Liberta dos laços da inveja

04 de Fevereiro de 2022

Por Joylene, Filipinas

Em janeiro de 2018, eu aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, e não demorou muito para eu receber um dever na igreja como cantora principal em vídeos musicais para hinos. No início, muitos irmãos me notaram, dizendo que eu cantava bem e, para onde quer que eu fosse, eles me reconheciam. Isso me deixou feliz. Alguns meses depois, fui eleita líder de igreja. Havia muitos recém-convertidos a regar e muito trabalho evangelístico a acompanhar. Para lidar melhor com os problemas dos recém-convertidos, eu assistia a muitos filmes evangelísticos para me equipar com a verdade sobre conhecer a obra de Deus, e sempre que os recém-convertidos tinham certas noções ou encontravam problemas que eles não entendiam, eu era capaz de ativamente comungar com eles e resolver suas questões. Meus irmãos me elogiavam com frequência por meu bom calibre e entendimento. Ficava muito feliz ao receber a aprovação deles. No entanto, eu nunca fui muito eficiente no trabalho evangelístico. Naquele tempo, a irmã Claire foi transferida para a nossa igreja para pregar o evangelho. Ela rapidamente se dedicou ao trabalho, ela era capaz de comungar e de tomar a iniciativa para resolver qualquer problema que os outros tivessem em seu dever e também comungava ativamente nas reuniões. Eu deveria ter ficado feliz quando vi que Claire era tão responsável em seu dever, mas por razões que eu desconhecia, não gostava dela. Sempre que ela comungava com os irmãos, eu nem queria vê-la. Principalmente quando os ouvi dizer “Claire é tão boa, ela poderia ser uma diaconisa evangelística”, fiquei ainda mais incomodada. Eu pensei: “Antes de Claire chegar à nossa igreja, muitos dos irmãos me elogiavam por meu bom calibre, entendimento e rega dos recém-convertidos, e todos me admiravam, mas agora acham que ela é a melhor e a admiram. Quem vai me admirar agora?”. A partir de então, comecei a ter inveja da Claire, e temia que ela pudesse tomar meu lugar no coração dos irmãos.

Depois disso, vi que Claire ligava com frequência para perguntar sobre o estado dos recém-convertidos, e que muitos deles também a procuravam para resolver problemas. Uma vez, uma irmã que eu regava teve dificuldades no trabalho evangelístico e pediu a minha opinião. Depois que comunguei com ela, ela foi procurar Claire. Quando eu soube que ela foi à Claire, fiquei triste. Pensei: “Talvez ela não leve as minhas sugestões a sério e deve achar que Claire é melhor do que eu e não me admira mais. Já que sou tão ruim no trabalho evangelístico, devo dar duro para compensar minhas deficiências. Então, não serei pior do que Claire, e, no futuro, se os irmãos tiverem problemas, vão me procurar, e não a ela”. Nos dias seguintes, discretamente, comecei a competir com Claire. Vi que Claire jantava tarde todos os dias porque estava ocupada com seu dever e, às vezes, virava a noite trabalhando. Então também tentei trabalhar até tarde no meu dever, para que os irmãos vissem que eu também era responsável e não era pior do que ela. Mais tarde, a igreja realizou uma eleição de diácono evangelístico. Pesando todos os aspectos, Claire era a melhor para esse dever, mas eu não queria escolhê-la. Eu achava que ela era mais capaz do que eu e que, se ela se tornasse uma diaconisa evangelística, aos poucos, a atenção de todos se voltaria para ela. Mas, considerando que os líderes de igreja não conseguem fazer todo o trabalho sozinhos e precisam de diáconos para assumir uma parte do trabalho, eu pensei: “Será que eu deveria escolhê-la. Se eu a escolher, com certeza os irmãos correrão para ela e eu ficarei de lado”. Mas tive que admitir que Claire tinha um calibre muito alto e que dava conta do trabalho de diácono evangelístico. Refleti sobre isso por muito tempo e, finalmente, com relutância, eu a escolhi.

Numa ocasião, a igreja estava procurando uma irmã que falasse bem inglês e filipino para desempenhar um papel num vídeo musical. Claire falava inglês e filipino bem, e, no fim, os irmãos a escolheram. Fiquei muito frustrada e pensei: “Meu inglês e meu filipino também são bons; por que os irmãos a escolheram, em vez de mim?”. Eu a invejava muito, e sentia também um pouco de ódio dela no coração. Justo naquele tempo, visto que Claire tinha revelado um caráter um tanto arrogante, nossos líderes estavam investigando como ela cumpria seus deveres e pediram que eu escrevesse uma avaliação dela. Fiquei muito feliz e quis escrever mais sobre suas deficiências, para que os nossos líderes a transferissem para outros deveres e eu não tivesse mais que desempenhar deveres com ela. Embora, no fim, eu não tenha feito isso, eu ainda queria que ela fosse embora. Quando pensei em como os irmãos a procuravam para buscar respostas e em como não me admiravam mais, me senti ferida e angustiada. Nem nos nossos deveres conjuntos eu queria olhar para ela. Eu estava cheia de inveja, e caracteres corruptos dominaram meu coração naquele tempo.

Depois disso, eu não conseguia sentir a obra nem a orientação do Espírito Santo no meu dever. Quando eu encontrava problemas, não conseguia entender a essência deles e não sabia como resolvê-los. Eu também não era eficiente em meus deveres. Não percebia de modo algum que meu estado negativo já estava impactando meus deveres. Foi assim até eu ver estas palavras de Deus Todo-Poderoso numa reunião: “Como líder de igreja, você não precisa apenas aprender a usar a verdade para resolver problemas, você também precisa aprender a descobrir e cultivar pessoas de talento, as quais vocês não devem, de forma alguma, invejar nem reprimir. Praticar dessa forma é benéfico para o trabalho da igreja. Se você conseguir cultivar alguns buscadores da verdade para que cooperem com você e façam bem todo o trabalho, e, no fim, todos vocês tiverem testemunhos experienciais, então você é um líder ou obreiro qualificado. Se você é capaz de lidar com tudo de acordo com os princípios, você está cumprindo sua devoção. Algumas pessoas sempre receiam que os outros sejam melhores e mais elevados do que elas, que as outras pessoas serão reconhecidas, enquanto elas são negligenciadas, e isso as leva a atacar e excluir os outros. Não é esse um caso de ter inveja de pessoas que têm talento? Isso não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É a malícia! Aqueles que só pensam nos próprios interesses, que apenas satisfazem os próprios desejos egoístas, sem pensar sobre os outros ou considerar os interesses da casa de Deus, têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por eles. Se você for realmente capaz de mostrar consideração pela vontade de Deus, você será capaz de tratar as outras pessoas de forma justa. Se você recomendar uma pessoa boa e permitir que passe por treinamento e cumpra um dever, acrescentando, assim, uma pessoa de talento à casa de Deus, isso não tornará seu trabalho mais fácil? Você não estará mostrando devoção em seu dever? Essa é uma boa ação diante de Deus; é o mínimo de consciência e senso que aqueles que servem como líderes deveriam possuir(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Depois de ler a palavra de Deus, percebi que eu cumpria meu dever por status e reputação, para que as pessoas me admirassem e me adorassem. Quando Claire veio para a igreja, e vi que ela podia comungar a verdade e resolver problemas, e que os outros a procuravam para ter comunhão e não a mim, então fiquei com inveja, temendo que Claire tomasse meu lugar, então, comecei a competir com ela a cada momento, exercendo grande esforço para compensar minhas falhas numa tentativa de suplantá-la. Quando a igreja precisou eleger um diácono evangelístico, eu não consegui ver claramente que Claire podia assumir esse trabalho, mas temi que ela roubasse o meu status, por isso não quis escolhê-la e a odiei e a desprezei no meu coração. Fiquei feliz quando vi que ela revelou corrupção e tive intenções maliciosas quando chegou a hora de escrever a avaliação dela. Eu quis escrever tudo sobre as falhas dela e fazer com que ela fosse mandada embora, de modo eu não teria que temer que os irmãos a admirassem. Por meio das revelações na palavra de Deus, percebi que eu invejava a capacidade dela e não suportava o fato de ela ser melhor do que eu, e o que eu expunha era um caráter cruel. Por fora, eu estava cumprindo ativamente o meu dever, mas, no meu coração, eu não considerava o trabalho da igreja de modo algum. Claire era boa no trabalho evangelístico, e eu deveria ter me associado a ela para tornar o trabalho evangelístico mais eficiente. No entanto, eu só pensava em como ser melhor do que ela, como fazer com que ela fosse embora, e como proteger meu próprio status. Deus examina nosso coração e nossas atitudes em relação aos nossos deveres. Eu cumpria meu dever sem o temor de Deus e só pensava em buscar nome, ganho e status. Deus detesta isso e Se enoja com esse comportamento.

Mais tarde, li outra passagem da palavra de Deus: “Quanto a tudo que envolve reputação, status ou uma oportunidade para brilhar — quando vocês ouvem que a casa de Deus planeja nutrir vários tipos de indivíduos talentosos, por exemplo —, o coração de todos salta em expectativa, cada um de vocês sempre quer criar um nome para si mesmo e ficar sob o holofote. Todos vocês querem lutar por status e reputação. Vocês têm vergonha disso, mas se sentiriam mal se não fizessem isso. Vocês sentem inveja, ódio e ressentimento sempre que veem alguém se destacar, e acham que isso é injusto: ‘Por que eu não posso me destacar? Por que as outras pessoas sempre ganham o holofote? Por que nunca é a minha vez?’. E, depois de sentir ressentimento, vocês tentam reprimi-lo, mas não conseguem. Vocês oram a Deus e se sentem melhor por algum tempo, mas quando se deparam com esse tipo de situação novamente, mesmo assim não conseguem vencê-la. Isso não é uma manifestação de estatura imatura? Quando as pessoas ficam presas em tais estados, elas não caíram na armadilha de Satanás? Esses são os grilhões da natureza corrupta de Satanás que prendem os humanos(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). A palavra de Deus revelou meu estado. Eu invejava a minha irmã porque tinha um desejo intenso de nome e status e porque eu queria me destacar da multidão e ter um lugar no coração das pessoas. Lembrei-me de que, na faculdade, a fim de ganhar elogios e admiração dos outros, eu competia com meus colegas e, contanto que houvesse a possibilidade me destacar, não importava se eu os magoasse. Depois de crer em Deus, eu, mais uma vez me envolvi no mesmo tipo de busca dentro da igreja. Quando vi que Claire era melhor do que eu, quis muito ultrapassá-la, porque eu queria receber elogios de mais pessoas e, ambiciosamente, esperava ser admirada e adorada pelas pessoas, o que mostra como eu era arrogante. Eu estava sempre buscando status e reputação, por isso não conseguia receber a obra do Espírito Santo nos meus deveres e estava caindo em trevas. Esses eram os grilhões da natureza corrupta de Satanás que me amarravam e me prejudicavam. Mais tarde, vi outra passagem da palavra de Deus que me ajudou a entender um pouco da essência e das consequências de buscar nome, ganho e status. Deus diz: “Algumas pessoas acreditam em Deus, mas não buscam a verdade. Elas sempre vivem segundo a carne, cobiçando prazeres carnais, sempre saciando seus desejos egoístas. Não importa há quantos anos acreditam em Deus, elas nunca entrarão na verdade realidade. Essa é a marca de ter trazido vergonha para Deus. Você diz: ‘Não fiz nada para resistir a Deus. Como eu trouxe vergonha para Ele?’. Todos os seus pensamentos e ideias são malignos. As intenções, os objetivos e motivos por trás do que você faz e das consequências de suas ações sempre satisfazem Satanás, fazem de você motivo de riso dele, e lhe permitem conseguir algo de você. Você não deu nada do testemunho que um cristão deveria dar. Você pertence a Satanás. Você traz vergonha para o nome de Deus em todas as coisas, e não possui um testemunho genuíno. Deus Se lembrará das coisas que você fez? No fim, que conclusão Deus vai tirar de todos os seus atos, seu comportamento e os deveres que você desempenhou? Não tem de vir algo disso, algum tipo de declaração? Na Bíblia, o Senhor Jesus diz: ‘Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome, e em Teu nome não expulsamos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade’ (Mateus 7:22-23). Por que o Senhor Jesus disse isso? Por que tantos dos que pregaram, expulsaram demônios e fizeram muitos milagres em nome do Senhor se tornaram malfeitores? Foi porque não aceitaram as verdades expressas pelo Senhor Jesus, não aderiram a Seus mandamentos, e não tiveram amor pela verdade no coração. Queriam apenas trocar o trabalho que fizeram, as dificuldades que enfrentaram e os sacrifícios que fizeram para o Senhor pelas bênçãos do reino dos céus. Nisso, estavam tentando fazer um negócio com Deus, e estavam tentando usar Deus e enganar Deus, por isso o Senhor Jesus teve nojo deles, odiou-os e condenou-os como malfeitores. Hoje em dia, as pessoas aceitam o julgamento e o castigo das palavras de Deus, mas algumas ainda buscam status e reputação, e sempre querem se destacar, sempre querem ser líderes e obreiros e ganhar status e reputação. Embora todos afirmem que acreditam em Deus e O seguem, e renunciem e se despendam por Deus, eles cumprem seus deveres para ganhar prestígio, lucro e status, e sempre têm seus esquemas. Não são obedientes nem devotos a Deus, podem andar por aí cometendo o mal, sem refletir nem um pouco sobre si mesmos, e, por isso, tornam-se malfeitores. Deus odeia esses malfeitores, e Deus não os salva(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Depois de ler as palavras de Deus Todo-Poderoso, me senti envergonhada. Meus pensamentos, ideias, intenções e motivações não eram de modo algum para satisfazer a Deus, eram totalmente para fazer com que os outros me admirassem. Quando vi meus irmãos darem mais atenção a Claire do que a mim, fiquei invejosa, competi com ela, quis ultrapassá-la e até tive esperança de que ela fosse transferida para outra igreja. Como líder de igreja, eu não estava focada em cultivar pessoas, ou em fazer bem o trabalho da igreja; ao contrário, estava negligenciando meu dever, invejava talento e competia por nome e ganho. Eu era igual aos malfeitores condenados pelo Senhor Jesus. O esforço que despenderam foi para manter sua reputação e status e fazer com que os outros os admirassem. Eu era igual. O esforço que eu despendia também era para ganhar elogios dos meus irmãos e para conseguir status e reputação. Enquanto estava ocupada me exibindo, minhas intenções em meu dever não eram corretas mais, o que tornou impossível que eu ganhasse a obra do Espírito Santo. Não havia luz na minha comunhão, e eu não conseguia resolver os problemas para os irmãos. Agora eu entendia que buscar nome, ganho e status é uma coisa muito maligna e é algo que Deus odeia. O Senhor Jesus disse: “Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome, e em Teu nome não expulsamos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade(Mateus 7:22-23). Deus odeia aqueles que, por fora, parecem viajar e sofrer por Deus, mas que só trabalham para satisfazer os próprios motivos e intenções. O que fazem é para benefício próprio. Não é, de modo algum, para testificar de Deus nem para O satisfazer. Essa é a razão pela qual eles fizeram tanto trabalho, mas Deus não o reconhece. Eu me vi fazendo o mesmo. Por fora, estava cumprindo meus deveres, mas não buscava a verdade nem tentava refletir e conhecer a mim mesma e não tentava aprender com os pontos fortes de meus parceiros. Em vez disso, seguia a senda errada de buscar status e reputação, portanto eu não era diferente daqueles malfeitores em nada. Pensei em como Paulo se despendeu e sofreu tanto só para fazer com que os outros o admirassem e o adorassem. Com frequência, ele se exaltava e exibia o quanto tinha sofrido e o quanto tinha corrido por aí, dizendo que ele era “nada menos que o maior dos discípulos”, até a ponto de dizer que ele era Cristo enquanto vivia. Sua obra e testemunho nunca deram testemunho de Deus, mas de si mesmo. Isso fez com que as pessoas o admirassem e o adorassem mesmo dois mil anos depois, até a ponto de tratarem suas palavras como as palavras de Deus. No fim, Deus o puniu por ofender o Seu caráter. Se eu continuasse buscando nome, ganho e status, e que os outros me admirassem em meus deveres, eu me tornaria, sem saber, igual a Paulo, caminharia uma senda errada, eu me tornaria uma pessoa maligna e seria rejeitada e eliminada por Deus. Quando percebi isso, orei a Deus: “Deus Todo-Poderoso, não quero permitir que meu caráter corrupto obstrua o meu dever, quero resolver meu caráter corrupto e trabalhar bem com a minha irmã para cumprir meu dever. Por favor, guia-me para que eu possa resolver esse problema”.

Uma vez, eu li uma passagem da palavra de Deus: “Não faça as coisas sempre pelo seu bem e não considere constantemente seus interesses; não considere os interesses do homem, e não pense em seu orgulho, reputação e status. Primeiro, você precisa considerar os interesses da casa de Deus, e fazer deles sua prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se houve ou não impurezas no cumprimento do seu dever, se você foi devoto, cumpriu suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você tem pensado ou não, de todo o coração, sobre seu dever e o trabalho da igreja. Você deve considerar essas coisas. Se refletir sobre elas com frequência e entendê-las, será mais fácil, para você, cumprir bem seu dever. Se seu calibre é baixo, se sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho, e talvez você não obtenha bons resultados — mas você terá feito seu melhor. Não satisfaça seus desejos ou preferências egoístas. Em vez disso, dê consideração constante ao trabalho da igreja e aos interesses da casa de Deus. Embora você possa não alcançar bons resultados em seu dever, seu coração terá sido retificado; se, além disso, você conseguir buscar a verdade para resolver os problemas em seu dever, você estará à altura do padrão no cumprimento do seu dever, e, ao mesmo tempo, será capaz de entrar na verdade realidade. É isso que significa possuir testemunho(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Na palavra de Deus, eu encontrei uma senda de prática. Não deveríamos cumprir nossos deveres diante dos outros para que eles nos elogiem e admirem. Antes, deveríamos deixar de lado a nossa reputação e status e considerar os interesses da igreja e colocar o nosso dever em primeiro lugar. Isso está de acordo com a vontade de Deus. Claire fazia bem o trabalho evangelístico e era responsável em seus deveres. Eu não deveria ter tido inveja dela. Deveria aprender com seus pontos fortes para compensar os meus defeitos e cooperar com ela para cumprir nosso dever adequadamente.

Uma vez eu quis pregar o evangelho para o meu primo, mas ele tinha muitas noções religiosas. Eu temia que minha comunhão não fosse clara e que eu não fosse capaz de resolver o problema dele, por isso quis encontrar uma irmã para ser minha parceira. Pensei em como Claire era boa na pregação do evangelho e que seria adequado eu encontrá-la, mas hesitei. Eu pensei: “Se eu a tiver como parceira, isso não prova que eu sou inferior a ela? Que não consigo testificar da obra de Deus nem resolver noções religiosas? Se os meus irmãos descobrissem, eles não me menosprezariam? Se Claire resolvesse as noções religiosas do meu primo, com certeza os meus irmãos a admirariam mais ainda”. Quando pensei nisso, percebi que estava competindo de novo com ela por nome e ganho, então orei a Deus em silêncio. Mais tarde, lembrei-me de uma passagem da palavra de Deus: “Você deve aprender a abrir mão e deixar essas coisas de lado, a recomendar os outros e a permitir que eles se destaquem. Não lute nem se apresse para tirar vantagem das oportunidades de se destacar e brilhar. Você deve ser capaz de deixar essas coisas de lado, mas deve, também, não adiar o cumprimento de seu dever. Seja uma pessoa que trabalha em quieta obscuridade e que não se exibe aos outros enquanto cumpre devotamente o dever. Quanto mais abrir mão de seu orgulho e status, e quanto mais abrir mão de seus interesses, mais em paz você se sentirá, mais luz haverá em seu coração, e mais seu estado se aprimorará. Quanto mais você lutar e competir, mais sombrio se tornará seu estado. Se você não acredita em Mim, tente e veja!(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). A palavra de Deus me esclareceu. Eu devia renunciar ao meu orgulho e status e tomar a iniciativa de cooperar com ela. Praticar desse jeito beneficiaria os meus deveres. Se eu permanecesse com inveja dela e continuasse competindo com ela por nome e ganho, meu estado ficaria cada vez mais negativo e sombrio, porque buscar nome e status é a senda de Satanás. Portanto, orei a Deus: “Deus Todo-Poderoso, sei que ainda tenho um caráter corrupto. Tenho inveja da minha irmã e compito com ela por nome e ganho, mas estou disposta a renunciar à carne e colocar-me de lado para ter a irmã como parceira para que eu possa praticar a verdade para Te satisfazer”. Depois de orar, relaxei e procurei Claire para lhe explicar a situação. Ela concordou imediatamente e discutiu comigo como deveríamos fazer a parceria e testificar da obra de Deus nos últimos dias ao meu primo. Pensei em como eu tinha tido inveja de Claire por causa de reputação e status, e de como tinha fingido me dar bem com ela, e ela nunca soube o que eu realmente pensava. Então decidi me abrir com Claire. Depois do jantar, confessei tudo à Claire e comunguei toda a corrupção que expusera e o que percebi com minha autorreflexão durante aquele tempo. Depois de ouvir isso, ela disse: “Está tudo bem. Eu também sou muito corrupta quanto a isso. Abrirmo-nos assim é muito bom”. Depois de me abrir, senti-me muito aliviada. Agora posso cumprir meus deveres com Claire harmoniosamente e tenho um senso profundo de segurança e libertação. Graças a Deus Todo-Poderoso!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

O que ganhei de uma eleição

Por Mu Tong, Japão Recentemente, a igreja realizou uma eleição especial para preencher um cargo de liderança. Quando soube que a liderança...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp