A cooperação harmoniosa é essencial num dever

01 de Agosto de 2022

Por Katherine, Estados Unidos

No verão de 2020, a irmã Audrea e eu estávamos fazendo vídeos na igreja. Na época, eu era responsável por atribuir tarefas. Eu arranjei que Audrea fizesse tarefas simples, enquanto eu produzia as importantes. Eu achava que conseguiria cuidar delas por conta própria, pois sempre concluí tarefas maiores sozinha, no passado. Eu tinha mais prática do que Audrea, por isso achei que não precisaria envolvê-la nessas tarefas. Além disso, se eu fizesse tudo sozinha, todo o mérito seria meu, o que destacaria mais as minhas habilidades e faria com que os meus irmãos me admirassem. Mais tarde, minha carga de trabalho aumentou bastante, então tive que fazer horas extras todos os dias. Às vezes, Audrea deitava cedo, enquanto eu virava as noites; eu acordava antes dela todas as manhãs e me sentia exausta. Mas eu não queria que ela assumisse parte do meu fardo. Eu sempre completara as minhas tarefas sozinha, então, se ela me ajudasse com a minha carga de trabalho, os irmãos achariam que as minhas habilidades no meu trabalho eram ruins, o que seria vergonhoso. Às vezes, eu pensava que, se eu deixasse Audrea ajudar, as coisas andariam mais rápido, eu não ficaria tão ocupada, e os resultados seriam melhores do que se eu fizesse tudo sozinha. Mas quando pensei que teria que dividir o mérito com ela, não fiquei satisfeita. E assim, nunca permiti que Audrea participasse das minhas tarefas. Na época, eu não refletia sobre mim mesma, até que, um dia, uma irmã me disse que Audrea não assumia um fardo em seu dever e pediu que eu comungasse com ela. Então, pensei: “O fato de Audrea não assumir um fardo tem algo a ver comigo? Fico tão ocupada todos os dias, e sei que ela tem tempo, mas não lhe atribuo novas tarefas, o que a deixa sem nada para fazer”. Percebi vagamente que isso não estava correto e que, ao fazer o trabalho sozinha, no fim eu atrasaria o trabalho da igreja. Mas então pensei que daria conta de tudo me esforçando um pouco mais, então deixei tudo como estava. Embora percebesse que a minha intenção era errada, eu não conseguia abrir mão, o que era muito doloroso para mim, então orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse para renunciar às minhas intenções erradas.

Durante meus devocionais, li esta passagem da palavra de Deus: “Embora líderes e obreiros tenham parceiros, e todos que cumprem algum dever tenham um parceiro, os anticristos acreditam que têm calibre bom e são melhores do que as pessoas comuns, por isso as pessoas comuns não são dignas de ser seus parceiros e são inferiores a eles. É por isso que anticristos gostam de dar as ordens e não gostam de discutir as coisas com nenhuma outra pessoa. Acreditam que isso os faça parecer burros e incompetentes. Que tipo de ponto de vista é esse? Que tipo de caráter é esse? Isso é um caráter arrogante? Eles acreditam que cooperar e discutir as coisas com os outros, fazer-lhes perguntas e buscar respostas deles é indigno e degradante, uma afronta a seu autorrespeito. E assim, a fim de proteger seu autorrespeito, eles não permitem transparência em nada que fazem, não informam os outros, muito menos discutem com eles. Eles acham que discutir com os outros significa mostrar-se incompetente; que sempre pedir a opinião dos outros significa que eles são burros e incapazes de pensar por conta própria; que trabalhar com os outros para completar uma tarefa ou resolver algum problema os faz parecer inúteis. Isso não é sua mentalidade arrogante e absurda? Isso não é seu caráter corrupto? A arrogância e a hipocrisia dentro deles são óbvias demais; eles perderam toda a razão humana e não batem bem da cabeça. Sempre acham que têm habilidades, que conseguem terminar as coisas sozinhos e não precisam coordenar-se com os outros. Já que têm caracteres tão corruptos, eles são incapazes de alcançar cooperação harmoniosa. Eles acreditam que trabalhar com os outros significa diluir e fragmentar seu poder, que, quando o trabalho é compartilhado com os outros, seu poder é diminuído e eles não podem decidir tudo sozinhos, o que significa que carecem de poder real, o que, para eles, é uma perda tremenda. E assim, não importa o que aconteça com eles, se acreditarem que entendem e sabem como lidar com isso, eles não discutirão com ninguém, desejarão mantê-lo sob seu controle. Preferirão estar errados a informar os outros, preferirão cometer erros a compartilhar poder com outra pessoa, preferirão ser demitidos a permitir que outras pessoas interfiram em seu trabalho. Esse é um anticristo. Eles preferem prejudicar os interesses da casa de Deus, preferem arriscar os interesses da casa de Deus a compartilhar seu poder com qualquer outra pessoa. Acham que, quando estão fazendo algum trabalho ou lidando com alguma questão, isso não é o desempenho de um dever, mas uma chance de se exibir e se destacar dos outros, e uma chance de exercer poder. Portanto, embora digam que cooperarão em harmonia com os outros e que discutirão as questões com os outros quando ocorrerem, a verdade é que, no fundo do coração, eles não estão dispostos a desistir de seu status ou poder. Acham que, contanto que entendam algumas doutrinas e sejam capazes de fazer tudo por conta própria, eles não precisam colaborar com ninguém; pensam que devem executar o trabalho e completá-lo sozinhos, e que só isso os torna competentes. Essa opinião é correta? Eles não sabem que, se violarem princípios, não estão cumprindo os seus deveres, por isso não são capazes de completar a comissão de Deus e estão meramente prestando serviço. Em vez de buscar as verdades princípios no cumprimento do dever, eles exercem poder de acordo com seus pensamentos e intenções, se exibem e ficam desfilando. Não importa quem seja o seu parceiro ou o que façam, eles nunca querem discutir as coisas, querem sempre agir por conta própria e querem sempre ter a última palavra. Estão obviamente brincando com o poder e usando poder para fazer as coisas. Todos os anticristos amam poder, e quando têm status, eles querem mais poder. Quando possuem poder, os anticristos são propensos a usar seu status para se exibir e desfilar, para fazer com que os outros os admirem e para alcançar seu objetivo de se destacar da multidão. Assim, os anticristos se fixam em poder e status e jamais renunciarão a eles, jamais(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Oito: Eles gostariam que os outros obedecessem apenas a eles, não à verdade nem a Deus (parte 1)”). Eu vi na palavra de Deus que os anticristos tem um caráter muito arrogante e não cooperam com ninguém. Acham que, se dividirem trabalho com outros, eles aparentarão ser incompetentes, o poder se dispersará, e eles não serão admirados pelos outros. Assim, preferem que o trabalho da igreja seja impactado do que dividir trabalho com os outros. Eu refleti e percebi que eu era igual. Eu não queria que Audrea participasse das minhas tarefas porque eu temia que, se ela participasse, eu pareceria incompetente e isso prejudicaria a minha imagem, por isso eu fazia tudo sozinha. Como resultado, eu me esgotei, e o trabalho se atrasou. Eu era arrogante e insensata demais! Não importa que trabalho exista na igreja, ninguém pode fazê-lo sozinho. Todos precisam de ajuda e de parceiros, e os irmãos precisam trabalhar juntos de um só coração para completar o trabalho, pois ninguém é perfeito. Não importa quão alto seja seu calibre nem quais sejam seus dons e talentos, todos têm falhas e deficiências, e precisamos aprender a renunciar a nós mesmos e cooperar com os nossos parceiros para cumprir bem o nosso dever. Mas eu tinha um caráter arrogante. Eu era ambiciosa demais no meu dever, queria todo o crédito e queria que os outros me admirassem. Eu preferia atrasar o trabalho da igreja a permitir que as pessoas participassem e interferissem no meu trabalho. Ao cumprir o meu dever desse jeito, eu não estava acumulando boas obras, estava cometendo o mal! Quando percebi isso, fiquei muito triste, então vim para diante de Deus e orei: “Deus, sou arrogante demais e careço de qualquer humanidade e razão. Quero me arrepender. Por favor, guia-me para eu conhecer a mim mesma”.

Um dia, eu estava procurando partes da palavra de Deus relacionadas ao meu estado e encontrei esta passagem: “O que se deve fazer para cumprir bem o dever? É preciso vir a desempenhá-lo com todo o seu coração e toda a sua energia. Usar todo o seu coração e toda a sua energia significa manter todos os seus pensamentos no desempenho do dever e não deixar que outras coisas os ocupem, e então aplicar a energia que se tem, exercendo a totalidade do seu poder, e aplicar seu calibre, seus dons, seus pontos fortes e as coisas que entendeu à tarefa. Se você tiver a capacidade de compreensão e entendimento, e tiver uma boa ideia, deverá se comunicar com os outros sobre isso. Isso é o que significa cooperar em harmonia. É assim que você desempenhará bem seu dever, que alcançará um desempenho satisfatório no dever. Se você sempre deseja assumir tudo, se sempre deseja fazer coisas grandiosas sozinho, se sempre quer que o foco fique sobre você, em vez dos outros, você está cumprindo o seu dever? O que está fazendo chama-se autocracia; é fazer um espetáculo. É um comportamento satânico, não é o desempenho do dever. Ninguém, independentemente de suas forças, de seus dons ou talentos especiais, pode assumir sozinho todo o trabalho; ele deve aprender a cooperar em harmonia se quiser fazer bem o trabalho da igreja. É por isso que a cooperação harmoniosa é um princípio da prática do desempenho do dever. Desde que aplique todo o seu coração, e toda a sua energia, e toda a sua fidelidade, e ofereça tudo o que pode fazer, você está desempenhando bem seu dever. Se você tem um pensamento ou ideia, conte aos outros; não o suprima nem o mantenha escondido — se você tem sugestões, ofereça-as; seja de quem for a ideia que está de acordo com a verdade, ela deve ser aceita e obedecida. Faça isso, e você terá alcançado cooperação em harmonia. É isso o que significa desempenhar fielmente o dever. Ao desempenhar seu dever, você não deve assumir tudo sozinho, nem deve se matar de trabalho, nem ser ‘a única flor a florescer’ nem ser rebelde; ao contrário, você deve aprender a cooperar com os outros em harmonia e fazer tudo que puder, cumprir suas responsabilidades, aplicar toda a sua energia. É isso que significa desempenhar seu dever. Desempenhar seu dever é mostrar todo o poder e toda a luz que você tem para alcançar um resultado. Isso basta. Não tente sempre exibir-se, dizer sempre coisas altivas, fazer as coisas por conta própria. Você deveria aprender a trabalhar com os outros, e deveria concentrar-se mais em ouvir as sugestões dos outros e em descobrir os pontos fortes deles. Dessa forma, a cooperação em harmonia fica fácil. Se sempre tenta se exibir e ter a última palavra, você não está cooperando em harmonia. O que está fazendo? Está causando uma perturbação e minando os outros. Causar uma perturbação e minar os outros é desempenhar o papel de Satanás; não é o cumprimento do dever. Se você sempre fizer coisas que causam perturbação e minam os outros, não importa quanto esforço você despenda ou quanto cuidado tenha, Deus não Se lembrará(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa”). Quando contemplei a palavra de Deus, senti vergonha. A palavra de Deus revelava o meu estado. A fim de me exibir e me estabelecer e ser admirada, eu queria assumir sozinha o trabalho de vídeos, sem permitir que Audrea participasse. Achei que, se Audrea se envolvesse, eu teria o crédito roubado. Desse jeito, eu não teria capital para me exibir, e não haveria como eu ganhar a admiração dos outros. Achei que sairia perdendo, assim. Eu sabia que a carga de trabalho era pesada, que eu causaria atrasos se fizesse tudo sozinha e que, se Audrea se envolvesse, o trabalho seria feito mais rápido e os resultados seriam melhores. Eu sabia também que a maior parte do trabalho da equipe estava nas minhas mãos, que ela ficava sem nada para fazer e sem trabalho, e que isso afetava o estado dela, mas, ainda assim, não permitia que ela compartilhasse o fardo comigo. Eu queria fazer o trabalho sozinha, tanto para reivindicar todo o crédito para mim mesma quanto para provar que eu tinha boas habilidades técnicas e profissionais. Tudo em que eu pensava, o tempo todo, eram status e reputação. Eu não considerava o trabalho da igreja e não me importava com os sentimentos da minha irmã. Eu não tinha consciência nem humanidade! Por fora, eu acordava cedo e trabalhava muito todos os dias, como se suportasse um fardo, sofresse e pagasse um preço, mas, na verdade, eu estava empenhada em empreendimentos pessoais e em satisfazer meus desejos e ambições. Não estava cumprindo meu dever como um ser criado. Eu estava perturbando o trabalho da igreja sob o pretexto de cumprir meu dever e estava cometendo o mal. E estava trilhando a senda de um anticristo.

Mais tarde, eu vi mais duas passagens das palavras de Deus: “Quando Deus exige que as pessoas cumpram bem o dever, Ele não está lhes pedindo que completem certo número de tarefas ou que realizem algum empreendimento grande, nem que desempenhem alguma grande empreitada. O que Deus quer é que as pessoas sejam capazes de fazer tudo o que puderem de maneira realista e de viver em concordância com Suas palavras. Deus não precisa de que você seja grande ou nobre, nem de que realize milagres, nem quer Ele ver surpresas agradáveis em você. Ele não precisa de tais coisas. Tudo de que Deus precisa é que você pratique resolutamente de acordo com as palavras Dele. Quando você ouvir as palavras de Deus, faça o que você entendeu, execute o que compreendeu, lembre-se bem do que ouviu e, então, quando chegar a hora de praticar, faça-o de acordo com as palavras de Deus. Permita que elas se tornem sua vida, suas realidades e o que você vive. Dessa forma, Deus ficará satisfeito. Você sempre busca grandeza, nobreza e status; sempre busca exaltação. Como Deus Se sente quando vê isso? Ele detesta isso e Se distanciará de você. Quanto mais você busca coisas como grandeza, nobreza, ser superior aos outros, distinto, proeminente e digno de nota, mais Deus o acha repugnante. Se você não refletir sobre si mesmo e não se arrepender, então Deus o desprezará e abandonará. Evite tornar-se alguém que Deus considera repugnante; seja uma pessoa que Deus ama. Como, então, pode-se alcançar o amor de Deus? Aceitando-se a verdade obedientemente, permanecendo-se na posição de um ser criado, agindo-se pelas palavras de Deus com os pés no chão, cumprindo-se adequadamente o dever, sendo-se uma pessoa honesta e vivendo-se uma semelhança humana. Isso basta, Deus estará satisfeito. As pessoas devem assegurar-se de não ter ambição nem de entreter sonhos vãos, de não buscar fama, ganhos, status ou de destacar-se da multidão. Mais ainda, não devem tentar ser uma pessoa de grandeza ou sobre-humana, superior entre os homens e fazendo com que os outros a adorem. Esse é o desejo da humanidade corrupta e é a senda de Satanás; Deus não salva tais pessoas. Se as pessoas incessantemente buscam fama, ganhos e status sem se arrepender, não há cura para elas e há só um desfecho: ser eliminadas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “O cumprimento adequado dos deveres exige cooperação harmoniosa”). “Qual é o critério pelo qual as ações e o comportamento de uma pessoa são julgados como sendo bons ou maus? É se, em seus pensamentos, manifestações e ações, ela tem ou não o testemunho de pôr a verdade em prática e de viver a verdade realidade. Se não tiver essa realidade ou não a viver, então você é, sem dúvida, um malfeitor. Como Deus considera os malfeitores? Para Deus, seus pensamentos e atos externos não dão testemunho Dele, tampouco humilham e derrotam Satanás; em vez disso, trazem vergonha para Ele, e estão repletos de marcas de desonra que você trouxe para Ele. Você não está testificando de Deus, não está se despendendo por Deus, nem está cumprindo suas responsabilidades e obrigações para com Deus; em vez disso, está agindo para o próprio bem. O que significa ‘para o próprio bem’? Para ser preciso, significa para o bem de Satanás. Por isso, no fim, Deus dirá: ‘Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade’. Aos olhos de Deus, suas ações não serão vistas como boas ações, serão consideradas atos malignos. Não somente elas não ganharão a aprovação de Deus — elas serão condenadas. O que alguém espera ganhar com tal crença em Deus? Tal crença não levaria a nada no final?(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). As palavras de Deus me mostraram a vontade de Deus. Na verdade, o que Deus exige do homem é simples. Deus não precisa que as pessoas façam coisas grandes nem feitos que abalem a terra, e Deus não exige que sejamos homens grandes ou excepcionais. Deus só quer que permaneçamos na posição de um ser criado, que busquemos a verdade com os pés no chão, cumpramos nossos deveres da melhor forma possível e vivamos segundo a palavra de Deus. Deus avalia se somos qualificados no cumprimento dos nossos deveres não com base em quanto alcançamos nem no tamanho da nossa contribuição, mas em se nossos motivos para fazer as coisas consideram a vontade de Deus e se damos o nosso melhor. Só podemos ter um testemunho em nosso dever quando temos os motivos certos e trilhamos a senda correta. Se as pessoas cumprem seu dever só para satisfazer seus desejos e ambições, não importa quanto se esforcem nem quanto contribuam, no fim, elas serão desprezadas e expulsas por Deus. Percebi que eu sempre queria ficar com todo o crédito pelo meu dever. Meu caráter arrogante me levou a querer fazer todo o trabalho e a não cooperar com a minha parceira. Eu trabalhava muito e me esgotava para que os outros me tivessem em alta estima. Meu esforço não era para satisfazer a Deus, era para satisfazer meus desejos e ambições pessoais. Mesmo se eu alcançasse algumas coisas e ganhasse a admiração e a aprovação dos outros, qual era o sentido disso? Nada disso significava que eu cumpria o meu dever de modo qualificado. Ao contrário, eu agi segundo meus caracteres satânicos, assumi o trabalho sozinha, atrasei o progresso do trabalho de vídeos, e perturbei o trabalho da igreja. No fim, eu teria sido rejeitada e expulsa por Deus. Na verdade, cooperar com Audrea compensaria minhas deficiências no meu dever. Ela se concentrava em aprender, estava disposta a estudar, e as habilidades dela tinham melhorado rapidamente, mas eu não focava em melhorar habilidades, e confiava na minha experiência. Embora estivesse cumprindo esse dever havia muito tempo, minhas habilidades não tinham melhorado muito. Além disso, os pensamentos de uma pessoa são sempre unilaterais. Pessoas com autoconsciência conseguem renunciar a si mesmas em seu dever e estão dispostas a cooperar com os outros para cumprir bem o seu dever. Essa é a razão que devemos possuir e como devemos praticar. Mas eu era arrogante, hipócrita e desejava status. Eu não queria renunciar aos meus interesses nem cooperar com a minha irmã. Essas coisas impactaram o progresso e os resultados do trabalho. Se eu tivesse cooperado com ela mais cedo, e nós tivéssemos ajudado uma à outra, os resultados teriam sido muito melhores do que eram. Quanto mais refletia, mais eu via que eu era arrogante demais e não tinha humanidade e me odiava e me arrependia das minhas ações. Eu não queria cumprir meu dever com essas intenções. Vim para diante de Deus e orei: “Deus, sempre cumpro o meu dever com ambição, faço coisas por status e fama pessoais. Não quero mais buscar desse jeito. Quero me arrepender, renunciar às minhas intenções erradas e trabalhar com a minha irmã para cumprir bem o meu dever”.

Durante meus devocionais, na manhã seguinte, li estas palavras de Deus: “Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus nas coisas que fazem. Quando você aceitar o escrutínio de Deus, seu coração será retificado. Se você sempre só faz as coisas para os outros verem, e sempre quer ganhar o elogio e a admiração dos outros, e não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Tais pessoas não têm um coração que teme a Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu bem e não considere constantemente seus interesses; não considere os interesses do homem, e não pense em seu orgulho, reputação e status. Primeiro, você precisa considerar os interesses da casa de Deus, e fazer deles sua prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se houve ou não impurezas no cumprimento do seu dever, se você foi devoto, cumpriu suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você tem pensado ou não, de todo o coração, sobre seu dever e o trabalho da igreja. Você deve considerar essas coisas. Se refletir sobre elas com frequência e entendê-las, será mais fácil, para você, cumprir bem seu dever. Se seu calibre é baixo, se sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho, e talvez você não obtenha bons resultados — mas você terá feito seu melhor. Não satisfaça seus desejos ou preferências egoístas. Em vez disso, dê consideração constante ao trabalho da igreja e aos interesses da casa de Deus. Embora você possa não alcançar bons resultados em seu dever, seu coração terá sido retificado; se, além disso, você conseguir buscar a verdade para resolver os problemas em seu dever, você estará à altura do padrão no cumprimento do seu dever, e, ao mesmo tempo, será capaz de entrar na verdade realidade. É isso que significa possuir testemunho(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Depois de contemplar as palavras de Deus, encontrei uma senda de prática. A fim de cumprir um dever, você deve renunciar aos seus interesses e considerar os interesses da igreja. Não importa se seu status e reputação sofram, o que importa é proteger o trabalho da igreja e cumprir o seu dever. Depois de entender a vontade de Deus, parei de considerar o que os outros pensariam de mim. Só pensei em como cumprir bem o meu dever e satisfazer a Deus. Assim, partilhei algumas das minhas tarefas com Audrea, e ela aceitou rapidamente. Não demorou, e o estado de Audrea mudou, ela deixou de ser ociosa, e nós conseguimos recuperar o atraso no trabalho. Depois disso, eu me senti à vontade. Também percebi como é bom praticar a verdade e cooperar em harmonia no meu dever.

Depois de um tempo, recebemos uma nova tarefa. Pensei involuntariamente: “Se eu a assumir sozinha, não terei que dividir os créditos. Com as minhas habilidades, posso fazer isso sozinha. Não preciso envolver Audrea. Eu pareceria incompetente se ela também participasse dessa tarefa. Todos os meus irmãos ririam de mim”. Pensando nisso, quis lidar com a tarefa sozinha. Nesse momento, percebi que as minhas intenções estavam erradas. Eu ainda estava agindo para servir aos meus interesses pessoais. Lembrei-me das palavras de Deus: “Se, em seu coração, você ainda está fixado em prestígio e status, se ainda se preocupa com se exibir e fazer com que os outros o admirem, você não é alguém que busca a verdade, e você está trilhando a senda errada. O que você busca não é a verdade, nem é a vida, mas as coisas que você ama: reputação, lucro e status — nesse caso, nada que você faça se relacionará à verdade, é tudo maldade e prestar serviço(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Bom comportamento não significa que o caráter de alguém mudou”). A palavra de Deus me despertou. Eu sempre faço coisas egoístas involuntariamente. Sou muito mesquinha e egocêntrica. Eu me odiei por ser tão corrupta e desejei renunciar às minhas intenções erradas e praticar a verdade. Assim, pedi que Audrea participasse da nova tarefa comigo. Desde então, quando chega a hora de atribuir tarefas, eu sempre consulto Audrea e peço a opinião dela, e quando quero assumir todo o trabalho para receber todo o crédito, eu renuncio a mim mesma, conscientemente, e, com base nas necessidades do dever, atribuo tarefas à Audrea. Ao praticar assim, fico em paz e à vontade.

Tendo passado por essa experiência, agora tenho certo entendimento do meu caráter satânico. Percebo também que a cooperação harmoniosa é essencial para cumprir bem o meu dever. É simplesmente impossível cumprir bem o seu dever sozinho. Só podemos receber a orientação do Espírito Santo quando cooperamos em harmonia.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Em meio à provação da morte

Por Xingdao, Coreia do SulDeus Todo-Poderoso diz: “Deus veio operar na terra para salvar a humanidade corrupta — não há falsidade nisso;...

Ser chamada me desmascarou

Por Sharon, Espanha Um dia, em dezembro de 2021, outra irmã me contou que a irmã Arianna, que tinha sido transferida da nossa para outra...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp