Finalmente estou livre de meus equívocos sobre Deus

06 de Fevereiro de 2023

Por Yi Qian, China

Em 2019, eu era líder de igreja. Visto que eu negligenciava minhas responsabilidades, só buscava status e nome, tinha inveja e não cooperava com minha parceira e não trabalhava em harmonia com ela, nosso trabalho foi seriamente impactado. O líder lidou comigo e me ofereceu ajuda e apoio diversas vezes, mas eu não aceitei. Assim, acabei sendo dispensada. Perder meu dever me deixou chateada. Eu já tinha sido dispensada uma vez por buscar status e nome, e o mesmo problema tinha aparecido de novo. Vi que eu me importava demais com status e reputação, e interrompia constantemente o trabalho da igreja. Afinal, eu não parecia ser apta para uma posição de liderança.

Alguns meses depois, houve uma eleição de líder de igreja. Um dia, uma irmã me contou: “Eu gostaria de votar em você para líder”. Ouvir isso me deixou nervosa. No passado, quando era líder, eu sempre buscava status e nome, cometia muitos males e interrompia o trabalho da igreja. Status e nome eram meu ponto fraco, então, se eu fosse reeleita como líder e começasse a fazer a mesma coisa, buscando status e reputação e interrompendo o trabalho da igreja de novo, e aí? Se eu ficasse acumulando atos malignos, eu não seria condenada e expulsa? Diante disso, retruquei: “Você quer votar em mim sem nem mesmo me conhecer. Você deve ser responsável com seu voto. Se você vota aleatoriamente, sem seguir os princípios, e a pessoa errada é eleita, isso é cometer o mal”. Achei que não ser líder ou obreira era mais seguro. O escopo de minhas responsabilidades no meu dever de então era pequeno, assim, mesmo que eu cometesse alguns erros, o trabalho da igreja não sofreria tanto. Mas ser líder é diferente. Qualquer deslize pode impactar o trabalho geral da igreja, e isso prejudica todos os irmãos na igreja. Isso é um mal enorme. Fosse como fosse, eu não queria ser líder. Numa reunião, uma irmã pediu minha opinião sobre a eleição na igreja. Parecia que ela queria votar em mim. Rapidamente, eu lhe expliquei: “Eu não busco a verdade e careço de entrada na vida. Prejudiquei o trabalho da igreja no passado porque eu buscava status e nome como líder”. Eu também a informei sobre a corrupção que tinha revelado antes e sobre minhas falhas e deficiências para levá-la a pensar que eu não seria uma boa líder.

Depois disso, me senti um pouco culpada. Por que eu sempre ressaltava para os outros que eu não era apta a ser líder? Por que eu não tinha uma atitude de submissão em relação à eleição? Em meus devocionais, li esta passagem das palavras de Deus: “Na verdade, as pessoas não deveriam assumir essa visão de que fé é mera crença de que existe um Deus e de que Ele é a verdade, o caminho, a vida e nada mais. A fé também não existe apenas para você reconhecer Deus e acreditar que Ele é o Governante sobre todas as coisas, que Ele é todo-poderoso, que Ele criou todas as coisas no mundo e que Ele é único e supremo. A fé não é meramente uma questão de acreditar nesse fato. A vontade de Deus é que todo o seu ser e coração deveriam ser entregues e submetidos a Eleou seja, você deveria seguir a Deus, permitir que Deus faça uso de você e ser feliz ao fazer serviço para Ele; qualquer coisa que você pode fazer por Ele, você deveria fazer(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). As palavras de Deus me tocaram, e eu percebi que alguém com fé verdadeira, que segue a Deus, consegue entregar seu coração a Deus, submeter-se aos arranjos de Deus e ser feliz prestando serviço a Ele. Não importa o dever que cumpra nem como Deus o trate, ele consegue aceitar isso incondicionalmente e se submeter, sem fazer escolhas ou exigências pessoais. Essa é a razão, a consciência correta. Refletindo sobre mim mesma, embora tivesse fé e cumprisse um dever, eu sempre fazia escolhas e exigências próprias em meu dever sem nenhuma submissão a Deus. Eu sempre achava que, já que os líderes tinham mais trabalho, eles seriam expostos mais rápido, que, caso cometessem um erro e interrompessem o trabalho da igreja, seu futuro e destino estariam em perigo, por isso eu não queria ser líder nem obreira. Tentei pensar em algo para evitar essa eleição da igreja, exagerando intencionalmente os meus problemas e falhas por medo de ser selecionada. Então percebi que eu desconfiava de Deus, O entendia errado e não era nem um pouco obediente. Lembrei-me da atitude de Noé em relação à comissão de Deus. Quando Deus lhe ordenou construir a arca, ele não pensou em ganhos ou perdas pessoais nem se Deus lhe permitiria usar a arca para evitar o dilúvio após construí-la. Ele simplesmente se dedicou à construção da arca como Deus tinha exigido. Noé obedeceu e foi atencioso com Deus, mas eu tinha fé e cumpria um dever só por meu futuro e destino. Eu sempre pensava em se eu seria abençoada. Nunca considerava a vontade de Deus nem o trabalho da igreja. Queria cumprir qualquer dever que não me obrigasse a assumir responsabilidade. Tudo que exigia sacrifício ou assumir responsabilidade, eu fazia de tudo para me esquivar. Nem de longe eu considerava a vontade e as exigências de Deus, só queria as bênçãos Dele. Que tipo de fé era essa? Eu estava usando Deus, enganando-O. Eu não tinha submissão nem devoção. Quando percebi isso, fiz uma oração: “Ó Deus, meu motivo, ao cumprir meu dever, não é correto, não é buscar a verdade e obedecer a Ti, é em troca de um bom destino, sem nenhuma atenção à Tua vontade. Deus, não quero continuar Te enganando assim. Quero me arrepender. Não importa que dever for arranjado para mim, eu o aceitarei e me submeterei”.

Acabei sendo eleita líder de igreja na eleição. Eu sabia que a chance de continuar praticando como líder era a graça de Deus, mas eu tinha algumas ressalvas. Como líder de igreja, se eu buscasse status e nome como antes e interrompesse o trabalho da igreja, eu seria exposta e expulsa? Eu ainda não me sentia disposta a ser líder, mas recusar esse dever seria desafiar a Deus. Relutante, eu me submeti a isso.

Não demorou, e, já que estávamos recebendo muitos recém-convertidos, precisávamos de um líder de equipe para assumir o trabalho de rega. Os irmãos sugeriram alguns candidatos. Minha parceira estava ocupada com outras coisas e pediu que eu analisasse as avaliações que os irmãos tinham feito dos candidatos em potencial. Eu pensei: “Se eu for a primeira a analisar as avaliações, terei que ser a primeira a compartilhar uma opinião. E se eu me enganar em relação a algo e escolher a pessoa errada, e isso atrasar o trabalho de rega? Mesmo que eu o discuta e decida com minha parceira, se eu for a primeira a expressar uma opinião, eu serei responsabilizada. Se minhas transgressões continuarem a acumular, não terei um bom desfecho ou destino”. Esse pensamento me deixou com medo, e eu não quis ser a primeira a expressar minha opinião. Percebi que eu não estava no estado correto, que eu estava entendendo Deus errado e desconfiando Dele, mas não consegui me livrar disso. Então eu me abri com os irmãos e busquei comunhão. Uma irmã me disse: “Se você quer resolver equívocos e desconfiança em relação a Deus, você deve refletir sobre que concepção errada está levando a isso”. Isso me deu uma direção para obter um entendimento do problema. Eu orei e busquei com Deus e li palavras relevantes de Deus.

Um dia, li algumas passagens da palavra de Deus. “Algumas pessoas acreditam em Deus há alguns anos, mas não entendem nem um pingo da verdade. Sua perspectiva das coisas permanece igual à dos incrédulos. Quando veem um falso líder ou um anticristo sendo exposto e expulso, elas pensam: ‘Crer em Deus, seguir a Deus, viver diante de Deustudo isso é igual a pisar em ovos! É igual a viver no fio da navalha!’. E outras dizem: ‘Servir a Deus“fazer companhia a um rei é igual a fazer companhia a um tigre”, como dizem. Uma palavra errada, um erro cometido, e você ofende o caráter de Deus e é expulso e punido!’. Esses comentários estão corretos? ‘Pisar em ovos’ e ‘viver no fio da navalha’o que isso significa? Significa grande perigo, que há grande perigo a todo momento, que, com o mínimo de descuido, você tropeçará. ‘Fazer companhia a um rei é igual a fazer companhia a um tigre’ é um ditado comum entre os incrédulos. Significa que viver ao lado de um rei-diabo é simplesmente perigoso demais. Se aplicarmos esse ditado a servir a Deus, onde está o erro? Comparar um rei-diabo a Deus, ao Senhor da Criaçãoisso não é blasfêmia contra Deus? É um problema sério. Deus é um Deus justo e santo; que o homem deve ser punido por resistir a Deus ou por ser hostil a Ele é ordenado pelo Céu e reconhecido pela terra. Satanás, o diabo, não tem um pingo da verdade; ele é imundo e maligno, massacra os inocentes e devora os bons. Como ele pode ser comparado a Deus? Por que as pessoas distorcem os fatos e difamam a Deus? Isso é uma blasfêmia tremenda contra Ele! Quando algumas pessoas que são negativas com frequência e que não cumprem seus deveres com sinceridade são podadas e tratadas, elas temem ser expulsas e, muitas vezes, pensam: ‘Crer em Deus realmente é igual a pisar em ovos! Assim que você comete um erro, você é tratado; assim que você é rotulado como um falso líder ou um anticristo, você é substituído e expulso. Na casa de Deus, não é incomum Deus se irritar, e quando as pessoas fazem coisas ruins, elas são expulsas com uma única palavra. A casa de Deus nem lhes dá a chance de se arrepender’. As coisas são realmente assim? A casa de Deus não dá às pessoas uma chance de se arrepender?(Isso está errado.) Essas pessoas malignas e esses anticristos só são expulsos porque passaram por poda e tratamento por causa de suas variadas maldades, mas, a despeito de repetidas admoestações, eles não mudam seus hábitos. Qual é o problema quando essas pessoas pensam assim? Elas estão simplesmente se justificando. Elas não buscam a verdade nem prestam serviço corretamente, e por terem medo de serem removidas e expulsas, elas se queixam amargamente e espalham noções. É evidente que sua humanidade é ruim e que elas são frequentemente negligentes e superficiais, negativas e desleixadas em seu trabalho. Elas temem ser expostas e expulsas, por isso põem toda a culpa na igreja e em Deus. Que qualidade está agindo aqui? É a qualidade de julgar a Deus, de se ressentir Dele, de resistir a Ele. Esses comentários são as falácias mais óbvias e as alegações mais absurdas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). “Depois de serem expulsos, alguns líderes e obreiros espalham noções, dizendo: ‘Não seja um líder e não permita que ganhe status. As pessoas correm perigo no momento em que ganham status, e Deus exporá essas pessoas! Uma vez que forem expostas, elas não estarão qualificadas nem para serem crentes ordinários e não receberão nenhuma bênção’. Isso é coisa que se fale? No melhor dos casos, representa um equívoco sobre Deus; no pior dos casos, é uma blasfêmia contra Ele(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Como resolver as tentações e o cativeiro do status”). As palavras de Deus expunham meu estado exato. Essa perspectiva absurda estava governando minha vida. Eu imaginava Deus como um soberano, como se ser líder fosse pisar em ovos. Se uma pessoa cometesse o menor erro ou deslize, Deus condenaria essa pessoa e a exporia e expulsaria a qualquer hora. Eu vivia segundo essa ideia e tinha entendido Deus errado desde a minha dispensa. Eu achava que, como líder, quanto mais você sobe, mais dura será sua queda, e era isso que eu estava expondo. Era por causa dessa opinião equivocada que, embora eu soubesse que a igreja precisava de pessoas que assumissem responsabilidade, eu ficava me esquivando da eleição, temendo ser escolhida como líder, e então, se eu cometesse um erro, eu não teria um bom fim. Quando fui eleita como líder, em vez de ser grata pela graça de Deus, eu achava que estava vivendo no fio da navalha e que precisava ser especialmente cautelosa, que, se escorregasse, eu poderia até perder a chance de praticar minha fé, sem falar da chance de ser salva. Eu estava sempre desconfiando de Deus, sendo tímida em meu dever. Quando tivemos que escolher um líder de equipe de rega, eu nem ousei expressar uma opinião, temendo dizer a coisa errada e ser responsabilizada. Vi que eu entendia Deus errado. Deus é o Criador, Seu caráter é santo e justo, e Ele segue princípios com as pessoas. Se Deus condena ou expulsa alguém, isso sempre se baseia na atitude dessa pessoa em relação a Deus e à verdade. Lembrei-me do povo de Nínive. Seus atos malignos enojavam a Deus, por isso Deus decidiu destruí-los. Mas quando ouviram Jonas compartilhar o que Deus tinha dito, todos eles se vestiram com sacos e cinzas, e confessaram e se arrependeram. Eles abandonaram o mal em suas mãos e sua senda perversa. Quando viu seu arrependimento genuíno, Deus mudou de atitude em relação a eles e não os destruiu. O povo de Sodoma também era semelhantemente perverso, mas era teimoso e não quis se arrepender. Quando viram os dois mensageiros enviados por Deus, quiseram fazer mal a eles. Eles odiavam a Deus e se opunham a Ele resolutamente, por isso sofreram as maldições e a punição de Deus. As diferentes atitudes de Deus em relação às pessoas nessas duas cidades nos mostram que, quando as pessoas cometem o mal e transgressões, contanto que se arrependam de verdade, Deus lhes dá uma chance. Quanto àqueles que odeiam a verdade, resistem a Deus e não mostram arrependimento, Deus os condenará e punirá. Então pensei em mim mesma. Eu estava negligenciando meu dever e buscando status e nome por causa do meu caráter satânico, interrompendo o trabalho da igreja. Meu comportamento era repugnante para Deus, e assim perdi a obra do Espírito Santo e fui dispensada do meu papel de liderança. No entanto, Deus não me expulsou. Quando refleti e conheci a mim mesma, e me dispus a me arrepender diante de Deus, Ele me deu outra chance de ser líder para que eu pudesse ter prática o bastante, aprender mais verdades e progredir mais rapidamente. Esses não eram o amor e a misericórdia de Deus para mim? Mas eu não entendi as intenções sinceras de Deus. Eu estava sempre duvidando de Deus e em alerta contra Ele, sendo astuta e maligna. Eu achava que ser líder me levaria a ser exposta e expulsa. Eu realmente não conhecia Deus! Analisando minha atitude em relação a Deus, como isso era qualquer tipo de fé? Eu estava manchando Deus, blasfemando contra Ele e ofendendo Seu caráter!

Lembrei-me destas palavras de Deus: “Se for muito enganador, você terá um coração defensivo e pensamentos de suspeita em relação a todos os assuntos e a todas as pessoas, e por isso sua fé em Mim será edificada sobre um fundamento de suspeição. Eu jamais poderia reconhecer tal fé. Sem ter fé genuína, vocês se distanciarão ainda mais do amor real(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Como conhecer o Deus na terra”). Ao ponderar essas palavras, eu percebi como eu era astuta e maligna por natureza. Eu tinha fé e seguia a Deus só pelas minhas bênçãos. Eu não tinha fé nem amor verdadeiros por Deus — não era nem um pouco genuína. Eu suspeitava e desconfiava de Deus em tudo por causa da minha astúcia, temendo cometer um erro e ser exposta e expulsa. De forma alguma Deus aprova esse tipo de fé. Isso só pode provocar o nojo e o ódio de Deus. Esse pensamento me encheu de culpa e inquietação, e eu só quis me arrepender. Depois disso, li isto nas palavras de Deus: “Com uma natureza satânica, quando as pessoas ganham status, elas estão em perigo. Então, o que deveria ser feito? Elas não têm nenhuma senda a seguir? Uma vez que se meteram nessa situação perigosa, não existe volta para elas? Digam-me, no instante em que pessoas corruptas ganham statusindependentemente de quem sejamelas se tornam anticristos? Isso é absoluto? (Se elas não buscarem a verdade, elas se tornarão anticristos, mas se elas buscarem a verdade, isso não acontecerá.) Isso está absolutamente correto: se as pessoas não buscam a verdade, é certo que se tornem anticristos. E acontece que todos que trilham a senda dos anticristos o fazem por causa do status? Não, é principalmente porque eles não têm amor pela verdade, porque eles não estão certos. Não importa se elas têm status ou não, todas as pessoas que não buscam a verdade trilham a senda dos anticristos. Não importa quantos sermões tenham ouvido, tais pessoas não aceitam a verdade, elas não trilham a senda correta e, assim, inevitavelmente, trilham a senda torta. Isso é semelhante a como as pessoas comem: algumas não consomem alimentos que podem nutrir seu corpo e sustentar existência normal, em vez disso, insistem em consumir coisas que prejudicam, acabando atirando em seu próprio pé. Essa não é a sua própria escolha?(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Como resolver as tentações e o cativeiro do status”). As palavras de Deus me ensinaram que ninguém é exposto e expulso quando se torna líder ou obreiro, e que ter status não a torna mais propenso a ser condenada. Se uma pessoa é salva ou expulsa em sua fé depende totalmente de sua busca e da senda que trilha. Se ama a verdade com sinceridade, ela consegue se concentrar em buscar a verdade e ter princípios quando é líder ou obreiro. Quando cometer transgressões, se ela refletir sobre si mesma e aceitar poda e tratamento, ela não só não será expulsa, mas poderá aprender a verdade aos poucos, livrar-se de seu caráter corrupto e ser salva. Lembrei-me de alguns líderes com que tinha interagido. Embora tivessem mostrado corrupção e transgredido, quando fracassavam ou tropeçavam ou eram podados e tratados, eles eram capazes de refletir sobre si mesmos, arrepender-se diante de Deus e fazer as coisas de acordo com os princípios. Eles não só não foram condenados nem expulsos, mas por meio dessas experiências, conseguiram entender a verdade aos poucos e cresceram na vida. A essa altura, entendi que não é ser líder que faz com que alguém seja exposto, expulso, condenado ou incapaz de ser salvo. Eu conseguir permanecer firme ou alcançar salvação dependeria de se eu buscava a verdade no meu dever e me concentrava em resolver meu caráter corrupto. Lembrei-me do meu passado, quando eu sempre buscava status e reputação. Eu tinha inveja e excluía a minha parceira. Não trabalhava bem com ela. Eu interrompia o trabalho da igreja, não sabia me arrepender e acabei sendo dispensada. Eu fracassei porque não buscava a verdade e porque buscava status e nome cegamente, e trilhava a senda errada, não porque eu era líder. Então me conscientizei de que, quando vejo minha corrupção, só ficar negativa e desconfiada não resolve o problema. O mais importante é buscar a verdade e se concentrar em buscar a verdade para resolver meu problema. Embora eu me preocupasse demais com status e nome, de modo que isso se revelava quando eu era líder, contanto que eu conseguisse aceitar a verdade, renunciar à carne e praticar a verdade, meu caráter corrupto poderia mudar aos poucos. Se eu não buscasse a verdade e só vivesse segundo meu caráter corrupto, não importava o dever que eu cumpria, eu poderia cometer uma interrupção a qualquer hora, que enojaria a Deus e que faria com que eu fosse exposta e expulsa. Pensei em ser líder dessa vez. Embora tivesse encontrado muitos problemas e dificuldades e mostrado muita corrupção e sido podada e tratada um pouco, eu tinha aprendido algo sobre meu caráter corrupto. Sem perceber, eu tinha vindo a entender muitos problemas e dificuldades confusos por meio da busca dos princípios da verdade, e isso compensou as minhas deficiências. Todos esses ganhos práticos provinham do meu tempo como líder, e isso era a graça de Deus para mim. Eu não queria continuar me rebelando contra Deus e me esquivando do meu dever. Jurei que valorizaria esse dever, me dedicaria a ele e retribuiria o amor de Deus.

Depois disso, lembrei-me de outra passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Algumas pessoas que cometeram uma pequena transgressão se perguntam: ‘Deus me expôs e me expulsou? Ele vai me abater?’. Desta vez, Deus veio operar não para atacar as pessoas, mas para salvá-las na maior medida do possível. Quem está inteiramente livre de erro? Se todos fossem abatidos, então como isso poderia ser chamado de ‘salvação’? Algumas transgressões são cometidas de propósito, enquanto outras são cometidas involuntariamente. Se você consegue mudar depois de reconhecer as transgressões que comete involuntariamente, Deus o abateria antes de você ter mudado? Deus pode salvar as pessoas desse modo? Não é assim que Ele opera! Se você tem um caráter rebelde ou se agiu involuntariamente, lembre-se disto: você deveria refletir e conhecer a si mesmo. Dê meia-volta, imediatamente, e lute pela verdade com toda a sua forçae, não importa quais circunstâncias surjam, não se entregue ao desespero. A obra que Deus está fazendo é a de salvação, e Ele não abaterá, sem nem ligar, as pessoas que quer salvar. Isso é certo. Mesmo se realmente houvesse um crente em Deus que Ele abatesse no fim, aquilo que Deus faz ainda teria a garantia de ser justo. Com o tempo, Ele informaria você sobre a razão pela qual Ele abateu aquela pessoa, de modo que você fosse totalmente convencido. Neste momento, vocês devem se preocupar em buscar a verdade, concentrar-se na entrada na vida e buscar cumprir o seu dever adequadamente. Não há erro nisso! No fim das contas, não importa como Deus o trata, isso é sempre justo; você não deveria duvidar disso e não precisa se preocupar. Mesmo que você não consiga entender a justiça de Deus no momento, virá um dia em que você se convencerá. Deus faz Sua obra na luz e com justiça; Ele abertamente torna tudo público. Se vocês aplicarem uma cuidadosa contemplação a esse assunto, chegarão à conclusão de que a obra de Deus é salvar as pessoas e transformar o caráter delas. Dado que a obra de Deus é a de transformar os caracteres das pessoas, é impossível que as pessoas não tenham manifestações de corrupção. É só na manifestação do caráter corrupto de alguém que este pode conhecer a si mesmo e admitir que tem um caráter corrupto e estar disposto a receber a salvação de Deus. Se as pessoas, após terem manifestado um caráter corrupto, não aceitarem nem o mínimo da verdade e continuarem vivendo segundo seu caráter corrupto, elas serão propensas a ofender o caráter de Deus. Deus executará diferentes graus de retribuição sobre elas, e elas pagarão o preço por suas transgressões. De vez em quando, você inconscientemente se torna dissoluto e Deus aponta isso para você, o poda e lida com você. Se você mudar para melhor, Deus não o considerará responsável. Esse é o processo normal de uma transformação de caráter, e o verdadeiro significado da obra de salvação é manifestado nesse processo. Eis a chave!(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). A partir dessa passagem, entendi a vontade de Deus. Deus se tornou carne, aparecendo e operando nos últimos dias, para purificar e transformar os caracteres corruptos da humanidade. Deus está nos salvando na maior medida possível. Ele não condena ninguém por mostrar alguma corrupção ou cometer uma transgressão momentânea. Ele vê se ele se arrepende e muda depois de mostrar corrupção. Já que temos caracteres corruptos, muitas vezes fazemos coisas para nos rebelar e opor a Deus, cometendo transgressões. Mas se mostrarmos remorso depois e fizermos o que Deus exige, Ele nos dará uma chance de nos arrependermos. Desde que ganhei a fé e assumi um dever, eu sempre busquei status e nome por causa do meu caráter arrogante. Fiz algumas coisas que interromperam e prejudicaram o trabalho da igreja. Mas Deus não me condenou por causa das minhas transgressões. Quando ganhei algum entendimento da minha senda equivocada de buscar status e nome e quis me arrepender, Deus teve misericórdia de mim e me esclareceu com Suas palavras, e me permitiu entender a verdade e reconhecer meu caráter corrupto, para que eu pudesse aprender uma lição com meu fracasso, buscar a verdade e resolver minhas transgressões. Quando percebi isso, vi o desejo sincero de Deus de salvar o homem. Ele sabe quão profundamente Satanás nos corrompeu e quão enraizada está uma natureza satânica em nós, o que nos leva a fazer coisas em rebeldia e desafio a Deus. Mas, contanto que consigamos nos arrepender e seguir as palavras de Deus, Ele não nos condenará. Ele continuará nos guiando, permitindo que entendamos a verdade e nos livremos das restrições e dos laços dos nossos caracteres corruptos. Quando entendi essas coisas, meus equívocos sobre Deus evaporaram, e deixei de ser tão cautelosa no meu dever. Quando erros ou lapsos apareciam em meu trabalho, eu era capaz de encará-los de frente, buscar a verdade e fazer reparações prontamente. Cumprir meu dever desse jeito era tão libertador.

Mais tarde, a líder superior me designou para um projeto. Era uma tarefa muito importante. A responsabilidade seria grande se eu falhasse, e embora o trabalho tivesse que ser discutido e decidido com outros irmãos, se houvesse um problema com a decisão e o trabalho da igreja fosse interrompido, eu seria responsabilizada como a pessoa no controle. Quando pensei isso, eu não quis assumir o projeto. Então me lembrei de algo que Deus disse: “Existem alguns que dizem: ‘Meu calibre é ruim, não sou tão culto, não sou talentoso e há defeitos em meu caráter. Eu sempre tenho dificuldades ao cumprir o meu dever. Se eu fizer um trabalho ruim e for substituído, então o que farei?’. Você tem medo de quê? O trabalho é algo que você consegue completar sozinho? Você só está assumindo uma função, ninguém exige que você assuma a coisa toda. Se você assumir o que cabe a você fazer, isso bastará. Você não terá cumprido a sua responsabilidade? Um assunto tão simplessobre o que você fica especulando o tempo todo? Se você tem medo de sua própria sombra e você sempre pensa primeiro em como escapar, você não é um imprestável? O que é um imprestável? É alguém que não pensa em seu progresso e não está disposto a dar tudo de si, que sempre pensa em filar comida e deseja se divertir. Tal pessoa é lixo. Algumas pessoas têm um alcance tão limitadoexiste um jeito de descrevê-las. Qual é? (Um caráter extremamente mesquinho.) Pessoas com um caráter extremamente mesquinho são pessoas baixas. Todas as pessoas baixas usam o coração para avaliar aqueles que são melhores do que elas; para elas, todos são tão egoístas e maus quanto elas mesmas. Tal pessoa é um imprestável. Ela pode acreditar em Deus, mas não aceita a verdade facilmente. O que leva as pessoas a terem pouca fé? Isso é causado por uma falta de entendimento da verdade. Se você não entender verdades suficientes e se seu entendimento for superficial demais, isso não bastará para levá-lo a um entendimento de cada projeto que Deus realiza em Sua obra, nem de tudo que Ele faz, nem de tudo que Ele exige de você. Se você não conseguir alcançar esse entendimento, você gerará todos os tipos de suposições, imaginações, equívocos e noções sobre Deus. E se isso é tudo que você tem em seu coração, você pode ter fé verdadeira em Deus?(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Sete: parte 2”). As palavras de Deus me mostraram que eu estava de novo duvidando e desconfiando de Deus. Eu tinha medo da responsabilidade que eu teria que assumir se algo desse errado nesse projeto, que isso poderia impactar minhas perspectivas futuras, por isso, quis fugir dele. Vi como meu caráter era terrivelmente astuto — eu não tinha fé verdadeira. Eu não podia continuar duvidando de Deus e me esquivando do meu dever. Embora eu tivesse muitas falhas e não tivesse muita realidade da verdade, eu poderia trabalhar com os outros, aprender com seus pontos fortes para compensar minhas deficiências, orar a Deus e buscar princípios da verdade relevantes. Deus realmente não exige muito dos humanos. Contanto que eu desse tudo de mim, eu sabia que Deus me guiaria e que quaisquer problemas poderiam ser resolvidos aos poucos. Quando pensei nisso, eu aceitei a tarefa com alegria.

Em retrospectiva, eu vivia nos meus equívocos e noções, sempre duvidando e desconfiando de Deus, sem me submeter a Ele, mas Ele não desistiu de me salvar por causa disso. Em vez disso, continuou me esclarecendo e guiando com Suas palavras, para que eu entendesse a Sua vontade de salvar o homem e visse meu caráter astuto e maligno, eliminasse meus equívocos sobre Deus e ganhasse a determinação para buscar a verdade e satisfazê-Lo. Senti pessoalmente como o caráter de Deus é justo e como é real o Seu amor pelo homem! A partir daí, eu só queria me concentrar em buscar a verdade nos meus deveres e cumprir bem o meu dever para retribuir o amor de Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

A obra de Deus é tão sábia

Por Shiji, Província de Anhui Durante o meu tempo como um líder na igreja, o meu líder compartilhava com frequência exemplos de falhas dos...

Como encarar seu dever

Por Zhongcheng, ChinaDeus Todo-Poderoso diz: “A exigência mais fundamental da crença do homem em Deus é que ele tenha um coração sincero, e...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp