A realidade por trás dos bajuladores

20 de Janeiro de 2022

Por Su Jie, China

Em outubro, a igreja me designou para supervisionar a equipe de design gráfico juntamente com Wang Li, com quem eu já tinha trabalhado antes. Ela se preocupava com sua imagem e causava problemas com qualquer um que a ofendesse. Mas nós nos dávamos bem, sem nenhum conflito maior. Sempre tivemos um bom relacionamento. Agora que estávamos cumprindo um dever juntas de novo, eu queria que nossa cooperação funcionasse bem. Mais tarde ela me informou sobre os membros da equipe. Quando falou sobre a irmã Xin, ela disse com raiva: “Ela não tem boa humanidade e é muito arrogante. Ela não só se recusa a aceitar sugestões, como sempre fala sobre meus problemas. Ela não exerce um papel positivo na equipe. Já escrevi à líder sobre ela e colhi as avaliações de outros. Ela será demitida”. Eu li as avaliações, e a maioria dizia que a irmã Xin tinha pontos fortes em seu dever e era de bom calibre, mas que era um pouco arrogante e, às vezes, se agarrava à opinião dela. Mas ela era capaz de aceitar as coisas por meio de uma boa comunhão. Em geral, merecia ser cultivada. Pensei que a avaliação de Wang Li não era objetiva nem justa, que ela não deveria ser demitida sem mais nem menos. A irmã Xin deu algum feedback a Wang Li que afetou a imagem dela, de modo que desenvolveu um preconceito contra ela, querendo privá-la de seu dever? Nesse caso, Wang Li deveria ter refletido sobre si mesma. Eu quis apontar esse problema para ela, mas então pensei: Ela se importa tanto com sua reputação — ela deixaria de gostar de mim? Como conviveríamos se as coisas ficassem estranhas? Então, com tato, eu lhe disse: “A irmã Xin é nova na fé e é um pouco teimosa. Mas seu problema não basta para demiti-la. Vamos ajudá-la por meio de comunhão”. Toda sua atitude mudou e, aborrecida, ela disse: “Não é que ela é teimosa, ela tem um caráter ruim. Eu pensava igual a você, mas agora ganhei discernimento. Com base nas palavras de Deus, ela deve ser eliminada. Ajude-a, se quiser. Você pode ser responsável pelo trabalho dela”. Eu não soube o que fazer. Eu tinha acabado de entrar na equipe e não estava familiarizada com as coisas. Mas ela empurrou as responsabilidades dela para cima de mim, e isso podia atrasar nosso trabalho. Foi bastante irresponsável da parte dela. Eu queria compartilhar mais ideias com ela, mas, quando vi a frieza dela, fiquei com medo de o conflito interromper nossa reunião, e fiquei de boca fechada.

Alguns dias depois, estávamos nos preparando para ir para outro local por causa das exigências de nosso trabalho. Do nada, Wang Li me disse: “Não vamos levar a irmã Xin. Ela deve ficar aqui e refletir”. Achei estranho. Deixá-la sozinha aqui não era uma forma de isolá-la? Isso não era igual a demiti-la? A irmã Xin tinha uma função importante. Isso atrasaria nosso trabalho e era injusto com ela. Fiquei preocupada. Vi que Wang Li estava agindo a partir da corrupção e eu queria expô-la por abusar de seu poder e banir a irmã Xin. Mas sempre que falávamos da irmã Xin, ela resistia e adotava uma atitude ruim em relação a mim, então, se eu dissecasse o problema de forma mais direta, ela poderia dizer que eu estava afagando a irmã Xin e sendo difícil com ela e poderia desenvolver preconceitos contra mim. Se eu causasse um conflito entre nós e ela ficasse ressentida e me excluísse, como poderíamos trabalhar juntas? Hesitei e engoli o que estava prestes a dizer. Pensei: Esqueça. A verdade dói, não devo ser tão direta. Devo dar uma maquiada nisso. Então gaguejei: “A líder não confirmou nenhuma mudança no dever dela. Seria apropriado, nós a deixarmos aqui? Não deveríamos esperar pela aprovação da líder antes de demiti-la? Devemos levá-la conosco. Isso também será melhor para acompanharmos o trabalho”. Wang Li não insistiu depois disso. Eu sabia que não tinha tratado do problema dela e temia que ela continuaria a atacar a irmã Xin. Eu me senti culpada, mas então pensei que, já que éramos parceiras, eu ficaria de olho e a impediria de cometer um erro grave. Ela ficou excluindo-a intencionalmente. Uma vez, a igreja precisou de alguém para treinar. Era evidente que a irmã Xin aprendia rápido, e a melhor opção seria treiná-la para que ela pudesse voltar e instruir os outros. Mas Wang Li insistiu em mandar a irmã Liu, que não conhecia bem o nosso trabalho. Eu também soube de outros irmãos que a irmã Xin tinha expressado opiniões contrárias a Wang Li várias vezes, e todos achavam que as ideias da irmã Xin eram melhores, mas Wang Li se recusou a aceitá-las e insistiu que a irmã Xin a ouvisse. Quando a irmã Xin mencinonou os problemas dela numa reunião, Wang Li se irritou e a ignorou. Quando a irmã Xin tinha problemas em seu dever, Wang Li não a ajudava, deixando-a presa em seu trabalho, dificultando as coisas para ela. Senti um grande desconforto quando soube de tudo isso. Wang Li sempre fora preconceituosa e excluía a irmã Xin. Estava ficando sério. Estava interrompendo e prejudicando o trabalho da igreja. Eu sabia que devia falar com Wang Li. Hm. Naquele dia, juntei alguma coragem e disse: “Você não se livrou de seu preconceito contra a irmã Xin, livrou? A irmã Xin é boa em aprender coisas novas. Você não permitiu que ela fosse, então deve ser seu preconceito contra ela”. No mesmo instante, ela adotou uma expressão sombria e disse, irritada: “Eu me livrei de meu preconceito contra ela, mas agora tenho um contra você. A equipe da irmã Xin não está alcançando nada em seu trabalho, e o problema é dela. Eu lhe disse há muito tempo que devemos demiti-la, mas você não concordou”. Ela não tinha autoconsciência. Como líder de equipe, ela não olhava para si mesma quando a equipe ia mal, mas ela enrolava. Eu também estava irritada e queria ser clara sobre a natureza das ações dela. Mas hesitei quando vi como ela resistia. Pensei que eu tinha lhe dado apenas alguns fragmentos de verdade, mas ela não tinha aceitado nem isso. Se eu realmente trouxesse à luz todos os problemas dela, ela certamente explodiria. Com certeza, isso prejudicaria nosso relacionamento. Era melhor ficar calada, além disso, eu já a tinha repreendido um pouco. Já que ela não queria aceitar, decidi desistir. Os arranjos mudaram depois disso, e passei a ser responsável por outro trabalho. Surpreendentemente, um mês depois, o trabalho de Wang Li estava parado, e os membros da equipe estavam se sentindo fracos e deprimidos. Disseram que, quando ela os via não indo bem em seu dever, ela só lidava com eles, mas não os orientava. Todos se sentiam restringidos por ela e tão negativos que mal conseguiam cumprir seu dever. Também disseram que ela não tinha orientado o trabalho da irmã Xin havia meses. Todos tinham lágrimas nos olhos. Não consegui permanecer calma. Eu tinha visto os problemas de Wang Li muito tempo atrás, mas não tinha apontado a natureza de seus problemas para ela. Ela não tinha nenhum entendimento de seu próprio caráter corrupto, mas insistia em excluir as pessoas por preconceito, a ponto de levar o trabalho da equipe a uma parada total. Me senti tão culpada. Quando cheguei em casa, li uma passagem das palavras de Deus que expõem os anticristos: “Por fora, as palavras dos anticristos parecem ser especialmente bondosas, cultas e distintas. Quando alguém viola os princípios, é intrometido e intrusivo, não é tratado, podado nem exposto, não importa quem seja, o anticristo se finge de cego, fazendo com que as pessoas pensem que ele é magnânimo em todas as questões. Cada corrupção e ato odioso das pessoas é respondido com beneficência e tolerância; o anticristo não é propenso a raiva, não machucaria as pessoas por causa de fúria, ira ou porque a pessoa cometeu um erro. Ele quer mortras que é paciente e longâninme, que não machucaria nem ameaçaria ninguém. Mas seu motivo último é agradar, fazer com que as pessoas admirem e aprovem suas ações, seu comportamento, seu caráter” (‘Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 10)’ em “Expondo os anticristos”). Isso realmente me comoveu. Anticristos não intervêm quando veem pessoas interrompendo o trabalho da casa de Deus, para que possam preservar sua boa imagem — são egoístas e desprezíveis. Percebi que estava agindo igual a um anticristo. A casa de Deus tinha arranjado que eu trabalhasse com Wang Li para que pudéssemos compensar as fraquezas da outra, ficar de olho uma na outra, defender juntas o trabalho da casa de Deus. Mas a fim de proteger meu relacionamento “harmonioso” com ela, a fim de preservar minha imagem de “pessoa legal”, não ousei expor seu tratamento exclusivo e opressivo da irmã Xin. Vi que seu jeito de tratar os outros era controlado por sua corrupção e que estava impactando o trabalho, mas eu não aderi aos princípios da verdade nem intervim nem o denunciei a um líder. Temia que ela deixaria de gostar de mim e que isso criaria um conflito entre nós. Quando juntei a coragem para dizer algo, ainda assim me segurei e não apontei diretamente a natureza da conduta dela. Eu sempre lhe oferecia uma saída. Vi muito bem o que ela estava fazendo com os irmãos, o que impediu seriamente o trabalho da casa de Deus e a entrada na vida dos irmãos. Finalmente vi que agir como uma pessoa legal, que não ofender ninguém, provém de motivos escorregadios e astutos. Tudo que fazia era proteger a mim mesma, para manter meu status e reputação. Servia para conquistar corações e mentes, para seduzir os outros com a aparência de bondade. Eu estava revelando o caráter maligno de um anticristo! Quando refleti sobre minhas ações, me senti muito culpada e me odiei por ser tão escorregadia, tão astuta. Deus tinha me elevado para cumprir um dever tão importante, mas eu era irresponsável e não aderi aos princípios quando vi problemas. Prejudiquei o trabalho da casa de Deus e obstruí a vida dos outros. Eu estava mordendo a mão que me alimentava. Eu tinha traído a comissão de Deus para mim! Era inescrupuloso! Vim para diante de Deus para orar e me arrepender, disposta a deixar de ser rebelde e de machucar a Deus. Eu praticaria a verdade e protegeria o trabalho da casa de Deus.

No dia seguinte, assim que mencionei a situação na equipe da irmã Xin, a atitude de Wang Li mudou e ela começou a se queixar da irmã Xin por deixar todos deprimidos. Vi que ela não tinha autoconsciência e que não aceitava feedback. As coisas ficaram um pouco estranhas. Pensei que eu mal tinha começado e ela já estava irritada. Se eu mencionasse todos os seus problemas, ela ficaria chateada comigo. Eu devia? Hesitei e me senti constrangida, então fiz uma oração em silêncio e refleti sobre como Deus exige que sejamos honestos e defendamos os interesses da casa de Deus. Isso me deu alguma coragem. Não importava o que ela pensasse, eu sabia que devia compartilhar minha opinião honesta. Então, falei severa e justamente como ela estava oprimindo a irmã Xin e comunguei sobre a natureza e as consequências disso. Mas ela não quis aceitar nada disso. Ficou discutindo sobre detalhes. Ela se recusou a aceitar a verdade e a conhecer a si mesma. Vi como era sério o problema dela e que ela não devia permanecer naquele dever, então falei sobre isso com a líder. Ela disse que já tinha comungado sobre isso com Wang Li muitas vezes, mas ela não tinha mudado. Sua conduta mostrava que ela não era apta para o trabalho. Ela não tinha humanidade boa e não aceitava a verdade, portanto, devia ser demitida. Ela queria que eu fizesse isso. Senti um aperto no coração e pensei que a atitude dela em relação a mim tinha mudado desde que eu tinha exposto os problemas dela. Se eu a demitisse pessoalmente, isso a ofenderia seriamente. Ela me odiaria depois disso? Se ela pensasse que eu a tinha denunciado à líder, ela pensaria que eu estava perseguindo ela? Eu estava transtornada e não sabia como encará-la. Enquanto quebrava a cabeça sobre isso, li isto nas palavras de Deus: “A maioria das pessoas deseja buscar e praticar a verdade, mas, na maior parte do tempo, só têm a determinação e o desejo de fazê-lo; sai verdade não se tornou sua vida. Como resultado, quando deparam com forças malignas ou encontram pessoas perversas e más cometendo atos malignos ou falsos líderes e anticristos fazendo coisas de uma maneira que viole princípios — assim fazendo com que a obra da casa de Deus sofra perdas e prejudicando os escolhidos de Deus — elas depois perdem a coragem de se manifestar e se pronunciar. O que significa quando você não tem coragem? Significa que você é tímido ou inarticulado? Ou é que você não entende completamente e portanto não tem confiança para se pronunciar? Não é nada disso; é que você está sendo controlado por vários tipos de caracteres corruptos. Um desses caracteres é astúcia. Você pensa primeiro em si mesmo, pensando: ‘Se eu me pronunciar, como isso me beneficiará? Se eu me pronunciar e desagradar alguém, como conviveremos no futuro?’ Essa é uma mentalidade astuta, certo? Isso não é o resultado de um caráter astuto? Outro é um caráter egoísta e mau. Você pensa: ‘O que uma perda dos interesses da casa de Deus tem a ver comigo? Por que deveria me importar? Não tem nada a ver comigo. Ainda que eu veja ou ouça acontecer, não preciso fazer nada. Não é responsabilidade minha — não sou um líder’. Essas coisas estão dentro de você, como se tivessem brotado de sua mente inconsciente e como se ocupassem posição permanente em seu coração — elas são o caráter satânico corrupto do homem. […]Você nunca diz o que realmente pensa. Tudo foi pré-editado pelo seu cérebro, em sua mente. Tudo que você diz é uma mentira, é contrário aos fatos, tudo é em prol de sua defesa espúria, para a sua vantagem. Algumas pessoas são enganadas, e isso lhe basta: suas palavras e ações alcançaram seus objetivos. É isso que está em seu coração, esses são os seus caracteres. Você é totalmente controlado por seus caracteres satânicos. Você não tem poder sobre aquilo que diz e faz. Mesmo que quisesse, você não conseguiria dizer a verdade nem aquilo que realmente pensa; mesmo que quisesse, não conseguiria praticar a verdade; mesmo que quisesse, não conseguiria cumprir suas responsabilidades. Tudo que você diz, faz e pratica é uma mentira, e você simplesmente é desleixado e superficial. Evidentemente, você está completamente acorrentado e controlado por seu caráter satânico. Você pode querer aceitar e buscar a verdade, mas não é capaz disso: você nada mais é do que um fantoche de carne corrupta, você se tornou um instrumento de Satanás, você diz e faz tudo que seu caráter satânico o instrui a fazer. […] Você nunca busca a verdade, menos ainda a pratica. Você apenas continua orando, consolidando sua determinação, fazendo resoluções, prestando juramentos. E em que isso tudo tem resultado? Você ainda é um bajulador; você não provoca ninguém nem ofende ninguém Se uma questão não for de seu interesse, fica fora dela e pensa: ‘Não direi nada sobre coisas que não tenham a ver comigo, e isso sem exceção. Se alguma coisa puder prejudicar meus próprios interesses, meu orgulho ou meu autorrespeito, não darei nenhuma atenção a nada disso e abordarei tudo isso com cautela; não devo agir precipitadamente. O prego que se salienta é atingido primeiro, e eu não sou tão tolo assim!’. Você está totalmente sob o controle de seus caracteres corruptos de maldade, astúcia, dureza e detestação da verdade. Eles estão acabando com você, e tornou-se ainda mais difícil aguentá-los do que o Arco Dourado usado pelo Rei Macaco. Viver sob o controle de um caráter corrupto é tão exaustivo e excruciante!” (‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Cada uma das palavras de Deus acertou meu coração em cheio. Com Wang Li, eu temia ofendê-la e não ousava praticar a verdade e revelar os fatos. Eu era controlada por esses caracteres satânicos de ser maligna, astuta e detestar a verdade. “A harmonia é um tesouro, a paciência é uma virtude”, “nunca jogue os erros e as deficiências na cara das pessoas”, “quando você sabe que algo está errado, é melhor dizer menos”, e “ser franco aborrece os outros.” Essas filosofias satânicas e mundanas tinham se tornado minhas leis de vida. Eu não ousava mencionar os problemas que via nem aderir aos princípios para proteger o trabalho da casa de Deus. Eu era covarde. Quando a líder quis que eu demitisse Wang Li, eu sabia muito bem que isso devia ser feito imediatamente para que o trabalho da casa de Deus não se atrasasse. Mas não consegui abrir a boca, pois temia ofendê-la. Eu parecia ser legal e não querer machucar ninguém, na verdade, porém, eu estava traindo os interesses da casa de Deus em troca de uma imagem positiva na mente dos outros. Eu afagava Wang Li a cada passo, permitindo que ela interrompesse o trabalho da casa de Deus. Eu era como um escudo que permitia que Satanás corresse solto na casa de Deus. Eu era uma pessoa hipócrita e astuta! Essas filosofias satânicas só são falácias que enganam e prejudicam as pessoas! Essa sociedade é tão sombria e maligna porque as pessoas vivem segundo filosofias satânicas. Elas se tornam covardes e odeiam a luz. Ninguém ousa se manifestar, defender a justiça e expor a verdade. Mas aqueles que agradam e sempre verificam para que lado o vento sopra são favorecidos e ganham poder. Não há retidão nem justiça. Todos enganam uns aos outros sem qualquer sinceridade. É isso que resulta da corrupção de Satanás. Finalmente vi que essas filosofias satânicas estão alinhadas com noções humanas, mas que, na verdade, são mentiras que Satanás usa para enganar e corromper as pessoas. Viver segundo elas nos torna cada vez mais egoístas, malignos e astutos. É uma maneira vil e desumana de viver.

Li uma passagem das palavras de Deus em “Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus”. “Se você não guardar nada, se não apresentar uma fachada, um fingimento, se você se desnudar aos irmãos e irmãs, não esconder seus pensamentos e suas ponderações mais íntimas, e permitir que os outros vejam sua atitude honesta, aos poucos, a verdade se enraizará em você, florescerá e dará fruto, produzirá resultados, pouco a pouco. Se o seu coração é cada vez mais honesto e se orienta cada vez mais por Deus, e se você sabe proteger os interesses da casa de Deus quando cumpre seu dever, e sua consciência pesa quando você deixa de proteger esses interesses, isso é prova de que a verdade teve um efeito sobre você e se tornou sua vida. Quando a verdade se tornar a sua vida, então, se alguém blasfemar contra Deus, não tiver reverência a Deus, for desleixado em seu dever, causar interrupções ou perturbar o trabalho da igreja, e quando você vir isso acontecer, você será capaz de discernir e expor a questão quando necessário, e de abordá-la de acordo com o princípio da verdade. […] Quando a verdade domina seu coração e se tornou sua vida, quando você vê o surgimento de algo passivo, negativo ou maligno, a reação em seu coração é totalmente diferente. Primeiro, você sente repreensão e tem uma sensação de incômodo, seguida imediatamente por este sentimento: ‘Não posso simplesmente não fazer nada e fazer vista grossa. Devo me levantar e falar, devo me manifestar e assumir responsabilidade’. Então você pode se levantar e pôr um fim a esses atos malignos, expondo-os, buscando salvaguardar os interesses da casa de Deus e impedir que a obra de Deus seja perturbada. Você não somente terá essa coragem e determinação e será capaz de entender completamente a questão, mas também cumprirá a responsabilidade que tem para com a obra de Deus e com os interesses de Sua casa, e assim seu dever será cumprido” (“Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). Quando li isso, me senti culpada e motivada. Depois de tantos anos de fé, desfrutando da verdade por meio do sustento de Deus, eu ainda não conseguia defender os princípios nem os interesses da casa de Deus. Era irracional. Eu devia tirar minha máscara como bajuladora. Não devia continuar vivendo segundo meu caráter corrupto maligno e astuto, mas devia praticar a verdade e defender os interesses da igreja. Depois disso, fui falar com Wang Li e demiti-la. Também me abri em comunhão, citando cada uma de suas expressões de recusar-se a aceitar a verdade, oprimir as pessoas e prejudicar o trabalho da igreja. Parei de dizer coisas agradáveis fáceis de aceitar. Eu queria ajudá-la, expor os problemas dela, para que ela entendesse seu caráter corrupto e se arrependesse de verdade. Ela ficou tão transtornada que chorou quando terminei e disse que estava disposta a aceitar os arranjos da casa de Deus, a refletir e aprender uma lição. Aos poucos, os irmãos se recuperaram depois disso, e o trabalho da equipe começou a gerar resultados. Senti a paz e tranquilidade que vem de praticar a verdade. É o único jeito de viver na luz.

Mais tarde, houve algumas transferências, e eu comecei a regar recém-convertidos com outras irmãs. Vi que a irmã Yan não tinha um fardo por seu dever, mas era negligente e irresponsável, o que impactava nosso trabalho. Fiquei preocupada e quis apontar isso para que ela mudasse, mas já que tínhamos acabado de nos conhecer e nos dávamos tão bem, se eu fosse direta sobre sua irresponsabilidade no dever, ela não ficaria chateada comigo? Percebi que estava novamente pensando como uma bajuladora, então orei rapidamente. Depois vi um vídeo de leitura das palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “‘Ordenou Deus Jeová ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.’ […] Nessas breves palavras que Deus disse, você consegue ver qualquer coisa do caráter de Deus? Essas palavras de Deus são verdadeiras? Existe alguma trapaça? Existe alguma falsidade? Existe alguma intimidação? (Não.) Honesta, leal e sinceramente Deus disse ao homem o que ele pode comer e o que não pode. Deus falou em termos claros e simples. Existe algum sentido oculto nessas palavras? Essas palavras não são diretas? Há alguma necessidade de conjectura? (Não.) Não há necessidade de adivinhar. O sentido delas é óbvio de imediato. Ao lê-las, sentimo-nos totalmente claros em relação ao seu significado. Ou seja, o que Ele quer dizer e o que Ele quer expressar vêm de Seu coração. As coisas que Deus expressa são simples, diretas e claras. Não há motivos escusos nem significados ocultos. Ele fala diretamente ao homem, dizendo-lhe o que ele pode comer e o que não pode. Isso significa que, por meio dessas palavras de Deus, o homem pode ver que o coração de Deus é transparente e verdadeiro. Não existe nenhum traço de falsidade aqui; não é um caso de dizer-lhe que você não pode comer o que é comestível ou de lhe dizer: ‘Faça isso e veja o que acontece’ com coisas que você não pode comer. Não é isso que Deus quer dizer. Aquilo que Deus pensa em Seu coração, isso é o que Ele diz” (‘O Próprio Deus, o Único IV’ em “A Palavra manifesta em carne”). O que Deus disse a Adão e Eva era perfeitamente claro. Ele é sincero, não esconde nada. A essência de Deus é tão santa. Nos últimos dias, Deus expressa a verdade para julgar e castigar o homem. Suas palavras expões e dissecam a natureza da nossa corrupção por Satanás e revelam nossa feiura e injustiça interior. Elas são claras e não escondem nada. Suas palavras podem ser duras, mas é tudo amor e é tudo para nos purificar e transformar, para que conheçamos a nós mesmos, renunciemos a Satanás e vivamos uma semelhança humana verdadeira. Satanás é o oposto exato. Ele é indireto, obscure e maligno e nunca diz abertamente o que quer. Ele começou dizendo coisas agradáveis, coisas falsas que pareciam plausíveis, para enganar Adão e Eva para que pecassem e traíssem a Deus. Eu tinha vivido segundo filosofias satânicas, mostrando um caráter maligno e astuto, igual a Satanás. Para proteger meus relacionamentos com os outros e como eles me viam, eu pensava uma coisa e dizia outra, enganosa como uma serpente, sempre mudando minha fala. Ninguém conseguia entender o que eu estava tentando dizer. Eu era tão escorregadia. Eu era mais como Satanás do que um ser humano! Fiquei enojada comigo mesma quando percebi isso e não queria mais ser uma bajuladora, uma raposa. Queria praticar a verdade e ser uma pessoa honesta que defende o trabalho da casa de Deus. Na reunião no dia seguinte, eu me abri sobre os problemas que vi na irmã Yan, e então comungamos juntos depois disso. Ela foi capaz de reconhecer seus problemas. Vi que o estado dela começou a mudar depois disso e me senti muito mais livre.

Essa experiência me mostrou que não devemos viver segundo filosofias satânicas e enganar uns aos outros, mas que devemos ser abertos e honestos. Só isso é amor genuíno e beneficia a todos. Experimentei pessoalmente que só ser honesto de acordo com as palavras de Deus e seguir os princípios é ter humanidade e a maneira de ser abençoado, ter paz e alegria. Isso é ser uma pessoa boa. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

A verdade me mostrou o caminho

Por Shizai, Japão Deus Todo-Poderoso diz: “Servir a Deus não é tarefa fácil. Aqueles cujo caráter corrupto permanece inalterado jamais...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp