Uma atitude adequada para o dever que se tem

01 de Agosto de 2022

Por Milan, Filipinas

Eu estava transtornada depois disso. Eu não conseguia aceitar, especialmente quando via mais pessoas aceitando a obra de Deus dos últimos dias e precisando de rega urgente. Quando meu dever foi mudado naquele momento, eu me perguntei se eu tinha sido expulsa. Eu me preocupava com o que os outros pensariam de mim quando descobrissem, que achariam que eu carecia de calibre e só conseguia fazer trabalho escravo, tarefas toscas e que não tinha um futuro. No início, eu estava regando recém-convertidos como todos os outros, mas agora que estava resolvendo assuntos gerais, tarefas pequenas, qual era o sentido de cumprir esse dever? Não importava quão bem eu trabalhasse, eu seria apenas uma servidora e acabaria expulsa. Mas, na época, eu não busquei a vontade de Deus e fui ficando cada vez mais transtornada. Eu não estava fazendo bem as minhas tarefas, mas me contentava em agir sem me envolver, sem investir meu coração nisso. Às vezes, havia muitas coisas a serem feitas à noite, mas eu caía no sono muito cedo. Então uma irmã responsável pela rega me enviou uma mensagem, pedindo que eu ajudasse a reunir alguns antigos documentos de trabalho. Eu resisti muito quando li aquilo. Eu não estava mais regando recém-convertidos, portanto, não era mais responsável por essas coisas. Por que ela pediria que eu fizesse isso? Mas eu não podia me recusar, então, relutante, concordei em fazê-lo. Mas, no dia seguinte, outra irmã de rega pediu que eu ajudasse com algo. Pensei que assuntos gerais só eram tarefas toscas e que qualquer um podia me dizer o que eu devia fazer. Não era meu campo, por que, então, ela pediria minha ajuda? Eu não quis concordar, mas se me recusasse, eu temia que ela pensaria que eu não estava apoiando o trabalho da igreja. De mãos atadas, eu lhe disse que ajudaria.

Durante alguns dias, eu não tive nenhum entendimento de mim mesma. Eu não era capaz de aceitar aquela mudança de dever como vinda de Deus e resisti à líder, achando que ela estava dificultando as coisas para mim. Eu disse à minha antiga parceira, meio que de propósito: “Eu nunca tive um momento de ócio em meu trabalho de rega e fiz tudo que devia fazer. A líder nunca me ajudava quando surgiam problemas, mas ela me dispensou num piscar de olhos. Não importa. Já que fui dispensada, deve haver uma lição nisso para mim”. Depois de ouvir aquilo, ela também achou que a líder não havia sido justa comigo. Mas na época, ao refletir sobre tratar de assuntos gerais e perder a estima dos outros eu me senti injustiçada. Por que eu havia sido designada para tratar de assuntos gerais? Eu só era capaz de fazer tarefas toscas? Eu não era digna de ser cultivada? Achei que seria inútil a partir de então e, mesmo que mantivesse minha fé até o fim, eu seria expulsa. Esses pensamentos me deixaram cada vez pior. Percebi que meu estado estava errado, então vim para diante de Deus em oração. “Deus, o que está errado comigo? Isso também é um dever, por que, então, estou tão insatisfeita tratando de assuntos gerais? Deus, por favor, ilumina-me e guia-me a entender a mim mesma e parar de viver em corrupção”.

Depois de orar, lembrei-me das palavras de Deus sobre a atitude dos anticristos em relação a uma mudança no dever. As palavras de Deus dizem: “Qual dever é apropriado para você deve ser baseado nos seus pontos fortes. Se, às vezes, o dever arranjado para você pela igreja não é algo em que você é bom ou não é algo que você deseja fazer, você pode levantar o problema e resolvê-lo através da comunicação. Mas se você pode cumprir o dever, e é um dever que você deve cumprir e você não o quer fazer só porque teme sofrer, então há um problema com você como pessoa. Se você está disposto a obedecer e pode renunciar à sua carne, pode-se dizer que você é sensato. No entanto, se tentar sempre calcular quais são os deveres mais prestigiados, e se supor que certos deveres farão com que os outros o olhem com desdém, isso prova que você tem um caráter corrupto. Por que você é tão preconceituoso no seu entendimento dos deveres? Será possível que você consegue desempenhar bem um dever se for um dever que você escolheu com base nas suas ideias? Isso não é necessariamente verdade. O que mais importa aqui é resolver o seu caráter corrupto, e se não o fizer, você não será capaz de desempenhar bem o seu dever, mesmo que seja um dever que você curte. Algumas pessoas desempenham os seus deveres sem princípios, e o cumprimento do seu dever se baseia sempre nas suas preferências pessoais, portanto elas nunca são capazes de resolver as dificuldades, sempre são superficiais em todos os deveres que cumprem, e acabam sendo expulsas. Será que pessoas como essas podem ser salvas? […] Os malfeitores e os anticristos nunca têm a atitude correta em relação aos seus deveres. O que eles pensam quando são transferidos? ‘Você acha que sou apenas um prestador de serviços, alguém que serve ao seu comando, que você pode simplesmente mandar embora quando não me quiser mais? Bem, não permitirei que eu seja tratado assim! Quero ser um líder ou um obreiro, porque esse é o único trabalho respeitável por aqui. Se você não deixa que eu seja um líder ou obreiro e ainda assim quer que eu contribua, você pode esquecer isso!’ Que tipo de atitude é essa? É uma atitude de obediência? O que motiva essa atitude quanto a ser transferido no seu dever? Impetuosidade, as suas ideias e o seu caráter corrupto, certo? E quais são as consequências de abordar isso dessa forma? Em primeiro lugar, eles serão capazes de ser devotos e sinceros no seu próximo dever? Não, não serão. Eles terão uma atitude positiva? Em que tipo de estado estarão? (Num estado de desânimo.) Qual é a essência do desânimo? É a resistência. E qual é o resultado de um ânimo resistente e desiludido? Alguém que se sente assim pode cumprir bem o seu dever? (Não.) Se alguém é sempre negativo e resistente, ele está apto a cumprir um dever? Não importa o dever que desempenhe, ele não pode desempenhá-lo bem. É um ciclo vicioso, e não acabará bem. Por quê? Tais pessoas não estão numa senda boa; não buscam a verdade, não são obedientes, e não conseguem entender corretamente a atitude e a abordagem da família de Deus em relação a eles. Isso é um problema, não é? Foi uma mudança perfeitamente apropriada no dever, mas os anticristos dizem que ela está sendo feita para atormentá-los, que eles não estão sendo tratados como um ser humano, que falta amor à família de Deus, que eles estão sendo tratados como uma máquina, chamados quando são necessários, e depois deixados de lado quando não são. Isso não é distorcer a lógica? Será que alguém que diz esse tipo de coisa tem consciência ou razão? Ele não tem humanidade! Ele distorce um assunto perfeitamente sensato; distorce uma prática totalmente apropriada e a transforma em algo negativo — não é esse o mal de um anticristo? Será que alguém tão maligno pode entender a verdade? De forma alguma. Esse é o problema de um anticristo; ele distorce a lógica daquilo que lhe acontece. Por que ele pensa de forma distorcida? Porque ele é extremamente maligno por natureza, maligno em essência. A natureza e a essência de um anticristo são primariamente malignas, seguidas pela sua crueldade, e essas são as suas principais características. A natureza maligna dos anticristos os impede de entender corretamente tudo, e em vez disso distorcem e interpretam mal a tudo, vão a extremos, são mesquinhos e não conseguem lidar com as coisas corretamente nem buscar a verdade. Em seguida, eles resistem ativamente às coisas e buscam vingança ou até espalham as suas noções e o negativismo, incitando e enredando os outros para interromper o trabalho da casa de Deus. Secretamente, espalham algumas queixas, julgam como as pessoas são tratadas na casa de Deus, as regras para a sua administração, como certos líderes fazem as coisas, e condenam esses líderes. Que tipo de caráter é esse? É cruel(A Palavra, vol. 4: Expondo os anticristos, “Eles querem se retirar quando não há posição nem esperança de ganhar bênçãos”). As palavras de Deus me mostraram que, em face de qualquer coisa, os anticristos não conseguem entender corretamente a vontade de Deus, mas sempre entendem tudo errado. Eles abordam uma simples mudança no dever com uma perspectiva maligna, achando que foram rebaixados, que estão dificultando as coisas para eles. Até acham que a casa de Deus fica mandando neles como se fossem robôs. Eles ficam negativos e resistem e podem abandonar seu dever a qualquer momento, desprezando o trabalho da casa de Deus. Os anticristos têm uma natureza tão cruel e maligna! Mas eu vi que eu estava agindo da mesma forma. Eu devia ter refletido sobre o meu fracasso após ser dispensada e valorizado essa chance num dever novo. Mas eu nem refleti. Achava que a líder estava sendo dura comigo, que tratar de assuntos gerais era um status mais baixo e vergonhoso, que eu estava fazendo tarefas toscas, que era uma servidora e não era digna de ser cultivada, que, por isso, não tinha futuro. Simplesmente não conseguia me submeter e até achava que tinha sofrido uma injustiça, e eu resisti muito a esse dever. Eu era sempre desleixada, agia sem me envolver, só deixava me levar. Eu estava me colocando contra Deus e usando essa negatividade para ir contra Deus. Eu não quis cooperar quando as irmãs de rega pediram minha ajuda, mas estava cheia de queixas. Achava que estavam mandando em mim, fazendo-me labutar e fazer tarefas toscas. Eu estava sendo absurda e maligna! Eu queria dar vazão aos meus sentimentos de injustiçada, por isso expressei minhas queixas à minha antiga parceira e reclamei da líder. Isso a afetou e ela acabou tendo um preconceito contra a líder. Essa mudança no dever me expôs completamente. Eu cumpria meu dever com base em preferências pessoais, só queria um dever que favorecesse minha imagem. Com um status mais baixo, eu achava que os outros não me admirariam e que não teria esperança de receber bênçãos, por isso estava negativa e enrolava, colocando-me contra Deus e até dando vazão à minha raiva em meu dever. Eu espalhava preconceitos e noções e trouxe outra pessoa para o meu lado para lutar por mim. Em que isso era diferente de um anticristo? Em minha reflexão, vi que eu não tinha nenhuma humanidade nem razão, que eu tinha uma natureza cruel.

Então li algumas das palavras de Deus. “Algumas pessoas não cumprem corretamente o seu dever, são sempre descuidadas e superficiais, causando interrupções ou perturbações, e, por fim, são substituídas. Não são, contudo, expulsas da igreja, o que é dar-lhes uma oportunidade de se arrepender. Todos têm caracteres corruptos, e todos têm momentos em que ficam perplexos ou confusos, momentos em que têm estatura baixa. O objetivo de lhe dar uma oportunidade é para que você possa reverter tudo isso. E como é que você pode reverter isso? Você deve refletir e conhecer os seus erros passados; não invente desculpas e não espalhe noções. Se você entender Deus errado e casualmente repassar esses equívocos aos outros, para que eles também interpretem Deus errado com você, e se você tem noções que anda por aí espalhando para que todos tenham noções com você e tentem argumentar com Deus junto com você, isso não é demagogia? Não é opor-se a Deus? E algo bom pode vir de opor-se a Deus? Você ainda pode ser salvo? Você espera que Deus o salve, mas você resiste e se opõe a Deus; será que Deus ainda pode salvar você? Esqueça essas esperanças. Quando você cometeu um erro, Deus não o responsabilizou, nem o expulsou por causa desse único erro. A casa de Deus lhe deu uma chance e permitiu que você continuasse cumprindo um dever e se arrependesse, que é a oportunidade que lhe foi dada por Deus; se tem consciência e bom senso, você deve valorizar isso. Algumas pessoas são sempre descuidadas e superficiais quando cumprem o seu dever e são substituídas; algumas são transferidas. Isso significa que foram expulsas? Se Deus não disse isso, você ainda tem uma chance. Então o que é que você deve fazer? Você deve refletir e conhecer a si mesmo e alcançar arrependimento verdadeiro; essa é a senda. Mas não é isso que algumas pessoas fazem. Elas contra-atacam, e dizem: ‘Não me foi permitido cumprir esse dever porque eu disse a coisa errada e ofendi alguém’. Elas não procuram o problema em si mesmas, não refletem, não buscam a verdade, não obedecem aos arranjos e orquestrações de Deus, e se opõem a Deus, espalhando noções. Será que não se tornaram Satanás? Quando você faz as coisas que Satanás faz, você já não é mais um seguidor de Deus. Tornou-se inimigo de Deus — Deus poderia salvar o Seu inimigo? Não. Deus salva pessoas com caracteres corruptos, pessoas reais — não demônios, não os Seus inimigos. Quando você vai contra Deus, e se queixa de Deus, e interpreta Deus errado, e julga Deus, espalhando noções sobre Deus, você está totalmente contra Deus; está levantando um clamor contra Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Só buscando os princípios da verdade é possível realizar bem o seu dever”). A leitura das palavras de Deus me comoveu. Eu tinha perdido aquele dever, mas Deus não estava me privando da chance de cumprir um dever. Ele não disse que eu não podia buscar a verdade, que eu seria expulsa. Outro dever havia sido arranjado para mim, dando-me uma chance de refletir e entender a mim mesma. Mas, por não entender a vontade de Deus, eu achava que essa mudança significava perder status e reputação, que eu não teria um futuro. Eu estava negativa e me opus a Deus. Eu era tão rebelde e insensata! Quando estava regando recém-convertidos, já que eu não tinha calibre bom, eu não conseguia comungar claramente as várias verdades sobre visões e as perguntas deles não foram resolvidas. Mas temendo que os outros me menosprezassem, eu fingia e não me abria nem buscava ajuda para as dificuldades que encontrava. A líder comungou comigo os princípios e métodos para aquele dever, mas eu me contentava em só conhecê-los, e depois não pensei em como praticá-los e aplicá-los. Por isso não entendi muitos princípios nem mesmo após muita comunhão, e meu trabalho de rega nunca obteve bons resultados. Eu não só tinha calibre ruim, mas era muito arrogante e não tinha vontade de buscar a verdade. Eu não estava melhorando minhas habilidades, e não havia progresso no trabalho pelo qual eu era responsável. Por isso eu precisei ser dispensada. Mas eu não queria admitir minha corrupção e falhas. Fiquei indignada com minha dispensa e me recusei a aceitá-la. Até me equivoquei, achando que Deus estava me expondo e me expulsando. Isso era absurdo e totalmente insensato da minha parte. Com meu calibre ruim e minha falta de conquistas na rega dos recém-convertidos, eu sempre me sentia constrangida e inadequada e vivia deprimida. Se eu tivesse continuado cumprindo esse dever, isso não só teria prejudicado minha própria vida, mas também teria atrasado o trabalho da casa de Deus. Com base em meu calibre e meus pontos fortes, a líder me deu um dever que eu conseguia cumprir, que eu conseguia completar. Isso era seguir os princípios e era ser responsável em relação à minha vida. Mas eu não sabia o que era bom para mim. Eu não refleti sobre mim mesma para conhecer a mim mesma, mas contra-ataquei, julgando a líder pelas costas e espalhando negatividade. Parecia que eu só estava criticando ela, mas, na verdade, estava me opondo a Deus, colocando-me contra Ele. Ao ser exposta desse jeito, vi que eu não só carecia de calibre, mas que também tinha um caráter seriamente corrupto. Se eu não me submetesse como devia e cumprisse meu dever com sinceridade, eu seria exposta e expulsa.

Em minha reflexão, descobri também uma opinião equivocada que eu nutria. Eu achava que deveres tinham classificações diferentes, que havia deveres baixos e elevados, e que só o dever de líder ou regadora era um dever real, enquanto tarefas subalternas e trabalhos de assuntos gerais não contavam. Achava que era trabalho simplório e que era prestar serviço, que eu acabaria sendo expulsa. Quando fui designada para tratar de assuntos gerais, eu me senti inferior, achei que estava sendo tratada como uma máquina. Eu resisti muito a isso e não tive motivação para cumprir meu dever. Mas na casa de Deus todos os deveres servem ao plano de gerenciamento de Deus para salvar a humanidade. Não importa se você é líder, regador ou se trata de assuntos gerais, tudo é comissão de Deus, e devemos cooperar. É igual a uma máquina, cada peça tem seu propósito, por isso, não existe dever grande ou pequeno, alto ou inferior, nobre ou baixo, só existem funções diferentes. Não importa que dever estejam fazendo, todos têm lições a aprender, verdades em que devem entrar. Contanto que busquemos a verdade, todos nós podemos ser salvos por Deus. Mas eu sempre pensava errado sobre as coisas. Achava que tratar de assuntos gerais era só trabalho, tarefa tosca e prestar serviço. Eu apliquei essa perspectiva distorcida e maligna à mudança em meu dever e entendi errado a vontade de Deus. Isso é repugnante para Deus e Ele odeia isso.

Isso me lembrou de algumas das palavras de Deus. “É o desejo de Deus que todas as pessoas sejam aperfeiçoadas, que sejam ganhas por Ele no fim, que sejam completamente purificadas por Ele e se tornem pessoas que Ele ame. Não importa se Eu digo que vocês são subdesenvolvidos ou de baixo calibre — isto é fato. Expressar este fato não é prova de que Eu pretendo abandoná-los, de que perdi a esperança em vocês, muito menos que não estou disposto a salvá-los. Eu venho hoje para realizar a obra da sua salvação, o que significa dizer que a obra que faço é uma continuação da obra da salvação. Toda pessoa tem a chance de ser aperfeiçoada: contanto que você esteja disposto, contanto que busque, no fim você será capaz de alcançar este resultado, e nenhum de vocês será abandonado. Se você for de baixo calibre, então Minhas exigências a você também serão de acordo com seu baixo calibre; se você for de grande calibre, Minhas exigências a você serão de acordo com seu grande calibre; se você for ignorante e analfabeto, Minhas exigências serão de acordo com seu analfabetismo; se você for alfabetizado, Minhas exigências a você serão de acordo com o fato de que você é alfabetizado; se você for idoso, Minhas exigências serão de acordo com sua idade; se você for capaz de oferecer hospitalidade, Minhas exigências serão de acordo com esta capacidade; se você disser que não pode oferecer hospitalidade e que só pode realizar certa função, quer seja propagar o evangelho ou cuidar da igreja, ou, ainda, cuidar de outros assuntos gerais, seu aperfeiçoamento por Mim será de acordo com a função que você realiza(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Restaurar a vida normal do homem e levá-lo a um destino maravilhoso”). Isso me comoveu muito, mas também me envergonhou ao mesmo tempo. Eu entendi errado e culpei Deus sem entender a Sua vontade. Na verdade, Deus nunca disse que ele não salvará pessoas de calibre baixo, e seu calibre ou o dever que cumprem não determina como Ele as trata. Ele observa se elas amam e buscam a verdade. Esse é o critério para determinar se elas podem ser salvas. Lembrei-me de uma malfeitora que havia sido expulsa da casa de Deus no passado. Ela parecia ter calibre, e o dever dela inspirava admiração, mas ela também buscava status, oprimia os outros e excluía pessoas com opiniões diferentes. Ela foi podada e tratada repetidas vezes, mas não se arrependeu. Eventualmente, ela foi expulsa. E os falsos líderes e anticristos que têm sido expostos e expulsos nos últimos anos pareciam ter calibre e dons, mas eles não buscavam a verdade. Sempre buscavam status e nome e estavam numa senda contrária a Deus. Não importa quão grande o calibre de alguém possa parecer, quão alto seja seu status, se ele não buscar a verdade, ser exposto e expulso por Deus é uma questão de tempo. Também pensei em alguns irmãos de calibre mediano, cujos deveres não são notáveis, mas eles investem seu coração e assumem o lugar de um ser criado. Quando revelam corrupção, eles vêm para diante de Deus para orar e buscar, para refletir e conhecer a si mesmos por meio das palavras de Deus. Seus caracteres corruptos podem mudar com o tempo. Eu pude sentir como o caráter de Deus é justo quando refleti sobre isso. Deus não trata ninguém injustamente. Não importa a qualidade do nosso calibre, não importa o dever que cumprimos, Deus nutre e rega todos igualmente e estabelece situações para experimentarmos as palavras de Deus e entrarmos na realidade da verdade. A obra de Deus para salvar o homem é tão prática! Depois de entender a vontade de Deus, não resisti mais tanto ao meu dever atual, mas quis me submeter e cumpri-lo.

Mais tarde, li algumas das palavras de Deus. “Hoje, quando vocês cumprem um dever na casa de Deus, seja ele grande ou pequeno, quer envolva trabalho físico ou uso de seu cérebro, seja ele feito fora ou dentro da igreja, o dever que vocês cumprem não é casual. como isso é sua escolha? É dirigido por Deus. É só por causa da comissão de Deus que vocês se motivam, têm esse sentido de missão e responsabilidade, e são capazes de realizar esse dever. Entre os incrédulos, há muitos que são atraentes, inteligentes ou capazes. Mas Deus os favorece? Não, Deus não os escolheu, Deus só favorece vocês, este grupo de pessoas. Ele os faz desempenhar todo tipo de papel, assumir todos os tipos de deveres e responsabilidade em Sua obra de gerenciamento, e quando, finalmente, o plano de gestão de Deus chega ao fim e se completa, que glória e que honra isso será! E assim, ao cumprir seu dever hoje, as pessoas sofrem uma pequena adversidade quando abrem mão de coisas e se despendem, quando pagam um preço, quando perdem status, fama e fortuna no mundo, quando deixam de ter tais coisas, é como se Deus tivesse tirado essas coisas delas — mas elas ganharam algo mais precioso e valioso. O que elas ganharam de Deus? É por meio do cumprimento de um dever que as pessoas ganham a verdade e a vida. Só quando você tiver cumprido bem seu dever, quando tiver completado a comissão de Deus para você, quando viver a vida toda para sua missão e comissão que Deus lhe deu, quando tiver um testemunho lindo e viver uma vida que vale a pena — só então você será uma pessoal real! E por que digo que você é uma pessoa real? Porque Deus escolheu você, permitiu que você realizasse o dever de uma criatura de Deus em Seu gerenciamento, e não pode haver maior valor ou significado na sua vida(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, Parte 3). “Deus não olha para o que você diz ou promete quando está diante de Deus. Deus olha para o que você faz, mas Deus não se importa quão elevadas, misteriosas ou poderosas são as suas ações; mesmo que você faça algo pequeno, se Deus vê sinceridade nas suas ações, Ele diz: ‘Essa pessoa acredita sinceramente em Mim. Ela nunca exagera. Ela se comporta de acordo com a sua posição. E embora possa não ter feito uma grande contribuição para a casa de Deus e seja de calibre baixo, ela é firme em tudo que faz; ela tem sinceridade’. O que inclui essa ‘sinceridade’? Inclui temor e obediência a Deus, bem como fé e amor verdadeiros; inclui tudo o que Deus deseja ver. Para os outros, tais pessoas podem não ser notáveis, pode muito bem ser uma pessoa que faz comida ou faz a faxina, alguém que desempenha um dever comum. Tais pessoas não são notáveis para os outros, não alcançaram nada grande e não há nada de estimável, admirável ou invejável nelas — são apenas pessoas comuns. No entanto, tudo o que Deus quer é encontrado nelas, tudo é vivido nelas, e elas dão tudo a Deus. Que mais vocês acham que Deus quer? Deus está satisfeito(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, Parte 3). As palavras de Deus me mostraram que, não importa o dever que eu receba, ele vem do governo e dos arranjos de Deus. Eu devia me submeter e abordá-lo com meu coração. Não importa qual seja o meu calibre ou o quanto eu seja capaz de fazer, eu devo investir tudo que tenho, dar tudo de mim. Essa é a vontade de Deus e é isso que cumprir o meu dever realmente é.

Depois de tratar dos assuntos gerais por um tempo, vi que não era o trabalho enfadonho que tinha imaginado. Há muitos princípios que devo aprender e nos quais devo entrar nesse dever, e ele exige um coração genuíno que busca a verdade no seu cumprimento. Ganhei muito ao tratar dos assuntos gerais após adquirir alguma prática nisso. Aprendi algumas habilidades e vim a entender alguns princípios, e também experimentei como é prática a salvação de Deus para a humanidade! Esse dever mudou minha perspectiva incorreta que eu tinha em relação aos deveres e me tornei disposta a meu submeter aos arranjos de Deus e a dar tudo de mim no meu dever. Graças a Deus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

O teste de um ambiente difícil

Por Junior, Zimbábue Desde pequeno, eu sempre fui influenciado pela sociedade. Eu gostava de concordar com os outros em tudo que fazia — as...

Julgamento é luz

Por Zhao Xia, Província de Shandong Meu nome é Zhao Xia. Eu nasci em uma família comum. Devido à influencia de ditados como “assim como uma...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp