Ser chamada me desmascarou

20 de Janeiro de 2022

Por Sharon, Espanha

Um dia, em dezembro de 2021, outra irmã me contou que a irmã Arianna, que tinha sido transferida da nossa para outra igreja, que eu era desleixada no meu dever e não lidava em tempo oportuno com os problemas que surgiam no meu trabalho evangelístico, o que afetava a eficiência e eficácia da equipe. Ela disse que eu tinha falsos comportamentos de líder. Essa irmã me lembrou de refletir sobre mim mesma. Fiquei irritada e pensei: “Recentemente, não tenho feito um acompanhamento de perto, mas existe uma boa razão. Se você tem algo a dizer, diga na minha frente. Ao falar pelas minhas costas, você não está tentando causar encrenca? O que os irmãos pensarão de mim? Visto que você falou de mim desse jeito, você não vai se safar tão fácil. Vou expor seus defeitos também, para que os outros saibam que o problema não é meu, mas todo seu”. Então eu disse a essa irmã: “Arianna sempre me menosprezou e encontrou erros em mim. Todos sabem que ela não é uma pessoa maravilhosa. Ela nunca trabalhou bem com outros, mas sempre procurava defeitos. Agora o alvo sou eu, mas nunca fiz nada a ela. Talvez seja porque eu a transferi para outra igreja, e ela perdeu seu título como líder de equipe e quer se vingar por causa disso”. Mesmo depois de dizer isso, eu ainda achava que o que Arianna fizera tinha sido incrivelmente vergonhoso para mim. Ela me expôs na frente de todas aquelas pessoas. Se todos acreditassem nela, como eles me veriam? Pensariam que eu era uma falsa líder? E se isso fosse relatado à liderança superior, eu poderia até perder minha posição. Fiquei cada vez mais preocupada com isso e comecei a odiar Arianna. Ela não estava me fazendo de alvo? Achei que ela era cruel, que não podia me acusar de ser injusta; então, enquanto eu fosse líder, ela não seria promovida de novo. Eu traria todo o comportamento dela à luz, garantiria que todos ganhassem discernimento e a expulsaria da igreja se eu descobrisse que ela estava julgando as pessoas pelas costas. Não me senti à vontade com esse tipo de pensamento e me perguntei se tratá-la desse jeito estava alinhado com a vontade de Deus. Deus tinha permitido que isso acontecesse, e eu não estava buscando a verdade nem refletindo sobre mim mesma, mas tinha fixado meu olhar nela e queria repreendê-la por seus erros para contra-atacá-la, para expô-la e até me vingar. Eu sabia que isso não era aceitar a verdade.

Naquela noite, refleti sobre isso. No meu coração, eu ainda não conseguia aceitar o que Arianna dissera sobre mim, mas, pensando bem, eu era uma líder boa e competente? Um líder deve entender cada aspecto do trabalho e resolver problemas assim que são identificados. Eu era responsável pelo trabalho evangelístico, então, quando essa equipe se deparasse com problemas, eu deveria oferecer ajuda e orientação práticas imediatamente. Mas eu não tinha feito muito nesse sentido. Um falso líder não é alguém que não faz trabalho prático? Arianna não estava errada. Ela não era uma pessoa maligna. Ela tinha alguns dons e pontos fortes e obtinha resultados em seu dever. Se eu não lhe desse um dever ou até a expulsasse por causa de uma mágoa pessoal, isso não só prejudicaria Arianna, mas também interromperia o trabalho da igreja. Eu não podia fazer algo que repugnasse Deus. Pensando assim, consegui deixar meu preconceito contra ela um pouco. Também refleti sobre o tipo de trabalho prático que eu não estava fazendo. Eu sabia que tinha que começar a fazer mudanças nas áreas que ela mencionara e a conversar com os irmãos sobre as dificuldades deles. Eu me senti melhor depois disso.

Na época, pensei que tudo tinha passado, mas alguns dias depois eu soube que Arianna falou sobre sinais de que eu era uma falsa líder numa reunião com mais de quarenta pessoas. Toda a minha raiva borbulhou para a superfície quando ouvi isso, e pensei que ao me expor na frente de tanta gente Arianna estava arrastando meu nome pela lama. Como eu poderia ficar de cabeça erguida se ela continuasse com isso? Eu poderia até ser demitida por ser uma falsa líder. Eu queria lhe mostrar os fatos, para que não pensasse que eu era um cordeiro dócil! Se ela pretendia me expor na frente de todos e prejudicar minha reputação, eu podia descobrir os erros dela e juntar evidências e encontrar uma chance de expulsá-la. Nos dias seguintes, eu estava sempre nervosa, pensando em como resgatar meu orgulho e dignidade, em como me vingar dela. Eu disse à líder da nova igreja dela que ela não tinha boa humanidade e sempre julgava líderes e obreiros, de modo que ela deveria ficar de olho nela e não perder tempo para demiti-la se a visse fazendo cena. Depois de dizer tudo isso, me senti um pouco culpada e desconfortável. Pensei: “O que estou fazendo? Isso não é olho por olho, não é atacar e excluir outros? Que lição Deus quer que eu aprenda com isso?”. Então, finalmente, vim para diante de Deus para orar e buscar.

Em minha busca, lembrei-me das palavras de Deus que expõem anticristos que excluem todos dos quais discordam. Deus Todo-Poderoso diz: “Qual é o objetivo principal de um anticristo quando ele ataca e exclui um dissidente? Ele procura criar uma situação na igreja em que não haja vozes contrárias à dele, na qual seu poder, seu status de liderança e as suas palavras sejam absolutos. Todos devem ouvi-lo, e mesmo que tenham uma opinião diferente, eles não devem expressá-la, mas deixá-la apodrecer em seu coração. Qualquer pessoa que ousa discordar abertamente dele se torna inimigo do anticristo, e ele pensará em todos os jeitos de dificultar as coisas para ela e não consegue esperar para fazê-la desaparecer. Essa é uma das maneiras em que os anticristos atacam e excluem um dissidente a fim de fortalecer seu status e proteger seu poder. Eles pensam: ‘Tudo bem que você tenha opiniões diferentes, mas você não deve sair por aí falando sobre elas como lhe agradar, muito menos deve comprometer meu poder e meu status. Se tiver algo a dizer, pode me dizer em privado. Se você o disser na frente de todos e me fizer perder reputação, você estará pedindo para ser repreendido, e terei que cuidar de você!’. Que tipo de caráter é esse? Os anticristos não permitem que os outros falem livremente. Se esses têm uma opinião — seja sobre o anticristo ou qualquer outra coisa —, eles devem guardá-la para si; devem considerar a reputação do anticristo. Caso contrário, o anticristo os marcará como inimigos e os atacará e excluirá. Que tipo de natureza é essa? É a natureza de um anticristo. E por que eles fazem isso? Eles não permitem que a igreja tenha qualquer voz alternativa, não permitem quaisquer dissidentes na igreja, não permitem que os escolhidos de Deus comunguem abertamente a verdade e identifiquem pessoas. O que mais temem é ser expostos e identificados pelas pessoas; estão constantemente tentando consolidar seu poder e o status que têm no coração das pessoas, que acreditam que jamais devam ser abalados. Eles jamais poderiam tolerar qualquer coisa que ameace ou afete seu orgulho, reputação, status e valor enquanto líderes. Essa não é uma manifestação da natureza cruel dos anticristos? Não satisfeitos com o poder que já possuem, eles o consolidam e asseguram e procuram dominação eterna. Não só querem controlar o comportamento dos outros, mas também o coração deles. O modus operandi dos anticristos serve exclusivamente para proteger seu status e poder, é totalmente o resultado de seu desejo de se agarrar ao poder. […] Isso ocorre ainda mais quando um dissidente está presente e o anticristo ouve que o dissidente disse algo sobre ele ou o criticou pelas costas. Nesse caso, ele resolverá a questão em curto prazo, mesmo que isso signifique perder uma noite de sono e o alimento de um dia inteiro. Como é que ele consegue fazer tal esforço? É porque ele sente que seu status está em perigo, que este foi desafiado. Ele acha que, se não agir assim, seu poder e seu status estarão em perigo — que, uma vez que seus feitos malignos e sua conduta escandalosa forem expostos, ele não só será incapaz de manter status e poder, mas também será expurgado ou expulso da igreja. É por isso que ele fica desesperadamente impaciente em encontrar maneiras de suprimir a questão e dissipar todas as ameaças contra ele. Esse é o único jeito de ele se agarrar ao status. O status é o sopro da vida, no que diz respeito aos anticristos. Assim que ouvem que alguém irá expô-los ou denunciá-los, eles ficam aterrorizados a ponto de perder o foco, temem que, no dia seguinte, eles perderão seu status e nunca mais voltarão a desfrutar da sensação de privilégio que o status lhes trouxe nem dos benefícios do status. Temem que ninguém se submeterá mais a eles nem os seguirá, que ninguém os bajulará mais nem fará sua vontade. Mas o mais intolerável para eles não é só que eles perderão status e poder, mas que eles podem ser expurgados ou expulsos. Se isso acontecesse, todas as vantagens e todos os sentimentos de privilégio que status e poder lhes deram, como também a esperança de todas as bênçãos e recompensas ganhas por acreditarem em Deus seriam perdidos num instante. Essa perspectiva é a coisa mais difícil para eles suportarem(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Dois: Eles atacam e excluem dissidentes”). “Para um anticristo, o dissidente é uma ameaça ao seu status e poder. Quem quer que ameace seu status e poder, não importa quem seja, os anticristos farão de tudo para ‘cuidar’ dele. Se essas pessoas realmente não puderem ser levadas a seguir ou ser incorporadas às suas próprias forças, os anticristos as derrubarão ou expurgarão. No final, os anticristos alcançarão seu objetivo de ter poder absoluto e de ser sua própria lei. Essa é uma das técnicas que os anticristos usam habitualmente para manter status e poder — eles atacam e excluem os dissidentes(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Dois: Eles atacam e excluem dissidentes”). As palavras de Deus foram muito pungentes e me deixaram com medo. Eu não tinha percebido que era capaz de atacar e excluir alguém por causa do meu nome e do meu status e estava cometendo o mal de um anticristo. Quando soube que Arianna tinha dito a outros que eu não fazia trabalho prático, não refleti sobre se era verdade, mas só pensei que ela estava mirando em mim e me julgando pelas costas. Isso feriu meu orgulho, passei a não gostar dela e a guardar uma mágoa, até quis atacá-la. Então, quando descobri que ela me expusera numa reunião maior, eu a odiei ainda mais. Eu queria salvar meu orgulho e minha posição, então fiz muito barulho em torno de suas transgressões passadas para que os outros pensassem que ela não tinha uma humanidade boa e a rejeitassem. Eu até encorajei sua líder atual para ficar de olho na conduta dela, na esperança de encontrar uma chance de ela ser expulsa. Eu estava bem ciente de seus dons e pontos fortes e de que cumpria bem o seu dever, que ela devia continuar a cumprir um dever na igreja. Também sabia que Arianna estava revelando problemas meus reais, mas isso afetou meu status e reputação, então comecei a vê-la como dissidente, como inimiga e ameaça ao meu poder e ao meu cargo. Eu queria atacá-la, me vingar. Eu realmente tinha uma natureza cruel! Então pensei nos anticristos que tinham sido expulsos da igreja. Assim que alguém ameaçava seu status, eles atacavam, querendo transformar a igreja em seu reino, querendo governar tudo. Acabaram expulsos por cometerem males demais. Meu comportamento era igual à conduta daqueles anticristos.

Continuei refletindo sobre mim mesma, sobre por que eu tinha sido uma crente por tantos anos, mas não conseguia me impedir de seguir a senda de um anticristo e de cometer tantas coisas malignas. Então, numa reunião, lemos “Aqueles que obedecem a Deus com um coração sincero certamente serão ganhos por Deus”. Havia uma passagem que me atingiu em meu âmago. Deus Todo-Poderoso diz: “Já que você acredita em Deus, então deve pôr fé em todas as palavras de Deus e em toda a Sua obra. Ou seja, já que você acredita em Deus, você precisa obedecer-Lhe. Se você não conseguir fazer isso, então não faz diferença se você acredita em Deus. Se você acredita em Deus há muitos anos e, no entanto, nunca Lhe obedeceu nem aceitou todas as Suas palavras, mas, em vez disso, pediu a Deus que Se submetesse a você e agisse de acordo com as suas noções, então você é a mais rebelde das pessoas e é um incrédulo. Como alguém assim conseguirá obedecer à obra e às palavras de Deus que não estão em conformidade com as noções do homem? A pessoa mais rebelde é aquela que intencionalmente desafia Deus e resiste a Ele. É inimiga de Deus e é o anticristo. Tal pessoa tem constantemente uma atitude hostil em relação à nova obra de Deus, nunca demonstrou a menor intenção de se submeter, e nunca se submeteu ou humilhou a si mesma. Ela se exalta diante dos outros e nunca se submete a ninguém. Diante de Deus, ela se considera a mais proficiente em pregar a palavra e a mais hábil em trabalhar com os outros. Não descarta os ‘tesouros’ já em sua posse, mas trata-os como heranças familiares para adoração, para pregar aos outros, e os utiliza para ensinar a esses tolos que a idolatram. Há, de fato, certo número de pessoas assim na igreja. Pode-se dizer que são ‘heróis indomáveis’, que permanecem na casa de Deus, geração após geração. Elas tomam a pregação da palavra (doutrina) como seu dever mais elevado. Ano após ano, geração após geração, vão vigorosamente impondo seu dever ‘sagrado e inviolável’. Ninguém ousa tocá-las, e nenhuma pessoa se atreve a reprová-las abertamente. Elas se tornam ‘reis’ na casa de Deus, correndo desenfreadas enquanto tiranizam os outros, de geração em geração. Esse bando de demônios procura unir esforços e demolir a Minha obra; como posso permitir que esses demônios vivos existam diante de Meus olhos? Até aqueles com apenas meia obediência não conseguem caminhar até o fim, quanto menos esses tiranos sem a menor obediência no coração! A obra de Deus não é facilmente ganha pelo homem. Mesmo que use todas as suas forças, o homem ganhará apenas uma mera porção e atingirá a perfeição no final. O que dizer então dos filhos do arcanjo que procuram destruir a obra de Deus? Eles não têm ainda menos esperança de serem ganhos por Deus?(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus). As palavras de Deus me fincaram o coração, e eu vi Seu caráter justo e majestoso. O que me deixou ainda mais assustada foram estas palavras: “nunca se submete a ninguém”, “Ninguém ousa tocá-las”, e “Elas se tornam ‘reis’ na casa de Deus, correndo desenfreadas enquanto tiranizam os outros, de geração em geração. Esse bando de demônios procura unir esforços e demolir a Minha obra; como posso permitir que esses demônios vivos existam diante de Meus olhos?”. Quando eu descobri que Arianna tinha me exposto como falsa líder, reagi com inimizade, desgosto, ressentimento e resistência. De raiva, ataquei-a cruelmente. Nem como líder de igreja, eu queria aceitar a verdade e carecia de submissão. Quando alguém revelou meus problemas, quando meu orgulho foi ferido, e minha posição, ameaçada, eu quis usar todos os meios para impedi-lo e me vingar dele, tentando até privá-lo do direito de cumprir um dever e expulsá-lo da igreja. Eu tinha essa mentalidade maliciosa, que não descansaria até que o tivesse arruinado. Eu tinha me tornado uma “rainha” na igreja que ninguém ousava tocar. Em que isso difere dos demônios do PCCh, aqueles ditadores? Seu lema é: “Prosperem aqueles que se submetem a mim, e que aqueles que a mim resistem pereçam”. A fim de manter seu governo e consolidar seu poder, o Partido Comunista oprime, erradica e extermina completamente qualquer um que discorda ou ousa expor o mal que ele comete. Foi isso que o Partido fez nas demonstrações da Praça da Paz Celestial, o que faz com as minorias étnicas, e é ainda pior com os crentes: ele nos prende, oprime e persegue. Tantos inocentes perderam sua vida nas mãos dele! Eu tinha sido educada e influenciada por aqueles demônios comunistas desde pequena. Tantos venenos satânicos tinham se arraigado tão profundamente dentro de mim, como “eu reino soberana”, “prosperem aqueles que se submetem a mim, e que aqueles que a mim resistem pereçam”, “se você for indelicado, não me culpe por ser injusto”, e “prove seu próprio remédio”. Esses venenos satânicos tinham se tornado minhas regras de sobrevivência, tornando-me mais arrogante e cruel. Eu vivia segundo essas coisas, por isso era capaz de cometer o mal, oprimindo e prejudicando os outros. Refleti também sobre como Deus comungou sobre tantas verdades acerca de discernir falsos líderes e anticristos. Agora, todos estão aprendendo a verdade e despertando, assim, alguns expõem e denunciam falsos líderes. Isso é praticar a verdade e proteger o trabalho da igreja — é algo positivo. Não importa que tipo de pessoa é aquele que me expõe, se ele me escolheu como alvo, se ele fala na minha cara ou não, contanto que aquilo que diz seja a verdade, eu devo aceitá-lo como de Deus e aceitar, me submeter e aprender uma lição. Isso é aceitar a verdade e se submeter a Deus. Quanto a mim, eu não só me recusei a me submeter, eu até ataquei aquela que me expôs. Isso não era uma disputa pessoal, eu estava rejeitando a verdade e resistindo a Deus. Percebendo isso, odiei a mim mesma e fiquei com medo. Rapidamente vim para diante de Deus para orar: “Deus, eu estava errada. Quando fui exposta por Arianna, não refleti sobre mim mesma nem aprendi uma lição, mas fui atrás dela. Vejo que realmente tenho uma natureza cruel. Deus, quero me arrepender a Ti”.

Refleti sobre mim mesma à luz daquilo que Arianna tinha dito sobre os meus problemas e comecei a acompanhar os detalhes no trabalho. Descobri que realmente existiam muitos problemas. Alguns irmãos eram membros novos do trabalho de partilhar o evangelho e não estavam familiarizados com as verdades de visões, por isso não eram capazes de resolver as noções e dificuldades das pessoas para as quais pregavam. Alguns não entendiam os princípios para espalhar o evangelho, por isso, pessoas inadequadas estavam sendo convertidas. Alguns novos crentes não entendiam a verdade nem mesmo após receberem muita rega, e algumas não se interessavam pela verdade e foram embora. Era um desperdício enorme de nossos recursos. Numa reunião, falei dos problemas que tinha encontrado e comunguei sobre os princípios para corrigir as coisas. Os irmãos começaram a fazer planos para se equipar com as verdades das visões e quando não entendiam ou não conseguiam comunicar algo claramente, nós comungávamos sobre isso juntos. Não demorou, e eles adquiriram uma clareza maior sobre as verdades das visões e a equipe teve mais sucesso. Percebi que Deus tinha permitido que Arianna me expusesse como falsa líder e apontar que eu não estava fazendo trabalho prático para que eu refletisse sobre mim mesma e cumprisse bem o meu trabalho. Ele estava me protegendo.

Mais tarde, lembrei-me de outra passagem das palavras de Deus: “Deus opera em cada pessoa, e não importa qual é Seu método, de que tipo de pessoas, assuntos ou coisas Ele faz uso em Seu serviço, ou que tipo de tom têm Suas palavras, Ele só tem um objetivo final: salvar você. E como Ele salva você? Ele muda você. Como, então, você poderia não sofrer um pouco? Você vai ter que sofrer. Esse sofrimento pode envolver muitas coisas. Primeiro, as pessoas devem sofrer quando aceitam o julgamento e o castigo das palavras de Deus. Quando as palavras de Deus são severas e explícitas demais, e as pessoas interpretam Deus errado — e até mesmo têm noções —, isso também pode ser doloroso. Às vezes, Deus cria um ambiente em volta das pessoas para expor sua corrupção, para levá-las a refletir e conhecer a si mesmas, e elas sofrerão um pouco, também. Às vezes, quando são diretamente podadas, tratadas e expostas, as pessoas devem sofrer. É como se estivessem passando por uma cirurgia — se não há sofrimento, não há efeito. Se toda vez que você é podado e tratado e toda vez que você é desnudado por um ambiente, isso estimula seus sentimentos e lhe dá um impulso, então, por meio desse processo, você entrará na verdade realidade e terá estatura. […] Se Deus arranja certos ambientes, pessoas, assuntos e coisas para você, se Ele o poda e lida com você, e se você aprende lições com isso, se aprendeu a vir para diante de Deus, aprendeu a buscar a verdade, e, involuntariamente, é esclarecido e iluminado e alcança a verdade, se experimentou uma mudança nesses ambientes, colheu recompensas e fez progresso, se começa a ter uma pequena compreensão da vontade de Deus e deixa de reclamar, então tudo isso significará que você permaneceu firme em meio às provações desses ambientes e suportou o teste. Desse modo, você terá transposto essa experiência difícil. Como Deus verá aqueles que superam o teste? Deus dirá que eles têm um coração verdadeiro, e podem suportar esse tipo de sofrimento, e que, no fundo, eles amam a verdade e querem ganhar a verdade. Se Deus o avalia dessa forma, você não é alguém com estatura? Você não tem vida? E como essa vida é alcançada? Ela é concedida por Deus? Deus supre você de várias maneiras e usa várias pessoas, coisas e objetos para treiná-lo. Isso é como se Deus estivesse lhe dando pessoalmente comida e bebida, colocando pessoalmente vários alimentos na frente para você se satisfazer e aproveitar; somente então você pode crescer e permanecer firme. É assim que você deve experimentar e compreender essas coisas; é assim que deve se submeter a tudo que vem de Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A fim de ganhar a verdade, deve-se aprender com as pessoas, questões e coisas próximas”).

Em tudo isso, permiti que Deus tinha permitido que Arianna expusesse problemas em meu dever. Não foi fácil aceitar, mas foi benéfico para a minha entrada na vida. Ser tratada desse jeito me ajudou a ver muitas características de uma falsa líder em mim e me motivou a buscar a verdade e a mudar. Além disso, vi minha natureza arrogante e cruel, que eu era capaz de oprimir e excluir alguém para proteger meu nome e status. Isso me deu uma imagem clara da verdade da minha corrupção. Eu me odiei desde o cerne e me tornei capaz de buscar a verdade e me livrar da corrupção. Era a graça especial de Deus e Seu amor e salvação para mim. Sou tão grata a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Liberto da inveja

Por Claude, França No início de 2021, eu servia como pregador e fazia parceria com o irmão Matthew para presidir sobre o trabalho da...

A salvação exige status?

Por Yixun, China Durante anos, cumpri meu dever longe de casa e fui responsável pelo trabalho da igreja. Embora tivesse uma cardiopatia...

Uma decisão indelével

Por Bai Yang, China Quando eu tinha quinze anos de idade, meu pai adoeceu repentinamente e morreu. Minha mãe não suportou esse golpe e...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp