Reflexões sobre ser enganada por um anticristo

13 de Junho de 2022

Por Su Shan, Japão

Uma vez, quando uma líder superior chamada Liu Ping veio verificar as coisas na nossa igreja, ela viu rapidamente que uma das nossas líderes era um anticristo. Um por um, ela revelou e dissecou seus comportamentos malignos. Eu a admirei muito, pois conhecia aquele anticristo havia um tempo e não tinha discernimento sobre ela. Liu Ping viu o que ela era em menos de uma semana e foi rápida em dispensá-la e expulsá-la da igreja. Achei que ela tinha a realidade da verdade, caso contrário, como poderia assumir um dever tão importante? Isso me levou a admirá-la ainda mais.

Numa reunião, Liu Ping explicou como tinha visto que o anticristo estava praticando o mal e sendo disruptivo, como tinha identificado os motivos dela por trás desses problemas, e descreveu duramente suas expressões do mal. Liu Ping também falou sobre como o trabalho da igreja pelo qual ela era responsável estava indo bem, que ela estava gerenciando o trabalho de várias igrejas e que a liderança superior a valorizava muito. Eu a admirei ainda mais após ouvir essa comunhão e me senti honrada por poder me reunir com uma líder igual a ela. Eu estava totalmente presa nesse esplendor dela e a ouvia intensamente, temendo perder algum detalhe. Não demorou e Liu Ping veio para a igreja pela qual eu era responsável para verificar o nosso trabalho, e minha parceira e eu lhe contamos que tínhamos demitido a irmã Wang. Assim que terminei, ela usou as palavras de Deus para lidar duramente comigo por ser tão autocrática no meu dever: “Por que você fez isso sem aprovação? Por que não falou comigo? Não sabe que isso é punir e ser autoritário, que é a conduta de um anticristo?”. Fiquei com medo e achei que seria condenada, mas me esforcei para aceitar isso. Pensei que, quando falsos líderes e anticristos aparecem na igreja, os escolhidos de Deus devem se unir para se livrar deles ou que vários líderes devem fazer isso diretamente. Esse é o princípio. A irmã Wang sempre tinha sido autocrática e arbitrária, promovia malfeitores, gerava caos no trabalho da igreja. Comungamos com ela e a criticamos, mas ela não quis aceitar. Era uma falsa líder. Nós a dispensamos de acordo com os princípios. Como isso podia ser autocrático? Liu Ping não estava nos criticando arbitrariamente, nos rotulando? Mas então pensei que, já que ela conseguia gerenciar o trabalho de tantas igrejas, ela devia ter uma visão melhor do que eu, poderia estar analisando a raiz de um problema meu. Eu não conseguia aceitar porque eu carecia de estatura e percepção, então pensei que devia simplesmente aceitar. Na época, eu não disse nada, mas estava muito deprimida, pois a minha intenção não tinha sido punir nem ser ditatorial. No entanto, o que fiz acabou resultando nisso, e eu me assustei muito e tive essa sensação de desastre.

Então Liu Ping fez outras perguntas sobre o trabalho da igreja. Havia uma líder cujo comportamento me confundia, e eu não sabia o que fazer, então, quando falei com Liu Ping sobre isso, ela sugeriu que lêssemos uma passagem das palavras de Deus. Eu a tinha lido poucos dias antes e queria confirmar minha opinião sobre a líder com ela. Assim que eu disse isso, ela se irritou, jogou o celular na cama e disse, numa voz severa: “Você entende o comportamento dessa líder e leu sobre os princípios. Por que diz que carece de discernimento e não sabe o que fazer? Ela é uma falsa líder. Se não a dispensar, você estará protegendo uma falsa líder, impedindo o trabalho de limpar a igreja e sendo uma pedra de tropeço”. Eu não soube o que fazer diante dessa crítica inesperada. Me senti muito incomodada. Em apenas dois dias, ela tinha me acusado de várias condutas de um anticristo, como punir alguém, ser autocrática, proteger uma falsa líder e impedir o trabalho de limpar a igreja. Todas essas coisas ofendem o caráter de Deus e poderiam levar à minha expulsão da igreja. A ideia de que os meus anos de fé poderiam terminar desse jeito me deixou agitada, e foi muito doloroso para mim. Não consegui segurar as lágrimas. Quando me viu chorar, Liu Ping me perguntou o que eu estava pensando. Na verdade, eu me sentia injustiçada. Eu só não tinha certeza sobre a conduta daquela líder, mas não estava querendo protegê-la. Se não estivesse lidando bem com isso, ela poderia ter comungado para me ajudar e apoiar, não criticar e me condenar arbitrariamente. Eu não quis aceitar isso. Eu temia que ela diria que eu não aceitava a verdade e que estava procurando algo para usar contra ela, então seria apenas uma questão de tempo até eu ser dispensada e expulsa. Também pensei que era verdade que eu não tinha dispensado a falsa líder de imediato. Portanto, ela devia estar criticando a natureza das minhas ações. Além disso, ela conhecia a verdade e tinha discernimento, portanto devia estar certa sobre os meus problemas. Eu só não percebia isso e devia aceitar a crítica dela. Sem ser sincera, eu disse: “Você está certa sobre os meus problemas. Eu aceito, e vou refletir sobre mim mesma”. Na verdade, eu estava transtornada; achava que tinha cometido muitas transgressões diante de Deus. Me perguntava se Ele tinha me rejeitado. Foi a primeira vez que eu fui repreendida assim, e eu não soube como passar por isso. Achei que ser líder é perigoso demais, é como andar no fio de uma navalha. Eu não sabia o que faria que talvez ofenderia a Deus, e então o meu desfecho não estaria garantido. Achei que seria melhor renunciar e evitar esse tipo de situação. Assim, pelo menos, eu teria chance de permanecer na igreja.

Naquela noite, fui de bicicleta pegar umas coisas para Liu Ping, quando, de repente, caí e rolei alguns metros. Machuquei bastante os pés e as mãos. Fiquei deitada ali no chão, com muita dor. Nem sei como consegui levantar. Eu não queria voltar para a nossa casa de reuniões, temendo que a Liu Ping veria os meus ferimentos e diria que Deus estava me disciplinando porque eu tinha ofendido o Seu caráter. Fiquei andando pra lá e pra cá na estrada por eras, então, finalmente, reuni coragem para voltar. Quando cheguei, larguei as coisas e corri para o banheiro para lavar meus ferimentos, não queria que Liu Ping os visse. Enquanto cuidava deles, percebi que não tinha sido acidente, que a vontade de Deus estava ali. Eu orei: “Ó Deus, sinto-me péssima agora. Não sei como passar por isso. Por favor, guia-me pra entender a Tua vontade”. Depois de orar, pensei que a Liu Ping estava me criticando arbitrariamente e me rotulando sem entender o contexto. Aquilo era correto? Então me lembrei de uma passagem das palavras de Deus. “Se, como líder de igreja ou obreiro, vocês devem guiar os escolhidos de Deus a entrar na realidade da verdade e a dar testemunho correto de Deus, é de suma importância que vocês guiem as pessoas a passar mais tempo lendo as palavras de Deus e comungando a verdade, para que os escolhidos de Deus possam ter um conhecimento mais profundo dos objetivos de Deus em salvar o homem e do propósito da obra de Deus e para que eles possam entender a vontade de Deus e Suas várias exigências ao homem, permitindo assim que eles entendam a verdade. Quando comungam e pregam, vocês devem ser reais e não se satisfazer em repetir palavras de doutrina. Quando comem e bebem as palavras de Deus, vocês devem se concentrar em praticar a verdade que entende, e somente quando a praticarem, vocês realmente entenderão a verdade. Ao experimentar as palavras de Deus, vocês só devem comunicar aquilo que sabem. Não se gabem, não exagerem, não façam observações irresponsáveis e não repitam simplesmente palavras de doutrina. Se você exagerar, as pessoas o detestarão e, depois, você se sentirá repreendido; isso simplesmente é inapropriado demais. […] Você consegue levar as pessoas a entender a verdade e entrar em sua realidade se você só lida com elas e passa sermões? Se a verdade que você comunga não for real, se não passar de palavras de doutrina, então, por mais que você lide com as pessoas e lhes passe sermões, isso será em vão. Você acha que, quando as pessoas têm medo de você, e fazem o que você lhes diz e não se atrevem a objetar, isso equivale a elas entenderem a verdade e serem obedientes? Esse é um grande erro; a entrada na vida não é tão simples assim. Alguns líderes são como um gerente novo que tenta causar uma forte impressão; eles tentam impor sua autoridade recém-encontrada aos escolhidos de Deus para que todos se submetam a eles, pensando que isso facilitará o seu trabalho. Se você carecer da realidade da verdade, não demorará e suas cores verdadeiras serão reveladas, sua estatura verdadeira será exposta e você poderá ser eliminado. Em alguns trabalhos administrativos, um pouco de tratamento, poda e disciplina é aceitável. Mas se você não for capaz de fornecer a verdadese você só for capaz de passar sermões nas pessoas e tudo o que fizer for explodir em fúria, isso é o seu caráter corrupto se revelando, e você mostrou o rosto feio da sua corrupção. Com o passar do tempo, os escolhidos de Deus serão incapazes de receber de você a provisão de vida, não ganharão nada real, e assim sentirão repulsa e nojo de você, e o evitarão” (‘Somente aqueles com a realidade da verdade podem liderar’ em “As declarações de Cristo dos últimos dias”). Isso me mostrou que os líderes devem sobretudo comunicar a verdade e suprir vida, e repreensões cegas não ajudam ninguém a ganhar a verdade. Quando a Liu Ping viu alguns problemas no meu trabalho, sem entender o contexto, ela me podou e lidou comigo cegamente e me rotulou, em vez de resolver os problemas reais. Depois, eu ainda não sabia onde tinha errado nem o que devia fazer, e só senti medo dela, fiquei deprimida e em alerta. Foi então que percebi que as críticas dela vinham de um raciocínio humano, e, em algumas coisas deterministas que ela disse, ela estava fazendo tempestade em copo d’água. Eu devia ter discernimento, e não simplesmente me submeter a isso. Esse pensamento me acalmou um pouco. Na época, eu só sabia que ela não devia lidar com as pessoas daquele jeito, que não era a vontade de Deus, mas não tentei discernir os motivos dela nem a natureza do comportamento dela.

Não demorou, e a igreja estava se preparando para as eleições, e Chen Xiao, minha parceira, era uma das candidatas. Ela se importava demais com status e reputação, estava sempre lutando por isso e era muito invejosa. Como não venceu, ela ficou negligente e descarregou a raiva no dever. Vários colegas se sentiram constrangidos por ela. Ela era muito egoísta, também, só pensava nos seus interesses no dever, não nos interesses da casa de Deus. Ela temia ofender as pessoas, por isso demorava a agir quando apareciam falsos líderes na igreja, o que prejudicava o trabalho da igreja. Vários obreiros achavam que ela não buscava a verdade e não tinha humanidade boa, que não era uma candidata boa. Eu não tinha tanta certeza, então conversei com a Liu Ping sobre ela. Na época, nada. Depois, no dia da eleição, ela encorajou a Chen Xiao a votar pra si mesma. Então, com o encorajamento dela, Chen Xiao conseguiu chegar ao turno final das eleições. Fiquei perplexa ao ver isso. Os Arranjos de Trabalho dizem: “Não importa a pessoa que for estabelecida num papel de liderança, desde que haja objeções, mais observação será exigida. Jamais devemos promover alguém cegamente, e enquanto aguardamos e ganhamos um entendimento melhor, os eventos poderão mudar a qualquer momento e um candidato mais apto poderá aparecer” (“Arranjos de trabalho”). “Na eleição da igreja, ninguém pode designar um candidato ou deliberadamente incitar ou forçar as pessoas escolhidas de Deus a votar de acordo com a vontade de certas pessoas. Isso é um ato que interfere nos direitos humanos e contraria a verdade” (“Arranjos de trabalho”). Eu tinha conversado com a Liu Ping sobre os problemas de Chen Xiao, e ela não só não investigou isso, como a apoiou abertamente, levando outros a votar nela. Liu Ping tinha um dever tão importante. Como ela podia ser tão negligente em algo tão importante quanto a eleição de um líder? Ela estava ciente de que Chen Xiao tinha problemas, mas continuou apoiando. Isso não prejudicava os irmãos? Perceber isso me deu a coragem de mencionar os problemas de Chen Xiao mais uma vez. Ela voltou a fazer o que estava fazendo, sem dizer nada. Fiquei perplexa e comecei a duvidar de mim mesma. Eu tinha sido injusta com a Chen Xiao? Caso contrário, por que a Liu Ping nem me respondia? Ela diria que eu estava perturbando a eleição da igreja, eliminando adversários porque eu mesma queria ser líder? Aos olhos de Liu Ping, eu já tinha cometido tantas transgressões. Se continuasse mencionando os problemas de Chen Xiao, ela poderia me dispensar ou determinar que eu era um anticristo, uma malfeitora, e me expulsar. E já que a Liu Ping era uma líder superior, eu achei que ela devia entender mais verdades do que eu. Ela tinha apoiado a Chen Xiao como líder em potencial, então isso significava que Chen Xiao estava bem e daria conta desse dever. Eu devia me submeter e buscar como praticar.

Confrontada com esse resultado, eu me senti muito desconfortável. Depois de assumir um papel de liderança, Chen Xiao continuou lutando por poder e status, formou panelinhas e teve conflitos por inveja. Ninguém conseguia cooperar em harmonia, e os deveres foram impactados. Isso também atrasou muitos projetos da igreja. Eu estava num dilema. Se mencionasse os problemas dela, Liu Ping poderia dizer que eu estava sendo injusta. Mas se me calasse, eu não teria paz no coração. Eu não sabia o que fazer. Mais tarde, vim para diante de Deus e pedi que Ele me guiasse. Não demorou, e recebi uma carta de uma líder superior, dizendo que algumas pessoas tinham denunciado a Liu Ping. Diziam que ela sempre falava de doutrina, exaltava a si mesma e se exibia para ser admirada pelos outros, e o trazia pra diante de si mesma. E ela tendia a repreender as pessoas, rotulando e condenando casualmente e deixando-as desencorajadas no dever. Ela era muito arbitrária ao nomear pessoas, promovia as pessoas como queria, priorizava aquelas que lhe agradavam, prejudicando muito o trabalho da casa de Deus. Ela foi ardilosa na eleição, também. Quando uma irmã fez uma sugestão, ela a atacou e dispensou e estava prestes a expulsá-la. Ela foi identificada como anticristo com base no seu comportamento, e a líder queria que escrevêssemos sobre o comportamento dela. Fiquei perplexa quando li a carta. Eu nunca teria imaginado que alguém que eu considerava ser uma boa líder fosse um anticristo. Analisando seus comportamentos malignos e me lembrando de todas as nossas interações, eu vi que não era que eu não tinha discernimento nem consciência, mas que nunca tinha aplicado o meu discernimento. A essa altura, senti muito remorso. Não sabia por que eu era tão entorpecida.

Então li algumas das palavras de Deus à luz da conduta da Liu Ping. As palavras de Deus dizem: “Apesar da maneira com que falam, é sempre para fazer com que as pessoas os tenham em alta estima e os adorem, para alcançar certa posição no coração delas, até mesmo para ocupar o lugar de Deus alitudo isso são objetivos que os anticristos desejam alcançar quando testemunham para si mesmos. A motivação por trás de tudo que dizem, pregam e comunicam é fazer com que as pessoas os tenham em alta estima e os venerem; tal comportamento é exaltar e testemunhar de si mesmos, a fim de ocupar uma posição no coração dos outros. Embora a maneira com que essas pessoas falam não seja totalmente igual, ela tem, em maior ou menor grau, o efeito de testemunhar de si mesmas e fazer com que as pessoas as venerem; e em medida maior ou menor, esses comportamentos existem em quase todos que trabalham. Se eles chegam a um ponto, o ponto em que não conseguem se deter ou se tornam difíceis de conter, e eles têm intenção e objetivo particularmente fortes e óbvios de fazer com que as pessoas os tratem como se fossem Deus ou algum tipo de ídolo, e então eles conseguem alcançar o objetivo de controlar e restringir as pessoas, e chegam ao ponto de levá-las a se submeter, a natureza de tudo isso é exaltar e testemunhar de si mesmo; tudo isso faz parte da natureza de um anticristo. Que meios as pessoas costumam usar para se exaltar e testemunhar de si mesmas? (Elas falam de capital.) O que inclui falar de capital? Falar sobre há quanto tempo acreditam em Deus, sobre quanto sofreram, sobre o preço que pagaram, quanto trabalho fizeram, até onde viajaram, quantas pessoas ganharam espalhando o evangelho e quanta humilhação tiveram que suportar. Algumas pessoas também falam com frequência sobre quantas vezes estiveram na prisão sem nunca entregar a igreja, ou os irmãos e irmãs, ou sem deixar de ser firmes em seu testemunho, e assim por diante; tudo isso são exemplos de falar sobre quanto capital elas possuem. Sob o pretexto de cumprir os deveres de líderes, elas administram uma operação própria, consolidando sua posição, criando uma boa impressão no coração das pessoas. Ao mesmo tempo, usam todos os métodos e truques para conquistar as pessoas, chegando até a atacar e excluir qualquer pessoa que tenha opiniões ou pontos de vista diferentes dos seus, especialmente aqueles que buscam a verdade. E quanto às pessoas que são estúpidas, ignorantes e confusas em sua fé, bem como as que só acreditam em Deus por pouco tempo, ou que são de estatura especialmente baixa, que métodos eles usam? Eles as enganam, atraem e até ameaçam, usando essas estratégias para alcançar seu objetivo de consolidar sua posição. Tudo isso são táticas dos anticristos” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). As palavras de Deus me deram alguma clareza sobre os objetivos e a essência das coisas que a Liu Ping fazia. Desde o nosso primeiro encontro, ela nunca exaltou nem deu testemunho de Deus nem falou sobre a própria corrupção ou fraquezas. Sempre se exibia, falava sobre como tinha identificado e exposto anticristos para que as pessoas pensassem que ela entendia a verdade e defendia o trabalho da casa de Deus. E ela sempre falava sobre como gerenciava o trabalho de várias igrejas e quanto os líderes superiores a valorizavam para que as pessoas pensassem que ela fazia trabalho prático e era segundo o coração de Deus. Ela exaltava e dava testemunho de si mesma assim, e estabelecia uma imagem positiva entre os irmãos. Era para ganhar admiração para poder enganar e controlar os outros. E quando dispensamos a irmã Wang sem a aprovação dela, em vez de investigar se isso estava alinhado com os princípios, ela só condenou casualmente. Quando perguntei sobre os problemas de uma líder, ela não comungou sobre a verdade para resolver as coisas ou para me ajudar a ganhar discernimento; só me condenou arbitrariamente. Ela atacava qualquer um que lhe dava feedback, sem nenhuma consideração pelos outros. Ela tratava os irmãos como inimigos mortais, e os repreendia como bem entendia, condenando e dispensando arbitrariamente para estabelecer a autoridade dela para que as pessoas tivessem medo de contrariá-la. Estava determinada a manter todos sob o controle dela. E estava sempre dando ordens, em vez de falar com os outros em pé de igualdade, como se ela não tivesse sido corrompida por Satanás e fosse diferente de todos. Ela até usava as palavras de Deus para repreender e condenar os outros, agindo como se tivesse sido purificada e aperfeiçoada, como se fosse dona da verdade. Toda a sua essência de anticristo devia ser trazida à luz. Antes da eleição com Chen Xiao, a casa de Deus tinha comungado tantas vezes sobre os padrões para líderes, que eles devem buscar a verdade e ter humanidade boa. Depois de todos os seus anos de trabalho, não era que Liu Ping não conhecia os princípios, mas ela insistiu em escolher uma candidata inapta, e colocou uma falsa líder, um anticristo, numa posição importante. Ela ignorava os princípios da verdade e os arranjos de trabalho da casa de Deus. Ela era teimosa e autoritária e tratava Deus de igual para igual. Ela era uma ajudante de Satanás que viera para destruir o trabalho da casa de Deus. Ela não descansaria antes de conseguir isso. Vi como os anticristos são cruéis e malignos. Mas eu era cega e tola. Tratei um anticristo como alguém que tinha a realidade da verdade, achando que ela entendia a verdade, que ela tinha discernimento e experiência, e por isso eu não investiguei se ela seguia os princípios nem refleti sobre que tipo de motivos vis ela estava escondendo. Eu não estava sendo lúcida.

Lembrei-me de que a líder disse, na carta que alguns irmãos denunciaram a Liu Ping a partir de um senso de justiça. Foi difícil, para mim, ler isso. Eu também tinha conhecido esse anticristo; por que, então, outros tiveram discernimento e a denunciaram com base nos princípios, e eu, embora soubesse que ela não estava seguindo os princípios da verdade, aceitei tudo cegamente em vez de ter discernimento? Quanto mais refletia sobre isso, mais transtornada eu ficava. Então vim para diante de Deus para refletir sobre mim mesma. E li uma passagem das palavras de Deus. “Há algumas pessoas que são enganadas com frequência por aquelas que, exteriormente, parecem espirituais, nobres, superiores e grandiosas. Quanto a essas pessoas que podem falar com eloquência sobre letras e doutrinas, e cujo discurso e ações parecem dignos de admiração, os que são enganados por elas nunca olharam para a essência de suas ações, os princípios por trás de seus feitos, quais são os seus objetivos. Ademais, eles nunca se perguntaram se essas pessoas obedecem a Deus verdadeiramente, nem se são ou não pessoas que genuinamente temem a Deus e evitam o mal. Eles nunca discerniram a substância da humanidade dessas pessoas. Pelo contrário, desde o primeiro passo para a familiarização, pouco a pouco, passaram a admirar e venerar essas pessoas, e, no fim, essas pessoas se tornam seus ídolos. […] Existe somente uma causa original que faz as pessoas terem essas ações e pontos de vista ignorantes, ou opiniões e práticas unilateraise, hoje, Eu lhes contarei a respeito disso: a razão é que, apesar de que as pessoas seguem a Deus, oram a Ele todos os dias e leem a palavra de Deus todos os dias, na verdade, elas não entendem a vontade de Deus. Essa é a raiz do problema. Se uma pessoa entende o coração de Deus, entende do que Ele gosta, o que Ele odeia, o que Ele quer, o que Ele rejeita, que tipo de pessoa Ele ama, de que tipo de pessoa Ele não gosta, que tipo de padrão Ele aplica às Suas demandas ao homem, que tipo de abordagem Ele usa para aperfeiçoar o homem, essa pessoa ainda pode ter ideias próprias? Pessoas como essa podem simplesmente adorar outra pessoa? Uma pessoa comum pode se tornar ídolo dela? Se uma pessoa entende a vontade de Deus, seu ponto de vista é um pouco mais racional do que isso. Ele não idolatrará, de forma arbitrária, uma pessoa corrupta, tampouco acreditará, enquanto percorre a senda de colocar a verdade em prática, que aderir arbitrariamente a algumas regras simples ou princípios é o mesmo que colocar a verdade em prática” (‘Como conhecer o caráter de Deus e os resultados que Sua obra alcançará’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, eu vi que eu tinha adorado e admirado Liu Ping cegamente porque eu não estava concentrada em buscar a verdade e não entendia Deus nem um pouco. Eu não sabia que tipo de pessoa Ele ama, que tipo de pessoa Ele odeia, nem conhecia Seus padrões para avaliar pessoas. Eu olhava para as pessoas com base nas minhas noções, só me concentrava em seus dons superficiais e na sua eloquência. Quando conheci a Liu Ping, vi sua rapidez ao demitir e expulsar um anticristo e imediatamente tive uma imagem altiva dela. Então, nas reuniões, eu a ouvi falando sobre como ela tinha exposto e dissecado anticristos, avançado o trabalho da igreja, o trabalho importante que ela gerenciava e como os líderes superiores a valorizavam. Eu a adorei ainda mais, achando que ela tinha a realidade da verdade. Até me senti honrada por estar numa reunião com uma líder igual a ela. Então, embora ela me criticasse cegamente e me rotulasse quando perguntava sobre o meu trabalho, eu não tive discernimento, só aceitei e me submeti a isso. Mesmo quando fiquei tão negativa após ser tratada que quis desistir, eu só continuei refletindo sobre mim mesma. Eu tinha a orientação das palavras de Deus e sabia que ela estava agindo errado, mas não tentei discernir a essência de suas ações. Dentro de poucas semanas, passei de admirá-la a adulá-la, e Deus perdeu Seu lugar no meu coração. Eu não era uma crente; eu estava seguindo e adorando uma pessoa.

Ao refletir, percebi que eu tinha a perspectiva errada. Achava que, já que a Liu Ping era a líder responsável por todas essas igrejas e era boa em comungar, ela devia ter a realidade da verdade. Eu achava que ela não podia errar e não apliquei discernimento. Então li algumas palavras de Deus que me ajudaram a ver se alguém tem realidade. As palavras de Deus dizem: “Erguer as palavras de Deus e ser capaz de explicá-las despudoradamente não significa estar de posse da realidade; as coisas não são tão simples como você imagina. Estar de posse da realidade não tem por base o que você diz; antes, tem por base o que vive. Só quando as palavras de Deus se tornam a sua vida e a sua expressão natural você pode dizer que tem realidade, e só então pode ser contado como tendo ganhado entendimento verdadeiro e estatura real. Você precisa ser capaz de suportar o exame por longos períodos de tempo e precisa ser capaz de viver a semelhança que é exigida por Deus. Isso não deve ser mera pose; precisa fluir de você naturalmente. Só então você possuirá realidade verdadeiramente, e só então terá ganhado vida” (‘Só pôr a verdade em prática é possuir realidade’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Como você pode determinar se uma pessoa possui a realidade da verdade? Isso pode ser visto a partir do que ela diz. Uma pessoa que só fala palavras de doutrina não possui a realidade da verdade e certamente não praticará a verdade, portanto o que ela diz é vazio e irrealista. As palavras de alguém que tem a realidade da verdade podem resolver os problemas das pessoas. Ele consegue enxergar a essência dos problemas. Com apenas algumas palavras simples, um problema que tem incomodado você por muitos anos pode ser resolvido; você entenderá a verdade e a vontade de Deus, as coisas deixarão de ser difíceis para você, você deixará de se sentir preso e constrangido, e ganhará liberdade e libertação. O que essa pessoa diz é a realidade da verdade? Se você não entender o seu problema, não importa o que ela diga, e nada que diz resolver sua causa principal, então o que ela diz são palavras de doutrina. Palavras de doutrina podem prover e ajudar as pessoas? Palavras de doutrina não podem prover nem ajudar as pessoas nem resolver problemas reais. Quanto mais palavras de doutrina são ditas, mais o ouvinte se aborrece. As pessoas que entendem a verdade falam de forma diferente. Com poucas palavras, conseguem apontar a causa principal do problema ou a origem da doença. Uma frase somente pode despertar as pessoas e identificar as questões-chave. Isso é utilizar palavras que possuem as realidades da verdade para resolver as dificuldades das pessoas e apontar a senda de prática” (A comunhão de Deus). As palavras de Deus são claras. A pessoa ter realidade não tem nada a ver com eloquência nem com quanto trabalho importante ela fez, mas se ela pratica a verdade quando surgem problemas, se ela consegue fazer as coisas segundo os princípios, defender o trabalho da casa de Deus, se é devota no seu dever. É isso que é necessário para ter a realidade da verdade. Algumas pessoas têm calibre bom e um entendimento decente das palavras de Deus, mas nunca as colocaram em prática, por isso tudo que dizem é dogmático. Elas não têm nada a dizer sobre a realidade, sobre os detalhes da verdade, e não conseguem resolver problemas reais. Não seguem princípios no dever, só fazem o que querem. Tudo que fazem serve para proteger seu status e reputação, sem considerar os interesses da igreja. Elas não têm a realidade da verdade. E a Liu Ping tinha feito muito trabalho, mas nunca exaltava nem dava testemunho de Deus, e não compartilhava suas experiências das palavras de Deus para ajudar os outros. Ela só cuspia doutrina, se exibia, para que as pessoas a admirassem. Ao resolver problemas, ela não compartilhava princípios da verdade nem sugeria sendas de prática, só se concentrava num problema para culpar e condenar os outros. Quando não a informamos antes de dispensar a irmã Wang, ela nos acusou de sermos ditatoriais. Quando eu estava insegura em relação aos problemas de uma líder e lhe perguntei, ela me criticou por abrigar uma falsa líder intencionalmente, por ser obstáculo e pedra de tropeço no trabalho de limpeza da igreja. Ela até me acusou de ser um anticristo. Depois de ouvir isso, eu não tive um entendimento real do que eu tinha feito. Eu não tinha certeza se tinha cometido um mal, ou se só tinha manifestado corrupção, ou se tinha cometido alguns erros no meu trabalho. Eu não só não entendi a verdade, como fiquei com muito medo e me protegi de Deus. Percebi que ela não conhecia a verdade nem tinha sua realidade, e não conseguia lidar com problemas reais. Ela era muito arrogante, também, por natureza. Principalmente em algo tão importante como escolher um líder, ela não buscou a verdade, e violou abertamente os princípios e fez seu próprio jogo. Ela não tinha reverência por Deus e não agia com base nos princípios, só resistia a Deus e perturbava o trabalho da casa de Deus. Ela não tinha mesmo a realidade da verdade. Ainda assim, eu a adorava cegamente, o que era muita tolice minha.

Mais tarde, li algumas das palavras de Deus. “Quando alguém é escolhido para ser um líder pelos irmãos e irmãs ou é promovido pela casa de Deus para fazer determinado trabalho ou cumprir certo dever, isso não significa que ele tem um status ou identidade especial nem que as verdades que ele entende são mais profundas e mais numerosas do que as de outras pessoasmuito menos significa que essa pessoa é capaz de se submeter a Deus e que não O trairá. Tampouco significa que ela conhece Deus e que é alguém que teme a Deus. Na verdade, ele não alcançou nada disso; a promoção e a cultivação são meramente promoção e cultivação no sentido mais direto. Sua promoção, sua cultivação significa simplesmente que ele foi promovido e aguarda cultivação. E o desfecho último dessa cultivação depende da senda que a pessoa trilha e daquilo que busca. Assim, quando alguém na igreja é promovido e cultivado para ser um líder, ele é meramente promovido e cultivado no sentido mais direto; não significa que já é um líder qualificado ou competente, que já é capaz de realizar o trabalho de um líder e que já pode fazer trabalho verdadeiroeste não é o caso. Quando alguém é promovido e cultivado para ser líder, o mínimo que deve possuir é algo que a maioria das pessoas não vê claramente. Algumas pessoas, confiando em suas imaginações, admiram aqueles que são promovidos e cultivados, mas isso é um erro. Por maior o número de anos que tenham crido, aqueles que são promovidos realmente possuem a realidade da verdade? Não necessariamente. Eles são capazes de fazer com que os arranjos de trabalho da casa de Deus rendam frutos? Não necessariamente. Eles têm um senso de responsabilidade? Eles possuem dedicação? São capazes de se submeter a Deus? Quando depara com um problema, ela é capaz de buscar a verdade? Tudo isso é incógnito. Essas pessoas têm um coração que teme a Deus? E quão grande, exatamente, é seu temor de Deus? Elas são propensas a seguir a própria vontade quando fazem as coisas? São capazes de buscar a Deus? Durante o tempo em que realizam o trabalho de líder, elas vêm para diante de Deus regular e frequentemente para buscar a vontade de Deus? São capaz de guiar as pessoas na entrada na realidade da verdade? Certamente são incapazes de fazer tais coisas de imediato. Não receberam treinamento e não têm experiência suficiente, então são incapazes dessas coisas. É por isso que promover e cultivar alguém não significa que ele já entende a verdade, nem significa dizer que ele já é capaz de cumprir seu dever satisfatoriamente. […] As pessoas não devem ter expectativas altas ou fazer exigências irreais àqueles que são promovidos e cultivados; isso seria insensato e injusto com eles. Vocês podem monitorar seu trabalho, e se descobrem problemas ou coisas que violam os princípios no decorrer de seu trabalho, vocês podem levantar o problema e buscar a verdade para resolver essas questões. O que não devem fazer é julgar, condenar, atacar ou excluí-los, pois eles estão no período de cultivação e não devem ser vistos como pessoas que foram aperfeiçoadas, muito menos como pessoas aperfeiçoadas ou como pessoas que possuem a realidade da verdade. […] Por que Eu digo isso? Para dizer a todos que devem abordar corretamente a promoção e a cultivação de vários tipos de talentos feitas pela casa de Deus e que não devem ser duros nas exigências que fazem a essas pessoas. Naturalmente, as pessoas também não devem ser irreais em suas opiniões sobre elas. É tolo estimar ou reverenciá-las excessivamente, e não é humano ou realista ser excessivamente duro nas exigências que se fazem a elas” (“Identificando falsos líderes (5)”). As palavras de Deus me mostraram que ser eleito como líder não significa que alguém tem a realidade ou pode fazer trabalho real, que é um líder apto e qualificado. Ele é igual a todos os outros, tem caracteres corruptos e também viola os princípios da verdade no trabalho. Ele precisa de julgamento, castigo e da poda de Deus e da supervisão dos outros. Ser promovido ou cultivado pela casa de Deus é uma chance de praticar, mas o mais importante para ganhar a verdade é a senda que ele trilha, se ele consegue buscar a verdade. Algumas pessoas têm calibre, buscam a verdade e podem assumir trabalho na casa de Deus, então são promovidas. Isso só significa que elas recebem a chance de praticar e de ser treinadas. Se, depois de um tempo, elas ainda não parecem aptas e não conseguem trilhar a senda certa, quando interrompem o trabalho da igreja, a casa de Deus pode demiti-las a qualquer momento. Como a Liu Ping — quando ela foi promovida e recebeu a chance de treinar, ela não buscou a verdade nem trilhou a senda certa. Embora fosse líder, tudo que fez foi interromper o trabalho da casa de Deus, e ela acabou sendo eliminada. Mas eu estava seguindo as minhas noções, achando que, já que ela era a líder, ela devia ter mais realidade da verdade e percepção do que eu. Então não apliquei discernimento a ela, e só adorei e me submeti a ela. As palavras de Deus me mostraram que não devemos admirar líderes e obreiros cegamente nem ter exigências altas demais, mas abordá-los corretamente e aprender a aplicar discernimento e supervisão e, ao mesmo tempo, apoiá-los e cooperar com eles. Se são corretos e o que dizem está alinhado com a verdade, se defendem o trabalho da casa de Deus, devemos aceitar e obedecer. Se eles não fazem trabalho prático ou estão cometendo o mal e perturbando o trabalho da igreja, devemos nos manifestar, expor, denunciar e dispensá-los. E vi a crítica arbitrária da Liu Ping e soube que isso não refletia a verdade e que ela estava fazendo tempestade em copo d’água, mas mesmo assim só olhei para mim. Eu fui tão tola. Eu sabia, também, que Deus estabeleceu essa situação prática para que eu ganhasse discernimento, mas eu não me concentrei em buscar a verdade nem em aprender uma lição. Eu fui enganada por um anticristo. Eu recebi o que mereci. Isso me encheu ainda mais de remorso e culpa, e eu me senti tão arrependida, dão endividada com Deus. Eu fiz uma oração: “Deus, sou tão covarde. Quando estava sendo oprimida e enganada por uma falsa líder, um anticristo, e aceitei cegamente em vez de aplicar discernimento, e isso interrompeu o trabalho da casa de Deus. Deus, quero me arrepender e parar de me proteger. Quero me levantar, expor e denunciar os feitos malignos da Liu Ping”. Depois disso, expus honestamente a maldade da Liu Ping. Logo depois, recebi a resposta de um líder de que a Liu Ping tinha cometido muito mal e não queria se arrepender, que foi identificada como um anticristo e expulsa da igreja. Eu fiquei contente e também refleti sobre a tendência da Chen Xiao de se lançar em brigas internas, de iniciar rivalidades e minar os outros. E ela não queria se arrepender, uma falsa líder, de verdade. Alguns obreiros e eu escrevemos um relatório sobre ela, e a líder nos instruiu a dispensá-la com base nos princípios. Por meio das denúncias de outros irmãos, eu vi que a Chen Xiao era obcecada por poder e cometeu muito mal para proteger seu status. Ela foi expulsa por ser um anticristo.

Essas experiências me mostraram como é importante buscar a verdade e ver as pessoas através das palavras de Deus. Seguir noções ao interagir com líderes, ver apenas seu calibre, dons e status, adorá-los e segui-los cegamente é resistir e trair a Deus. Em casos sérios, você pode acabar cometendo o mal com eles e perder sua chance de ser salvo. Aprender a discernir pessoas e eventos diferentes e reconhecer os motivos e as táticas por trás daquilo que os falsos líderes e os anticristos dizem e fazem é o único jeito de evitar ser constrangido e enganado, é o único jeito de permanecer firme.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Entre em contato conosco pelo WhatsApp