Uma denúncia equivocada

01 de Agosto de 2022

Por Xiaojie, Austrália

Por mais de um ano, Deus tem comungado sobre as verdades de se discernir falsos líderes. Nas reuniões, eu costumava comungar sobre meu próprio entendimento e conhecimento, mas, na vida real, eu não conseguia discernir falsos líderes. Quando eu via a menor manifestação de um líder não fazendo trabalho prático, eu o rotulava e condenava cegamente como falso líder. Como resultado, eu não só não protegi o trabalho da casa de Deus, como quase causei uma interrupção do trabalho. Por meio daquilo que os fatos revelaram, aprendi algumas lições com meus fracassos que me deram algum discernimento de falsos líderes.

Eu fazia trabalho administrativo na igreja. Eu era responsável pelo gerenciamento de alguns itens e ferramentas na igreja. No exercício do meu dever, descobri que os irmãos tratavam as ferramentas de modo inapropriado. Isso dificultava o gerenciamento. Procurei a líder, a irmã Li, e relatei esses problemas a ela. Também a lembrei de que ela poderia falar desses problemas aos outros, comungar sobre eles nas reuniões. Quando entendeu, ela concordou. Depois disso, esperei que a irmã Li viesse às reuniões, mas após uma longa espera, eu nunca a vi nas reuniões, e ela nunca deu seguimento, então comecei a fixar minha atenção na líder. Pensei: “Já se passou bastante tempo. Por que ela não acompanhou esse trabalho? Eu falei desse problema para ela várias vezes, mas ele nunca foi resolvido. Deus tem comungado sobre os aspectos da verdade sobre discernir falsos líderes. Se você não acompanha nem resolve problemas, você é uma falsa líder, e eu devo relatar esse problema aos seus superiores. Dessa forma, os líderes acima de você sentirão que eu tenho um senso de justiça. Podem até me ter em alta estima!” Na época, só pensei em fazer isso. Mais tarde, o contrato do aluguel do nosso armazém para depositar livros da palavra de Deus venceria em pouco mais de um mês, de modo que os livros deveriam ser transferidos para outro local. Visto que havia tantos livros e cada caixa era pesada, eu tinha dificuldades de transferi-los sozinho e demorava muito tempo. Eu estava um pouco preocupado e perguntei à líder se ela poderia providenciar ajuda. Ela sempre dizia que estava procurando pessoas, mas ninguém veio por muito tempo. Finalmente, vieram dois irmãos, que me ajudaram com uma viagem e depois saíram às pressas. Essa situação me deixou muito frustrado. Pensei: “Por que a líder não conseguiu encontrar mais pessoas? Por que ela não acompanha esse trabalho? Por que ela não aparece aqui e vê o trabalho que tenho?” Quanto mais eu pensava, mais eu me irritava e não quis mais relatar problemas a ela, pois parecia ser inútil. Durante aquele tempo, eu não queria ver a líder e não queria falar com ela quando a via. Pensei: “Se você não quiser encontrar pessoas para mim, não se preocupe. Terminarei isso sozinho. Em todo caso, lembro-me de tudo que você faz. Quando vier a hora, eu relatarei isso aos seus superiores”. Lembrei-me de outra passagem da palavra de Deus sobre discernir falsos líderes. “Falsos líderes também ignoram problemas que surgem no trabalho da igreja. Nunca vão ao local para descobrir mais, acompanhar ou entender o que realmente está acontecendo para que possam imediatamente identificar questões, resolver problemas e erradicar desvios e descuidos que surgem durante o trabalho. No que diz respeito a dificuldades no trabalho da igreja, os falsos líderes só cospem um pouco de doutrina ou repetem algumas frases para terminar de vez com as dificuldades(“Identificando falsos líderes”). Pensei: “O comportamento da minha líder é igual ao que a palavra de Deus descreve. Se ela não investiga nem resolve os problemas em meu trabalho, ela não é uma falsa líder?” Também refleti sobre isso na época. Eu via o problema e não me comunicava com ela. Também não pedi que aqueles que entendiam a verdade o verificassem, portanto, não devia chamá-la de falsa líder com tanta pressa. Pensei: “Que tal eu buscar mais dos princípios da verdade primeiro nessa área e os discutir com alguns irmãos que entendem a verdade antes de decidir?” Mas o comportamento dela era exatamente como Deus o descrevia, então, o que mais restava a dizer? Eu não tinha certeza se minha opinião era correta e não queria acusá-la injustamente, por isso não sabia o que fazer. Minha mente estava cheia de imagens de como minha líder não estava resolvendo meu problema. De repente, deixei de buscar a verdade, não considerei o contexto da palavra de Deus e a entendi de forma incorreta. Usei uma única linha, um único comportamento como desculpa para acusar a irmã Li e acreditava que ela era uma falsa líder.

Depois, ouvi como algumas irmãs que faziam trabalho administrativo dizerem que a irmã Li não acompanhava o trabalho delas e que, às vezes, o trabalho atrasava. Quando ouvi isso, tive uma certeza ainda maior: “A irmã Li não faz trabalho prático e não monitora nem investiga os trabalhos. Isso não a revela como falsa líder? Em reuniões recentes, vínhamos comungando sobre discernir falsos líderes. Não acredito que tenha encontrado um deles. Devo ter um senso de justiça, defender o trabalho da casa de Deus e expor o falso líder”. Mas quando eu quis relatar esses problemas aos superiores da irmã Li, me senti agoniado. Eu não tinha discutido esses problemas com ela nem tinha buscado e discutido isso com aqueles que entendiam a verdade, portanto, isso não era cego e arbitrário demais? Mas foi então que eu soube que os superiores da irmã Li tinham vindo conversar com ela. Perguntaram também a todos os líderes de equipe sobre o desempenho dela em seu dever. Quando ouvi isso, não consegui me acalmar. Inesperadamente, seus superiores já sabiam que havia um problema com a irmã Li, Portanto, era quase certo que ela era uma falsa líder. Pensei: “Devo relatar os problemas da irmã Li aos superiores dela agora mesmo. Buscar não é mais necessário. Senão, quando os superiores da irmã Li terminarem a investigação e a dispensarem e discutirem quem teve discernimento dela, quem descobriu os problemas e quem teve um senso de justiça e a denunciou, eles não mencionarão meu nome, e, então, como poderei mostrar que eu tive discernimento? Não posso perder tempo”. Ansioso, marquei uma conversa com o irmão Zhou, superior da irmã Li, e relatei a ele os problemas dela. Eu disse: “Como líder, a irmã Li não acompanha meu trabalho e não se informa sobre os problemas que tenho em meu trabalho. Sempre que a informo sobre um problema, ela não o resolve”. Também lhe mostrei uma passagem da palavra de Deus sobre o discernimento de falsos líderes. Disse que a conduta de falsos líderes revelada na palavra de Deus era igual à dela e que eu acreditava que ela era uma falsa líder. Quando terminei, ele disse: “Já investigamos isso, e a irmã Li tem alguns problemas. Há trabalho que ela não monitorou corretamente, e ela improvisa em seu dever. Ela deve ser podada, tratada e precisa de ajuda para refletir sobre si mesma e aprender lições. Mas descobrimos que, durante os últimos meses, a irmã Li tem monitorado o trabalho de rega, pois a igreja recebeu muitos recém-convertidos. Alguns pastores religiosos têm causado perturbações sérias. Esses recém-convertidos precisam de rega urgente para criar raízes no caminho verdadeiro. Esse é o trabalho mais importante e crítico agora. A irmã Li tem investido toda a sua energia nesse trabalho. O trabalho administrativo não é tão urgente. Contanto que não impeça as coisas, não é um problema grande se, por ora, ela demorar a acompanhar. Já que o trabalho veio ao mesmo tempo e não temos pessoal suficiente, ela deve priorizar, deve suspender o trabalho administrativo no momento. Essa é a razão pela qual a irmã Li não tem acompanhado seu trabalho a tempo, mas ela só decidiu praticar assim depois de discutir isso com suas parceiras. Além disso, antes, a irmã Li só era responsável por um único trabalho. Ela é uma líder nova, e é difícil ser responsável por tantos trabalhos. Há algumas coisas que ela não consegue acompanhar. Ela precisa da nossa ajuda e comunicação”. A essa altura, o irmão Zhou enviou os princípios relacionados. Só então percebi que, às vezes, o trabalho deve ser priorizado. No momento, o trabalho de rega era prioridade. Eles só podiam fazer outro trabalho se o trabalho de rega não fosse afetado. Caso contrário, isso não seria sacrificar o importante pelo secundário? Embora a irmã Li não acompanhasse algum trabalho corretamente, ela estava priorizando, não deixando de fazer trabalho prático. Mas eu nunca tentei entender por que ela não acompanhou meu trabalho nem por que não resolveu os problemas que mencionei. Em vez disso, criei um preconceito contra ela, me fixei nela, achei que ela não fazia trabalho prático e a caracterizei como falsa líder. Eu não estava sendo arbitrário demais? Foi quando o irmão Zhou me perguntou: “Se eu dispensasse a irmã Li neste momento, a igreja encontraria alguém para substituí-la imediatamente? O trabalho continuaria?” Refleti sobre isso e senti que a irmã Li ainda era apta a continuar como líder. Depois da conversa com o irmão Zhou, fiquei muito triste. Eu achava que tinha um senso de justiça e até encontrei partes relacionadas na palavra de Deus. Achava que tinha denunciado a irmã Li após buscar a verdade. Acabei descobrindo que eu não entendia a verdade e que meu discernimento estivera errado. Onde, então, estava meu erro?

Enquanto buscava, li uma passagem da palavra de Deus. “A caracterização de alguém como um falso líder ou falso obreiro deve ser baseada em fatos suficientes. Não deve basear-se em um ou dois incidentes ou transgressões, muito menos deve a corrupção temporária ser utilizada como base para a isso. Os únicos padrões precisos para caracterizar alguém são se ele consegue fazer trabalho prático e usar a verdade para resolver problemas, bem como se é uma pessoa correta, se é alguém que ama a verdade e pode obedecer a Deus, e se possui a obra e o esclarecimento do Espírito Santo. Alguém só pode ser corretamente caracterizado como um falso líder ou falso obreiro com base nesses fatores. Esses fatores são os padrões e princípios para avaliar e determinar se alguém é um falso líder ou falso obreiro(“Identificando falsos líderes”). A palavra de Deus me mostrou que, a fim de discernir um falso líder, devemos analisar se ele consegue fazer trabalho prático e se ele aceita a verdade. Não era como eu tinha imaginado, que os líderes devem resolver cada problema em meu dever e que, se o fizer, ele é um líder verdadeiro, caso contrário, é um falso líder que não faz trabalho prático. Essa opinião é errada e não está alinhada com a verdade. A fim de determinar se alguém é um falso líder, o que mais importa é se ele consegue supervisionar, entender e compreender o progresso e status de cada tarefa dentro do escopo de sua responsabilidade, se ele consegue descobrir e investigar prontamente os problemas, as dificuldades e os desvios dos irmãos em seus deveres e se ele coopera com eles para buscar os princípios da verdade para resolver esses problemas. Com base nisso, podemos julgar se um líder faz trabalho prático. Ele também deve aceitar a verdade e ser a pessoa certa. Se líderes têm dúvidas que não entendem, eles podem buscar com os superiores. Quando outros fazem sugestões ou apontam suas deficiências, eles devem ser capazes de obedecer, buscar a verdade e refletir sobre si mesmos. Quando experimentam poda, tratamento, contratempos e fracassos, devem ser capazes de aprender lições e de mudar depois. Isso significa que eles são pessoas que aceitam a verdade. Além disso, quando um líder é responsável por tarefas múltiplas, ele não precisa fazer tudo sozinho. Ele exerce o papel principal de verificar cada tarefa, para que o trabalho da igreja proceda normalmente. Se alguém faz isso, é um líder qualificado. Por fora, falsos líderes parecem estar sempre ocupados, mas eles só fazem trabalho superficial ou insignificante. Nunca fazem o trabalho mais importante a tempo, correm por aí cegamente e se ocupam, e são ineficientes. Já que não entendem os princípios da verdade, eles não descobrem nem veem os problemas em seu trabalho e não sabem como planejar nem arranjar coisas. Só falam de letras e doutrinas e palavras vazias, o que não oferece sendas de prática e não resolve os problemas que os irmãos encontram em seus deveres. Tampouco buscam a verdade quando têm problemas, não aceitam orientação nem ajuda de outros e, no fim, muitas tarefas não procedem com facilidade e até chegam a estagnar. Isso é um abandono sério de dever, e esse é um falso líder. A palavra de Deus me mostrou que discernir se alguém é um falso líder exige analisar aspectos múltiplos e investigar a fundo. Se só virmos a conduta ou corrupção temporária de uma pessoa, descartarmos o contexto, a razão e se ele é capaz de se arrepender e mudar e o caracterizarmos arbitrariamente, será muito fácil acusar as pessoas incorretamente. Todos têm corrupção e deficiências, mas, contanto que se conheçam, se arrependam e mudem, a casa de Deus lhes dará chances de praticar. Depois de aplicar a palavra de Deus e os princípios ao comportamento da irmã Li, vi que ela esteve acompanhando todas as tarefas importantes, e quando tinha problemas, ela discutia as coisas com outros para resolvê-los. No geral, ela estava fazendo algum trabalho prático e produzindo resultados em seu dever. Mas todo o trabalho tinha vindo ao mesmo tempo e ela ainda não tinha encontrado o equilíbrio, assim, algumas coisas passaram despercebidas. Isso era uma falha no dever dela, e ela precisava de lembretes e de ajuda. Quando percebi essas coisas, vi finalmente que eu não entendia os princípios da verdade e não tratava as pessoas justamente. Vi que minha líder tinha problemas, mas não comuniquei, falhei em considerar todos os aspectos e a caracterizei cegamente como falsa líder. Eu não tinha temor de Deus em meu coração.

Depois disso, vi uma passagem da palavra de Deus. “Quando alguém é escolhido para ser um líder pelos irmãos e irmãs ou é promovido pela casa de Deus para fazer determinado trabalho ou cumprir certo dever, isso não significa que ele tem um status ou identidade especial nem que as verdades que ele entende são mais profundas e mais numerosas do que as de outras pessoas — muito menos significa que essa pessoa é capaz de se submeter a Deus e que não O trairá. Tampouco significa que ela conhece Deus e que é alguém que teme a Deus. Na verdade, ele não alcançou nada disso; a promoção e a cultivação são meramente promoção e cultivação no sentido mais direto e não equivalem a ele ter sido destinado e validado por Deus. Sua promoção, sua cultivação significa simplesmente que ele foi promovido e aguarda cultivação. E o desfecho último dessa cultivação depende de se essa pessoa busca a verdade e de se ela é capaz de escolher a senda de buscar a verdade. Assim, quando alguém na igreja é promovido e cultivado para ser um líder, ele é meramente promovido e cultivado no sentido mais direto; não significa que já é um líder qualificado ou competente, que já é capaz de realizar o trabalho de um líder e que já pode fazer trabalho verdadeiro — este não é o caso. A maioria das pessoas não vê claramente essas coisas, e elas admiram aqueles que são promovidos, confiando em suas imaginações, mas isso é um erro. Não importa por quantos anos tenham crido, aqueles que são promovidos realmente possuem a realidade da verdade? Não necessariamente. Eles são capazes de fazer com que os arranjos de trabalho da casa de Deus tenham êxito? Não necessariamente. Eles têm um senso de responsabilidade? Eles possuem dedicação? São capazes de se submeter a Deus? Quando se deparam com um problema, eles são capazes de buscar a verdade? Tudo isso é incógnito. Essas pessoas têm um coração que teme a Deus? E quão grande, exatamente, é seu temor de Deus? Elas são propensas a seguir a própria vontade quando fazem as coisas? São capazes de buscar a Deus? Durante o tempo em que realizam o trabalho de líder, elas vêm para diante de Deus regular e frequentemente para buscar a vontade de Deus? São capaz de guiar as pessoas na entrada na realidade da verdade? Certamente são incapazes de fazer tais coisas de imediato. Não receberam treinamento e não têm experiência suficiente, então são incapazes dessas coisas. É por isso que promover e cultivar alguém não significa que ele já entende a verdade, nem significa dizer que ele já é capaz de cumprir seu dever satisfatoriamente. Qual, então, é o objetivo, o significado de promover e cultivar alguém? É que essa pessoa, enquanto indivíduo, é promovida a fim de ser treinada, de ser especialmente regada e instruída, capacitando-a a entender os princípios da verdade, e os princípios de fazer diferentes coisas, e os princípios, meios e métodos para resolver vários problemas, e também, quando encontrar vários tipos de ambientes e pessoas, a lidar e resolver com elas de acordo com a vontade de Deus e de um modo que proteja os interesses da casa de Deus. Isso indica que o talento promovido e cultivado pela casa de Deus é adequadamente capaz de realizar seu trabalho e de cumprir seu dever durante o período de promoção e cultivação ou antes da promoção e cultivação? É claro que não. Assim, é inevitável que, durante o período de cultivação, essas pessoas experimentarão tratamento, poda, julgamento e castigo, exposição e até mesmo substituição; isso é normal, e é isso que significa ser treinado e cultivado(“Identificando falsos líderes”). A palavra de Deus me mostrou que, se alguém é escolhido como líder ou obreiro, isso não significa que ele entende a verdade e está totalmente qualificado para o trabalho. Tampouco significa que ele entende tudo e pode fazer todo tipo de trabalho perfeitamente. Aqueles que são promovidos só têm algum calibre e capacidade de trabalho e conseguem aceitar e buscar a verdade, então a casa de Deus lhes dá uma chance de serem cultivados e treinados. Descobrindo e resolvendo problemas em seu trabalho, eles acabam ganhando alguma verdade e aprendem a agir com princípios. Mas durante esse período, líderes e obreiros ainda estão na fase de prática, assim, desvios, falhas e deficiências em seu trabalho são inevitáveis, e nós devemos tratar a questão corretamente. Quando temos problemas ou dificuldades, devemos buscar, comungar e resolver as coisas com os líderes. Só assim o trabalho pode ser eficiente. Se exigimos demais dos líderes e obreiros, se empurramos todos os problemas para cima deles ou se os definimos como falsos líderes quando demoram a resolver problemas, tratamos os líderes sem princípios e não estamos alinhados com a vontade de Deus. Por meio da palavra de Deus, vi que meu tratamento dos líderes não se baseava nos princípios da verdade, mas em minhas noções e imaginações. Minhas exigências aos líderes eram altas demais. Quando vi que minha líder não acompanhava meu dever e não resolvia meus problemas rapidamente, eu a defini como uma falsa líder. Não olhei para o contexto nem para o progresso geral do trabalho dela e não considerei se ela aceitava a verdade ou revertia as coisas. Eu a condenei cegamente como falsa líder com base na informação unilateral que eu conseguia ver. Isso não era um senso de justiça, era uma perturbação e violava os princípios da verdade. Vi que eu não entendia a verdade e não tratava os líderes e obreiros com princípios e, o que era ainda mais sério, eu não tinha temor de Deus em meu coração. Quando vi o menor problema com minha líder, fiz disso uma coisa grande, a condenei negligentemente e aproveitei cada problema. Eu não a tratei com base em sua natureza e essência nem na situação atual. Meu comportamento era igual a como falsos líderes e anticristos oprimem os escolhidos de Deus. Quando pensei nisso, de repente, fui tomado de medo. Percebi que a natureza do problema era séria. Se o irmão Zhou não tivesse conhecido a situação e tivesse me ouvido e dispensado a irmã Li, o trabalho da igreja teria sido afetado, e eu teria cometido o mal, Isso teria sido uma transgressão séria! Se algo assim acontecesse comigo de novo, eu não deveria confiar na minha imaginação para avaliar os outros. Eu devia buscar mais os princípios da verdade, tratar as pessoas com justiça de acordo com as exigências de Deus e fazer as coisas com base nos princípios.

Depois, a irmã Li me procurou e conversou comigo sobre seu estado e problemas recentes. Ela disse que queria mudar e se informou sobre os problemas e dificuldades em meu trabalho e organizou documentos comigo para comungar com os irmãos em cada equipe. Percebi que ela não era alguém que não aceitava a verdade. Embora houvesse descuidos no trabalho dela e áreas que ela não acompanhava, assim que descobria que havia um problema, ela conseguia mudar as coisas rapidamente. Vi que ela não era uma falsa líder que não fazia trabalho prático.

No início, achei que eu tivesse algum entendimento desse problema, que eu não entendia a verdade e não sabia discernir falsos líderes, o que me levou a cometer esse erro. Mas, uma vez, numa reunião, os irmãos disseram que, às vezes, erros não são apenas uma falta de discernimento ou entendimento da verdade. Também devemos analisar se os erros são causados por adulterações por motivos ou caracteres corruptos. Li uma passagem da palavra de Deus que diz: “Não considere suas transgressões como erros de uma pessoa imatura ou tola; não use a desculpa de que você não praticou a verdade porque seu baixo calibre tornou impossível que você a praticasse. Mais ainda, não considere simplesmente as transgressões que você cometeu como os atos de alguém que não sabia como agir melhor. Se você é bom em perdoar a si mesmo e em tratar a si mesmo com generosidade, então Eu digo que você é um covarde que nunca ganhará a verdade, e suas transgressões nunca deixarão de assombrá-lo; elas impedirão que você cumpra as exigências da verdade, e farão de você, para sempre, um leal companheiro de Satanás(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “As transgressões levarão o homem para o inferno”). Depois de ler a palavra de Deus, entendi: quando surgem ambientes, não podemos simplesmente deixá-los passar. Devemos buscar a verdade neles e conhecer os nossos caracteres corruptos. Só então pode haver mudança e crescimento genuínos na vida. Se você sempre tratar suas transgressões como erros temporários, achar que não importam, decidir dar mais atenção na próxima vez e sempre perdoar suas próprias transgressões, você nunca entenderá seus próprios problemas, nunca ganhará a verdade e, por fim, quando suas transgressões se acumularem e você não alcançar mudança, Deus detestará você e o expulsará. Por meio da revelação da palavra de Deus, comecei a refletir sobre quais eram meus pensamentos exatamente quando me deparei com esse ambiente, e que adulteração por motivos ou caracteres corruptos eu expus. Por meio de reflexão, descobri que, quando vi os problemas da líder, eu não tive certeza se eu via as coisas corretamente e quis ler mais da palavra de Deus. Mas quando ouvi que a irmã Li não acompanhava o trabalho de outros trabalhos administrativos e que os superiores dela estavam investigando o desempenho da irmã Li, eu acreditei que ela era uma falsa líder e que devia denunciá-la aos superiores para que meus irmãos vissem que eu tinha um senso de justiça e discernimento. Assim, sem entender os princípios da verdade nem continuar a buscar e sem conhecer o contexto nem as razões, caracterizei a irmã Li como falsa líder com base nas poucas informações que eu tinha ouvido. Até achei que eu via as coisas corretamente e que não deveria haver nenhum problema. Mas agora percebi que eu era imprudente demais e que minhas intenções eram erradas. Refleti: “Por que eu denunciei minha líder sem entender os princípios da verdade? Qual é a fonte do problema?”

Li isto na palavra de Deus: “Há muitas pessoas que seguem suas próprias ideias, não importa o que façam, e consideram as coisas em termos altamente simplistas, tampouco buscam a verdade. Existe uma total ausência de princípios e, em seu coração, elas não pensam em como agir de acordo com o que Deus exige ou de uma maneira que satisfaça a Deus e sabem apenas seguir teimosamente sua própria vontade. Deus não tem lugar no coração de tais pessoas. Algumas pessoas dizem: ‘Eu só oro a Deus quando encontro dificuldades, ainda assim não me parece que isso tem qualquer efeito — assim, geralmente, quando as coisas acontecem comigo agora, eu não oro a Deus, porque orar a Deus é em vão’. Deus está totalmente ausente no coração de tais pessoas. Elas não buscam a verdade, não importa o que estejam fazendo; elas só seguem suas próprias ideias. Então, existem princípios para suas ações? Definitivamente, não. Elas veem tudo em termos simples. Mesmo quando as pessoas lhes comunicam os princípios da verdade, elas não são capazes de aceitá-los, porque nunca houve nenhum princípio em suas ações, Deus não tem lugar no coração delas, e não há ninguém além deles em seu coração. Elas acreditam que suas intenções são boas, que não estão cometendo mal, que suas intenções não podem ser consideradas uma violação da verdade, pensam que agir de acordo com suas próprias intenções deve ser praticar a verdade, que agir assim é obedecer a Deus. Na verdade, elas não estão realmente buscando nem orando a Deus nessa questão, mas agindo por impulso, de acordo com suas intenções zelosas, não estão cumprindo seu dever como Deus exige, elas não têm um coração de obediência a Deus, esse desejo está ausente nels. Esse é o maior erro na prática das pessoas. Se você acredita em Deus, mas Ele não está em seu coração, você não está tentando enganar a Deus? E que efeito tal fé em Deus pode ter? O que você pode ganhar? E qual é o sentido de tal fé em Deus?(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Buscar a vontade de Deus é para o bem da prática da verdade”). Por meio da revelação da palavra de Deus, vi que, quando as coisas aconteciam, eu não buscava a verdade nem praticava de acordo com seus princípios. Em vez disso, considerava meus pensamentos como a verdade e seguia minhas próprias ideias. Em meu coração, eu não tinha um lugar para Deus nem temor Dele. Aqueles que temem a Deus, quando as coisas acontecem, procuram primeiro os princípios da verdade e o que a palavra de Deus diz sobre a questão, e então veem as pessoas e coisas com base na palavra de Deus e na verdade. Em minha falta de discernimento de falsos líderes, eu devia ter buscado a verdade, entendido o que são falsos líderes, quais são suas manifestações, como determinar falsos líderes e outros princípios da verdade. Mas eu não fiz isso. Eu julguei arbitrariamente com base em minha imaginação. Achei que não acompanhar o meu trabalho e não resolver meus problemas fazia dela uma falsa líder. Embora tivesse lido a palavra de Deus nesse período, eu não a entendi. Quando vi uma linha da palavra de Deus sobre falsos líderes que parecia se aplicar, eu a apliquei, concluindo que ela era uma falsa líder, e achava que eu via as coisas correta e precisamente. Na verdade, estava tirando as coisas do contexto e aplicando regras cegamente. Durante todo esse processo, não me senti à vontade. Eu queria buscar mais e me comunicar com a irmã Li antes de denunciá-la, mas achei que a conduta da irmã Li já era tão óbvia e condizia com as palavras de Deus, para que, então, eu deveria buscar mais? Assim, não orei nem busquei mais, e simplesmente agi conforme minhas ideias. Vi que eu agi a partir de meu caráter arrogante e me comportei de forma imprudente. Fiz as coisas com base em meus pensamentos e ideias, enquanto deixei a verdade de lado. Se continuasse assim, mais cedo ou mais tarde, eu cometeria o mal. Isso era perigoso demais! Ao mesmo tempo, vi que eu tinha uma humanidade ruim. Eu não considerava a vontade de Deus e não protegia os interesses da casa de Deus. Uma pessoa com humanidade e razão deve oferecer ajuda e lembretes oportunos quando veem descuidos no trabalho da igreja ou buscar a verdade com o líder e buscar uma solução para o problema. Mas quando vi problemas no trabalho da minha líder, eu não os mencionei para buscar e comungar. Em vez disso, eu os escondi e os denunciei ao líder acima dela para que seu superior achasse que eu tinha discernimento. Em vez de dizer essas coisas para a irmã Li, eu a ataquei pelas costas e usei a denúncia de seus problemas para me exibir. Vi que, em essência, eu era malicioso e desprezível. Essa percepção partiu meu coração. Nunca imaginei que eu fosse esse tipo de pessoa. Eu não entendia a verdade, não sabia discernir falsos líderes e era muito arrogante e insensato. Fiquei muito satisfeito comigo quando denunciei minha líder, pois achava que ninguém além de mim tinha discernido que a irmã Li era uma falsa líder e que eu entendia melhor os princípios da verdade. Agora, percebi que eu não entendia nada. Só entendia letras e doutrinas, e ainda aplicava regras cegamente. Eu não entendia os princípios da verdade, mas denunciei sem considerar as consequências. Não considerei se uma denúncia equivocada afetaria o trabalho da igreja ou prejudicaria a irmã Li. Vi que não denunciei os problemas dela me consideração à vontade de Deus nem para proteger os interesses da igreja. Fiz isso para me exibir. Denunciei alguém sem usar os princípios. Isso não era perturbar o trabalho normal da casa de Deus? Eu não estava acumulando boas obras, eu estava cometendo o mal!

Mais tarde, li a palavra de Deus e aprendi os princípios para tratar líderes e obreiros. Deus Todo-Poderoso diz: “As pessoas não devem ter expectativas altas ou fazer exigências irreais àqueles que são promovidos e cultivados; isso seria insensato e injusto com eles. Vocês podem monitorar seu trabalho, e se descobrirem problemas ou coisas que violam os princípios no decorrer de seu trabalho, vocês podem levantar o problema e buscar a verdade para resolver essas questões. O que não deveriam fazer é julgar, condenar, atacar ou excluí-los, pois eles estão no período de cultivação e não deveriam ser vistos como pessoas que foram aperfeiçoadas, muito menos como pessoas que são perfeitas ou como pessoas que possuem a realidade da verdade. Eles são como vocês: esse é o tempo em que eles são treinados. […] Qual, então, é a maneira mais racional de agir em relação a elas? Vê-las como pessoas comuns e, quando surgir um problema que precise ser investigado, comungar e aprender com os pontos fortes de cada um e complementar uns aos outros. Além disso, é da responsabilidade de todos ficar de olho em se os líderes e obreiros estão fazendo trabalho real, se eles usam a verdade para resolver problemas; esses são os padrões e princípios para avaliar se um líder ou obreiro está à altura do padrão. Se eles forem capazes de lidar com problemas gerais e de resolvê-los, então eles são competentes. Mas se não conseguirem nem lidar com problemas ordinários e resolvê-los, eles não são aptos a serem um líder ou obreiro e devem ser dispensados rapidamente. Escolham outra pessoa e não atrasem o trabalho da casa de Deus. Atrasar a casa de Deus significa prejudicar vocês e os outros; não é bom para ninguém(“Identificando falsos líderes”). Depois de ler a palavra de Deus, eu entendi como tratar líderes e obreiros. Os líderes promovidos pela casa de Deus não entendem totalmente a verdade nem são perfeitamente qualificados, não entendem todo o trabalho nem sabem como fazê-lo bem. Também estão num período de prática e também podem revelar corrupção e desvios. Devemos tratar as pessoas com justiça e não exigir demais delas, não exigir que façam todo o trabalho perfeitamente e que não mostrem nenhum desvio ou descuido. Em vez disso, devemos entender, ser tolerantes e cooperar para fazer o trabalho da casa de Deus. Isso é considerar a vontade de Deus, e tratar os líderes e obreiros desse jeito está alinhado com os princípios. Também temos uma responsabilidade de monitorar o trabalho dos líderes. Devemos aceitar e obedecer quando as ações deles estão de acordo com a verdade, mas quando suas ações não se conformam aos princípios da verdade, devemos levantar o problema, comungar e ajudá-los em tempo oportuno para que eles percebam os desvios em seu dever e os corrijam rapidamente. Isso é benéfico para a entrada deles na vida e para o trabalho da casa de Deus. Se alguém é identificado como falso líder que não faz trabalho prático segundo os princípios da verdade, eles devem ser expostos e denunciados. Quando percebi isso, meu coração se iluminou e eu soube como tratar líderes e obreiros no futuro.

Embora a denúncia da minha líder tivesse sido errada dessa vez, entendi alguns princípios da verdade sobre o discernimento de falsos líderes, aprendi como tratar líderes e obreiros, ganhei algum entendimento do meu próprio caráter corrupto e aprendi algumas lições. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Por que eu temo cometer erros?

Por Qian Yi, Filipinas Ao trabalhar com design artístico na igreja, inicialmente, eu tive algumas dificuldades, mas, confiando em Deus e...

Uma denúncia recompensadora

Por Ding Li, Estados Unidos Foi alguns anos atrás, no verão. Eu soube que a irmã Zhou, uma líder, tinha designado o irmão Li como diácono...

A comunhão deve ser sincera

Por Julia, Polônia No início de 2021, aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Eu participava ativamente das reuniões e lia a...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp