Buscar a verdade me mudou

24 de Outubro de 2022

Por Ou Lin, Myanmar

Em maio de 2018, saí de casa para entrar no exército. No exército, quando um líder dava uma ordem, as patentes inferiores obedeciam e cumpriam as ordens. Quando supervisionavam nosso trabalho, os líderes davam ordens, e eles eram tão imponentes. Eu os admirava muito. A líder mais elevada entre as soldadas tinha dinheiro e poder. Quando ela trouxe sua filha para o nosso exército, todas a cumprimentaram com sorrisos. A liderança superior sempre nos dizia que fôssemos motivadas, para um dia podermos ser iguais a ela. Naquele momento, jurei a mim mesma que me esforçaria a me tornar uma líder. Achava que ter status e admiração me daria prestígio. A partir de então, fiz de tudo para passar uma boa impressão e seguia tudo que os líderes diziam ao pé da letra. Meu desempenho na frente dos líderes era ótimo, e eles gostavam de mim. Não demorou, e fui promovida a chefe da unidade. Fiquei extasiada. Obedeci ainda mais aos líderes após a minha promoção. Assumi a liderança no nosso trabalho diário e não desleixei. Quando via soldadas com preguiça, eu fazia uma cara séria e as ameaçava com consequências. Algumas não gostavam disso e falavam mal de mim pelas costas. Eu pensava que devia continuar dando duro para dar boa impressão e subir de posição, para que as soldadas inferiores me ouvissem. Trabalhando duro, fui promovida de novo, a líder de esquadrão. Achei que isso era muito respeitável. Além disso, as soldadas começaram a me ouvir quando me tornei líder de esquadrão. Mas líderes de esquadrão ainda trabalhavam pesado e isso é cansativo, por isso pensei que devia continuar subindo na hierarquia. Com uma patente mais alta, eu teria mais poder e não teria trabalho pesado. Isso seria ótimo! Para subir de patente, trabalhei duro todo dia e encorajei as soldadas a fazerem o mesmo. Sempre cumpríamos nossas tarefas antes do prazo. Os líderes estavam muito felizes com meu trabalho e, não demorou, fui promovida a líder de pelotão.

Encontrei formas de fazer com que as soldadas me ouvissem para proteger minha posição como líder de pelotão, para garantir que nosso pelotão não ficasse para trás. Quando as soldadas não me ouviam, eu as castigava com ficar de pé ou a fazer flexões. Elas me obedeciam melhor depois disso. Elas não ousavam afrouxar mais na minha frente e eram muito respeitosas. Eu estava muito feliz. Mas também estava sob muita pressão, e a líder superior me repreendia quando não trabalhava bem. A fim de evitar crítica e ganhar algum elogio, eu sempre repreendia as soldadas em tom severo quando fazíamos as tarefas. Depois de um tempo, passaram a odiar o meu temperamento. Diziam coisas agradáveis na minha presença, mas diziam muitas coisas ruins pelas costas. Senti-me incomodada quando descobri. Às vezes, quando não completávamos nossas tarefas, eu era criticada pelos líderes. Àquela altura pensei que, talvez, se eu tivesse uma posição mais alta, eu não seria mais repreendida e não estaria sob tanta pressão. E ganharia mais respeito das pessoas. Em silêncio, comecei a trabalhar por esse objetivo.

Então, finalmente, um dia, a capitã me disse que, dentre todas as líderes de pelotão, ela confiava mais em mim e que se ela deixasse de servir como capitã, eu assumiria o lugar dela. Fiquei muito animada ao ouvir isso. Eu nunca imaginei que ela confiava em mim. Não demorou, e eu assumi a posição de capitã. Cada vez mais soldadas me admiravam, e eu era respeitada aonde quer que fosse. Eu não fazia mais trabalho pesado e tinha mais tempo livre. Eu gostava da sensação de superioridade que a posição de capitã me dava. Mas, depois de um tempo, algumas das que tinham sido promovidas a líder de pelotão comigo ficaram com inveja e não seguiam minhas ordens. Fiquei muito irritada e achei que passei vergonha, então pensei em várias maneiras de obrigá-las a me obedecerem. Ainda assim não obedeciam. Senti que não conseguiria controlá-las, mas, em nome do meu status, tive que me forçar a aguentar. Percebi que ter uma posição mais alta com muito poder não era tão ilustre como tinha pensado. Eu sempre disciplinava as subordinadas quando não me obedeciam e estava ficando mais irritada. Também temia que os líderes superiores achassem que eu não dava conta das soldadas e que pensassem que eu era incompetente. Talvez até perdesse minha posição como capitã. Era muito estressante e cansativo. Eu quis desistir, mas então pensei em quantas pessoas adorariam ser capitã e que não tinha sido fácil chegar lá, portanto, não seria uma pena desistir? Eu me senti impotente, por isso tolerei o estresse e me arrastei pelos dias.

Em agosto de 2020, tive a boa sorte de aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. Comecei a ler as palavras de Deus diariamente e participava das reuniões com os irmãos. Eu estava muito feliz e gostava muito disso. Um dia, li uma passagem das palavras de Deus. “Satanás usa um tipo de método muito sutil, um método muito mais de acordo com as noções das pessoas que de forma alguma é radical, através do qual ele faz com que as pessoas aceitem inadvertidamente o modo de vida de Satanás, suas regras para viver e para estabelecer metas de vida e seu rumo na vida e, ao fazê-lo, elas também chegam inadvertidamente a ter ambições na vida. Não importa o quanto essas ambições de vida possam parecer grandiosas, elas estão inextricavelmente ligadas a ‘fama’ e ‘ganho’. Tudo que qualquer pessoa importante ou famosatodas as pessoas na verdadesegue na vida tem relação unicamente com essas duas palavras: ‘fama’ e ‘ganho’. As pessoas pensam que, uma vez que tenham fama e ganho, elas poderão tirar proveito dessas coisas para desfrutar de alto status e grande riqueza e aproveitar a vida. Pensam que fama e ganho são um tipo de capital que elas podem usar para obter uma vida de busca de prazer e desfrute irresponsável da carne. Por amor a essa fama e ganho que a humanidade tanto cobiça, as pessoas voluntariamente, ainda que inadvertidamente, entregam seu corpo, sua mente e tudo o que têm, seu futuro e destino a Satanás. Elas agem assim sem hesitar um instante sequer, sempre ignorantes da necessidade de recuperar tudo que entregaram. As pessoas podem reter qualquer controle sobre si mesmas uma vez que se refugiaram em Satanás dessa forma e se tornaram leais a ele? Certamente não. Elas são completa e totalmente controladas por Satanás. Elas afundaram completa e totalmente num atoleiro e são incapazes de se libertar” (A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único VI”). As palavras de Deus me mostraram que a vida das pessoas é tão dolorosa e estressante por causa dos seus estilos de vida e das sendas erradas que decidem trilhar. Depois de terem sido corrompidos por Satanás, todos tentam se destacar da multidão e ganhar poder. Acham que, com status e poder, ganharão respeito e admiração, que as pessoas os ouvirão, e eles viverão em glória. Por isso, todas as pessoas amam fama e ganho, adoram e buscam status. Eu era igual. Depois de entrar no exército, eu quis ser a número um entre as soldadas e ganhar a admiração das outras. Para alcançar esse objetivo, eu subi de patente passo a passo, sendo promovida a líder de pelotão e a capitã. Enquanto a patente subia e eu supervisionava mais pessoas, eu era mais intrusiva ao falar e agir e gostava de mandar e de repreender as pessoas. Estivesse eu certa ou errada, as soldadas tinham que me ouvir. A fim de solidificar minha posição, quando as líderes de pelotão não me obedeciam, eu usava meu poder para reprimi-las e punia as soldadas de todas as formas possíveis. Eu sempre era imperiosa e não tinha empatia pelas outras. Aos poucos, as soldadas se distanciaram de mim e não queriam interagir comigo. Vi que, após ganhar algum status, eu me tornei uma pessoa assustadora. Às vezes, eu queria ter uma conversa franca com alguém, mas não sabia com quem. Para não ser repreendida pelos líderes, eu era muito servil com eles e suportava qualquer humilhação. Cada dia da minha vida era estressante e doloroso e eu queria desistir, mas quando pensava em como meu status me beneficiava, eu não queria desistir. Eu estava presa nesse lodo de fama e ganho, o que era exaustivo e muito triste. Àquela altura, percebi que essa é uma das formas de Satanás corromper e prejudicar as pessoas. Buscar status infla cada vez mais os desejos loucos das pessoas, tornando-as cada vez mais arrogantes e desdenhosas em relação aos outros, de modo que não conseguem ter relacionamentos normais. Antes de ganhar minha fé, eu sempre achei que buscar status e destacar-se do resto era ter ambição e perspectiva. Agora entendo que buscar nome e status não é a senda certa. Quando percebi tudo isso, fiz uma oração, pedindo que Deus me guiasse a me livrar dos laços de nome e status.

Então, um dia, entrei no site da Igreja de Deus Todo-Poderoso para baixar hinos e vi um hino novo chamado “Eu sou só uma criaturinha”:

1 Ó Deus! Quer eu tenha status ou não, agora eu me entendo. Se meu status é alto, é por causa da Tua elevação, e, se é baixo, é por causa da Tua ordenação. Tudo está em Tuas mãos. Eu não tenho nenhuma escolha nem nenhuma queixa. Tu ordenaste que eu nascesse neste país e em meio a este povo, e tudo o que eu deveria fazer é ser completamente obediente sob o Teu domínio porque tudo está dentro do que ordenaste.

2 Eu não penso em status; afinal de contas, não passo de uma criatura. Se Tu me colocares no poço sem fundo, no lago de fogo e enxofre, eu não passo de uma criatura. Se Tu me usares, eu sou uma criatura. Se me aperfeiçoares, eu ainda sou uma criatura. Se não me aperfeiçoares, eu ainda Te amarei porque não sou mais que uma criatura.

3 Eu não sou mais que uma criatura minúscula criada pelo Senhor da criação, apenas uma entre todos os seres humanos criados. Foste Tu que me criaste, e agora mais uma vez me colocaste em Tuas mãos, para fazeres comigo o que quiseres. Eu estou disposta a ser Tua ferramenta e Teu contraste porque tudo é o que Tu ordenaste. Ninguém pode mudá-lo. Todas as coisas e todos os acontecimentos estão em Tuas mãos.

Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos

Quando ouvi esse hino, achei que a letra era uma novidade. Percebi que ter status ou não é determinado por Deus, que tudo está nas mãos Dele e que eu não deveria buscar isso. Eu era capitã, mas diante de Deus eu só era um ser criado insignificante sem nenhum status. Eu não deveria oprimir os outros. Pensando em como eu tinha reprimido as soldadas, me senti culpada e transtornada. Eu quis desistir de meu status e conviver bem com elas. Orei a Deus e pedi que Ele me ajudasse. Aos poucos, tornei-me capaz de me deixar de lado e de tentar me comunicar com elas e de parar de repreendê-las imperiosamente. Quando eu apliquei as palavras de Deus à minha vida, ganhei um senso de paz.

Então tivemos uma reunião numa manhã. Uma líder de pelotão sob meu comando não viu se todas de seu pelotão estava presentes e não fez a contagem. As pessoas da nossa unidade íam se atrasar e éramos a mais lenta de todas as unidades. Eu temia que a líder superior pensasse que eu carecia de habilidades de gerenciamento e o que as soldadas pensariam. Depois da reunião, eu lhe perguntei, irritada: “Onde você esteve? Por que não pediu dispensa? Ninguém fez a contagem em seu pelotão. Você está atrasando toda a nossa unidade”. Ela não aceitou isso e me interrompeu. Começamos a discutir. Então veio a instrutora e perguntou por que estávamos discutindo. Cada uma explicou seu lado da história e a instrutora disse que não sabia o que fazer e quem estava errada. Fiquei furiosa ao ouvir isso e pensei que ela não só não me ouviu como também me interrompeu, e isso não significava que ela estava errada? Além disso, eu era sua superior, ela deveria ter me ouvido. Não era ridículo que a instrutora não soubesse quem estava certa e quem estava errada? Fiquei tão furiosa que saí batendo a porta. Voltei para as barracas sentindo-me injustiçada e não consegui parar de chorar. Quando a comandante soube da nossa discussão, ela disse à líder de pelotão: “Ela é sua capitã, o que ela diz vale, e você deve obedecer a ela”. Quando a líder de pelotão continuou se defendendo, a comandante a repreendeu: “Na nossa unidade, a capitã tem o direito de lhe dizer o que é o quê, e você está errada se não obedecer”. Quando a comandante disse isso a ela, achei que tinha dado vazão aos meus sentimentos. Eu estava muito feliz e achei que tinha recuperado minha honra.

Mas, um dia, em meus devocionais diários, li algumas das palavras de Deus que me ajudaram a ver isso. As palavras de Deus dizem: “Uma vez que tenha status, muitas vezes um homem achará difícil controlar seu estado de espírito e, assim, ele apreciará aproveitar as oportunidades para expressar sua insatisfação e descarregar suas emoções; frequentemente irromperá em fúria por nenhuma razão aparente, a fim de revelar sua habilidade e permitir que os outros saibam que seu status e identidade são diferentes daqueles das pessoas comuns. É claro que as pessoas corruptas sem qualquer status também perdem o controle com frequência. A raiva delas é muitas vezes causada por dano a seus interesses privados. A fim de proteger o próprio status e dignidade, elas frequentemente descarregarão suas emoções e revelarão sua natureza arrogante. O homem irromperá em raiva e descarregará suas emoções a fim de defender e sustentar a existência do pecado, e essas ações são as maneiras com que o homem expressa sua insatisfação; elas transbordam de impurezas, de esquemas e intrigas, da corrupção e da maldade do homem e, mais que qualquer outra coisa, elas transbordam das ambições e dos desejos selvagens do homem. […] O descarregar do homem é um escape para as forças do mal, uma expressão da má conduta desenfreada e incontrolável do homem carnal” (A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único II”). “Existem muitos tipos de caracteres corruptos que estão incluídos no caráter de Satanás, mas aquele que é mais óbvio e mais se destaca é o caráter arrogante. A arrogância é a raiz do caráter corrupto do homem. Quanto mais arrogantes, mais irracionais as pessoas são, e quanto mais irracionais, mais sujeitas as pessoas ficam a resistir a Deus. Quanto esse problema é sério? As pessoas com caráter arrogante não só consideram todas as outras inferiores a elas, como também, o pior de tudo, são até condescendentes para com Deus, e elas não têm temor de Deus dentro do coração. Embora as pessoas pareçam acreditar em Deus e segui-Lo, elas não O tratam como Deus de modo algum. Sempre sentem que possuem a verdade e pensam que elas são tudo no mundo. Essa é a essência e a raiz do caráter arrogante, e ele vem de Satanás. Portanto, o problema da arrogância precisa ser resolvido. Sentir que um é melhor que os outros — esse é um caso trivial. A questão crítica é que o caráter arrogante de uma pessoa a impede de se submeter a Deus, Seu governo e Seus arranjos; tal pessoa se sente sempre inclinada a competir com Deus pelo poder sobre os outros. Esse tipo de pessoa não reverencia a Deus nem um pouco, sem falar de amar a Deus ou submeter-se a Ele. Pessoas que são arrogantes e convencidas, sobretudo aquelas que são tão arrogantes que perderam o senso, não podem se submeter a Deus em sua crença Nele, nem exaltar e dar testemunho por si mesmas. Tais pessoas resistem mais a Deus e não têm nenhum temor de Deus” (A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Parte 3”). As palavras de Deus são tão claras. As pessoas perdem o controle e se tornam arrogantes com status. Revelam um temperamento e repreendem as pessoas para proteger seu status e reputação e exibem sua autoridade. Isso é o controle de um caráter arrogante. Quando entrei no exército, minha busca era ser uma oficial e ganhar a estima dos outros. Depois de ganhar patente e poder, achei que minhas palavras tinham autoridade e que eu tinha prioridade. Eu era a capitã, eu tinha o poder de controlar as líderes de pelotão e as soldadas. Elas deveriam me ouvir, e, se não ouvissem, eu as repreendia e as colocava em seu lugar. Eu era tão arrogante. Quando a líder de pelotão não fez a contagem a tempo e atrasou o progresso da nossa unidade, eu lhe disse o que pensava, e ela não só não me ouviu, mas me interrompeu. Achei que ela não me deu valor, que desdenhou de mim e me fez passar vergonha na frente de todas. Usei isso como desculpa para criar confusão e extravasar meu descontentamento. Fiz isso também para alertar as soldadas de que deviam ser obedientes. Na minha opinião, eu era a capitã e ela era líder de pelotão, por isso ela devia me ouvir. Se não me ouvisse e até me contrariasse, eu tinha que repreendê-la e mostrar-lhe quem era a chefe. Eu era tão arrogante e descontrolada. Quando obtive status, assim que alguém não me ouvia, eu explodia na cara dele, usando minha posição para oprimi-lo e obrigá-lo a fazer o que eu queria. Como resultado, ninguém queria se envolver comigo. Eu era crente, mas não tinha mudado. Eu era muito arrogante e não tinha nenhuma semelhança humana, por isso as pessoas me desprezavam e me evitavam, e Deus ficava enojado e odiava isso.

Conversei com uma irmã sobre minhas experiências, e ela me enviou uma passagem das palavras de Deus que me deram uma senda de prática. “Como uma das criaturas, o homem deve guardar sua própria posição, e se comportar conscienciosamente. Obedientemente guarde aquilo que lhe é confiado pelo Criador. Não aja indevidamente, nem faça coisas além de sua capacidade ou que são abomináveis para Deus. Não tente ser grande nem se tornar um super-homem nem estar acima dos outros, nem busque tornar-se Deus. É isso que as pessoas não devem desejar ser. Querer se tornar grande ou um super-homem é absurdo. Querer se tornar Deus é ainda mais vergonhoso; é repugnante e desprezível. O que é louvável, e o que as criaturas devem valorizar acima de tudo, é se tornar uma criatura verdadeira; esse é o único objetivo que todas as pessoas devem perseguir” (A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “O Próprio Deus, o Único I”). Depois de ler as palavras de Deus, eu entendi que tentar ser altiva para ganhar a estima e admiração das pessoas é algo vergonhoso. Devemos ficar no nosso lugar e nos comportar com consciência. É isso que Deus exige de nós. Eu estava tentando avançar, ser uma oficial com poder, mandar nos outros, ser admirada e fazer com que os outros me ouvissem. Isso é algo que Deus despreza. Se não me arrependesse, mas continuasse buscando status e nome, eu seria exatamente igual a um incrédulo. Incrédulos correm atrás de dinheiro, status e reputação. Matam e lutam uns com os outros por essas coisas. Como crente, eu não deveria ficar na senda de um incrédulo. Deveria buscar a verdade e assumir meu lugar como um ser criado. Quando percebi isso, resolvi que eu estava pronta para buscar a verdade e agir segundo as palavras de Deus no meu dia a dia. Eu deveria assumir uma posição de igual para igual com os outros e parar de mandar nos outros porque era uma capitã. Orei a Deus: “Ó Deus, quero parar de buscar status e nome e de viver segundo meu caráter arrogante. Por favor, guia-me a praticar a verdade”.

Depois disso, comecei a acompanhá-las diariamente e a mostrar que me preocupava com elas. Quando faziam algo errado e a líder queria que eu as disciplinasse, eu não era mais como antes, não as repreendia mais nem ostentava a minha autoridade para manter meu status, mas era capaz de me conectar com elas, de dizer-lhes onde tinham errado e dar-lhes uma chance de melhorar. Depois de fazer isso por um tempo, eu desenvolvi uma boa relação com as líderes de esquadrão, as líderes de pelotão e as soldadas. Algumas das soldadas me disseram que eu costumava ter um temperamento estranho, que elas tinham medo de mim, que sempre temiam que eu as repreendesse por um erro. Mas agora eu estava bem melhor e me importava com elas. Sentiam-se mais à vontade para interagir comigo. Quando ouvi isso, dei graças a Deus e lhes disse: “Vocês sabem por que eu mudei desse jeito? Porque aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. As palavras de Deus Todo-Poderoso me mudaram, e essa é a única razão pela qual mudei. Antes de vir para diante de Deus, eu buscava status e a admiração dos outros. Eu sempre repreendia vocês para manter minha posição. Depois de ganhar minha fé e por meio da leitura das palavras de Deus Todo-Poderoso, aprendi que repreender pessoas altivamente não é certo, que isso é um caráter corrupto, e que não deveria fazer isso. Essa mudança que experimentei não é algo que eu teria conseguido por conta própria. Foi por causa da minha fé em Deus Todo-Poderoso. Suas palavras me mudaram”. Mal conseguiram acreditar. Continuei compartilhando o evangelho com elas, e sorrisos apareceram no rosto das soldadas. Quiseram explorar a obra de Deus dos últimos dias. Depois disso, alguns líderes de esquadrão e pelotão e algumas soldadas aceitaram a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias. Nós nos reuníamos, comíamos e bebíamos as palavras de Deus, nós dávamos bem e compartilhávamos o evangelho e dávamos testemunho. Graças a Deus Todo-Poderoso!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Um renascimento

Por Yang Zheng, Província de Heilongjiang Eu nasci em uma família rural pobre, que tinha uma forma de pensar bem antiquada. Eu era vaidoso...

Finalmente livre de equívocos

Por Youxin, Coreia do Sul Há alguns anos, eu fazia vídeos na igreja. Houve um tempo em que eu não cumpria bem o meu dever, e dois vídeos...

Meus ganhos com uma eleição

Por Mu Tong, Japão Recentemente, a igreja realizou uma eleição especial para preencher um cargo de liderança. Quando soube que a liderança...

Entre em contato conosco pelo WhatsApp