Eu me sinto bem mais leve depois de me livrar das algemas do status

29 de Agosto de 2019

Por Liang Zhi, província de Anhui

Meu nome é Liang Zhi e faz seis anos que aceitei de Deus a salvação dos últimos dias. Certa vez, em uma eleição democrática na nossa igreja, fui eleito para ser o líder da igreja e achei essa notícia tanto inesperada quanto estimulante. Pensei comigo: “O fato de ser escolhido como líder da igreja dentre todos os irmãos e irmãs e como responsável por todo o trabalho da igreja mostra que sou melhor que os outros!”. Quando pensei nisso, um sentimento de superioridade começou a se enraizar no fundo do meu coração, comecei a me pavonear de cabeça erguida e me enchi de energia nas reuniões com meus irmãos e irmãs. Mas algum tempo depois notei que a irmã com quem eu cumpria meu dever tinha um bom calibre e comunicava a verdade de maneira lúcida. Ela era capaz de compreender a raiz de qualquer problema que irmãos e irmãs levantassem, podia comunicar-se com eles em relação a como resolvê-lo e mostrar-lhes o caminho da prática. Todos os irmãos e irmãs queriam ouvi-la dar a comunicação e, vendo essa situação se desdobrar, comecei a sentir ciúmes e inveja dela. Eu não estava disposto a me dar por vencido e assim, antes de cada reunião, fazia preparações cuidadosas em relação aos estados e problemas dos irmãos e irmãs e quebrava a cabeça sobre como comunicar de uma forma mais abrangente, mais esclarecedora que a minha irmã. Depois que eu dava uma comunicação e via todos os irmãos e irmãs acenando com a cabeça em concordância, me sentia muito satisfeito comigo mesmo e bastante realizado. Se visse meus irmãos e irmãs reagirem de uma forma desinteressada, me sentia desanimado e frustrado. Mais tarde, descobri que um irmão com quem eu cumpria o meu dever sabia bastante sobre a produção de filmes e era bom com computadores. Quando vi que irmãos e irmãs o procuravam para discutir problemas profissionais que encontravam quando produziam filmes, apesar de ser o encarregado da nossa igreja, percebi que eu mal poderia dar uma palavra — me sentia como uma quinta roda que estava sendo deixada de fora. Eu me senti mesmo muito incomodado e infeliz e me perguntei: “Os irmãos e irmãs sempre o procuram quando têm um problema, então acham que ele é melhor que eu? Seria ótimo se eu tivesse habilidades para a produção de filmes também, pois assim os irmãos e irmãs procurariam a mim, em vez dele, sempre que tivessem um problema”. E então, todos os dias, de manhã à noite, eu buscava informações e estudava tudo relacionado à produção de filmes. Exatamente quando eu prosseguia com vigor e afinco em prol do status, surgiram problemas, um após o outro, no trabalho de cada grupo da igreja e por mais que eu fizesse reuniões ou comunicações era tudo em vão. Senti-me sob tanta pressão que mal conseguia respirar, meu coração estava atormentado. Pensei comigo: “O que meus irmãos e irmãs vão pensar de mim? Vão pensar que, apesar de ser líder, não tenho talento para o trabalho e que simplesmente não estou qualificado para cumprir esse dever? Parece que não serei capaz de manter o cargo de líder por muito mais tempo”. Quanto mais pensava nisso, mais negativo eu me tornava e todo o meu ser parecia uma bola de futebol murcha; a energia que eu tinha sentido antes desapareceu completamente. No fim, por estar vivendo em um estado constante de negatividade e ter me tornado negligente com meu trabalho, perdi a obra do Espírito Santo, não tinha alcançado nada de concreto no cumprimento do meu dever e então fui substituído. Naquele momento, senti como se tivesse perdido toda a minha credibilidade e quis que o chão me engolisse. Ao mesmo tempo, eu me perguntava: “Meus irmãos e irmãs vão falar de mim pelas costas e dizer que sou um falso líder, que só me esforço por fama e fortuna e que não faço nenhum trabalho efetivo?”. Quanto mais pensava nisso, mais dor eu sentia envolvendo o meu coração, como se muitas vozes de reprovação estivessem ressoando em meus ouvidos…

Naquela noite, deitei-me na cama, virando de um lado para outro, incapaz de dormir um instante sequer. Tudo que conseguia fazer era orar seguidamente, pedindo a Deus para me guiar e me conduzir… Mais tarde, vi estas palavras de Deus: “Em sua busca, vocês têm muitas ideias pessoais, esperanças e futuros. A obra atual tem a finalidade de lidar com seu anseio por status e seus desejos extravagantes. As esperanças, o desejo de[a] status, e as noções são todas representações clássicas do caráter satânico. A razão de essas coisas existirem no coração das pessoas é inteiramente porque o veneno de Satanás está sempre corroendo os pensamentos delas, e as pessoas são sempre incapazes de se livrar dessas tentações de Satanás. Elas estão vivendo em meio ao pecado, porém não creem que seja pecado e ainda acreditam: ‘Nós cremos em Deus, então Ele deve nos conceder bênçãos e dispor tudo adequadamente para nós. Nós cremos em Deus, então temos de ser superiores aos outros, e temos de ter mais status e um futuro melhor do que qualquer pessoa. Já que cremos em Deus, Ele deve nos dar bênçãos ilimitadas. Caso contrário, não se chamaria “crer em Deus”’. […] Agora vocês são seguidores e têm algum entendimento deste estágio da obra. Contudo, vocês ainda não deixaram de lado o desejo de status. Quando seu status é elevado, vocês buscam bem, mas quando é baixo, vocês não buscam mais. As bênçãos de status estão sempre em sua mente. […] Quanto mais você buscar dessa forma, menos você colherá. Quanto maior o desejo de uma pessoa por status, maior a seriedade com que ela será tratada, e mais ela terá de passar por refinamento. Esse tipo de pessoa é inútil demais! Elas precisam ser tratadas e julgadas de modo apropriado a fim de abrir mão disso totalmente. Se vocês buscarem esse caminho até o fim, vocês nada colherão. Aqueles que não buscam vida não podem ser transformados; aqueles que não têm sede da verdade não podem ganhar a verdade. Você não foca em buscar uma transformação pessoal e em entrar; você sempre foca naqueles desejos extravagantes e nas coisas que restringem seu amor por Deus e o impedem de se aproximar Dele. Essas coisas podem transformar você? Elas podem trazê-lo para o reino?” (de ‘Por que você não está disposto a ser um contraste?’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Algumas pessoas sempre temem que outros roubem seus holofotes e as ultrapassem, obtendo reconhecimento, enquanto elas mesmas são negligenciadas. Isso as leva a atacar e excluir os outros. Isso não é um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que elas mesmas? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em si mesmo, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos deveres de outros e pensar apenas em seus próprios interesses e não nos interesses da casa de Deus — pessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas. Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você der a alguém a sua recomendação e essa pessoa for cultivada em uma pessoa de talento, trazendo assim mais uma pessoa talentosa para a casa de Deus, você não terá feito bem o seu trabalho? Você não terá sido leal no cumprimento de seu dever? Isso é uma boa ação diante de Deus e é o tipo de consciência e razão que os humanos deveriam possuir” (de ‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus expuseram a minha essência interior, que estava em busca de status, fama e fortuna, e me senti terrivelmente incomodado. Desde que comecei a cumprir o dever de líder da igreja, sempre me despendi com entusiasmo e por isso acreditava que eu era alguém que estava em busca da verdade. Mas agora que os fatos me tinham sido revelados, confrontado com o julgamento e castigo das palavras de Deus, finalmente vi as impurezas em minha crença em Deus. Refleti sobre como, toda vez que me reunia com meus irmãos e irmãs para comunicar as palavras de Deus, eu não o fazia para exaltar a Deus ou para dar testemunho de Deus de modo que todos pudessem entender a verdade nas palavras de Deus, entender a vontade de Deus e saber como praticar para entrar na realidade das palavras de Deus. Em vez disso, em uma tentativa de estabelecer a minha imagem no coração deles e estabilizar ainda mais a minha posição, aplicava toda a energia pensando em como ser melhor que minha irmã e em como fazer os irmãos e irmãs concordarem comigo e me admirarem. Quando via que meu irmão era profissionalmente mais capaz que eu e que todos os irmãos e irmãs o procuravam para buscar e ter comunicação com ele quando tinham problemas e eu não tinha a oportunidade de fazer nada, então sentia ciúmes dele e o excluía. Temia que ele roubasse os meus aplausos e me deixasse sem poder, por isso eu tentava me armar com conhecimento profissional a fim de consolidar a minha posição. Quando a igreja tinha um problema que eu era incapaz de resolver, eu não vinha diante de Deus para orar, não contava com Deus nem olhava para Deus, não buscava a verdade com meus irmãos e irmãs para resolver o problema, mas, ao contrário, passava cada dia dominado pelos pensamentos de ganhos e perdas em meu status, receoso de que, se não trabalhasse bem, seria incapaz de manter minha posição de líder. Vi que não estava cumprindo o meu dever a fim de buscar a verdade e satisfazer a vontade de Deus, que não estava buscando mudança em meu caráter enquanto cumpria o meu dever. Em vez disso, estava tratando o meu dever como se fosse uma carreira e o considerando uma ferramenta que eu podia usar para me sobressair na multidão e ganhar renome por mim mesmo. Tudo em que pensava era como me exibir e me provar, para ganhar estima e apreciação de todos, para satisfazer a minha ambição e o meu desejo de me elevar acima de todos os outros. Eu não estava acumulando bons feitos no cumprimento do meu dever, mas, ao contrário, estava vivendo completamente em função de fama, fortuna e status!

Então eu li as palavras de Deus que dizem: “Eu decido o destino de cada pessoa não com base na idade, senioridade, quantidade de sofrimento, nem muito menos, o grau em que ela causa compaixão, mas de acordo com ela possuir ou não a verdade. Não há outra escolha além dessa. Vocês devem entender que todos os que não seguem a vontade de Deus serão punidos. Esse é um fato imutável” (de ‘Prepare boas ações suficientes para o seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler as palavras de Deus, entendi Sua vontade. Quando determina o fim de uma pessoa, Deus não o faz com base em quão alto ou baixo é seu status, em quão maior é a sua senioridade, no quanto ela tem trabalhado para Deus ou no quanto tem sofrido. Em vez disso, Deus determina o fim de uma pessoa com base no fato de ela buscar e ganhar a verdade ou não, e se o caráter de vida dessa pessoa mudou ou não. Eu acreditava em Deus havia vários anos, mas nunca tinha feito qualquer esforço real em buscar a verdade ou praticar as palavras de Deus. Pelo contrário, estivera em busca constante de fama, fortuna e status, e as opiniões que eu tinha sobre o que buscar estavam completamente em desacordo com o que Deus exigia. O resultado de tudo isso foi que, embora tivesse acreditado em Deus por anos, eu não tinha entrado nem um pouco na realidade da verdade e o meu caráter de vida não tinha mudado nada. Nas reuniões, não era capaz de falar sobre quaisquer experiências ou conhecimento das palavras de Deus, mas muitas vezes eu só pregava algumas letras e doutrinas para enganar as pessoas. Por isso, perdi a obra do Espírito Santo e não alcancei nada no cumprimento do meu dever. Se tivesse continuado a seguir a senda errada, então eu teria sido exposto e eliminado por Deus e teria perdido a minha chance de alcançar a salvação de Deus. Pensando nisso agora, percebi que ser substituído foi o julgamento e castigo justo de Deus. Deus havia feito isso para lidar com a ambição e o desejo dentro de mim de lutar por fama e fortuna, para purificá-los, e Ele estava me conduzindo para a senda correta de buscar a verdade — Deus estava me salvando! Naquele momento, fiquei tomado de gratidão para com Deus e não pude deixar de vir diante de Deus para orar: “Ó Deus, Te dou graças por Teu julgamento e castigo, por me permitires reconhecer que estava seguindo a senda errada e ver as consequências perigosas de buscar fama, fortuna e status. Ó Deus, desejo voltar para Ti, desistir de fama, fortuna e status e escolho seguir a senda de buscar a verdade de modo que eu possa trazer consolo para o Teu coração”.

Durante um período de devoções espirituais e autorreflexão, meu estado melhorou gradualmente, e o líder da igreja arranjou para eu regar novos crentes. Fiquei muito grato a Deus por me dar uma chance de cumprir o meu dever e, em silêncio, tomei uma resolução: “Preciso aproveitar essa oportunidade para cumprir o meu dever. Não posso cometer os mesmos erros outra vez e seguir a senda em busca de fama, fortuna e status!”. Dali em diante, toda vez que encontrava um problema em meu dever, eu o discutia mais com meus irmãos e irmãs, ouvia e adotava suas sugestões. Toda vez que começava a revelar o meu caráter corrupto de lutar por fama e fortuna, eu orava a Deus e propositadamente ia ler mais das palavras de Deus relacionadas ao Seu julgamento da essência corrupta do homem e então praticava em concordância com Suas palavras. Após experimentar isso por um período, fui então capaz, de certa forma, de abrir mão de fama, fortuna e status. Mas a minha natureza satânica que lutava por fama e fortuna e que procurava se sobressair dentre os outros não podia ser resolvida de uma vez por todas só por ter um pouquinho de entendimento. Eu ainda precisava passar por mais julgamento e castigo antes de finalmente poder ser purificado e mudado.

Alguns meses depois, mais uma vez Deus orquestrou um ambiente para me expor e me salvar. Posto que mais e mais pessoas estavam examinando e aceitando a obra de Deus dos últimos dias e o trabalho de regar e apoiar os novos crentes estava crescendo cada vez mais, o líder da nossa igreja disse que tínhamos de escolher um líder de grupo para ser responsável por arranjar o trabalho. No momento em que ouvi isso, comecei a avaliar as possibilidades em minha mente: “Dentre os sete neste grupo, o irmão Zhang talvez seja o mais capaz no trabalho. Ele também tem senso de justiça, comunica a verdade de maneira bastante prática e é capaz de salvaguardar ativamente o trabalho da igreja. É muito provável que ele seja escolhido para ser o líder do grupo”. Mas então pensei que eu já havia sido líder da igreja e que sempre tinha sido eu quem arranjara as coisas para o irmão Zhang fazer. Se desta vez ele fosse escolhido para ser líder de grupo, então eu sempre teria de fazer o que ele me ordenasse e isso mostraria que eu tinha um status mais baixo que o dele. Como eu poderia encarar alguém outra vez? Quando pensei nisso, fiquei muito chateado. Quando chegou o dia em que íamos escolher o nosso líder de grupo, não pude deixar de me sentir nervoso e a minha mente ficou em constante batalha contra si mesma. Em quem eu deveria votar? No irmão Zhang? Mas quando pensei em como os irmãos e irmãs sempre o procuravam para discutir suas dificuldades, comecei a sentir certo ciúme e não quis mais votar nele. E se votasse em mim mesmo? Mas eu sabia que não era tão capaz quanto o irmão Zhang e, se os outros irmãos e irmãs não votassem em mim, eu não seria capaz de me tornar líder do grupo. Fiquei muito desanimado naquele momento, tanto que um pensamento malicioso surgiu em minha mente: “Se eu não posso ser o líder do grupo, então você também não será”. E assim acabei votando no irmão Wu, com quem eu normalmente me dava bem, mas que era menos capaz. Porém, no fim, o irmão Zhang foi escolhido para ser o líder do grupo. Não fiquei feliz em ver esse resultado, mas então surgiu uma sensação de desconforto e senti como se tivesse feito algo não totalmente honesto. No caminho de volta para casa naquele dia, refleti sobre os pensamentos e as ideias que eu revelara durante a votação. Por que não estivera disposto a votar no irmão Zhang? Eu temia que o irmão Zhang se sobressaísse mais que eu. Eu não tinha voltado para um estado de lutar por fama e fortuna outra vez? Fiquei muito angustiado. Não queria lutar por fama e fortuna; por que, então, eu sempre retrocedia aos meus velhos hábitos toda vez que esse tipo de situação surgia? Orei a Deus em meu coração e Lhe pedi para me iluminar e me guiar de modo que eu fosse capaz de encontrar a raiz desse problema. Quando cheguei em casa, vi estas palavras de Deus: “Vamos recapitular brevemente outra vez: o que Satanás usa para manter o homem confinado e controlado? (Fama e ganho.) Então, Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que consiga pensar seja fama e ganho. O homem luta por fama e ganho, passa por dificuldades por fama e ganho, suporta humilhação por fama e ganho, sacrifica tudo o que tem por fama e ganho e fará qualquer julgamento ou tomará qualquer decisão por fama e ganho. Dessa forma, Satanás aprisiona o homem com grilhões invisíveis. Esses grilhões são carregados pelas pessoas, e elas não têm força nem coragem para se livrar deles. Assim, sem saber, as pessoas carregam esses grilhões e caminham penosamente sempre adiante com grande dificuldade. Por causa dessa fama e ganho, a humanidade se afasta de Deus e O trai, tornando-se cada vez mais perversa. Dessa forma, portanto, uma geração após a outra é destruída na fama e no ganho de Satanás. Olhando agora para as ações de Satanás, seus motivos sinistros são abomináveis? Talvez, hoje, vocês ainda não consigam discernir os motivos sinistros de Satanás por pensarem que não há vida sem fama e ganho. Vocês pensam que, se as pessoas deixarem para atrás a fama e o ganho, elas não serão mais capazes de ver o caminho adiante, não serão mais capazes de ver seus objetivos, seu futuro se torna escuro, turvo e sombrio. Lentamente, porém, todos vocês reconhecerão um dia que fama e ganho são grilhões monstruosos que Satanás usa para amarrar o homem. No dia em que você reconhecer isso, você resistirá completamente ao controle de Satanás e resistirá completamente aos grilhões que Satanás traz para amarrá-lo. Quando chegar a hora em que você desejará livrar-se de todas as coisas que Satanás tem incutido em você, você fará uma ruptura clara com Satanás e também detestará verdadeiramente tudo que Satanás trouxe para você. Só então você terá amor e anseio verdadeiro por Deus” (de ‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Que tipo de comportamento uma pessoa com um coração temente a Deus exibirá? (Ela não fará simplesmente o que lhe agrada ou agirá arbitrariamente.) O que, então, alguém deveria fazer a fim de não agir como lhe agrada? (Ter um coração que busca.) Algumas pessoas podem sentir que seu pensamento está errado, mas também se sentem indispostas a ouvir as sugestões corretas de outros e pensam: ‘Normalmente, sou melhor do que ele. Se eu ouvir sua sugestão agora, parecerá que ele é superior a mim! Não, não posso ouvi-lo nessa questão. Eu agirei do meu jeito’. Então encontram uma razão e uma desculpa para excluir a outra pessoa. Se virem alguém que é melhor do que elas, elas o suprimem, iniciam um boato sobre ele ou empregam algum meio inescrupuloso para que as outras pessoas não o admirem e para que ninguém seja melhor do que qualquer outra pessoa, então isso é o caráter corrupto da arrogância e presunção, assim como da desonestidade, enganação e insídia, e essas pessoas fazem de tudo para alcançar seus objetivos. Elas vivem desse modo e, mesmo assim, pensam que são pessoas maravilhosas e boas. No entanto, elas têm um coração que teme a Deus? Em primeiro lugar, para falar do ponto de vista das naturezas dessas questões, as pessoas que agem dessa forma não estão simplesmente fazendo o que lhes agrada? Elas consideram os interesses da família de Deus? Elas só pensam em seus próprios sentimentos e só querem alcançar seus próprios objetivos, independentemente da perda sofrida pelo trabalho da família de Deus. Pessoas assim são não só arrogantes e presunçosas, são também egoístas e desprezíveis; não têm nenhuma consideração pela intenção de Deus e, sem dúvida alguma, pessoas desse tipo não possuem um coração que teme a Deus. É por isso que fazem o que querem e agem arbitrariamente, sem qualquer senso de culpa, sem qualquer receio, sem qualquer apreensão ou preocupação e sem considerar as consequências. Elas não temem a Deus, acreditam que elas são de suma importância e veem cada aspecto de si mesmas como mais alto do que Deus e mais alto do que a verdade. Em seu coração, Deus é o menos digno de ser mencionado e o mais insignificante, e Deus não tem qualquer status no coração delas” (de ‘As cinco condições que as pessoas têm antes de entrar na trilha certa de acreditar em Deus’ em “Registros das falas de Cristo”).

Enquanto contemplava as palavras de Deus, rememorei tudo que eu pensara e fizera durante o voto na eleição e senti uma vergonha indescritível. Entendi que a fama, a fortuna e o status que sempre busquei eram na verdade algemas invisíveis que Satanás usa para nos prender e que são uma maneira de Satanás nos enganar e nos corromper! Pensei sobre o tempo em que ainda não acreditava em Deus, quando considerava as ideias e concepções de Satanás, tais como “Um homem deixa seu nome onde quer que passe, assim como um ganso deixa seu grito onde quer que voe”, “Os homens devem sempre se empenhar para serem melhores do que seus contemporâneos”, “Sem dor não há ganho” e “O homem luta para subir; a água flui para baixo”, como os axiomas da minha vida e como provérbios verdadeiros. Aceitei essas ideias satânicas e me apaixonei por poder e status, tomei a busca de fama, fortuna e status e de me sobressair dentre os outros como meus objetivos na vida e batalhei e lutei muito por isso. Enquanto pudesse ganhar fama, fortuna e status por mim mesmo, eu suportaria qualquer sofrimento ou exaustão. Depois que comecei a acreditar em Deus, continuei a viver por esses venenos de Satanás em minha busca de fama, fortuna e status e busquei me sobressair dentre as outras pessoas. Essas coisas tinham se tornado a minha vida havia muito tempo e me deixaram incapaz de não me rebelar contra Deus e resistir a Deus. Eu sabia perfeitamente bem que o irmão Zhang beneficiaria o trabalho na igreja como líder de grupo, mas senti inveja por ele ser tão capaz e tive medo de ser superado. Assim, a fim de preservar o meu cargo e prestígio, decidi que preferia que alguém inadequado assumisse o cargo de líder do grupo e que o trabalho da igreja sofresse em vez de votar no irmão Zhang. Vi que estava me recusando a aceitar o escrutínio de Deus em meus feitos, que não tinha nem um pingo de temor a Deus em meu coração, que sempre considerava apenas o meu prestígio e o meu cargo toda vez que encontrava um problema e que simplesmente não estava apoiando o trabalho da igreja — como, então, tal comportamento egoísta e desprezível poderia não ter desagradado a Deus e feito com que Ele me detestasse? Pensei nas palavras de Deus que dizem: “As transgressões levarão o homem para o Inferno” e senti que estava em um estado muito perigoso. Se continuasse dessa maneira, eu me tornaria alguém que Deus detesta, rejeita e elimina. Naquele momento, pensei nos fariseus que resistiram ao Senhor Jesus. A fim de proteger suas posições e poder no templo, eles não buscaram de modo algum a aparição do Senhor Jesus nem as verdades que Ele expressava, mas, ao contrário, só persistiram em resistir ao Senhor Jesus e condená-Lo, tanto que até O crucificaram na cruz e assim sofreram o castigo e a maldição de Deus. Agora eu via claramente que, na crença da pessoa em Deus, se ela não se atenta em buscar a verdade e entrar na verdade, mas em vez disso busca continuamente fama, fortuna e status, então está seguindo a senda dos fariseus em seu desafio a Deus! Pensando nessas coisas, não pude deixar de ficar com medo de seguir a senda errada e na mesma hora decidi me livrar das amarras e do dano de fama, fortuna e status, decidi seguir a senda de buscar a verdade, cumprir fielmente o meu dever e ganhar o louvor de Deus.

Mais tarde, voltei às palavras de Deus e li: “Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus em suas ações. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração está correto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem e não aceita o escrutínio de Deus, você tem Deus no coração? Pessoas assim não têm um coração temente a Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu bem, nem considere sempre os interesses próprios, não considere seu status, sua honra ou reputação. Primeiro você precisa considerar os interesses da casa de Deus e fazer disso a sua prioridade absoluta; você deve ser atencioso para com a vontade de Deus, refletir se está pensando na obra da casa de Deus ou não e se desempenhou bem o seu dever ou não. Quando estiver sempre considerando a obra da casa de Deus em seu coração e pensando na entrada na vida de seus irmãos e irmãs, então você será capaz de desempenhar bem o seu dever. […] Além disso, se você conseguir cumprir suas responsabilidades, executar seus deveres e obrigações, deixar de lado seus desejos egoístas, deixar de lado seus próprios motivos e intenções, ter consideração pela vontade de Deus e colocar em primeiro lugar os interesses de Deus e de Sua casa, então, após algum tempo de experiências desse tipo, você sentirá que essa é uma boa maneira de viver: é viver franca e honestamente, sem ser uma pessoa baixa ou inútil, é viver justa e honradamente em vez de ser mesquinho ou mau; você sentirá que é assim que uma pessoa deve viver e agir. Aos poucos, o desejo em seu coração de satisfazer seus próprios interesses diminuirá” (de ‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). Essas palavras me mostraram os objetivos que eu devia ter e a direção que devia tomar para ser um ser humano. Meu coração se encheu de luz e então eu soube como praticar de uma maneira que estivesse de acordo com a vontade de Deus. Depois, tomei a iniciativa de me abrir para o irmão Zhang sobre como estive vivendo em um estado constante de lutar por fama e fortuna, sobre como senti inveja dele e também lhe revelei a minha intenção desprezível durante o voto. Depois de me ouvir, ele não me desprezou, mas, em vez disso, me fez uma comunicação sobre as verdades relacionadas ao meu estado e também se abriu para mim e me contou sobre suas experiências e seu entendimento. Após essa comunicação, qualquer estranhamento entre nós acabou e senti uma sensação incrível de libertação e sossego. Depois disso, toda vez que tinha uma dificuldade em cumprir o meu dever ou encontrava um problema que não entendia, eu sempre procurava ativamente o irmão Zhang e ele sempre comunicava pacientemente até que uma resposta fosse encontrada. Quanto mais me aplicava em praticar as palavras de Deus dessa maneira, mais eu sentia o meu relacionamento com Deus e o meu relacionamento com os outros irmãos e irmãs ficar mais próximo e os resultados que alcancei no meu dever ficaram cada vez melhores também. Eu realmente passei a apreciar que, ao desistir de fama, fortuna e status e viver pelas palavras de Deus, e por voltar-se para Deus e cumprir seu dever, ela é abençoada por Deus e pode viver uma vida justa e honrada com uma sensação de paz e sossego no coração, e o relacionamento da pessoa com Deus fica cada vez mais próximo.

Em outubro de 2017, começaram as eleições anuais da igreja outra vez e fui proposto como candidato a líder da igreja. Quando ouvi essa notícia, não me senti tão entusiasmado quanto antes, mas, em vez disso, corrigi o meu estado de espírito para experimentar a obra de Deus. Participar da eleição não servia para que eu procurasse ser líder da igreja, mas, sim, para cumprir a minha obrigação como parte desse processo, para aprender a buscar a verdade e escolher a pessoa certa para ser líder segundo os princípios da igreja sobre a eleição de líderes. Se fosse eleito líder, então eu só desejaria cumprir o meu dever como ser criado de maneira sincera e ordeira para satisfazer a Deus; não queria ser como antes, lutando por fama e fortuna e causando tristeza a Deus. Se não fosse eleito, não culparia Deus, mas continuaria a cooperar com Deus, a cumprir o meu dever com o melhor das minhas capacidades e a me submeter às orquestrações e aos arranjos de Deus, pois eu era uma das criações de Deus e era minha responsabilidade cumprir qualquer dever que me fosse dado e sempre deveria fazê-lo com todo o meu coração e todas as minhas forças. Quando os votos foram contados e os resultados anunciados, constatei que eu tinha sido eleito para ser o líder da igreja. No entanto, não me senti muito satisfeito comigo mesmo e não sentia que eu era fantástico ou melhor que os demais irmãos e irmãs. Pelo contrário, senti como se isso fosse uma comissão e uma obrigação, senti como se Deus estivesse colocando Suas esperanças sobre meus ombros. Sabia que precisava diligentemente buscar a verdade, cooperar com Deus e cumprir o meu dever para satisfazê-Lo, para ter certeza de que eu correspondia ao amor e à salvação que Ele estava me dando.

As palavras de Deus dizem: “Se o homem desejar ser purificado em sua vida e obter mudanças em seu caráter, se desejar viver uma vida com sentido e cumprir seu dever como criatura, ele precisará aceitar o castigo e o julgamento de Deus e não poderá permitir que a disciplina de Deus e os golpes de Deus se afastem dele, de modo que possa se livrar da manipulação e influência de Satanás e viver na luz de Deus. Saiba que o castigo e o julgamento de Deus são a luz, a luz da salvação do homem, e que não há maior bênção, graça ou proteção para ele” (de ‘As experiências de Pedro: seu conhecimento de castigo e julgamento’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Pelas minhas experiências práticas, eu realmente passei a reconhecer que o julgamento e o castigo de Deus são a luz que nos salva, que são o amor mais verdadeiro de Deus. Foram o julgamento e o castigo, a punição e a disciplina das palavras de Deus que me capacitaram a ver claramente o dano que fama, fortuna e status estavam me causando, que despertaram a minha coragem e determinação para buscar a verdade. Quando desisti de fama, fortuna e status, senti que não era só de status que eu havia desistido, mas sim das algemas com as quais Satanás me acorrentara, e nos recessos mais profundos do meu espírito passei a sentir uma sensação de paz e alegria sem precedentes, um sentimento de leveza e libertação. Embora eu ainda possa, mesmo agora, revelar meu caráter corrupto de lutar por fama e fortuna, não sou mais controlado e limitado por ele. Através das minhas experiências, aprendi que, ao praticar a verdade, é possível se livrar dos caracteres corruptos satânicos, e, quanto mais se pratica a verdade, mais se pode viver a semelhança de um ser humano e ser abençoado por Deus. Passei a sentir de verdade que cada pequena coisa que Deus fazia em mim era Deus pagando um preço minucioso. A salvação de Deus para mim é tão prática e o Seu amor é tão grande e real! Deste dia em diante, desejo experimentar ainda mais o julgamento e castigo de Deus, buscar a verdade de modo que eu possa me livrar dos meus caracteres satânicos corruptos o mais rápido possível e viver uma semelhança humana genuína a fim de trazer conforto ao coração de Deus. Graças a Deus por me salvar!

Nota de rodapé:

a. O texto original não contém a frase “desejo de”.

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Inveja, a doença crônica espiritual

Uma irmã e eu estávamos fazendo dupla para revisar artigos juntas. À medida que nos encontrávamos, percebi que não importava se era para cantar, dançar, receber a palavra de Deus ou comunicar a verdade, ela era melhor do que eu em todos os aspectos.

Deixar uma resposta