âmbito da autoridade de Deus. Desse modo, todos, sejam quem forem, devem submeter-se ao domínio de Deus, todos devem viver sob o comando de Deus, e ninguém pode escapar do Seu controle” (“A Palavra manifesta em carne”). Essas palavras de Deus são tão emocionantes para mim! Quando fui presa e brutalmente torturada pela polícia do Partido Comunista Chinês por espalhar o evangelho, foram as palavras de Deus que me guiaram para triunfar sobre os abusos daqueles demônios e escapar de seu covil. Eu realmente experimentei a autoridade das palavras de Deus e obtive mais fé para segui-Lo.

Já eram mais de 7h da noite no dia 23 de novembro de 2005. Eu estava em uma reunião com duas irmãs quando cinco policiais invadiram o local e nos cercaram. Eles destruíram tudo como uns bandidos e confiscaram nossas bolsas e os livros das palavras de Deus. Depois nos algemaram e nos levaram à delegacia. Eu fiquei com tanto medo, que clamei a Deus várias vezes, pedindo que Ele nos protegesse. Eu pensei nestas palavras de Deus: “Você deve saber que todas as coisas no ambiente que o cerca existem por permissão Minha, Eu arranjo tudo isso. Veja claramente e satisfaça ao Meu coração no ambiente que Eu dei a você. Não tema, Deus Todo-Poderoso das hostes certamente estará com você. Ele os defende e Ele é o escudo de vocês” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me deram força e fé. Eu sabia que tudo estava nas mãos de Deus Todo-Poderoso. Então, com Deus me protegendo, o que eu tinha a temer? Isso me deu confiança para ser testemunha ao confiar em Deus. A polícia nos algemou a cadeiras de metal quando chegamos à delegacia. Devia ter uma dúzia de policiais se revezando em duplas para nos interrogar. Eles exigiam saber o nome e o endereço do líder da igreja. Eu não respondia uma palavra a nada que eles perguntavam. Eles levaram nós três a uma casa de detenção na noite seguinte. Estava nevando muito naquela noite, mas eles levaram nossos casacos, nos deixando só com uma roupa fina. Trememos de frio o caminho todo até lá.

Nos levaram a uma cela subterrânea, de onde eu conseguia ouvir os prisioneiros sendo espancados e chorando. Fiquei apavorada. Era o inferno na Terra. A polícia nos enfiou em uma cela e mandou as outras prisioneiras nos atormentarem, nos darem “boas-vindas”. Quando vi, a chefe das prisioneiras me jogou no chão e ficou me chutando. Doía tanto, que eu não parava de me contorcer e de chorar. Aí elas rasgaram a nossa roupa toda e nos arrastaram para o chuveiro frio. Aquela água congelante caiu em cima de mim. Eu me tremia incontrolavelmente, batendo o queixo. Foi muito doloroso. Parecia que estavam arrancando a minha pele. Eu perdi a consciência e desmaiei logo. Elas voltaram a me bater assim que acordei. Só me largavam quando cansavam. Meu espírito começou a enfraquecer, e eu pensava no que mais iriam fazer comigo e se eu iria aguentar. Com muita dor, Deus me iluminou a pensar neste louvor com as palavras Dele: “Vocês, sob a orientação da luz de Deus, certamente romperão a repressão das forças das trevas. Certamente, no meio da escuridão, não perderão a luz que os guia… Vocês certamente serão firmes e inabaláveis na terra de Sinim. Através dos sofrimentos que vocês suportam, vão herdar a bênção que vem de Deus, e certamente irradiarão Sua glória por todo o universo” (“Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”). Cantei esse louvor silenciosamente para mim mesma várias vezes, me sentindo cada vez mais encorajada. Satanás podia me machucar, mas, enquanto eu realmente procurasse a Deus e confiasse Nele, Ele me levaria à vitória sobre a tortura dos demônios e me manteria firme. Foi uma tentativa de Satanás de me fazer negar e trair a Deus. Eu sabia que não podia deixar o plano dele dar certo, mas tinha que ser testemunha de Deus e envergonhar Satanás.

Depois de 21 dias lá, a polícia me transferiu para o Departamento Municipal de Segurança Pública. Me colocaram em uma cadeira de metal para me interrogar. Vendo que eu não ia falar, naquela noite, eles me algemaram e me prenderam na grade da janela, me suspendendo de forma que eu mal encostasse os dedos dos pés no chão. Um deles disse: “Sou muito paciente. Vou fazer você implorar e oferecer o nome do líder da sua igreja”. Depois de um tempo, meus pulsos estavam doendo Eu orei várias e várias vezes pedindo que Deus me guiasse, para que eu não me rendesse a Satanás. Eu continuei em silêncio, daí me levaram para uma sala de interrogatório. Assim que entrei, vi vários instrumentos de tortura espalhados. Tinha uma coleção de cassetetes policias de todos os tamanhos pendurada na parede, varas de couro, chicotes e uma cadeira de tortura também. Alguns policiais usavam cassetetes elétricos e chicotes em um rapaz de 20 e poucos anos. A carne dele estava tão dilacerada pelos golpes, que ele ficou praticamente irreconhecível. Logo depois, uma policial apareceu e me chutou com força sem falar nada. Depois me puxou pelos cabelos e bateu minha cabeça na parede. Eu vi tudo girar, parecia que eu ia me partir em duas. E ela continuou me batendo e falando agressivamente: “Se não nos contar o que queremos saber, você vai morrer!” Outros dois policiais se juntaram às ameaças: “Tem gente vindo de várias delegacias. Temos todo o tempo do mundo. Um, dois meses. Não importa. Vamos perguntar até você responder.” Ouvi-los dizerem aquilo e pensar nas táticas bárbaras deles contra mim, e o modo como estavam torturando aquele rapaz, me deixou aterrorizada. Meu coração disparou. Fiquei com muito medo de não aguentar a tortura que estava por vir. Eu orei para Deus persistentemente. Daí eu pensei nestas palavras Dele: “Quando as pessoas estão preparadas para sacrificar a própria vida, tudo se torna insignificante e ninguém consegue vencê-las. O que poderia ser mais importante que a vida? Assim, Satanás se torna incapaz de fazer algo mais nas pessoas, não há nada que ele possa fazer com o homem” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me ajudaram a perceber que Satanás explora nossa fraqueza de temer a morte para nos fazer trair a Deus. A minha vida está nas mãos de Deus, como Satanás pode controlar se eu vivo ou morro? Eu tinha que oferecer a minha vida, ser testemunha por Deus e envergonhar Satanás! Esse pensamento me trouxe fé e força. Enfurecido com o meu silêncio, um policial gritou: “Vou te mostrar quem manda aqui! Acha que não sei lidar com você?” Eles me penduraram do alto de uma janela com as algemas de novo e começaram a me bater com um cassetete elétrico. Ondas intensas de eletricidade viajavam pelo meu corpo, me fazendo convulsionar. Quanto mais eu me debatia, mais as algemas apertavam, até parecer que as minhas mãos iam arrebentar. Meu corpo inteiro estava agonizando. Dois policiais se revezavam para me bater com o cassetete. Eu tive espasmos e comecei a ficar totalmente dormente. Minha consciência começou a ficar embaçada, e eu acabei desmaiando. Em algum momento, fui acordada pelo frio, congelada por um vento gelado que entrou. Voltei a perder a consciência, mas não tive dúvidas: eu não podia ceder. Eu seria testemunha mesmo que isso significasse a minha morte. Eu pensei em quando o Senhor Jesus foi crucificado para redimir a humanidade. Ele foi chicoteado até ficar em carne viva, depois pregado na cruz e abandonado até que deixasse cair Sua última gota de sangue. Deus doou muito pela salvação da humanidade. Pensar no amor de Deus realmente me tocou. E eu fiz esta oração: “Ó, Deus! Tu me deste vida! Se quiseres que eu morra, eu obedecerei”. “Mesmo se Satanás me perseguir até a morte, serei testemunha e envergonharei Satanás!” Eu comecei a me sentir mais lúcida e pensei em como os apóstolos, como Pedro e Estevão foram martirizados. Eu não conseguia evitar de cantar silenciosamente um louvor que eu conhecia bem: “Por Seu plano santo e soberania, passo por provações. Como posso desistir ou me esconder? O importante é Sua glória. E na adversidade, a palavra de Deus me guia, aperfeiçoa-se a minha fé. Com dedicação total e de forma absoluta devoto-me a Deus; sem temer a morte. Sua vontade sobre tudo sempre está. Não importa o meu futuro, não penso em perder ou ganhar. Só desejo a satisfação de Deus. Dou sonoro testemunho, envergonho Satanás para a glória de Deus, para a glória de Deus, para a glória de Deus” (“Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”). Cantar isso me tocou e me encorajou muito. Eu resolvi que eu deveria ser testemunha por Deus por mais que eu fosse torturada.

Na manhã seguinte, um policial falou me ameaçando: “Você deu sorte de não ter morrido congelada ontem à noite. Se não falar hoje, nem seu Deus vai conseguir salvá-la”. Aí eu pensei: “Deus criou e comanda tudo. O nosso destino está nas mãos Dele. Não é você que decide a minha vida. Deus que decide!” Um policial me bateu com o cassetete elétrico de novo, e uma corrente forte me atravessou. Senti uma dor inacreditável e não conseguia deixar de me debater e gritar, mas eles morriam de rir e falavam várias blasfêmias. Eu fiquei indignada. Eles eram um bando de demônios de Satanás resistentes a Deus! Ele continuaram me eletrocutando. Eu achei que não ia mais aguentar, me senti muito fraca. Então implorei pela proteção de Deus com todas as minhas forças. Aí eu pensei nestas palavras de Deus Todo-Poderoso: “A força de vida de Deus pode prevalecer sobre qualquer poder; além do mais, ela ultrapassa qualquer poder. Sua vida é eterna, Seu poder, extraordinário, e Sua força vital não pode ser vencida por qualquer ser criado ou força inimiga. A força de vida de Deus existe e fulgura em seu brilhante esplendor, independentemente de tempo ou lugar. O céu e a terra podem passar por grandes mudanças, mas a vida de Deus é a mesma para sempre. Todas as coisas podem passar, mas a vida de Deus ainda permanecerá, porque Deus é a fonte e a raiz da existência de todas as coisas” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me deram uma rajada de força. O Senhor Jesus ressuscitou Lázaro com uma palavra, e Lázaro saiu andando de sua tumba. Se Deus não quisesse que eu morresse naquele dia, Satanás não poderia encostar em mim por mais que a coisa ficasse feia. Eu estava disposta a fazer qualquer coisa que levasse glória a Deus, mesmo que isso implicasse na minha morte. Quando parei de pensar na minha própria vida ou morte, aconteceu um milagre. Por mais que me eletrocutassem, eu não sentia nenhuma dor nem desconforto. E eu também me senti muito alerta. Eu sabia muito bem que aquilo era o cuidado e a proteção de Deus. Eu experimentei pessoalmente a autoridade das palavras de Deus, e a minha fé foi reforçada.

Naquela noite, a polícia encontrou um novo jeito de me torturar. Eles me algemaram na frente de uma janela e se revezaram para não me deixar dormir. Eles me batiam assim que eu fechava os olhos. Não comi e nem bebi nada por dois dias. Fiquei totalmente sem força, e meus olhos ficaram inchados. O vento gelado que soprava em mim me deixou tremendo. Ver os policiais lá sentados de pernas cruzadas, com seus casacos, me olhando fixamente, fez com que parecesse que eu estava vendo demônios do Hades. Senti tanta raiva! Deus criou o homem, então adorá-Lo é certo e natural, mas o Partido Comunista não permite. Eles se opõem fortemente a Deus e perseguem brutalmente os crentes de formas perversas. Eu me lembrei de uma passagem das palavras de Deus: “Durante milhares de anos, essa tem sido a terra da imundice, é insuportavelmente suja, a miséria abunda, fantasmas correm desenfreados por toda parte, enganando e iludindo, fazendo acusações infundadas, sendo impiedosos e viciosos, pisoteando essa cidade fantasma e a deixando coberta de cadáveres; o fedor da decadência cobre a terra e permeia o ar, e é fortemente vigiada. Quem é capaz de enxergar o mundo além dos céus?… Liberdade religiosa? Direitos e interesses legítimos dos cidadãos? São todos truques para encobrir o pecado!” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me ajudaram a ver a essência maligna do Partido Comunista resistindo a Deus ainda mais claramente. Eu jurei pela minha própria vida que iria renunciar a ela. Mas, por dentro, eu gritava: “Seus demônios! Como ousam pensar que eu trairia a Deus?” Na quinta noite, minhas mãos ficaram congestionadas de sangue, totalmente dormentes e inchadas. Parecia que meu corpo inteiro ia se despedaçar. Era como se um monte de insetos estivesse roendo minhas entranhas. Não tem como descrever a dor. Eu estava faminta e com sede depois de dias sem comida e água. Eu tremia de frio e não tinha força. Parecia que eu não ia aguentar mais por muito tempo. Achei que fosse morrer de fome ou sede se aquilo continuasse. Orei para Deus sem parar, pedindo que ele me desse forças para vencer a tortura cruel de Satanás. Foi aí que Deus me iluminou com Suas palavras: “A vida do homem se origina de Deus, a existência do céu se deve a Deus, e a existência da terra provém do poder de vida de Deus. Nenhum objeto possuidor de vitalidade pode transcender a soberania de Deus, e coisa alguma com vigor pode se separar do âmbito da autoridade de Deus” (“A Palavra manifesta em carne”). Eu pensei: “É verdade. A minha vida vem de Deus, e só Deus pode tirá-la de mim. A tortura de Satanás não pode me matar.” Quando me dei conta disso, fiquei com vergonha de como eu tinha tão pouca fé e conhecimento sobre Deus. Eu também vi que Deus queria que eu aprendesse com aquele ambiente hostil que “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4). Eu orei silenciosamente: “Deus Todo-Poderoso, minha vida está nas Tuas mãos. Eu quero me submeter às Tuas orquestrações e arranjos, saindo viva ou morta!” Eu senti um pouco de força voltando depois da minha oração e não senti mais tanta fome nem sede. A polícia voltou às 8h da noite. Vendo que eu ainda não ia falar nada, eles me bateram até cansarem. Eles ficaram ainda mais de olho em mim depois daquilo. Eles se revezavam para eu não ficar nunca fora da vista deles. Se as minhas pálpebras começassem a fechar, eles me batiam com uma revista enrolada para me acordar. Eu sabia que estavam tentando me desgastar, para que eu deixasse algo sobre a igreja escapar enquanto estivesse atordoada. Eu estava totalmente desgastada fisicamente e imobilizada. Eu não sabia por quanto tempo mais ia aguentar. Senti muito medo de não aguentar a dor e trair a Deus para me livrar. Eu orei silenciosamente a Deus: “Deus, acho que não vou aguentar muito mais. Tenho medo de trair-Te. Por favor, me proteja. Prefiro morrer do que ser um Judas”. Minha mente estava ficando mais embaçada. Eu não sabia nem se estava viva ou morta. Nessa névoa, senti meu corpo mais leve, e as algemas mais frouxas. De manhã cedo, no sexto dia, a polícia me acordou com golpes e gritos: “Estamos cansados de você. A gente fica aqui te acompanhando, sem poder dormir direito. Se você não abrir a boca hoje, não vai abrir nunca mais! Vou fazer você ficar louca. Vou falar para todo mundo que acreditar no seu Deus dá convulsão. Aí todo mundo vai desistir Dele!” Fiquei muito furiosa ao ouvir aquelas mentiras de um demônio tão mau e sinistro! Eles imediatamente trouxeram uma tigela com um líquido preto, e fiquei com o coração na boca. Eles queriam me dar uma droga para me enlouquecer. Chamei por Deus desesperadamente, pedindo a proteção Dele. Na hora, eu pensei nestas palavras de Deus Todo-Poderoso: “Seu feito está por toda parte, Seu poder está por toda parte, Sua sabedoria está por toda parte e Sua autoridade está por toda parte… Todas as coisas existem sob o Seu olhar e, além disso, todas as coisas vivem sob a Sua soberania” (“A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus voltaram a me encher de fé e força. Deus comanda tudo. Tudo no universo está nas mãos Dele. Satanás só pode machucar a nossa carne, mas não comandar nossa vida. Quando Jó foi testado, Satanás só conseguiu machucar o corpo dele. Deus não permitiu que a vida de Jó fosse colocada em perigo. Satanás queria que eu tomasse aquela droga para ficar louca, maluca, para me fazer trair e rejeitar a Deus, trazendo vergonha ao nome Dele. Mas isso não poderia acontecer sem a permissão de Deus. Esse pensamento me acalmou. Um policial perturbado segurou o meu queixo e derramou aquela tigela inteira de poção amarga na minha boca. Ela fez efeito bem rápido. Parecia que meus órgãos estavam sendo apertados e despedaçados. Foi incrivelmente doloroso. Minha respiração ficou pesada, eu fiquei sem ar. Não conseguia mexer os olhos. Estava vendo tudo em dobro. Perdi a consciência depois daquilo. Não sei quanto tempo passou, mas consegui ouvir alguém dizendo: “Com certeza ela vai ficar louca depois de tomar esse negócio”. Naquela hora, eu vi que consegui. Foi uma boa surpresa eu não ter convulsões e ainda estar com a mente clara. Foi o poder e a maravilhosidade de Deus. Deus me salvou do perigo de novo! Eu senti a fidelidade de Deus de novo. Ele está sempre do meu lado. Naquele covil sombrio de demônios, as palavras de Deus Todo-Poderoso me guiaram e me salvaram da morte várias vezes. Eu cantei um louvor silenciosamente para Ele. E eu fiquei mais decidida a ser testemunha de Deus.

A polícia me torturou por mais seis dias e seis noites. Eu fiquei à beira do colapso, sem comida nem água. Quando viram que eu estava quase morrendo, me trancaram numa cela de novo. Alguns dias depois, tentaram tirar informações sobre a igreja de mim novamente, mas eu me recusei. Um policial gritou comigo com raiva: “Você dá muito trabalho! Eu quase não durmo há seis dias, mas você não fala nada!” Me mandaram de volta para a cela. Eu fiquei superfeliz de ver que Satanás tinha sido derrotado. Eu agradeci e louvei a Deus várias vezes. Depois de quatro meses presa, o partido Comunista Chinês me condenou por “usar uma organização xie jiao para minar a força da lei” e me sentenciou a 18 meses de prisão.

Me mandaram para um presídio feminino em março de 2006 para cumprir minha pena. Foi um Inferno. Eu passei por torturas desumanas. Mas superei aqueles dias difíceis na prisão e saí daquele inferno só com o cuidado e a proteção de Deus e a orientação das palavras Dele. Depois de ter sido brutalmente perseguida pelo governo do Partido Comunista Chinês, eu vi sua verdadeira essência demoníaca de forte resistência a Deus. Eu também experimentei a autoridade e o poder das palavras de Deus. Na minha dor e fraqueza, foram as palavras de Deus que me deram fé e força e me guiaram para superar todos os danos causados por aqueles demônios e ser testemunha. Eu experimentei pessoalmente que Deus é o sustento da nossa vida. Ele está sempre do nosso lado para nos ajudar, e a minha fé para segui-Lo ficou mais forte do que nunca!

Quando ocorre um desastre, como nós, cristãos, devemos enfrentá-lo? Fique à vontade para nos contatar via WhatsApp, podemos explorar e encontrar caminhos juntos.
Entre em contato conosco pelo Messenger
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

A juventude sem arrependimentos

Xiaowen, Cidade de Chongqing “O ‘amor’, refere-se a uma emoção que é pura e sem máculas, em que você usa o coração para amar, sentir e ser...