De volta da beira da morte

05 de Novembro de 2019

Por Zhao Guangming, China

No começo dos anos 80, eu tinha 30 anos e trabalhava numa construtora. Eu me considerava jovem e apto, tratava as pessoas com lealdade e respeito e fazia o meu trabalho com responsabilidade. Minhas habilidades de construção também eram de primeira, e eu estava certo de que iria longe na empresa. Tão logo minha carreira decolasse, eu estaria vivendo como um príncipe. Esse era o meu objetivo. Assim, fiquei na empresa e trabalhei arduamente por muitos anos. Mas, apesar do meu caráter impecável e das habilidades profissionais, parecia que meus esforços nunca eram reconhecidos pela empresa, algo que eu nunca entendi. A faixa salarial mais alta da nossa empresa era de nível 6, mas meu salário nunca passou do nível 3. Vi diversos colegas que não tinham as mesmas habilidades que eu ou não trabalhavam na empresa há tanto tempo quanto eu receberem aumentos de salário, mas comigo isso nunca acontecia. Eu ficava intrigado e ressentido por eles receberem aumentos, mas eu não. Por fim, um dos colegas com quem me dava muito bem me deu uma dica: “Nesta empresa, o mais importante é puxar o saco do gerente e, no mínimo, desejar a ele um feliz Ano Novo Chinês e fazer o mesmo nas outras festividades”. Ao ouvir isso, finalmente entendi o verdadeiro motivo de ser negligenciado pela empresa, e tal injustiça me deixou furioso. Embora odiasse aqueles bajuladores da empresa, eu tinha menos tempo ainda para aqueles que pouco trabalhavam e mesmo assim recebiam aumentos e promoções por usarem métodos obscuros. Eu precisava consolidar minha posição na empresa e, portanto, tinha de me adaptar a essas regras tácitas. Então, na chegada do próximo Ano Novo Chinês, “expressei meus mais sinceros votos” ao gerente e fui imediatamente promovido a líder da equipe.

Como líder da equipe, tornei-me ainda mais consciente e responsável em meu trabalho. Eu me dirigia aos canteiros de obra para supervisionar e orientar o trabalho com rigor e garantir que ele fosse executado segundo os padrões e que as metas fossem cumpridas. Também sempre mantive em mente a segurança dos operários, e minha atitude no trabalho e orientação profissional eram universalmente elogiadas pelos funcionários da minha equipe. Mas nada disso importava muito na hora de manter ou demitir os líderes de equipe — o mais importante era o valor dos presentes que cada líder dava ao gerente. Para manter meu emprego na empresa, eu não tive escolha senão pactuar com essa lei da sobrevivência, que me permitiu experimentar a fundo a crueldade e o desamparo personificados pela expressão “a sobrevivência do mais apto”.

Nos anos que se seguiram, as reformas econômicas e a flexibilização das restrições por parte do governo levaram à execução de projetos de construção e desenvolvimento em larga escala por toda a China. Minha empresa então começou a alocar projetos individuais, o que significava que os líderes de equipe tinham de competir pelos contratos. Isso levou a mais jantares, vinhos e presentes, com cada líder de equipe tentando superar os outros. Sempre que nós, os líderes de equipe, ouvíamos que uma unidade de trabalho tinha um projeto disponível para oferta, corríamos para molhar a mão das pessoas relevantes da unidade o mais rápido possível, dando os nossos presentes. Para não ofender o gosto dos líderes dessa unidade, torrávamos nosso cérebro para pensar nos melhores presentes e nas melhores formas de entregá-los: algumas pessoas recheavam a barriga de um peixe ou frango com ouro, algumas davam dinheiro, outras davam joias de ouro ou anéis de diamante. Eu também fui pego por essa cultura do suborno e passei muitas horas pensando em quais presentes dar para bajular essa gente. Por fim, ganhei um contrato com muita dificuldade, mas, mal tínhamos começado a trabalhar, agentes do Departamento de Construção, do Instituto de Projetos de Construção e dos Departamentos de Qualidade e Supervisão Técnica — bem como servidores públicos locais — apareceram para “supervisionar e orientar o trabalho”. Eles disseram que havia esse e aquele problema com o canteiro, que isso e aquilo não estava dentro do padrão, e após uma manhã inteira de inspeções, ainda não podíamos começar a trabalhar. Imediatamente os convidei para um almoço com bebida à vontade num restaurante requintado, uma refeição que me custou milhares de yuans. No final da refeição, ainda tive que subornar cada um deles, o que variou de 2.000 a 10.000 yuans. Era a única forma de obter a ratificação e a aprovação deles para iniciar o trabalho. Mas mesmo após o início do trabalho, essas agências fiscalizadoras enviavam inspetores regularmente para inspecionar o projeto. Eles as chamavam de inspeções de “rotina”, mas, na verdade, era apenas mais uma desculpa para arrancar mais dinheiro da gente. Toda vez que nos honravam com sua presença no local de trabalho, eu me apressava freneticamente para arranjar refeições e bebidas a fim de entretê-los, e os diretores dessas agências fiscalizadoras até encontravam motivos para me fazer levá-los a shoppings, onde compravam roupas de grife e esperavam que eu pagasse a conta. Por vezes, eles tinham a audácia de dizer que estavam duros e pediam diretamente dinheiro para gastar. Para manter o projeto nos trilhos, tudo que eu podia fazer era ranger os dentes, engolir minha raiva, ser gentil com eles e suportar a pancada. Pior ainda foi que, por um longo tempo, eu tive que acompanhar os diretores dessas agências em suas farras na cidade. Por beber demais durante um longo período e ter um padrão de sono irregular, acabei com problemas de estômago e pressão alta e me senti totalmente exausto. E assim, quando o projeto finalmente terminou e eu fui pago, descobri que não tinha feito praticamente nenhum lucro. Na verdade, eu poderia ter chorado. Diante de um modo de vida tão duro, pensei: “Por que é tão difícil ganhar dinheiro com base nas minhas habilidades e trabalho árduo? Como podem os líderes de cada departamento do sistema nacional ser tão corruptos?” Eu me senti extremamente desamparado, mas não tive outra escolha senão depositar nesses agentes todas as minhas esperanças de fazer dinheiro. Inicialmente, eu contava que construir boas relações com eles também significaria construir as bases para o desenvolvimento da minha carreira, mas nunca me ocorreu que tudo que eu estava fazendo era afundar ainda mais num poço pegajoso de pecado e percorrer com dificuldade uma situação desesperançosa.

Em 1992, após um processo complexo e difícil, ganhei o contrato de um projeto de construção na cidade e estimei que ele me renderia algum dinheiro. Bem quando eu estava dando tudo de mim entusiasticamente nos preparativos para começar a obra, meu gerente me disse que, primeiro, eu teria de construir uma casa de campo particular para cada um dos agentes municipais. Ele disse que essa era uma boa oportunidade para o meu desenvolvimento profissional e que fazer um favor aos agentes municipais garantiria que eu jamais tivesse de me preocupar com dinheiro no futuro e que logo eu estaria vivendo uma boa vida. Com o coração transbordando de esperança, emprestei dinheiro do banco e também de amigos e parentes, juntando o dinheiro por todos os meios possíveis para levantar capital suficiente para construir as quatro casas de campo. Porém, bem quando a construção estava chegando ao fim, alguns agentes seniores da Comissão para Inspeção Disciplinar apareceram, e eu tive de gastar mais dinheiro para atenuar a situação e proteger os quatro agentes municipais. Mas no fim, todos os meus esforços não foram capazes de afastar deles o longo braço da lei: como os quatro agentes eram suspeitos de aceitar subornos e de estar envolvidos em corrupção, eles tiveram de lidar com as autoridades fiscalizadoras. Todos os meus belos planos meticulosamente traçados se desfizeram como fumaça, e as quatro casas de campo inacabadas foram confiscadas pelas autoridades. Eu estava devendo várias centenas de milhares de yuans, não tinha como pagar, e uma amargura inexprimível assentou-se em meu ventre como uma pesada rocha.

Em meu estado de desamparo, eu só podia depositar minhas esperanças em outro projeto de construção. Para pagar minhas dívidas, comecei a fazer algo que jamais tinha feito em toda a minha carreira, a coisa que eu mais relutava em fazer: cortar custos e usar materiais inferiores. Em vez de usar aço de padrão nacional, comecei a usar material de segunda e, em vez de feixes de seis vergalhões no concreto, comecei a usar feixes de quatro, reduzindo meus gastos com aço em um terço. Também misturei concreto de qualidade inferior para reduzir ainda mais os custos gerais. Para ser sincero, toda vez que fazia isso, eu ficava com o coração na mão por temor de que a qualidade da construção terminada fosse seriamente afetada. E quando eu ouvia relatos de construções de má qualidade por toda a China, que haviam desmoronado e matado, ferido e arruinado tantos cidadãos comuns, eu ficava especialmente ansioso e costumava ter pesadelos. Cheguei ao ponto em que o som do trovão parecia um anúncio de minha iminente ruína, que eu talvez fosse atingido por um raio ou algo assim. O medo me perseguia todos os dias. Por fim, essa situação me levou a ficar doente, e fui acometido por frequentes tonturas, dores de cabeça e insônia, tudo por causa de minha pressão alta. Eu estava destruído, tanto física quanto espiritualmente, e a vida se tornou para mim um inferno na terra. Foi assim que me perdi nas tendências mundanas e mergulhei cada vez mais naquele poço pegajoso de pecado. Para minha surpresa, quando o projeto estava pela metade, a unidade para a qual eu estava construindo se recusou a me pagar como havia sido combinado no contrato. O empréstimo que consegui no banco não foi suficiente para cobrir o salário dos funcionários, então não tive escolha senão tomar um empréstimo a juros altos de um agiota. Depois de muitos outros contratempos, finalmente descobri que a unidade contratante há muito estava em dívida e não tinha como financiar um projeto de construção. Outro projeto meu fracassara, e torrei meu cérebro em busca de uma forma de tirar algo de bom disso. Eu estava completamente exausto e vivendo num estado de desespero. Então ouvi a notícia de que um líder de equipe de outra empresa, que havia ganhado um projeto de construção e tomado um enorme empréstimo que não foi capaz de pagar, acabou se enforcando. Parecia que eu também estava à porta do inferno e afundando em desespero. Depois disso, os credores começaram a vir à minha casa para reaver seu dinheiro: alguns se deitavam em minha cama e se recusavam a sair, enquanto outros faziam um escândalo e me ameaçavam. Eu fui o mais educado e humilde que pude com eles e me senti completamente humilhado. Até meus parentes e amigos mais próximos achavam que eu não conseguiria pagá-los e começaram a se voltar contra mim. Foi naqueles dias que passei a contemplar verdadeiramente o quanto as relações humanas podem ser inconstantes. Lembrei-me de todos aqueles anos de correria que me deixaram não só sem um tostão, mas também física e mentalmente exausto, com dívidas de várias centenas de milhares de yuans para quitar. Olhei para o céu, soltei um longo suspiro e disse: “Céus, é simplesmente difícil demais. Realmente não quero viver mais!”

Bem quando eu hesitava ao portão do inferno, o evangelho do reino de Deus Todo-Poderoso chegou aos meus ouvidos. Vi estas palavras de Deus Todo-Poderoso: “Hoje, visto Eu ter liderado vocês a esse ponto, Eu fiz arranjos adequados e tenho Meus próprios objetivos. Se Eu fosse contá-los a vocês hoje, vocês seriam verdadeiramente capazes de conhecê-los? Eu estou bem familiarizado com os pensamentos da mente do homem e os desejos do seu coração: quem nunca procurou uma saída para si mesmo? Quem nunca pensou em suas próprias perspectivas? No entanto, embora o homem possua um intelecto rico e prismático, quem foi capaz de prever que, seguindo as eras, o presente se tornaria o que se tornou? Esse é realmente o fruto de seus próprios esforços subjetivos? Esse é o pagamento de sua atividade incansável? Esse é o belo quadro imaginado por sua mente? Se Eu não guiasse toda humanidade, quem seria capaz de separar-se de Meus arranjos e encontrar outra saída? São os pensamentos e desejos do homem que o trouxeram até o dia de hoje? Muitas pessoas passam uma vida inteira sem realizar seus desejos. Isso é realmente por causa de uma falha em seu pensamento? A vida de muitas pessoas está repleta de felicidade e satisfação inesperadas. Isso é realmente porque elas esperam pouco demais? Quem dentre toda a humanidade não é cuidado aos olhos do Todo-Poderoso? Quem não vive em meio à predestinação do Todo-Poderoso? A vida e a morte de quem vêm a partir das próprias escolhas? O homem controla o seu próprio destino?” (de ‘Capítulo 11’ das Palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”). Quando li essas palavras, fiquei totalmente convencido. Eu realmente sentia que nosso destino não está em nossas próprias mãos. Pensei nos anos anteriores, em como havia planejado e calculado meu próprio futuro, mas nada funcionara para mim. Eu dava tudo de mim para ganhar muito dinheiro e viver um estilo de vida superior, mas eu não só não havia feito dinheiro algum como tinha desperdiçado montes dele. Jamais imaginei que eu — outrora alguém notável — acabaria em tamanho estado lamentável de pobreza. Por que é que eu trabalhava tão arduamente por meu futuro, mas me deparava com um fracasso atrás do outro? Era porque o destino de cada um não está em suas próprias mãos, mas nas mãos de Deus. Tudo é governado e predestinado por Deus; toda boa sorte ou infortúnio é administrado por Deus. No fundo do meu coração, eu podia sentir que essas eram as palavras de Deus, e não pude deixar de clamar a Deus Todo-Poderoso: “Ó, Deus! No passado, eu não Te conhecia. Tentei depender de mim e do poder do homem, mas acabei numa situação desesperançosa. Hoje, finalmente entendi que o destino, a vida e a morte de cada pessoa estão em Tuas mãos. Se essa situação não me tivesse acontecido, eu jamais teria vindo para diante de Ti. Ó, Deus! Agradeço por me salvar da beira da morte e por me dar a coragem de encarar a vida outra vez. De agora em diante, me submeterei a Teus arranjos quanto à senda que devo seguir na vida”.

Depois disso, comecei a viver a vida da igreja. O ambiente na Igreja de Deus Todo-Poderoso era completamente diferente daquele do mundo exterior: os irmãos e irmãs tinham relações simples e diretas uns com os outros e se tratavam com honestidade, sem qualquer sinal de pretensão, conflito interno ou estratagemas. Todos liam as palavras de Deus e juntos cantavam hinos em louvor a Ele; nas reuniões, os irmãos e irmãs eram honestos e abertos uns com os outros, comunicavam suas próprias experiências, deficiências e dificuldades, bem como sua compreensão e conhecimento das palavras de Deus. Eu sentia que cada reunião frequentada era fresca, nova e cheia de vitalidade. Não havia distanciamento ou suspeita entre os irmãos e irmãs; todos se entendiam e conheciam bem. Ali eu tive uma sensação de alívio e liberdade sem precedentes e me senti mais relaxado e feliz do que jamais me sentira antes. Ao mesmo tempo, Deus me guiou a entender por que havia vivido as últimas décadas em tamanho sofrimento. Li estas palavras de Deus Todo-Poderoso: “Há um segredo enorme em seu coração, do qual você nunca esteve ciente, pois você vive em um mundo sem luz. Seu coração e seu espírito foram arrancados pelo Maligno. Seus olhos estão obscurecidos pela escuridão e você não consegue ver nem o sol no céu nem aquela estrela cintilante da noite. Seus ouvidos estão obstruídos com palavras enganosas e você nem ouve a voz estrondosa de Jeová nem o som das águas que fluem do trono. Você perdeu tudo que é seu por direito, tudo que o Todo-Poderoso lhe concedeu. Você entrou em um mar de aflição sem fim, sem poder de resgate, sem esperança de sobrevivência, e tudo que você faz é luta e correria… Desse momento em diante, você foi condenado a ser afligido pelo Maligno, longe das bênçãos do Todo-Poderoso, fora do alcance das provisões do Todo-Poderoso, andando por uma estrada sem volta. Um milhão de chamados dificilmente pode despertar seu coração e seu espírito. Você dorme profundamente nas mãos do Maligno, que o atraiu para um ilimitado reino sem direção nem sinalização. Doravante, você perdeu sua inocência e pureza originais e começou a evitar o cuidado do Todo-Poderoso. Dentro do seu coração, o Maligno o orienta em todas as questões e se tornou a sua vida. Você não o teme mais, não o evita, nem duvida dele; ao contrário, você o trata como o Deus em seu coração. Você começou a venerá-lo, a adorá-lo, e vocês dois se tornaram tão inseparáveis quanto corpo e sombra, comprometidos um com o outro tanto na vida quanto na morte. Você não tem ideia de onde veio, por que nasceu ou por que vai morrer” (de ‘O suspirar do Todo-Poderoso’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Satanás corrompe as pessoas por meio da educação e da influência dos governos nacionais, dos famosos e grandes. Seus absurdos agora fazem parte da vida e da natureza do homem. ‘Cada um por si e o demônio pega quem fica por último’ é um ditado popular satânico que tem sido plantado em cada um e tem se tornado a vida das pessoas. Existem outros dizeres da filosofia de vida que também são semelhantes. Satanás usa a boa cultura tradicional de cada nação para educar as pessoas, fazendo com que a humanidade caia e afunde em um crescente abismo de destruição sem limites, e no fim as pessoas são destruídas por Deus por servirem a Satanás e resistirem a Deus” (de ‘Como conhecer a natureza do homem’ em “Registros das falas de Cristo”). Então, o motivo pelo qual me exauri e me tornei tão miserável, me agitando nesse mundo durante as últimas décadas, era porque eu estava vivendo segundo as regras de vida de Satanás, tais como “O destino de uma pessoa está em suas próprias mãos”, “O dinheiro move o mundo”, “Cada um por si e o demônio pega quem fica por último”, “Não se faz nada sem adulação e lisonja” e assim por diante. Ao viver essas filosofias satânicas, eu não fazia ideia da existência de Deus e não sabia que Deus governa e arranja o destino de todos. Eu andava à deriva das marés deste mundo sombrio, sem qualquer direção em minha vida nem princípios de conduta. Eu certamente não conseguia ver que este mundo sombrio é governado por Satanás e que a sociedade humana é repleta das tentações, ciladas e enganos de Satanás. Para fazer dinheiro neste mundo sombrio e maligno, aprendi a adular e bajular os que estão no comando e até usei secretamente materiais de má qualidade em meus projetos de construção. Minha consciência tinha desaparecido pouco a pouco, e fiquei sem um pingo de integridade ou dignidade. Quanto mais me afundava no pecado, menos me sentia como um ser humano. No fim, não fiz nenhum dinheiro, fiquei com um monte de dívidas e me senti tão desesperado que quase cometi suicídio. Pensei naquele líder de equipe que se matou devido a suas enormes dívidas — ele não havia sido uma oferta sacrificial a Satanás? E quem sabe quantas outras tragédias semelhantes não acontecem todos os dias do ano? Naquele ponto, percebi que o motivo pelo qual as pessoas entram em tal estado se deve aos danos causados pelos venenos de Satanás e às tendências mundanas orientadas pelo regime de Satanás. Quando pensei em tudo isso, uma onda de gratidão a Deus encheu meu coração, e fiquei tão agradecido pela misericórdia e salvação de Deus. Deus me salvara do mundo sombrio e me trouxera de volta à Sua casa, onde eu poderia gozar de Seu cuidado e proteção.

Depois de um tempo, tive de encarar meus credores novamente, e meu coração estava em grande agitação. Quando pensei em todas as dívidas que eu ainda tinha de quitar, mais uma vez quis assumir projetos de construção. Contudo, eu sabia que minhas habilidades não se equiparavam às minhas ambições. Meu problema de pressão retornou, e eu estava completamente perdido quanto ao que fazer. Numa das reuniões, um dos irmãos leu algumas das palavras de Deus para mim: “Fé verdadeira em Deus significa experimentar as palavras e a obra de Deus com base na crença de que Deus é soberano sobre todas as coisas. Assim você será libertado de seu caráter corrupto, cumprirá o desejo de Deus e virá a conhecer Deus. Somente por meio de tal jornada se poderá dizer que crê em Deus” (de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”). O irmão então deu comunhão, dizendo: “Visto que cremos em Deus, devemos ter verdadeira fé Nele. Devemos crer do fundo do nosso coração na autoridade e poder de Deus de reter a soberania sobre todas as coisas e devemos entregar-Lhe tudo em nossas vidas. Mais importante ainda é que devemos aprender a depender de Deus, a admirá-Lo, a experimentar Sua obra, buscar Sua liderança e não mais nos apressarmos freneticamente, pensando que podemos fazer tudo sozinhos. Quitar as dívidas é algo que todas as pessoas sensatas e conscientes fazem, então devemos ser corajosos e encarar nossas dívidas. Devemos crer que tudo está nas mãos de Deus e que não há montanha que não possamos escalar. Quanto às suas dívidas, você deve orar mais a Deus e buscar Sua vontade”.

Com o auxílio do irmão, eu agora tinha uma forma de praticar. Encontrei um emprego num canteiro de obras próximo que não me atrapalharia a frequentar as reuniões nem cumprir meus deveres, e comecei a ganhar algum dinheiro para quitar minhas dívidas. Eu não dependia mais apenas de mim mesmo para progredir. Quando meus credores me procuravam para receber, eu praticava honestidade com eles e lhes dava tudo o que tinha. Também pude pagar algum dinheiro com o que ganhei vendendo as safras que colhia das minhas terras. Prometi solenemente a todos os meus credores que quitaria todas as minhas dívidas e, depois disso, eles não dificultaram mais a minha vida. Quando o banco enviava pessoas para me pressionar a quitar o empréstimo, eu orava a Deus e confiava tudo a Ele. “Se eu tiver de cumprir pena porque não pude quitar aquele grande empréstimo”, pensei, “obedecerei a todas as orquestrações e arranjos de Deus”. Foi quando me submeti a Deus enquanto experimentava Sua obra que vi quão milagrosos Seus feitos podem ser, pois O vi abrir uma saída para mim. O governo anunciou que todos os empréstimos bancários tomados antes de 1993 não teriam de ser pagos, visto que nenhum deles havia sido inserido nos sistemas bancários e informações incompletas significavam que alguns dos empréstimos jamais poderiam ser quitados. Graças a Deus! Todos os meus empréstimos haviam sido tomados antes de 1993 e, portanto, minha dívida de várias centenas de milhares de yuans foi cancelada. Entusiasmado, ofereci meus agradecimentos e louvores a Deus. Eu pensei: “Se tivesse que levantar aquela quantia, provavelmente morreria de exaustão antes de levantá-la toda”. Isso me permitiu vivenciar pessoalmente que o destino de cada pessoa está mesmo nas mãos de Deus, conforme descrito nestas palavras de Deus: “A sina do homem é controlada pelas mãos de Deus. Você é incapaz de controlar a si mesmo: apesar de estar sempre correndo e se ocupando consigo mesmo, o homem continua sendo incapaz de controlar a si mesmo. Se pudesse conhecer as próprias expectativas, se pudesse controlar a própria sina, você continuaria sendo uma criatura? Em suma, independentemente de como Deus opera, toda a obra Dele é para o bem do homem. Tome, por exemplo, os céus e a terra e todas as coisas que Deus criou para servir o homem: a Lua, o Sol e as estrelas que Ele criou para o homem, os animais e as plantas, a primavera, o verão, o outono e o inverno e assim por diantetudo é feito em prol da existência humana. Portanto, independentemente de como Deus castiga e julga o homem, tudo é para o bem da salvação do homem. Apesar de Ele privar o homem das esperanças carnais, é para o bem da purificação do homem, e a purificação do homem é para o bem de sua existência. O destino do homem está nas mãos do Criador; como, então, o homem poderia controlar a si mesmo?” (de ‘Restaurar a vida normal do homem e levá-lo a um destino maravilhoso’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Durante minhas experiências, tive ainda mais certeza da obra de Deus Todo-Poderoso, e minha fé foi fortalecida. Nos anos que se seguiram, continuei indo às reuniões e cumprindo meus deveres, enquanto também trabalhava para equipes de construção locais para ganhar dinheiro e pagar minhas dívidas restantes. Sempre que eu conhecia alguém de bom caráter, que era um candidato adequado para ouvir o evangelho, eu pregava para ele, e assim levei para diante de Deus algumas das pessoas com quem tinha boas relações. Embora ainda passasse todos os dias ocupado, a vida estava diferente, porque eu não vivia mais segundo as filosofias e regras de Satanás e não seguia mais as tendências malignas do mundo nem procurava ser rico e viver um estilo de vida superior. Em vez disso, eu vivia em submissão ao regime de Deus e segundo Suas exigências, conduzindo-me segundo a verdade, sendo honesto e humano, temendo a Deus e evitando o mal. Esse modo de comportamento parecia aberto e direto, e comecei a me sentir à vontade e repleto de luz por dentro. Gradualmente, comecei a recuperar minha consciência e razão, e os diversos males dos quais sofria começaram a desaparecer. Este ano, completei 75 anos, mas sou saudável, tenho a cabeça no lugar e quitei todas as minhas dívidas. As pessoas que me conhecem bem dizem que me admiram e que tenho sorte. Mas sei, sem dúvida alguma, que tudo isso é resultado da salvação e bondade de Deus Todo-Poderoso. Foi Deus Todo-Poderoso que me salvou da beira da morte, que me devolveu minha vida em minha hora de necessidade e que mostrou a direção certa para minha vida. Durante todas essas experiências, eu realmente senti que, sem a liderança de Deus, nós seres humanos seremos inevitavelmente lesados e engolidos por Satanás. Somente Deus Todo-Poderoso pode salvar as pessoas; somente as palavras expressas por Deus Todo-Poderoso podem afastar as pessoas da servidão do pecado e nos mostrar como viver como verdadeiros seres humanos. É somente aceitando as verdades que Deus Todo-Poderoso expressou, submetendo-se e adorando a Deus Todo-Poderoso que a humanidade pode viver em verdadeira felicidade e ter um bom futuro e destino final!

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Finalmente encontrei uma igreja verdadeira (parte 1)

Muitas pessoas começam a esmorecer em sua fé porque a igreja não tem a obra do Espírito Santo e elas não conseguem receber o sustento espiritual que precisam. Como, então, você pode encontrar uma igreja na qual o Espírito Santo esteja operando? Continue lendo…

O retorno de um filho pródigo

Por Ruth, Estados Unidos Eu nasci em uma pequena cidade no sul da China, e desde a geração da minha bisavó paterna, nossa família crê no...

Um tipo diferente de amor

Chengxin, Brasil Por uma oportunidade casual, eu vim da China para o Brasil em 2011. Logo que cheguei, meus olhos brilhavam de curiosidade...

Deixar uma resposta