Uma denúncia recompensadora

20 de Janeiro de 2022

Por Ding Li, Estados Unidos

Foi alguns anos atrás, no verão. Eu soube que a irmã Zhou, uma líder, tinha designado o irmão Li como diácono de rega, dizendo que seu calibre era bom e que sua comunhão nas reuniões era esclarecedora. Fiquei um pouco chocada com a notícia. Eu já tinha trabalhado com ele em meu dever, então sabia algumas coisas sobre ele. É verdade que ele falava bem e certamente tinha muito a dizer em sua comunhão, mas a maior parte disso era só doutrina literal e ele não sabia tratar de problemas práticos. Também era bastante arrogante e tendia a fazer as coisas do jeito dele, tomava decisões no trabalho sozinho sem discutir os assuntos com outros. Isso resultou em alguns problemas que também prejudicaram o trabalho da casa de Deus. A pessoa responsável tratou do problema com ele várias vezes, mas ele não queria aceitar e nunca mudou. Eu também lhe apontei seus problemas. Ele nunca refletiu nem ganhou um entendimento melhor de si mesmo, só justificava seu comportamento. Depois de um tempo, vi que ele era alguém que só declamava doutrina, mas não conseguia aceitar a verdade. Um princípio para eleger líderes e obreiros na casa de Deus é que eles devem ter um entendimento puro da verdade, ser capazes de aceitar a verdade, ter um senso de responsabilidade e um bom calibre. E um diácono de rega deveria ser bom em resolver problemas por meio da comunhão sobre a verdade e ser capaz de fazer algum trabalho prático. A irmã Zhou o nomeou diácono de rega só porque ele tinha um pouco de calibre e era afável ao falar. Isso não estava alinhado com os princípios. Fiquei cada vez mais incomodada, quanto mais pensava nisso e quis compartilhar meus pensamentos com a irmã Zhou. Mas hesitei, justamente quando já estava na ponta da minha língua. Como vocês sabem, também já fui diaconisa de rega e tinha sido demitida do meu dever por não ter resolvido os problemas práticos das pessoas. Se eu levantasse dúvidas sobre a pessoa que a líder acabou de escolher, como isso me faria parecer? As pessoas diriam que eu acabara de perder aquele dever e que tinha inveja de quem ficou no lugar, e que eu o estava criticando? E se dissessem que eu estava interrompendo o trabalho da igreja e me tirassem o meu novo dever? Pensei que seria melhor esquecer, manter as coisas simples, em vez de me arriscar e causar problemas para mim mesma. Então engoli as palavras quando já estava para abrir a boca. Mais tarde, ouvi que alguns irmãos de outro grupo também já tinham trabalhado com o irmão Li e sentiam que ele nunca assumia um fardo por seu dever e não era apto para servir como diácono. Então tive certeza de que estava certa sobre ele e pensei que deveria conversar com a irmã Zhou o quanto antes para que o trabalho da casa de Deus não atrasasse por que a pessoa errada tinha o cargo. Já que a irmã Zhou tinha nomeado o irmão Li, se eu falasse disso com ela, isso não seria criticá-la na cara dela? Eu já tinha trabalhado com ela e descoberto que ela era arrogante, hipócrita e autoritária. Eu tinha conversado com ela sobre isso, e ela não só se recusou a aceitá-lo como também me repreendeu duramente quando fiquei num estado ruim depois disso. Então, se eu mencionasse um problema no trabalho dela, ela poderia achar que eu estava implicando com ela, que estava tentando fazê-la cair. E o que eu faria então se ela dificultasse as coisas para mim? Alguns anos atrás, quando uma irmã e eu apontamos algumas falhas de um líder, aquele líder nos acusou de formar uma panelinha e de conspirar e atacá-lo. Também perdi meu dever por causa disso. Mais tarde, aquele líder foi exposto como anticristo e expulso, mas fiquei sem um dever por muito tempo porque estava sendo impedida pelo anticristo. Eu temia que a irmã Zhou poderia não aceitar o que eu dissesse e então encontrar uma desculpa para me tirar meu dever. A obra de Deus será encerrada muito em breve, então é um tempo crítico para cumprir um dever. Se não pudesse cumprir um dever e preparar atos bons neste tempo, eu temia que perderia minha chance de ser salva. Então não perderia mais do que ganharia? Esse pensamento me fez esquecer da ideia de mencionar o problema.

Depois disso, ouvi alguns irmãos dizerem que, desde que o irmão Li tinha se tornado diácono de rega, ele só tinha compartilhado doutrina e se gabado nas reuniões e que não estava ajudando as pessoas com seus problemas. Tampouco estava assumindo responsabilidade em seu dever, e dos recém-convertidos pelos quais ele era responsável, vários tinham deixado de ir às reuniões porque tinham sido seduzidos pelas mentiras do Partido Comunista. Ele não lhes tinha oferecido comunhão nem apoio a tempo, por isso alguns tinham abandonado a fé. Quando ouvi isso, percebi como era sério o problema. Se ele continuasse servindo como diácono de rega, isso só continuaria prejudicando cada vez mais o trabalho da igreja, e eu sabia que devia relatar isso imediatamente. Mas na época eu temia ofender a líder e me meter em problemas, eu estava num dilema. Eu deveria relatar isso ou não? Tinha medo do impacto sobre mim se o relatasse, mas se não relatasse, eu me sentiria muito culpada. Perguntei-me como poderia mencionar isso de modo que nada desse errado. Esses pensamentos me assombravam constantemente, deixando-me distraída e inquieta.

Uma vez numa reunião, um líder de grupo nos perguntou se tínhamos alguma opinião diferente sobre a promoção do irmão Li, se tivéssemos, deveríamos lhe enviar uma mensagem. Fiquei animada ao ouvir isso e pensei que era uma oportunidade ótima. Ele estaria à frente de tudo e faria um resumo das nossas opiniões para compartilhar com a líder, assim a líder não saberia quem tinha escrito o que. Se ela tentasse investigar, o líder de grupo seria a proteção na linha de frente. Anotei os problemas que via e entreguei ao líder de grupo. Na manhã seguinte, para a minha surpresa, ele me disse que já tinha entregado à líder o que eu tinha escrito. Fiquei muito ansiosa assim que ouvi que ele não tinha compartilhado isso com a líder como opinião do grupo como um todo. Perguntei: “Por que entregou minha mensagem original à irmã Zhou?” Ao ver minha reação forte, ele perguntou: “Os pensamentos de todos foram repassados para a líder, e todos nós devemos ser honestos sobre nossa opinião. Por que essa preocupação?” Eu não soube responder a isso. Fiquei surpresa e um pouco envergonhada. Eu não sabia que o líder do grupo e os outros irmãos já tinham feito sugestões à líder. Eles tiveram a coragem de se manifestar, por que, então, eu estava com tanto medo de falar sobre o problema? Vim para diante de Deus em oração e busca e refleti sobre meu próprio estado. Depois disso, li uma passagem das palavras de Deus. “Consciência e razão deveriam ser os componentes da humanidade de uma pessoa. Ambos são os mais fundamentais e importantes. Que tipo de pessoa é essa que não possui consciência e não tem a razão da humanidade normal? Em termos gerais, é uma pessoa à qual falta humanidade, uma pessoa de humanidade extremamente pobre. Analisemos isso de perto. Quais manifestações de humanidade perdida essa pessoa exibe, de modo que as pessoas digam que ela não tem humanidade? Quais características tais pessoas possuem? Quais manifestações específicas apresentam? Tais pessoas são superficiais em suas ações e se mantêm afastadas de tudo que não lhes diz respeito diretamente. Elas não consideram os interesses da casa de Deus, nem mostram consideração pela vontade de Deus. Não assumem nenhum fardo de dar testemunho de Deus nem de cumprir seus deveres e elas não têm senso de responsabilidade. […] Existem até pessoas que, ao ver um problema no desempenho de seu dever, permanecem em silêncio. Elas veem que os outros estão causando interrupções e perturbações, mas não fazem nada para impedi-los. Não consideram minimamente os interesses da casa de Deus, nem pensam nada sobre os próprios deveres ou responsabilidades. Elas falam, agem, se destacam, aplicam esforço e despendem energia só para a própria vaidade, prestígio, posição, interesses e honra. As ações e intenções de alguém assim são claras para todos: ele aparece sempre que há uma oportunidade de honra ou de desfrutar alguma bênção. Mas quando não há oportunidade de honra ou assim que houver um tempo de sofrimento, ele desaparece de vista, como uma tartaruga que retrai sua cabeça. Esse tipo de pessoa tem consciência e razão? Uma pessoa sem consciência e razão, que se comporta dessa forma, sente repreensão própria? A consciência desse tipo de pessoa serve a nenhum propósito, e ela nunca sentiu repreensão própria. Ela pode, então, sentir a repreensão ou disciplina do Espírito Santo? Não, não pode” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus descreviam o estado exato em que eu estava. Eu sabia que a líder não estava nomeando pessoas de acordo com os princípios e vi que o irmão Li não estava fazendo trabalho prático como diácono de rega, mas impedia que os irmãos tivessem entrada na vida. Eu deveria ter me levantado e relatado o problema para proteger o trabalho da igreja. Essa é a obrigação de todas as pessoas escolhidas de Deus. Em vez disso, eu temia que ofenderia a irmã Zhou e que ela tiraria de mim o meu dever, então enfiei a cabeça na areia e fechei os olhos diante do problema. Eu compartilhei minha opinião com o líder do grupo por escrito, mas não queria que a irmã Zhou soubesse que fui eu que escrevi, temendo que isso me causasse problemas. Percebi que eu só tinha pensado em meus próprios interesses em tudo, não em defender os interesses da casa de Deus. Eu carecia tanto de consciência e razão. Eu tinha desfrutado de tanta rega e sustento das palavras de Deus, mas quando o trabalho da casa de Deus estava sofrendo, eu só pensei em me proteger. Eu não tinha nenhuma lealdade a Deus. Estava mordendo a mão que me alimentava. Eu não tinha nenhuma humanidade. Quanto mais pensava sobre isso, pior me sentia, e me perguntei: por que eu ficava tão atormentada pelo medo, tão ansiosa quando me deparava com um problema? Dizer uma única palavra honesta era tão difícil para mim — que tipo de caráter era esse que me controlava?

Mais tarde, li uma passagem das palavras de Deus que esclareceu tudo para mim. Deus Todo-Poderoso diz: “A maioria das pessoas deseja buscar e praticar a verdade, mas, na maior parte do tempo, só têm a determinação e o desejo de fazê-lo; sai verdade não se tornou sua vida. Como resultado, quando deparam com forças malignas ou encontram pessoas perversas e más cometendo atos malignos ou falsos líderes e anticristos fazendo coisas de uma maneira que viole princípios — assim fazendo com que a obra da casa de Deus sofra perdas e prejudicando os escolhidos de Deus — elas depois perdem a coragem de se manifestar e se pronunciar. O que significa quando você não tem coragem? Significa que você é tímido ou inarticulado? Ou é que você não entende completamente e portanto não tem confiança para se pronunciar? Não é nada disso; é que você está sendo controlado por vários tipos de caracteres corruptos. Um desses caracteres é astúcia. Você pensa primeiro em si mesmo, pensando: ‘Se eu me pronunciar, como isso me beneficiará? Se eu me pronunciar e desagradar alguém, como conviveremos no futuro?’ Essa é uma mentalidade astuta, certo? Isso não é o resultado de um caráter astuto? Outro é um caráter egoísta e mau. Você pensa: ‘O que uma perda dos interesses da casa de Deus tem a ver comigo? Por que deveria me importar? Não tem nada a ver comigo. Ainda que eu veja ou ouça acontecer, não preciso fazer nada. Não é responsabilidade minha — não sou um líder’. Essas coisas estão dentro de você, como se tivessem brotado de sua mente inconsciente e como se ocupassem posição permanente em seu coração — elas são o caráter satânico corrupto do homem. Esses caracteres corruptos controlam os seus pensamentos e atam suas mãos e seus pés e controlam a sua boca. Quando você quer dizer algo no seu coração, as palavras alcançam seus lábios, mas você não as diz, ou, se chega a falar, suas palavras saem aos rodeios, deixando-lhe espaço de manobra — você não fala com nenhuma clareza. Os outros não sentem nada depois que o ouvem, e o que você disse não resolveu o problema. Você pensa consigo mesmo: ‘Bem, eu falei. Minha consciência está tranquila. Cumpri com a minha responsabilidade’. Na verdade, você sabe em seu coração que não disse tudo que deveria, que o que disse não teve efeito algum e que o detrimento à obra da casa de Deus permanece. Você não cumpriu com a sua responsabilidade, entretanto fala em alto e bom som que cumpriu com a sua responsabilidade ou que não tinha certeza do que estava acontecendo. Você não está, então, totalmente sob o controle de seus caracteres satânicos corruptos? Ainda que aquilo que você pensa em seu coração e as coisas que você acredita que estão certas sejam positivas e de acordo com a verdade, você não é dono da sua boca, e o que você diz nunca corresponde ao que está em seu coração. Suas palavras precisam sempre ser processadas pela sua mente e os seus pensamentos antes que sejam ditas em voz alta. Os outros não sabem dizer qual é o significado por trás delas, e você fica muito satisfeito consigo. Você não se importa como seu trabalho é feito — essa é a sua mentalidade” (‘Só aqueles que praticam a verdade são tementes a Deus’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). O jeito como as palavras de Deus descrevem isso me mostrou que eu não estava praticando a verdade nem protegendo o trabalho da casa de Deus porque eu era escorregadia, egoísta e desprezível por natureza. Pensei em como eu sabia que a irmã Zhou não estava seguindo os princípios em sua nomeação do irmão Li e em como ele comprometia o trabalho da igreja por não fazer nenhum trabalho prático. Via tudo isso com clareza absoluta e sabia que eu deveria apontar isso, que isso seria útil para o trabalho da igreja, mas nunca consegui reunir a coragem para me levantar e dizer algo. Então, quando um líder de grupo tomou a inciativa, eu finalmente anotei minha opinião, mas quando descobri que ele tinha repassado aquilo diretamente para a líder, fiquei chateada, achando que ele tinha me “exposto”. Em todos os meus pensamentos e ações, eu quebrava a cabeça, pensando em como me proteger para não correr o risco de perder nada. Embora estivesse ciente de que a vida dos irmãos e o trabalho da igreja estavam sofrendo, eu não estava colocando a verdade em prática nem compartilhando os problemas que via. Eu vivia segundo “cada um por si e o demônio pega quem fica por último”, “deixe as coisas seguirem se não afetarem alguém pessoalmente”, “pessoas sensatas sabem se proteger e evitam cometer erros” e “o prego que se destaca é martelado”, esses tipos de filosofias satânicas. Essas coisas controlavam meus pensamentos, mantendo-me sob seu feitiço e me tornando astuta e desonesta. Eu tinha fé e lia as palavras de Deus, mas não havia lugar para Deus no meu coração. Mal conseguia dizer uma coisa honesta nem lançar luz sobre uma situação real. Estava agindo como o lacaio de Satanás, levando uma existência patética. Egoísta, desprezível e sem humanidade, isso era realmente repugnante para Deus. Senti um remorso incrível àquela altura e, em silêncio, fiz uma oração a Deus: “Ó Deus, sou tão egoísta e astuta. Não assumi nenhuma responsabilidade quando vi um problema e não pratiquei a verdade nem protegi o trabalho da casa de Deus. Tenho sido patética. Deus, não quero mais viver desse jeito. Por favor, salva-me disso. Quero praticar a verdade e Te satisfazer”. Eu me senti um pouco mais confiante depois da oração e parei de me preocupar com a reação da irmã Zhou ao meu relatório.

Ela não só não refletiu sobre si mesma por violar os princípios em sua nomeação, como também não mudou o dever do irmão Li. Além disso, ela não estava lidando com problemas de projetos lentos ou ineficientes. Pensei que ela não aceitaria a verdade nem faria qualquer trabalho real, assim, com base nos princípios para discernir falsos líderes, parecia muito provável que ela era um deles. Eu queria denunciar isso aos superiores, mas, de novo, hesitei. Se eu a denunciasse e ela descobrisse, o que ela pensaria de mim? Se não fosse demitida, mas continuasse como líder, ela procuraria pretextos para me oprimir? Pensei que deveria esquecer. Recusar-se a mudar ou a fazer trabalho prático era problema dela, por isso, eu só deveria cumprir bem o meu dever e ver o que aconteceria. Então decidi esquecer tudo isso e deixar que tudo seguisse seu curso. Algo aconteceu depois que teve um impacto grande sobre mim e me fez encontrar a coragem para denunciar a irmã Zhou.

Pouco tempo depois, ouvi que havia um líder em outra igreja que tinha sido exposto como anticristo e expulso. Ele tinha feito muito mal em seu tempo como líder e todo mundo o viu pelo que era, mas não ousou se manifestar. Ninguém em toda a igreja o denunciou, e nem mesmo após ele ter sido exposto e expulso, eles trouxeram à luz as coisas más que ele tinha feito Eles fugiram de sua própria responsabilidade, alegando ignorância. Todos estavam defendendo, abrigando aquele anticristo, o que realmente ofendeu o caráter de Deus. Como resultado, todos na igreja tiveram que interromper seu dever para refletir sobre si mesmos. Isso me impressionou profundamente e me lembrou de algumas das palavras de Deus: “Se uma igreja não tiver ninguém que esteja disposto a praticar a verdade e ninguém que possa ser testemunha de Deus, então essa igreja deve ser completamente isolada e suas conexões com outras igrejas precisam ser rompidas. Isso é chamado de ‘enterrar a morte’; é isso que significa expulsar Satanás. Se uma igreja tiver diversos valentões e eles forem seguidos por ‘pequenas moscas’ que carecem inteiramente de discernimento, e se os congregados, mesmo depois de terem visto a verdade, ainda forem incapazes de rejeitar as amarras e a manipulação desses valentões, então todos aqueles tolos serão eliminados no fim. Essas pequenas moscas poderiam não ter feito nada terrível, mas são ainda mais enganosas, ainda mais escorregadias e evasivas, e todos os que forem assim serão eliminados. Nem um permanecerá! Aqueles que pertencem a Satanás serão devolvidos a Satanás, enquanto aqueles que pertencem a Deus certamente irão em busca da verdade; isso é decidido pela natureza deles. Que todos aqueles que seguem Satanás pereçam! Nenhuma piedade será mostrada a tais pessoas. Que todos os que buscam a verdade sejam providos e possam ter prazer na palavra de Deus para o contentamento de seu coração. Deus é justo; Ele não mostraria favoritismo a ninguém. Se você for um diabo, então será incapaz de praticar a verdade; se você for alguém que busca a verdade, então é certo que não será levado cativo por Satanás. Isso está além de qualquer dúvida” (‘Um alerta para aqueles que não praticam a verdade’ em “A Palavra manifesta em carne”). As palavras de Deus me deram um senso de caráter majestoso e justo que não tolera ofensa e de Sua ira contra aqueles que não colocam a verdade em prática. Mesmo que, por fora, pareça que eles não tenham feito nada muito maligno, eles assistem anticristos cometendo o mal e não fazem nada para denunciá-los ou expô-los. Permitem que os anticristos corram soltos, arruinando o trabalho da casa de Deus, sem mexer um dedo. Estão abrigando anticristos e são ajudantes de Satanás. Isso é participar do mal dos anticristos e seriamente ofende o caráter de Deus. Considerando meu próprio comportamento, eu não era igual? Eu tinha lido tanto das palavras de Deus e ganhado algum discernimento. Vi que uma líder não estava seguindo os princípios, que ela não aceitava a verdade e, sobretudo, que não fazia trabalho prático. Isso tinha sido um obstáculo real para o trabalho da casa de Deus, e ela era uma líder falsa. Mas eu temia que a ofenderia e que ela me restringiria, então deixei rolar porque não me afetava pessoalmente. Achava que, mudar ou não era problema dela e que nada tinha a ver comigo. Eu tinha desfrutado de tanto sustento de Deus, mas ainda assim mordia a mão que me alimentava e ficava do lado de Satanás. Vi que os interesses da casa de Deus estavam sendo afetados, mas eu era indiferente. Eu não era igual a Satanás? Eu ainda cumpria um dever, mas Deus estava de olho em cada coisinha que eu fazia. Eu sabia que, se não me arrependesse, isso incitaria a ira de Deus e eu seria eliminada por Ele. Isso era um pensamento assustador. Orei a Deus e me arrependi imediatamente: “Deus, eu vi que a irmã Zhou estava interrompendo o trabalho da igreja, mas não pratiquei a verdade e não a denunciei, só para proteger a mim mesma. Tenho trabalhado para Satanás. Sou tão rebelde e repugnante. Deus, me arrependo diante de Ti e peço que Tu me ilumines e me guies para colocar a verdade em prática”.

Na época, eu me perguntei por que eu tinha tanto medo de denunciar os problemas de um líder. O que eu temia de verdade? Durante minha oração e busca, li algumas passagens das palavras de Deus que me ajudaram a entender melhor o problema. “Qual é a atitude que as pessoas devem ter em termos de como tratar um líder ou obreiro? Se o que um líder ou obreiro faz é certo, então você pode lhes obedecer; se o que eles fazem é errado, então você pode expô-los e até se opor a eles e expressar uma opinião diferente. Se eles forem incapazes de fazer trabalho prático e forem revaldos como um falso líder, falso obreiro ou anticristo, então você pode se recusar a aceitar sua liderança e também pode denunciá-los e expô-los. Entretanto, alguns entre o povo escolhido de Deus não entendem a verdade e são especialmente covardes; então não ousam fazer nada. Eles dizem: ‘Se o líder me expulsar, para mim acabou; se ele fizer com que todos me exponham ou abandonem, então eu não serei mais capaz de crer em Deus. Se eu deixar a igreja, então Deus não vai me querer e não me salvará. A igreja representa Deus!’. Essas formas de pensar não afetam a atitude de tal pessoa em relação a essas coisas? Poderia realmente ser verdade que, se o líder o expulsar, você não pode mais ser salvo? A questão de sua salvação depende da atitude de seu líder em relação a você? Por que tantas pessoas têm tal grau de temor?” (‘Eles tentam conquistar as pessoas’ em “Expondo os anticristos”). “Toda a obra ou todas as palavras de Deus relacionadas ao destino da humanidade lidarão com as pessoas apropriadamente de acordo com a essência de cada indivíduo; não ocorrerá o menor erro, e nem um único engano será feito. É só quando as pessoas fazem um trabalho que a emoção ou o significado humano entram na mistura. A obra que Deus realiza é sumamente apropriada; de forma alguma, Ele trará falsas alegações contra qualquer criatura” (‘Deus e o homem entrarão em descanso juntos’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler isso, eu vi que eu não ousava denunciar a líder porque minha perspectiva estava toda errada. Estava pensando que um líder podia determinar meu futuro e destino, por isso, se ofendesse um líder e ele me restringisse, não me permitindo cumprir um dever, eu perderia toda esperança de salvação. Via os líderes como superiores até a Deus. Eu não era uma crente de verdade. Era uma incrédula. O destino do homem está nas mãos de Deus. O meu desfecho, se eu posso ser salva plenamente, cabe inteiramente a Deus. Nenhum ser humano pode decidir isso. Embora tivesse sido maltratada no passado por apontar problemas no trabalho de um líder, mais tarde, os irmãos perceberam que ele era um anticristo, e ele foi removido da igreja. Eu não tinha perdido minha chance de ser salva por sofrer temporariamente com o tratamento injusto de um anticristo, mas desenvolvi discernimento sobre anticristos e aprendi algumas lições. Há alguns irmãos e irmãs que expõem e denunciam falsos líderes e anticristos para proteger o trabalho da casa de Deus, e então os falsos líderes e anticristos os atacam. Podem até ser expulsos da igreja, mas se tiverem fé verdadeira e continuarem a compartilhar o evangelho e a cumprir seu dever, continuarão tendo a obra do Espírito Santo e a orientação de Deus. Então, quando o anticristo for exposto e removido, eles poderão voltar para a igreja. Isso me mostrou que Deus é justo e que a verdade reina na casa de Deus; Deus governa sobre todas as coisas. Pensei na igreja que não expôs o anticristo e fechou os olhos diante de seus atos malignos, ignorando o que não a impactava pessoalmente, permitindo que o anticristo perturbasse a igreja. Eles não eram oprimidos e podiam continuar cumprindo seu dever na igreja, mas estavam abrigando um anticristo, colocando-se contra Deus. Foram desprezados e rejeitados por Deus. Pensando nisso, percebi como é sério o problema de não denunciar um falso líder. Também vi o caráter justo de Deus que não tolera ofensa e fiquei com certo medo e realmente me odiei. Isso me deu a motivação para colocar a verdade em prática. Também me lembrei desta passagem das palavras de Deus: “Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem, nem considere constantemente os interesses próprios; não pense em seu status, prestígio ou reputação. Tampouco considere os interesses do homem. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você fez ou não o melhor que pôde para ser leal, se você fez o melhor que pôde para cumprir suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e a obra da casa de Deus. Você deve considerar essas coisas” (‘Dê seu real coração a Deus e você poderá obter a verdade’ em “Registros das falas de Cristo dos últimos dias”). As palavras de Deus também me mostraram um caminho adiante. Eu devia colocar os interesses da casa de Deus em primeiro lugar, devia priorizar isso e renunciar aos meus motivos errados. Devia deixar de colocar meus interesses em primeiro lugar. Assim, anotei os problemas que tinha visto e me preparei para relatar isso a um líder superior.

Naquele momento, a irmã Liu e outras irmãs me disseram que também tinham percebido que a irmã Zhou não fazia trabalho prático e se recusava a demitir pessoas de calibre baixo, que eram sempre desleixadas em seu dever, com a desculpa de não conseguir encontrar candidatos apropriados. Isso tinha causado muitos danos ao trabalho da casa de Deus. Ela não estava tratando os problemas de longa data na igreja e estava nomeando arbitrariamente pessoas com base em seus próprios caprichos, não nos princípios. De acordo com os princípios, a irmã Zhou era uma falsa líder. Juntas, escrevemos uma carta denunciando-a e a entregamos a um líder. Quando alguns líderes superiores analisaram a situação, eles confirmaram que a irmã Zhou nunca fez trabalho prático, que sua abordagem era ditatorial, contrariava os arranjos de trabalho que já tinham sido estabelecidos e usava seu status para controlar outros. Ela foi identificada como uma líder falsa e removida de sua posição. O irmão Li foi considerado inapropriado como diácono de rega e recebeu outro dever. Todos os tipos de sentimentos vieram à tona em mim quando soube do resultado. Vi que, na casa de Deus, Cristo e a verdade realmente imperam, e senti mais confiança, mais força para colocar a verdade em prática. Fui tomada de gratidão a Deus. Sou tão grata pelo esclarecimento e orientação das palavras de Deus, que me permitiram me libertar aos poucos dos laços daquelas filosofias satânicas e a reunir a coragem para praticar a verdade, para denunciar uma líder falsa e viver com alguma dignidade pessoal!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.

Conteúdo relacionado

Minha escolha

Em março de 2012, minha mãe compartilhou o evangelho de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias comigo. Comecei a ler as palavras de Deus...

Saindo do hospício

Por Xiaocao, China Foi em janeiro de 2012. Uma vizinha compartilhou o evangelho de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias comigo, Eu tinha me...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp