Discernimento com as palavras de Deus nunca falha

27 de Setembro de 2022

Por Xidan, Estados Unidos

Em abril de 2021, eu estava morando numa casa com Chen Yue e algumas outras irmãs. No início, vi que ela falava muito sobre o estado dela com outras pessoas e, às vezes, conversava sobre isso durante as refeições. Fiquei pensando em como ela conseguia aproveitar até as refeições, portanto, ela devia se concentrar na entrada na vida e ser alguém que busca a verdade. Uma vez, quando estávamos conversando, Chen Yue me contou que se importava com as expressões faciais e opiniões dos outros e, se alguém fosse rude com ela, ela entendia que estava sendo menosprezada e que era astuta. Ela também disse que sempre competia com os outros por ganho e fama e se importava demais com status. Pensei que não nos conhecíamos havia muito tempo, então, ela ser capaz de me contar suas falhas fatais e fraquezas significava que ela era simples e aberta. Percebi, em nossas interações posteriores, que ela tinha estados de espírito complexos. Ela realmente se importava com expressões e opiniões e criticava os outros. Às vezes, quando os irmãos apontavam os problemas dela, ela se perguntava se eles a menosprezavam, depois se abria sobre o que tinha revelado, dizendo que criticar era ser astuto, e assim por diante. No início, pensei que ela só era sensível e frágil. Achava que todos têm falhas e problemas e que, como irmãos, devemos ter mais tolerância e perdão uns para outros. Ela também era capaz de se abrir e se entender após revelar corrupção, portanto devia ser capaz de aceitar a verdade. Não dei muita importância a isso. Em geral, quando ela me falava do estado dela, eu a ouvia derramar seu coração com paciência e nas conversas eu ficava atenta ao humor dela, temendo ser descuidada e dizer algo que a magoasse. Por isso, ela gostava de conversar comigo. Suas palavras diretas e insinuações mostravam que ela achava que meu temperamento e personalidade eram bons, que eu era generosa e que ela gostava de pessoas como eu. Além disso, quando conversávamos, tudo girava em torno do estado dela de criticar e se importar com reputação. Às vezes, uma conversa se estendia por uma hora, e isso atrasava os meus deveres. Vendo como ela confiava em mim, eu temia magoá-la se não a ouvisse. Tinha vergonha de interrompê-la. Mais tarde, aconteceram algumas coisas que mudaram minha visão dela.

Uma vez, a irmã Li não levou muito a sério quando Chen Yue a criticou por não dobrar bem um lençol. Chen Yue se irritou e não quis esquecer, e insistiu que a irmã Li fizesse o que ela queria. Ela também queria que as pessoas a adulassem, compactuassem e a deixassem feliz, então a irmã Li disse que ela estava concentrada demais em status e sempre queria pessoas em volta dela para poder controlá-las. Depois, Chen Yue foi se abrir com a irmã Li, chorando e dizendo que ela não era como a irmã Li dissera e que ela a entendera errado. A irmã Li pediu perdão, mas Chen Yue não conseguiu esquecer e lhe deu um gelo. Depois disso, ela se isolou e não falou muito conosco.

Uma vez, quando ela estava falando comigo sobre o estado dela, ela disse que via as outras irmãs conversarem muito com a irmã Li, por isso suspeitava que todos gostavam da irmã Li e que menosprezavam e excluíam ela. Então ela evitou todos, achando que a irmã Li não estava sendo sincera quando falava com ela. Mais tarde, disse que ela tinha humanidade ruim e que criticar a irmã Li desse jeito era muito astuto. Mas ela não mudou depois disso. Ficou emburrada conosco por duas semanas, e todos se sentiram constrangidos. Eu fiquei perplexa e não conseguia entender isso. Por que ela não buscava a verdade e aprendia uma lição quando confrontada com problemas? Depois disso, fiquei pensando sobre como ela tendia a bufar e ficar emburrada e que devíamos ajudá-la com amor. Uma vez, um vídeo que ela estava produzindo teve que ser refeito por causa de alguns problemas. Numa reunião, a líder de equipe disse que os produtores devem assumir a responsabilidade por problemas em vídeos. Chen Yue supôs que isso se voltava contra ela, que a líder de equipe achava que ela tinha calibre baixo e não gostava dela. Ela ficou desanimada por dias. Depois disso, uma líder comungou com ela e disse que ela não aceitava a verdade e reagia exageradamente e que nunca mudar era muito perigoso. Chen Yue começou a chorar quando ouviu isso. Ela disse que era astuta demais e não poderia ser salva por Deus. Vendo-a tão agitada, a líder comungou a vontade de Deus com ela para que ela não entendesse Deus errado e refletisse sobre o problema dela. Ela não disse nada naquele momento, e a líder achou que ela deveria ter alguma mudança, mas, numa reunião, ela disse que não conseguia aceitar o que a líder dissera sobre ela e que tinha ficado deprimida por dias. Mais tarde, ela contou a alguns irmãos que a líder de equipe a menosprezara pelo calibre baixo dela e que ela não sabia como passar por isso, chorando enquanto falava. Eles demonstraram simpatia. Coisas assim aconteciam sempre, e quando alguém comungava com ela, ela sempre se “conhecia” e admitia o problema. Mas então tinha outro surto alguns dias depois quando outra coisa acontecia.

Fiquei um tanto confusa ao vê-la agir desse jeito. Já que ela sempre parecia conhecer a si mesma, por que ela nunca mudava? Se os outros diziam algo que afetava o orgulho dela, ela supunha que a estavam menosprezando e entendia tudo errado. Não havia um problema com a humanidade e o entendimento dela? Eu não conseguia entender isso, então orei a Deus buscando e comunguei com outros que entendiam a verdade. Uma irmã me disse que, após anos de fé, Chen Yue entendia tudo, mas não praticava a verdade e era negativa com frequência. Isso significava que ela não se conhecia de verdade. Essa irmã me enviou uma passagem das palavras de Deus. “Quando algumas pessoas comungam seu autoconhecimento, a primeira coisa que sai de sua boca é: ‘Sou um diabo, um Satanás vivo, alguém que resiste a Deus. Eu desobedeço a Ele e O traio; sou uma víbora, uma pessoa maligna que deveria ser amaldiçoada’. Isso é autoconhecimento verdadeiro? Elas só falam generalidades. Por que não oferecem exemplos? Por que não conseguem trazer à luz do dia as coisas vergonhosas que fizeram para que sejam analisadas? Algumas pessoas sem discernimento as ouvem e pensam: ‘Ora, isso é que é autoconhecimento verdadeiro! Conhecer-se como o diabo Satanás e até amaldiçoar a si mesmas — que altura elas alcançaram!’. Muitas pessoas, especialmente recém-convertidos, são propensas a serem iludidas por essa conversa. Acham que a pessoa que fala é pura e entende assuntos espirituais, que ela é alguém que ama a verdade e é qualificada para a liderança. No entanto, assim que interagem com ela por um tempo, descobrem que não é bem assim, que a pessoa não é quem elas imaginavam ser, mas que é excepcionalmente falsa e enganosa, hábil em se disfarçar e imitar, e ficam muito decepcionadas. Como, então, se deveria avaliar se alguém ama a verdade? Isso depende do que ele manifesta normalmente e de se ele vive a realidade da verdade ou não, se ele faz o que diz, se o que ele diz e faz são iguais. Se o que ele diz soa coerente e conveniente, mas ele não o faz, não o vive, então, nisso, ele se tornou um dos fariseus, ele é um hipócrita e de forma alguma é alguém que ama a verdade. Muitas pessoas soam muito coerentes quando comungam a verdade, mas elas não percebem quando têm derramamentos de um caráter corrupto. Estas são pessoas que conhecem a si mesmas? Se as pessoas não conhecem a si mesmas, elas são pessoas que entendem a verdade? Todos que não conhecem a si mesmos são pessoas que não entendem a verdade, e todos que falam palavras de autoconhecimento vazias têm uma espiritualidade falsa, são mentirosos. Algumas pessoas soam muito coerentes quando falam palavras de doutrina, mas o estado em seu espírito é entorpecido e imbecil, elas não são perceptivas e são indiferentes em relação a qualquer problema. Pode-se dizer que elas estão entorpecidas, mas, às vezes, ao ouvi-las falar, seu espírito parece bastante aguçado. Por exemplo, logo após um incidente, elas são capazes de conhecer a si mesmas prontamente: ‘Neste momento, uma ideia ficou clara para mim. Eu refleti sobre ela e percebi que foi astuto, que eu estava enganando a Deus’. Algumas pessoas sem discernimento ficam com inveja quando ouvem isso e dizem: ‘Essa pessoa percebe imediatamente que teve um derramamento de corrupção, e, além disso, é capaz de se abrir e comungar. Ela reage rapidamente, seu espírito é aguçado, ela é muito melhor do que nós. Essa é realmente uma pessoa que busca a verdade’. Esse é um modo correto de avaliar pessoas? (Não.) Qual, então, deveria ser a base para avaliar se as pessoas realmente conhecem a si mesmas? Não deve ser apenas aquilo que sai da boca delas. Você deve analisar o que realmente se manifesta nelas, e o método mais simples para fazer isso é analisar se elas são capazes de praticar a verdade — isso é o mais importante. A capacidade delas de praticar a verdade prova que elas realmente conhecem a si mesmas, pois aqueles que realmente conhecem a si mesmos manifestam arrependimento, e somente quando as pessoas manifestam arrependimento elas realmente conhecem a si mesmas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só o autoconhecimento ajuda na busca da verdade”). As palavras de Deus me mostraram que, ao considerar se alguém ama e aceita a verdade, se ele realmente conhece a si mesmo, não se trata de ver o que ele admite verbalmente, quão bem cospe teorias, trata-se daquilo que ele realmente vive diante de problemas, se consegue praticar a verdade, se realmente se arrepende e muda e se o entendimento do qual fala e sua entrada condizem. Algumas pessoas cospem toda a doutrina certa, mas não praticam a verdade quando enfrentam as coisas e agem com base em seu caráter satânico. Isso é alguém que não aceita a verdade. Algumas pessoas conseguem se abrir, independentemente dos pensamentos que mostram, e conhecem sua corrupção, por isso os outros acham que elas são simples, mas elas não dizem nada sobre os motivos por trás daquilo e não dissecam a essência de seu caráter corrupto. Parecem simples e abertas, mas, na verdade, estão enganando as pessoas, e isso é muito astuto. O autoconhecimento de alguns não passa de uma ilusão, e embora admitam verbalmente que estão errados, digam que são Satanás, o diabo, e se amaldiçoem e condenem, e que são nada e inúteis, quanto às coisas perversas específicas que fizeram, seus motivos ocultos e objetivos por trás disso ou ao que isso levou, sobre isso não dizem nada. No caso de Chen Yue, ela gostava de conversar com as pessoas sobre o estado dela e realmente parecia buscar a verdade. Ela sempre dizia coisas como: “Eu tenho humanidade ruim, sou astuta, sou maliciosa”. Visto de fora, parecia que ela conseguia conhecer a si mesma, mas ela não praticava a verdade quando confrontada com problemas. Ela não resolvia sua corrupção. Os outros diziam que, dois anos antes, ela criticava as pessoas e se concentrava em status, mas ela não tinha mudado nada. Evidentemente, ela só falava sobre teorias, era tudo falso, e ela estava enrolando as pessoas. O conhecimento do qual ela falava e o que ela vivia não condiziam.

Mais tarde, li uma comunhão de Deus sobre quais pessoas realmente são irmãos e quais não são, e assim ganhei algum discernimento de Chen Yue. As palavras de Deus dizem: “Apenas aqueles que amam a verdade pertencem à família de Deus; apenas eles são irmãos e irmãs verdadeiros. Você acha que todos que à assembleia com frequência são irmãos e irmãs? Não necessariamente. Que pessoas não são irmãos e irmãs? (Aquelas que estão fartas da verdade, que não aceitam a verdade, que não buscam a verdade.) São aquelas que não aceitam e estão fartas da verdade, aquelas que são perversas e algumas pessoas com humanidade ruim. Há até algumas que parecem ter boa humanidade externamente, mas que primam em brincar com filosofias para viver; essas pessoas empregarão manobras astutas e usarão, seduzirão e enganarão os outros. Assim que a verdade é comungada, elas perdem o interesse, estão fartas dela, não conseguem suportar ouvir a respeito dela, sentem que ela é entediante e não conseguem ficar sentadas. Que tipo de pessoa é esse? Esse tipo de pessoa é incrédulo, e não importa o que faça, você não deve vê-las como irmãos e irmãs. […] Então, elas vivem segundo o quê? Sem dúvida, elas vivem segundo as filosofias de Satanás, são sempre maliciosas e astutas, não têm uma vida de humanidade normal. Nunca oram a Deus nem buscam a verdade, e lidam com tudo usando truques, táticas e filosofias de vida humanos — o que resulta numa existência exaustiva. Mesmo em questões simples, elas obscurecem, e se não estão racionalizando, estão inventando desculpas. Viver assim é exaustivo, não é? Por que, quando algo poderia ser explicado em poucas palavras, elas falam tantos absurdos? Seu raciocínio é enrolado, e elas não são capazes de aceitar a verdade. Pelo bem de sua reputação ou por causa de algumas palavras, elas discutem até ficar sem fôlego. É como se tivessem algum tipo de doença nervosa. A vida dessas pessoas é tão dolorosa. […] Diante de uma análise mais minuciosa, suas ações, as coisas que passam o dia inteiro fazendo — todas elas estão relacionadas a fama, reputação e vaidade. É como se estivessem vivendo numa rede, elas precisam racionalizar ou inventar desculpas para tudo, e estão sempre falando em defesa própria, seu raciocínio é enrolado, elas falam muitos absurdos, suas palavras são emaranhadas demais. Elas estão sempre discutindo sobre o que é certo e errado, elas nunca chegam ao fim, se não estiverem tentando obter fama, estão competindo por status e reputação, e nunca há um momento em que não estão vivendo por essas coisas. E qual é a consequência última? Elas podem ter obtido fama, mas todos estão fartos e cansados delas, as pessoas enxergaram o que elas realmente são, elas perceberam que carecem da realidade da verdade, que não são pessoas que acreditam sinceramente em Deus. Quando os líderes e os obreiros ou outros irmãos e irmãs as submetem a algumas palavras de crítica, elas se recusam teimosamente a aceitar, insistem na tentativa de racionalizar ou inventar desculpas, tentam culpar outra pessoa, e durante as assembleias elas se defendem, distorcem o certo e o errado, causando confusão entre os escolhidos de Deus. Em seu coração, pensam: ‘Realmente não há sentido naquilo que falo?’. Que tipo de pessoa é esse? É alguém que ama a verdade? É alguém que acredita em Deus? Quando ouve alguém dizer algo que o ofende, ele sempre quer discutir isso a fundo, fica enrolado com quem está certo e quem está errado, não busca a verdade e não trata a questão de acordo com os princípios da verdade. Não importa quão simples seja a questão, ele tem que complicar tanto — ele só está pedindo encrenca, ele merece estar tão exausto assim!(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Quando lemos as palavras de Deus, é fácil discernirmos quem é irmão e quem é um incrédulo. Alguns gostam de brigar sobre o certo e o errado. Não aceitam a verdade; antes, estão fartos dela. Não buscam a verdade diante das coisas nem refletem nem conhecem a si mesmos. Estão sempre se defendendo e justificando. Esse tipo de pessoa se acha demais e é naturalmente enganoso. Isso não é só cansativo para eles, eles também causam dor e aborrecimento aos outros. Esse tipo de pessoa não é um irmão de verdade. Então, pensando em Chen Yue, por causa do comentário inadvertido de alguém que afetava a reputação dela e a magoava, ela o criticava, suspeitava dele e desenvolvia um preconceito contra ele. Então ela se abria e se explicava falsamente ou falava sobre si mesma como maneira de mencionar os problemas dos outros. Ela estava sempre brigando sobre o certo e o errado. Por exemplo, quando a líder de equipe lhe deu algumas sugestões, ela achou que a líder de equipe a menosprezara e ficou triste. Então, depois, numa reunião, ela se abriu e disse que a líder de equipe a menosprezara para que todos simpatizassem com ela e desenvolvessem uma opinião contra a líder de equipe. Normalmente, as pessoas pisavam em ovos quando interagiam com ela, observando as expressões e o rosto dela, temendo impactar o estado dela com algo que dissessem. Interagir com ela era muito opressivo, e ninguém se sentia livre. Já que ela sempre pensava demais sobre as coisas e ficava deprimida, isso impactava o progresso do trabalho. Eu costumava pensar que ela só era sensível e frágil, que ela tendia a bufar e ficar emburrada quando as coisas não aconteciam como ela queria, que isso era uma falha humana normal e não constituía uma perturbação real para os irmãos nem para o trabalho da igreja. Mas ao comparar isso com os fatos, vi que isso realmente tinha perturbado o estado dos irmãos e a vida da igreja. Também tinha impactado o progresso normal do trabalho da igreja. Em conjunto com sua apresentação geral, ela não aceitava a verdade e era muito astuta. Ela não edificava nem ajudava os outros; na verdade, era uma incrédula. A líder obteve um entendimento do comportamento geral dela, tirou o dever dela e a separou para que ela refletisse.

Depois disso, li uma passagem das palavras de Deus que expõem os caracteres corruptos das pessoas e vi o que se escondia por trás das palavras de Chen Yue e ganhei discernimento. As palavras de Deus dizem: “Muitas vezes, o engano é externamente evidente. Quando alguém fica fugindo do assunto ou fala de um jeito dissimulado e astuto demais, isso é o engano. E qual é a característica principal do mal? O mal é quando o que as pessoas dizem é especialmente agradável ao ouvido, quando tudo parece certo, irrepreensível e bom sem importar de que maneira se olhe, é quando elas fazem coisas e alcançam seus objetivos sem usar nenhuma técnica óbvia. São extremamente reservados quando fazem as coisas, elas as alcançam sem qualquer dica ou pista visível; é assim que os anticristos enganam as pessoas, e tais coisas e tais pessoas são muito difíceis de identificar. Algumas pessoas costumam dizer as palavras certas, empregar frases agradáveis e usar certas doutrinas, argumentos e técnicas alinhados aos sentimentos das pessoas, para tapar seus olhos; fingem ir em uma direção, mas, na verdade, vão em outra para alcançar seus objetivos secretos. Isso é o mal. Geralmente, as pessoas acreditam que esses comportamentos são enganação. Elas têm menos conhecimento do mal e também o dissecam menos; na verdade, o mal é mais difícil de identificar que o engano, pois é mais oculto, e as técnicas e os métodos envolvidos são mais sofisticados(A Palavra, vol. 3: Expondo os anticristos, “Item Cinco: Eles confundem, atraem, ameaçam e controlam as pessoas”). As palavras de Deus expõem pessoas com caracteres malignos. Essas pessoas dizem coisas que parecem legais e corretas, que soam agradáveis, mas por trás delas se escondem segundas intenções que as pessoas comuns não conseguem discernir. Tive que pensar no comportamento de Chen Yue. Ela me disse que eu era generosa e não brigava com ela, e que gostava de interagir comigo. Uma vez, quando viu que a irmã Li não estava em casa, ela enviou uma mensagem de texto dizendo que tinha medo de ficar em casa sozinha, como se fosse uma criança sem a mamãe do lado dela. Ao ouvir isso, qualquer um acharia que ela confiava muito nele e que ela o via como um amigo confiável ou até mesmo como membro da família. Então ele desejava cuidar dela e fazia tudo que ela queria. Mesmo quando ela discutia sobre o certo e o errado, pensando que os outros a estavam menosprezando, ninguém discernia o que ela dizia e só simpatizava com ela e tinha pena dela. Ela dizia coisas que soavam bem, bajulavam os outros e eram o que eles queriam ouvir, mas por trás disso, ela queria seduzi-los. Ela gostava de falar com as pessoas sobre o estado dela para que elas vissem que ela se concentrava na entrada na vida e que ela buscava a verdade. Na verdade, porém, ela estava criando uma aparência pseudoespiritual, para que os outros pensassem bem dela. Ela agia como se estivesse falando sobre seu estado, mas estava fazendo drama para ser confortada e brincando com os sentimentos das pessoas. Ela até tomava o tempo de pessoas que estavam cumprindo dever. Mas eu não conseguia ver os motivos dela nem discernia que tipo de pessoa ela era. Eu só comungava com ela gentilmente, ajudava e apoiava. Eu a ajudava com entusiasmo sempre que a via com dificuldades na vida e a beneficiava sempre primeiro. Agora as palavras de Deus finalmente me mostraram que ela tinha uma natureza maligna, que ela era enganosa em palavra e ação, que ela estava enganando e enrolando todos.

Depois disso, refleti sobre mim mesma. Por que eu não tinha nenhum discernimento de Chen Yue? Em minha reflexão, vi uma perspectiva equivocada que eu tinha. O fato de ela ser capaz de falar sobre o estado dela significava, para mim, que ela era simples e aberta, que praticava a verdade, e não dei atenção às palavras dela. Foi só por meio das palavras de Deus que vi o que realmente é ser simples e aberto. As palavras de Deus dizem: “Ser honesto significa entregar seu coração a Deus, ser genuíno com Ele em todas as coisas, ser aberto com Ele em todas as coisas, nunca esconder os fatos, nunca tentar enganar quem está acima e abaixo de você e não fazer as coisas apenas para conseguir o favor de Deus. Resumindo, ser honesto é ser puro em suas ações e palavras e não enganar nem a Deus nem aos homens. […] Se suas palavras forem repletas de desculpas e justificativas sem valor, então digo que você detesta colocar a verdade em prática. Se você tiver muitas confidências que reluta em compartilhar, se estiver muito indisposto a desnudar seus segredos — suas dificuldades — diante dos outros de forma a buscar o caminho da luz, então digo que você é alguém que não alcançará a salvação facilmente e que não emergirá facilmente das trevas(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Três admoestações”). As palavras de Deus me mostraram que ser simples e aberto é sobretudo abrir-se em comunhão quando você enfrenta problemas ou revela corrupção, não é disfarçar ou ocultar os fatos. Abrir-se significa buscar a verdade e resolver rapidamente os seus problemas. Por meio disso, você pode ver a essência da sua corrupção e pode ter uma conversa de coração para coração com seus irmãos. Isso é edificante e benéfico para as pessoas. Para ver se alguém está sendo simples e aberto basta olhar para seus motivos e o resultado. Se ele fala sobre preconceitos, pequenos assuntos domésticos e fofoca, sem autorreflexão nem entendimento, abrir-se desse jeito não é ser simples e aberto. Isso é falar sobre o que você não gosta e culpar os outros pelos seus problemas. Não há edificação nem ajuda para as pessoas nesse tipo de abertura. Alguns até agem como se fossem abertos para fingir que são pessoas honestas que aceitam a verdade para que os outros os admirem. Abrir-se desse jeito é exaltar-se e exibir-se de forma oculta, é enganoso. Considerando o autoconhecimento de Chen Yue, ela se abria sobre como suspeitava dos outros e sobre os pensamentos e ideias que ela revelava, mas nunca falava sobre seus caracteres corruptos, nem sobre suas intenções ocultas, nem sobre seus motivos. Ela não se abria para buscar a verdade nem para resolver sua corrupção, só para dar vazão às suas queixas para que as pessoas sentissem pena dela e a confortassem. Ela até usava isso para se justificar, para que não fosse entendida errado. Desse jeito, ela podia proteger a imagem dela aos olhos dos outros. Sua abertura não resolvia seu caráter corrupto e não trazia benefícios nem edificação aos irmãos. Isso não era ser simples e aberto. Era aplicar truques e fazer joguinhos. Ganhei alguma clareza interior quando percebi isso. Vi claramente que Chen Yue não era alguém que buscava a verdade e que ela não era simples e honesta, mas que era astuta e maligna.

Refleti sobre mim mesma depois disso. Eu tinha interagido com Chen Yue por quase um ano e tinha ganhado alguma consciência dos problemas gerais dela. Por que, então, não tinha ganhado nenhum discernimento dela? Percebi que a causa disso era que eu não estava olhando para as coisas através da lente das palavras de Deus; eu via as aparências através das minhas noções e imaginações. Achava que ela se abrir e querer compartilhar seu estado com outros era amoroso e era buscar a verdade. Eu não olhava para os motivos dela nem para seu ponto de partida, nem para o que ela alcançava. Não olhava para como ela falava ou agia, nem para suas abordagens, e não olhava para as coisas por meio das palavras de Deus. Era por isso que eu não via a essência dela e não ganhava discernimento dela. Eu até a tratava como uma irmã, sempre a perdoava e ajudava e a apoiava com amor. Eu era tão tola! Agora entendo que discernir se uma pessoa ama e busca a verdade não tem a ver com quanto ela procura outras pessoas em comunhão ou fala sobre autoconhecimento, mas se ela consegue buscar a verdade e praticar as palavras de Deus quando confrontada com problemas e se ela tem entrada e mudança reais. Também percebi como é importante discernir a essência de uma pessoa com base nas palavras de Deus. Você será enganada se não conseguir discernir as pessoas. Amará as pessoas cegamente, apoiará e ajudará as pessoas erradas como irmãos. Isso acabará interrompendo o trabalho da igreja. É preciso ver as pessoas e as coisas corretamente por meio das palavras de Deus, e esse é o único jeito de discernir os outros. É o único jeito de saber como agir corretamente com os outros. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Depois de perder o meu status

Por Huimin, Província de Henan Todas as vezes que eu via ou ouvia falar de alguém que havia sido substituído como líder e se sentia mal,...

Julgamento é luz

Por Zhao Xia, Província de Shandong Meu nome é Zhao Xia. Eu nasci em uma família comum. Devido à influencia de ditados como “assim como uma...

Leave a Reply

Entre em contato conosco pelo WhatsApp