Por que eu não ousava me abrir

27 de Setembro de 2022

Por Xidan, Estados Unidos

Nos meados de maio do ano passado, Chen Lan, nossa líder, pediu que eu avaliasse a irmã Lu. Ela disse que a irmã Lu era arrogante, hipócrita e sempre julgava líderes e obreiros. Não era uma pessoa correta. A minha avaliação da irmã Lu era diferente da avaliação da líder. Quando interagira com a a irmã Lu no passado, ela não tinha sido como a líder dizia. Mas eu temia que, se dissesse a verdade, a líder diria que eu carecia de discernimento e teria uma impressão ruim de mim. Então poderia não me designar para projetos importantes no futuro. Assim, fiz o que a líder queria, acatei a avaliação dela e disse que a irmã Lu julgava outros arbitrariamente. Logo depois, a irmã Lu foi substituída. Mais tarde, descobri que a irmã Lu tinha denunciado Chen Lan por não fazer trabalho prático e por ser uma falsa líder. Então Chen Lan a oprimiu e puniu, alegando que ela julgava líderes e obreiros. Depois disso, Chen Lan foi exposta como falsa líder e substituída. Quando soube disso, eu me lembrei do meu comportamento ao escrever a avaliação e me arrependi. Ao ler a palavra de Deus e refletir sobre mim mesma, percebi que estivera disposta a mentir e consentir em condenar a irmã Lu para deixar uma impressão boa na líder. Eu carecia de humanidade. Quanto mais refletia, mais repugnada ficava comigo mesma e mais me odiava. Pensei em escrever um artigo sobre minha experiência de fracasso para compartilhá-la com os irmãos como um alerta para todos. Mas eu tinha meus receios. Pensei: “Se eu escrever tudo sobre meus motivos errados com a avaliação e comportamentos corruptos, o que os irmãos pensarão de mim? Se eles me menosprezarem e rejeitarem, minha reputação será reduzida a nada e terei vergonha demais para encará-los de novo”. Também pensei em como costumava ser próxima da irmã Lu e que ela se confiava a mim com seus problemas. O que ela pensaria se descobrisse que eu a avaliara daquele jeito com um caráter corrupto? Ela se decepcionaria comigo e se afastaria de mim? Se a liderança superior descobrisse, eles diriam que meu caráter era ruim e me dariam um dever diferente? Pensando em tudo isso, eu me senti péssima. Eu tinha feito algo vergonhoso e era difícil falar sobre isso. Eu não queria assumir o que eu tinha feito, só queria deixar isso para trás. Não queria escrever sobre isso.

Mais tarde, comecei a refletir sobre o assunto. Por que eu não estava disposta a mencionar minha experiência de fracasso? Por que não queria me abrir e me desnudar? Que caráter corrupto estava me constrangendo? Um dia, enquanto assistia a um vídeo de testemunho experiencial, vi uma passagem das palavras de Deus. “Independentemente do contexto, não importa que dever está cumprindo, o anticristo tentará passar a impressão de que não é fraco, que é sempre forte, cheio de confiança, nunca negativo. Ele nunca revela sua estatura verdadeira ou sua atitude real em relação a Deus. De fato, nas profundezas do seu coração, ele realmente acredita que não há nada que não possa fazer? Ele realmente acredita que não tem fraqueza, negatividade ou efusões de corrupção? De forma alguma. Ele é bom em fingir, é hábil em esconder coisas. Ele gosta de mostrar às pessoas seu lado forte e honrável; não quer que vejam seu lado fraco e verdadeiro. Seu propósito é óbvio: é simplesmente manter as aparências, para proteger o lugar que tem no coração das pessoas. Ele acredita que, se ele se abrir na frente dos outros sobre a própria negatividade e fraqueza, se revelar seu lado rebelde e corrupto, isso será um dano sério a seu status e sua reputação — não vale o esforço. Por isso, ele prefere manter sua fraqueza, sua rebeldia e sua negatividade estritamente em segredo. E se vier o dia em que todos virem o lado dele que é fraco e rebelde, quando virem que ele é corrupto e que não mudou coisa nenhuma, ele ainda continuará fingindo. Ele acredita que, se admitir que tem um caráter corrupto, que é uma pessoa comum, alguém que é pequeno e insignificante, ele perderá seu lugar no coração das pessoas, perderá a veneração e a adoração de todos e, assim, terá fracassado completamente. E então, não importa o que aconteça, ele simplesmente não se abrirá para as pessoas; não importa o que aconteça, ele não entregará seu poder e status a nenhuma outra pessoa; em vez disso, ele se esforça ao máximo para competir, e nunca desistirá(A Palavra, vol. 3: Expondo os anticristos, “Item Nove: Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 10)”). As palavras de Deus me ensinaram que os anticristos são ótimos fingidores. Não querem que ninguém veja seu lado sombrio, e eles não se abrem sobre sua corrupção e rebeldia. Também sempre evitam falar de seus erros e fracassos. Sempre mostram às pessoas os aspectos positivos, determinados e impressionantes de seu caráter para conquistar o respeito das pessoas e um lugar em seu coração. Percebi que meu comportamento era igual ao dos anticristos. Eu tinha reconhecido meu caráter corrupto Ao cooperar com a falsa líder ao condenar a irmã Lu, mas não estava disposta a me abrir para todos porque isso era uma experiência de fracasso. Se tornasse públicos os meus motivos de corrupção na época, todos veriam que eu carecia de discernimento e cedia facilmente, como eu tinha condenado alguém como arrogante, hipócrita e propenso a julgar, que, na verdade, era uma pessoa justa que denunciara e expusera uma falsa líder, como eu tinha representado uma pessoa boa como má e que eu não conseguia distinguir certo e errado. Eu temia que todos me menosprezariam e rejeitariam e que poderia até perder meu dever. Vi como eu prezava status e reputação acima da prática da verdade e da honestidade. Eu simplesmente não amava a verdade nem as coisas positivas. Em vez disso, eu amava status, reputação e fingimento, igual a um anticristo. Eu era uma pessoa traiçoeira.

Mais tarde, deparei-me com duas passagens das palavras de Deus: “Todos cometem erros. Todos têm falhas e defeitos. E, na verdade, todos têm o mesmo caráter corrupto. Não se ache mais nobre, perfeito e bondoso do que os outros; isso é ser totalmente insensato. Uma vez que os caracteres corruptos das pessoas e a essência e face verdadeira da corrupção do homem estiverem claros para você, você não tentará encobrir seus erros e você não pressionará os outros quando eles cometerem um erro, mas encarará ambos corretamente. Somente então você será perceptivo e não fará coisas estúpidas, o que fará de você uma pessoa sábia. Aqueles que não são sábios são pessoas tolas e sempre ficam pensando em seus erros pequenos, ao mesmo tempo que são sorrateiros nos bastidores. Ver isso é repugnante(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Os princípios que devem guiar a conduta da pessoa”). “Que caráter é esse quando as pessoas sempre exibem uma fachada, sempre se camuflam, sempre fingem para que os outros as admirem e não consigam ver suas falhas ou deficiências, quando sempre tentam apresentar seu melhor lado às pessoas? Isso é arrogância, falsidade, hipocrisia, é o caráter de Satanás, é algo maligno. Veja os membros do regime satânico: não importa o quanto lutem, briguem e matem nos bastidores, ninguém tem permissão para denunciar nem expor isso. Eles temem que as pessoas vejam seu rosto demoníaco, e eles fazem tudo que podem para o encobrir. Em público, fazem o máximo que podem para encobrir quem são, dizendo quanto amam as pessoas, quão maravilhosos, gloriosos e corretos eles são. Essa é a natureza de Satanás. O traço saliente da natureza de Satanás é a artimanha e a enganação. E qual é o objetivo desses artifícios e enganação? Ludibriar as pessoas, impedi-las de ver sua essência e como realmente são, e assim alcançar o objetivo de prolongar seu governo. As pessoas comuns talvez careçam desse poder e status, mas também desejam fazer com que os outros tenham uma boa opinião sobre elas, que as pessoas as tenham em alta estima e lhes concedam um status elevado em seu coração. É isso que é um caráter corrupto, e se as pessoas não entendem a verdade, elas são incapazes de reconhecer isso(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Os princípios que devem guiar a conduta da pessoa”). As palavras de Deus me mostraram que ninguém é perfeito, todos temos deficiências, podemos cometer erros e revelar nossos caracteres corruptos. Pessoas que têm humanidade e racionalidade podem confrontar seus problemas e deficiências. Quando erram, são capazes de encarar seus erros e buscar a verdade para resolver sua corrupção. Aqueles que não encaram seus problemas, não admitem seus erros após cometê-los e revelarem sua corrupção e que sempre fingem, que só exibem os aspectos imaculados de seu caráter — eles são especialmente insinceros e traiçoeiros. Eu fui profundamente corrompida por Satanás e possuía todos os tipos de caracteres corruptos. É normal experimentar desvios e revelar corrupção ao longo do trabalho. Mesmo que não me abrisse, esses caracteres corruptos continuariam escondidos por dentro, então eu não continuaria sendo uma pessoa corrupta? Quando fiz minha avaliação da irmã Lu, eu segui a falsa líder ao julgar e condenar a irmã Lu para preservar minha imagem aos olhos da líder. Não havia como negar isso — se eu fosse uma pessoa com humanidade e racionalidade, eu encararia o problema, revelaria como eu exibia corrupção, como tinha experimentado ser exposta e julgada pelas palavras de Deus e discutiria o que tinha aprendido sobre meu caráter corrupto. Eu me abriria sobre tudo isso para os outros, para que todos enxergassem meu eu verdadeiro. Mas eu sempre apresentava uma fachada falsa após revelar corrupção, esperando proteger minha reputação e imagem no coração dos outros. Como eu era vergonhosa e repugnante! Eu sempre achava que, se a corrupção que eu revelasse fosse só um problema pequeno, algo comum em muitas pessoas e um caráter corrupto mais óbvio, que, mesmo que me abrisse, isso provavelmente não prejudicaria muito a minha reputação, de modo que poderia me desnudar na frente das pessoas. Mas dessa vez eu tinha cooperado com uma falsa líder em condenar alguém. Isso era uma transgressão séria — não era fácil falar disso. Eu mostraria às pessoas que meu caráter era pobre e que eu não tinha dignidade e prejudicaria severamente a minha reputação. Por isso eu não estava disposta a me abrir e sempre fingia para tentar enganar as pessoas. Eu era muito traiçoeira! Só então percebi que minha falta de disposição de me abrir sobre minha corrupção não era só um sinal do meu orgulho e vaidade, isso também revelava meus caracteres satânicos traiçoeiros e malignos.

Depois, continuei refletindo sobre esse problema e li esta passagem das palavras de Deus: “Quando algo acontece, uma pessoa pode não se manifestar ou expressar uma opinião levianamente, mas sempre ficar em silêncio. Isso não significa que essa pessoa é sensata; ao contrário, isso mostra que ela está muito bem disfarçada, que ela tem coisas escondidas, que sua sagacidade é profunda. Se você não se abre com mais ninguém, você consegue se abrir com Deus? E se você não é genuíno, nem mesmo com Deus, e não consegue se abrir com Ele, você consegue entregar seu coração a Ele? Certamente não. Você não pode ser de um só coração com Deus, mas mantém seu coração separado do coração Dele! Vocês são capazes de se abrir e dizer o que realmente está no seu coração quando comungam com outros? Se alguém sempre diz o que realmente está no seu coração, se nunca mente nem exagera, se é sincero e não é nem um pouco descuidado ou superficial no cumprimento do seu dever, se ele consegue praticar a verdade que entende, essa pessoa tem a esperança de ganhar a verdade. Se uma pessoa sempre se encobre e esconde o coração para que ninguém o veja claramente, se ela passa uma impressão falsa para enganar os outros, ela está em grande perigo, está com grandes problemas, será muito difícil para ela obter a verdade. Vocês podem ver, a partir do dia a dia da pessoa, e a partir de suas palavras e ações, quais são as perspectivas dela. Se essa pessoa está sempre fingindo, sempre se achando, essa pessoa não é alguém que aceita a verdade, e, mais cedo ou mais tarde, ela será revelada e expulsa(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Ao dar o coração a Deus, pode-se obter a verdade”). As palavras de Deus me acertaram em cheio. Ele revela como aqueles que apresentam uma fachada falsa não conseguem encarar seus problemas, não se abre quando cometem erros e sempre os encobrem para enganar os outros. Seu coração está fechado para Deus e Deus não consegue vê-lo. Tais pessoas são especialmente malignas — são descaradamente traiçoeiras. Deus gosta de pessoas honestas e detesta quem é traiçoeiro. Eventualmente, todas as pessoas traiçoeiras são expostas e expulsas. Eu achava que apresentar uma fachada falsa só era um sinal de cobiçar status e reputação e não significava que era ser igual a um malfeitor ou anticristo que comete o mal, interrompe o trabalho da igreja e prejudica os outros. Eu não achava que levaria à expulsão. Mas as palavras de Deus me mostraram que essas eram apenas noções e imaginações minhas e que eu tinha uma visão distorcida. Eu ignorei minha consciência ao condenar a irmã Lu com a falsa líder, auxiliando um malfeitor. Deus já estava ciente da minha transgressão, mas eu não estava disposta a falar dela e tentei continuar fingindo para conquistar a admiração dos outros. Isso expôs que eu não amava a verdade e que eu não tinha me arrependido. Eu não praticava a verdade e até me empenhava em traição e enganação: o que impediria Deus de me detestar? Se continuasse assim, certamente seria exposta e expulsa. Por meio da reflexão, vi como não praticar honestidade e não se abrir tem consequências severas. Fiquei com medo e assim me apressei a reverter as coisas.

Mais tarde, deparei-me com algumas das palavras de Deus: “Você deve ser capaz de refletir e conhecer a si mesmo. Você deve ter a coragem de se abrir e se desnudar na presença dos irmãos e irmãs, e comungar seu estado verdadeiro. Se você não ousa desnudar nem dissecar seu caráter corrupto, nem admitir seus erros, você não é um buscador da verdade, muito menos é alguém que conhece a si mesmo(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta”). “Independentemente do dever que as pessoas cumpram ou do que façam, o que é mais importante — seu orgulho e vaidade ou a glória de Deus? O que as pessoas deveriam escolher? (A glória de Deus.) O que é mais importante — suas responsabilidades ou seus interesses próprios? Cumprir suas responsabilidades é o mais importante, e você tem uma obrigação para com elas. […] Quando você praticar de acordo com os princípios da verdade, haverá um efeito positivo, e você dará testemunho de Deus, que é uma maneira de envergonhar Satanás e dar testemunho de Deus. Usar vários métodos para dar testemunho de Deus e levar Satanás a ver a sua determinação em rejeitar e renunciar a Satanás: isso é envergonhar Satanás e testificar de Deus — isso é algo que é positivo e que está alinhado com a vontade de Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só ganhar a verdade é verdadeiramente ganhar Deus”). As palavras de Deus me mostraram uma senda de prática. Não importa a corrupção que revele ou os erros que cometa, devo ter a coragem de admiti-los, de me abrir e comungar e analisar o meu caráter corrupto. Esse é o jeito de romper com Satanás, usar ações reais para envergonhá-lo e dar testemunho de Deus. Isso é arrependimento verdadeiro. Não importa se, depois de me abrir, meu orgulho, vaidade, reputação e status sofram, devo renunciar a mim mesma, praticar a verdade e priorizar dar testemunho de Deus. Na minha avaliação da irmã Lu, eu neguei os fatos e cooperei com uma falsa líder ao condená-la. Por meio dessa experiência, ganhei algum entendimento do meu caráter corrupto. Esse era o jeito de Deus de me salvar. Eu sabia que eu devia me abrir e me desnudar na frente dos irmãos e dar testemunho do efeito que as palavras de Deus tiveram sobre mim. Esse era o meu dever. Se não me abrisse na frente de todos e não desse testemunho da salvação de Deus para mim para proteger vaidade e reputação, eu estaria caindo na trama de Satanás e perderia meu testemunho. Antigamente, eu tinha essa noção ridícula de que discutir meus fracassos era vergonhoso e não era um testemunho. Mais tarde, entendi que, contanto que conseguisse renunciar ao orgulho e vaidade, não permanecesse presa ao meu caráter corrupto, me abrisse em comunhão sobre minha experiência de fracasso e me arrependesse, isso seria realmente um tipo de testemunho. Quando percebi tudo isso, todas as minhas preocupações desapareceram.

Depois disso, eu me abri em comunhão para todos sobre minha experiência e, para a minha surpresa, os irmãos disseram: “Não a menosprezamos após ouvirmos sua experiência. Nós também revelamos o mesmo tipo de caráter corrupto, só que, muitas vezes, não o percebemos e o ignoramos. O fato de você ter reconhecido a sua corrupção e de ter ganho um entendimento de sua essência por meio do julgamento e da revelação das palavras de Deus foi muito edificante para nós”. Mais tarde, os irmãos comungaram comigo duas passagens das palavras de Deus. Eles me ajudaram a ganhar um entendimento mais profundo das consequências de não avaliar as pessoas objetivamente. Não avaliar as pessoas objetivamente é acusá-las falsamente, excluí-las e oprimi-las. Se você condena alguém arbitrariamente e isso o deixa negativo, ou se um falso líder usa essa condenação como base para punir alguém, impedindo-o de continuar em seu dever, isso não só causa danos a essa pessoa, Mas pode até arruiná-la em casos severos. Também ganhei um entendimento mais claro dos princípios que eu devo praticar quando avalio pessoas. Mais tarde, quando a irmã Lu descobriu tudo, ela não me menosprezou. Quando a procurava com perguntas, ela me respondia com a mesma sinceridade de antes, e a casa de Deus não me redesignou nem me dispensou. Esses resultados derrubaram minhas noções e imaginações originais. Fiquei muito envergonhada. Tudo isso me conscientizou muito mais da fidelidade e da justiça de Deus. Contanto que pratiquemos de acordo com as palavras de Deus, temos uma senda. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp