Reflexões depois de adoecer durante a pandemia

24 de Outubro de 2022

Por Ding Li, Estados Unidos

Logo após aceitar o evangelho de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, as palavras de Deus me mostraram que, quando Deus encerrar Sua obra dos últimos dias, grandes desastres sobrevirão para recompensar os bons e punir os maus. Aqueles que cometeram o mal e se opuseram a Deus serão destruídos nos desastres, enquanto aqueles que aceitaram o julgamento das palavras de Deus e foram purificados serão protegidos e guardados por Deus nos desastres e levados para o Seu reino para desfrutar bênçãos eternas. Na época, pensei que entrar no reino e ganhar vida eterna seria uma grande bênção e que eu devia prezar essa oportunidade única para cumprir bem o meu dever e trabalhar muito para Deus, para que, quando a obra de Deus terminar, eu pudesse permanecer. Assim, larguei meu emprego e comecei a espalhar o evangelho. Quando vi que os desastres aumentavam, eu quis, nesses tempos críticos, preparar mais boas obras e compartilhar o evangelho de Deus dos últimos dias com mais pessoas para contribuir para a propagação do evangelho do reino. Assim, investi toda a minha energia em compartilhar o evangelho, ocupando-me desde cedo até tarde todos os dias. Cada vez mais pessoas estavam aceitando a obra de Deus dos últimos dias em meu distrito, estabelecendo uma igreja após a outra. Esses resultados me deixaram muito satisfeita comigo mesma. Eu achava que minhas contribuições para o trabalho evangelístico não passariam despercebidas. E, diante da irrupção da pandemia que assolava o mundo e do número crescente de infecções, eu permaneci totalmente calma. Achava que, já que tinha trabalhado muito por Deus, por mais que ela se espalhasse, ela não me impactaria. No entanto, uma infecção inesperada com o vírus abalou minhas noções e imaginações. Fui forçada a refletir sobre os motivos e adulterações na minha fé ao longo dos anos.

Um dia, em maio de 2021, eu comecei a tossir, depois desenvolvi uma febre e me senti fraca no corpo inteiro. No início, achei que tinha me resfriado e não me preocupei, mas os sintomas persistiram por uma semana. Uma irmã percebeu que meus sintomas se pareciam com os do coronavírus e, temendo que eu o tivesse contraído, sugeriu que eu fosse para o hospital para fazer um teste. Eu não dei muita atenção. Achava que meus dias de trabalho eram longos e que eu sofria e pagava um preço por meu dever, além disso, tinha obtido ótimos resultados. Também não tinha cometido o mal nem interrompido o trabalho da igreja, como, então, eu pegaria o vírus? Mas os resultados do teste foram totalmente contrários ao que eu esperava. O teste deu positivo. Fui para casa atordoada, totalmente incapaz de entender como eu pude pegar o vírus. Eu vinha cumprindo um dever havia anos, então por que Deus não estava me protegendo? O que os irmãos pensariam de mim se descobrissem? Achariam que eu tinha ofendido a Deus e estava sendo punida? Mas eu não tinha cometido nenhum mal nem interrompido o trabalho da igreja. Milhões no mundo inteiro já tinham morrido desde a irrupção da pandemia no ano anterior. Eu morreria, agora que também tinha sido infectada? Com a obra de Deus prestes a ser completada, se eu morresse, meus anos de trabalho teriam sido em vão? Então eu não teria parte das bênçãos no reino futuro. Quanto mais eu pensava nisso, mais agitada ficava e não sabia como passar por essa situação. Orei, clamando a Deus: “Deus, Tu permitiste que eu contraísse o vírus. Deve ser Tua boa intenção. Tu não erras, portanto devo ter me rebelado contra Ti e me oposto a Ti de alguma forma. Mas não sei como ofendi Teu caráter. Por favor, esclarece-me a saber como errei. Estou disposta a me arrepender”. Depois disso, lembrei-me de uma passagem das palavras de Deus. “Como se deveria experimentar o início de uma doença? Você deveria vir para diante de Deus para orar e buscar entender Sua vontade e examinar o que, exatamente, você fez de errado ou que caracteres corruptos estão dentro de você que ainda têm de ser resolvidos. Você não pode resolver seus caracteres corruptos sem dor. As pessoas devem ser temperadas pela dor; somente então deixarão de ser dissolutas e viverão diante de Deus o tempo todo. Quando confrontadas com o sofrimento, as pessoas vão sempre orar. Não pensarão em comida, roupa ou prazer; vão sempre orar, em seu coração, e examinar se fizeram algo de errado durante esse tempo. Na maioria das vezes, quando você é acometido de uma doença séria ou alguma enfermidade incomum, e isso lhe causa grande dor, essas coisas não acontecem por acaso; esteja você doente ou saudável, a vontade de Deus está por trás de tudo(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Na crença em Deus, ganhar a verdade é crucial”). O esclarecimento oportuno das palavras de Deus me mostrou que minha infecção não era aleatória, que era o governo e arranjo de Deus. Eu devia buscar a vontade de Deus e refletir sobre mim mesma. Não devia me queixar nem culpar a Deus. Ao longo dos próximos dias, em quarentena em casa, eu me abri com os irmãos sobre qualquer corrupção que tinha revelado, aprendi sobre mim mesma e encontrei uma senda para praticar e entrar nas palavras de Deus. Além disso, não importava como eu me sentisse fisicamente, continuei compartilhando o evangelho on-line. Depois de uns dias, me senti muito melhor, só tossia pouco, minha temperatura estava normal e minha energia e força tinham se recuperado. Fiquei muito feliz e achei que Deus tinha visto meu arrependimento e obediência e que estava cuidando de mim. Minha preocupação diminuiu um pouco. Mas, no dia seguinte, senti um aperto e desconforto repentino no peito e não consegui parar de tossir. A febre alta voltou e fiquei fraca de novo. Senti uma onda de pânico. Desde meu diagnóstico, eu não tinha culpado Deus e tinha continuado cumprindo meu dever. Como pude ficar ainda mais doente? Não havia remédio para tratar o vírus, então, se Deus não me salvasse, eu morreria. A ideia da morte me assustou muito, não conseguia aceitá-la. Eu tinha seguido a Deus por dez anos, tinha deixado meu lar e emprego e trabalhado muito em meu dever. Eu tinha sofrido muito e pago um preço alto. Deus não estava se lembrando disso? Se eu morresse, eu nunca veria a beleza do reino nem desfrutaria de suas bênçãos. Quanto mais pensava nisso, mais deprimida ficava. Eu ainda estava cumprindo meu dever, mas não tinha motivação e me irritava quando recebia mais trabalho. Eu me apressava para fazê-lo para poder descansar. Antes, eu cumpria meu dever desde cedo até tarde e achava que Deus me protegeria, mas agora que Deus não estava fazendo isso, eu tinha que pensar em meu bem-estar e cuidar da minha saúde. Estressar-me e cansar-me demais não seria bom para a minha recuperação. Nas reuniões, os outros irmãos tinham tanto vigor e conseguiam comungar sem parar. Mas eu, eu começava a tossir sempre que falava e ficava sem fôlego quando lia as palavras de Deus. Fiquei muito agitada e comecei a argumentar com Deus: “Deus, normalmente, sou muito diligente em meu dever, sou séria e responsável. Alguns dos outros não se equiparam a mim em seu dever. Todos os outros estão bem e cumprindo seu dever, por que justamente eu peguei o vírus? Se isso é uma provação Tua, mas há outros na igreja que buscam a verdade mais do que eu, por que eles não estão enfrentando isso? Se isso é Tua punição, eu não cometi nenhum mal, nem interrompi o trabalho da igreja, nem ofendi o Teu caráter. Deus, ainda quero cumprir meu dever e gosto do dever que tenho. Não cumpri o suficiente. Quero continuar vivendo e cumprindo um dever. Ó Deus, estou cumprindo um dever importante agora e ainda posso prestar serviço a Ti. Por favor, protege-me para que eu possa continuar vivendo e servindo a Ti”. Quando pensei desse jeito, uma passagem das palavras de Deus me veio à mente: “Com base em que, vocêum ser criadofaz exigências a Deus? As pessoas não são dignas de fazer exigências a Deus. Não há nada mais insensato do que fazer exigências a Deus. Ele fará o que deve fazer, e Seu caráter é justo. A justiça não é, de modo algum, justa ou razoável; não é igualitarismo nem uma questão de lhe destinar o que você merece de acordo com o tanto de trabalho que completou, nem de pagá-lo por um trabalho qualquer que você tenha feito, nem de lhe dar o que lhe é devido de acordo com o tanto de esforço que você despendeu. Isso não é justiça, é meramente ser imparcial e sensato. Pouquíssimas pessoas são capazes de conhecer o caráter justo de Deus. Suponha que Deus tivesse eliminado Jó após este ter dado testemunho Dele: isso seria justo? De fato, seria. Por que isso é chamado de justiça? Qual é a opinião das pessoas sobre justiça? Se algo está alinhado às noções das pessoas, é muito fácil para elas dizer que Deus é justo; no entanto, se não acharem que esse algo está alinhado a suas noçõesse for algo que elas são incapazes de entender, seria difícil para elas dizer que Deus é justo. Se Deus tivesse destruído Jó naquele tempo, as pessoas não teriam dito que Ele é justo. De fato, entretanto, tendo as pessoas sido corrompidas ou não e tendo sido profundamente corrompidas ou não, Deus tem de justificar-Se quando as destrói? Deveria Ele explicar às pessoas com que base Ele o faz? Deus deve informar às pessoas as regras que Ele ordenou? Não há necessidade. Aos olhos de Deus, alguém que é corrupto, propenso a se opor a Deus, não tem nenhum valor; qualquer maneira de Deus lidar com ele será apropriada, e tudo isso são os arranjos de Deus. Se você fosse desagradável aos olhos de Deus, e se Ele dissesse que não tem uso para você depois do seu testemunho e, portanto, o destruísse, isso também não seria a justiça Dele? Seria. […] Tudo que Deus faz é justo. Embora possa ser insondável para os humanos, eles não deveriam julgar a seu bel-prazer. Se algo que Ele faz parecer insensato aos humanos ou se eles tiverem quaisquer noções sobre isso, e isso os levar a dizer que Ele não é justo, eles estarão sendo muito insensatos(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Ao ponderar as palavras de Deus, eu me senti como se Ele me repreendesse face a face, e cada palavra entrou no meu coração. Eu não estava culpando Deus por ser injusto? Eu não estava negociando, inventando desculpas e estabelecendo condições diante de Deus? Eu tinha realizado algumas coisas em meus anos de sofrimento despendendo-me em meu dever, por isso achava que Deus deveria me proteger do desastre e que isso seria Sua justiça. Mas, na verdade, essas eram minhas noções e imaginações e não estavam alinhadas com a verdade. Deus é o Senhor da criação e eu sou um ser criado. Tudo que desfruto vem de Deus, e minha vida também foi dada por Deus. Como Deus arranja meu destino e por quanto tempo Ele me deixa viver, tudo isso cabe a Ele. Como um ser criado, eu deveria me submeter e aceitar isso. Que direito tinha eu de discutir com Deus e impor condições? Mas eu tivera fé por todos esses anos e desfrutara de tanta rega e sustento da verdade de Deus e ainda assim não tinha gratidão. Agora que tinha contraído o vírus e encarava a morte, eu estava discutindo com Deus e resistindo, culpando-O por ser injusto. Onde estavam minha razão e consciência? Quanto mais pensava, mais me sentia culpada e envergonhada, e eu me ajoelhei diante de Deus e orei. “Deus, sou tão insensata! Fui criada por Ti; sou um ser criado. Eu deveria me submeter a todos os Teus arranjos e orquestrações. Isso é correto e natural. Tu permitiste que eu contraísse esse vírus com a possibilidade da morte. Eu não queria morrer, não queria me submeter, por isso discuti Contigo, Te culpei por não agir corretamente e exigi que me deixasses viver. Eu não tive nenhuma razão nem submissão. Eu fui tão rebelde! Deus, quero refletir sobre mim mesma e me arrepender diante de Ti”.

Nos dias seguintes, eu me sentia muito mal sempre que pensava em minhas queixas e meus equívocos sobre Deus. Especialmente quando pensava em como, quando minha condição piorou, eu resisti a Deus, discuti com Ele, fiquei negativa e negligente, agi superficialmente em meu dever e procrastinei, eu me senti ainda mais culpada e incomodada. Quando não estava doente nem em crise, eu proclamava a justiça de Deus e que seres criados deviam se submeter aos arranjos do Senhor da criação. Por que eu revelava tanta rebeldia e resistência quando adoecia? Durante meus devocionais, li algo nas palavras de Deus. “O relacionamento do homem com Deus é meramente de um interesse próprio nu e cru. É um relacionamento entre um receptor e um doador de bênçãos. Para colocar de forma mais clara, é semelhante ao relacionamento entre empregado e empregador. O empregado trabalha apenas para receber as recompensas concedidas pelo empregador. Não há afeto em tal relacionamento, apenas transação. Não há amar nem ser amado, apenas caridade e misericórdia. Não há entendimento, apenas indignação suprimida e engano. Não há intimidade, apenas um abismo intransponível(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Apêndice 3: O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus”). “Na mente dos anticristos, contanto que as pessoas sejam capazes de cumprir um dever, pagar um preço e sofrer um pouco de adversidade, elas têm que ser abençoadas por Deus. E assim, após fazerem o trabalho da igreja por um tempo, eles começam a fazer uma lista dos trabalhos que fizeram pela igreja, que contribuições fizeram para a casa de Deus e o que fizeram pelos irmãos. Eles guardam tudo isso firmemente em sua mente, tentando adivinhar que graças e bênçãos isso lhes renderá de Deus, para que possam determinar se existe algum valor em fazer tais coisas. Por que eles se preocupam com tais coisas? O que é que eles estão buscando nas profundezas de seu coração? Qual é o objetivo de sua fé em Deus? Desde o início, eles creram em Deus porque estavam correndo atrás de bênçãos. E não importa por quanto anos tenham ouvido sermões, não importam quantas palavras de Deus tenham comido e bebido, não importam quantas doutrinas tenham entendido, eles jamais abrirão mão de seu desejo e motivação de serem abençoados. Se você pedir que eles sem um ser criado diligente e aceitem o governo e os arranjos de Deus, eles dirão: ‘Isso nada tem a ver comigo, não é por isso que eu deveria lutar. Eu deveria lutar por isto: quando tiver travado a luta, quando tiver feito o esforço exigido e sofrido a adversidade exigida, quando tiver feito tudo de acordo com o que Deus requer, Deus deveria me recompensar e permitir que eu permaneça, eu serei coroado no reino e ocuparei uma posição mais alta do que o povo de Deusno mínimo, hei de governar sobre duas ou três cidades’. É com isso que os anticristos mais se importam. Não importa como a casa de Deus comungue a verdade, suas motivações e seus desejos não podem ser dissipados; eles são o mesmo tipo de pessoa que Paulo. Não existe um tipo de caráter maligno e cruel que se abriga numa transação tão exposta? Algumas pessoas religiosas dizem: ‘Nossa geração segue a Deus na senda da cruz. Pois Deus nos escolheu, e por isso temos o direito de ser abençoados. Sofremos e pagamos um preço e bebemos vinho do cálice amargo. Alguns de nós até foram detidos e condenados à prisão. Depois de sofrermos toda essa adversidade, depois de ouvirmos tantos sermões e depois de aprendermos tanto sobre a Bíblia, se algum dia não formos abençoados, nós iremos até o terceiro céu e discutiremos com Deus’. Alguma vez vocês já ouviram algo assim? Elas dizem que irão ao terceiro céu para discutir com Deusque ousadia é essa? Vocês não ficam com medo só de ouvir isso? Quem ousa tentar e discutir com Deus? […] Tais pessoas não são arcanjos? Não são Satanás? Você pode discutir com quem quiser, mas não com Deus. Você não deveria fazer isso, não deveria ter tais pensamentos. As bênçãos vêm de Deus, Ele pode dá-las a quem quiser. Mesmo que você cumpra as exigências para receber bênçãos, se Deus não abençoar você, você não deveria tentar discutir com Ele. O universo inteiro e toda a humanidade estão nas mãos de Deus, Deus tem a última palavra, você é um ser humano insignificantemente pequenoainda assim você ousa discutir com Deus. Como pode ser tão presunçoso? É melhor você olhar no espelho e ver quem você é. Se você ousa protestar contra o Criador e lutar com Ele, você não está buscando sua própria morte? ‘Se algum dia não formos abençoados, nós iremos até o terceiro céu e discutiremos com Deus’. Com essas palavras, você está protestando abertamente contra Deus. Que tipo de lugar é o terceiro céu? É a morada de Deus. Ousar ir ao terceiro céu para tentar discutir com Deus é equivalente a invadir o palácio. Não é esse o caso? Algumas pessoas dizem: ‘Que relevância isso tem para os anticristos?’ É de extrema relevância, pois aqueles que desejam ir ao terceiro céu para discutir com Deus são anticristos; só anticristos expressariam tais palavras, tais palavras são a voz na profundeza do coração dos anticristos, e essa é a perversão dos anticristos(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Sete: Eles são malignos, insidiosos e enganosos (parte 2)”). Eu senti vergonha diante da revelação de Deus e vi que que meus anos de sofrimento e de pagar um preço em meu dever não consideravam a vontade de Deus nem eram para cumprir o dever de um ser criado para retribuir o amor de Deus. Eram em troca das bênçãos de Deus, de entrar no reino e desfrutar de bênçãos eternas. Eu tratava o dever como meio de escapar dos desastres e de ser abençoada por Deus, como moeda de troca e capital para uma transação com Deus. Por isso, internamente, eu calculava o quanto eu tinha feito, quantas pessoas eu tinha convertido, o quanto tinha sofrido, que preço tinha pago. Quanto mais contava, mais achava que tinha contribuído com serviço meritório e que eu estava qualificada a ganhar a proteção de Deus no desastre. Eu nunca achei que seria infectada pelo vírus. Eu culpei e entendi Deus errado, não busquei como me submeter a Deus na minha doença. Em vez disso, pensei no que eu poderia fazer para ganhar a aprovação de Deus para que Ele me protegesse e eu me recuperasse rapidamente. Assim, quando minha condição piorou, eu me desanimei com Deus. Eu O culpei por não me proteger, por ser injusto comigo. Os fatos mostravam que minha fé e meu dever só serviam para que eu fosse abençoada, e eu não era genuína com Deus. Eu só O estava usando para alcançar meu objetivo de ganhar bênçãos, fazendo acordos e enganando a Deus. Eu era tão egoísta e astuta! Na Era da Graça, Paulo viajou pela Europa inteira para espalhar o evangelho do Senhor, sofrendo muito e pagando um preço alto, mas tudo que ele dava só era para entrar no reino dos céus e ser recompensado. Ele disse: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada” (2 Timóteo 4:7-8). Ele estava dizendo que, se Deus não lhe desse uma coroa, Deus seria injusto. As pessoas no mundo religioso são profundamente influenciadas por essas palavras de Paulo. Aqueles que trabalham e sofrem em nome do Senhor o fazem para ir ao céu e ser abençoados. Discutem com Deus se não são abençoados. Eu era igual a eles, não era? Então me assustei. Nunca imaginei que eu revelaria esse tipo de caráter. Se essa situação não tivesse me exposto, eu ainda não teria visto que eu tinha um sério caráter de anticristo. Lembrei-me de algumas das palavras de Deus: “Eu sempre medi o homem com um padrão muito rigoroso. Se sua lealdade vem com intenções e condições, então Eu prefiro não ter nada da sua suposta lealdade, porque abomino aqueles que Me enganam por meio de suas intenções e Me extorquem com condições. Eu só desejo que o homem seja absolutamente leal a Mim e que faça todas as coisas pelo bem dee para provaruma palavra: fé. Eu desprezo o uso que vocês fazem de lisonjas para tentar Me fazer regozijar, pois sempre os tratei com sinceridade, e por isso desejo que vocês também ajam para Comigo com uma fé verdadeira(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Você é um verdadeiro crente em Deus?”). Senti nas palavras de Deus que Seu caráter é justo, santo e não tolera ofensa. Deus opera para salvar a humanidade e o que Ele quer é a sinceridade e devoção do homem. Se os esforços das pessoas contiverem motivos, adulterações, negociações ou enganação, Deus não só não as aprovará, elas enojarão e repugnarão a Deus, e Ele as condenará. Como Paulo, que, no fim, não só não foi abençoado por Deus, mas foi punido no inferno. A maneira em que meu dever continha a adulteração de uma transação também devia repugnar e enojar a Deus. Meu adoecimento revelava o caráter justo e santo de Deus. Diante disso, eu aceitei e me submeti à doença de coração.

Mais tarde, li outra passagem das palavras de Deus: “Como ser criado, quando você vem para diante do Criador, você deve cumprir o seu dever. É a coisa correta a se fazer e é a responsabilidade sobre seus ombros. Com base no fato de que os seres criados cumprem seus deveres, o Criador fez obra maior entre a humanidade. Ele realizou mais um passo de obra na humanidade. E que obra é essa? Ele provê a humanidade com a verdade, permitindo que ela ganhe a verdade Dele ao cumprir o seu dever e ao se livrar de seu caráter corrupto e ser purificada. Assim, as pessoas vêm a satisfazer a vontade de Deus e a embarcar na senda correta na vida e, por fim, elas são capazes de temer a Deus e evitar o mal, alcançar salvação completa e não mais estar sujeitas às aflições de Satanás. Esse é o efeito que Deus quer que a humanidade alcance no fim através do cumprimento de seu dever. Portanto, durante o processo de cumprir seu dever, Deus não o leva meramente a ver uma coisa claramente e a entender um pouco da verdade, nem Ele o capacita meramente a desfrutar da graça e das bênçãos que você recebe ao cumprir o seu dever como um ser criado. Antes, Ele permite que você seja purificado e salvo e, no fim, passe a viver na luz da face do Criador(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Item Nove: Eles só cumprem seu dever para se distinguir e alimentar seus próprios interesses e ambições; eles nunca levam em consideração os interesses da casa de Deus e até traem esses interesses em troca de glória pessoal (parte 7)”). As palavras de Deus me comoveram. Cumprir um dever é uma responsabilidade e obrigação da qual um ser criado não deve fugir e é uma senda para ganhar a verdade e alcançar mudança de caráter. Em nosso dever, Deus estabelece situações para expor os caracteres corruptos das pessoas, então, por meio do julgamento e das revelações das Suas palavras e por meio da Sua disciplina, Ele nos permite entender nossa corrupção e mudar para não sermos mais corrompidos e prejudicados por Satanás. Essa é a boa vontade de Deus. Ao longo dos anos de meu dever, eu tinha revelado muita corrupção por meio dos ambientes estabelecidos por Deus. Eu tinha ganho algum entendimento dos meus caracteres corruptos, começado a me odiar, a me arrepender e mudar e a ter um pouco de semelhança humana. Eu tinha ganho tanto por meio do meu dever, mas ainda não era grata. Em vez disso, eu usava meu dever como moeda de troca por bênçãos, para escapar dos desastres, e tratava Deus como se pudesse enganá-Lo e usá-Lo. Eu era desprezível! Deus expressou tantas verdades, mas eu não as valorizava e só pensava em como ser abençoada, como escapar do desastre, como entrar no reino e ser recompensada. Eu era maligna. Orei e jurei a Deus que eu deixaria de cumprir meu dever para ser abençoada, que buscaria a verdade em meu dever para retribuir o amor de Deus. Li outra passagem das palavras de Deus que me deu uma senda de prática. “Se, em sua fé em Deus e em sua busca da verdade, você é capaz de dizer: ‘Não importa que doença ou evento desagradável Deus permita sobrevir-menão importa o que Deus faça, devo obedecer e continuar no meu lugar como um ser criado. Antes de mais nada, devo colocar em prática esse aspecto da verdadea obediência; eu devo implementar isso e viver a realidade da obediência a Deus. Ademais, não devo descartar a comissão de Deus para mim e o dever que deveria cumprir. Devo obedecer ao meu dever até meu último suspiro’. Isso não é dar testemunho? Quando tem esse tipo de determinação e esse tipo de estado, você ainda é capaz de se queixar de Deus? Não, não é. Em momentos como esse, você pensará: ‘Deus me dá esse fôlego, Ele tem provido para mim e me protegido durante todos esses anos, Ele tem tirado tanta dor de mim, me dado tanta graça e muitas verdades. Entendi muitas verdades e mistérios que as pessoas não entendem há gerações. Ganhei tanto de Deus, portanto devo retribuir a Ele! Antes, minha estatura era baixa demais, eu não entendia nada, e tudo que eu fazia feria Deus. Posso não ter outra oportunidade de retribuir a Deus, no futuro. Não importa quanto tempo me reste para viver, devo oferecer a pouca força que tenho e fazer o que puder para Deus, para que Deus possa ver que todos esses anos de provisão para mim não foram em vão, mas deram fruto. Deixe-me trazer conforto para Deus e não mais O ferir nem decepcionar’. Que tal pensar assim? Não pense em como salvar a si mesmo ou em como escapar, pensando: ‘Quando essa doença será curada? Quando for curada, farei tudo o que puder para cumprir o meu dever e ser devoto. Como posso ser devoto estando doente? Como posso cumprir o dever de um ser criado?’. Enquanto você tiver um único fôlego, você não é capaz de cumprir seu dever? Enquanto lhe restar um único suspiro, você não é capaz de envergonhar a Deus? Enquanto lhe restar um único suspiro, enquanto sua mente estiver lúcida, você é capaz de não se queixar de Deus? (Sim.) É fácil dizer ‘sim’ agora, mas não será tão fácil assim quando isso realmente acontecer com você. Portanto, você deve buscar a verdade, trabalhar bastante, com frequência, na verdade e gastar mais tempo pensando: ‘Como posso satisfazer a vontade de Deus? Como posso retribuir o amor de Deus? Como posso cumprir o dever de um ser criado?’. O que é um ser criado? A responsabilidade de um ser criado é apenas ouvir as palavras de Deus? Nãoé viver as palavras de Deus. Deus lhe deu tanta verdade, tanto do caminho e tanta vida para que você possa viver essas coisas e dar testemunho Dele. É isso que deve ser feito por um ser criado e é sua responsabilidade e obrigação(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só na leitura frequente das palavras de Deus e na ruminação da verdade existe um caminho adiante”). As palavras de Deus me comovem muito. Deus é o Senhor da criação e eu sou um ser criado, portanto, meu destino está em Suas mãos. Ele também permitiu que essa doença me acometesse, então, vivendo ou morrendo, eu devia me submeter ao governo e arranjos de Deus. Essa é a razão básica que um ser criado deveria possuir. E um dever é algo que um ser criado deveria cumprir. A todo momento, aconteça o que acontecer, contanto que me reste um suspiro, devo cumprir meu dever. Eu tinha desfrutado tanto do amor de Deus ao longo dos anos, mas já que eu não buscava a verdade, eu sempre me rebelava contra Ele e O magoava. Eu devia tanto a Deus. Agora, enquanto ainda estiver viva, devo cumprir meu dever para retribuir o amor de Deus. Nos dias seguintes, refleti sobre como cumprir bem o meu dever para satisfazer a Deus. Minha irmã parceira era nova no dever e não conhecia muitos dos princípios para compartilhar o evangelho, por isso, surgiram vários problemas. Eu a estava ajudando e orientando on-line. Eu também lia as palavras de Deus e cantava hinos em louvor a Deus. Continuei tossindo e com febre, mas não era mais impedida pela doença e parei de me perguntar se eu morreria. Eu sabia que meu destino estava nas mãos de Deus e o tempo da minha vida era determinado pelo governo de Deus. Eu cumpriria bem o meu dever e retribuiria o amor de Deus até o dia em que Ele me deixasse viver e eu me submeteria e nunca mais me queixaria até o dia em que Ele me deixasse morrer.

Numa noite, eu não conseguia parar de tossir, minha garganta estava cheia de catarro, eu estava com febre alta e meu corpo todo doía. Deitada na cama, me senti tão desconfortável que ficava me revirando. Perguntei-me: “Estou prestes a morrer? Se eu dormir, eu acordarei do sono?”. A ideia de morrer me deixava transtornada, e pensar que, no futuro, eu poderia não ter mais a chance de ler as palavras de Deus me deixou em lágrimas. Eu me levantei, liguei o computador e li esta passagem das palavras de Deus: “A duração de vida de todos foi predeterminada por Deus. Uma doença pode parecer terminal do ponto de vista médico, mas, do ponto de vista de Deus, se sua vida deve continuar e sua hora ainda não chegou, você não poderia morrer nem se quisesse. Se Deus lhe deu uma comissão e sua missão não acabou, então você não morrerá nem mesmo de uma doença que deveria ser fatalDeus ainda não o levará. Mesmo que você não ore, não cuide de si mesmo, nem leve sua condição a sério nem busque tratamentopor exemplo, se adiasse seu tratamentovocê não pode morrer. Isso se aplica principalmente àqueles que receberam uma comissão de Deus: quando sua missão ainda não foi completada, não importa que doença os acometa, eles não devem morrer imediatamente; devem viver até o último momento do término de sua missão. Você tem fé nisso? […] Na verdade, se você tenta barganhar por mais tempo ou não leva sua doença a sério, isso não importa; do ponto de vista de Deus, se você pode cumprir seu dever e ainda tem utilidade, se Deus decidiu que você deve ser usado, então você não morrerá. Você não será capaz de morrer, mesmo que quisesse. Mas se você causar problemas, cometer todos os tipos de atos perversos e ofender o caráter de Deus, você morrerá rapidamente; sua vida será interrompida. A duração de vida de todos foi determinada por Deus antes da criação do mundo. Se eles conseguirem obedecer aos arranjos e orquestrações de Deus, então, independentemente de sofrerem doença ou não ou de terem saúde boa ou ruim, eles viverão o número de anos predeterminado por Deus. Você tem fé nisso?(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). Ao ler as palavras de Deus, pude sentir Seu amor e misericórdia, e meu coração se aqueceu. Entendi um pouco melhor a vontade de Deus. O fato de ter nascido nos últimos dias, de poder crer em Deus e cumprir um dever foi determinado por Deus e também era uma missão que Deus me deu. Se minha missão estivesse completa, eu teria que morrer, mesmo se não adoecesse. Caso contrário, eu não morreria, mesmo se tivesse uma doença que deveria me matar. Eu não sabia o que me aguardava, mas sabia que devia colocar minha vida nas mãos de Deus e seguir Seus arranjos. Achando que poderia morrer a qualquer momento, eu quis conversar de coração com Deus mais uma vez. Eu me ajoelhei e orei a Deus: “Ó Deus! Obrigada por me escolher para vir à Tua casa e ouvir a Tua voz. A rega e o sustento de tantas das Tuas palavras me ensinou tantas verdades e me permitiu conhecer os princípios para ser uma pessoa. Sinto que minha vida não foi em vão. Mas eu fui profundamente corrompida e sempre me rebelo contra Ti e Te machuco. Eu não tenho buscado bem a verdade nem cumprido meu dever para retribuir o Teu amor. Também nunca Te dei um pingo de conforto. Eu Te devo tanto. Não sei se terei outras chances de retribuir o Teu amor. Se eu viver, quero buscar a verdade e cumprir o meu dever para Lhe satisfazer…”.

Naquela noite, caí no sono dentro de instantes. Assim que acordei na manhã seguinte, eu me senti relaxada, como se nunca tivesse adoecido. Minha garganta estava bem, livre de catarro. Corri para medir minha temperatura e vi que estava normal. Fiquei muito comovida e sabia que isso era a misericórdia e proteção de Deus. Embora, quando peguei o coronavírus, eu mostrasse muita rebeldia e resistência, Deus não me tratou de acordo com minhas transgressões, mas continuou me vigiando. Não consegui deter minhas lágrimas e ofereci graças e louvores a Deus.

Dois meses passaram e minha temperatura permaneceu normal o tempo inteiro. O vírus não retornou e num piscar de olhos eu me recuperei totalmente. Muitas pessoas morreram nessa pandemia, e eu sobrevivi graças ao cuidado milagroso e à salvação de Deus. A infecção pelo vírus desnudou os motivos e adulterações na minha fé e no meu dever, permitiu que eu visse o motivo vil para negociar com Deus por bênçãos, e eu ganhei algum entendimento e desgosto de mim mesma. Além disso, ganhei alguma experiência prática e entendimento do caráter santo e justo de Deus, e me submeti ao governo e arranjos Dele. Experimentei refinamento e dor nessa situação, mas ganhei tanto, coisas que não teria ganho numa situação confortável. Sempre que lembro o que colhi com essa experiência, me encho de gratidão e louvor a Deus. Dou graças a Deus por Seu amor e salvação!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp