Por que sou sempre cautelosa demais em meu dever?

16 de Dezembro de 2022

Por Han Xi, China

Em março de 2021, eu trabalhava como designer gráfico na igreja. Já que eu era arrogante em meu dever e não conseguia trabalhar em harmonia com os outros, eu interrompi o trabalho, e fui dispensada. Dois meses depois, uma supervisora arranjou que eu continuasse a produzir imagens. Fiquei muito comovida e, ao mesmo tempo, um pouco inquieta. Depois de eu voltar, se meu caráter arrogante interrompesse de novo, eu não seria totalmente revelada e expulsa? Se isso acontecesse, isso não seria o meu fim? Por isso eu disse a mim mesma: “Depois de voltar, preciso ser cautelosa em como trato tudo. Não posso voltar a fazer as coisas com base em meu caráter corrupto”.

Quando eu comecei, as irmãs viram que eu tinha experiência gráfica e me procuravam quando tinham problemas, e eu me esforçava para fornecer soluções. Mas quando falava demais, de repente, eu pensava: “Eu estou me exibindo, falando tanto? E se eu disser algo errado? Uma vez, uma irmã me disse que, quando eu era líder de grupo, eu confiava em minha experiência extensa e guiava o trabalho dos outros com base em minha experiência, em vez de buscar princípios. Isso fez com que algumas imagens tivessem que ser refeitas, o que atrasou o progresso. Dessa vez, se eu enganar uma irmã e interromper o trabalho, quando a supervisora descobrir, ela me dispensará? Esqueça, eu falarei menos para não dizer algo errado e não ter que assumir responsabilidade”. Uma vez estávamos discutindo o conceito gráfico de uma imagem. Depois de analisar, achei que o conceito de composição não fazia sentido. Mas hesitei e pensei: “Se o conceito tem problemas, isso é um problema grande e toda a imagem terá que ser refeita e ajustada. Devo me manifestar? Se eu não disser nada e houver um problema, a imagem terá que ser refeita mais tarde. Mas já discutimos essa imagem por dois dias. Se eu disser que existe um problema agora, o que as irmãs pensarão de mim? Dirão que estou querendo atenção e causando problemas? E se minha ideia for incorreta? Isso não atrasará o progresso do trabalho? Se a supervisora descobrir, ela dirá que não me arrependi?”. Na hora, eu hesitei e não ousei dizer nada. Alguns dias depois, terminamos a proposta de desenho, mas quando a supervisora o viu, ela disse que o conceito tinha problemas e precisava ser refeito. Quando vi o resultado, meu coração parou e eu pensei: “Se eu tivesse dito algo na hora, todos poderiam ter comungado e esclarecido isso, e não teríamos que perder tempo”. Eu me enchi de remorso, mas então pensei: “Eu não tinha certeza absoluta se minha ideia estava certa, talvez não seja tão grave que eu não me manifestei”. E foi isso. Eu não refleti sobre isso e deixei passar.

Mais tarde, sempre que o grupo discutia problemas e pedia que expressássemos uma opinião, eu tinha muita cautela e temia que minha opinião fosse diferente da de todos os outros e que eu fosse vista como arrogante e não disposta a aceitar as ideias dos outros. Assim, sempre que dava uma sugestão, eu acrescentava: “É só minha opinião pessoal, talvez eu esteja errada. Vocês mesmos devem verificar”. Às vezes, as irmãs davam sugestões para o que eu estava desenhando, e eu sabia claramente que algumas sugestões não estavam alinhadas com os princípios. Mas eu temia que, se não aceitasse suas sugestões, elas diriam que eu era arrogante ou me agarrava à minha opinião. Hesitante, eu aceitava as sugestões delas, achando que, se houvesse um erro, eu não seria responsável. Como resultado, após fazer mudanças, algumas sugestões realmente eram inapropriadas e as imagens tinham de ser refeitas, atrasando o progresso. Essa era a situação. Assim, todos os dias eu me encolhia, cumprindo meu dever, e me sentia física e emocionalmente exausta. Mas para mostrar à supervisora e às irmãs que eu tinha mudado, eu ainda achava que era melhor ser cautelosa. Depois disso, eu sempre cumpria meu dever desse jeito. Mas as imagens gráficas do grupo sempre tinham problemas, e tínhamos de refazê-las várias vezes. A eficácia do nosso trabalho diminuiu, até meu coração entorpecido finalmente perceber que talvez meu estado fosse incorreto e que eu precisava refletir sobre mim mesma. Então orei a Deus e pedi que Ele me esclarecesse para que eu pudesse entender meus problemas.

Numa reunião, li uma passagem da palavra de Deus e ganhei algum entendimento do meu estado: Deus Todo-Poderoso diz: “Como líderes e obreiros, quando ocorrem problemas enquanto vocês cumprem o seu dever, vocês são suscetíveis a ignorá-los e podem até mesmo procurar vários pretextos e desculpas para se esquivar da responsabilidade. Há alguns problemas que vocês são capazes de resolver, mas não resolvem, e os problemas que vocês não são capazes de resolver vocês não relatam aos seus superiores, como se eles não tivessem nada a ver com vocês. Isso não é abandono do seu dever? Tratar o trabalho da igreja desse jeito uma coisa esperta ou tola a se fazer? (Tola.) Tais líderes e obreiros não são cobras? Não carecem de qualquer senso de responsabilidade? Quando ignoram os problemas à sua frente, isso não mostra que são desumanos e traiçoeiros? As pessoas traiçoeiras são as pessoas mais tolas de todas. Você deve ser uma pessoa honesta, deve ter um senso de responsabilidade quando enfrenta problemas e deve encontrar formas de buscar a verdade para resolver problemas. Não seja uma pessoa traiçoeira. Se você se esquivar da responsabilidade e rejeitar qualquer envolvimento quando surgem problemas, até os incrédulos o condenarão. Você acha que a casa de Deus não o fará? O povo escolhido de Deus despreza e rejeita tal comportamento. Deus ama pessoas honestas, mas Ele odeia pessoas enganadoras e astutas. Se você agir como uma pessoa traiçoeira e tentar enganar, será que Deus não odiará você? Será que a casa de Deus simplesmente permitirá que você se safe? Mais cedo ou mais tarde, você será responsabilizado. Deus gosta de pessoas honestas e não gosta de pessoas traiçoeiras. Todos devem entender isso claramente e deixar de ser confusos e de fazer coisas tolas. A ignorância momentânea é compreensível, mas a recusa de aceitar a verdade é uma recusa obstinada de mudar(A Palavra, vol. 5: As responsabilidades dos líderes e dos obreiros). As palavras de Deus revelavam que aqueles que são irresponsáveis em seu trabalho e negam responsabilidade quando surgem problemas são especialmente traiçoeiros. Ao refletir sobre a palavra de Deus, vi que meu estado era igual. Eu era irresponsável e desleal em meu dever, e sempre que um problema envolvia responsabilidade, ou minhas perspectivas e meu destino, eu me encolhia e usava meios traiçoeiros. Quando via problemas, não dizia nada, ou inventava desculpas, ou dizia algo ambíguo. Depois de voltar para o design, eu temia que os irmãos dissessem que meu caráter arrogante não tinha mudado. Eu temia que meu caráter corrupto voltasse a causar interrupções e que eu fosse dispensada. Por isso eu tinha muito cuidado em tudo que fazia e dizia e sempre apresentava uma fachada falsa. Quando as irmãs me perguntavam algo, eu tinha medo de dizer algo errado e ser responsabilizada, por isso inventava desculpas para recusar. Sempre que o grupo discutia problemas e surgiam diferenças, eu permanecia em silêncio e seguia o fluxo. Eu podia ver claramente onde existiam problemas, mas, temendo que as pessoas dissessem que eu era arrogante e tentava atrair atenção, eu preferia que o trabalho tivesse que ser refeito, porque tinha problemas, a expressar minhas opiniões. Eu não tinha a coragem de discutir as coisas com todos. Eu era tão egoísta. Quando as irmãs davam sugestões para as imagens em que eu trabalhava, eu sabia que algumas delas não estavam alinhadas com os princípios, mas temia que os outros diriam que eu era arrogante, assim eu só fingia concordar e sempre cedia. Eu não me importava com erros nem em refazer o trabalho, contanto que não tivesse que assumir responsabilidade. Não importava o que fazia, eu só considerava meus interesses e temia assumir qualquer responsabilidade. Eu era tão enganosa! Deus vê o coração das pessoas, e já que eu era tão egoísta, enganosa e irresponsável em meu dever, como eu poderia ganhar o esclarecimento e a orientação do Espírito Santo? Não era surpresa que eu perdia cada vez mais a minha eficiência no meu dever. Essa era a revelação de Deus para mim.

Naquele momento, lembrei-me de uma passagem das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Se as pessoas amam a verdade, elas terão a força para buscar a verdade, e conseguem trabalhar muito praticando a verdade. Conseguem abandonar aquilo que deveria ser abandonado e renunciar àquilo que deveria ser renunciado. Em particular, coisas que dizem respeito à sua fama, ganho e status pessoais devem ser renunciadas. Se você não renunciar a elas, isso significa que você não ama a verdade e não tem a força para buscar a verdade. Quando coisas acontecem com você, você deve buscar a verdade. Se, nesses momentos em que você precisar praticar a verdade, você sempre tiver um coração egoísta e não conseguir renunciar aos seus interesses particulares, você será incapaz de colocar a verdade em prática. Se você nunca busca nem pratica a verdade em circunstância nenhuma, você não é uma pessoa que ama a verdade. Não importa há quantos anos acredita em Deus, você não obterá a verdade. Algumas buscas estão sempre buscando fama, ganha e interesses próprios. Não importa o trabalho que a igreja arranje para elas, elas sempre ponderam, pensando: ‘Isso me beneficiará? Se me beneficiar, eu o farei; caso contrário, não o farei’. Uma pessoa desse tipo não pratica a verdade — então ela pode cumprir bem o seu dever? Com toda a certeza, não pode. Mesmo que você não cometa o mal, você ainda assim não é uma pessoa que pratica a verdade. Se você não busca a verdade, não ama coisas positivas, e, não importa o que o acometa, você só se importa com seu status e reputação, com seu interesse próprio e com o que é bom para você, então você é uma pessoa que é impulsionada somente pelo interesse próprio, e você é baixo e egoísta. Uma pessoa desse tipo acredita em Deus a fim de ganhar algo bom ou que a beneficie, não para obter a verdade ou a salvação de Deus. Portanto, pessoas desse tipo são incrédulos. Pessoas que realmente acreditam em Deus são aquelas que conseguem buscar e praticar a verdade, pois reconhecem em seu coração que Cristo é a verdade, e que elas devem ouvir as palavras de Deus e acreditar em Deus como Ele exige. Se você deseja praticar a verdade quando algo acontece com você, mas considera seu status, reputação e honra, fazer isso será difícil. Numa situação como essa, por meio de oração, busca e autorreflexão e tornando-se autoconsciente, aqueles que amam a verdade serão capazes de renunciar ao que é do seu interesse pessoal ou bom para eles, praticar a verdade e obedecer a Deus. Tais pessoas são aquelas que realmente acreditam em Deus e amam a verdade. E qual é a consequência quando as pessoas sempre pensam em seus interesses pessoais, quando estão sempre tentando proteger seu orgulho e sua vaidade, quando revelam um caráter corrupto, mas não buscam a verdade para consertá-lo? É que elas não têm entrada na vida, é que elas carecem de experiências e testemunho verdadeiros. E isso é perigoso, não é? Se você nunca pratica a verdade, se você carece de qualquer experiência e testemunho, então, no tempo devido, você será exposto e expulso. Que utilidade têm pessoas sem experiências e testemunho na casa de Deus? Elas estão fadadas a cumprir mal qualquer dever; não conseguem fazer nada corretamente. Elas não são apenas lixo? Se as pessoas nunca praticam a verdade após anos de crer em Deus, elas são incrédulas, são malignas. Se você nunca pratica a verdade, se o número de suas transgressões só aumenta, então seu fim está decidido. É evidente que todas as suas transgressões, a senda equivocada que você trilha e sua recusa de se arrepender — tudo isso se une numa multidão de atos malignos; e assim seu fim é que você irá ao inferno, você será punido(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “O crucial na crença em Deus é colocar a verdade em prática”). A leitura da palavra de Deus mexeu profundamente comigo. Antes, eu achava que não expressar minhas opiniões e seguir o fluxo não era grande coisa. Mas depois de ler a palavra de Deus, entendi que só pensar em si e sempre ter motivos egoístas ao enfrentar problemas, sempre se proteger quando há um conflito entre os interesses da igreja e os seus e preferir que o trabalho sofra a praticar a verdade é verdadeiramente maligno! Pensei em todo o tempo e esforço gastos com cada imagem, desde o projeto até o desenho, mas quando eu via problemas, eu não dizia nada, precisando refazê-la e atrasando o progresso. Isso não era interromper o trabalho? Meus atos malignos estavam se acumulando, e, se eu não me arrependesse, eu me arruinaria. Quando entendi isso, eu me assustei e percebi que, ao enfrentar problemas, é importante renunciar a si mesmo e praticar a verdade!

Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus: “Se você dissesse: ‘Os anticristos são determinados e obstinados. Tenho medo de me tornar um anticristo e não quero seguir o caminho de um anticristo. Assim, esperarei até todos terem expressado sua opinião, então eu farei um resumo, encontrando um jeito de formular uma conclusão que represente um meio-termo’. Isso é correto? (Não.) Por que não é correto? Se o resultado não aderir aos princípios da verdade, mesmo que você faça isso, será eficaz? Deus ficará satisfeito com isso? Se não for eficaz e Deus não ficar satisfeito, o problema será severo. Se você não faz as coisas de acordo com os princípios da verdade, é negligente e irresponsável em seu dever, e faz as coisas de acordo com filosofias satânicas, você está sendo desleal a Deus e está enganando a Deus! Para evitar que as pessoas suspeitem de você e o identifiquem como um anticristo, você nem é capaz de cumprir as responsabilidades que deveria cumprir; você usa a filosofia satânica de ‘encontrar o meio-termo’. Como resultado, você prejudicou o povo escolhido de Deus e afetou o trabalho da igreja. Isso não é agir sem princípios? Isso não é baixo e egoísta? Vocês são líderes e obreiros; vocês devem ter princípios no que fazem. Tudo que fazem deve ser eficaz e eficiente. Façam o que for benéfico para a casa de Deus e façam tudo que estiver de acordo com os princípios da verdade(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Seis: Eles se comportam de maneira enganosa, são arbitrários e ditatoriais, nunca comungam com os outros e os obrigam a lhes obedecer”). A palavra de Deus me mostrou que Ele não quer que sejamos sempre passivos e cautelosos por temer ser expostos e expulsos. Em vez disso, Ele quer que sejamos responsáveis em nosso dever e busquemos os princípios da verdade em tudo que fazemos. Agir assim beneficia o trabalho da igreja e é o único jeito de cumprir sua responsabilidade. Eu, porém, quando voltei a trabalhar como designer, fiz um juramento solene de cumprir bem o meu dever, mas na hora de assumir responsabilidade, eu fui cautelosa demais. Para impedir que os outros me chamassem de arrogante e presunçosa, eu não dizia nada quando via problemas nem cumpria minhas responsabilidades, causando perdas ao trabalho da igreja. Eu não estava tentando enganar a Deus? Também entendi que é normal ter opiniões diferentes quando surgem problemas e que, contanto que minha intenção seja considerar o que é melhor para o trabalho da igreja, eu busque a verdade e cumpra meu dever de acordo com os princípios, eu devo expressar minhas opiniões para que sejam discutidas. Isso é ser sério e responsável em seu dever, não é atrair atenção ou causar interrupções. Mesmo que eu realmente fizesse algo errado por causa do meu caráter arrogante, contanto que tivesse a coragem de admiti-lo, de aceitar a comunhão e a correção dos outros e mudasse, a igreja não me demitiria nem excluiria com base numa corrupção expressada momentaneamente. Depois de entender essas coisas, quando eu descobria coisas que violavam os princípios no meu dever, eu as expressava ativamente e as discutia com todos. Quando pratiquei desse jeito, os desvios no trabalho foram diminuindo cada vez mais. Uma vez estávamos discutindo o conceito para uma imagem, e eu descobri que o material de fonte e o tema não combinavam bem e que o tema não era muito claro. Eu pensei: “Isso poderia ser um problema sério, e, se for, toda a proposta da imagem não funcionará”. Eu hesitei muito: “O que as irmãs pensarão de mim se eu disser algo errado? Esqueça, não quero me arriscar”. Mas eu também estava preocupada: “Se realmente houver um problema relacionado aos princípios, gastaremos tempo com os ajustes. Isso não atrasará o trabalho?”. Quando pensei isso, expressei meu ponto de vista. Depois de alguma discussão, as irmãs concordaram com minha opinião. Então mandamos sugestões à supervisora referentes à modificação da imagem. Depois de ver nossas sugestões, a supervisora disse que o conceito original ainda funcionava e que só precisava de alguns ajustes no material de fonte. Quando ouvi isso, meu coração palpitou: “Minha opinião pode ser um problema de novo? O que a supervisora pensará de mim? Ela dirá que, após ter sido dispensada, eu ainda sou arrogante e hipócrita e que não mudei?”. Em silêncio, orei a Deus, dizendo que eu estava disposta a enfrentar meus problemas com honestidade. Assim, tomei a iniciativa de conversar com a supervisora e me abrir sobre minhas ideias e buscar os princípios para esses problemas. A supervisora comungou em detalhe conosco. Depois que ouvi isso, meu coração clareou e eu entendi meus desvios. Vi que a supervisora não lidou comigo. Em vez disso, ela comungou com paciência conosco. Fiquei um pouco triste: eu sempre permanecia em alerta com os irmãos e suspeitava da casa de Deus, temendo ser dispensada e expulsa por revelar corrupção, quando, na verdade, a casa de Deus trata as pessoas com base nos princípios da verdade e não trata nem dispensa as pessoas assim que cometem um erro. Se você causa desvios no trabalho só porque não entende os princípios e, depois de comungar, consegue admitir e corrigir seu erro, você não é dispensado nem expulso. Se você é arrogante e hipócrita, insiste em seu ponto de vista para proteger seu status e reputação, não busca os princípios da verdade e prejudica o trabalho, só então você é podado e tratado. E se a situação for séria, você será dispensado ou expulso. Lembrei-me de quando fui dispensada. Eu confiava no fato de que trabalhava havia muito tempo em design e tinha muita experiência. Quando discutia problemas com os outros, eu era arrogante e me agarrava à minha opinião. Eu não aceitava opiniões diferentes nem buscava. Isso fez com que algumas imagens fossem devolvidas e refeitas ou até rejeitadas. Mas ao ser confrontada com o fracasso e exposta, eu não busquei a verdade para resolver meu caráter corrupto. Em vez disso, eu sempre entendia errado e era cautelosa. Eu não cumpria meus deveres nem buscava a verdade! Mais tarde, também refleti sobre como eu deveria deixar de ser cautelosa demais e equivocada. Li a palavra de Deus. “Algumas pessoas seguem a própria vontade quando agem. Elas violam os princípios e, depois que são podadas e tratadas, admitem em mera palavra que são arrogantes, e que cometeram um erro apenas por não terem a verdade. Contudo, em seu coração, ainda se queixam: ‘Ninguém mais se arrisca — só eu —, e, no fim, quando algo dá errado, eles empurram a responsabilidade para mim. Isso não é burrice minha? Da próxima vez, não posso mais fazer essa mesma coisa de me arriscar desse jeito. Prego que se destaca acaba martelado!’. O que vocês acham dessa atitude? É uma atitude de arrependimento? (Não.) Que atitude é essa? Elas não se tornaram escorregadias e enganosas? Em seu coração, elas pensam: ‘Sorte a minha que, desta vez, não acabou em desastre. Gato escaldado tem medo de água fria, por assim dizer. Tenho que ter mais cuidado, daqui para a frente’. Elas não buscam a verdade e usam sua mesquinhez e seus esquemas astutos para cuidar e tratar da questão. Elas podem ganhar a verdade dessa maneira? Não podem, porque elas não se arrependeram. A primeira coisa a ser feita ao se arrepender é reconhecer o que você fez de errado: ver onde você errou, a essência do problema e o caráter que você revelou; você deve refletir sobre essas coisas e aceitar a verdade, depois praticar de acordo com a verdade. Somente essa é uma atitude de arrependimento. Se, por outro lado, você considera meios astutos exaustivamente, você fica mais escorregadio do que antes, suas técnicas são mais espertas e ocultas, e você tem mais métodos para lidar com as coisas, então o problema não é tão simples quanto apenas ser enganador. Você está usando meios traiçoeiros e tem segredos que não pode divulgar. Isso é maligno. Você não só não se arrependeu, mas se tornou mais escorregadio e enganoso. Deus vê que você é excessivamente intransigente e maligno, que é alguém que admite superficialmente que estava errado e aceita ser tratado e podado, mas, na verdade, não tem a menor atitude penitente. Por que dizemos isso? Porque, enquanto esse evento acontecia ou na sequência, você não buscou a verdade e não praticou de acordo com a verdade. Sua atitude é a de usar as filosofias, a lógica e os métodos de Satanás para resolver o problema. Na verdade, você está se esquivando do problema e empacotando-o num lindo embrulho para que os outros não vejam nenhum vestígio dele, não deixa passar nada. No fim, você se acha bem esperto. Essas são as coisas que Deus vê, em vez de você ter refletido, confessado e se arrependido do seu pecado em face da questão que lhe sobreveio, para então buscar a verdade e praticar de acordo com a verdade. Sua atitude não é a de buscar a verdade nem de praticar a verdade, nem é uma atitude de submissão à soberania e aos arranjos de Deus, mas de usar as técnicas e os métodos de Satanás para resolver seu problema. Você passa uma impressão falsa aos outros e resiste a ser exposto por Deus, e é defensivo e confrontador com relação às circunstâncias que Deus orquestrou para você. Seu coração está mais fechado do que antes e separado de Deus. Nesse caso, algum bom resultado pode derivar disso? Você ainda pode viver na luz, apreciando paz e alegria? Não pode. Se você evitar a verdade e evitar Deus, você certamente cairá em trevas e gemerá e rangerá os dentes. Tal estado prevalece nas pessoas? (Sim.) Algumas pessoas admoestam a si mesmas com frequência, dizendo: ‘Eu fui tratado desta vez. Na próxima, preciso ser mais esperto e cuidadoso. Ser esperto é o fundamento da vida — e pessoas que não são espertas são imbecis’. Se você está sempre se orientando e admoestando dessa forma, você chegará a algum lugar? Será capaz de ganhar a verdade? Se um problema lhe sobrevier, você deve buscar e entender um aspecto da verdade, e ganhar esse aspecto da verdade. O que pode ser alcançado pelo entendimento da verdade? Quando entende um aspecto da verdade, você entende um aspecto da vontade de Deus; entende por que Deus fez essa coisa com você, por que Ele faria tal exigência a você, por que Ele orquestraria circunstâncias para castigar e disciplinar você assim, por que Ele usaria tal assunto para podar e lidar com você, e por que você caiu, fracassou e foi exposto nessa questão. Se entender essas coisas, você será capaz de buscar a verdade e alcançará entrada na vida. Se não entender essas coisas e não aceitar esses fatos, e insistir em opor-se e resistir a eles, em usar as próprias técnicas para se disfarçar, e em encarar todos os outros e Deus com um semblante falso, você será eternamente incapaz de ganhar a verdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente buscando a verdade pode-se resolver as noções e os equívocos sobre Deus”). A palavra de Deus é tão clara. A melhor senda para resolver equívoco e cautela é buscar entender as verdades em questões relevantes. Quando confrontado com fracasso e contratempos, se você não busca a verdade para resolver seus problemas, pensa em jeitos de apresentar uma fachada falsa e lida com eles com base em sua mesquinhez e jeitos enganosos, isso não é só enganoso, é também um tipo de caráter maligno. Esse tipo de pessoa jamais ganhará a verdade. Lembro-me de que, quando fui dispensada, a líder expôs minha arrogância, hipocrisia e minha recusa de ouvir as opiniões dos outros. Na hora, eu admiti e aceitei isso, mas, depois, eu não busquei a verdade para resolver meu caráter corrupto. Dessa vez, quando voltei ao trabalho de design, eu temi ser dispensada e expulsa por interromper o trabalho da igreja por ser arrogante de novo, por isso adotei filosofias de Satanás como “proteja a si mesmo, só tente escapar da culpa” e “é melhor estar seguro do que se arrepender” para me proteger. Eu raramente expressava minhas opiniões ou fazia sugestões diferentes e nunca falava primeiro quando algo surgia. Eu me tornei mais enganosa do que antes. Vi que uma proposta de design tinha problemas, mas não disse nada. Eu sabia que algumas das sugestões das irmãs não estavam alinhadas com os princípios, mas fiquei calada. Por fora, eu parecia ser obediente, mas eu não tinha me arrependido de verdade. Eu só fingia que conseguia me submeter e que tinha mudado. Eu não estava enganando meus irmãos e Deus? Só então vi que eu não só não tinha me arrependido após ter sido dispensada, eu também estava sempre calculando e sendo enganosa, pensando em maneiras de me proteger e esconder meu caráter corrupto. Eu me tornei ainda mais astuta do que antes. Meu caráter era maligno. Eu achava que era inteligente e quis usar truques humanos para não revelar minha corrupção. Mas por meio da experiência, vi que os caracteres corruptos das pessoas não podem ser vencidos por esforço humano nem podem ser resolvidos confiando em filosofias satânicas e apresentando uma fachada. É só por meio do julgamento e o castigo de Deus e de poda e tratamento que se pode alcançar alguma mudança. Deus nos permite revelar nossa corrupção e Ele sabe que temos fracassos em nosso dever, mas Ele não quer que nos escondamos nem apresentemos uma fachada quando temos problemas. Em vez disso, Ele quer que sejamos simples e abertos e encaremos nosso fracasso corretamente e nos arrependamos e mudemos. Depois de perceber a vontade de Deus, deixei de ser passiva e de entender errado e me dispus a praticar a verdade e me arrepender diante de Deus. Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus e entendi a senda de prática. Deus Todo-Poderoso diz: “Como, então, você resolve sua arbitrariedade e sua precipitação? Digamos, por exemplo, que algo acontece com você, e você tem seus próprios planos e ideias; antes de determinar o que fazer, você deve buscar a verdade e deve pelo menos ter comunhão com todos quanto ao que você pensa e acredita sobre isso, pedindo a todos que lhe digam se seus planos e pensamentos estão corretos e concordam com a verdade, pedindo que todos façam verificações finais para você. Esse é o melhor método para resolver a arbitrariedade e a precipitação. Primeiro, você pode explicar sua opinião e buscar a verdade; esse é o primeiro passo a pôr em prática a fim de resolver a arbitrariedade e a precipitação. O segundo passo acontece quando outras pessoas dão opiniões divergentes — que prática você pode adotar para abster-se de ser arbitrário e precipitado? Primeiro, precisa ter uma atitude de humildade, deixar de lado o que acredita ser certo e permitir que todos tenham comunhão. Mesmo que acredite que seu caminho esteja correto, você não deveria continuar insistindo nele. Isso é uma espécie de avanço; mostra uma atitude de buscar a verdade, de negar-se e de satisfazer a vontade de Deus. Uma vez que tenha essa atitude, ao mesmo tempo que não se atém à sua opinião, você deveria orar, buscar a verdade que vem de Deus e então procurar uma base nas palavras de Deus — determine como agir com base nas palavras de Deus. Essa é a prática mais adequada e correta(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Depois de ler a palavra de Deus, entendi que, quando você tem ideias e pontos de vista durante uma discussão, você deve ter um coração que busca. Expressar opiniões não é para forçar os outros a seguir você. Ao contrário, trata-se de levantar opiniões para que todos as discutam e busquem os princípios da verdade juntos. Essa é a única abordagem sensata. Esse é o comportamento que protege o trabalho da igreja. Se você faz as coisas com base em seu caráter arrogante, é fácil tornar-se teimoso e forçar os outros a ouvir você, sem temor de Deus nem qualquer obediência a Ele. Mais tarde, ao discutir conceitos com os irmãos, eu comungava abertamente as opiniões e ideias que eu tinha e, mesmo se achasse que minha ideia era correta, eu não aderia a ela cegamente. Quando me deparava com sugestões diferentes, eu orava e buscava. Eu aceitava humildemente quando alguém dizia algo que estava alinhado com os princípios. Mas se não estava, eu defendia minha posição e comungava e discutia com ele. Esse é o único jeito de cumprir seu dever segundo o coração de Deus.

Depois li mais da palavra de Deus, que esclareceu ainda mais como deixar de ser enganoso e cauteloso. Deus Todo-Poderoso diz: “Tenho prazer nos que não suspeitam dos outros, e também gosto muito de quem prontamente aceita a verdade; demonstro grande zelo por esses dois tipos de pessoas, porque, a Meu ver, são pessoas honestas(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Como conhecer o Deus na terra”). “Quais são as expressões de uma pessoa honesta? Em primeiro lugar, é a fim de não ter dúvidas em relação às palavras de Deus. Essa é uma das expressões de uma pessoa honesta. A expressão mais importante de uma pessoa honesta é, além disso, buscar e praticar a verdade em todas as questões; isso é o mais importante de tudo. Se você diz que é honesto, mas sempre relega as palavras de Deus ao fundo da sua mente e faz o que quer, então essa é uma expressão de uma pessoa honesta? Você diz: ‘Meu calibre é baixo, mas sou honesto no coração’. Quando um dever lhe compete, no entanto, você tem medo de sofrer ou que, se não o cumprir bem, terá de assumir a responsabilidade, e assim você inventa desculpas para esquivar-se dele e recomenda que outros o façam. Isso é uma expressão de uma pessoa honesta? Claramente não é. Como, então, uma pessoa honesta deveria se comportar? Ela deveria aceitar e obedecer, e então ser totalmente devotada a fazer seus deveres com o melhor da sua capacidade, esforçando-se para atender a vontade de Deus. Isso é expressado de diversas maneiras. Uma maneira é que você deveria aceitar seu dever com honestidade, não pensar em seus interesses carnais e não ser indiferente a ele. Não maquine para o seu benefício próprio. Isso é uma expressão de honestidade. Outra maneira é cumprir o seu dever com todo o seu coração e com toda a sua força, fazendo as coisas corretamente, investindo seu coração e seu amor no cumprimento do seu dever a fim de satisfazer a Deus. É isso que deve ser expressado quando as pessoas honestas cumprem o seu dever. Se você não dá todo o seu coração e toda a sua alma, se você não executa o que sabe e entendeu, se você só dá 50 ou 60 por cento do seu melhor esforço, você não está investindo todo o seu coração e toda a sua força, você está procurando formas de ser negligente. Pessoas que são escorregadias no cumprimento do seu dever são honestas? De forma alguma. A casa de Deus não tem utilidade para pessoas escorregadias e enganosas; elas devem ser eliminadas. Deus só usa pessoas honestas para cumprir um dever. Até servidores leais devem ser honestos. Pessoas que são eternamente descuidadas e superficiais, que sempre procuram formas de ser negligentes — todas essas pessoas são enganosas, todas elas são demônios, nenhuma delas realmente acredita em Deus, e todas elas serão eliminadas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Ao refletir sobre a palavra de Deus, percebi que o caráter de Deus é santo e justo. Deus ama pessoas honestas. Em relação a Deus, pessoas honestas têm um coração sincero, em relação a outras pessoas e a Deus, elas não são cautelosas nem desconfiadas e conseguem aceitar o escrutínio de Deus em todas as coisas. Não são escorregadias nem enganosas em seus deveres e não poupam esforço para fazer o que devem fazer. Mesmo quando precisam assumir responsabilidade, elas deixam de lado seus interesses, defendem os princípios e cumprem bem o seu dever para satisfazer a vontade de Deus. Só pessoas que cumprem seu dever desse jeito podem ganhar a aprovação de Deus, e só esse tipo de pessoa é verdadeiramente sábio! Mas, a fim de proteger meus interesses, permaneci calada quando encontrei problemas, o que prejudicou o trabalho. Embora não parecesse que eu era diretamente responsável, na verdade, isso foi o resultado de eu não praticar a verdade. Eu também não entendia muitos princípios da verdade e só conseguia ver um lado de um problema, portanto era inevitável que houvesse desvios nas minhas sugestões. Mas uma pessoa honesta trata sua corrupção e deficiências corretamente, aceita a verdade, e a comunhão e as correções dos outros, e consegue citar seus desvios e entender princípios-chave. Se seus erros realmente prejudicam o trabalho, ela consegue admitir e mudar. Depois que percebi essas coisas, meu coração se iluminou um pouco, e eu tive mais clareza sobre os princípios que deveria praticar no meu dever.

Mais tarde, quando voltava a discutir problemas com as irmãs, eu orava a Deus, corrigia minhas intenções e praticava de acordo com os princípios da verdade. Uma vez, eu estava discutindo um conceito de design com três outras irmãs, e todas as três disseram que o design não era viável, mas eu tinha uma opinião oposta. Eu pensei: “Todas as três têm a mesma opinião. Se eu expressar uma opinião diferente, será que dirão que sou arrogante? Eu devo simplesmente ficar calada?”. Mas esse conceito de imagem era novo e original, e o tema era claro. De acordo com os princípios, ele era viável. Se eu seguisse a opinião de todos os outros, isso não seria jogar fora uma boa proposta de design? Refleti sobre como pessoas honestas cumprem seus deveres meticulosamente e defendem os princípios. Então compartilhei minha opinião e os princípios relevantes. Por meio da nossa discussão, todas concordaram que o que eu dizia correspondia mais aos princípios. Quando isso aconteceu, eu agradeci muito pela orientação de Deus e experimentei a paz que vem quando lidamos com as coisas conforme os princípios.

Agora, eu tenho me libertado aos poucos da cautela e da suspeita exagerada. Consigo discutir qualquer opinião com todos, e sinto que meu coração está mais puro e mais aberto no cumprimento do meu dever. Eu me tornei mais eficiente no meu dever. Esse conhecimento e a capacidade de mudar se devem à orientação da palavra de Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Oferecendo meu coração a Deus

Por Xinche, Coreia do SulEm junho de 2018, eu entrei para os ensaios da apresentação do coral Hino do Reino. Pensei que eu ia subir no...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp