As palavras de Deus me mostraram uma direção na vida

23 de Abril de 2024

Por Xinyi, Tailândia

Eu sempre tirei boas notas desde pequena e participava de concursos literários e artísticos. Pode-se dizer que tive um bom progresso em minha carreira acadêmica. Minha família esperava que eu me destacasse e trouxesse honra para nossa família. Eles sempre diziam: “Aqueles que têm conhecimento são respeitados, altamente considerados, e só eles podem ganhar uma posição na sociedade. Aqueles que não têm conhecimento e aprendizado são menosprezados e nunca conseguirão manter a cabeça erguida”. Eu concordava totalmente com as opiniões de meus pais, e, assim, “Destacar-se dos demais e honrar os ancestrais” tornou-se o objetivo que eu buscava. Para atingir esse objetivo, eu estudava de manhã até a noite e persistia, por mais cansada que estivesse. Em meu tempo livre, eu entrava na internet para estudar ainda mais. Eu nunca faltava às aulas, nem chegava atrasada, e ouvia atentamente o que cada professor ensinava. Depois da aula, os outros saíam para brincar, mas eu ficava em casa para fazer a lição de casa. Eu era sempre uma das últimas a entregar minhas provas, examinava atentamente minhas respostas. Na busca pelo estudo, eu não comia nos horários normais nem fazia exercícios e muitas vezes dormia pouco. Graças a meu esforço incansável, acabei entrando na faculdade dos meus sonhos: Universidade de Chiang Mai. Quando meus pais, amigos e professores souberam da notícia, todos olharam para mim com admiração e inveja. Eu me senti incrivelmente feliz. Achei que estava iniciando uma vida maravilhosa e extraordinária, que muitas empresas fariam fila para me contratar quando eu me formasse e que eu certamente faria um nome para mim e me destacaria dos demais. Inesperadamente, minha mãe teve câncer e foi diagnosticada em um estágio avançado. Os médicos disseram que ela tinha muito pouco tempo de vida. A notícia caiu sobre mim como um raio e me deixou completamente arrasada. Parecia que tudo o que eu tinha planejado tinha se despedaçado. Eu tinha me esforçado tanto na escola para que eu pudesse me destacar no futuro, ter os meios para sustentar minha mãe no futuro e deixá-la orgulhosa. Mas minha mãe tinha contraído câncer antes mesmo de eu me formar. Eu me sentia muito deprimida. Queria voltar para casa e cuidar da minha mãe, mas pensei no trabalho que tive para entrar na universidade e que eu deveria ter algum resultado por todo o esforço que fiz durante anos. Se eu abandonasse meus estudos para cuidar da minha mãe, será que todo o meu esforço não teria sido em vão? Eu me sentia em conflito e não sabia o que fazer. Um dia, minha mãe me ligou e disse: “Acho que não estarei viva até a sua formatura, mas, pensando no seu futuro, você deve concluir seus estudos e levar uma vida boa, então poderei morrer sem nenhum arrependimento”. Depois de ser convencida pela minha mãe, não voltei para casa para cuidar dela e continuei meus estudos. Pouco tempo depois, minha mãe faleceu. Fui consumida pelas lembranças da minha mãe, e só conseguia pensar na tarefa que ela me confiou. Resolvi estudar muito e fazer um nome para mim para corresponder às esperanças da minha mãe.

No início, consegui adaptar minha vida na universidade, mas acabei percebendo que a vida lá era seca e entediante, não era nada do que eu tinha imaginado. Ao contrário, a vida na escola era cheia de competição. Os alunos formavam panelinhas com base em suas origens familiares, e havia muita provocação e chacota. Alguns professores até se juntavam aos alunos com boas notas ou origens familiares para provocar os que tinham notas ruins ou famílias pobres. Isso fazia com que os alunos que já se sentiam inferiores se sentissem pior ainda, e alguns alunos chegavam a se transferir ou desistir dos estudos. Eu desprezava totalmente o ambiente lá, mas, para me destacar, perseverei firme em meus estudos para conseguir boas notas. Com muito trabalho, consegui notas e resultados bons tanto na escola quanto em minha carreira profissional. Todos os colegas de classe me admiravam, e me consideravam um modelo a ser seguido em seus estudos. Consegui a fama e o ganho que eu queria, mas me sentia vazia por dentro, e, aos poucos, fui ficando entediada e farta daquele estilo de vida. Eu não entendia por que as pessoas queriam viver daquela maneira. Eu achava que, obtendo conhecimento, eu poderia me destacar, alcançar a felicidade e levar a vida que eu queria viver. Então, por que eu me sentia mais vazia e agoniada quanto mais buscava essa vida? Às vezes, eu pensava: Será que o propósito da vida era apenas trabalhar para experimentar a sensação de sucesso e, por fim, morrer? E já que não levamos nada para o túmulo e não obtemos resultado nenhum por nossos esforços, qual era o objetivo de tudo aquilo? Será que não existem maneiras mais significativas de viver?

Um dia, vi uma publicação no Facebook sobre o verdadeiro significado da vida. Depois de curtir a publicação e deixar um comentário, fiz amizade com uma pessoa que começou a conversar comigo sobre fé religiosa, foi quando percebi que ele devia ser cristão. Ele me falou sobre o evangelho da obra de salvação dos últimos dias de Deus Todo-Poderoso. Li muitas das palavras de Deus Todo-Poderoso e passei a conhecer muitas verdades que nunca tinha ouvido antes, incluindo a fonte da vida do homem, a raiz do sofrimento do homem, e os métodos pelos quais Satanás corrompe a humanidade, etc. As palavras de Deus saciaram minha sede pelas verdades da vida. Eu nunca tinha ouvido nenhuma dessas verdades na escola. Depois disso, me deparei com esta passagem no Facebook: “Desde a invenção das ciências sociais pelo homem, a mente humana foi ocupada pela ciência e pelo conhecimento. Então, ciência e conhecimento tornaram-se ferramentas para governar a humanidade, e não houve mais espaço suficiente para o homem adorar a Deus, não houve mais condições favoráveis para a adoração a Deus. A posição de Deus decresceu mais ainda no coração do homem. Sem Deus no coração, o mundo interior do homem é escuro, vazio e sem esperança. Subsequentemente, muitos cientistas sociais, historiadores e políticos surgiram para elaborar teorias de ciências sociais, a teoria da evolução humana e outras que contradizem a verdade de que Deus criou o homem, para encher o coração e a mente humana. E dessa forma, aqueles que acreditam que Deus criou todas as coisas são cada vez mais raros; e aqueles que acreditam na teoria da evolução se tornaram ainda mais numerosos. Mais e mais pessoas consideram os registros da obra de Deus e de Suas palavras na era do Antigo Testamento como mitos e lendas. No seu coração, as pessoas se tornam indiferentes à dignidade e à grandeza de Deus, ao princípio de que Deus existe e mantém domínio sobre todas as coisas. A sobrevivência da humanidade e o destino de países e nações não têm mais importância para elas, e o homem vive em um mundo vazio, preocupado apenas com comer, beber e buscar o prazer…(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Apêndice 2: Deus preside o destino de toda a humanidade”). Depois de ler essa passagem das palavras de Deus, percebi que, pelo fato de o coração dos homens ser consumido pela ciência e pelo conhecimento, não deixando lugar para Deus, eles ficam cada vez mais vazios. Assim, eles procuram investigar qual é o propósito da vida, que valor há na vida e qual é o significado da vida, mas quanto mais se tenta usar a ciência e o conhecimento para investigar essas questões, menos se obtêm respostas reais. Esse conhecimento só dá às pessoas uma sensação temporária de consolo, porque a ciência e o conhecimento não são a verdade e não podem fornecer um suprimento real de vida. Antes, eu sempre achava que, quanto mais conhecimento uma pessoa tivesse, mais percepção ela teria da vida e mais entendimento teria das coisas, e porque aqueles que buscavam conhecimento eram bem vistos, eles viviam uma vida de valor e podiam alcançar mais felicidade. Mas depois de obter tanto conhecimento, eu ainda não sabia qual era o propósito da vida, de onde o homem veio, qual é o seu destino, e não tinha alcançado a felicidade que buscava. Mesmo quando eu ia bem nas provas, era a primeira da classe e admirada por todos, ainda me sentia vazia e agoniada por dentro, e as dificuldades que eu enfrentava não tinham sido resolvidas. Eu via que os outros estudantes universitários tentavam preencher o vazio indo às compras, cantando no karaokê, saindo para bares e assistindo a shows de cantores famosos. No início, eu também me divertia enquanto buscava essas tendências com eles, mas, depois, eu me sentia ainda mais vazia. Só depois de ler as palavras de Deus foi que eu percebi que o motivo do vazio espiritual do homem é sua busca por ciência e conhecimento. A ciência e o conhecimento levam as pessoas a negar que Deus criou o homem. Elas não apenas não sabem ou não reconhecem que vieram de Deus, mas também concluem que as palavras e a obra de Deus não passam de lendas ou mitos. Dessa forma, Deus perde Seu lugar no coração das pessoas e elas se distanciam Dele cada vez mais. Como não se sentiriam vazias se não conhecem Deus e não têm Deus e Suas palavras no coração? Minha vida vem de Deus. Tudo o que aconteceu na minha vida foi resultado dos arranjos de Deus. Como um ser criado, devo seguir e adorar a Deus para ter uma sina melhor. Depois disso, aceitei a obra de Deus dos últimos dias e senti como se estivesse finalmente voltando para casa.

Mais tarde, depois de participar de reuniões por algum tempo, eu me sentia cada vez mais realizada espiritualmente, me divertia muito mais e me sentia tranquila e alegre. Certa vez, depois de uma reunião, eu ainda queria ler mais as palavras de Deus Todo-Poderoso, então entrei no site do EVANGELHO DA DESCIDA DO REINO para procurar livros das palavras de Deus. No site, encontrei uma passagem que descrevia como Satanás corrompe a humanidade: “Uma vez que alguém está atolado em fama e ganho, ele já não busca aquilo que é claro, o que é justo nem aquelas coisas que são belas e boas. Isso é assim porque o poder sedutor que a fama e o ganho têm sobre as pessoas é grande demais; elas se tornam coisas para as pessoas buscarem por toda a sua vida e mesmo por toda a eternidade sem fim. Não é verdade? Algumas pessoas dirão que aprender o conhecimento nada mais é que ler livros ou aprender algumas coisas que elas não sabem ainda, para não ficar para trás dos tempos ou serem deixadas para trás pelo mundo. O conhecimento só é aprendido para que possam pôr comida na mesa, para o seu próprio futuro ou para prover as suas necessidades básicas. Há alguma pessoa que suportaria uma década de estudo árduo somente para as necessidades básicas, somente para resolver a questão da comida? Não, não existe ninguém assim. Então, por que uma pessoa sofre essas dificuldades e sofre durante todos esses anos? É por fama e ganho. Fama e ganho as estão esperando na distância, chamando por elas, e elas acreditam que é somente através de sua própria diligência, dificuldades e lutas que elas poderão seguir a estrada que as levará para obter fama e ganho. Tal pessoa deve sofrer essas dificuldades por sua própria senda futura, por seu desfrute futuro e para ganhar uma vida melhor(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único VI”). “Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja fama e ganho. Elas lutam por fama e ganho, passam por dificuldades por fama e ganho, suportam humilhação por fama e ganho, sacrificam tudo o que têm por fama e ganho e farão qualquer julgamento ou tomarão qualquer decisão para o bem de fama e ganho. Dessa forma, Satanás amarra as pessoas com grilhões invisíveis e elas não têm nem a força nem a coragem para se livrar deles. Elas, sem saber, carregam esses grilhões e caminham penosamente sempre adiante com grande dificuldade. Por causa dessa fama e ganho, a humanidade se afasta de Deus e O trai e se torna cada vez mais perversa. Dessa forma, portanto, uma geração após a outra é destruída em meio à fama e ao ganho de Satanás. Olhando agora para as ações de Satanás, seus motivos sinistros não são totalmente detestáveis? Talvez, hoje, vocês ainda não consigam discernir os motivos sinistros de Satanás por pensarem que não se pode viver sem fama e ganho. Vocês pensam que, se as pessoas deixarem para trás a fama e o ganho, elas não serão mais capazes de ver o caminho adiante, não serão mais capazes de ver seus objetivos, que seu futuro se tornará escuro, turvo e sombrio(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único VI”). Ao ler essas palavras de Deus, vi que as pessoas estão presas à sua busca por fama e ganho. Elas acreditam que a busca por fama e ganho é a motivação do homem e o objetivo da vida. Elas não sabem que essa é uma senda errada e não têm a coragem ou a capacidade de se libertar dela. Pensei no fato de que o meu objetivo era me destacar e honrar meus antepassados, que eu achava que aqueles que alcançavam esses objetivos eram os vencedores da vida. Essas ideias foram incutidas em mim quando eu ainda estava na escola. Para atingir meus objetivos, eu tinha me dedicado aos estudos durante anos, adquiri conhecimento e busquei um diploma avançado, para que eu pudesse conseguir um bom emprego, ter uma boa vida e desfrutar de um padrão de vida melhor. Fui particularmente influenciada por um dos ditados comuns da minha mãe: “Você tem de suportar um grande sofrimento a fim de sair por cima”. Eu acreditava que, para me destacar e chegar ao topo, teria que lutar e suportar dificuldades e que todas as dificuldades valeriam a pena. Em minha busca por fama e ganho, eu não prestava atenção ao mundo exterior, estava completamente consumida por meus estudos, e mesmo quando minha mãe adoeceu gravemente, não deixei a escola para cuidar dela, com medo de que isso influenciasse meus estudos. Passei mais de dez anos buscando fama e ganho, e nunca tinha parado para pensar se realmente valia a pena fazer isso. Apesar de ter conquistado o respeito e a admiração de meus colegas, eu não me sentia realmente feliz. Muito pelo contrário, eu me tornei cada vez mais egoísta, arrogante e depreciativa com relação aos outros. Eu desprezava principalmente as pessoas comuns que só se preocupavam em ganhar a vida. Exteriormente, eu não expressava esses sentimentos, mas por dentro eu as menosprezava. Percebi que estava trilhando a senda errada e que havia perdido muito tempo. No final das contas, eu não tinha conseguido alcançar a vida de felicidade e valor que eu tinha imaginado. Por meio da revelação de Deus, percebi isto: Satanás usa a fama e o ganho para tentar e corromper as pessoas. A busca de fama e ganho me levou a uma vida de sofrimento e me deixou sem nada. Será que eu não tinha caído na trama traiçoeira de Satanás? Eu sabia que estava seguindo a senda errada e que não deveria buscar fama, ganho e status, mas deveria seguir a Deus e trilhar a senda da busca da verdade. Mas também pensei em quanto eu tinha trabalhado duro todos aqueles anos e estava a apenas um passo de me formar e obter meu diploma avançado, o que me daria respeito na sociedade. Futuramente, quando eu fosse trabalhar, poderia dizer que tinha me formado em tal universidade e que poderia me portar com dignidade. Eu não tinha confiança para abandonar meus estudos e queria fazer mestrado e doutorado.

Certa vez, enquanto eu cumpria o dever, uma irmã me perguntou quais eram meus planos para o futuro. Eu disse: “Quero fazer mestrado e doutorado. mas estou com algumas dúvidas. Se eu prosseguir com os estudos avançados, terei que dedicar ainda mais tempo à faculdade e terei menos tempo para cumprir meu dever. Estou buscando para descobrir se buscar esses estudos é a coisa certa a fazer”. Minha irmã leu duas passagens das palavras de Deus para mim: “Pedro nasceu em uma família judia agrícola comum. Seus pais sustentavam a família toda por meio da agricultura, e ele era o mais velho dos filhos, com quatro irmãos e irmãs. Isso, é claro, não é a parte principal da nossa história; Pedro é nosso personagem central. Quando tinha cinco anos, seus pais começaram a ensiná-lo a ler. Naquela época, o povo judeu era bastante erudito e era especialmente avançado em áreas como agricultura, indústria e comércio. Como resultado de seu ambiente social, ambos os pais de Pedro haviam recebido educação superior. A despeito de serem do interior, tinham uma boa educação, comparável à de estudantes universitários médios de hoje. Evidentemente, Pedro era abençoado por ter nascido em condições sociais tão favoráveis. Inteligente e rápido em aprender, ele assimilava ideias novas prontamente. Depois de iniciar seus estudos, compreendia as coisas com grande facilidade durante as lições. Seus pais se orgulhavam de ter um filho tão inteligente e fizeram todos os esforços para permitir que ele frequentasse a escola, na esperança de que fosse capaz de se destacar e garantir algum tipo de cargo oficial na sociedade. Sem perceber, Pedro tinha desenvolvido interesse em Deus, o que significou que, aos catorze anos, quando estava no ensino médio, ele sentiu aversão pelo currículo da cultura grega antiga que estava estudando, especialmente em relação às pessoas fictícias e eventos inventados na história grega antiga. Foi então que Pedro — que acabara de entrar na primavera de sua juventude — começou a tentar descobrir mais sobre a vida humana e o mundo maior. Sua consciência não o compeliu a retribuir os esforços que seus pais tinham feito, porque percebeu claramente que as pessoas viviam num estado de autoenganação, todas elas estavam vivendo vidas sem sentido, arruinando as próprias vidas em sua luta por riqueza e reconhecimento. Essa percepção teve a ver em grande parte com o ambiente social em que ele habitava. Quanto mais conhecimento as pessoas têm, mais complexos são suas relações interpessoais e seus mundos internos, portanto mais existem num vazio. Sob tais circunstâncias, Pedro passava seu tempo livre fazendo visitas extensas, em grande parte a figuras religiosas. Em seu coração, existia a vaga sensação de que a religião poderia ser capaz de explicar tudo que havia de inexplicável no mundo humano, e por isso ele ia frequentemente a uma sinagoga próxima, onde assistia aos cultos. Seus pais não estavam cientes disso. Não demorou, e Pedro, que sempre tivera bom caráter e boa erudição, passou a abominar ir à escola. Sob a supervisão de seus pais, ele mal completou o ensino médio. Emergindo do oceano do conhecimento, ele respirou fundo; a partir de então, ninguém o educaria nem o restringiria mais(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Interpretações dos mistérios das ‘Palavras de Deus para todo o universo’, Sobre a vida de Pedro”). “Durante toda a sua vida, Pedro ganhou a vida pescando, mas, mais do que isso, vivia para pregar. Em seus últimos anos, escreveu a primeira e a segunda epístolas de Pedro, e também várias cartas para a igreja da Filadélfia da época. As pessoas desse período foram profundamente tocadas por ele. Em vez de repreender as pessoas usando as próprias credenciais, ele lhes provia um suprimento adequado de vida. Nunca esqueceu os ensinamentos de Jesus antes de Ele partir e foi inspirado por eles durante toda a sua vida. Enquanto seguia Jesus, ele resolveu retribuir o amor do Senhor com sua morte e seguir Seu exemplo em todas as coisas. Jesus concordou com isso, assim, quando Pedro tinha 53 anos de idade (mais de 20 anos depois da partida de Jesus), Jesus apareceu a ele para ajudá-lo a cumprir sua ambição. Nos sete anos seguintes, Pedro passou sua vida conhecendo a si mesmo. Um dia, no final desses sete anos, foi crucificado de cabeça para baixo, o que levou sua vida extraordinária a um fim(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Interpretações dos mistérios das ‘Palavras de Deus para todo o universo’, Sobre a vida de Pedro”). Depois de ouvir essas duas passagens, vi que a minha situação era muito parecida com a de Pedro, que se cansou do conhecimento vazio que aprendia na escola. Ele sabia que não existia vida no conhecimento e que a escola e a sociedade estavam cheias de conflitos. Assim, ele abandonou os estudos e começou uma vida de busca da verdade e da vida. Vi que Pedro teve a determinação de se afastar da escola e da sociedade, não se importou com o julgamento dos outros, nem se deixou levar por seus afetos, mas apenas tinha determinação e crença pessoal firmes, e não era influenciado pelas tendências da época. Ele foi corajoso o suficiente para deixar de viver da maneira antiga como tantos viviam para buscar coisas positivas. Foi incrível o fato de Pedro ter sido capaz de tomar esse tipo de decisão naquela época, foi preciso ter uma fé extraordinária. As palavras de Deus tiveram um grande impacto sobre mim. Externamente, pode ter parecido que Pedro não tinha alcançado nenhuma reputação ou lucro, mas ele tinha ganhado o louvor de Deus. Percebi que buscar a verdade e desempenhar o dever como um ser criado, assim como Pedro, praticar de acordo com as palavras de Deus, viver a verdade realidade, e conhecer e se submeter a Deus eram os elementos de uma vida verdadeiramente valiosa e significativa. Pensei em meus esforços diligentes nos estudos: depois de concluir o ensino médio, frequentei a universidade e agora estava pensando em fazer um mestrado. Será que eu não estava estabelecendo metas cada vez mais altas só para me destacar e me distinguir? Será que essa era uma busca significativa? Pensei em como a minha mãe tinha estudado muito desde criança para se destacar e chegar ao topo, tinha trabalhado diligentemente na vocação dela, e finalmente chegou ao topo aos trinta anos, superando as dificuldades do passado, desfrutou de melhores condições materiais, e alcançou fama, ganho e o respeito dos outros. Por fora, ela parecia bastante honrada, mas, no final, ela teve câncer e faleceu. Sua fama e ganho não puderam salvá-la da doença. Percebi que a busca por fama e ganho não tem valor nem significado. Tempos depois, li outras duas passagens das palavras de Deus, que me permitiram perceber ainda mais a senda que eu deveria escolher. Deus Todo-Poderoso diz: “Você é um ser criado — você deveria, é claro, adorar a Deus e buscar uma vida com significado. Se você não adorar a Deus, mas viver dentro de sua carne imunda, então você não é só um animal com vestes humanas? Já que você é um ser humano, você deveria se despender por Deus e aguentar todo sofrimento! Você deveria aceitar o pequeno sofrimento a que é submetido hoje com alegria e certeza e viver uma vida significativa, como Jó e Pedro. […] Vocês são pessoas que buscam o caminho correto, aquelas que buscam melhoria. Vocês são as pessoas que se levantam na nação do grande dragão vermelho, aqueles a quem Deus chama de justos. Não é essa a vida mais significativa?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Prática (2)”). “Os jovens não deveriam ser carentes de ideais, aspirações e um desejo entusiástico de se aprimorar; não deveriam se desanimar de suas expectativas nem perder a esperança na vida ou a confiança no futuro; eles deveriam ter a perseverança para continuar no caminho da verdade que agora escolheram para realizar seu desejo de despender sua vida inteira por Mim. Não deveriam estar sem a verdade, nem deveriam abrigar hipocrisia e injustiça — eles deveriam se manter firmes na posição correta. Não deveriam só ser levados à deriva, mas ter o espírito que ousa fazer sacrifícios e lutar por justiça e verdade. Os jovens deveriam ter a coragem de não sucumbir à opressão das forças das trevas e de transformar o significado de sua existência. Os jovens não deveriam se conformar com a adversidade, mas ser acessíveis e sinceros, com um espírito de perdão para com seus irmãos e irmãs. Sem dúvida, essas são Minhas exigências a todos e Meu conselho para todos. Mas, mais ainda, estas são Minhas palavras de conforto para todos os jovens. Vocês deveriam praticar conforme as Minhas palavras. Em especial, os jovens não deveriam carecer de determinação para exercer discernimento em questões e buscar a justiça e a verdade. Vocês devem buscar tudo o que é belo e bom e obter a realidade de todas as coisas positivas. Vocês devem ser responsáveis para com sua vida e não devem encará-la com leviandade. As pessoas vêm à terra e é raro Me encontrarem e também é raro terem a oportunidade de procurar e ganhar a verdade. Por que vocês não prezam este belo momento como a senda certa a se buscar nesta vida?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Palavras para os jovens e os velhos”). As palavras de Deus me deram uma nova compreensão da vida. O homem não deve viver para buscar fama e ganho, mas deve adorar a Deus, buscar a verdade e se despender por Ele. Isso é o que constitui uma vida valiosa e significativa. Como seres criados, mesmo que alcancemos fama, ganho e o respeito dos outros, se não adorarmos a Deus e não cumprirmos nossos deveres como seres criados, teremos vivido em vão. Apesar de, no início, afirmar que estava disposta a seguir a Deus, fazer renúncias e me despender, na verdade, não coloquei nada disso em prática. Eu ainda buscava o conforto da carne, boas perspectivas de futuro e o respeito dos outros. Eu ainda não tinha entendido o significado e o valor verdadeiro da vida do homem. Pensei no fato de que foi uma bênção, uma graça de Deus eu ter nascido nos últimos dias e ter aceitado a obra de Deus com tão pouca idade. Deus arranhou para que eu crescesse nesse ambiente privilegiado no qual aprendi a falar vários idiomas, inclusive o chinês, o que me permitiu ler as palavras de Deus e usar minhas habilidades no dever. Minha idade, formação e habilidades linguísticas eram todas adequadas para buscar a verdade e desempenhar meus deveres. Se eu fosse obstinada em buscar fama, ganho e status, e conquistasse fama e ganho mas perdesse minha oportunidade de seguir a Deus e buscar a verdade, que significado teria essa conquista? Nada neste mundo se compara à conquista da verdade, e não há comparação entre uma vida considerada boa pelas pessoas e uma vida elogiada pelo Criador. Somente uma vida que é elogiada por Deus é significativa e valiosa. Quando percebi isso, tomei a decisão de buscar a verdade, me submeter a Deus e satisfazê-Lo. Eu também estava disposta a abrir mão da universidade para me dedicar a Deus. Orei a Deus e disse que eu tinha que me libertar desse estilo de vida monótono e seco, que eu tinha que buscar a verdade, seguir a Deus e trilhar a senda certa.

Depois liguei para meu orientador, disse a ele que eu estava planejando desistir e pedi que ele assinasse meu pedido de desistência. Mas ele não só não concordou em assinar, como disse: “Só falta um ano para você se formar, não seria uma pena desistir agora? Você tem total consciência de que os graduados universitários têm salários muito mais altos do que os não graduados. Sem um diploma universitário, você pode até ter dificuldade para encontrar um emprego; as pessoas não vão olhar para você da mesma forma. Se tiver algum problema, você pode trancar sua matrícula por um ano e voltar quando as coisas estiverem resolvidas. Essa não é uma opção melhor?”. Depois de ouvir o conselho do meu orientador, me senti um pouco em conflito. Pensei que talvez devesse trancar a matrícula, como ele sugeriu, e retornar futuramente. Dessa forma, eu poderia me formar, obter meu diploma e poderia encontrar um bom emprego e ser respeitada no futuro. Mas também pensei que essa poderia ser uma trama traiçoeira de Satanás. Satanás não queria que eu seguisse a Deus e desempenhasse o dever, por isso usou a fama e o ganho para me tentar. Pensei nas palavras de Deus que dizem: “Quando Deus opera, cuida de uma pessoa, e olha para essa pessoa, e quando Ele favorece e aprova essa pessoa, Satanás também segue logo atrás, tentando desorientar a pessoa e levá-la ao prejuízo. Se Deus quer ganhar essa pessoa, Satanás fará tudo em seu poder para obstruir Deus, usando vários artifícios perversos para tentar, perturbar e impedir a obra de Deus, com o intuito de atingir seu objetivo oculto. Qual é esse objetivo? Ele não quer que Deus ganhe ninguém; ele quer ter posse daqueles que Deus quer ganhar, quer controlá-los, comandá-los para que eles o adorem, para que se juntem a ele para cometer atos malignos e resistir a Deus(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único IV”). Se eu abandonasse meus estudos para seguir a Deus, teria mais tempo para buscar a verdade e cumprir o dever, mas meu orientador tinha dito certas coisas para me tentar. Aparentemente, ele estava cuidando de mim, mas a trama traiçoeira de Satanás estava trabalhando em segundo plano. Satanás queria me tentar a continuar buscando fama, ganho e status e ficar atolada em minha busca por fama e ganho. Eu não podia cair no truque de Satanás. Percebendo isso, respondi ao meu orientador, dizendo: “Entendo o que você quer dizer, mas agora tenho ainda mais clareza sobre a intenção urgente de Deus. Pensei muito sobre escolher essa senda de fé e já tomei minha decisão. Vou dedicar minha vida à fé, seguindo a Deus, me despendendo por Ele, e nunca mais voltarei a me dedicar aos estudos. Decidi abandonar os estudos, espero que você possa me entender”. Ao ver que eu tinha tomado uma decisão, o orientador não tentou mais me convencer, e assinou os papéis para a minha desistência. Então, fui imediatamente desmatriculada.

Depois que abandonei os estudos, tive muito mais tempo e energia para cumprir o dever, e fiquei muito mais concentrada e quieta diante de Deus. Também tive mais tempo para ponderar as palavras de Deus, comunicar a verdade com os irmãos e irmãs e cumprir meu dever. Senti que estava me aproximando cada vez mais de Deus. Já se passou quase um ano e meio. Enquanto desempenhava meu dever, revelei meus caracteres corruptos, mas, com isso, aprendi a trabalhar harmoniosamente com os outros, e, quando me deparei com problemas, não me deixei abater por eles e busquei a verdade para resolvê-los. Ganhei muito durante o ano passado. Se tivesse esperado mais um ano para começar a cumprir o dever, eu teria perdido muitas oportunidades de alcançar a verdade, o que teria sido uma grande perda para mim. Também vi que as catástrofes mundiais estão ficando cada vez mais graves. A Ucrânia e a Rússia estão em guerra, grandes conflitos surgiram em todo o mundo, a pandemia se intensificou, e os terremotos e inundações estão ficando mais frequentes. Pensei no fato de que, quando as calamidades chegarem, mesmo que eu tivesse obtido meu diploma e alcançado fama, ganho e respeito, tudo isso não teria sentido se eu não tivesse vida. Exatamente como o Senhor Jesus disse: “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder-se, ou prejudicar-se a si mesmo?(Lucas 9:25). Devo crer em Deus e segui-Lo de todo o coração, dessa forma, poderei alcançar a verdade e vida. Isso é o que há de mais valioso no mundo; é a maior bênção! Minha decisão de abandonar os estudos para seguir a Deus e desempenhar o dever como um ser criado é a melhor decisão que já tomei! Graças a Deus por Sua orientação!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp