O que colhi ao ser tratada

16 de Dezembro de 2022

Por Song Yu, Holanda

Um dia, no final de 2020, um líder superior encontrou uma igreja na minha área de responsabilidade em que dezenas de recém-convertidos não participavam das reuniões regularmente. Ele lidou comigo e disse: “Esses recém-convertidos acabaram de aceitar o caminho verdadeiro e enfrentam muitas perturbações e tentações. Se eles não têm ninguém para regá-los e apoiá-los e não participam das reuniões, eles estão em perigo constante de serem levados cativos por Satanás. Como líder de igreja, você deveria fazer o que pode para regá-los para que eles possam estabelecer um fundamento no caminho verdadeiro. Esse é o trabalho mais importante. Há muitos recém-convertidos que não participam das reuniões regularmente numa igreja pela qual você é responsável. Isso prova que, como líder, você não fez um bom trabalho de rega, não cumpriu bem o seu dever, é irresponsável, age superficialmente, está enganando a Deus e é alguém que resiste a Deus enquanto serve a Ele”. Foi difícil aceitar ser podada e tratada desse jeito. Eu não era a pessoa que devia regar esses recém-convertidos diretamente, e eu tinha comungado claramente os princípios de rega com a equipe de rega naquela igreja. Agora eles não tinham feito um bom trabalho de rega, levando muitos recém-convertidos a se reunirem irregularmente. Isso era responsabilidade minha? Era a falta de responsabilidade no trabalho de rega que tinha levado os recém-convertidos a se retirar, o que era uma interrupção e perturbação. Se eu assumisse a responsabilidade por isso, isso não seria uma transgressão e uma mancha na minha crença em Deus? Assim, neguei o problema que o líder tinha atribuído a mim, continuei argumentando e me justificando, e ressaltei que eu não era a pessoa que regava os recém-convertidos diretamente para me esquivar da responsabilidade. Quando viu que eu não estava refletindo sobre mim mesma, o líder me interrompeu e lidou comigo por não aceitar a verdade. Fiquei chocada quando o líder disse isso e pensei: “Aqueles que não aceitam a verdade não são descrentes? Descrentes sempre discutem quando coisas acontecem, e não aceitam a verdade”. Meu raciocínio e minhas desculpas me assustaram, e não ousei falar mais. Orei a Deus, pedindo que Ele me guiasse, guardasse meu coração e me permitisse obedecer.

Nos dias seguintes, continuei refletindo sobre isso. Eu tinha sido tratada por ser irresponsável em meu dever e por não fazer bem o trabalho de rega. Por que eu não conseguia aceitar isso? Refletindo, percebi que eu achava que, contanto que eu não estivesse regando os recém-convertidos diretamente, se eles não se reunissem regularmente, a responsabilidade seria da equipe de rega, não minha. Mas a igreja tinha arranjado que eu fosse responsável pelo trabalho de várias igrejas, e sempre que houvesse problemas e dificuldades no trabalho de igreja, eu teria que acompanhar e resolvê-los rapidamente. Mas eu não tinha supervisionado nem acompanhado o trabalho da equipe de rega durante o meu dever, e, como resultado, dezenas de recém-convertidos não estavam se reunindo regularmente. Isso não era a consequência da minha irresponsabilidade e negligência em meu dever? Lembrei-me de que, algum tempo atrás, eu soube que a equipe de rega dessa igreja tendia a cair em dificuldades. Confrontados com as dificuldades reais dos recém-convertidos, quando algumas sessões de comunhão não davam resultados, eles alegavam que era difícil demais e não queriam fazer o esforço de regar os recém-convertidos. Mas eu não tinha comungado com eles para resolver esses problemas de modo oportuno, e, como resultado, o número de recém-convertidos que se reuniam regularmente continuou a cair. Meu líder lidou comigo por ser irresponsável em meu dever, e ele estava certo. Por que eu não tinha nem um pingo de aceitação e obediência, e por que eu ainda discutia e justificava a mim mesma? Isso não era ser insensato? Diante disso, fiquei um pouco triste. Senti que tinha cometido um erro enorme, mas ainda não estava disposta a assumir responsabilidade. Como uma idiota, eu tentava inventar desculpas, me justificar e me esquivar da responsabilidade. Quando pensei no meu estado feio de argumentação e justificação própria descarada, meu rosto ficou vermelho de vergonha, e eu só quis me enfiar num buraco. Orei a Deus: “Deus, eu fui irresponsável no meu dever e impedi a rega de dezenas de recém-convertidos. Cometi uma transgressão séria, mas quando fui podada e tratada, não tive nem um pingo de aceitação e obediência. Deus, por favor, guia-me a conhecer a mim mesma”.

Mais tarde, após ler uma passagem da palavra de Deus, finalmente ganhei um pouco de entendimento da raiz da minha recusa de aceitar poda e tratamento. As palavras de Deus dizem: “A atitude arquetípica dos anticristos para com o tratamento e a poda é recusar-se veementemente a aceitá-los ou admiti-los. Não importa quanto mal eles cometam, quanto dano causem ao trabalho da casa de Deus e à entrada na vida do povo escolhido de Deus, eles não sentem o menor remorso nem que devam alguma coisa. Sob esse ponto de vista, os anticristos têm humanidade? De forma alguma. Eles causam todo tipo de dano ao povo escolhido de Deus, trazem dano ao trabalho da igrejao povo escolhido de Deus vê isso com clareza, e pode ver a sucessão de atos malignos dos anticristos. E mesmo assim, os anticristos não aceitam nem reconhecem esse fato, teimosamente se recusam a admitir que estão errados ou que são responsáveis. Isso não é um indício de que estão fartos da verdade? Assim é a extensão em que os anticristos estão fartos da verdade. Não importa quanta perversidade cometam, eles se recusam a admiti-lo e permanecem inabaláveis até o fim. Isso prova que os anticristos nunca levam a sério o trabalho da casa de Deus nem aceitam a verdade. Eles não vieram a crer em Deus; são lacaios de Satanás, vêm perturbar e interromper o trabalho da casa de Deus. No coração dos anticristos há somente reputação e status. Eles acreditam que, se reconhecessem o seu erro, eles teriam que aceitar a responsabilidade, e então seu status e sua reputação seriam seriamente comprometidos. Como resultado, eles resistem com uma atitude de ‘negue até morrer’. Não importam que revelações ou análises as pessoas façam, eles fazem o máximo para negá-las. Seja sua negação deliberada ou não, em suma, em um aspecto, isso expõe a natureza e essência dos anticristos de estarem fartos da verdade e de a odiarem. Em outro aspecto, isso mostra o quanto os anticristos prezam seu status, reputação e interesses. Qual é, entretanto, sua atitude em relação ao trabalho e aos interesses da igreja? É uma atitude de desrespeito e de negação da responsabilidade. Eles carecem de qualquer consciência e razão. O fato de os anticristos se esquivarem das responsabilidades não demonstra esses problemas? Em um aspecto, esquivar-se da responsabilidade prova sua essência e natureza de estarem fartos da verdade e de a odiarem; em outro, mostra sua falta de consciência, razão e humanidade. Não importa quanto a entrada dos irmãos e irmãs na vida seja prejudicada por sua interferência e maldade, eles não sentem nenhuma autorrecriminação e jamais poderiam ser perturbados por isso. Que tipo de criatura é essa? Mesmo que admitissem parte de seu erro, isso contaria como se eles tivessem um pouco de consciência e razão — mas os anticristos não têm nem mesmo esse pouquinho de humanidade. O que, então, vocês diriam que eles são? A essência dos anticristos é o diabo. Não importa quanto dano causem aos interesses da casa de Deus, eles não o enxergam. Isso não lhes incomoda nem remotamente o coração, tampouco se repreendem, muito menos se sentem devedores. Isso não é, absolutamente, o que deveria ser visto em pessoas normais. Isso é o diabo, e o diabo é desprovido de qualquer consciência ou razão. Não importam quantas coisas más os anticristos tenham feito, causando grandes perdas ao trabalho da igreja, eles permanecem resolutos em não as admitir. Acreditam que, se admitirem erros, eles serão condenados, sentenciados à morte, obrigados a ir ao Inferno, ao lago de fogo e enxofre. Vocês acham que tais pessoas conseguem aceitar a verdade? Pode-se esperar arrependimentos verdadeiro delas?(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Nove: Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 3)”). A palavra de Deus revela que os anticristos nunca aceitam a verdade, estão fartos da verdade por natureza e, por maiores que sejam os erros que cometem ou por maior que seja o dano que causam ao trabalho da igreja, quando eles são podados e tratados, eles nunca admitem seus erros e sempre tentam argumentar e se justificar. Os anticristos são tão egoístas e desprezíveis e só valorizam seu status e seus interesses. Portanto, por maior que seja o dano que os anticristos causam ao trabalho da igreja, eles não se sentem nem um pouco culpados nem querem assumir qualquer responsabilidade. Ao refletir sobre minha atitude em relação a poda e tratamento, vi que meu comportamento era igual ao de um anticristo. Eu era uma líder de igreja e era responsável por qualquer problema no trabalho da igreja. Eu sabia que havia um problema com a equipe de rega da igreja, mas eu não acompanhei nem resolvi o problema. Como resultado, a equipe de rega não protegeu os recém-convertidos, mas eu não admiti meu erro e continuei inventando desculpas. Joguei toda a responsabilidade nos meus irmãos porque eu não queria assumir nenhuma. Eu não aceitei poda nem tratamento e insisti na frente do meu líder que esses recém-convertidos não eram regados diretamente por mim para me absolver da minha transgressão. Muitos recém-convertidos não estavam se reunindo regularmente, mas eu não sentia remorso nem endividamento e não me odiava por negligenciar meus deveres e prejudicar o trabalho de rega da igreja. Confrontada com esses fatos, o fato de que eu ainda tentava me justificar mostrava que eu não aceitava a verdade nem minimamente. Analisando isso agora, por mais que eu argumentasse, eu não conseguia negar o fato de que eu não tinha sido responsável no meu dever. Em vez disso, meus argumentos e justificativas expuseram minha natureza satânica de estar farta da verdade e de não aceitá-la. No ato de tentar proteger meus interesses, revelei o terrível fato de que eu me esquivo da responsabilidade e de que sou egoísta e desprezível.

Li a palavra de Deus repetidas vezes e quanto mais eu me comparava a como os anticristos lidam com tratamento com o meu comportamento, mais eu sentia que a palavra de Deus estava me expondo. Eu tinha sido irresponsável em meu dever e causado grandes danos ao trabalho de rega, cometendo, assim, uma transgressão. Mas quando fui podada e tratada, eu não aceitei e estava farta da verdade. Eu não era alguém que buscava a verdade. Pensando nisso, senti que Deus devia estar especialmente enojado com meu comportamento. Além disso, quando argumentei, o líder deve ter visto claramente quem eu era e reconhecido que eu era inconfiável e indigna de ser cultivada. Eu me perguntei: “O líder está me observando? Dessa vez, não fiz bem o trabalho de rega e transgredi. Se, um dia, eu causar outra interrupção ou perturbação e for podada e tratada de novo, será que serei revelada e expulsa? Se assim for, não terei esperança de salvação da minha fé em Deus”. Então pensei em como eu tinha renunciado à minha família e carreira para cumprir meu dever e percebi que, no fim, eu poderia ser expulsa. Quanto mais pensava, mais negativa eu me sentia. Até achei que, já que eu tinha sido irresponsável e tinha negligenciado meu dever e não tinha aceitado a verdade e estava farta dela, eu não era apta para ser líder, por isso eu deveria ter alguma autoconsciência, pedir dispensa e encontrar um dever simples que eu poderia cumprir com honestidade. Desse jeito, eu revelaria menos problemas e seria menos podada e tratada, e eu ainda teria a esperança de sobreviver quando a obra de Deus terminasse. Naquele tempo, eu não busquei a vontade de Deus nem busquei resolver meus problemas de agir superficialmente e de ser irresponsável em meu dever. Eu vivia num estado de atitude defensiva e de equívocos, só pensava em como pedir dispensa, e minha mente não estava focada no meu dever. Eu estava péssima. Mais tarde, falei com a minha irmã parceira sobre o meu estado, e ela leu algumas das palavras de Deus para mim, o que me deu algum entendimento da vontade de Deus.

As palavras de Deus dizem: “Diante do estado do homem e de sua atitude para com Deus, Deus fez uma nova obra, permitindo ao homem possuir tanto conhecimento Dele quanto obediência a Ele e tanto amor quanto testemunho. Assim, o homem precisa experimentar o refinamento de Deus para ele, bem como Seu julgamento, tratamento e poda, sem os quais o homem jamais conheceria Deus e jamais seria capaz de amá-Lo verdadeiramente e dar testemunho Dele. O refinamento do homem por parte de Deus não é meramente para o bem de um efeito unilateral, mas para o bem de um efeito multifacetado. Só dessa maneira é que Deus faz a obra de refinamento naqueles que estão dispostos a buscar a verdade, a fim de que a resolução e o amor deles sejam aperfeiçoados por Deus. Àqueles que estão dispostos a buscar a verdade e àqueles que anseiam por Deus, nada é mais significativo, ou de maior auxílio, que um refinamento como esse. O caráter de Deus não é tão facilmente conhecido nem compreendido pelo homem, pois Deus, afinal, é Deus. No fim, é impossível que Deus tenha o mesmo caráter que o homem e, assim, não é fácil que o homem conheça Seu caráter. A verdade não pode ser inerentemente possuída pelo homem e não é facilmente entendida por aqueles que foram corrompidos por Satanás; o homem é desprovido da verdade e da resolução de colocar a verdade em prática, e, se ele não sofrer e não for refinado nem julgado, então sua resolução jamais será aperfeiçoada. Para todas as pessoas, o refinamento é excruciante e muito difícil de aceitarmas é durante o refinamento que Deus deixa claro Seu caráter justo para o homem, torna públicas Suas exigências para o homem e oferece mais esclarecimento e mais tratamento e poda reais; por meio da comparação entre os fatos e a verdade, Ele proporciona ao homem um conhecimento maior de si mesmo e da verdade, e proporciona ao homem um entendimento maior da vontade de Deus, permitindo, assim, que o homem tenha um amor a Deus mais verdadeiro e mais puro. Tais são os objetivos de Deus ao executar o refinamento. Toda a obra que Deus faz no homem tem seus objetivos e significados próprios; Deus não faz uma obra sem sentido nem uma obra que não beneficie o homem. O refinamento não significa remover pessoas da frente de Deus e não significa destruí-las no inferno. Antes, significa mudar o caráter do homem durante o refinamento, mudar suas intenções, seus pontos de vista antigos, mudar seu amor a Deus e mudar sua vida inteira. O refinamento é um verdadeiro teste para o homem e uma forma de treinamento real, e é só durante o refinamento que seu amor pode servir à sua função inerente(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Só ao experimentar o refinamento o homem pode possuir o amor verdadeiro”). Depois de contemplar as palavras de Deus, entendi que, quando Deus arranja situações para as pessoas experimentarem sofrimento e refinamento, julgamento e castigo, poda e tratamento, tudo isso visa à corrupção e deficiências das pessoas, e essas são coisas que as pessoas precisam experimentar e encarar no processo de entrada na vida. Embora devamos sofrer um pouco no processo de passar por essas coisas, elas são muito úteis para conhecermos a obra de Deus e nossos caracteres corruptos. Em meu último ano como líder, basicamente não experimentei nenhum contratempo nem fui podada e tratada seriamente. Às vezes, algumas coisas não eram feitas de acordo com os princípios, mas o líder fornecia comunhão apropriada à minha estatura, me ajudava a reverter os desvios no meu dever e apontava uma senda de prática para mim. Quando meus irmãos viam problemas em meu dever, eles forneciam ajuda amorosa e raramente me expunham ou lidavam comigo. Assim, quando confrontada com meus caracteres corruptos e os problemas no meu dever, eu sempre achava que esses problemas não eram sérios, que eu conseguiria evitar cometê-los novamente, e, portanto, nunca refletia para entender a raiz do meu fracasso. Foi só após ser podada e tratada nessa ocasião que consegui ver minha estatura real. Eu era negligente em meu dever, e, como resultado, muitos recém-convertidos não foram regados a tempo, mas, a fim de proteger meus interesses, eu me esquivei da responsabilidade e me absolvi de qualquer culpa. Até tive medo de perder meu futuro e destino e me tornei negativa, abriguei equívocos e quis desistir do meu dever. No passado, quando falavam gentilmente sobre os meus problemas, eu conseguia aceitar, mas quando fui podada e tratada dessa vez e informada sobre as consequências do meu agir superficial, eu não consegui aceitar. Quando era podada por questões pequenas, eu conseguia aceitar. Mas quando era tratada por questões importantes, cuja essência e consequências eram mais sérias, e onde eu tinha que assumir responsabilidade, eu não conseguia aceitar. Vi que eu era seletiva em aceitar poda e tratamento, o que não era uma manifestação de obediência a Deus. Se eu não tivesse sido podada e tratada pelo meu líder, eu não teria conhecido meu tamanho, ainda acreditaria que eu era uma pessoa que busca a verdade, eu teria sido cegada pela minha fachada. Minha entrada na vida estagnaria, eu não aprenderia lições com a situação que Deus arranjava, não entenderia a mim mesma com a palavra de Deus nem resolveria minha corrupção. Pensando nisso, me senti muito grata a Deus e me dispus a buscar a vontade de Deus e a aprender lições com essa situação.

Durante meus devocionais, busquei partes relevantes da palavra de Deus para comer e beber. Li uma passagem da palavra de Deus que me deu algum entendimento do meu desejo de pedir dispensa após ser podada e tratada. As palavras de Deus dizem: “Quando os anticristos são podados e tratados, eles sempre veem isso em conexão com sua esperança de ganhar bênçãos. Essa atitude e essa opinião são incorretas, e são perigosas. Quando alguém aponta as falhas ou os problemas de um anticristo, ele acha que perdeu sua esperança de ganhar bênçãos; e quando ele é podado e tratado, ou disciplinado ou repreendido, ele também acha que perdeu sua esperança de ganhar bênçãos. Assim que algo não corre do jeito que ele quer ou não se conforma às suas noções, assim que ele é exposto e tratado, e sente que sua autoestima sofreu um golpe, seus pensamentos vão diretamente para a possibilidade de ele não ter mais a esperança de ganhar bênçãos. Isso não é excessivamente sensível da parte dele? O desejo dele de ganhar bênçãos não é forte demais? Digam-Me, tais pessoas não são deploráveis? (Elas são.) Elas realmente são deploráveis! E de que maneira elas são deploráveis? A possibilidade de obter bênçãos está relacionada a elas serem tratadas e podadas? (Não.) Não existe relação entre essas coisas. Por que, então, os anticristos acham que perderam sua esperança de ganhar bênçãos quando são tratados e podados? Isso não tem algo a ver com a busca deles? O que eles buscam? (Ganhar bênçãos.) Eles nunca desistem de seu desejo e de sua intenção de ganhar bênçãos. Eles pretendiam ganhar bênçãos desde o início de sua crença em Deus, e, embora tenham ouvido muitos sermões, eles nunca aceitaram a verdade. Durante todo esse tempo, eles não desistiram de seu desejo e de sua intenção de ganhar bênçãos. Eles não corrigiram nem mudaram suas opiniões sobre a crença em Deus, e sua intenção ao cumprir seu dever não foi purificada. Eles sempre fazem tudo se agarrando à sua esperança e à intenção de ganhar bênçãos, e, no fim, quando suas esperanças de ganhar bênçãos estão prestes a ser destruídas, eles explodem de raiva e protestam amargamente, e, finalmente, revelam os fatos vergonhosos de sua dúvida sobre Deus e sua negação da verdade. Eles não estão trilhando a estrada para a ruína? Tal é a consequência inevitável do fato de os anticristos não aceitarem a verdade nem minimamente e de não aceitarem poda e tratamento. Em sua experiência da obra de Deus, todo o povo escolhido de Deus pode saber que o julgamento e o castigo de Deus, que Sua poda e tratamento são Seu amor e Suas bênçãosmas os anticristos acreditam que isso é somente algo que as pessoas dizem, e não acreditam que é a verdade. Assim, eles não veem poda e tratamento como algo para aprender lições, nem buscam a verdade, nem refletem sobre si mesmos. Ao contrário, eles acreditam que poda e tratamento nascem da vontade humana, que são assédio e punição intencionais, carregados de intenções pessoais e que certamente não são de Deus. Eles decidem resistir e ignorar essas coisas, e até investigam por que alguém os trataria desse jeito. Eles não se submetem de forma alguma. Eles conectam tudo que fazem no cumprimento do seu dever a ganhar bênçãos e recompensas, e consideram ganhar bênçãos a busca mais importante na vida, bem como o objetivo último e mais alto da crença em Deus. Pela vida, eles se agarram à sua intenção de ganhar bênçãos, não importa como a família de Deus comungue a verdade, e eles não desistem disso, acham que uma crença em Deus que não é para ganhar bênçãos é idiotice e tolice, que é uma grande perda. Acham que qualquer um que desiste de sua intenção de ganhar bênçãos foi enganado, que só um tolo desistiria da esperança de ganhar bênçãos, e que aceitar poda e tratamento é uma manifestação de idiotice e incompetência, algo que uma pessoa inteligente não faria. Essa é a lógica da mente de um anticristo. Assim, quando um anticristo é podado e tratado, ele é muito insolente em seu coração e adepto do sofisma e do fingimento; ele não aceita a verdade nem um pouco, nem se submete. Em vez disso, ele transborda de desobediência e rebeldia. Isso tende a levar a resistir a Deus, a julgar a Deus e a se rebelar contra Deus, e, no fim, a ser exposto e expulso(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Doze: Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos”). A palavra de Deus revelava o entendimento errôneo dos anticristos de poda e tratamento. Eles relacionam poda e tratamento a suas bênçãos, futuro e destino. Acham que, quando alguém aponta suas deficiências e falhas e os expõe, poda e lida com eles seriamente, sua esperança de ganhar bênçãos está arruinada. Quando os anticristos se comportam assim, isso expõe que seu objetivo ao crer em Deus é ganhar bênçãos. Os anticristos têm um amor especial por seu futuro, sina e destino, por isso estão fartos de poda e tratamento e resistem a eles, e quando são confrontados com poda e tratamento, eles argumentam e se justificam e se recusam a admitir seus problemas. Lembrei-me de novo de como eu tinha me comportado quando fui podada e tratada. Eu fiquei me defendendo e me recusei a admitir que eu tinha cometido erros por ser irresponsável no meu dever. Achei que, se assumisse a responsabilidade, eu teria que arcar com as consequências, assim, eu me agarrei ao meu raciocínio distorcido e não aceitei a poda e o tratamento. Não busquei a verdade na questão nem entendi que eu tinha sido irresponsável no meu dever e que eu tinha prejudicado o trabalho de rega. Além disso, fiquei defensiva e tive equívocos após ser podada e tratada, pensando que eu já tinha transgredido e que, se eu cometesse outro erro e fosse podada e tratada de novo, eu provavelmente seria expulsa. Assim, desisti de mim mesma e perdi toda a vontade de ser líder. Por meio daquilo que a palavra de Deus revelava, refleti sobre o que eu manifestava e vi que minha intenção ao crer em Deus sempre tinha sido ganhar bênçãos. Consultei a palavra de Deus mais uma vez: “Quando suas esperanças de ganhar bênçãos estão prestes a ser destruídas, eles explodem de raiva e protestam amargamente, e, finalmente, revelam os fatos vergonhosos de sua dúvida sobre Deus e sua negação da verdade. Eles não estão trilhando a estrada para a ruína? Tal é a consequência inevitável do fato de os anticristos não aceitarem a verdade nem minimamente e de não aceitarem poda e tratamento”. Eu estava vivendo num estado negativo e queria pedir dispensa. Isso era uma manifestação de lutar contra Deus, recusando-me a ser podada e tratada e evitando isso. Eu sabia claramente que eu precisava ser podada e tratada para amadurecer na vida e que Deus arranjava situações que eu devia experimentar com base em minhas necessidades e deficiências, mas eu considerava crer em Deus em troca de bênçãos como um objetivo maior e mais legítimo, por isso não buscava a verdade nem resolvia meu caráter corrupto. Para salvaguardar meu futuro e destino e para satisfazer meu desejo e ambição por bênçãos, eu queria evitar poda e tratamento e até queria deixar de ser líder. Minha natureza era tão enganosa e maligna.

Li isto nas palavras de Deus: “Já que ser abençoado não é um objetivo legítimo a ser buscado pelas pessoas, o que é um objetivo legítimo? A busca da verdade, a busca de mudanças de caráter e ser capaz de obedecer a todos os arranjos e orquestrações de Deus: esses são os objetivos que as pessoas devem buscar. Digamos, por exemplo, que ser podado e tratado faz com que você tenha noções e equívocos e se torne incapaz de obediência. Por que você não consegue obedecer? Porque sente que o seu destino ou o seu sonho de ser abençoado foi desafiado. Você se torna negativo e perturbado e tenta se livrar do cumprimento do seu dever. Qual é a razão disso? Há um problema com a sua busca. Então, como isso deve ser resolvido? É imperativo que você abandone imediatamente essas ideias equivocadas e busque imediatamente a verdade para resolver o problema do seu caráter corrupto. Você deveria dizer a si mesmo: ‘Não devo desistir, ainda devo cumprir o dever que uma criatura de Deus deve cumprir, e deixar de lado o meu desejo de ser abençoado’. Quando você renuncia ao desejo de ser abençoado, um peso é tirado dos seus ombros. E você ainda é capaz de negatividade? Mesmo que ainda haja momentos em que é negativo, você não permite que isso o controle, e no seu coração você continua a orar e a lutar, mudando o objetivo da sua busca de ser abençoado e de ter um destino para a busca da verdade, e pensa: ‘A busca da verdade é o dever de uma criatura de Deus. Entender certas verdades hojenão existe colheita maior, essa é a maior bênção de todas. Mesmo que Deus não me queira, e eu não tenha um bom destino, e as minhas esperanças de ser abençoado sejam destruídas, eu continuarei cumprindo devidamente o meu dever, sou obrigado a isso. Seja qual for a razão, ela não afetará o cumprimento do meu dever, não afetará o meu cumprimento da comissão de Deus; esse é o princípio que orienta a minha conduta’. E ao fazer isso, você não transcendeu os grilhões da carne? Alguns podem dizer: ‘Bem, e se eu ainda estiver negativo?’. Então busque a verdade novamente para resolver isso. Não importa quantas vezes você caia em negatividade, se você continuar buscando a verdade para resolvê-la, e continuar se esforçando pela verdade, aos poucos, você emergirá da sua negatividade. E um dia sentirá que você não tem o desejo de ganhar bênçãos e não é governado por seu destino e desfecho, e que você está mais relaxado e livre vivendo sem essas coisas. Sentirá que a vida que você teve antes, cada dia que você vivia com o objetivo de ganhar bênçãos e seu destino era exaustivo. Todo dia vivendo, trabalhando e quebrando a cabeça para ganhar bênçãose que ganho isso teria lhe trazido, no fim? Qual é o valor de uma vida assim? Você não buscou a verdade, mas desperdiçou todos os seus melhores dias com coisas insignificantes. No fim, você não ganhou nenhuma verdade e não foi capaz de oferecer nenhum testemunho experiencial. Você se fez de bobo, totalmente desonrado e fracassado. E qual é realmente a causa disso? É que sua intenção de ganhar bênçãos era forte demais, que seu desfecho e destino ocupavam seu coração e amarravam você apertado demais. Mas quando vier o dia em que você emergirá da escravidão de suas perspectivas e de seu destino, você será capaz de deixar tudo para trás e seguir a Deus. Quando você será capaz de renunciar completamente a essas coisas? À medida que sua entrada na vida se aprofundar incessantemente, você alcançará uma mudança em seu caráter, e isso é quando você será capaz de renunciar a elas totalmente. Alguns dirão: ‘Eu posso renunciar a essas coisas quando eu quiser’. Isso é consistente com a lei natural? (Não.) Outros dirão: ‘Resolvi tudo isso de um dia para o outro. Sou uma pessoa simples, não sou complicado ou frágil como vocês. Vocês são tão ambiciosos, o que mostra que vocês foram corrompidos mais profundamente do que eu’. É esse o caso? Não é. Toda a humanidade tem a mesma natureza corrompida, sem diferenças em termos de profundeza. A única diferença entre eles está em se eles têm humanidade ou não, e no tipo de pessoa que são. Aqueles que amam e aceitam a verdade são capazes de um conhecimento relativamente profundo e claro de seu caráter corrupto, e os outros acham equivocadamente que tais pessoas são excessivamente corruptas. Aqueles que não amam nem aceitam a verdade sempre acham que não têm corrupção, que, com alguns bons comportamentos a mais, eles serão pessoas santas. Esse ponto de vista é, obviamente, inválidona verdade, não é que sua corrupção é rasa, mas que eles não entendem a verdade e não têm um conhecimento claro da essência e da verdade da sua corrupção. Em suma, para crer em Deus, é preciso aceitar a verdade, praticá-la e entrar na sua realidade. É preciso alcançar mudanças no seu caráter de vida antes que se possa alterar a direção e a senda incorretas da sua busca, antes que se possa resolver completamente o problema de buscar bênçãos e trilhar a senda dos anticristos. Dessa forma, é possível ser salvo e aperfeiçoado por Deus. Todas as verdades que Deus expressa para julgar e purificar o homem servem a esse fim(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente na prática da verdade há entrada na vida”). Na palavra de Deus, encontrei uma senda de prática, que era renunciar ao meu desejo de bênçãos, mudar meu objetivo equivocado em minha fé em Deus e trocar minha busca de bênçãos pela busca da verdade e de mudança de caráter. Só essa é a busca correta para um ser criado. Analisei meu comportamento e vi que, quando fui revelada, eu quis descartar meu dever, o que não era a maneira correta de praticar. Mesmo se deixasse de ser líder, já que eu não tinha resolvido meu caráter de estar farta da verdade nem meu desejo de ganhar bênçãos, não importava o que eu fizesse, eu ainda faria coisas que interrompem e perturbam o trabalho da igreja. Naquele período, eu vivia num estado negativo. Eu tramava e conspirava em prol dos meus interesses, eu me sentia péssima, perdi o entusiasmo pelo meu dever e me afastei de Deus. Fiz um juramento de que eu não continuaria presa nem constrangida pelo meu desejo de bênçãos. Não importava se fosse abençoada, primeiro eu devia cumprir bem o meu dever. A igreja me dera a chance de cumprir meu dever, por isso eu devia fazer de tudo para cumprir minhas responsabilidades. Depois disso, meu estado mudou um pouco, e em relação ao meu problema de agir superficialmente e de ser irresponsável no meu dever, eu comi e bebi as palavras relevantes de Deus e entendi que a essência de agir superficialmente é enganar a Deus. Se eu sempre tratasse meu dever com uma atitude superficial e irreverente, eu nunca cumpriria meu dever de modo qualificado e, no fim, perderia a chance de cumprir um dever. Pensando em como minha irresponsabilidade tinha levado muitos recém-convertidos a não se reunirem regularmente, eu me senti arrependida e endividada e odiei meu comportamento irresponsável do fundo do meu coração.

Depois disso, li outra passagem das palavras de Deus que me levou a entender o significado de poda e tratamento com maior clareza. As palavras de Deus dizem: “No que diz respeito à poda e ao tratamento, qual é o mínimo absoluto que as pessoas deveriam saber? A poda e o tratamento devem ser experimentados para cumprir-se corretamente o deverisso é indispensável. É algo que as pessoas devem enfrentar diariamente e experimentar com frequência em sua fé em Deus e em alcançar a salvação. Ninguém pode se isentar de ser podado e tratado. Podar e tratar alguém é alguma coisa que envolva seu futuro e destino? (Não.) Para que, então, serve podar e tratar alguém? Serve para condenar as pessoas? (Não, é para ajudar as pessoas a entender a verdade e a desempenhar seu dever de acordo com os princípios.) Correto. Esse é o entendimento mais correto disso. Podar e tratar alguém é um tipo de disciplina, um tipo de castigo, mas também é uma forma de ajudar as pessoas. A poda e o tratamento permitem que você altere suas buscas incorretas a tempo. Permitem que você reconheça prontamente os problemas que tem atualmente e permitem que você reconheça a tempo os caracteres corruptos que expõe. Seja como for, a poda e o tratamento ajudam você a cumprir seus deveres de acordo com os princípios; a tempo, poupam você de cometer erros e de se desviar e o impede de causar catástrofes. Esse não é o maior auxílio para as pessoas, seu melhor remédio? Aqueles que têm consciência e razão deveriam ser capazes de tratar a poda e o tratamento corretamente(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Nove: Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 8)”). Depois de ler a palavra de Deus, percebi que eu tinha outra ideia absurda sobre poda e tratamento. Quando apliquei as palavras de Deus a mim mesma, descobri que eu tinha o caráter satânico de estar farta da verdade, achei que estava condenada, que minha corrupção era profunda demais e que Deus me odiava e não me salvaria. Na verdade, isso era um tipo de atitude negativa e hostil. Ao ler a palavra de Deus, entendi que receber poda e tratamento não é igual a ser revelado e excluído e não significa que seu futuro e destino foram tirados de você. Isso é feito para ajudar as pessoas a conhecerem suas deficiências em seu dever, a entenderem seus caracteres corruptos, a reverterem os desvios em seus deveres prontamente e a buscarem a verdade para que possam agir de acordo com os princípios. Sem esse caso de poda e tratamento, eu não teria percebido que eu tinha um caráter de estar farta da verdade e que, em questões que diziam respeito aos meus interesses, eu me esquivava da responsabilidade, inventava desculpas e não aceitava a verdade nem minimamente. Acho que foi bom eu ter reconhecido isso. Permitiu que eu me concentrasse em buscar a verdade quando coisas aconteciam depois disso e que eu não fosse cegada por meus bons comportamentos. Isso foi muito importante para minha capacidade de buscar a verdade em minha crença em Deus.

Depois disso, quando eu era podada e tratada por desvios no meu dever, eu vinha para diante de Deus para orar, praticava obediência acima de tudo e buscava as partes relevantes das palavras de Deus para ler com base na minha corrupção e nos problemas que meus irmãos apontavam em meu dever. Depois de ser podada e tratada várias vezes, entendi um pouco melhor o significado disso. Por meio da experiência de ser podada e tratada e com a orientação das palavras de Deus, fui capaz de ver minha estatura verdadeira e os muitos problemas e desvios no meu dever. Também ganhei algum conhecimento do meu caráter corrupto e do desejo de Deus de salvar as pessoas. Ser podada e tratada tem sido muito útil e benéfico para a minha busca de entrada na vida. Sinto que conhecer a mim mesma e cumprir bem o meu dever são inseparáveis de ser julgada, revelada, podada e tratada por Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Conecte-se conosco no Messenger