O que eu ganhei por ser uma pessoa honesta

27 de Setembro de 2022

Numa reunião de trabalho, uma líder me perguntou como estava indo a rega de recém-convertidos pela qual eu era responsável. Eu não soube o que dizer. Eu não a tinha acompanhado por alguns dias e não conhecia os detalhes. Como devia responder? Se dissesse que não sabia, a líder e os outros obreiros diriam que eu não estava fazendo trabalho prático e isso seria vergonhoso. Decidi que compartilharia o que sabia de antes para então ver o que eu faria depois disso. Então respondi: “Arranjos foram feitos para todo esse trabalho, e acrescentamos alguns membros à equipe”. A líder disse imediatamente: “Você não está respondendo à pergunta, está prevaricando. Isso é ser astusto. Se não sabe, simplesmente diga e acompanhe assim que puder. Por que está sendo tão indireto? Isso não é bom. Um erro é um erro, e você deve ter a coragem de admiti-lo”. Eu me senti inquieto e incomodado, e meu rosto ardia. O que eu temia, tinha acabado de acontecer. Era como se eu tivesse perdido a minha honra e todos me enxergassem. Eu sabia que o que a líder tinha dito era certo, mas não consegui me submeter. Achei que ela não precisava ter falado tanto sobre isso. Não bastaria se eu cuidasse disso assim que possível? Por que ela teve que me podar e lidar comigo na frente de todas essas pessoas? Eu estava muito agitado, por isso orei em silêncio: “Deus, estou resistindo muito ao que aconteceu hoje e não consigo me submeter. Por favor, esclarece-me e guia-me para que eu possa conhecer a mim mesmo e aprender uma lição”. Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus. “Vejamos primeiro o tipo de pergunta que Deus Jeová fez a Satanás. ‘Donde vens?’ Essa não é uma pergunta direta? Existe algum significado oculto? Não; é apenas uma pergunta direta. Se Eu perguntasse a vocês: ‘De onde você vem?’, como vocês responderiam? É uma pergunta difícil de responder? Vocês diriam: ‘De ir para cá e para lá e de andar para cima e para baixo’? (Não.) Vocês não responderiam desse modo. Então, como é que vocês se sentem quando veem Satanás respondendo assim? (Achamos que Satanás está sendo absurdo, mas também enganoso.) Vocês conseguem saber o que Eu estou sentindo? Toda vez que vejo essas palavras de Satanás, Me sinto enojado, porque Satanás fala, no entanto, suas palavras não contêm substância. Satanás respondeu à pergunta de Deus? Não, as palavras que Satanás falou não eram uma resposta, elas não produziram nada. Não eram uma resposta à pergunta de Deus. ‘De rodear a terra, e de passear por ela.’ Qual é seu entendimento dessas palavras? De onde exatamente é que Satanás vem? Vocês receberam uma resposta a essa pergunta? (Não.) Esse é o ‘gênio’ dos esquemas astutos de Satanás — não deixar que ninguém descubra o que ele está realmente dizendo. Tendo ouvido essas palavras, você ainda não consegue discernir o que ele disse, embora Satanás já tenha terminado de responder. No entanto, Satanás acredita que respondeu perfeitamente. Como você se sente então? Enojado? (Sim.) Agora, você começa a sentir nojo em reação a essas palavras. As palavras de Satanás têm uma certa característica: o que Satanás diz deixa você coçando a cabeça, incapaz de perceber a fonte das palavras dele. Às vezes, Satanás tem motivos e fala deliberadamente, às vezes, governadas pela própria natureza dele, tais palavras emergem espontaneamente, vindo diretamente da boca de Satanás. Satanás não gasta muito tempo pesando tais palavras; ao contrário, elas são expressadas sem pensar. Quando Deus perguntou de onde ele vinha, Satanás respondeu com umas poucas palavras ambíguas. Você se sente muito intrigado, sem nunca saber exatamente de onde Satanás vem. Há alguém dentre vocês que fale assim? Que jeito de falar é esse? (É ambíguo e não dá uma resposta certa.) Que tipo de palavras devemos usar para descrever esse modo de falar? É diversivo e enganoso, não é? Imagine que alguém não queira que os outros saibam o que ele fez ontem. Você lhe pergunta: ‘Ontem eu vi você. Aonde estava indo?’. Ele não lhe diz diretamente para onde foi. Ao contrário, ele diz: ‘Que dia tive ontem! Foi tão cansativo!’. Ele respondeu à sua pergunta? Respondeu, mas ele não lhe deu a resposta que você queria. Esse é o ‘gênio’ no artifício da fala do homem. Você nunca consegue descobrir o que ele quer dizer, nem percebe a fonte ou a intenção de suas palavras. Você não sabe o que ele está tentando evitar porque, no coração dele, ele tem a sua própria história; isso é insídia(A Palavra, vol. 1: A obra de Deus e conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único IV”). A revelação das palavras de Deus me mostrou que todas as palavras e ações de Satanás contêm motivos e truques. A fim de encobrir suas intenções vergonhosas, ele fala de formas indiretas para que as pessoas não entendam. É muito insidioso e astuto. Satanás responde às perguntas de Deus com respostas ambíguas e enganosas. Isso repugna Deus. Quanto a mim, eu não sabia como estava indo a rega dos recém-convertidos, mas não fui honesto. Respondi de um jeito para confundir a líder. Respondi à pergunta sem permitir que a líder visse a verdade. A fim de proteger meu status e reputação e esconder da líder que eu não fazia trabalho prático e impedir que os irmãos me menosprezassem, ou disse algo para obscurecer os fatos, para enganá-los e iludi-los. Eu estava revelando um caráter satânico. Na verdade, eu costumava ser assim com os irmãos. Numa reunião de trabalho, alguém me fez uma pergunta técnica, mas eu não tinha um entendimento bom disso e temia que dizer a verdade os levaria a me menosprezar, então eu dizia coisas como: “Se esse problema não é resolvido, o problema não é só uma questão de habilidade, certo? Não é porque você tem sido superficial no seu dever? Ou não está aprendendo e se comunicando?” Por for a, parecia que eu estava respondendo à pergunta, mas, no coração, eu sabia que esse tipo de resposta não resolvia o problema. Eu achava que, se respondesse com uma pergunta, a pessoa refletiria sobre si mesma e deixaria de fazer perguntas. Desse jeito, minhas falhas não vinham à luz. Eu era astuto e enganoso para proteger meu status e reputação. Eu preferia ofender a Deus a perder minha honra. Isso revelava minha natureza escorregadia e astuta e que eu estava farto da verdade. Eu achava que mentir e enganar é muito esperto, mas, na verdade, é tolo. Mesmo que enganasse e iludisse a todos e eles me admirassem e achassem que eu conseguia cumprir bem o meu dever, Deus não aprovaria — Ele ficaria enojado comigo. De que, então, serviria a aprovação de todos os outros? Naquele momento, eu me senti patético e de mãos vazias. Eu me ocupava desde cedo até tarde, mas não dizia uma única coisa honesta. Meu caráter satânico astuto não tinha mudado e eu não tinha nenhuma realidade da verdade. Ser exposto e criticado tão duramente pela líder naquele dia era Deus me alertando. Eu sabia que não devia continuar daquele jeito, que devia me arrepender diante de Deus, buscar ser uma pessoa honesta e viver essa realidade.

Depois disso, eu me perguntei se eu ainda tinha outros comportamentos desonestos. Eu sabia que devia fazer alguma introspecção e mudá-los. Por meio da autorreflexão, percebi que havia algumas partes astutas em meus relatórios de trabalho recentes. Eu anotava minuciosamente o trabalho bem-feito, mais completo. mas o trabalho feito desleixada e ineficientemente, eu o descrevia em termos gerais ou nem o mencionava. Lembro-me de um projeto que não estava obtendo bons resultados, e quando veio a hora de prestar contas, eu pensei em o que todos pensariam se eu escrevesse a verdade. Diriam que eu não conseguia nem realizar um projeto pequeno, que eu era incompetente? Ponderei os pros e contras e decidi não escrever sobre o progresso desse projeto, para que ninguém soubesse, e talvez eles pensariam que eu estava ocupado demais e tinha me esquecido disso. Eu meus relatórios, eu tramava, era insincero e enganoso o tempo todo. Eu também era astuto. Ao longo dos meus anos de fé, embora tivesse cumprido muitos deveres e suportado alguma adversidade, eu não estava me esforçando na busca pela verdade. Eu só pensava em como proteger meu status e reputação, por isso, não falava e não agia nem de longe como uma pessoa honesta. Eu não tinha a coragem de ser simples e aberto — era patético! Às vezes, eu me perguntava: Deus nos disse tantas coisas, e eu tenho lido muitas das Suas palavras, mas estou vivendo alguma realidade disso? Eu não conseguia nem escrever um relatório correto sobre meu trabalho. No fim, o que eu ganharia desse jeito? Àquela altura, eu senti que estava em perigo. Se não me arrependesse e não buscasse uma mudança de caráter, eu seria expulso por Deus a qualquer momento. Fiz uma oração no meu coração: “Deus, sou profundamente corrompido. Minto e engano o tempo todo para proteger meu status e reputação. Por favor, esclarece-me e guia-me para que eu possa conhecer a mim mesmo”.

Depois disso, li mais das palavras de Deus. “Se vocês são líderes, obreiros ou supervisores em qualquer nível, vocês temem que a casa de Deus questione o seu trabalho? Temem que a casa de Deus descubra lapsos e erros em seu trabalho e lide com vocês? Temem que, quando o Alto descobre seu calibre e sua estatura reais, ele os veja numa luz diferente e não os considere para uma promoção? […] Esse medo em seu coração prova, no mínimo, que você tem o caráter de um anticristo, e quando o medo o assalta, você quer encobrir as coisas e enganar os outros. É esse o estado que age aqui? (Sim.) Você teme o quê? Por que você não consegue tratar o assunto com honestidade e sinceridade e dizer: ‘Se eu acabar sem status, então é assim que as coisas são. Mesmo que essa questão seja exposta e o Alto descubra e então não me use mais, ainda assim devo explicar a situação com clareza’? Seu medo prova que você ama seu status mais do que a verdade. Esse não é o caráter de um anticristo? (É.) Prezar status acima de tudo é o caráter de um anticristo. Por que você preza tanto o status? Quais são os benefícios do status? Se o status lhe trouxesse desastre, dificuldades, vergonha e dor, você ainda o prezaria? (Não.) O status traz tantos benefícios, coisas como inveja, respeito, alta estima e bajulação de outras pessoas, além da admiração e da reverência delas. Há também o senso de superioridade e privilégio que lhe dá sua dignidade e um senso de valor próprio. Além disso, você pode também desfrutar de coisas que os outros não podem, tais como os benefícios do status e tratamento especial. Tudo isso são coisas com as quais você sonhou, mas nas quais não ousou pensar. Você preza essas coisas? Se o status é apenas oco, sem nenhum significado real, e defendê-lo não serve a nenhum propósito real, não é tolice prezá-lo? Se você conseguir renunciar a coisas como interesses e prazeres da carne, então fama e status não mais o limitarão. O que, então, deve ser resolvido antes de resolver problemas relacionados a prezar e buscar status? Em primeiro lugar, você deve ver a essência das coisas que o status lhe dá, as coisas que você acha tão intoxicantes e que você preza. Se você conseguir realmente enxergar essas coisas e renunciar a elas, a atração de fama e status diminuirá, e os problemas que surgem quando você age a fim de desfrutar fama e status — o mal que você pode cometer, a enganação, a ocultação e o encobrimento em que você se empenha, e sua recusa da supervisão, do questionamento ou da investigação dos outros — serão todos resolvidos. Sem a capacidade de enxergar a essência de cobiçar os benefícios do status, esses problemas nunca serão resolvidos(A Palavra, vol. 3: Expondo os anticristos, “Item Oito: Eles gostariam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (parte 2)”). Elas me ajudaram a perceber que eu não conseguia deixar de mentir e enganar porque eu prezava demais meu status e reputação. Para proteger meu status e nome e para que a líder não visse a realidade dos meus fracassos no acompanhamento do trabalho, eu tentava tramar, trapacear e enganar a líder com minhas palavras. Em meus relatórios, eu encobria minhas deficiências, só relatava as coisas boas, escondia as ruins, para que os outros pensassem que eu era um líder que fazia trabalho prático. Eu temia que eles viriam meu rosto verdadeiro e deixariam de me admirar, então eu não poderia mais desfrutar do senso de superioridade que esse status me trazia. Quando vi as palavras de Deus: “Prezar status acima de tudo é o caráter de um anticristo, percebi finalmente como era sério esse problema. Pensei nos anticristos que são expulsos. Eles sempre buscam status e reputação em seu dever e trapaceiam e são enganosos nos bastidores. Isso interrompe o trabalho da casa de Deus, por isso são expostos e expulsos. Há também falsos líderes que desfrutam dos benefícios do status. Eles sempre são astutos em seu dever e encobrem a verdade quando não fazem trabalho real, o que atrasa o trabalho da casa de Deus. Isso é igual à irmã Chen, que era responsável pelo trabalho evangelístico. Na época, ela também estava fazendo outro trabalho, e ela era escorregadia e enganosa em ambas as posições. No trabalho evangelístico, ela dizia que estava ocupada com seu outro trabalho, e no outro trabalho, dizia que estava ocupada com a evangelização. Na verdade, não estava fazendo nenhum trabalho e acabou sendo exposta e expulsa. As lições dos fracassos dos outros eram um alerta para mim. Ao trapacear e ser enganoso em prol de status e reputação, eu estava enganando a mim mesmo e os outros, sendo tolo. Deus vê tudo e Ele gosta de pessoas honestas. Só pessoas honestas têm um lugar seguro na casa de Deus, e pessoas astutas serão expostas e expulsas em algum momento. Na minha fé, eu não estava buscando ser uma pessoa honesta, estava fingindo, deixando uma impressão falsa, e embora enganasse algumas pessoas, eu não podia escapar do escrutínio de Deus. No fim, Deus teria me exposto e expulso. Então, percebi a importância de ser honesto e soube que ser honesto como Deus exige e aceitar Seu escrutínio em todas as coisas é o único jeito de ganhar a aprovação Dele. Lembrei-me das palavras de Deus: “Se alguém sempre diz o que realmente está no seu coração, se nunca mente nem exagera, se é sincero e não é nem um pouco descuidado ou superficial no cumprimento do seu dever, se ele consegue praticar a verdade que entende, essa pessoa tem a esperança de ganhar a verdade. Se uma pessoa sempre se encobre e esconde o coração para que ninguém o veja claramente, se ela passa uma impressão falsa para enganar os outros, ela está em grande perigo, está com grandes problemas, será muito difícil para ela obter a verdade. Vocês podem ver, a partir do dia a dia da pessoa, e a partir de suas palavras e ações, quais são as perspectivas dela. Se essa pessoa está sempre fingindo, sempre se achando, essa pessoa não é alguém que aceita a verdade, e, mais cedo ou mais tarde, ela será revelada e expulsa. […] Pessoas que nunca se abrem, que sempre escondem as coisas, que sempre fingem ser honestas, que sempre estão tentando fazer com que os outros as tenham em alta estima, que não permitem que outros obtenham uma noção total delas e fazem com que os outros as admirem — essas pessoas não são estúpidas? Essas pessoas são extremamente estúpidas! Isso é porque a verdade sobre uma pessoa virá à luz mais cedo ou mais tarde. Que senda elas trilham em sua conduta? A senda dos fariseus. Os hipócritas estão em perigo ou não? Eles são as pessoas que Deus mais odeia, então você imagina que eles não estão em perigo? Todos aqueles que são fariseus trilham a estrada para a perdição!(A Palavra, vol. 2: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade”). Sempre esconder e ocultar, sempre fingir é a senda errada, e se você não der meia-volta, você será destruído no fim. Orei a Deus e tomei uma decisão, disposto a buscar uma mudança de caráter e a ser uma pessoa honesta.

Mais tarde, li mais das palavras de Deus. “Tudo que você faz, cada ação, cada intenção e cada reação devem ser trazidos para diante de Deus. Até sua vida espiritual diária — suas orações, sua proximidade com Deus, como você come e bebe das palavras de Deus, a comunhão com seus irmãos e irmãs e sua vida dentro da igreja — e seu serviço em parceria podem ser trazidos diante de Deus para Seu escrutínio. É tal prática que ajudará você a alcançar crescimento na vida. O processo de aceitar o escrutínio de Deus é o processo de purificação. Quanto mais puder aceitar o escrutínio de Deus, mais você será purificado e mais estará de acordo com a vontade de Deus, de modo que você não será atraído à devassidão e seu coração viverá na Sua presença. Quanto mais você aceitar Seu escrutínio, maior será a humilhação de Satanás e sua capacidade de renunciar à carne. Assim, aceitar o escrutínio de Deus é uma senda de prática que as pessoas deveriam seguir(A Palavra, vol. 1: A obra de Deus e conhecer a Deus, “Deus aperfeiçoa aqueles que são segundo o Seu coração”). Ao ponderar as palavras de Deus, percebi que só aqueles que aceitam o escrutínio de Deus têm reverência a Ele, são capazes de se aquietar diante Dele para buscar a verdade, de avaliar corretamente os seus pensamentos e de saber agir corretamente e como ganhar a aprovação de Deus. Quando aceitamos o Seu escrutínio, Deus permite que vivamos sempre diante Dele e não sejamos enganados por Satanás para que Suas palavras se tornem o padrão e a base para aquilo que dizemos e fazemos. É o único jeito de embarcar na senda de buscar a verdade e de ser salvo. Depois de entender a vontade de Deus, comecei a abrir meu coração para Deus, deixei de fingir e de me embelezar, e comecei a aceitar o escrutínio de Deus em tudo. Depois disso, quando escrevia um relatório, eu me lembrava de que devia ser honesto e aceitar o escrutínio de Deus e descrever corretamente o trabalho malfeito. Quando a líder perguntava sobre meu trabalho, eu dizia a verdade. Quando os outros me perguntavam algo, eu era sincero em relação ao que sabia. Quando sabia, eu sabia, quando não sabia, não sabia. Praticar tudo isso era muito mais relaxante. Experimentei que aceitar o escrutínio de Deus é uma senda para entrar na realidade da verdade e livrar-se da corrupção. Também experimentei que, sem poda e tratamento, eu não teria analisado minha corrupção e não teria buscado a verdade para entrar na realidade. Caso contrário, por mais anos de fé que tivesse, por mais deveres que cumprisse ou por mais que sofresse, meu caráter corrupto jamais teria mudado. Eu não teria sido capaz de ser salvo e estaria fadado a ser expulso por Deus. Essa poda e tratamento me mostraram a importância de ser honesto, e eu ganhei algum entendimento do meu caráter satânico escorregadio e astuto. Isso era o amor e a salvação de Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Uma dor inescapável

Por Qiu Cheng, China Quando completei 47 anos de idade, minha visão deteriorou rapidamente. O médico disse que, se eu não cuidasse dos meus...

Leave a Reply

Entre em contato conosco pelo WhatsApp