Pergunta 6: Na Era da Graça, Deus Se fez carne para servir como oferta pelo pecado em favor da humanidade, redimindo-a do pecado. Nos últimos dias, Deus tornou-Se carne novamente para expressar a verdade e realizar Sua obra de julgamento, a fim de purificar e salvar completamente o homem. Então, por que Deus precisa Se encarnar duas vezes para fazer a obra de salvação da humanidade? E qual é o verdadeiro significado de Deus Se encarnar duas vezes?

Resposta:

Por que Deus encarnaria duas vezes para realizar a obra de salvar a humanidade? Uma coisa devemos ficar clara: Com relação à salvação da humanidade, as duas encarnações de Deus têm um significado profundo. A obra da salvação, não importa se estamos falando da redenção, ou do julgamento e da purificação dos últimos dias, não pode ser realizada pelo homem. Ele requer que o Próprio Deus encarne e realize a obra. Na Era da Graça, Deus encarnou como o Senhor Jesus, isto é, o Espírito de Deus vestiu-se de uma carne santa e sem pecado e foi crucificado para servir como oferenda pelo pecado, redimindo homem de sua pecaminosidade. Todos nós entendemos isso. Mas, quanto ao retorno do Senhor Jesus nos últimos dias, por que Ele encarnou como o Filho do homem para aparecer-se e trabalhar? Muitos têm dificuldade de entender isso. Se Deus Todo-Poderoso não tivesse explicado a verdade e revelado este mistério, ninguém teria entendido esta verdade.

[…]

Na Era da Graça Deus encarnou a primeira vez apenas para fazer a obra da redenção, usando a crucificação como oferenda pelo pecado para redimir o homem, para libertá-lo das maldições e condenações da lei. Temos apenas que confessar e nos arrepender de nossos pecados, e eles serão perdoados. Então poderemos aproveitar a graça generosa e a verdade! Essa é a obra de redenção que o Senhor Jesus realizou e o verdadeiro significado de ser salvo pela fé no Senhor. estamos salvos pela fé no Senhor e perdoados dos nossos pecados. Mas estamos realmente livres de nossa pecaminosidade? Embora o Senhor Jesus tenha perdoado nossos pecados, ainda temos que nos livrar dos grilhões da pecaminosidade, porque ainda estamos possuídos por nossa natureza pecaminosa e pelo caráter satânico. Embora tenhamos admitido nossos pecados para o Senhor e Ele tenha nos perdoado, não reconhecemos nossa natureza pecaminosa, e sabemos menos ainda de nosso caráter corrupto, uma condição muito mais séria do que a pecaminosidade. Só reconhecemos esse pecado dentro de nós, que consiste na falta de lei e que resulta na acusação de nossa consciência. Mas não reconhecemos os pecados mais profundos, o de resistir a Deus. Por exemplo, não sabemos nada da raiz de nossa resistência a Deus, como nosso caráter satânico se manifesta ou como nossa natureza satânica acontece, quais venenos de Satanás existem em nossa natureza, Deonde vêm a lógica, a filosofia e as regras satânicas do homem. Então por que o homem não tem conhecimento dessas coisas satânicas? Já que o homem foi perdoado de seus pecados pelo Senhor Jesus, por que ele não consegue se livrar dos grilhões da pecaminosidade e continua a cometer os mesmos pecados? O homem está realmente puro após ser perdoado de seus pecados? Ele é realmente santo depois disso? Essa é uma questão prática que ninguém na Era da Graça parece entender. Apesar de nossa crença no Senhor, somos perdoados de nossos pecados, ainda comentemos pecados, resistindo e traindo Deus. Nós crentes sabemos disso em primeira mão. Por exemplo, mesmo após acreditar no Senhor, continuamos a mentir, a ser vaidosos, a desprezar a verdade e apoiar o mal. Ainda somos arrogantes, traiçoeiros, egoístas e gananciosos. Somos pegos, sem defesa, pelo caráter corrupto de Satanás. Muitos trabalham incansavelmente para o Senhor, mas com a esperança de serem recompensados e de entrarem no reino dos céus. Quando eles gozam da graça do Senhor, são felizes e firmes em Sua fé. Mas logo que se deparam com um desastre ou tragédia na família, eles entendem mal, culpam, negam e até mesmo traem ao Senhor. Quando a obra de Deus não está de acordo com suas concepções e ilusões, eles agem como os fariseus hipócritas, resistindo e condenando Deus. Isso mostra que, apesar de aceitarmos a salvação do Senhor Jesus e sermos perdoados de nossos pecados, não significa que nos livramos completamente do pecado e agora somos santos. Menos ainda que somos de Deus e fomos ganhados por Ele. Portanto, quando o Senhor Jesus retorna para realizar a obra de julgamento nos últimos dias, muitas pessoas do mundo religioso vêm para julgar, condenar e blasfemar contra Deus, publicamente denunciando-O como seu adversário e crucificando-O novamente. Poderiam aqueles que condenam publicamente e resistem a Deus ser arrebatados para o reino dos céus apenas com base no perdão de seus pecados? Deus permitiria que essas forças do mal que resistem a Ele entrassem no reino dos céus? Deus arrebataria esses anticristos, que odeiam a verdade, para o reino dos céus? Não! Deus é santo e justo! Como podem ver, embora sejamos perdoados dos pecados pela nossa fé no Senhor, não nos livramos completamente da pecaminosidade nem das influências satânicas, e menos ainda fomos ganhados por Deus e somos Dele. Então para nos livrar do pecado e alcançar a purificação, para sermos finalmente ganhados por Deus, devemos ser completamente purificados e salvos pela obra da segunda encarnação de Deus.

Temos uma visão simplista da obra de salvação de Deus, assim que os pecados do homem fossem perdoados, não existiriam outros problemas e só lhe restaria esperar para ser arrebatado para o reino dos céus pelo Senhor. Como o homem corrupto é ingênuo e infantil! Como são ridículas as concepções e ilusões do homem corrupto! O pecado era o único problema a afligir a humanidade após ser corrompida por Satanás? Qual é a raiz do pecado do homem? O que é pecado? Por que Deus o detesta? Até hoje ninguém entendeu corretamente. O homem foi inteiramente corrompido por Satanás. Qual o nível de sua corrupção? Ninguém sabe com clareza. A realidade da profunda corrupção do homem tornou-se evidente durante a crucificação do Senhor Jesus. O fato de os humanos crucificarem o misericordioso Senhor Jesus, que havia proferido tantas verdades, mostrou que o homem tornou-se descendente de Satanás, filho dele e perdeu inteiramente a humanidade. Ele não possui o mínimo de razão e consciência. Quem dentre os homens ainda possui uma humanidade normal? A resistência e a animosidade do homem em relação a Deus não indica que o homem chegou a um ponto irreconciliável com Deus? Esse problema pode ser resolvido pelo perdão dos pecados do homem? Quem garante que, com seus pecados perdoados, o homem não resistirá ou tomará Deus como inimigo? Ninguém garante. Os pecados do homem podem ser perdoados, mas Deus pode perdoar a natureza do homem? Uma natureza que resiste a Deus? Deus pode perdoar o caráter satânico que preenche o homem? Portanto, como Deus resolve essas coisas pertencentes a Satanás? Sem dúvida, Deus usa o julgamento e o castigo. É possível dizer que, sem o julgamento justo e o castigo de Deus, o homem corrupto não seria conquistado e menos ainda se prostraria no chão em profunda humilhação. Essa é a principal razão pela qual Deus deve encarnar para realizar a obra de julgamento. Muitos que questionam e têm concepções sobre Deus estar encarnado para realizar a obra de julgamento nos últimos dias. Por quê? Porque eles não enxergam a realidade da corrupção absoluta do homem. Por isso eles não entendem o significado da obra de julgamento de Deus nos últimos dias. Eles se apegam às suas noções e não buscam e investigam o verdadeiro caminho. Dessa forma, como aceitariam e obedeceriam à obra de Deus?

[…]

A encarnação refere-se ao Espírito de Deus vestindo-se carne e transformando-se numa pessoa comum e normal para realizar a obra do Próprio Deus. O Deus encarnado precisa ter a humanidade normal, precisa trabalhar e falar dentro de uma humanidade normal. Mesmo quando Ele opera milagres, eles devem ser realizados dentro da humanidade normal. Por fora, o Deus encarnado parece normal. Ele parece realizar Seu trabalho como um humano comum e normal e mediano. Se Ele não tivesse a humanidade normal e não trabalhasse em Sua humanidade normal, não seria a encarnação de Deus. A encarnação significa que o Espírito de Deus realizou-se na carne. Na humanidade normal, Ele expressa a verdade e realiza a obra do Próprio Deus, redimindo e salvando os homens. Esse é o significado da encarnação. Qual é o significado das duas encarnações de Deus? O que se entende principalmente é que as duas encarnações de Deus completaram o significado da encarnação, terminando a obra da Palavra aparecendo na carne e completando o plano de gestão de Deus para salvar a humanidade. Esse é o significado das duas encarnações de Deus. Todos devemos saber claramente que o propósito da primeira encarnação de Deus foi realizar a obra de redenção e pavimentar o caminho para a obra de julgamento nos últimos dias. Portanto, a primeira encarnação de Deus não completou o significado da encarnação. O propósito da segunda encarnação de Deus é fazer a obra de julgamento nos últimos dias e resgatar completamente a humanidade das garras de Satanás. Para libertar a humanidade de seu caráter satânico, livrando-a da influência de Satanás, para que os homens voltem para Deus. Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias, expressou a totalidade da verdade para purificar e salvar a humanidade. concluiu toda a obra de Deus na carne e manifestou tudo o que Deus deve expressar em Sua encarnação. Apenas assim Ele completou a obra da Palavra que aparece na carne. […] As duas encarnações de Deus completam toda a obra Dele na carne, ou seja, a obra da completa salvação do homem por Deus. Portanto, no futuro, Deus não encarnará novamente. Não haverá uma terceira ou quarta vez. Porque a obra de Deus na carne foi cumprida. Por isso se diz que Deus encarnou duas vezes para concluir o significado da encarnação.

Deus encarnou duas vezes para concluir o significado da encarnação. Para quem ainda não viveu a obra de julgamento de Deus nos últimos dias, isso é difícil de entender. Quem viveu a obra de redenção da Era da Graça sabe que o Senhor Jesus é o Deus encarnado. Mas poucos entendem que a obra do Senhor Jesus estava limitada à própria redenção e que Ele não concluiu a obra da Palavra que aparece na carne. Ou seja, o Senhor Jesus não expressou toda a verdade da completa salvação da humanidade pelo Deus encarnado. Então o Senhor Jesus disse: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). Hoje o Senhor Jesus voltou à carne como o Filho do homem. Ele é Deus Todo-Poderoso, Cristo dos últimos dias. Ele está realizando a obra de julgamento, começando pela casa de Deus, expressando toda a verdade, que vai purificar e salvar a humanidade, a verdade contida no “A Palavra manifesta em carne”. O Deus encarnado fala pela primeira vez na identidade de Deus para todo o universo, proclamando Sua palavra. Ele proclama os detalhes do plano de gestão de Deus para salvar a humanidade. Ele expressa a vontade de Deus e Suas exigências em relação à humanidade em relação à humanidade e ao destino do homem.

Vamos ver como Deus Todo-Poderoso explica isso. Deus Todo-Poderoso diz: “É justo dizer que essa foi a primeira vez, desde a criação, em que Deus Se dirigiu a toda a humanidade. Até então, Deus nunca tinha falado para a humanidade criada com tantos detalhes e de modo tão sistemático. Naturalmente, essa também foi a primeira vez em que Ele falou tanto e por tão longo tempo para toda a humanidade. Foi algo totalmente sem precedentes. Além disso, essas declarações foram o primeiro texto expresso por Deus em meio à humanidade no qual Ele expôs as pessoas, guiou-as, julgou-as e falou com elas intimamente; portanto, também essas foram as primeiras declarações com os quais Deus permitiu que as pessoas conhecessem Seus passos, o lugar onde Se deita, Seu caráter, o que Deus tem e é, Seus pensamentos e Seus cuidados para com a humanidade. Pode-se dizer que essas foram as primeiras declarações de Deus para a humanidade, feitos desde o terceiro céu, desde a criação, e a primeira vez em que Deus usou Sua identidade inerente para aparecer e expressar a voz de Seu coração para a humanidade mediante palavras” (Introdução às ‘Palavras de Deus para todo o universo’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Isso acontece porque Eu trago o fim da humanidade para o mundo e, deste ponto em diante, revelo todo o Meu caráter perante a humanidade, de modo que todos os que Me conhecem e todos os que não Me conhecem possam deleitar seus olhos e ver que Eu, de fato, vim ao mundo humano, vim à terra, onde todas as coisas se multiplicam. Esse é o Meu plano, é Minha única ‘confissão’ desde Minha criação da humanidade. Desejo que vocês possam prestar atenção exclusiva a cada um dos Meus movimentos, pois mais uma vez Minha vara arremete para perto da humanidade, para todos aqueles que se opõem a Mim” (‘Prepare boas ações suficientes para o seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Com relação às duas encanações de Deus para concluir o significado da encarnação, há aqueles quem não entendem, porque faltam experiência. Quando ouvem a respeito, não entendem. A verdade da encarnação é mesmo profunda, são necessárias várias comunhões para entender. Vamos aos detalhes da obra de Deus realizada durante as duas encarnações. Durante a primeira encarnação de Deus, Ele realizou a obra de redenção, manifestando muitos milagres. Ele alimentou cinco mil pessoas com cinco pães e dois peixes. Acalmou o vento e as ondas com apenas uma palavra. Ele ressuscitou Lázaro. Além disso, o Senhor Jesus jejuou e foi tentado no deserto por 40 dias. Ele andou sobre as águas, etc. Como o corpo do Senhor Jesus realizou milagres e transfigurou-se no topo da montanha, aos olhos humanos, embora o Senhor Jesus estivesse encarnado, Ele ainda possuía elementos sobrenaturais. Ele era diferente do homem comum. Os milagres O seguiam aonde quer que fosse. Além disso, o Senhor Jesus realizou apenas um estágio da obra, a de redenção. Ele proferiu apenas a verdade da obra de redenção, manifestando principalmente o caráter de Deus para a compaixão e o amor. Ele não proferiu todas as verdades da obra do julgamento e de salvação, nem expressou ao homem o caráter justo, santo e inofendível de Deus. Então não podemos dizer que a primeira encarnação concluiu o significado da encarnação. Assim como diz Deus Todo-Poderoso: “Jesus realizou uma etapa da obra que apenas cumpriu a substância de ‘o Verbo estava com Deus’: a verdade de Deus estava com Deus, e o Espírito de Deus estava com a carne e era inseparável Dele, isto é, a carne de Deus encarnado estava com o Espírito de Deus, que é a prova maior de que Jesus encarnado foi a primeira encarnação de Deus” (‘Prática (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”). A encarnação de Deus nos últimos dias é diferente da primeira encarnação. Na segunda encarnação, Deus não realizou milagres, Ele não é sobrenatural. Por fora, Ele parece um humano normal e comum, realizando Sua obra e falando Sua palavra na prática e na realidade entre os homens. Ele expressou a verdade para julgar, purificar a aperfeiçoar o homem. Deus Todo-Poderoso revelou todos os mistérios do plano de gestão de Deus e manifestou o caráter justo e santo de Deus, tudo o que Deus tem e é, a vontade de Deus e Suas exigências em relação ao homem. Além disso, Ele julgou e expôs a natureza satânica do homem e o caráter corrupto que resiste a Deus, e, ao fazê-lo, conquistou, aperfeiçoou, expôs e eliminou o homem, cada um de acordo com seu tipo. Toda a verdade que Deus dá ao homem nos últimos dias é proferida na humanidade normal de Sua carne. Não há nada de sobrenatural nisso. Vemos apenas um homem comum e normal expressando Sua palavra e fazendo Sua obra, mas a palavra que Cristo diz é a verdade. Ela tem autoridade e poder e salva o homem. Pela palavra de Cristo, que julga a expõe a verdade e a essência da corrupção do homem, vemos como Deus penetra no coração do homem, observando-o, e como Ele o entende profundamente. O homem, também, passa a conhecer o caráter justo, santo e inofendível de Deus. Pela advertência e exortação de Cristo, percebemos a compaixão e a preocupação de Deus para o homem. Pelas várias formas com que Cristo fala e trabalha, apreciamos a onipotência e a sabedoria de Deus, as intenções sinceras com que Deus trabalha para salvar a humanidade e Seu verdadeiro amor e a salvação pelo homem. Do modo em que com Cristo trata todas as pessoas, assuntos e coisas, entendemos como o prazer, a ira, a tristeza e a felicidade de Deus são todas as realidades de coisas positivas e são expressões do caráter de Deus e manifestações naturais da essência da vida de Deus. Pela palavra e a obra de Cristo, vemos como Deus é supremo e grandioso, como é humilde e oculto. Ganhamos um verdadeiro entendimento e conhecimento do caráter original e da verdadeira face de Deus, fazendo-nos desenvolver uma sede pela verdade e uma reverência por Deus em nossos corações, para amarmos e obedecermos a Deus. Esse é o efeito da palavra e da obra da segunda encarnação de Deus em nós. A palavra e a obra da segunda encarnação de Deus não apenas permitem ao homem ver Deus tornar-se carne, mas também ver o fato da Palavra que aparece na carne. A palavra de Deus realiza todas as coisas. Essa carne normal e comum é a personificação do Espírito da verdade. Deus encarnado é o caminho, a verdade e a vida. Ele é a manifestação do Deus único e verdadeiro! Apenas com a obra e a manifestação de Deus Todo-Poderoso, o significado da encarnação foi concluído.

[…]

Todos compreendem um pouco mais como as duas encarnações de Deus concluem o significado da encarnação! Agora estamos cientes do fato de que a obra de salvação da humanidade por Deus é realizada pela obra da encarnação. O estágio que o Senhor Jesus realizou foi a obra da redenção. A verdade que Ele expressou era muito limitada. Portanto, ao vivermos a obra do Senhor Jesus, nosso conhecimento de Deus ainda é limitado. Deus Todo-Poderoso veio fazer a obra do julgamento nos últimos dias, e expressou toda a verdade do julgamento justo da humanidade corrupta feito por Deus. Assim, o homem vê o caráter inerente de Deus e conhece Sua essência justa e sagrada. O Deus encarnado nos últimos dias concluiu a obra de Deus na carne. Ele expressou toda a verdade que Deus pretendia revelar na carne, cumprindo o fato de A Palavra manifesta em carne. É assim que as duas encarnações de Deus concluem o significado da encarnação. As duas encarnações de Deus são indispensáveis e complementam uma a outra. Portanto ninguém pode dizer que Deus só pode encarnar uma vez ou que vai encarnar três ou quatro vezes. Porque as duas encarnações já completaram a obra de salvação de Deus para a humanidade e expressaram a totalidade da verdade salvadora da humanidade que as encarnações de Deus devem revelar. Assim, as duas encarnações de Deus concluíram o significado da encarnação.

Extraído de “Perguntas e respostas clássicas sobre o evangelho do reino”

Anterior : Pergunta 5: Por que se diz que a humanidade corrupta precisa ser salva por Deus encarnado? Isso é algo que a maioria das pessoas não entende. Por favor, compartilhe sua comunhão sobre isso.

Próximo : Pergunta 7: As duas encarnações de Deus testemunharam que Cristo é a verdade, o caminho e a vida. Como devemos entender o fato de Cristo ser a verdade, o caminho e a vida?

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

22. O que é seguir ao homem?

Palavras de Deus relevantes:Algumas pessoas não se regozijam com a verdade, muito menos com o julgamento. Em vez disso, regozijam-se com...

2. Quais são as diferenças entre o modo como o Senhor Jesus operou na Era da Graça e o modo como Deus Todo-Poderoso opera na Era do Reino?

Na Era da Graça, Jesus fez uma boa quantidade desse tipo de obra, como curar enfermidades, expulsar demônios, impor as mãos sobre o homem para orar pelo homem e abençoar o homem. No entanto, agir assim novamente não teria sentido nos dias atuais. O Espírito Santo operou dessa maneira naquele tempo, pois era a Era da Graça, e havia graça suficiente para o homem desfrutar. Não lhe foi pedido qualquer tipo de pagamento e enquanto ele tivesse fé, ele receberia a graça. Todos foram tratados com muita gentileza. Agora, a era mudou e a obra de Deus progrediu ainda mais; é por meio de Seu castigo e julgamento que a rebeldia do homem e as coisas impuras dentro do homem serão purificadas.

1. Por que o governo comunista chinês brutalmente persegue, reprime e aperta o cerco contra Deus Todo-Poderoso e a Igreja de Deus Todo-Poderoso?

em uma sociedade obscura como essa, onde os demônios são impiedosos e desumanos, como o rei dos diabos, que mata pessoas em um piscar de olhos, poderia tolerar a existência de um Deus que é amável, bondoso e também santo? Como poderia aplaudir e comemorar a chegada de Deus? Lacaios! Retribuem bondade com ódio, há muito desdenham de Deus, abusam de Deus, são selvagens ao extremo, não têm a menor consideração por Deus, saqueiam e pilham, perderam toda a consciência, não têm nem um resquício de bondade e tentam os inocentes à insensatez.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro