Por que temo ser superado?

16 de Dezembro de 2022

Por Rena, Filipinas

Em junho de 2019, aceitei a nova obra de Deus e então comecei a regar recém-convertidos. Alguns recém-convertidos ficaram muito gratos após receberem minha ajuda, e eu fiquei muito orgulhosa, e me achava apta para esse dever. Mais tarde, assumi uma recém-convertida, e, no início, eu a reguei com diligência, mas, mais tarde, descobri que ela entendia as coisas bem e progredia rapidamente, e, em todas as reuniões, eu sentia que o entendimento que ela compartilhava era bom. Achei que logo ela me ultrapassaria, e, quando isso acontecesse, a líder pediria que ela regasse todos, e eu me tornaria supérflua. Com isso em mente, não quis regá-la corretamente, por isso, só discutia algumas questões externas com ela. Uma vez, a líder me perguntou sobre essa recém-convertida, dizendo: “Precisamos de regadores agora. Ela é apta a ser cultivada?”. Eu não queria cultivá-la de jeito nenhum, pois ela entendia as coisas tão bem, e eu temia que ela se tornaria uma líder no futuro e ficaria acima de mim. Então eu disse à líder: “Eu careço de discernimento. Talvez você possa investigar mais em outro lugar”. Quando soube que a líder tinha ido falar com ela, fiquei muito invejosa e com medo, e também pensava com frequência: “Talvez ela será cultivada e promovida ou talvez até me substitua”. Mais tarde, a igreja foi dividida, e ela foi para a outra igreja. Alguns meses depois, eu soube que ela tinha se tornado uma líder de igreja. Fiquei chocada diante da rapidez do progresso dela! Eu a parabenizei e disse que estava feliz por ela, mas, no fundo, tinha inveja dela. Por que ela se tornou uma líder tão rápido, e eu ainda era regadora? Eu estava muito insatisfeita, então comecei a trabalhar muito para regar recém-convertidos, pois queria provar à líder que eu também era apta a ser uma líder de igreja.

Mais tarde, também fui eleita como líder de igreja, mas ainda ficava com inveja quando via alguém melhor do que eu. Uma vez discuti com os líderes e diáconos como apoiar e ajudar os recém-convertidos, e a diaconisa evangelística compartilhou seus pensamentos. A líder superior disse que as sugestões dela eram boas, e os líderes de grupo também. Tentamos apoiar e regar os recém-convertidos de acordo com as sugestões da diaconisa. E elas eram eficazes. Os recém-convertidos participaram das reuniões e assumiram deveres. A diaconisa evangelística também pregava o evangelho com eficácia. Isso me deixou um pouco invejosa. Pensei: “A diaconisa evangelística prega melhor do que eu. Devo melhorar e aprender mais”. Mais tarde, perguntei à diaconisa evangelística por quantos anos ela tinha cumprido seu dever, e ela me disse: “Seis meses”. Fiquei muito surpresa: só seis meses? Fiquei envergonhada, pois eu tinha aceitado a obra de Deus Todo-Poderoso dois anos antes, mais tempo do que todos no grupo, mas eu era igual a uma iniciante que carecia de ideias. Depois disso, sempre me comparava a ela. Quando vi que ela era uma obreira hábil e sempre tinha bons métodos para acompanhar o trabalho, eu a invejei ainda mais. Pensei: “Se ela sempre tem ideias boas ao discutir o trabalho, a líder superior verá que o calibre dela é bom e então a treinará para ser uma líder. Isso não significa que ela tomará o meu lugar?”. Uma vez a diaconisa evangelística não veio a uma reunião porque estava ocupada com outro trabalho. Depois, ela me perguntou o que tínhamos aprendido na reunião. Eu não quis contar para ela e disse que tinha me esquecido. Mais tarde, vi que a líder superior comungava muito com ela, mas raramente o fazia comigo, e isso me deixou furiosa. Pensei: “Se não quiser falar comigo, não cumprirei o meu dever”. Na época, tudo que eu queria era mudar para um dever em que pudesse ser admirada pelos outros. Achava que, se pregasse o evangelho eficientemente, meus irmãos me admirariam, então comecei a pregar o evangelho e deixei de lado o trabalho de regar os recém-convertidos. A líder superior me enviou um lembrete para eu entender e resolver rapidamente as dificuldades dos recém-convertidos, e eu respondi: “Claro, irei vê-los em breve”. Mas eu só me importava em pregar o evangelho, e não fui vê-los. Naquele período, os problemas dos recém-convertidos não eram resolvidos a tempo e as reuniões ficaram irregulares. Não demorou, e a líder superior me enviou uma mensagem perguntando por que os recém-convertidos não vinham e se eu estava tendo dificuldades, e eu expliquei meu estado à líder. A líder comungou comigo: “Você é a líder e é responsável por todo o trabalho da igreja, principalmente pela rega dos recém-convertidos, que é muito importante. Você não pode ser superficial em relação às coisas”. Chorei após ouvir o que a líder disse. Achei as palavras dela muito duras. Ela não via meus esforços para pregar o evangelho.

Mais tarde, comecei a pensar sobre minha atitude em relação ao meu dever. Por muito tempo, eu temia que os recém-convertidos seriam melhores do que eu, e eu não queria permitir que eles me ultrapassassem. A fim de manter minha posição e ganhar o respeito dos meus irmãos, eu não os regava bem, e também não os encorajei a cumprir seu dever, especialmente os recém-convertidos de calibre bom. Eu não estava cumprindo minha responsabilidade. Lembrei-me das palavras de Deus: “Há alguns que sempre têm medo de que os outros sejam melhores e mais altos do que eles, que os outros serão estimados, enquanto eles são negligenciados. Isso os leva a atacar e excluir os outros. Não é esse um caso de ter inveja de pessoas mais capazes do que eles mesmos? Tal comportamento não é egoísta e desprezível? Que tipo de caráter é esse? É malicioso! Pensar apenas em seus próprios interesses, satisfazer apenas seus próprios desejos, não demonstrar consideração pelos outros nem pelos interesses da casa de Deuspessoas desse tipo têm um caráter ruim, e Deus não tem amor por elas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). “Agora, todos vocês são cumpridores em tempo integral de seus deveres. Vocês não são constrangidos nem limitados por família, casamento ou riqueza. Vocês já emergiram disso. No entanto, as noções, imaginações, conhecimento e intenção e desejos pessoais que enchem a cabeça de vocês permanecem inalterados em sua forma original. Então, em tudo o que envolve reputação, status ou que os pode expor — quando as pessoas ouvem que a casa de Deus planeja nutrir vários tipos de talentos, por exemploo coração de todos salta em expectativa, e cada um de vocês sempre quer criar um nome para si mesmo e ser reconhecido. Todos querem lutar por status e reputação, e têm vergonha disso, mas se sentem mal quando não o fazem. Eles sentem inveja e ódio quando veem alguém se destacar, ficam ressentidos e acham que isso é injusto, pensando: ‘Por que eu não posso me destacar? Por que são sempre as outras pessoas que ganham glória? Por que nunca é a minha vez?’. E depois de sentir ressentimento, tentam reprimi-lo, mas não conseguem. Eles oram a Deus e se sentem melhor por algum tempo, mas quando se deparam com esse tipo de situação novamente, eles não conseguem vencê-la. Isso não demonstra uma estatura imatura? Quando as pessoas são lançadas em tais estados, elas não caíram na armadilha de Satanás? Esses são os grilhões da natureza corrupta de Satanás que prendem os humanos(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). A palavra de Deus revelava com exatidão o meu estado. Eu odiava quando os outros eram melhores do que eu ou me ultrapassavam. Quando encontrava recém-convertidos que entendiam bem as coisas e tinham bom calibre, eu temia que eles me ultrapassariam e tomariam meu lugar, por isso não queria regá-los bem e não queria que a líder os cultivasse. Especialmente quando trabalhei com a diaconisa evangelística, quando vi que a pregação dela era eficaz, que ela sempre dava sugestões boas, e que a líder superior sempre discutia o trabalho com ela, eu a invejei e me comparei com ela e queria chamar a atenção da líder superior por meio da minha pregação do evangelho. Eu só conseguia pensar em meu status e na admiração dos outros. Eu não estava cumprindo minha responsabilidade como líder. Fiquei muito envergonhada. A intenção de Deus para mim era que eu regasse esses recém-convertidos para que eles pudessem estabelecer fundamentos no caminho verdadeiro, mas eu não considerava a vontade de Deus. Eu só considerava meu status e reputação e não regava nem apoiava os recém-convertidos com diligência, o que os levou a frequentar as reuniões com irregularidade. Eu estava cometendo o mal! Comecei a refletir sobre meus objetivos em meu dever. Eu estava fazendo isso para o bem de Deus ou pelos meus interesses? Se estivesse tentando satisfazer a Deus e considerar os interesses da igreja, eu tentaria treinar mais pessoas para cumprir seus deveres. Mas não era o que eu fazia. Em vez disso, eu invejava e oprimia talentos, esperando que a líder não percebesse essas pessoas. Vi que eu cumpria meu dever totalmente em prol da minha posição e interesses. Eu era tão egoísta!

Mais tarde, quando uma irmã soube do meu estado, ela me enviou uma passagem da palavra de Deus. “Algumas pessoas acreditam em Deus, mas não buscam a verdade. Elas sempre vivem segundo a carne, agarrando-se sempre a prazeres carnais, sempre saciando seus próprios desejos egoístas. Não importa quantos anos tais pessoas acreditarem em Deus, elas nunca entrarão na realidade da verdade. Essa é a marca de ter trazido desonra para Deus. Você diz: ‘Não fiz nada para resistir a Deus; como eu trouxe desonra para Deus?’. Todos os seus pensamentos e ideias são malignos. Nas intenções, nos objetivos e motivos por trás de suas ações e nas consequências do que você fazde todas as maneiras você está satisfazendo Satanás, está sendo seu motivo de riso e lhe permitindo conseguir algo de você. Você não deu nenhum testemunho que um cristão deveria dar. Você é alguém que pertence a Satanás. Você desonra o nome de Deus em todas as coisas e não possui um testemunho genuíno. Deus Se lembrará das coisas que você fez? No fim, que conclusão Deus vai tirar dos seus atos e do dever que você desempenhou? Não tem de vir algo disso, algum tipo de declaração? Na Bíblia, o Senhor Jesus diz: ‘Muitos Me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em Teu nome, e em Teu nome não expulsamos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade’ (Mateus 7:22-23). Por que o Senhor Jesus disse isso? Por que tantos dos que pregaram, expulsaram demônios e fizeram muitos milagres em nome do Senhor se tornaram malfeitores? Foi porque não aceitaram a verdade expressa pelo Senhor Jesus, não guardaram os mandamentos do Senhor Jesus e não tinham amor pela verdade no seu coração. Queriam apenas trocar trabalho, sofrimento e sacrifícios para o Senhor pelas bênçãos do reino dos céus. Isso é fazer transações com Deus, e é usar Deus e enganar Deus, por isso o Senhor Jesus os detestava, os odiava e os condenou como malfeitores. Hoje em dia, as pessoas aceitam o julgamento e o castigo das palavras de Deus, mas algumas ainda buscam status e reputação, sempre querem se destacar, sempre querem ser líderes e obreiros e ganhar status e reputação. Embora todos afirmem acreditar em Deus e segui-Lo, e renunciem e se despendam por Deus, eles cumprem seus deveres para ganhar fama, interesses e status, e sempre têm esquemas pessoais. Não são obedientes nem leais a Deus, agem arbitrariamente sem refletir sobre si mesmos e, por isso, tornaram-se malfeitores. Deus odeia tais malfeitores, e Deus não os salva(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Essa passagem da palavra de Deus agitou meu coração. Aqueles que cometem o mal e dos quais Deus fala não são incrédulos, são pessoas que acreditam em Deus. Eles seguem Deus, se despendem por Deus, pregam o evangelho e trabalham em vários lugares e sofrem adversidade, mas eles cumprem seu dever pelo bem de seu status e prestígio, para serem admirados pelos outros ou para ganhar recompensas e coroas. Não podem ser leais a Deus e não podem praticar a verdade nem obedecer a Deus, por isso, o Senhor Jesus disse: “Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade(Mateus 7:23). Eu tinha acreditado em Deus por dois anos, tinha desistido dos meus estudos para cumprir meu dever na igreja, tinha sofrido e pagado um preço, mas minha intenção não era satisfazer a Deus. Eu queria ser a melhor na igreja, para que meus irmãos e a líder me tivessem em alta estima, razão pela qual eu tentava tanto me destacar. Tudo que eu fazia era para satisfazer o meu desejo, e eu estava vivendo do meu caráter satânico corrupto. Minhas ações não eram boas ações, eram ações malignas. Eu cumpria meu dever com essa intenção errada, que Deus só podia odiar, e se continuasse assim, eu só poderia ser punida, pois Deus não aprova esse tipo de fé. Deus diria: “Afasta-te de Mim; Eu não te conheço!”. Quando reconheci isso, fiquei com medo. Eu queria me arrepender e deixar de invejar meus irmãos, então orei a Deus para pedir Sua orientação.

Mais tarde, encontrei a coragem para me abrir à líder superior sobre a minha corrupção. Em vez de me acusar, a líder compartilhou a experiência dela para me ajudar. Nesse momento, ela também me enviou uma passagem das palavras de Deus. “Ser um líder de igreja não é apenas aprender a usar a verdade para resolver problemas, mas também descobrir e cultivar pessoas de talento, as quais vocês não devem, de forma alguma, invejar nem reprimir. Praticar dessa forma é benéfico para o trabalho da igreja. Se você conseguir cultivar alguns buscadores da verdade para que cooperem bem com você em todo trabalho que faz e, no fim, todos vocês tiverem testemunhos experienciais, então você será um líder qualificado. Se você se tornar capaz de agir em todas as coisas de acordo com os princípios, então você estará vivendo à altura da sua lealdade. […] Se você for realmente capaz de ter consideração pela vontade de Deus, então você será capaz de tratar outras pessoas de forma justa. Se você recomendar uma pessoa boa e permitir que passe por treinamento e cumpra um dever, acrescentando assim uma pessoa de talento à casa de Deus, seu trabalho não ficará mais fácil? Você não terá vivido à altura de sua lealdade nesse dever? Isso é uma boa ação diante de Deus; é o mínimo de consciência e senso que alguém que é um líder deveria possuir. Aqueles que são capazes de pôr a verdade em prática podem aceitar o escrutínio de Deus quando fazem as coisas. Quando você aceita o escrutínio de Deus, seu coração é ereto. Se só faz as coisas sempre para os outros verem, sempre quer ganhar o elogio e a admiração dos outros, mas não aceita o escrutínio de Deus, então Deus ainda está no seu coração? Tais pessoas não têm reverência por Deus. Não faça as coisas sempre pelo seu próprio bem nem considere constantemente os interesses próprios; não considere os interesses do homem, nem pense em seu orgulho, reputação ou status. Primeiro, você precisa pensar nos interesses da casa de Deus e fazer deles a sua primeira prioridade. Você deve ser atencioso para com a vontade de Deus e começar por contemplar se você tem sido impuro ou não no cumprimento de seu dever, se você tem sido leal, cumpriu suas responsabilidades, e deu tudo de si, e também se você pensou de todo o coração ou não sobre seu dever e o trabalho da igreja. Você deve considerar essas coisas. Reflita sobre elas com frequência e as entenda, e será mais fácil para você cumprir bem o seu dever. Se seu calibre é baixo, se sua experiência é superficial ou se você não é competente em seu trabalho profissional, então pode haver alguns erros ou deficiências em seu trabalho e os resultados podem não ser muito bonsmas você terá feito o maior esforço. Em tudo que fizer, não satisfaça seus próprios desejos egoístas ou preferências. Em vez disso, dê consideração constante ao trabalho da igreja e aos interesses da casa de Deus. Embora possa não cumprir bem o seu dever, seu coração foi retificado; se, além disso, você conseguir buscar a verdade para resolver os problemas em seu dever, então, seu dever estará à altura do padrão e você será capaz de entrar na realidade da verdade; isso é dar testemunho(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). A palavra de Deus afirma claramente os princípios de prática. O que mais importa é primeiro considerar os interesses da igreja e colocar o trabalho da igreja em primeiro lugar. Quando você tem a atitude certa, é mais fácil cumprir bem o seu dever. Também percebi que acreditamos em Deus e seguimos a Deus, não seguimos uma pessoa qualquer. Por isso devemos considerar a vontade de Deus em tudo, não o que os outros pensam. Se eu quisesse satisfazer a Deus e ser uma líder qualificada, eu devia desistir de status e interesses e encontrar recém-convertidos talentosos dignos de serem cultivados, para que eles pudessem iniciar seus deveres e acumular boas ações. Só assim eu estaria cumprindo meu dever. Deus é justo com cada um de nós. Deus não vê nosso calibre nem status, Ele vê se podemos praticar a verdade. Se eu cumprisse meu dever de acordo com as exigências de Deus e os princípios da verdade e sempre considerasse como fazer meu trabalho para que ele beneficiasse o trabalho da igreja, mesmo que meu calibre fosse baixo, Deus me esclareceria e guiaria para cumprir bem o meu dever. Depois de entender a vontade de Deus, eu orei a Deus para me arrepender e disse que estava disposta a renunciar à carne e cumprir meu dever para satisfazer a Deus.

Mais tarde, quando aceitamos mais recém-convertidos, a líder pediu que eu treinasse mais regadores. Comecei a temer de novo que os recém-convertidos que eu cultivasse tomariam meu lugar, e então a líder deixaria de me cultivar. Quando pensei desse jeito, percebi que não devia mais considerar meu status e imagem e que tinha que considerar os interesses da igreja. Orei a Deus e me lembrei das palavras de Deus: “Ser um líder de igreja não é apenas aprender a usar a verdade para resolver problemas, mas também descobrir e cultivar pessoas de talento, as quais vocês não devem, de forma alguma, invejar nem reprimir. Praticar dessa forma é benéfico para o trabalho da igreja. Se você conseguir cultivar alguns buscadores da verdade para que cooperem bem com você em todo trabalho que faz e, no fim, todos vocês tiverem testemunhos experienciais, então você será um líder qualificado. Se você se tornar capaz de agir em todas as coisas de acordo com os princípios, então você estará vivendo à altura da sua lealdade(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). Como líder de igreja, minha responsabilidade é treinar recém-convertidos para que cumpram seus deveres. Além disso, cumprir nosso dever é a responsabilidade de cada crente em Deus. Se poucas pessoas cooperam, é como um carro sem pneus, e o trabalho da igreja se atrasa. Se eu não treinasse as pessoas, agora que tantas pessoas aceitavam a obra de Deus, elas não seriam regadas a tempo, sua entrada na vida sofreria, e o trabalho da igreja também seria afetado. Mais tarde, escolhi quatro recém-convertidos que entendiam bem as coisas, treinei-os como líderes de grupo, e eles se revezavam liderando as reuniões. Também os lembrei e ajudei a regar outros recém-convertidos. Cooperando com eles, eu tinha mais tempo para me concentrar no trabalho geral, e a eficácia do nosso trabalho melhorou aos poucos. Fiquei muito feliz ao ver o progresso dos recém-convertidos cumprindo seus deveres. Senti-me à vontade e ganhei um pouco mais de entendimento das palavras de Deus. As palavras de Deus dizem: “Se você recomendar uma pessoa boa e permitir que passe por treinamento e cumpra um dever, acrescentando assim uma pessoa de talento à casa de Deus, seu trabalho não ficará mais fácil? Você não terá vivido à altura de sua lealdade nesse dever? Isso é uma boa ação diante de Deus; é o mínimo de consciência e senso que alguém que é um líder deveria possuir(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Liberdade e alívio só podem ser ganhos livrando-se do caráter corrupto”). O fato de eu ter esse entendimento e de eu ter alguma entrada no meu dever é inteiramente o efeito alcançado pela palavra de Deus.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Um renascimento

Por Yang Zheng, Província de Heilongjiang Eu nasci em uma família rural pobre, que tinha uma forma de pensar bem antiquada. Eu era vaidoso...

Conecte-se conosco no Messenger