Cuidar dos pais é uma missão confiada por Deus?

11 de Junho de 2024

Por Liu Hui, China

No final de setembro de 2022, o marido de Ming Hui a levou de um centro de detenção para casa. Por acreditar em Deus Todo-Poderoso, Ming Hui tinha sido presa e perseguida duas vezes pela polícia. Essa foi a segunda vez que ela foi presa, e ela foi condenada a três anos de prisão. Por ter escapado da perseguição da polícia e depois ter sido condenada à prisão, já fazia dez anos que ela não ia para casa.

Depois de chegar em casa, Ming Hui soube que, um ano antes, seu pai havia adoecido e falecido, e sua mãe havia ficado paralítica. No momento em que viu a mãe, ela ficou atônita. Sua mãe, cuja saúde um dia fora robusta, agora estava numa cadeira de rodas. Ming Hui sentiu que estava em dívida com os pais. Ela era a mais jovem da família, e, desde pequena, o pai não a deixava fazer nenhuma tarefa. A mãe, principalmente, cuidou muito bem dela. Eles se esforçaram muito para criá-la, fornecendo-lhe comida, roupas e educação, mas quando precisaram dela, ela não foi uma filha obediente. Ela pensou na primeira vez em que ficou presa no centro de detenção. A mãe receava que a polícia a espancasse brutalmente, e, por causa disso, não conseguia comer nem dormir. Ela mexeu pauzinhos de todo jeito que pôde e gastou dinheiro para pagar a fiança. Enquanto Ming Hui pensava nisso, ela foi até a mãe. Desmanchando-se em lágrimas, a mãe disse: “Finalmente você está de volta. Você sabe quanto senti sua falta nestes anos? Eu tinha medo de que você estivesse sofrendo e sendo tratada injustamente lá dentro”. Ao ouvir essas palavras, Ming Hui se sentiu ainda mais em dívida com a mãe. Lágrimas escorreram, descontroladas, por suas bochechas, e ela pensou: “‘É preciso cuidar dos pais na velhice’, mas quando os meus ficaram doentes e precisaram dos meus cuidados, eu não tive a chance de estar ao lado deles e servi-los. Não lhes dei comida nem remédios, muito menos os ajudei a se aliviar. Não sou digna da bondade que eles demonstraram ao me criar. Para que serve criar uma filha como eu?”. Quanto mais pensava, mais Ming Hui se censurava. Nos dias que se seguiram, Ming Hui passou todos os dias cuidando de sua mãe paralítica. Ela queria compensar todos os anos de dívida com ela. Fazia pouco tempo que Ming Hui estava em casa quando dois policiais locais foram até a casa e tiraram uma foto dela. Além disso, disseram que teriam que visitá-la uma vez por mês. Ming Hui sabia muito bem que aqueles diabos estavam monitorando seu paradeiro. Seria impossível, para ela, acreditar em Deus e cumprir seu dever ali.

Um dia, o líder de igreja enviou uma carta a Ming Hui perguntando se ela poderia cumprir o dever em outro lugar. Ao receber a carta, Ming Hui sentiu alegria e preocupação. Ela estava feliz por saber que ainda tinha uma chance de cumprir seu dever, mas receosa por saber que teria que se preocupar com a mãe idosa e paralítica. Já era difícil ter a chance de voltar para casa e cuidar da mãe. Se ela partisse, não tinha ideia de quando voltaria. Ming Hui não pôde deixar de contemplar profundamente, pensando: “Meus pais me criaram para ser uma adulta. Quando meu pai faleceu, eu não estava em casa. Se minha mãe morrer e eu não estiver ao lado dela, terei alguma humanidade? Esqueça o fato de os vizinhos me chamarem de ingrata; isso pesaria para sempre na minha consciência! Meus pais não se esforçaram tanto para me criar para que eu pudesse ficar junto deles e cuidar deles na velhice? Nesses poucos anos, fui presa e perseguida pelo Partido Comunista por acreditar em Deus, e nunca tive a chance de servir meus pais. Minha consciência já me repreende por causa disso; não posso abandonar minha mãe agora”. Pensando nisso, Ming Hui escreveu uma carta rejeitando o pedido do líder. Depois disso, ela se repreendeu no coração. Como um ser criado, ela tem que cumprir seu dever, mas o rejeitou para ficar em casa e cuidar da mãe. Isso não estava de acordo com a intenção de Deus! Nesses dias, Ming Hui ficou profundamente angustiada e orava constantemente sobre essa questão. Ela pensou numa passagem das palavras de Deus: “Alguém que tem uma humanidade normal precisa, no mínimo, possuir uma razão e consciência. Como você pode saber se uma pessoa possui uma razão e consciência? Se sua fala e suas ações estão basicamente de acordo com os padrões da razão e consciência, então, do ponto de vista humano, ela é uma pessoa boa e é alguém que está à altura de um padrão aceitável. Se ela também consegue entender a verdade e agir de acordo com as verdades princípios, então ela está cumprindo as exigências de Deus, o que é mais alto do que o padrão de razão e consciência. Algumas pessoas dizem: ‘O homem foi criado por Deus. Deus nos deu o sopro da vida, e é Deus que provê para nós, nutre e nos conduz para alcançarmos a idade adulta. Pessoas de razão e consciência não podem viver para si mesmas nem para Satanás; devem viver para Deus e cumprir seu dever’. Isso é verdade, mas é apenas um quadro de referência amplo, um esboço rudimentar. No que diz respeito aos detalhes de como viver para Deus na realidade, isso envolve razão e consciência. Como, então, se vive para Deus? (Cumpra bem o dever que um ser criado deve cumprir.) Correto. Neste momento, tudo que vocês fazem é desempenhar o dever do homem, mas, na verdade, vocês o cumprem para quem? (Para Deus.) É para Deus, é cooperação com Ele! A comissão que Deus lhes deu é seu dever. É fadado, predeterminado e governado por Ele ou, em outras palavras, é Deus que entrega essa tarefa a você e quer que você a complete(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “As cinco condições que devem ser satisfeitas para se iniciar a trilha certa da crença em Deus”). Com as palavras de Deus, Ming Hui passou a entender o que significava ter consciência e humanidade. Ela era um ser criado, e todo o ar que respirava era dado a ela por Deus. Tudo que ela possuía lhe tinha sido surprido por Deus. Sua capacidade de sobreviver até ali era inseparável da soberania e da provisão de Deus, e, acreditando em Deus durante todos aqueles anos, ela havia desfrutado da rega e da provisão de tantas de Suas palavras. Se ela realmente tivesse um pouco de consciência e razão, deveria cumprir bem seu dever para retribuir o amor de Deus. Ela não deveria se preocupar apenas com os próprios assuntos, viver apenas para sua família, para seus pais ou filhos; isso significava não ter consciência alguma. Agora, seu irmão e sua irmã mais velhos estavam cuidando de sua mãe, e o fariam estando ela em casa ou não. Nos dias seguintes, Ming Hui orou a Deus e se dispôs a se submeter a Sua orquestração e Seu arranjo e a cumprir seu dever.

Em fevereiro de 2023, Ming Hui se libertou da vigilância da polícia e saiu de casa para cumprir seu dever. Ela finalmente se reuniu com os irmãos, e uma emoção indescritível agitou seu coração. Um dia, ela leu um pequeno artigo sobre uma mulher de meia-idade que soube que sua mãe havia adoecido, então comprou comida para ela e foi visitá-la. Essa mulher queria muito levar a mãe para sua casa e cuidar dela por alguns dias, mas as circunstâncias não permitiam, e tudo o que ela pôde fazer foi dizer algumas palavras íntimas para a mãe. Ming Hui não pôde deixar de pensar na própria mãe, e sua voz ficou engasgada pelo choro. Ao ver isso, a irmã que estava com Ming Hui disse, em tom de brincadeira: “O que há de errado? Esse artigo tocou seu coração?”. Na hora, Ming Hui não conseguiu responder à irmã. Era como se ela tivesse tido uma visão de sua mãe sentada na cadeira de rodas, esperando ver seu rosto, e, por isso, sem que ela notasse, lágrimas escorreram de seus olhos. Desde pequena, ela havia dado à mãe muitos motivos para se preocupar. Depois de acreditar em Deus, devido à constante perseguição do Partido Comunista, ela foi presa e colocada na cadeia duas vezes. A mãe sempre esteve num estado de ansiedade por causa dela. E ficou preocupada com a filha inúmeras vezes, e derramou lágrimas sem fim, e talvez sua doença tenha sido causada por ela. Agora, quando sua mãe precisava de seus serviços, ela a abandonou e saiu para cumprir seu dever. Quanto mais pensava, mais Ming Hui sentia que estava em dívida para com a mãe, e começou a chorar. Ela percebeu que estava vivendo dentro de seus afetos mais uma vez, e apressou-se em orar a Deus: “Deus, mais uma vez estou vivendo num estado de ansiedade em relação à minha mãe. Por favor, protege meu coração e permite que eu veja as pessoas e as coisas com base em Tuas palavras, sem a perturbação de Satanás. Amém!”.

Depois disso, Ming Hui leu uma passagem das palavras de Deus, e seu coração ficou um pouco aliviado. Deus Todo-Poderoso diz: “Ao criarem você, seus pais estavam apenas cumprindo sua responsabilidade e obrigação, e isso não deveria ser pago e não deveria ser uma transação. Assim, você não precisa abordar seus pais nem lidar com sua relação com eles de acordo com a ideia de recompensá-los. Se você trata seus pais, retribui e lida com sua relação com eles de acordo com essa ideia, isso é desumano. Ao mesmo tempo, é provável que isso faça com que você seja restringido e amarrado por sentimentos carnais, e será difícil emergir desses embaraços, a ponto até de você poder perder seu caminho. Seus pais não são seus credores, então você não tem nenhuma obrigação de realizar todas as expectativas deles. Você não tem nenhuma obrigação de pagar a conta de suas expectativas. Isso quer dizer que eles podem ter as expectativas deles. Você tem suas escolhas, e a senda de vida e o destino que Deus estabeleceu para você, que nada têm a ver com seus pais. Assim, quando um de seus pais disser: ‘Você não é filial. Você não voltou para me visitar por muitos anos, e já se passaram tantos dias desde que você me ligou. Estou doente e não tenho ninguém que cuide de mim. Eu realmente criei você em vão. Você realmente é um filho indiferente e ingrato, um filho mal-agradecido!’, se você não entender a verdade de ‘seus pais não são seus credores’, ouvir essas palavras será tão doloroso quanto uma faca que perfura seu coração, e sua consciência se sentirá culpada. Cada uma dessas palavras se inserirá no coração e fará com que você tenha vergonha de encarar seu pai, você se sentirá endividado e culpado para com ele. Quando seu pai disser que você é um ingrato indiferente, você realmente sentirá: ‘Ele está absolutamente certo. Meus pais me criaram até esta idade, e eles não puderam desfrutar de meu sucesso. Agora que estão doentes, eles esperavam que eu ficasse ao lado de seu leito, servindo-os e acompanhando-os. Eles precisavam que eu retribuísse sua bondade, e eu não estive presente. Eu realmente sou um ingrato indiferente!’. Você se classificará como um ingrato indiferente — isso é sensato? Você é um ingrato indiferente? Se você não tivesse deixado seu lar para desempenhar seu dever em outro lugar e tivesse ficado do lado de seus pais, você poderia ter evitado que eles adoecessem? (Não.) Você pode controlar se seus pais vivem ou morrem? Você pode controlar se eles são ricos ou pobres? (Não.) Seja qual for a doença que seus pais peguem, isso não acontecerá porque eles estão exaustos demais por criarem você ou porque sentem sua falta; sobretudo não contrairão nenhuma dessas doenças sérias e possivelmente fatais por causa de você. Isso é o destino deles e nada tem a ver com você. Não importa quão filial você seja, o máximo que você pode alcançar é reduzir um pouco o sofrimento carnal e os fardos deles, mas, quanto a eles adoecerem, à doença que eles contraírem, a quando e onde morrerem, essas coisas têm alguma coisa a ver com você? Não, não têm. Se você for filial, se não for um ingrato indiferente e passar o dia inteiro com eles, vigiando-os, eles não adoecerão? Não morrerão? Se hão de adoecer, não adoecerão de todo jeito? Se hão de morrer, não morrerão de todo jeito? Isso não é correto? […] Não importa se seus pais chamam você de ingrato indiferente, pelo menos você está desempenhando o dever de um ser criado diante do Criador. Contanto que não seja um ingrato indiferente aos olhos de Deus, isso basta. Não importa o que as pessoas digam. O que seus pais dizem sobre você não é necessariamente verdade, e o que dizem não é útil. Você deve tomar as palavras de Deus como sua base. Se Deus diz que você é um ser criado adequado, então não importa se as pessoas o chamam um ingrato indiferente, elas não podem realizar nada. Só acontece que as pessoas serão impactadas por esses insultos devido ao efeito de sua consciência ou, quando não entendem a verdade e sua estatura é baixa, elas ficarão um pouco mal-humoradas e um pouco deprimidas, mas quando voltarem para diante de Deus, tudo isso será resolvido e não será mais um problema para elas(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (17)”). Ming Hui agradeceu a Deus no coração. Se Deus não tivesse comunicado claramente a verdade que “Seus pais não são seus credores”, ela sempre teria acreditado que, como seus pais a conceberam, se esforçaram muito para lhe dar educação e se preocuparam tanto com ela, a bondade que demonstraram ao criá-la era maior do que qualquer coisa, e ela teria de lhes retribuir quando crescesse. Se não conseguisse fazer isso, sua consciência a repreenderia, e os outros a chamariam de ingrata e desnaturada. Ela acreditava que, se tivesse ficado em casa durante aqueles anos, poderia ter cuidado adequadamente do pai quando ele estava doente, e sua mãe não teria ficado tão ansiosa por causa dela. Então, talvez sua mãe não tivesse contraído a doença. Ela sempre pensou que a doença de sua mãe estava relacionada a ela. Agora, ela leu as palavras de Deus que dizem: “Você pode controlar se seus pais vivem ou morrem? Você pode controlar se eles são ricos ou pobres? (Não.) Seja qual for a doença que seus pais peguem, isso não acontecerá porque eles estão exaustos demais por criarem você ou porque sentem sua falta; sobretudo não contrairão nenhuma dessas doenças sérias e possivelmente fatais por causa de você. Isso é o destino deles e nada tem a ver com você”. Ming Hui reconheceu que a sina de todos está nas mãos de Deus. Nesta vida, quando alguém adoece ou morre é algo que Deus ordenou há muito tempo. Mesmo que ela tivesse ficado sempre ao lado dos pais durante aqueles anos, isso não teria mudado a sina deles. Ming Hui pensou que todos os anos havia tantos idosos que, devido à pressão alta, tinham hemorragia cerebral e ataque cardíaco, e morriam de doenças súbitas ou sofriam hemiplegia devido aos efeitos colaterais. Algumas dessas pessoas tinham filhos que se dedicavam a cuidar delas, mas, por maior que fosse o cuidado, elas não conseguiam impedir que seus pais adoecessem e morressem. O máximo que podiam fazer era levar prontamente os pais ao hospital para tratamento, mas não podiam decidir se os médicos conseguiriam curá-los ou não. Reconhecendo isso, Ming Hui entendeu claramente que sua mãe havia adoecido daquela forma não por sentir falta da filha ou pela exaustão de criá-la. Essa era a sina dela. Ming Hui se sentiu muito mais relaxada.

Embora entendesse que a doença de sua mãe não estava relacionada a ela, assim que pensou em tudo que sua mãe havia feito por ela, e que agora a mãe estava paralítica e precisava de cuidados, no entanto, ela não estava lá, ela ainda se sentia um pouco repreendida por dentro. Ela achava que estava em dívida com a mãe. Logo depois disso, ela leu duas passagens das palavras de Deus que transformaram suas visões sobre o assunto. Deus Todo-Poderoso diz: “Há um ditado no mundo dos não crentes: ‘os corvos retribuem à mãe alimentando-a, e os cordeiros se ajoelham para receber leite de sua mãe’. Há também este ditado: ‘uma pessoa não filial é mais baixa do que um animal’. Como esses ditados soam grandiosos! Na verdade, os fenômenos mencionados pelo primeiro ditado, ‘os corvos retribuem à mãe alimentando-a, e os cordeiros se ajoelham para receber leite de sua mãe’, realmente existem, são fatos. No entanto, são simplesmente fenômenos do mundo animal. São apenas um tipo de lei que Deus estabeleceu para as diversas criaturas vivas e ao qual todo tipo de criatura viva, inclusive os humanos, obedece. Além disso, o fato de que todo tipo de criatura viva obedeça a essa lei demonstra ainda mais que todas as criaturas vivas foram criadas por Deus. Nenhuma criatura viva pode violar essa lei, nem a transcender. Até os carnívoros relativamente ferozes como os leões e os tigres alimentam sua cria e não a mordem enquanto ela não alcançar a idade adulta. Isso é um instinto animal. Não importa de que espécie sejam, sejam eles ferozes ou amáveis e mansos, todos os animais possuem esse instinto. Todos os tipos de criaturas, inclusive os humanos, só conseguem se multiplicar e sobreviver se obedecerem a esse instinto e a essa lei. Se não obedecessem a essa lei ou se não tivessem essa lei e esse instinto, elas não seriam capazes de se multiplicar e sobreviver. Nem a cadeia biológica nem este mundo existiriam. Isso não é verdade? (Sim.) O fato de que os corvos retribuem à mãe alimentando-a, e de que os cordeiros se ajoelham para receber leite de sua mãe demonstra precisamente que o mundo animal obedece a esse tipo de lei. Todo tipo de criatura viva tem esse instinto. Quando a cria nasce, ela recebe os cuidados e é nutrida pelas fêmeas ou pelos machos da espécie até ela alcançar a idade adulta. Todo tipo de criatura viva é capaz de cumprir suas responsabilidades e obrigações para com sua cria, criando a próxima geração de forma conscienciosa e diligente. Isso deveria se aplicar ainda mais aos humanos. A humanidade chama os humanos de animais mais elevados — se eles não conseguirem obedecer a essa lei e carecerem desse instinto, os humanos são mais baixos do que os animais, não são? Portanto, por mais que seus pais tenham nutrido você enquanto o criavam e por mais que tenham cumprido sua responsabilidade para com você, eles só estavam fazendo o que deveriam fazer dentro do escopo das capacidades de um humano criado — era seu instinto(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (17)”). “Por fora, parece que seus pais conceberam sua vida carnal e que foram seus pais que lhe deram vida. Mas, se analisarmos isso a partir da perspectiva de Deus e a partir da raiz dessa questão, sua vida carnal não foi dada a você por seus pais, pois as pessoas não conseguem criar vida. Em termos simples, ninguém consegue criar o fôlego do homem. A razão pela qual a carne de cada pessoa é capaz de se tornar uma pessoa é que ela tem esse fôlego. A vida do homem está nesse fôlego, e ele é o sinal de uma pessoa viva. As pessoas têm esse fôlego e vida, e a fonte e a origem dessas coisas não são seus pais. Acontece apenas que as pessoas foram produzidas por meio de seus pais, que as conceberam — o fundamento é que é Deus que dá essas coisas às pessoas. Portanto, seus pais não são os senhores de sua vida; o Senhor de sua vida é Deus. Deus criou a humanidade, Ele criou a vida da humanidade, e Ele deu à humanidade o sopro de vida, que é a origem da vida do homem. Portanto, não é fácil entender a frase ‘Seus pais não são os senhores de sua vida’? Seu fôlego não foi dado a você por seus pais, muito menos sua continuação lhe é dada por seus pais. Deus cuida de cada dia de sua vida e o governa. Seus pais não podem decidir como cada dia de sua vida transcorre, se cada dia é feliz e transcorre tranquilamente, quem você encontra a cada dia, nem em que ambiente você vive a cada dia. Acontece apenas que Deus cuida de você por meio de seus pais — seus pais são simplesmente as pessoas que Deus enviou para cuidarem de você. Quando você nasceu, não foram seus pais que lhe deram vida, então, foram seus pais que lhe deram a vida que permitiu que você vivesse até agora? Não foram. A origem de sua vida ainda é Deus, não seus pais(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (17)”). Depois de ler as palavras de Deus, Ming Hui soltou um suspiro de alívio. Como Deus disse, era um fato que “os corvos retribuem à mãe alimentando-a, e os cordeiros se ajoelham para receber leite de sua mãe”, mas esse fato só provava que todos os animais do mundo natural estão cumprindo a responsabilidade e a obrigação de criar seus filhos. Essa é uma lei que Deus formulou para todos os seres vivos. Mesmo que seja um tigre ou leão feroz, quando seus filhotes são jovens e ainda não cresceram, eles se dedicarão a protegê-los e criá-los até que possam ser independentes. Essa é uma lei que Deus criou para eles, e também é seu instinto. Os seres humanos são uma espécie mais avançada do que os outros animais, com coração e espírito, e deveriam saber ainda melhor como aderir a essa lei. Não importa o preço que os pais paguem por seus filhos, eles estão apenas cumprindo sua responsabilidade e obrigação, e isso não pode ser chamado de bondade de forma alguma. Ming Hui percebeu que, antes, ela havia entendido que “os corvos retribuem à mãe alimentando-a, e os cordeiros se ajoelham para receber leite de sua mãe” de uma forma que não estava de acordo com a verdade. Ela pensou que isso significava que até mesmo os animais sabiam retribuir a bondade dos pais ao criá-los, e que, se ela não pudesse fazer isso, seria ainda pior do que um animal. Esse entendimento estava errado e não estava de acordo com as palavras de Deus. Seus pais a terem concebido e criado, além de lhe fornecido comida, roupas e educação, tudo isso eram responsabilidades e obrigações que eles deviam cumprir como pais. Ela não deveria se sentir sempre em dívida com seus pais, muito menos pensar sempre que deveria retribuir a bondade deles. Aparentemente, seus pais a conceberam e criaram, mas isso foi ordenado por Deus. Os pais cuidavam da vida de seus filhos e os criavam até ser adultos, mas quanto ao bem e ao mal da sina de seus filhos, e quando certas coisas aconteceriam com seus filhos ou quando acidentes aconteceriam com eles, tudo isso estava fora de suas mãos. De repente, Ming Hui se lembrou de uma época em que tinha cinco ou seis anos de idade, quando foi brincar na beira do rio com sua irmã, que era dois anos mais velha, e acidentalmente caiu numa vala profunda. Ela engoliu muita água e quase se afogou. Chorando, a irmã a arrastou para fora da vala. Na hora, embora ela não acreditasse em Deus, se Deus não estivesse cuidando dela e protegendo-a, ela teria parado de respirar e perdido a vida muito antes. Não importava quanto seus pais a amassem, eles não tinham controle sobre a vida ou a morte dela. Ela ter vivido até ali tinha sido inteiramente um resultado do cuidado e da proteção de Deus. Ela deveria pensar em como retribuir o amor de Deus e cumprir seu dever como um ser criado; era isso que alguém com consciência e razão deveria fazer.

Logo depois disso, Ming Hui leu estas palavras de Deus: “Na presença do Criador, você é um ser criado. O que deveria fazer nesta vida não é somente cumprir suas responsabilidades para com seus pais, mas cumprir seus deveres e responsabilidades como um ser criado. Você só pode cumprir suas responsabilidades para com seus pais com base nas palavras de Deus e nas verdades princípios, não fazendo qualquer coisa por eles com base em suas necessidades emocionais ou nas necessidades da sua consciência. […] É claro que algumas pessoas dirão: ‘Todas as coisas que Tu disseste são fatos, mas sinto que agir desse jeito é impessoal demais. Minha consciência sempre me repreende, não suporto isso’. Se você não suporta isso, então simplesmente satisfaça seus sentimentos; acompanhe seus pais e fique perto, ao lado deles, sirva a eles, seja filial e faça o que eles dizem, estejam eles certos ou errados — seja como a sombra e o assistente deles, não há nada de errado nisso. Desse jeito, ninguém o criticará pelas costas, e até seus parentes falarão sobre quanto você é filial. No entanto, no fim, o único que sairá perdendo será você. Você preservou sua reputação de pessoa filial, satisfez suas necessidades emocionais, sua consciência nunca o acusou, e você retribuiu a bondade de seus pais, mas existe uma coisa que você negligenciou e perdeu: você não tratou nem lidou com todos esses assuntos de acordo com as palavras de Deus, e perdeu a oportunidade de desempenhar seu dever como um ser criado. O que isso significa? Significa que você foi filial com seus pais, mas traiu a Deus. Você demonstrou piedade filial e satisfez as necessidades emocionais da carne de seus pais, mas se rebelou contra Deus. Você prefere ser um pessoa filial a desempenhar seus deveres como um ser criado. Esse é o maior desrespeito a Deus. Deus não dirá que você é alguém que se submete a Ele ou que possui humanidade só porque você é uma pessoa filial, não decepcionou seus pais, tem consciência e cumpre suas responsabilidades como filho. Se você só satisfaz as necessidades da sua consciência e as necessidades emocionais da sua carne, mas não aceita as palavras de Deus nem a verdade como base e princípios para tratar ou lidar com essa questão, você demonstra a maior rebeldia a Deus. Se quiser ser um ser criado qualificado, você precisa primeiro ver e fazer tudo de acordo com as palavras de Deus. Isso se chama ser qualificado, ter humanidade e consciência. Por outro lado, se você não aceitar as palavras de Deus como os princípios e a base para tratar ou lidar com essa questão, e também não aceitar o chamado de Deus para sair e desempenhar seus deveres, ou preferir adiar ou desistir da oportunidade de desempenhar seus deveres para ficar ao lado dos seus pais, para acompanhá-los, fazê-los felizes, fazer com que possam aproveitar os últimos anos e retribuir a bondade deles, então Deus dirá que você é uma coisa sem humanidade e consciência. Você não é um ser criado, e Ele não o reconhecerá(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (16)”). Ming Hui se lembrou da primeira vez que o líder de igreja lhe enviou uma carta perguntando se ela poderia sair de casa para cumprir seu dever. A primeira coisa que ela pensou foi que havia se tornado uma grande devedora de seus pais ao longo dos anos. Em particular, já era tarde demais para compensar o que ela devia ao pai. Se ela também deixasse a mãe, seria ainda mais difícil se explicar. Para dar um pouco de conforto a sua consciência e fazer com que os vizinhos dissessem que ela era filial, ela rejeitou seu dever e ficou em casa para cuidar da mãe. Ela acreditava que era isso que significava ser alguém com consciência e humanidade. Com base nas palavras de Deus, ela entendeu que, como um ser criado que respirava o fôlego que Deus lhe dera e desfrutava de tudo que Ele lhe proporcionava, ela devia retribuir o amor de Deus. No entanto, quando a igreja precisou que ela cumprisse o dever, ela o rejeitou para cuidar da mãe. Mesmo que cuidasse muito bem da mãe e que os outros a elogiassem por ser filial, ela ainda seria alguém sem consciência ou humanidade perante o Criador. Pensando nisso, Ming Hui não pôde deixar de se odiar e pensou: “Se eu não acreditasse em Deus e não tivesse lido as palavras de Deus, isso seria desculpável. Agora, eu acredito em Deus faz todos esses anos e li muitas de Suas palavras, mas minhas visões sobre as coisas ainda são as mesmas dos não crentes. Eu não sou uma descrente? A fim de seguir o Senhor Jesus, espalhar o evangelho do reino dos céus e pastorear as igrejas, Pedro abandonou os pais e a família. Havia também aqueles missionários estrangeiros que abandonaram a família e cruzaram os mares para ir à China e divulgar o evangelho do reino dos céus do Senhor Jesus para nós. Eles também tinham pais, filhos e parentes. No entanto, o que eles tinham em mente não era sua família, nem seus pais e filhos, mas sim como levar em consideração a intenção de Deus e como levar as pessoas que estavam vivendo em pecado e profundamente prejudicadas por Satanás para diante de Deus para aceitar Sua salvação. Essas eram pessoas com consciência e humanidade. Agora, os últimos dias chegaram, e a obra de Deus está prestes a terminar. O coronavírus, as enchentes, a guerra e todos os tipos de desastres se abateram sobre nós. Ainda há muitas pessoas que ainda não ouviram o evangelho da obra de Deus nos últimos dias. Essas pessoas estão enfrentando o perigo de se perder nos desastres a qualquer momento. Eu ter, agora, a oportunidade de cumprir meu dever e divulgar o evangelho do reino de Deus — isso não é a coisa mais justa e significativa? Esse é o tipo de coisa que alguém com humanidade deveria fazer! O que importa quanto sou bem avaliada pelos outros? Como um ser criado, apenas cumprir meu dever e receber a aprovação do Criador é o mais importante”. Ming Hui leu mais uma passagem das palavras de Deus e ganhou mais conhecimento sobre seu problema. Deus Todo-Poderoso diz: “Devido ao condicionamento da cultura tradicional chinesa, nas noções tradicionais dos chineses, eles acreditam que deve-se respeitar a piedade filial para com os pais. Quem não respeita a piedade filial tem um comportamento impróprio de um filho. Essas ideias foram incutidas nas pessoas desde a infância e são ensinadas em praticamente todos os lares, bem como em todas as escolas e na sociedade em geral. Quando a cabeça de uma pessoa foi preenchida com coisas desse tipo, ela pensa: ‘A piedade filial é mais importante que qualquer coisa. Se eu não a respeitasse, não seria uma boa pessoa — eu não seria um filho filial e seria denunciado pela sociedade. Eu seria uma pessoa que carece de consciência’. Essa opinião é correta? As pessoas viram tantas verdades expressadas por Deus — Deus exigiu que se mostre piedade filial em relação aos pais? Essa é uma das verdades que os crentes em Deus precisam entender? Não, não é. Deus só comunicou alguns princípios. Por qual princípio as palavras de Deus pedem que as pessoas tratem os outros? Ame o que Deus ama, e odeie o que Deus odeia: esse é o princípio que deveria ser seguido. Deus ama aqueles que buscam a verdade e são capazes de seguir Sua vontade; essas também são as pessoas que nós deveríamos amar. Aquelas que não são capazes de seguir a vontade de Deus, que odeiam e se rebelam contra Deus — essas pessoas são detestadas por Deus, e nós também deveríamos detestá-las. Isso é o que Deus pede ao homem. […] Satanás usa esse tipo de cultura tradicional e noções de moralidade para amarrar os seus pensamentos, a sua mente e o seu coração, deixando-o incapaz de aceitar as palavras de Deus; você foi possuído por essas coisas de Satanás, e elas o deixaram incapaz de aceitar as palavras de Deus. Quando você quer praticar as palavras de Deus, essas coisas o perturbam, levam você a opor-se à verdade e às exigências de Deus e tornam você incapaz de se livrar do jugo da cultura tradicional. Depois de lutar por um tempo, você faz concessões: prefere acreditar que as noções tradicionais de moralidade estão corretas e de acordo com a verdade, e então você rejeita ou abandona as palavras de Deus. Não aceita as palavras de Deus como a verdade e não dá importância a ser salvo, sentindo que ainda vive neste mundo e que você só pode sobreviver se depender dessas pessoas. Incapaz de suportar a recriminação da sociedade, você prefere abrir mão da verdade e das palavras de Deus, abandonar-se às noções tradicionais de moralidade e à influência de Satanás, e prefere ofender a Deus e não praticar a verdade. O homem não é lamentável? Ele não precisa da salvação de Deus? Algumas pessoas têm acreditado em Deus por muitos anos, mas ainda não têm nenhuma percepção na questão da piedade filial. Elas realmente não entendem a verdade. Elas nunca conseguem romper essa barreira das relações mundanas; não têm coragem nem confiança, muito menos determinação, por isso não conseguem amar nem obedecer a Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só ao reconhecer as próprias opiniões equivocadas pode-se realmente se transformar”). Num instante, as palavras de Deus iluminaram o coração de Ming Hui. Ela reconheceu que sua recusa em deixar a mãe vinha da doutrinação e da influência da cultura tradicional que Satanás havia incutido nela. Ela vivia de acordo com os venenos satânicos “piedade filial é uma virtude que deve ser defendida acima de tudo”, “seus pais o criam para que você possa cuidar deles quando envelhecerem”. e “não viaje para longe enquanto seus pais ainda vivem”. Desde muito jovem, ela sempre ouvia comentários das pessoas, como “o filho de fulano é filial mesmo; ele sabe que deve ser filial com os pais e retribuir a bondade deles. Ele realmente tem consciência! No entanto, o filho de cicrano não é bom. Seus pais ficaram doentes, mas ele não cuidou deles. Que filho ingrato. Ele jogou sua consciência para os lobos!”. Essas palavras já haviam sido plantadas no fundo do coração de Ming Hui. Ela colocou ser filial aos pais em primeiro lugar e pensou que, como sua mãe estava doente, enquanto filha, ela deveria ficar ao lado dela, servindo-a. Se não ficasse ao lado da mãe, ela seria uma filha desnaturada. Ela temia que os vizinhos a chamariam de filha ingrata e sem humanidade, e então rejeitou seu dever. Mais tarde, embora tivesse começado a cumprir seu dever novamente, ela ainda se sentia em dívida com a mãe. Ela reconheceu que havia sido muito bem amarrada por esses venenos satânicos. Nesse momento, Ming Hui se lembrou de que a mãe era descrente. No ano anterior, como não conseguia suportar o tormento da doença, ela havia começado a adorar espíritos malignos. Ming Hui não só não conseguia amar o que Deus ama e odiar o que Ele odeia, ela também deixou que a preocupação com a mãe afetasse seu dever. Isso não era ser incapaz de distinguir o bem do mal e discernir o certo do errado? Ming Hui se odiou por ser tão cega e ignorante! Ela suspirou, pensando: “Felizmente, Deus expressou essas palavras e nos disse os princípios que devemos praticar em relação a nossos pais. Somente por causa disso posso deixar de lado a dívida com a minha mãe e manter a mente no dever. Caso contrário, nesta vida, eu só poderia ser controlada pelo pensamento tradicional que Satanás incutiu em mim e não me disporia nem um pouco a cumprir meu dever. No final, eu perderia a chance de ser salva e seria uma pessoa lamentável”.

Ming Hui leu outras duas passagens das palavras de Deus e aprendeu como considerar os pais. Deus Todo-Poderoso diz: “Em primeiro lugar, a maioria das pessoas escolhe sair de casa para desempenhar seus deveres, em parte, por causa das circunstâncias objetivas abrangentes, que exigem que elas deixem seus pais; elas não podem ficar ao lado dos pais para cuidar deles e acompanhá-los. Não é que elas escolhem deixar os pais de bom grado; essa é a razão objetiva. Por outro lado, em termos subjetivos, você sai para desempenhar seus deveres não porque você quis deixar seus pais e fugir de suas responsabilidades, mas por causa do chamado de Deus. A fim de cooperar com a obra de Deus, de aceitar Seu chamado e de desempenhar os deveres de um ser criado, você não tinha escolha senão deixar seus pais; você não pôde ficar ao lado deles para acompanhá-los e cuidar deles. Você não os deixou para evitar responsabilidades, certo? Deixá-los para evitar suas responsabilidades e ter que deixá-los para atender ao chamado de Deus e desempenhar seus deveres — essas não são duas naturezas diferentes? (Sim.) No coração, você tem apegos emocionais e pensamentos para com seus pais; seus sentimentos não são vazios. Se as circunstâncias objetivas permitissem e você pudesse ficar ao lado deles e, ao mesmo tempo, desempenhar seus deveres, você estaria disposto a ficar do lado deles, cuidar deles regularmente e cumprir suas responsabilidades. Mas por causa de circunstâncias objetivas, você precisa deixá-los; não pode ficar ao lado deles. Não é que você não quer cumprir suas responsabilidades de filho, mas que você não pode. Isso não é diferente em natureza? (Sim.) Se você saísse de casa para evitar ser filial e cumprir suas responsabilidades, isso seria não filial e careceria de humanidade. Seus pais criaram você, mas você mal pode esperar para abrir as asas e logo sair voando sozinho. Você não quer ver seus pais e não quer dar nem um pouco de atenção quando fica sabendo de alguma dificuldade que encontraram. Mesmo que tenha os recursos para ajudar, você não ajuda; simplesmente se finge de surdo e deixa que os outros digam o que queiram sobre você — você simplesmente não quer cumprir suas responsabilidades. Isso é ser não filial. Mas é esse o caso, agora? (Não.) Muitas pessoas deixaram seu município, sua cidade, sua província e até seu país para desempenhar seus deveres; já estão muito distantes de sua cidade natal. Além disso, por várias razões, não é conveniente que elas mantenham contato com a família. Ocasionalmente, elas se perguntam sobre a situação atual de seus pais a pessoas que vieram da mesma cidade natal e ficam aliviadas quando ouvem que seus pais ainda estão saudáveis e indo bem. Na verdade, você não é não filial; você não chegou a ponto de carecer de humanidade, em que você nem quer se importar com seus pais ou cumprir suas responsabilidades para com eles. É por causa de várias razões objetivas que você tem que fazer essa escolha, portanto você não é não filial. Essas são as duas razões. […] Além disso, o mais importante é que, depois de anos de crer em Deus e de ouvir tantas verdades, no mínimo as pessoas têm este tantinho de entendimento e compreensão: o destino do homem é determinado pelo Céu, o homem vive nas mãos de Deus, e ter o cuidado e a proteção de Deus é muito mais importante do que as preocupações, a piedade filial ou o companheirismo dos filhos. Você não fica aliviado ao saber que seus pais estão sob o cuidado e a proteção de Deus? Você não precisa se preocupar com eles. Se você se preocupa, isso significa que você não confia em Deus; sua fé Nele é pequena demais. Se realmente se preocupa com seus pais, você deveria orar a Deus com frequência, confiá-los às mãos de Deus e permitir que Deus orquestre e arranje tudo(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (16)”). “Como filho, você deveria entender que seus pais não são seus credores. Há muitas coisas que você deve fazer nesta vida, e todas elas são coisas que um ser criado deveria fazer, que lhe foram confiadas pelo Senhor da criação e que nada têm a ver com retribuir a bondade de seus pais. Mostrar-lhes piedade filial, retribuir-lhes, devolver sua bondade — essas coisas nada têm a ver com sua missão na vida. Pode-se dizer também que não é necessário que você mostre piedade filial para seus pais, que retribua a eles ou que cumpra qualquer responsabilidade sua para com eles. Em termos simples, você pode fazer um pouco disso e cumprir um pouco de suas responsabilidades quando as circunstâncias permitirem; quando não permitirem, você não precisa insistir em fazê-lo. Se você não consegue cumprir sua responsabilidade para mostrar piedade filial para seus pais, isso não é algo terrível, isso apenas viola um pouco da sua consciência, da sua moralidade e de suas noções humanas. Mas, no mínimo, isso não viola a verdade, e Deus não o condenará por isso. Quando você entender a verdade, sua consciência não se sentirá repreendida por conta disso(A Palavra, vol. 6: Sobre a busca da verdade I, “Como buscar a verdade (17)”). Das palavras de Deus, Ming Hui percebeu que sua incapacidade de ficar em casa cuidando de seus pais durante aqueles anos se deveu principalmente à perseguição e às prisões do Partido Comunista. Ela foi forçada a perder a chance de ficar em casa e cuidar de seus pais; não que ela tivesse se esquivado intencionalmente de sua responsabilidade de sustentá-los. Agora, Ming Hui tinha um registro criminal, e a polícia poderia ir a sua casa a qualquer momento para assediá-la e monitorar seu paradeiro. Não havia absolutamente nenhuma maneira de ela acreditar em Deus e cumprir seu dever em casa, por isso ela não teve escolha a não ser sair de casa. Como um ser criado, cumprir o dever de um ser criado era mais importante do que ser filial aos pais. Essa era a coisa mais justa a fazer em sua vida, sem mencionar que era sua missão. Com base nas palavras de Deus, Ming Hui encontrou uma senda para praticar. Se as condições permitissem e ela tivesse a chance de ficar em casa e cuidar da mãe, ela poderia cumprir sua responsabilidade e obrigação como filha e cuidar dela. Se as circunstâncias não fossem apropriadas, não havia necessidade de se recriminar. Os filhos e os pais não deviam nada uns aos outros. Ao reconhecer isso, Ming Hui sentiu todo o corpo relaxar. No coração, ela agradeceu a Deus. Foram as palavras de Deus que a ajudaram a ver claramente como a cultura tradicional prejudicava as pessoas e a entender que, como um ser criado, somente viver para cumprir seu dever tem significado e faz de alguém uma pessoa que realmente tem consciência e humanidade. Nos dias seguintes, Ming Hui colocou todos o coração em seu dever.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Como tratar a bondade dos pais

Por Jian Xi, China Quando era jovem, eu tinha uma constituição fraca e sempre ficava doente. Às vezes, meus pais me levavam às pressas para...

Saindo da sombra da morte da mãe

Por Cheng Xin, China Em 2012, fui presa pela polícia por cumprir meu dever e condenada a cinco anos de prisão. Na época, minha mãe já tinha...

Conecte-se conosco no Whatsapp