Como crescer por meio de fracassos e contratempos

26 de Outubro de 2022

Por Sheila, Filipinas

Eu aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias em dezembro de 2020. Fui eleita líder de igreja alguns meses depois. Havia muito trabalho a ser feito e muitos problemas a serem resolvidos na igreja. Eu me dediquei a isso com entusiasmo. Depois de um tempo, eu me familiarizei um pouco com o trabalho da igreja, mas ainda estava me deparando com muitos problemas. Muitos recém-convertidos não participavam das reuniões regularmente. Alguns estavam sendo impactados por boatos na internet, alguns não entendiam as verdades de visões e tinham noções religiosas não resolvidas, e outros não podiam participar das reuniões porque estavam muito ocupados no emprego. Confrontada com esses problemas, eu trabalhei muito para comungar a vontade de Deus para ajudá-los na dificuldade, mas seus problemas não foram resolvidos. Eu estava muito frustrada. Eu me perguntava o tempo todo por que todo o meu trabalho não estava dando frutos. Por que Deus não estava abençoando nossa igreja? Os irmãos tinham tantos problemas, e minhas muitas comunhões tinham falhado. Talvez eu não fosse apta para a liderança? Eu me repreendi: eu era a causa de tudo aquilo. Se eu assumisse responsabilidade e deixasse o cargo, outra pessoa poderia servir como líder, e o trabalho poderia ter mais sucesso. Comecei a ficar desanimada e passiva no meu dever, esperando ser dispensada. Até pensei que Deus estava estabelecendo essas dificuldades para me expor, para me levar ao fracasso, e que, provavelmente, Ele já tinha me abandonado. Esse pensamento me assustou. Deus tinha me abandonado? Eu estava orando e buscando, mas ainda assim não entendia a vontade de Deus. A ideia de que Deus tinha me abandonado ficava voltando de vez em quando. Eu estava deprimida, exausta e fraca o tempo todo. Estava com muito medo e achava que não tinha mais a obra do Espírito Santo.

À igreja faltavam alguns líderes de equipe, por isso o supervisor sugeriu alguns recém-convertidos. Eu os nomeei diretamente, sem analisar muito as coisas. No início, todos disseram que queriam assumir um dever, mas quando começaram oficialmente, um disse que precisava trabalhar e estava ocupado, por isso não podia assumir o trabalho, outro se atrasava para as reuniões por causa de questões familiares e, por isso, também não podia assumir o trabalho. No fim, determinei que, por ora, eles não eram aptos a serem cultivados como líderes de equipe. Trabalhei muito para resolver essas dificuldades que enfrentava no trabalho, mas não estava obtendo resultados. Na hora, eu não consegui suportar todos esses fracassos. Eu estava negativa e até temia enfrentar cada novo dia. Não queria mais fazer o trabalho de igreja, pois tinha trabalhado muito, mas não tinha realizado nada. Achei que estava enfrentando essa situação porque Deus queria me expor como incompetente, mas eu não queria me permitir cair nesse tipo de estado. Eu não queria ser exposta e expulsa porque não estava obtendo resultados em meu dever.

Uma vez, em meus devocionais, eu deparei com “Os princípios para assumir responsabilidade e renunciar”: “Qualquer falso líder ou falso obreiro que não aceitar a verdade, que não for capaz de fazer um trabalho prático e que, por algum tempo, for privado da obra do Espírito Santo deve assumir responsabilidade e renunciar” (170 Principles of Practicing the Truth). Ler isso me deixou ainda mais negativa. O que eu deveria fazer? Eu não tinha resolvido nenhum problema da igreja, portanto era uma falsa líder. Eu devia assumir responsabilidade e renunciar para permitir que uma pessoa competente se tornasse líder? Eu já tinha feito o trabalho de igreja por três meses, mas ainda não tinha resolvido os problemas que existiam na igreja. E nessa situação, eu não entendia a vontade de Deus e não tinha feito nenhum progresso. Eu até estava entendendo Deus errado. Eu temia que os outros pensassem que eu era negativa demais e que eles me repreendessem por pensar em renunciar.

Numa reunião, li isto nas palavras de Deus: “Você é uma pessoa comum. Você deve passar por muitos fracassos, muitos períodos de confusão, muitos erros de julgamento e muitos desvios. Isso pode expor totalmente o seu caráter corrupto, suas fraquezas e deficiências, sua ignorância e tolice, capacitando você a reexaminar e conhecer a si mesmo e a ter conhecimento da onipotência e da plena sabedoria de Deus, de Seu caráter. Você ganhará coisas positivas Dele e virá a entender a verdade e entrará na realidade. Haverá muita coisa em meio à sua experiência que não irá como você deseja, contra o que sua vontade se sentirá impotente. Nesses casos, você deve buscar e esperar; você deve ganhar de Deus a resposta a cada questão e entender, a partir de Suas palavras, a essência subjacente a cada questão e a essência de cada tipo de pessoa. É assim que uma pessoa comum e normal se comporta(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Valorizar as palavras de Deus é o fundamento da crença em Deus”). Deus é incrivelmente sábio. Ganhei um novo entendimento de como Deus opera. Vi que todos devem passar por alguns fracassos e contratempos em seu dever e que a vontade de Deus era que eu buscasse a verdade em tudo isso para resolver minha corrupção. Eu tinha enfrentado algumas dificuldades no meu dever e experimentado alguns fracassos, mas não tinha buscado a verdade nem a vontade de Deus. Eu só pensava em renunciar porque achava que não tinha tido sucesso no meu dever nem feito o que um líder deve fazer. Eu nem ousei falar com os outros sobre o meu estado. Eu era muito ignorante. Eu não entendia a vontade de Deus ou por que Deus permitiria que esse tipo de coisa acontecesse comigo. As palavras de Deus me mostraram que eu era uma pessoa normal, por isso, era normal que eu deparasse com algumas dificuldades e fracassos no meu dever. A vontade de Deus estava nisso. Assim, eu me abri com os irmãos sobre o meu estado recente e busquei a ajuda deles. Eu também lhes disse que pensava em assumir a responsabilidade e renunciar. Eles não me menosprezaram, mas me ajudaram e encorajaram e comungaram as palavras de Deus. Fiquei muito comovida.

Eles leram algumas das palavras de Deus Todo-Poderoso para mim. Deus diz: “Ao longo da sua experiência da obra de Deus, não importa quantas vezes tenha falhado e caído, quantas vezes tenha sido podado, tratado ou exposto, essas não são coisas ruins. Não importa como você foi podado ou tratado, nem se foi por líderes, obreiros ou seus irmãos e irmãs, tudo isso são coisas boas. Você deve se lembrar disto: não importa quanto você sofre; na verdade, você está se beneficiando. Qualquer um com experiência pode confirmar isso. Aconteça o que acontecer, ser podado, tratado ou exposto é sempre algo bom. Não é uma condenação. É a salvação de Deus e a melhor oportunidade para você conhecer a si mesmo. Isso pode fazer com que a sua experiência de vida mude de marcha. Sem isso, você não possuirá a oportunidade, a condição e nem o contexto para ser capaz de alcançar um entendimento da verdade de sua corrupção. Se você realmente entende a verdade e é capaz de desenterrar as coisas corruptas escondidas nas profundezas do seu coração, se você consegue distingui-las claramente, isso resolveu um grande problema de entrada na vida e é de grande benefício para as mudanças no caráter. Tornar-se capaz de verdadeiramente conhecer a si mesmo é a melhor oportunidade de você corrigir seus rumos e se tornar uma pessoa nova; é a melhor oportunidade de você obter uma vida nova. Quando conhecer a si mesmo de verdade, você será capaz de ver que, quando a verdade se torna sua vida, ela é realmente uma coisa preciosa, e você terá sede da verdade, praticará a verdade e entrará na sua realidade. Isso é uma coisa tão maravilhosa! Se você conseguir aproveitar essa oportunidade e refletir honestamente sobre si mesmo e ganhar um conhecimento genuíno de si mesmo sempre que você cair ou falhar, então, em meio à negatividade e fraqueza, você será capaz de se levantar de novo. Uma vez que você tiver ultrapassado esse limiar, você será capaz de tomar um grande passo à frente e entrar na realidade da verdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A fim de ganhar a verdade, deve-se aprender com as pessoas, questões e coisas próximas”). “A salvação da humanidade por parte de Deus é uma salvação daqueles que amam a verdade, uma salvação da parte dela com vontade e resolução, e a parte dela que é o seu anseio pela verdade e pela justiça em seu coração. A determinação de uma pessoa é a parte dela em seu coração que anseia por justiça, bondade e verdade e que possui consciência. Deus salva essa parte das pessoas, e, através disso, Ele muda o caráter corrupto delas, de modo que possam entender e ganhar a verdade, de modo que a corrupção delas seja purificada e o seu caráter de vida possa ser transformado. Se você não tem essas coisas dentro de você, você não pode ser salvo. […] Por que se diz que Pedro é um fruto? Porque há coisas de valor nele, coisas que valem a pena ser aperfeiçoadas. Ele buscou a verdade em todas as coisas, era determinado e tinha uma vontade firme; tinha razão, estava disposto a sofrer adversidade, ele amava a verdade em seu coração; ele não desistiu daquilo que aconteceu e foi capaz de aprender lições com todas as coisas. Todos estes são pontos fortes. Se você não tem nenhum desses pontos fortes, isso é um problema. Não será fácil para você ganhar a verdade e ser salvo. Se não souber como experimentar ou não tiver experiência, você não será capaz de resolver as dificuldades de outras pessoas. Visto que você é incapaz de praticar e experimentar as palavras de Deus, e não têm ideia do que fazer quando as coisas lhe acontecem, e se aborrececomeça a chorarquando se depara com problemas, e fica negativo e foge quando sofre algum pequeno contratempo, e é para sempre incapaz de reagir da forma corretapor causa de tudo isso, não é possível, para você, entrar na vida(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Depois da leitura, uma irmã comungou comigo: “Não importa que tipos de contratempos e fracassos enfrentamos, devemos orar e buscar a vontade de Deus, não desistir da verdade nem do nosso dever. Desistir do nosso dever não é a senda para resolver o problema. É só por meio dos problemas e dificuldades que encontramos no nosso dever que nossa corrupção e deficiências são reveladas e que nós podemos conhecer a nós mesmos. Sem essas experiências, é impossível vermos a nossa corrupção e o que nos falta. Como, então, poderíamos mudar? Então, experimentar fracasso e tropeços não é algo ruim. É quando devemos buscar a verdade e aprender uma lição — não podemos entender Deus errado. Se renunciássemos, se desistíssemos do nosso dever quando enfrentamos dificuldades, como experimentaríamos a obra de Deus e buscaríamos a salvação? Que testemunho teríamos? Deus não pede muito de nós. Se tivermos determinação quando enfrentamos problemas e adversidades e orarmos e buscarmos a verdade, Deus nos guiará e ajudará.” A comunhão dessa irmã foi muito esclarecedora para mim. Percebi que experimentar fracassos e tropeços é o amor de Deus e que é uma boa chance para eu buscar a verdade e aprender uma lição. Pensei em como Pedro experimentou muitas provações, refinamentos, contratempos e fracassos ao longo de sua vida. Às vezes, ele sofreu fraqueza carnal, mas nunca perdeu fé em Deus. Ele continuou buscando a verdade e a vontade de Deus, compensando o que lhe faltava. No fim, ele entendeu a verdade, e conheceu a Deus, e alcançou submissão e amor por Deus. Eu devia ser forte e resoluta como Pedro, vir para diante de Deus em oração e buscar Sua vontade quando enfrentasse contratempos e fracassos e refletir sobre o que me falta em vez de entender Deus errado e culpá-Lo.

Uma vez, em meus devocionais, li uma passagem das palavras de Deus que me ajudou a entender um pouco a vontade de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “As pessoas devem aprender a considerar as palavras de Deus e entender Seu coração. Não devem entender Deus errado. Na verdade, em muitos casos, a preocupação das pessoas provém de seus interesses. Em termos gerais, é o medo de que não terão desfecho algum. Sempre pensam: ‘E se Deus me desnudar, me expulsar e me rejeitar?’. Essa é a sua interpretação errada de Deus; são apenas os seus pensamentos. Você precisa descobrir qual é a intenção de Deus. Ele não desnuda as pessoas para expulsá-las. As pessoas são desnudadas a fim de expor as suas deficiências, seus erros e a essência da sua natureza, para levá-las a conhecer a si mesmas e a serem capazes de arrependimento verdadeiro; como tal, ser desnudado serve para ajudar as pessoas a crescer na vida. Sem uma compreensão pura, as pessoas tendem a interpretar Deus errado e a tornar-se negativas e fracas. Podem até ceder ao desespero. Na verdade, ser desnudado por Deus não significa necessariamente que as pessoas serão expulsas. Serve para lhes dar conhecimento e para levá-las a se arrepender. Muitas vezes, já que as pessoas são rebeldes e não buscam a verdade para encontrar uma resolução quando têm efusões de corrupção, Deus deve exercer disciplina. E por isso, às vezes, Ele desnuda as pessoas, expondo a sua fealdade e miséria, permitindo que elas conheçam a si mesmas, o que ajuda a sua vida a crescer. O desnudamento das pessoas tem duas implicações diferentes: para as pessoas perversas, ser desnudado significa que elas estão expulsas. Para aqueles que são capazes de aceitar a verdade, é um lembrete e um aviso; eles são levados a refletir sobre si mesmos, a ver o seu estado verdadeiro e a deixar de ser teimosos e imprudentes, pois continuar assim seria perigoso. Desnudar as pessoas dessa forma é lembrá-las, para que, quando cumprem o seu dever, elas não sejam confusas nem descuidadas, não sejam indiferentes, não se contentem em ser apenas um pouco eficazes, pensando que cumpriram o seu dever à altura de um padrão aceitávelquando, na verdade, se avaliadas de acordo com o que Deus exige, ficaram muito aquém das expectativas, mas ainda são complacentes e pensam que estão indo bem. Em tais circunstâncias, Deus disciplinará, alertará e lembrará as pessoas. Às vezes, Deus desnuda a sua fealdadeo que, evidentemente, deve servir como um lembrete. Em tais momentos, você deve refletir sobre si mesmo: cumprir o seu dever dessa forma é inadequado, há rebeldia envolvida, contém um excesso daquilo que é negativo, é inteiramente superficial e, se não se arrepender, você será punido. Quando Deus disciplina e desnuda você, isso não significa necessariamente que você será expulso. Essa questão deve ser abordada corretamente. Mesmo que você seja excluído, você deve aceitar e se submeter a isso, e se apressar a refletir e se arrepender(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente praticando a verdade e obedecendo a Deus pode-se alcançar uma mudança no caráter”). As palavras de Deus me mostraram que Seu propósito ao expor as pessoas não é excluí-las, mas levá-las a reconhecer sua corrupção e deficiências, para que elas possam buscar a verdade para resolver seus problemas e progredir na vida. Comecei a refletir sobre mim mesma. Confrontada com vários problemas e dificuldades, eu não ponderei nem busquei a vontade de Deus nem refleti sobre mim mesma para conhecer meus problemas. Eu achava que Deus estava usando essas situações para me expor e excluir, que eu não era apta a ser líder e que devia renunciar. Eu estava entendendo Deus errado. Então percebi que tantos problemas no trabalho continuavam irresolvidos porque eu não estava investindo meu coração no meu dever. Eu sempre achava que tinha tantas coisas a fazer, mas não tinha nenhuma orientação nem metas quando trabalhava. Eu fazia o que me vinha à mente sem buscar resultados. Algumas pessoas tinham sido enganadas por boatos, e eu não busquei que aspecto da verdade eu devia comungar para resolver as noções delas para que elas pudessem discernir esses boatos e permanecer firmes no caminho verdadeiro. E ao cultivar pessoas, eu não busquei os princípios para isso nem obtive um entendimento claro de suas circunstâncias, fiz isso cegamente. Como resultado, também não realizei nada nesse aspecto. Ao regar os recém-convertidos, eu não refleti sobre os aspectos da verdade que eu devia comungar para resolver seus problemas, por isso também não obtive resultados reais nisso. Embora, por fora, eu parecesse trabalhar muito, eu não estava sendo atenta nem resumindo os problemas no nosso trabalho de modo oportuno, o que significa que nada era realizado. Eu não só não refleti nem entendi a mim mesma, como não busquei as verdades em que devia entrar. Minha primeira reação foi empurrar a responsabilidade para cima de Deus, supondo que Ele estava me expondo, passando uma imagem ruim de mim. Eu estava sempre resmungando e não queria enfrentar fracassos e contratempos, só queria que a vida fosse sempre fácil, que tudo corresse sempre bem. Eu entendia Deus errado e O culpava diante da menor dificuldade. Como eu poderia experimentar a obra de Deus e cumprir bem o meu dever? Eu era tão insensata. Não é assim que um ser criado deve agir. Quando percebi isso, senti muito remorso e fiz uma oração a Deus: “Deus, Tu estabeleceste essa situação para me treinar, para me fazer crescer na vida, mas eu não entendi a Tua vontade — eu Te entendi errado. Eu sou tão rebelde. Por favor, guia-me e ajuda-me a entender meu caráter corrupto”. Depois disso, li uma passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso que me ajudou a me entender. Deus diz: “Tenho prazer nos que não suspeitam dos outros, e também gosto muito de quem prontamente aceita a verdade; demonstro grande zelo por esses dois tipos de pessoas, porque, a Meu ver, são pessoas honestas. Se for muito enganador, você terá um coração defensivo e pensamentos de suspeita em relação a todos os assuntos e a todas as pessoas, e por isso sua fé em Mim será edificada sobre um fundamento de suspeição. Eu jamais poderia reconhecer tal fé. Sem ter fé genuína, vocês se distanciarão ainda mais do amor real. E, se está propenso a duvidar de Deus e especular sobre Ele a bel-prazer, você, sem dúvida, é a mais enganadora de todas as pessoas. Você especula se Deus pode ser como um ser humano: imperdoavelmente pecaminoso, de caráter mesquinho, desprovido de equidade e razão, carente de um senso de justiça, dado a táticas viciosas, traiçoeiro e astuto, que se agrada com o mal e com a escuridão, e assim por diante. A razão de o homem ter tais pensamentos não é por não ter o menor conhecimento de Deus? Esse tipo de fé nada é senão pecado! Aliás, há até alguns que creem que aqueles que Me agradam não passam de aduladores e bajuladores e que quem carece dessas habilidades não será bem-vindo e perderá seu lugar na casa de Deus. Esse é todo o conhecimento que vocês juntaram nesses anos todos? Foi isso que vocês ganharam? E o conhecimento que vocês têm sobre Mim não se limita a esses mal-entendidos; ainda pior é a sua blasfêmia contra o Espírito de Deus e o seu aviltamento do Céu. Essa é a razão de Eu dizer que tal tipo de fé como a de vocês apenas os levará a afastar-se ainda mais de Mim e a intensificar sua oposição a Mim(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Como conhecer o Deus na terra”). Diante daquilo que as palavras de Deus revelam, fiquei muito envergonhada. Eu desconfiava de Deus e O entendia errado quando enfrentava fracassos e contratempos, imaginando-O como sendo frio e cruel como as pessoas. Achava que, quando Deus quer usar alguém, Ele permitiria que ele desfrutasse de Sua graça, caso contrário, Ele o expulsaria, o deixaria de lado e o ignoraria. Eu questionei e desconfiei de Deus com base na psicologia dos injustos. Eu fui tão astuta! Eu não era crente havia muito tempo, as verdades que eu entendia eram poucas, e eu tinha muitas falhas, mas ainda assim os irmãos me escolheram como líder, dando-me uma chance de praticar para que eu aprendesse a verdade mais rápido e entrasse na realidade da verdade. Embora a minha falta de atenção no meu dever resultasse numa falta de realizações, a igreja não me dispensou. Os outros ainda me ajudavam e encorajavam e comungavam as palavras de Deus, guiando-me a entender a vontade de Deus e a reconhecer minha corrupção e deficiências. Tudo que Deus estava fazendo era para me cultivar e salvar. Ele é tão bondoso e amável! Mas eu estava em guarda contra Deus, eu desconfiava Dele. Como isso era ter fé verdadeira em Deus? Eu tinha sido profundamente envenenada por Satanás, sempre seguia as mentiras de Satanás, como “não confie em ninguém, pois até sua sombra o deixará na escuridão” e “você não pode ser malicioso, mas deve permanecer em guarda”. Eu estava em guarda contra todos, até contra Deus. Isso me mostrou que o meu caráter astuto era muito severo e era exatamente daí que provinham minhas suspeitas e meus equívocos sobre Deus. Confrontada com dificuldades, eu questionava e entendia Deus errado, mas ainda assim Deus me guiou a entender a verdade, levando-me a ver meus problemas pessoais. Eu pude sentir o amor de Deus e como Sua salvação é real. Vim para diante de Deus e orei, pronta para me arrepender diante Dele e parar de viver segundo meu caráter astuto, que desconfiava de Deus e O entendia errado.

Mais tarde, li esta passagem das palavras de Deus: “Embora talvez você cumpra, agora, o seu dever com boa vontade e faça sacrifícios e se despenda de bom grado, se você ainda têm equívocos, especulações, dúvidas ou queixas em relação a Deus, ou até rebeldia e resistência contra Ele, ou se você usa vários métodos e técnicas para resistir a Ele e rejeitar Sua soberania sobre vocêse você não resolver essas coisas, será praticamente impossível que a verdade domine a sua pessoa, e a sua vida será exaustiva. Muitas vezes, as pessoas lutam e são atormentadas nesses estados negativos, como se presas num lamaçal, sempre vivendo entre verdades e falsidades, certos e errados. Como podem descobrir e entender a verdade? Para buscar a verdade, é preciso primeiro se submeter. Então, após um período de experiência, elas poderão ganhar certo esclarecimento, e a essa altura fica fácil entender a verdade. Se a pessoa está sempre tentando entender o que é certo ou errado e se enreda no que é verdadeiro ou falso, ela não tem como descobrir ou entender a verdade. E como será se ela nunca conseguir entender a verdade? Não entender a verdade gera noções e equívocos com relação a Deus; com equívocos, é fácil sentir-se lesado; quando queixas irrompem, elas se transformam em oposição; a oposição a Deus é resistência a Ele, e uma transgressão séria; e muitas transgressões se transformam em múltiplos males, e então a pessoa deve ser punida. Esse é o tipo de coisa que vem de ser sempre incapaz de entender a verdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente buscando a verdade pode-se resolver as noções e os equívocos sobre Deus”). Depois de ler isso, fiquei com medo por tudo que tinha acontecido. Se eu tivesse continuado vivendo num estado de negatividade, sem buscar a verdade, sem me abrir aos irmãos, eu teria continuado vivendo segundo meu caráter astuto, entendendo Deus errado. Então poderia ter culpado a Deus e resistido a Ele, o que teria constituído uma transgressão. Eu poderia até ter cometido o mal e agido contra Deus. Isso é perigoso! Naquele tempo, eu estava entendendo Deus errado e questionando Ele, meu estado negativo me controlava. Eu sempre temia que seria exposta e expulsa. Eu não me sentia livre — isso era tão cansativo. Em meu dever, eu só estava me esforçando e completando tarefas. Assim que apareciam problemas, eu entendia Deus errado e queria desistir. Foram as palavras de Deus que me guiaram a me abrir com os outros e a buscar a verdade e conhecer o meu caráter corrupto. Caso contrário, eu teria continuado a interpretar Deus errado e teria decidido desistir do meu dever. As consequências disso teriam sido assustadoras.

Mais tarde, li outra passagem das palavras de Deus que me deram uma senda de prática para quando eu encontrar problemas no trabalho da igreja. Deus diz: “Em relação aos problemas que surgem na igreja, não se encha com inquietações tão pesadas. No curso de edificar a igreja, erros são inevitáveis, mas não entre em pânico quando encontrar problemas; antes, fique calmo e controlado. Eu já não lhes disse? Venha diante de Mim com frequência e ore, e Eu claramente mostrarei Minhas intenções a você(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Declarações de Cristo no princípio, Capítulo 41”). As palavras de Deus me mostraram que se deparar com várias dificuldades no trabalho da igreja é inevitável. É perfeitamente normal, e Deus permite que isso aconteça. Quando encontrarmos dificuldades, contanto que oremos e confiemos em Deus, Ele nos guiará adiante. Alguns recém-convertidos que acabaram de aceitar a obra de Deus dos últimos dias não entendem totalmente as verdades de visões e ainda podem ser enganados por boatos. Eu precisava confiar mais em Deus e usar Suas palavras para expor os truques de Satanás e ajudar os recém-convertidos a criar raízes no caminho verdadeiro. Depois de entender a vontade de Deus, retomei o trabalho da igreja, resumi os erros e problemas que existiam no nosso trabalho anterior e me equipei com verdades relevantes para os problemas que os recém-convertidos enfrentavam e então ajudei a tratar deles por meio da comunhão. Quanto à cultivação de pessoas, primeiro busquei esses princípios e orei com meu coração, depois, nas reuniões, eu me concentrei em observar quem satisfazia os princípios para a cultivação. Selecionar pessoas desse jeito foi um pouco mais preciso. Às vezes, ainda me deparo com alguns fracassos e dificuldades no meu dever, mas agora vejo esses problemas a partir de outra perspectiva. Pergunto a mim mesma: que lição Deus quer que eu aprenda nessa situação? Eu oro, leio as palavras de Deus e busco uma senda de prática e aprendi a buscar ajuda de outros irmãos. Os outros apontam problemas em meu trabalho, e eu consigo ver minhas falhas e deficiências. Não acredito mais que Deus está tentando prejudicar minha imagem. Em vez disso, sinto que é uma chance de refletir sobre mim mesma, conhecer a mim mesma e buscar crescimento na vida. Uma vez, uma irmã me disse: “Percebi que você está mais paciente quando rega recém-convertidos, e quando depara com problemas, você busca a vontade de Deus melhor do que antes”. Fiquei muito comovida com isso. Embora tenha sido apenas uma mudança pequena em mim, eu tive uma experiência pessoal e real de que o amor e a salvação de Deus para a humanidade são puros e reais. Deus está sempre me guiando e conduzindo — Ele está ao meu lado. Estou mais determinada a cumprir meu dever e satisfazer a Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp