Liberta da minha luta de ser melhor que os outros

04 de Fevereiro de 2022

Por Xinliang, Alemanha

Quando comecei a servir como líder da equipe de rega, os irmãos nesse dever me consultavam quando se deparavam com problemas e me admiravam bastante. Quando recém-convertidos do exterior precisaram de rega, os líderes pediram especificamente que eu cuidasse disso e me deram a tarefa de ensinar alemão aos outros membros da equipe. Assim, todos começaram a me admirar ainda mais e queriam conversar comigo sobre seus problemas. Sentia que era indispensável para a equipe e amava ser admirada e cercada pelos outros.

Então os líderes designaram a irmã Fang à nossa equipe, Dizendo que ela regaria os recém-convertidos conosco. Depois de um tempo, vi que ela tinha um calibre bom, sua comunhão sobre a verdade era clara, e quando recém-convertidos tinham perguntas ou problemas, ela não só encontrava as palavras de Deus relevantes, como também inseria sua própria experiência em sua comunhão. Eles rapidamente encontravam as soluções de que precisavam. Depois de um tempo, os irmãos só procuravam a irmã Fang quando se deparavam com um obstáculo. Isso foi desanimador para mim. Pensei: “Desde que ela veio, todos a admiram e a procuram com seus problemas. Eles acham que ela é mais capaz do que eu? Mas eu sou a líder da equipe! Não posso deixar que ela assuma meu lugar, devo recuperar a glória que é minha por direito”.

Certa vez, antes de uma reunião, a irmã Wang produziu um documento em alemão e o enviou ao grupo, dizendo que tinha usado um software de tradução para algumas partes. Queria que eu e a irmã Fang o conferíssemos depois da reunião. Durante a leitura, descobri todo tipo de problemas na tradução e pensei: “Essa é a minha chance. A irmã Fang domina um pouco o alemão, mas não tão bem quanto eu. Agora devo mostrar a todos que sou mais capaz do que ela”. Então li o documento, o revisei e o reformatei. Achava que, assim que os irmãos vissem como meu trabalho o deixara tão claro, tão coerente, certamente reconheceriam meu talento. Acabei gastando toda a reunião naquele documento em vez de realmente prestar atenção. Mesmo depois da reunião, gastei a noite inteira verificando e organizando-o mais uma vez. Tive dor de cabeça e meus olhos ficaram ressecados pelo esforço, mas quando pensei nos irmãos que veriam meu trabalho nos bastidores e em reconquistar sua admiração, meu cansaço desapareceu. Mandei o documento para o grupo no dia seguinte, mas quando todos estavam discutindo problemas relacionados à rega dos recém-convertidos, eles perguntaram a irmã Fang sobre pontos que não entendiam. Nenhuma pessoa me mencionou como aquela que tinha arrumado a tradução. Fiquei muito frustrada e me perguntei por que eu tinha me tornado uma nota de rodapé desde a chegada da irmã Fang. Ela não era melhor do que eu. Fiquei sentada ao computador sem dizer uma palavra e não tive vontade de participar da discussão. Pensei até em não querer estar fazendo aquele dever. Então, de repente, uma irmã me fez uma pergunta e eu não fazia ideia de como responder porque simplesmente não tinha acompanhado a discussão. Quando viu que eu não dizia nada, a irmã Fang entrou na conversa e deu sua opinião, e todos concordaram com ela. Meu rosto estava ardendo. Apressei-me para encontrar a parte correspondente do documento e só então percebi que já tinham comungado sobre a maior parte dele, mas eu não tinha acompanhado. Eu me senti meio que culpada. Eu era a líder de equipe de rega e deveria estar orientando o processo de aprendizado e ajudando a tratar dos problemas das pessoas em seu dever, mas estava sempre me comparando com a irmã Fang e só me importava com o que os outros pensavam de mim. Eu não estava colocando meu coração no meu dever. Como podia cumprir bem o meu dever com essa atitude?

Depois da reunião, refleti sobre o estado em que estivera recentemente. Desde que a irmã Fang juntou-se a nós, todos a procuravam com seus problemas e eu resisti muito, achando que meu papel de liderança e minha glória tinham sido roubados. Fiz de tudo para me exibir, querendo reconquistar a posição que tivera no coração de todos. Quando não consegui o que queria, era como se tivessem tirado o vento das minhas velas e até pensei em desistir. Isso não era trair a Deus? Percebendo que eu não estava no estado correto, orei a Deus em silêncio, pedindo que Ele me guiasse para conhecer a mim mesma. As palavras de Deus dizem: “Quando as pessoas não entendem ou praticam a verdade, muitas vezes, elas vivem em meio ao caráter corrupto de Satanás. Elas existem em meio a várias armadilhas satânicas, quebrando sua cabeça para o bem de seu próprio futuro, orgulho, status e outros interesses próprios. Mas se você aplicar essa atitude ao seu dever, à busca da verdade, então você ganhará a verdade. […] Se você sempre se esforça muito pela verdade, vem para diante de Deus com frequência, busca a verdade com frequência, você ceifará o fruto da verdade, e aquilo que você vive terá uma semelhança humana, humanidade normal e a realidade da verdade. Se você planeja, contempla, passa tempo refletindo, investe muito trabalho — dá até a sua vida — em várias coisas que o beneficiam, sem poupar gastos, talvez você ganhe o respeito das pessoas e diferentes benefícios e formas de orgulho — mas o que é mais importante: essas coisas ou a verdade? (A verdade.) As pessoas entendem essa mensagem, mas não buscam a verdade e só valorizam seus interesses e status. Então elas realmente entendem a mensagem, ou é um entendimento falso? Na verdade, elas são estúpidas. Não veem essas questões com clareza. Quando forem capazes de vê-las claramente, terão ganho um pouco de estatura. Isso exige que busquem a verdade, que trabalhem muito; elas não podem ser confusas nem desleixadas. Quando vier um dia e Deus disser que Ele terminou de falar, que Ele não deseja dizer mais nada à humanidade e fazer mais nada, quando vier a hora de testar o trabalho do homem, se você não buscar a verdade, você estará destinado a ser eliminado” (A comunhão de Deus). Ao ler as palavras de Deus, especialmente foi muito pungente para mim. Lembrei-me do meu comportamento recente, e, embora parecesse estar cumprindo meu dever, eu estava sempre protegendo meus próprios interesses e status. Quando vi que a irmã Fang me ultrapassava em calibre e capacidade e que os outros membros da equipe a admiravam, tive uma sensação de crise, como se minha posição estivesse ameaçada. Em segredo, comecei a competir com ela, comparando-me com ela, e queria que todos achassem que eu era melhor do que ela. Só queria recuperar a admiração de todos. Eu não estava apenas protegendo meu status pessoas enquanto brandia a bandeira de cumprir o meu dever? Deus me elevou para agir como líder de equipe para que cuidasse de Sua vontade e defendesse o trabalho da igreja. Ele também esperava que eu usasse essa chance para aprender a usar a verdade para resolver problemas e praticar a verdade em meu dever, para que meu caráter corrupto mudasse um pouco. Mas eu não estava praticando a verdade nem um pouco. Eu só estava presa num estado de lutar por nome e ganho, e tudo em que eu pensava era superar a irmã Fang e fazer com que os irmãos me admirassem. Eu estava completamente deixando de lado o meu dever. Quando falhei em ganhar prestígio e status, quis desistir e trair a Deus. Isso era resistir a Deus. A essa altura, fiquei com medo e percebi que meu espírito estava nas trevas e em dor e que eu tinha perdido a obra do Espírito Santo porque tudo que eu fazia era enojar a Deus, de modo que Ele tinha ocultado Sua face de mim. Se eu não me arrependesse, Ele me eliminaria. Quando percebi tudo isso, vim rapidamente para diante de Deus e orei, dizendo: “Deus, não quero falar nem agir só por meu próprio status e prestígio, mas simplesmente não consigo evitá-lo. Por favor, guia-me para que eu possa colocar a verdade em prática”.

Li uma passagem das palavras de Deus depois disso, e ela me mostrou como renunciar a tudo isso. As palavras de Deus dizem: “Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Pessoas assim não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus são perfeitamente claras. Deus tem um lugar no coração de alguém que realmente considera Sua vontade e que aceita Seu escrutínio em tudo que faz. Consegue renunciar à sua reputação, status e interesses pessoais e considerar os interesses de Deus em todas as coisas, investindo tudo que tem no cumprimento do seu dever. Esse é o tipo de pessoa que traz alegria para Deus. Pensando bem, a comunhão da irmã Fang sobre a verdade era realmente clara e conseguia resolver problemas e suas sugestões beneficiavam mais o nosso trabalho do que as minhas. Isso era muito benéfico para o trabalho da igreja e a vida dos irmãos. Era bom para o nosso trabalho quando os outros procuravam a ajuda de irmã Fang mais do que a minha para que todos pudessem aprender e crescer juntos. Era algo bom. Mas em vez de dar a isso alguma consideração, eu só me importava com meus interesses e minha posição. Ao ver os outros admirando a irmã Fang, senti que ela havia roubado meu lugar, de modo que me coloquei secretamente contra ela. Eu não estava interrompendo e prejudicando os interesses da casa de Deus? Eu me senti muito mal quando tudo isso se tornou claro para mim. Eu realmente me desprezei e quis praticar a verdade para satisfazer a Deus. Depois disso, fiz um esforço consciente de renunciar a reputação e status, e quando estávamos em comunhão e estudo, parei de pensar em me exibir para parecer melhor do que ela. Em vez disso, concentrei-me em me aquietar diante de Deus e em refletir sobre como comungar da maneira mais eficaz. Eu fui capaz de lidar apropriadamente quando via os irmãos levando seus problemas para a irmã Fang. Senti que não importava a quem perguntassem, contanto que o problema fosse resolvido. E quando me deparava com problemas em meu dever, também comecei a procurá-la e a ouvir o que ela tinha a dizer. Fiquei muito mais em paz quando fiz as coisas desse jeito e tive a orientação do Espírito Santo em meu dever, o que ajudou a resolver alguns problemas. Como resultado, o trabalho da equipe melhorou. Eu estava grata pela orientação de Deus.

Depois dessa experiência, eu achava que tinha algum autoconhecimento e que tinha mudado em alguma medida, mas então algo aconteceu depois que me permitiu refletir e entender a mim mesma mais profundamente. Numa tarde, uma líder me enviou uma mensagem, dizendo que queria que a irmã Fang trabalhasse comigo numa das minhas tarefas para terminá-la o quanto antes. Não fiquei muito feliz com isso. Eu era a responsável pela tarefa desde o início, e de repente ter a irmã Fang se juntar a mim fez com que achasse que a líder pensava que ela era melhor do que eu, que a irmã Fang poderia me ajudar a melhorar minha eficiência no trabalho. Então, se o projeto fosse um sucesso, os esforços da irmã Fang não passariam despercebidos. Eu sabia que ela era eficiente e esperta, e tanto seu calibre como suas capacidades de trabalho eram melhores do que os meus, além disso, todos os outros gostavam dela. Parecia que uma crise estava prestes a acontecer. Se a líder visse que a irmã Fang se saía melhor do que eu, a colocaria em meu lugar como líder de equipe? Esse pensamento fez com que a ansiedade apertasse meu peito. Percebi que estava de novo competindo com a irmã Fang por status, mas quando pensei na possibilidade de ela assumir meu lugar, fiquei muito nervosa, com muito medo de perder minha posição. Pensei: “Devo provar para a líder imediatamente que estou à altura da tarefa”. Assim, dividi o projeto em duas partes, para que cada uma assumisse metade. Dessa forma, a líder poderia ver quem tinha feito o que e ficaria claro quem tinha alcançado mais. Assim, esse senso de rivalidade que eu não tinha erradicado surgiu de novo.

Quando dividi o trabalho, não me comuniquei com a irmã Fang sobre os detalhes, não querendo compartilhar tudo que eu sabia com ela. Temia que ela compreenderia muito rápido. Eu só lhe enviei uma mensagem superficial sobre a divisão do trabalho. Então trabalhamos separadamente. Ao longo dos próximos dias, trabalhei no projeto sem parar, pensando que, contanto que fosse feito bem e rapidamente, a líder pensaria que eu era mais eficiente e mais eficaz do que a irmã Fang. Então ganharia sua aprovação e minha posição estaria segura. Durante esse tempo, quando os irmãos precisavam de ajuda em seu dever, eu fazia de tudo para arrumar tempo para isso, sentindo que, quanto mais tarefas conseguisse realizar, mais eu provaria minha importância na equipe, que eu conseguia fazer tudo. Assim, pensei que eu estaria firme como uma rocha. Também fiquei de olho no progresso da irmã Fang, temendo que eu poderia ficar para trás. Nunca fui capaz de encontrar serenidade no meu dever, mas fiquei cada vez mais ansiosa. Eu não tinha nenhuma percepção dos problemas que encontrava, por isso meu progresso era lento. Eu estava focada em buscar nome e status. Se a líder não tivesse descoberto o que estava acontecendo, eu não teria refletido sobre mim mesma. Depois de uma semana, vendo que não havia nenhum progresso, a líder veio monitorar em que ponto estávamos e como ia a nossa cooperação. Ela também apontou que nenhuma das minhas tarefas principais tinha sido bem-feita e perguntou em que eu estivera trabalhando. Eu inventei algumas desculpas, dizendo que não tinha administrado bem o meu tempo e que o trabalho era difícil. Na verdade, eu sabia que era porque eu só estava buscando nome e ganho mais uma vez, por isso, não estava trabalhando bem com a irmã Fang e meu coração não estava no lugar certo. Por isso tinha perdido a orientação de Deus. Quando viu que eu estava inventando desculpas, a líder lidou comigo por não priorizar meu trabalho corretamente e perguntou sobre meu estado. Compartilhei com ela o que eu estivera revelando recentemente.

Ela leu para mim uma passagem das palavras de Deus e comungou e dissecou a natureza e a raiz de lutar por nome e ganho. Isso me ajudou a entender melhor o meu caráter corrupto. As palavras de Deus dizem: “Sempre que está num grupo, a primeira coisa que esse tipo de pessoa que é um anticristo faz é conquistar a confiança e o apreço das pessoas e fazer com que mais pessoas o respeitem, o admirem e adorem, a fim de alcançar seu objetivo de ter poder absoluto e ter a última palavra no grupo. […] A fim de alcançar status, a fim de ser o chefão do grupo, ele fará o que for necessário, sem poupar indivíduo ou fator que ameace seu status. É claro, os anticristos estão fadados a empregar qualquer quantia de meios para alcançar isso. Qualquer um que seja eloquente, que fale logicamente, de maneira ordenada e organizada, se torna objeto de sua inveja, um alvo a ser imitado e, além disso, um alvo de competição. Aqueles que buscam a verdade e têm convicção, que ajudam e apoiam os irmãos e irmãs com frequência, tirando-os da negatividade e da fraqueza, também se tornam alvo de competição. Qualquer um que seja hábil em certa tarefa e admirado, um pouco que seja, pelos irmãos e irmãs também se torna alvo de competição. Aqueles cujo trabalho é frutífero e que são elogiados pelo Alto são, mais ainda, alvo de competição. E qual é seu slogan, sua marca registrada em qualquer grupo? Essas pessoas não querem necessariamente ganhar o status mais alto; elas simplesmente têm certo caráter, certa mentalidade que as leva a fazer essas coisas. E qual é essa mentalidade? É esta: ‘Devo competir! Competir! Competir!’. ‘Competir’: esse é o seu caráter. Elas têm um caráter que ninguém consegue conter. Ninguém pode controlá-lo, nem elas mesmas podem; elas precisam competir” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). Refleti sobre o que essa passagem revela sobre esses estados. Ela descrevia perfeitamente meu estado recente. Em meu dever, eu sempre queria ter certo status e que os outros me admirassem. Quando senti que a irmã Fang parecia prestes a assumir meu lugar, eu a tratei como uma adversária, colocando-me secretamente contra ela para que eu pudesse manter minha posição. Quis dividir o trabalho para ver qual de nós era mais eficiente e quis usar a ajuda aos irmãos com seus problemas para mostrar que eu era mais dedicada do que ela, que eu entendia melhor a verdade e o trabalho, esperando que todos vissem que eu era um membro forte e capaz da equipe para consolidar minha posição. Estava obcecada em como me exibir, comparando-me com ela a cada instante. Isso não era exatamente o caráter de um anticristo revelado por Deus? Quando pensei nisso, vi que, quando a líder quis que trabalhássemos juntos, era primeiramente para que fôssemos mais eficientes e terminássemos o projeto mais rápido. Mas dominada por esquemas mesquinhos, eu queria usar meu dever para me estabelecer, e o trabalho da igreja nem passou pela minha cabeça. Eu não estava colocando meu coração na comissão de Deus, em vez disso, ficava pensando somente em melhorar minha imagem. Eu estava tramando e trabalhando contra a irmã Fang para garantir meu lugar, atrasando nosso trabalho. Como isso era cumprir o meu dever? Obviamente, eu estava servindo a Satanás, sabotando o trabalho da igreja!

Li ainda outras passagens das palavras de Deus. “Se você está obcecado com status e prestígio, se você realmente se deleita com eles, está profundamente apegado a eles, não suporta renunciar a eles, se sempre acha que, sem status e prestígio, não existe alegria nem esperança na vida, que você deve viver a vida toda por status e prestígio, que deve se orientar por essas duas coisas, que, ainda que acabe não alcançando seus objetivos, você não pode desistir por completo e deve perseverar até o fim, enquanto houver um fio de esperança — se você pensa desse jeito, é muito pouco provável que você seja bem exigente consigo em relação ao que pratica, e será propenso a fechar os olhos para a sua prática. […] essa busca de status afeta sua capacidade de ser uma criatura aceitável de Deus e, é claro, afeta sua capacidade de cumprir seu dever num padrão aceitável. Por que digo isso? Deus não odeia nada mais do que quando as pessoas buscam status, pois a busca de status é caráter corrupto; nasce da corrupção de Satanás e, aos olhos de Deus, não deveria existir. Deus não ordenou que ele fosse dado ao homem. Se você está sempre competindo e lutando por status, se você se deleita nele constantemente, se você sempre deseja conquistá-lo para si mesmo, isso não produzirá um pouco da natureza de se opor a Deus? Deus não ordenou status para as pessoas; Deus provê as pessoas com a verdade, o caminho e a vida e, no fim, faz com que elas se tornem uma criatura aceitável de Deus, uma criatura pequena e insignificante de Deus — não alguém que tem status e prestígio e é reverenciado por milhares de pessoas. E então, não importa sob qual perspectiva isso seja visto, a busca de status é um beco sem saída. Não importa quão sensata seja sua desculpa para buscar status, essa senda continua sendo errada e não é elogiada por Deus. Não importa quanto você tente ou quão grande seja o preço que você paga, se você desejar status, Deus não lhe dará; se não for dado por Deus, você falhará ao lutar para obtê-lo, e se você continuar lutando, haverá apenas um desfecho: a morte! Esse é o beco sem saída — você entende isso, não entende?” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)’ em “Expondo os anticristos”). Depois de ler isso nas palavras de Deus, fiquei aterrorizada. Eu não estava buscando a verdade em meu dever, em vez disso, estava correndo atrás de nome e status para cumprir meus próprios desejos. Eu estava na senda de um anticristo. Perguntei-me por que eu estava tão focada em buscar essas coisas. Era por causa da corrupção de Satanás. Desde pequena, eu tinha ouvido coisas como: “O homem luta para subir; a água flui para baixo”, e: “O sonho de qualquer soldado bom é tornar-se general”. Mergulhada nesses venenos de Satanás, eu sentia que não valeria nada se me contentasse em ser mediana. Eu queria estar no topo para onde quer que fosse, caso contrário não teria valor. Isso tinha se tornado meu fundamento como pessoa. Eu não conseguia parar de viver segundo essas filosofias satânicas, nem mesmo após me tornar uma crente. Quando via alguém que poderia me superar, eu tinha de lutar contra ele e pensar em algum jeito de provar meu valor. Eu queria ter um lugar no coração das pessoas, que todos me cercassem e admirassem. Achava que isso significava que eu tinha valor. Com esse tipo de perspectiva e busca, eu não era capaz de cumprir meu dever a partir do lugar de um ser criado, mas estava fingindo cumprir meu dever enquanto competia com Deus por status. Eu estava ofendendo o caráter de Deus e resistindo a Ele! Eu sabia que, se não me arrependesse, Deus me eliminaria mais cedo ou mais tarde. Esse pensamento realmente me assustou. Vi que a senda em que eu estava era incrivelmente perigosa. Vim para diante de Deus em oração naquele instante e me arrependi. Não importava se eu continuaria servindo como líder de equipe ou se a irmã Fang assumiria meu lugar, eu estava disposta a me submeter. Eu costumava pensar que era apenas mostrar um pouco de corrupção, por isso, não levei muito a sério. Mas por meio do julgamento e da revelação das palavras de Deus, percebi como isso é sério, e então tive o desejo verdadeiro de resolver essa corrupção. Depois disso, comecei a ler as palavras de Deus que expõem as pessoas que buscam esse tipo de coisa. Uma passagem deixou uma impressão especialmente profunda em mim e me ajudou a encontrar uma senda. “Como uma das criaturas, o homem deve guardar sua própria posição, e se comportar conscienciosamente. Obedientemente protege aquilo que lhe é confiado pelo Criador. Não aja indevidamente, nem faça coisas além de sua capacidade ou que são abomináveis para Deus. Não tente ser grande nem se tornar um super-homem nem estar acima dos outros, nem busque tornar-se Deus. É isso que as pessoas não devem desejar ser. Querer se tornar grande ou um super-homem é absurdo. Querer se tornar Deus é ainda mais vergonhoso; é repugnante e desprezível. O que é louvável, e o que as criaturas devem valorizar acima de tudo, é se tornar uma criatura verdadeira; esse é o único objetivo que todas as pessoas devem perseguir” (‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus iluminaram meu coração e me ajudaram a entender Sua vontade. Ser uma pessoa maravilhosa, um super-homem, não é o que um ser criado deve buscar. Deveríamos assumir nosso lugar como uma criatura de Deus e executar firmemente o que Deus nos confia. Essa é a busca certa e a única que Deus aprova.

Depois disso, quando me via lutando por nome e ganho novamente, eu fazia um esforço para orar a Deus e renunciar a mim mesma e ia procurar a irmã Fang para conversar sobre problemas em nosso dever. Quando realmente me abri para ela, descobri que ela tinha algumas ideias ótimas sobre como fazer as coisas e rapidamente desenvolvemos um plano de ação quando juntamos nossas cabeças. A irmã Fang também fez o esforço de compartilhar um resumo de sua experiência comigo para me ajudar a melhorar minha eficiência. Fiquei envergonhada e muito comovida. Ter uma parceira assim do meu lado era uma grande ajuda para mim, e eu me odiei por ter sido tão cega, por lutar apenas por nome e ganho e perder tantas chances de ganhar a verdade. Parei de me preocupar com a irmã Fang me substituindo como líder de equipe depois disso. Relaxei bastante e me tornei muito mais eficiente em meu dever. E quando trabalhamos como equipe, terminamos aquele projeto num piscar de olhos. Ao passar por tudo isso, senti que Deus está do meu lado, e Ele estabeleceu tantas situações para purificar e transformar meu caráter corrupto. Ele também me julgou, expôs, esclareceu e guiou com Suas palavras, permitindo-me ganhar algum autoconhecimento. Eu estava transbordando de gratidão a Deus e resolvi cumprir bem o meu dever e satisfazê-Lo.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Uma escolha no meio da crise

Por Zhang Jin, China Um tempo atrás, Recebi uma carta do irmão Zhao. O líder de sua igreja, um irmão e uma irmã foram presos pela polícia...

Acorrentada

Por Li Mo, China Em 2004, aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, e logo depois fui denunciada por espalhar o evangelho....

A proteção de Deus

Deus Todo-Poderoso diz: “As pessoas não podem mudar o próprio caráter; elas devem submeter-se ao julgamento e castigo, e ao sofrimento e...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp