Não me retraio mais por ter medo

09 de Julho de 2023

Por Mu Yu, China

Eu soube da prisão de uma irmã em 2 de setembro. Eu estava a caminho da casa de uma líder, naquele dia, mas ninguém estava em casa. A irmã Xiao Hong, que mora do outro lado da rua, me viu. Ela me chamou e, nervosa, disse: “Algo aconteceu. Zhou Ling foi levada pelos tiras. Isso foi dois dias atrás, e não ouvimos nada desde então. A líder foi informar todo mundo — ela deve voltar em breve”. Quando ouvi a notícia, eu fiquei nervosa e com medo. Zhou Ling havia sido líder antes, e eu não sabia que tipo de tortura a polícia usaria com ela. Ela cederia à tortura e se tornaria um judas? Eu tinha acabado de passar na casa dela. Se os policiais estivessem de tocaia, ele poderiam ter-me visto. Eu me mudei para cá porque estava em fuga. O grande dragão vermelho tem me caçado sem parar por anos. Se me pegassem, certamente usariam uma tortura ainda pior. Poderiam me espancar até a morte. Eu estava com muito medo e queria sair da área o mais rápido possível, mas havia algumas coisas que eu precisava discutir com urgência com a líder, e minha partida atrasaria isso. Eu esperava que a líder retornasse logo. Não demorou, e a líder chegou à casa de Xiao Hong, e voltou para casa depois que conversamos. Só dois ou três minutos depois, Xiao Hong voltou correndo, em pânico, e disse: “A líder estava saindo quando sete ou oito policiais a pegaram e levaram. Zhou Ling também estava na viatura. Ela deve ter contado a eles onde a líder mora. Não saia de casa por nada”. Meu coração saltou pela garganta. Xiao Hong e a líder moravam em frente uma da outra. A polícia podia estar a poucos passos de distância. Se me pegassem, eu certamente não sairia ilesa. Eu nem ousei olhar pela janela e clamei a Deus sem parar, torcendo para que os policiais fossem embora logo. A viatura partiu depois de mais ou menos uma hora, e meu coração finalmente se acalmou. Mas Zhou Ling tinha passado na minha casa alguns dias antes — e se ela também me entregasse? Minha casa não era mais segura. Para onde eu deveria ir? Eu tinha um notebook em casa com os números de telefone dos irmãos que eu precisava retirar dali o quanto antes. Havia outras três casas de hospedagem perto da minha. Se não fossem informados imediatamente, eles poderiam ser presos, e então mais irmãos seriam implicados. Mas se eu voltasse naquele instante, eu poderia estar correndo direto para os braços da polícia. Eu tinha cumprido meu dever fora da cidade por anos e era um alvo importante da polícia. Eu sofreria uma tortura ainda pior se fosse presa. Não, eu tinha que fugir e encontrar um lugar seguro imediatamente. Esses pensamentos me deixaram agitada, e eu clamava a Deus sem parar. Então eu me lembrei de uma passagem das palavras de Deus. “Você não deveria ter medo disto e daquilo; sejam quais forem os muitos perigos e dificuldades que possa enfrentar, você é capaz de permanecer firme diante de Mim, desobstruído de qualquer obstáculo, para que Minha vontade possa ser realizada sem impedimento. Esse é o seu dever; caso contrário, trarei Minha ira sobre você, e com a Minha mão irei… Você então suportará um sofrimento mental interminável. Você precisa suportar tudo; por Mim, precisa estar pronto para renunciar a tudo que possui e fazer tudo que puder para Me seguir, e estar pronto para despender tudo que tiver. Agora é o tempo em que o testarei: você oferecerá sua lealdade a Mim? Você consegue Me seguir lealmente até o fim da estrada? Não tema; com Meu apoio, quem, alguma vez, poderia bloquear essa estrada? Lembre-se disso! Não esqueça! Tudo que ocorre é por Minha boa intenção e tudo está sob Minha observação. Você consegue seguir Minha palavra em tudo que diz e faz? Quando as provações de fogo lhe acontecerem, você se ajoelhará e clamará? Ou se acovardará, incapaz de seguir em frente?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Declarações de Cristo no princípio, Capítulo 10”). Vi que minha estatura era baixa e que eu carecia de fé verdadeira. Quando vi pessoas próximas sendo presas, uma após a outra, eu fiquei com medo e quis procurar um lugar seguro para me esconder. Eu estava ignorando os interesses da igreja para proteger minha segurança — como eu era egoísta! Em vista da prisão da líder, muitos outros tinham que ser informados, e muitas cópias das palavras de Deus tinham que ser transferidas. Se isso não fosse feito o mais rápido possível, isso poderia resultar na prisão de muitos outros membros da igreja. Como diaconisa de igreja, proteger os irmãos e os livros das palavras de Deus era meu dever e responsabilidade. Se eu ficasse com medo e perdesse a coragem, e vivesse uma existência sem sentido, isso seria incrivelmente irresponsável. Deus estava me observando nesse momento crítico para ver se eu consideraria Sua vontade e protegeria o trabalho da igreja. Eu precisava confiar em Deus e fazer esse trabalho imediatamente. No que dizia respeito a se eu seria presa ou não, isso cabia somente a Deus. Eu estava disposta a deixar minha segurança nas mãos de Deus. Quando percebi isso, meu medo e o nervosismo diminuíram. Quando me aproximei da minha casa, vi uma viatura parada na entrada. Meu coração acelerou. Aparentemente, o judas tinha me entregado. Eu não sabia se as três casas de hospedagem também tinham sido revistadas. Eu precisava relatar a situação à liderança superior o mais rápido possível, para que eles pudessem tomar as medidas necessárias e fazer arranjos a tempo para evitar perdas ainda maiores no trabalho da igreja.

Eu sabia que a irmã Su Hua tinha os contatos da liderança superior, por isso fui procurá-la. Quando cheguei à casa dela, seu marido incrédulo disse, nervoso: “Uns policiais acabaram de passar aqui. Su Hua não está em casa. Só por isso não conseguiram pegá-la. Acabaram de ir para a sua casa para prender mais pessoas”. Saí às pressas, pois não ousava ficar esperando. Enquanto voltava, fiquei pensando em quão maligno é o grande dragão vermelho. Ele faz um esforço incrível para prender pessoas que acreditam em Deus. Irmãos e irmãs estavam sendo presos um após o outro, e eu estava em perigo de ser presa a qualquer momento. Se eu não suportasse a tortura e me tornasse um judas, a senda da minha fé não chegaria ao fim? Quanto mais eu pensava nisso, mais fraca e assustada eu me sentia, como se ser uma crente na China fosse difícil e perigoso demais. Eu clamei a Deus, no coração, sem parar: “Deus! O que devo fazer?”. Então lembrei-me desta passagem das palavras de Deus: “A fé é como uma ponte de um tronco só: aqueles que se agarram abjetamente à vida terão dificuldade para cruzá-la, mas aqueles que estão prontos para se sacrificar podem atravessá-la de pé firme e sem preocupação. Se o homem abriga pensamentos tímidos e temerosos, isso é porque Satanás o enganou, temendo que cruzemos a ponte da fé para entrar em Deus. Satanás está tentando de todas as maneiras possíveis enviar-nos seus pensamentos. A cada momento, devemos orar para que Deus nos ilumine com a Sua luz, a cada momento, devemos confiar em Deus para expurgar o veneno de Satanás de dentro de nós, praticar dentro de nosso espírito a cada momento para aproximar-nos de Deus e deixar Deus ter o domínio sobre todo o nosso ser(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Declarações de Cristo no princípio, Capítulo 6”). As palavras de Deus me deram fé e força. Percebi que eu vivia em medo, temendo ser presa e espancada até a morte. Eu estava caindo nos truques de Satanás. Satanás estava usando minha fraqueza para me segurar, para fazer com que eu perdesse fé em Deus e não ousasse cumprir meu dever. Assim, aos poucos, eu me distanciaria de Deus e O trairia. Não podia ser enganada pelos truques de Satanás. Quanto mais eu encarasse esse tipo de situação, mais eu me aproximaria de Deus e confiaria Nele, vivendo segundo Suas palavras. Mesmo que fosse presa, eu me submeteria e não reclamaria. Eu permaneceria firme em meu testemunho e satisfaria a Deus.

Pensei no notebook com os números dos irmãos, que ainda estava na minha casa. Eu tinha que voltar; caso contrário, se a polícia o encontrasse, todos eles seriam presos. Mas a polícia podia estar vigiando minha casa — eu não estaria correndo para os braços deles? Justamente quando me sentia dividida, lembrei-me das palavras de Deus. “Cada um de vocês acredita ser bem compatível Comigo, mas, se assim fosse, a quem tal evidência irrefutável se aplicaria? Vocês acreditam que possuem a máxima sinceridade e lealdade a Mim. Vocês pensam que são tão bondosos, tão compassivos e que devotaram tanto a Mim. Vocês acham que fizeram o suficiente por Mim. Mas vocês já compararam tais crenças com as próprias ações? […] Vocês Me excluem por causa de seus filhos, ou do seu marido, ou da própria autopreservação. Em vez de se importarem Comigo, vocês se importam com sua família, com os filhos, com o status, o futuro e a própria gratificação. Quando foi que vocês pensaram em Mim ao falar ou agir? Quando o tempo está frio, seus pensamentos se voltam para seus filhos, seu marido, sua esposa ou seus pais. Quando o tempo está quente, Eu também não tenho lugar em seus pensamentos. Ao cumprir o seu dever, você pensa nos próprios interesses, na própria segurança pessoal, nos membros de sua família. O que você já fez que tenha sido para Mim? Quando você sequer pensou em Mim? Quando já se devotou, a qualquer custo, a Mim e à Minha obra? Onde está a prova da sua compatibilidade Comigo? Onde está a realidade da sua lealdade a Mim? Onde está a realidade da sua obediência a Mim? Quando suas intenções não foram em prol de ganhar Minhas bênçãos? Vocês zombam de Mim e Me enganam, vocês brincam com a verdade, encobrem a existência da verdade e traem a essência da verdade. O que os aguarda no futuro, indo contra Mim dessa maneira?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Você deve buscar o caminho da compatibilidade com Cristo”). Cada pergunta era como uma acusação de Deus em meu coração. Quando tudo estava em paz, eu conseguia deixar minha casa e meu emprego para cumprir meu dever. Eu achava que era devota a Deus. Mas quando fui confrontada com as prisões do grande dragão vermelho, eu vi como era baixa minha estatura. Antes, eu só gritava chavões e doutrinas vazias. Uma crise real revelou minha estatura verdadeira. Eu só pensava em como proteger meus interesses. Eu não estava protegendo os interesses da igreja. Eu não era alguém que se importava com a vontade de Deus. Se me importasse, quando algo envolvesse os interesses da igreja, eu seria capaz de renunciar a tudo por Deus, até a minha vida. Pensei em todos esses livros das palavras de Deus. Os irmãos arriscavam sua vida para entregá-los, e tantos foram presos pelo grande dragão vermelho durante o transporte. Alguns até foram espancados até a morte. Eles não se importaram com vida e morte para que os irmãos pudessem ler as palavras de Deus; eles cumpriram seu dever e satisfizeram a Deus. E eu? Eu não considerava os interesses da igreja. Eu só pensava em minha segurança quando algo acontecia. Eu temia ser presa e torturada até a morte. Normalmente, eu fazia de tudo por algo que me beneficiava, mas agora eu não conseguia fazer o menor sacrifício para o bem da igreja. Em comparação com esses irmãos, eu era muito egoísta. Eu não considerava a vontade de Deus. Agora que uma líder de igreja tinha sido presa, eu, como diaconisa da igreja, me escondia em vez de proteger o trabalho da igreja. Isso era mais seguro, mas eu estava perdendo a chance de cumprir meu dever e dar testemunho. Qual era o sentido da minha vida? Eu não era um mero cadáver ambulante? Quando percebi isso, eu orei a Deus: “Deus, se eu serei presa ou não está totalmente em Tuas mãos. Por favor, dá-me fé e sabedoria para que eu possa confiar em Ti e cumprir meu dever”.

Por volta das duas da manhã, cheguei à casa de uma irmã que morava lá perto. Descobri que a polícia tinha ido a várias casas próximas da minha. Alguns dos irmãos fugiram e escaparam da prisão. Fui informada de que os policiais certamente voltariam e que eu deveria partir imediatamente. Eu não ousei ficar por ali. Vi que não havia ninguém esperando na entrada da casa, por isso corri para casa e peguei o notebook com os números de telefone. Soltei um suspiro de alívio.

Então fui para a casa do irmão Yang Guang. Assim que me viu, ele disse, com medo: “Ontem eu fui preso com minha esposa. Eles nos soltaram à noite. Vários outros irmãos também foram presos”. Saí correndo dali. Enquanto voltava, fiquei pensando que a situação estava piorando e que prisões estavam ocorrendo por toda parte. Se o judas tivesse me entregado, a polícia certamente teria uma descrição de mim, e, com tanta vigilância por toda parte, eu poderia ser presa a qualquer momento. E se eu não conseguisse resistir à tortura? Esse pensamento me deixou aterrorizada. Eu estaria um pouco mais segura se me escondesse, mas o trabalho de acompanhamento ainda não estava feito. Se eu me escondesse agora, isso não faria de mim uma desertora? Eu tinha sido crente por todos esses anos e tinha desfrutado de tanta rega das palavras de Deus. Se eu fugisse num momento tão crítico, sem nem mesmo cumprir o dever e as responsabilidades, eu não teria nenhuma consciência nem humanidade. Eu ainda contaria como crente? Eu não seria diferente de um judas que trai a Deus. Quando pensei nisso, eu decidi, em silêncio, que eu preferia ser presa e morrer nas mãos dos policiais a fugir e viver uma existência sem sentido. Eu devia permanecer firme em meu testemunho, satisfazer a Deus e fazer de tudo para cumprir meu dever. E assim, voltei diretamente para a casa da minha anfitriã.

Naquela noite, li isto nas palavras de Deus: “Em Meu plano, Satanás tem Me seguido a cada passo o tempo todo e, como o contraste da Minha sabedoria, sempre tem tentado encontrar maneiras e meios de interromper o Meu plano original. Mas Eu poderia sucumbir a seus esquemas ardilosos? Tudo no céu e na terra Me serve; os esquemas ardilosos de Satanás poderiam ser diferentes? Isso é precisamente onde a Minha sabedoria entrecorta; é precisamente o que há de magnífico em Meus feitos e é o princípio de operação de todo o Meu plano de gerenciamento. Durante a era da construção do reino, ainda não evito os esquemas ardilosos de Satanás, mas continuo a fazer a obra que devo. Dentre o universo e todas as coisas, escolhi os feitos de Satanás como o Meu contraste. Essa não é uma manifestação da Minha sabedoria? Não é exatamente o que há de maravilhoso na Minha obra?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Palavras de Deus para todo o universo, Capítulo 8”). Eu consegui ver a onipotência e a sabedoria de Deus em Suas palavras. O grande dragão vermelho é um inimigo de Deus. Ele prende e persegue loucamente os cristãos e perturba a obra de Deus, esperando, em vão, poder destruir a obra de Deus de salvar a humanidade. Mas as prisões e a perseguição do grande dragão vermelho nos permitem desenvolver discernimento de sua essência maligna que prejudica o homem e é contrária a Deus, e então odiá-lo de coração e romper os laços com ele. Suas prisões e perseguição também separam os crentes verdadeiros dos falsos e distinguem as ovelhas das cabras, e o joio do trigo. Em tempos de crise, há alguns que não cumprem seu dever por medo, ou que abandonam a fé, e alguns que traem a Deus e se tornam um judas quando são presos e torturados. São os que são expostos como joio, que são levados pelo vento. Isso não mostra a justiça e a sabedoria de Deus? Isso me lembrou de como o Senhor Jesus disse: “Pois, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de Mim, achá-la-á(Mateus 16:25). Pensei nos santos, ao longo das eras, que foram martirizados por espalhar o evangelho de Deus. Alguns foram crucificados de cabeça para baixo; alguns foram arrastados e esquartejados. Embora tenham morrido, sua morte teve sentido. Mas aqueles que traíram a Deus e se tornaram um judas parecem ainda estar vivos por fora, mas, por dentro, seu coração está em agonia. São como cadáveres ambulantes, estão em miséria indizível. Quando morrerem, sua alma descerá ao inferno e será punida. Isso era algo que eu não compreendia totalmente. Em vez disso, eu queria me esquivar do meu dever e me esconder. Se eu causasse danos ao trabalho da igreja por causa do abandono de um dever, isso seria uma transgressão — uma mancha eterna. Se eu fosse capaz de sacrificar minha vida por devoção ao meu dever, mesmo que eu fosse presa e espancada até a morte, eu estaria dando testemunho de Deus e envergonhando Satanás. Minha morte teria valor e sentido. Então li mais das palavras de Deus. “Independentemente de quão ‘poderoso’ Satanás seja, independentemente de quão audacioso e ambicioso seja, independentemente de quão grande seja sua capacidade de causar danos, independentemente de quão abrangentes sejam as técnicas com as quais corrompe e seduz o homem, independentemente de quão inteligentes sejam os truques e artimanhas com os quais intimida o homem, independentemente de quão mutável seja a forma em que existe, ele nunca foi capaz de criar uma única coisa vivente, nunca foi capaz de estabelecer leis ou regras para a existência de todas as coisas, e nunca foi capaz de governar e controlar nenhum objeto, seja animado ou inanimado. Dentro do cosmo e do firmamento, não há uma única pessoa ou objeto que tenha nascido dele ou que exista devido a ele; não há uma única pessoa ou objeto que seja governado por ele ou controlado por ele. Pelo contrário, ele não só tem de viver sob o domínio de Deus, como, além disso, deve obedecer a todas as ordens e comandos de Deus. Sem a permissão de Deus, é difícil para Satanás tocar até mesmo uma gota de água ou grão de areia na terra; sem a permissão de Deus, Satanás nem ao menos é livre para mover as formigas sobre terra, quanto mais a humanidade, que foi criada por Deus. Aos olhos de Deus, Satanás é inferior aos lírios na montanha, às aves que voam no ar, aos peixes no mar e às larvas na terra. Seu papel entre todas as coisas é servir a todas as coisas, e trabalhar para a humanidade, e servir à obra de Deus e ao Seu plano de gestão. Independentemente de quão maliciosa seja sua natureza e quão maligna seja sua essência, a única coisa que pode fazer é cumprir obedientemente a sua função: servir a Deus e ser um contraponto a Deus. Tais são a substância e posição de Satanás. Sua essência é alheia à vida, alheia a poder, alheia a autoridade; é um mero brinquedo nas mãos de Deus, apenas uma máquina a serviço de Deus!(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único I”). Eu pude ver o poder e a autoridade de Deus por meio de Suas palavras. Absolutamente tudo, seja vivo ou morto, está nas mãos de Deus. Satanás presta serviço para a obra de Deus — ele serve como contraste. O Partido Comunista Chinês tem todos os tipos de truques e aproveita as forças de muitas pessoas e coisas, mas sem a permissão de Deus, ele não pode tocar um fio de cabelo na nossa cabeça. É como na experiência de Jó: Satanás o atacou e feriu, tentando forçá-lo a negar e rejeitar a Deus. Deus permitiu que Satanás maltratasse Jó, mas não permitiu que ele colocasse a vida de Jó em perigo e Satanás não ousou violar a ordem de Deus. É igual a como, em meu trabalho de acompanhamento, eu saí ilesa de uma situação perigosa após a outra. Isso se devia inteiramente ao cuidado e à proteção de Deus. Todas essas experiências me mostraram a autoridade e a soberania de Deus. Se Deus não permitisse que o grande dragão vermelho me pegasse, ele não conseguiria. Se Ele permitisse minha prisão, eu não seria capaz de escapar dela. Entender isso me deu fé. Eu me senti pronta para colocar minha vida nas mãos de Deus e me submeter às Suas orquestrações.

Mais tarde, descobri que a polícia não tinha verificado uma casa em que os líderes superiores se reuniam. Visto que uma reunião estava se aproximando, eu temia que a polícia estivesse esperando para pegar mais líderes. Se não fossem notificados, os líderes poderiam ser presos, e ainda mais pessoas seriam implicadas. Rapidamente, desenvolvemos algumas ideias e, após voltas e reviravoltas, finalmente comunicamos a situação da igreja aos líderes superiores. Os líderes pediram que nos escondêssemos, temendo por nossa segurança. Alguns dias depois, recebemos uma carta dos líderes, dizendo que, nas prisões realizadas pelo grande dragão vermelho na nossa região, duas casas usadas para guardar os livros tinham sido vasculhadas. Só restava uma casa, e tudo tinha que ser transferido para lá imediatamente. Já que todos que conheciam os guardiões dos livros, exceto eu, tinham sido presos, e eu estava familiarizada com a área e os membros da igreja, eles quiseram que eu ajudasse a transferir os livros. Eu sabia muito bem que, sob essas circunstâncias, era melhor que eu fosse, e que era uma responsabilidade da qual eu não podia me esquivar. Mas a situação estava tão tensa agora, e o grande dragão vermelho ainda estava perseguindo pessoas. Se eu fosse num momento como este, eu não estaria me colocando na linha de fogo? Senti um certo temor. Mas então lembrei que a situação estava nas mãos de Deus, e que, se Deus não permitisse, o grande dragão vermelho não poderia fazer nada comigo. Então decidi ajudar. Eu fiz uma oração: “Ó Deus! Esse dever chegou até mim, e estou pronta para cumprir minha responsabilidade. Não importa o que aconteça em seguida, estou disposta a me submeter aos Teus arranjos. Mesmo que seja presa, mesmo que seja torturada, jamais voltarei a ser uma desertora. Eu Te oferecerei minha devoção e permanecerei firme em meu testemunho para envergonhar Satanás!”.

Perguntei por lá, e encontrei a casa que guardava os livros. Lá, o irmão disse que sete ou oito policiais já tinham vindo para a casa dele e feito uma prisão. Eles levaram sua esposa, sem uma palavra, e os multaram em 2 mil yuans, mas não encontraram os livros guardados ali — eles tinham que ser transferidos o quanto antes. Corremos para colocar os livros no carro. Durante toda a viagem, meu coração não ousou se desviar de Deus por um momento. No fim, conseguimos levar os livros para um lugar seguro sem nenhum problema. Agradeci a Deus sem parar.

Quando me lembro de toda essa experiência, posso ver a sabedoria e a onipotência de Deus, e também como minha fé é superficial. Sem as prisões do grande dragão vermelho, eu não veria minha estatura claramente, e sobretudo não veria meu egoísmo e meu medo da morte, tampouco teria algum entendimento do governo onipotente de Deus. Também experimentei que Deus realmente está do nosso lado, e que, contanto que confiemos em Deus, Ele estará presente e abrirá uma senda para nós. Esse entendimento é algo que eu não poderia ter ganhado num ambiente pacífico.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

O descaramento de se exibir

Por Xinping, China Um ano atrás, mudei para outra igreja. Logo no começo, eu não me entrosei bem, porque eu tinha sido líder na igreja...

Conecte-se conosco no Whatsapp