O que ganhei escrevendo meu testemunho

16 de Dezembro de 2022

Por Chengxin, Coreia do Sul

Recentemente, percebi que muitos irmãos escrevem testemunhos sobre suas experiências, e eu também quis ter a prática de escrever um. Eu tinha sido uma crente por anos, desfrutava tanto do sustento de Deus e tinha algumas experiências. Eu queria usar parte dos meus devocionais para escrever um artigo, mas sempre que escrevia uma introdução, eu não sabia o que dizer em seguida. Pensei que tinha passado por várias dispensas, fracassos e deslizes e que tinha recebido muito tratamento. Eu tinha algumas experiências em certa medida. Por que minha mente dava branco assim que me sentava para escrever? Quando escrevia sobre meu entendimento das palavras de Deus, usando as palavras de Deus para dissecar e entender a mim mesma, que sendas de prática eu tinha encontrado nas palavras de Deus e como eu tinha me arrependido e mudado, eu ficava presa nessas partes. Assim, um ou dois meses se passaram, e, no fim, acabei não escrevendo nenhum artigo. Achei que era difícil demais. O líder também sabia que eu carecia de calibre e ideias. Eu não devia ser tão dura comigo mesma. Havia muitas coisas com as quais eu tinha que lidar todos os dias e não conseguia me acalmar para ponderar as palavras de Deus. Além disso, alguns irmãos com calibre bom e experiências podiam escrever. Tudo bem se eles escrevessem artigos — não havia necessidade de eu escrever. Assim, desisti da ideia de escrever um artigo. Às vezes, os irmãos me lembravam de que eu poderia escrever um, mas eu me irritava e nem queria responder às mensagens deles. Depois de um tempo, meus devocionais pioraram. Eu lia as palavras de Deus, mas não tinha o esclarecimento do Espírito Santo e não conseguia sentir Deus. Havia muitos problemas no trabalho que eu não conseguia entender nem resolver, e aparecia um problema após o outro. Eu estava sob muita pressão e sofria muito. Orei a Deus, pedindo que Ele me esclarecesse e guiasse e me permitisse entender meus problemas.

Um dia, em meus devocionais, eu li isto nas palavras de Deus: “Buscar a verdade é voluntário; se você ama a verdade, o Espírito Santo opera. Quando você ama a verdade em seu coraçãoquando, não importa quanta perseguição ou tribulação o acometa, você ora a Deus e confia Nele, e reflete sobre si mesmo e tenta conhecer a si mesmoquando, se descobre um problema, você busca a verdade ativamente para resolvê-lo, você será capaz de permanecer firme no seu testemunho. Todas essas manifestações são um produto natural de as pessoas amarem a verdade, e todas elas ocorrem voluntária e alegremente, sem coerção, e também são totalmente incondicionais. Se as pessoas conseguem seguir a Deus dessa forma, o que elas ganham no final é a verdade e a vida, e aquilo em que elas entram é a realidade da verdade e o que elas vivem é a imagem do homem. […] Se você não ganhou a verdade, nenhuma das razões ou desculpas que você inventar funcionarão; Deus não se importa com as suas razões. Tente argumentar como quiser; você pode dar nó no cérebro o quanto quiserDeus Se importa? Deus conversaria com você? Ele debateria e trocaria ideias com você? Ele o consultaria? Qual é a resposta? Não. Ele jamais faria isso. A sua razão é inválida, por mais sã que seja. Você não deve interpretar errado a vontade de Deus, pensando que pode oferecer todo o tipo de razões e desculpas para não buscar a verdade. Deus quer que você busque a verdade em todos os ambientes e em todos os assuntos que se apresentem, e, no fim, alcance entrada na realidade da verdade e ganhar a verdade. Sejam quais forem as circunstâncias que Deus arranjou para você, que pessoas e eventos você encontre e em que ambiente você se encontre, você deveria orar a Deus e buscar a verdade para enfrentá-los. Essas são precisamente as lições que você deveria aprender ao buscar a verdade. Se você sempre tentar dar desculpas, ser evasivo, recusar-se, e resistir, então Deus desistirá de você. Será inútil você ser intratável, ou difícil, ou apresentar o seu raciocínio. Se Deus não se preocupar com você, você perderá sua chance de ser salvo. Para Deus, não existe problema que não possa ser resolvido; Ele fez arranjos para cada pessoa e ele tem uma maneira de lidar com ela. Deus não discutirá com você se suas razões e desculpas são justificáveis nem ouvirá se sua defesa faz sentido. Tudo que Ele pergunta a você é: ‘As palavras de Deus são a verdade? Você tem um caráter corrupto? É sua obrigação buscar a verdade?’. Você só deve ter clareza em relação a um fato: Deus é a verdade, você é membro da humanidade corrupta, e assim você deveria assumir a responsabilidade de buscar a verdade. Nenhum problema ou dificuldade, nenhuma razão ou desculpa é justificável; se não aceitar a verdade, você perecerá(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (1)”). As palavras de Deus me despertaram na hora. Buscar a verdade é algo pessoal e voluntário. Eu não devia procurar cada razão, cada desculpa para não escrever um artigo ou buscar a verdade. Deus não se importa se as razões são corretas. Deus quer que ouçamos as Suas palavras e nos submetamos às Suas exigências em cada situação, em tudo que acontece. Era isso que eu devia fazer. Deus também disse: “O dever da sua fé em Mim é dar testemunho de Mim, ser leal a Mim e a nenhum outro e ser obediente até o fim(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “O que você sabe sobre a fé?”). Dar testemunho de Deus é o que Ele exige, e isso é um dever que cada um de nós que experimentou a obra de Deus deveria fazer. Não importa quão profundo ou raso é meu entendimento da verdade, eu não podia enterrar a obra que Ele fez em mim, mas deveria escrever o que eu tinha ganhado da minha fé para dar testemunho de Deus. Eu me deparei com muitas dificuldades ao escrever o artigo, mas esses problemas eram exatamente a minha corrupção e falhas que eu não tinha entendido, onde eu devia me aquietar, ponderar as palavras de Deus e buscar a verdade. Em vez disso, eu não tentei buscar a verdade nem me esforcei para ponderar as palavras de Deus. Inventei todos os tipos de desculpas para rejeitar e resistir à redação de um artigo. Ficava dizendo que carecia de calibre e que não tinha tempo porque estava ocupada demais no trabalho. Achava que não escrever um artigo era normal. Às vezes, quando os outros diziam que eu devia escrever um, eu me irritava e inventava desculpas. Eu nem queria responder às mensagens deles. Mas agora, pensando sobre isso em silêncio, embora eu tivesse que me manter em dia com cada aspecto do meu trabalho como líder, nem todos os problemas precisavam ser tratados com urgência — eu conseguia arrumar tempo para muitas coisas. Além disso, algumas tarefas de rotina não exigiam tanto tempo. Eu não estava tão ocupada a ponto de não ter tempo para escrever um artigo. Isso era só uma desculpa. Para mim, fazer essas tarefas de rotina era fácil e não exigia muito esforço mental, mas escrever não era meu ponto forte, por isso eu queria evitar isso. Até usava o motivo de que o líder sabia que eu carecia de calibre e ideias. Eu realmente conseguia distorcer as coisas e inventar falácias. Na verdade, escrever um artigo testemunhal pode nos incentivar a buscar a verdade. Ao refletir sobre as palavras de Deus e buscar a verdade, podemos resolver nossa corrupção, fazer as coisas com princípios e cumprir melhor o nosso dever. Escrever artigos que dão testemunho de Deus é nosso dever, e não existem desculpas para não fazê-lo. Deus diz: “Deus é a verdade, você é membro da humanidade corrupta, e assim você deveria assumir a responsabilidade de buscar a verdade. Nenhum problema ou dificuldade, nenhuma razão ou desculpa é justificável; se não aceitar a verdade, você perecerá”. Então percebi que ficar presa nas minhas desculpas, não buscar nem aceitar a verdade me destruiria, e meu desfecho seria a destruição. Que estado assustador! Apressei-me para fazer uma oração: “Deus! Acabei de perceber que não sou alguém que aceita a verdade. Li tanto da Tua palavra, ouvi tantos sermões, mas não tenho nada da realidade da verdade e não estou disposta a escrever um artigo testemunhal. Isso é muito vergonhoso. Agora, vi minhas deficiências, minhas falhas. Quero mudar esse estado incorreto e me esforçar pra fazer o que Tu dizes”.

Mais tarde, orei a Deus buscando: qual era a razão pela qual eu não buscava a verdade e não queria escrever meu testemunho? Em minha reflexão, li algo nas palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Em sua fé em Deus, muitas pessoas só se concentram em trabalhar para Deus e já se contentam quando sofrem e pagam um preço. No entanto, não buscam a verdade nem um pouco. E o resultado? Depois de crer em Deus por dez, vinte, trinta anos, elas ainda carecem de conhecimento verdadeiro da obra de Deus e não conseguem falar sobre nenhuma experiência ou conhecimento da verdade ou das palavras de Deus. Durante as reuniões, quando tentam dar algum testemunho, elas nada têm a dizer; não sabem se serão salvas ou não. Qual é o problema aqui? É assim que são as pessoas que não buscam a verdade. Não importa por quantos anos tenham sido crentes, elas são incapazes de entender a verdade, muito menos são capazes de praticar a verdade. Como é que alguém que não é nem minimamente receptivo para a verdade poderia entrar na realidade da verdade? Há pessoas que não conseguem ver esse problema, que acreditam que, se aqueles que repetem palavras de doutrinas praticam a verdade, eles podem entrar na realidade da verdade. Isso está correto? Pessoas que repetem palavras de doutrinas são inerentemente incapazes de entender a verdadecomo, então, poderiam praticar a verdade? Embora o que elas praticam pareça não violar a verdade e pareça ser uma boa ação, um bom comportamento, tal boa ação e tal bom comportamento são aptos a serem chamados de realidade da verdade? As pessoas que não entendem a verdade não entendem o que é a realidade da verdade; acreditam que as boas ações e o bom comportamento das pessoas são elas praticando a verdade. Isso é absurdo, não é? Em que isso é diferente das opiniões ideológicas das pessoas religiosas? E como tais problemas de entendimento distorcido podem ser resolvidos? As pessoas devem, primeiro, entender a vontade de Deus a partir das palavras de Deus e estar cientes do que é entender a verdade e o que é praticar a verdade para que possam olhar para as pessoas e identificá-las pelo que realmente são, e possam dizer se elas possuem a realidade da verdade ou não. A obra de Deus de salvar o homem significa fazer com que as pessoas entendam e pratiquem a verdade; somente então as pessoas poderão se livrar de seus caracteres corruptos, e poderão agir de acordo com os princípios, e entrar na realidade da verdade. Se você não buscar a verdade e se contentar com despender-se, sofrer e pagar um preço por Deus de acordo com as suas noções e imaginações, tudo que você fizer representará você praticando a verdade e se submetendo a Deus? Isso pode provar que houve mudanças no seu caráter de vida? Pode representar que você tem o conhecimento verdadeiro de Deus? Não. E assim tudo que você faz representará o quê? Só pode representar seu entendimento pessoal, suas inclinações e seu pensamento ilusório, são as coisas que você gosta de fazer e está disposto a fazer; tudo que você faz é apenas a satisfação de seus desejos, de seu querer e de seus ideais. Claramente, isso não é buscar a verdade. Nada que você faz tem qualquer relação com a verdade ou com o que Deus exige. Tudo que você faz é para si mesmo; você só trabalha, luta e corre por aí para o bem do seu status, sua reputação e seus ideaiso que não é diferente de Paulo(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade, “O que significa buscar a verdade (2)”). As palavras de julgamento e revelação de Deus me deixaram sem ter onde me esconder, e eu me senti incomodada e agitada. Eu tinha sido uma crente por todos esses anos, tinha lido tanto da palavra de Deus e tive alguns fracassos e quedas, tinha sido podada e tratada, mas eu não tinha escrito nenhum testemunho. Eu também não conseguia expressar minhas experiências nem meu entendimento da verdade porque eu não buscava a verdade. Eu me contentava em passar a impressão de que conseguia sofrer e pagar um preço, fazer o trabalho pelo qual eu era responsável sem erro ou lapso. Eu tinha que lidar com coisas grandes e pequenas no meu dia a dia, e se eu adiasse algo, eu temia que os outros dissessem que eu não fazia trabalho prático nem resolvia problemas reais. E se o líder descobrisse e me dispensasse? Pensando nisso, desisti de escrever um artigo e de ponderar as palavras de Deus e até desisti de meus devocionais matinais. Achei que escrever um artigo atrasaria o progresso do meu trabalho. Às vezes, eu me levantava com o desejo de fazer meus devocionais, mas quando ligava meu computador e via todas as mensagens que exigiam uma resposta, eu desistia dos devocionais e começava a responder, lidando com todos os problemas. Mas, na verdade, nem tudo precisava ser resolvido na hora. Se eu respondesse quando tivesse tempo, nada atrasaria. Mas já que eu estava ocupada com essas coisas, eu desisti do meu tempo para comer e beber e ponderar as palavras de Deus. Até achei que estava sendo responsável em meu dever, assumindo um fardo e fazendo trabalho real, mas, na verdade, eu queria usar meu sofrimento e esforço superficial para ganhar admiração. Como isso era cumprir um dever? Eu queria usar meu dever para proteger meu status e nome, para realizar minhas ambições pessoais. Eu estava numa senda contrária a Deus. Eu sabia que o processo de escrever um artigo era o processo de buscar a verdade, mas eu não buscava a verdade e não queria escrever um artigo para dar testemunho. Eu me ocupava com coisas todos os dias, e mesmo quando conseguia arrumar um tempo, eu inventava desculpas para não escrever. Eu não estava apenas prestando serviço? Eu não estava me esforçando para buscar a verdade, só me concentrava no trabalho, o que significava que os irmãos não estavam concentrados na entrada na vida em seus deveres. Não estavam refletindo sobre si mesmos diante de problemas nem aprendendo sobre si mesmos por meio das palavras de Deus. Eu estava afastando os outros da vontade de Deus. Lembrei-me das palavras de Deus: “Nada que você faz tem qualquer relação com a verdade ou com o que Deus exige. Tudo que você faz é para si mesmo; você só trabalha, luta e corre por aí para o bem do seu status, sua reputação e seus ideaiso que não é diferente de Paulo”. Descobri que eu estava trilhando a senda de Paulo. Eu estava sempre fazendo coisas, fazendo o que me agradava, o que era fácil para mim, mas quanto ao trabalho exigido por Deus que envolve a verdade, eu não só não busquei a verdade, mas me cansei dela e a evitei. Eu só estava trabalhando para satisfazer meu desejo por status. Eu estava numa senda de ser uma inimiga de Deus. Se isso continuasse, por mais trabalho que fizesse, eu acabaria excluída por Deus. Isso me assustou, e eu quis mudar essa situação imediatamente.

Um dia, li algumas das palavras de Deus nos meus devocionais. “O estado mais óbvio para as pessoas que estão fartas da verdade é que elas não estão interessadas na verdade nem em coisas positivas, chegando a revoltar-se contra elas e a rechaçá-las, e gostam especialmente de seguir as tendências do mundo. Seu coração não aceita as coisas que Deus ama e o que Deus exige que as pessoas façam. Em vez disso, são desdenhosas e indiferentes, e algumas pessoas até desprezam frequentemente os padrões e princípios que Deus exige das pessoas. São repelidas por coisas positivas e sempre têm um sentimento de resistência, confrontação e desprezo em relação a elas. Essa é a manifestação primária de estarem fartas da verdade. Na vida de igreja, ler a palavra de Deus, orar, comungar sobre a verdade, cumprir deveres e resolver problemas com a verdade são, todas elas, coisas positivas. Elas agradam a Deus, mas algumas pessoas estão enojadas com essas coisas positivas, não se importam com elas e são indiferentes a elas. […] Esse caráter não é estar farto da verdade? Isso não é expor um caráter corrupto? Há muitas pessoas que acreditam em Deus e que gostam de trabalhar para Deus e de correr por aí com zelo. Ao exercerem seus dons e pontos fortes, ao se exibirem, ao se entregarem às suas preferências, elas têm energia ilimitadamas se você pedir que elas pratiquem a verdade e ajam de acordo com seus princípios, isso as desmotiva, e elas perdem seu entusiasmo. Se não podem se exibir, elas ficam apáticas e desanimadas. Como é que elas têm energia para se exibir? E como é que elas não têm energia para praticar a verdade? Qual é o problema aqui? Todas as pessoas gostam de se destacar; todas elas desejam vanglória. Todas têm energia inesgotável quando acreditam em Deus por causa de bênçãos e recompensas, por que, então, elas ficam apáticas, por que ficam desanimadas quando praticam a verdade e renunciam à carne? Por que isso acontece? Isso mostra que o coração das pessoas está adulterado. Elas acreditam em Deus somente por causa das bênçãospara ser franco, elas estão determinadas a entrar no reino dos céus. Sem bênçãos ou benefícios a buscar, as pessoas ficam apáticas e desanimadas e não têm entusiasmo. Todas essas coisas são causadas por um caráter corrupto que está farto da verdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). As palavras de Deus me esclareceram. Eu estava evitando escrever um artigo e não queria trabalhar na busca da verdade por causa do meu caráter satânico de estar farta da verdade. Eu sabia que Deus exige que escrevamos artigos testemunhais, e se não conseguisse ser profunda, poderia escrever algo mais simples. Contanto que fosse prático, houvesse experiência e entendimento e fosse edificante, tudo bem. Escrever um artigo é dar testemunho daquilo que a obra de Deus alcançou em nós, como Deus purifica e salva as pessoas com Suas palavras, e como essas palavras resolvem várias dificuldades e corrupções nas pessoas. Deus realmente valoriza os testemunhos das pessoas, e um testemunho bom conforta Seu coração. Assim, Deus espera que escrevamos nossos ganhos e experiências como artigos para dar testemunho Dele. Mas em vez de investir esforço naquilo que Deus exige, eu inventava razões para me esquivar disso, para recusar. Eu estava revelando um caráter satânico de estar farta da verdade.

Então, o que Deus acha do caráter de estar farto da verdade? Li esta passagem das palavras de Deus em meus devocionais: “Que tipo de pessoa são as que estão fartas da verdade? Elas são as que resistem e se opõem a Deus? Elas podem não resistir abertamente a Deus, mas sua natureza, sua essência é negar e resistir a Deus, o que equivale a dizer abertamente a Deus: ‘Eu não gosto de ouvir o que Tu dizes, eu não aceito isso, e visto que não aceito que Tuas palavras sejam a verdade, eu não acredito em Ti. Acredito em quem quer que seja lucrativo e benéfico para mim’. É essa a atitude dos incrédulos? Se essa é sua atitude em relação à verdade, você não está sendo abertamente hostil a Deus? E se você é abertamente hostil a Deus, Deus o salvará? Ele não salvará. Essa é a razão da ira de Deus contra todos os que negam e resistem a Deus. […] Uma pessoa estar farta da verdade é fatal para alcançar sua salvação; esse não é algo que pode ou não pode ser perdoado, não é uma forma de comportamento ou algo que é momentaneamente revelado na pessoa; é a natureza e a essência de uma pessoa, e Deus está farto demais de tais pessoas. Se você ocasionalmente extravasa corrupção, você deve refletir com base nas palavras de Deus se esses extravasamentos provêm de uma aversão à verdade ou de uma falta de entendimento da verdade. Isso exige uma busca e exige o esclarecimento e a ajuda de Deus. Se você tem o tipo de natureza e essência que está farto da verdade, e você nunca aceita a verdade, e é especialmente averso e hostil a ela, então há um problema aí. Você é certamente uma pessoa maligna, e Deus não o salvará(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Para se cumprir bem o dever, entender a verdade é crucial”). As palavras de Deus perfuraram meu coração. Estar farto da verdade é resistir a Deus abertamente, é ser abertamente o Seu inimigo. Eu estava alegando que acreditava em Deus Todo-Poderoso, eu orava em nome Dele, comia e bebia as verdades que ele expressava, em cada reunião eu comungava as palavras de Deus e as pregava aos irmãos. Mas a maneira com que eu agia, a maneira com que vivia, não estava alinhada com as palavras de Deus e eu não estava seguindo as exigências de Deus. Em vez disso, eu estava farta da verdade. Como eu podia aceitar e praticar a verdade desse jeito? O único jeito de ser salvo como crente é aceitar a verdade. Mas eu não amava as verdades que Deus tinha expressado. No fundo do coração, eu era contrária a Deus. O caráter satânico de estar farta da verdade bastava para me arruinar. Àquela altura, vi que um caráter de estar farto da verdade é muito assustador, é o calcanhar de Aquiles para ser salvo. Então vim para diante de Deus para me arrepender: “Ó Deus! Estou farta da verdade, não me concentro em escrever um artigo nem tento buscar a verdade, e agora vi que um caráter de estar farto da verdade Te enoja. Quero me arrepender e buscar bem a verdade — por favor, guia-me”.

Li mais das palavras de Deus depois disso. “Se você realmente ama a verdade em seu coração, mas tem um calibre um tanto baixo e carece de percepção e é um pouco tolo; se, às vezes, você comete erros, mas não pretende cometer o mal e simplesmente fez algumas coisas tolas; se, no coração, você está disposto a ouvir a comunhão de Deus sobre a verdade e, no coração, você anseia pela verdade; se a atitude que você assume em seu tratamento da verdade e das palavras de Deus é uma atitude de sinceridade e anseio e você consegue valorizar e prezar as palavras de Deusisso basta. Deus gosta desse tipo de pessoa. Embora, às vezes, você possa ser um pouco tolo, Deus gosta de você mesmo assim. Deus ama seu coração, que anseia pela verdade, e Ele ama sua atitude sincera em relação à verdade. Assim, Deus tem misericórdia de você e sempre lhe mostra Seu favor. Ele não considera seu calibre pobre nem sua tolice, nem considera suas transgressões. Porque sua atitude em relação à verdade é sincera e ansiosa, e seu coração é verdadeiro, então, como seu coração e sua atitude são o que Deus valoriza, Ele será sempre misericordioso com você, e o Espírito Santo há de operar em você e você há de ter esperança de salvação(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Para se cumprir bem o dever, entender a verdade é crucial”). As palavras de Deus me despertaram e me deram uma senda de prática. Meu coração se iluminou, e eu me senti liberta. Deus não se importa com o calibre pobre das pessoas nem com sua ignorância. Contanto que tenham sede da verdade e tratem a verdade com uma atitude de sinceridade, Deus terá misericórdia com elas. Percebi que havia outros irmãos com calibre mediano que tinham sede das palavras de Deus e ponderavam e buscavam a verdade quando as coisas aconteciam. Com uma atitude sincera em relação às palavras de Deus, eles tinham a misericórdia e aa orientação de Deus. Eles eram capazes de escrever artigos comoventes sobre suas experiências para dar testemunho de Deus. E alguns que acreditam há pouco tempo não fogem, não importa que dificuldades eles enfrentem em seu dever, mas eles se submetem ao governo e arranjos de Deus e confiam em Deus para buscar a verdade e superar adversidades. No fim, eles dão testemunhos comoventes. E alguns recém-convertidos trabalham para buscar a verdade quando revelam corrupção. Leem as palavras de Deus e refletem sobre si mesmos. O entendimento que compartilham é genuíno e prático. Deus não se importa há quanto tempo alguém crê, se ele é ignorante ou tem calibre baixo, ele só se importa se ele consegue buscar e amar a verdade, tem sede da verdade e se ele se aproxima das palavras de Deus com um coração sincero ou não. Calibre baixo não é fatal. O importante é se temos um coração que ama a verdade, se conseguimos aceitar e praticar a verdade. Deus é fiel e justo, e Ele não se importa se o calibre de alguém é alto ou baixo. Contanto que tenhamos sede e busquemos a verdade e implementemos o que sabemos, podemos ganhar o esclarecimento do Espírito Santo, e nosso entendimento e percepção melhorarão. Eu não deveria ser impedida por ter calibre baixo nem inventar desculpas para não escrever um artigo. Eu queria comer, beber e experimentar as palavras de Deus, colocar minhas experiências num artigo para dar testemunho de Deus.

Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus que esclareceu a vontade de Deus para mim. “Nenhuma senda para alcançar a salvação é mais real ou prática do que aceitar e buscar a verdade. Se você não consegue ganhar a verdade, a sua crença em Deus é vazia. Aqueles que sempre falam palavras vazias de doutrina, repetem slogans, dizem coisas pretenciosas, seguem regras e nunca se concentram na prática da verdade não ganham nada, não importa por quantos anos acreditem. Quem são as pessoas que ganham alguma coisa? Aqueles que cumprem sinceramente o seu dever e estão dispostos a praticar a verdade, que tratam o que Deus lhes confiou como a sua missão, que, de bom grado, passam toda a sua vida despendendo-se por Deus e que não tramam para o próprio bem, cujos pés estão firmemente no chão e que obedecem às orquestrações de Deus. Eles são capazes de entender os princípios da verdade enquanto cumprem o seu dever e se esforçam para fazer tudo corretamente, o que lhes permite alcançar o efeito de testemunho de Deus, e de satisfazer a vontade de Deus. Quando encontram dificuldades no cumprimento do seu dever, eles oram a Deus e tentam sondar a vontade de Deus, são capazes de obedecer aos arranjos e orquestrações que vêm de Deus, e, em tudo que fazem, buscam e praticam a verdade. Não repetem slogans nem dizem coisas pretenciosas; concentram-se apenas em fazer coisas com os pés firmemente apoiados no chão, e em seguir meticulosamente os princípios. Esforçam-se muito em tudo que fazem, fazem um esforço grande para entender tudo e, em muitos assuntos, são capazes de praticar a verdade, adquirindo assim conhecimento e entendimento, e são capazes de aprender lições e realmente ganhar alguma coisa. E quando têm pensamentos incorretos ou estados equivocados, eles oram a Deus e buscam a verdade para resolvê-los; não importa quais verdades entendam, eles têm um apreço por elas em seu coração e são capazes de falar das suas experiências e de seu testemunho. Tais pessoas acabam ganhando a verdade. Essas pessoas sem coração nunca pensam em como praticar a verdade. Concentram-se apenas em despender esforço, em fazer coisas e em exibir-se e mostrar-se, mas nunca buscam como praticar a verdade, o que torna difícil que obtenham a verdade. Pensem nisso: que tipo de pessoas pode entrar nas realidades da verdade? (Aqueles que têm os pés no chão, que são pragmáticos e investem seu coração nas coisas.) Pessoas com os pés no chão, que investem seu coração nas coisas, que têm um coração: tais pessoas prestam mais atenção à realidade e à utilização dos princípios da verdade quando agem. Além disso, em todas as coisas, elas prestam atenção aos aspectos práticos, são pragmáticas e gostam de coisas positivas, da verdade e de coisas práticas. São pessoas assim que, no fim, entendem e ganham a verdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Na crença em Deus, o crucial é praticar e experimentar Suas palavras”). As palavras de Deus me mostraram que aqueles que buscam a verdade se concentram nas palavras de Deus, ponderam as palavras de Deus e as colocam em prática com frequência. Eles conseguem buscar a verdade e aprender lições das pessoas, coisas e eventos em sua volta e colher recompensas de suas experiências. Escrever um artigo é uma das melhores formas de nos incentivar a vir para diante de Deus e ponderar Suas palavras, o que é a vontade de Deus. Quando entendi a vontade de Deus, senti um fardo e me senti motivada para escrever um artigo. Senti que devia cumprir esse dever para confortar o coração de Deus. Escrever um artigo para dar testemunho pode beneficiar ainda mais pessoas. É uma coisa significativa e valiosa e também é uma responsabilidade minha.

Depois disso, comecei a planejar o trabalho de cada dia e a determinar o tempo que usaria para cada problema, de acordo com sua urgência. Sempre que tinha tempo, eu comia e bebia as palavras de Deus e trabalhava num artigo. Quando comecei a escrever, eu escrevia um relato completo de algo. Eu não conseguia escrever claramente meu entendimento das palavras de Deus e era bastante superficial. Àquela altura, eu quis desistir e parar de escrever e não quis mais ponderar as palavras de Deus. Então orei a Deus: “Deus! Não quero desistir! Quero investir pensamento em Tuas palavras para escrever o que sei por ora e continuar escrevendo na medida em que minha experiência aumentar. Não quero viver segundo meu caráter corrupto. Quero escrever sobre Tua obra em mim para dar testemunho de Ti”. Me senti muito mais calma depois da oração. Quando me acalmava e refletia sobre meu estado e as palavras de Deus, eu conseguia fazer uma anotação sobre qualquer esclarecimento que tivesse. Então refleti sobre as palavras de Deus e anotei meu entendimento quando tive tempo. Quando terminei e vi que algumas partes não estavam claras, eu tentei editá-las. Quanto mais escrevia, mais clareza eu tinha e melhor eu via meu próprio estado. Também ganhei um entendimento cada vez mais prático da verdade. Me senti muito realizada com esse tipo de prática. Essa experiência me mostrou a importância de buscar a verdade. Em todas as coisas, temos que buscar a verdade, refletir e conhecer a nós mesmos e praticar as palavras de Deus, assim podemos colher recompensas. Escrever um testemunho pessoal, buscar a verdade e uma mudança no caráter de vida é crucial, é tão importante.

Próximo: Liberto da inveja

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Como parei de contar mentiras

Por Marinette, França No passado, eu mentia e bajulava as pessoas sem pensar duas vezes, pois eu temia decepcionar ou ofender as pessoas se...

Não vivo mais por dinheiro

Por Weixiao, China Quando eu era criança, minha família era muito pobre. Todos os nossos parentes e vizinhos nos desprezavam, e os filhos...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp