Não delimitarei mais a Deus

16 de Dezembro de 2022

Por Shi Qi, Taiwan

Eu praticava a fé no Senhor Jesus com minha mãe desde nova e desfrutava da graça abundante Dele. Isso me dava um senso profundo da misericórdia e do amor do Senhor Jesus pela humanidade. Eu estava acostumada a pedir a graça Dele. Sempre que encontrava um problema, eu orava ao Senhor e, quando pecava, eu vinha para diante Dele para confessar. Já que o Senhor é misericordioso e amoroso, Ele sempre perdoava meus pecados.

Um dia, em maio de 2019, conheci a irmã Zhang e irmã Li no Facebook. Participávamos de um grupo de estudos bíblicos, e achei que a comunhão da irmã Li sobre a Bíblia era muito perceptiva. Uma vez durante uma reunião, a irmã Li disse: “O Senhor disse que Ele voltaria nos últimos dias. Quando, então, seremos capazes de acolhê-Lo? O Senhor Jesus disse: ‘As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz(João 10:27). ‘Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo(Apocalipse 3:20). Também: ‘Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas(Apocalipse 2:7). Essas passagens nos mostram que, quando o Senhor voltar nos últimos dias, Ele expressará Suas palavras. Para acolher o Senhor nos últimos dias, é essencial que tentemos ouvir a voz de Deus com atenção. Quando ouvimos a voz de Deus, podemos acolher o Senhor como as virgens sábias”. Fiquei muito surpresa quando ouvi a comunhão da irmã Li. Eu nunca tinha ouvido palavras tão perceptivas. Ela havia identificado a chave para acolher o Senhor. Eu nunca tinha percebido isso antes. Depois disso, a irmã Li me mostrou um vídeo de hinos muito animado. No fim do vídeo, vi as palavras “A Igreja de Deus Todo-Poderoso”, e fiquei curiosa. Quando o estudo bíblico terminou, entrei na internet para pesquisar. Vi muita informação negativa e, às pressas, entrei em contato com a irmã Zhang para saber mais. A irmã Zhang disse que acolher o Senhor é algo muito importante e me encorajou a não dar ouvidos aos boatos. Primeiro eu devia deixar de lado minhas preocupações e buscar com humildade para ver se esse era o caminho verdadeiro. Alguns dias depois, a irmã Zhang me convidou para uma reunião. Eu estava num dilema: eu deveria ir ou não? A comunhão da Vanessa sobre a Bíblia era tão perceptiva que eu queria ouvir mais, mas também temia que o que ela pregava não era o caminho verdadeiro. Em minha hesitação, orei ao Senhor, pedindo a orientação Dele. Depois disso, participei da reunião.

Durante a reunião, a irmã Li disse, muito animada: “O Senhor Jesus já retornou como Deus Todo-Poderoso encarnado. Deus Todo-Poderoso concluiu a Era da Graça e estabeleceu a Era do Reino, expressou milhões de palavras e, com base na obra de redenção do Senhor Jesus, Ele está realizando a obra de julgamento, a começar pela casa de Deus, para purificar e salvar a humanidade. As palavras que Deus Todo-Poderoso expressa são toda a verdade e revelam o mistério da encarnação de Deus, os três estágios de Sua obra e a história dos bastidores da Bíblia. Suas palavras também falam da fonte da pecaminosidade da humanidade, de como Satanás corrompe a humanidade, de como Deus a salva em estágios progressivos e do significado da obra de julgamento de Deus nos últimos dias. Deus também nos mostrou os meios pelos quais os crentes podem alcançar a salvação. Por exemplo, Deus explica como experimentar o julgamento de Suas palavras para livrar-nos da nossa corrupção, como praticar a verdade e sermos pessoas honestas, como temê-lo e evitar o mal para nos tornarmos pessoas que fazem a vontade Dele e muito mais. As palavras e a obra de Deus Todo-Poderoso cumprem a profecia do Senhor Jesus: ‘Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras(João 16:12-13). ‘Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia(João 12:48). ‘Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus(1 Pedro 4:17)”. Quando Eu ouviu a irmã dizer que o Senhor Jesus tinha retornado como Deus Todo-Poderoso encarnado, Eu não ousei acreditar e, então, orei em silêncio a Deus e me lembrei de como Deus disse: “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus(Mateus 5:3). Pensei: “O retorno de Deus é muito importante, não posso tirar conclusões precipitadas. Devo buscar com humildade e continuar a ouvir”.

Depois disso, a irmã Li pediu que eu lesse uma passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso. “Cristo dos últimos dias traz vida e traz o duradouro e perpétuo caminho de verdade. Essa verdade é a senda pela qual o homem ganha vida e a única senda pela qual o homem há de conhecer Deus e ser aprovado por Deus. Se você não busca o caminho de vida providenciado por Cristo dos últimos dias, então jamais ganhará a aprovação de Jesus e nunca estará qualificado para adentrar a porta do reino dos céus, pois é tanto um fantoche quanto um prisioneiro da história. As pessoas controladas por regulamentos, pela letra, e agrilhoadas pela história jamais serão capazes de ganhar vida e de ganhar o caminho perpétuo de vida. Isso porque tudo o que elas têm é água turva à qual se agarraram por milhares de anos em vez da água de vida que flui do trono. Aqueles que não são abastecidos de água de vida continuarão a ser cadáveres para sempre, brinquedos de Satanás e filhos do inferno. Como, então, podem contemplar Deus? Se você só tenta se agarrar ao passado, se só tenta manter as coisas do jeito que estão ficando parado e não tenta mudar o status quo e descartar a história, não estará sempre contra Deus? Os passos da obra de Deus são vastos e poderosos, como vagalhões e trovões encapeladosainda assim você senta e espera passivamente a destruição, persistindo na sua tolice e nada fazendo. Desse modo, como você pode ser considerado alguém que segue os passos do Cordeiro? Como pode justificar o Deus ao qual você se apega como um Deus que é sempre novo e nunca velho? E como as palavras de seus livros amarelados podem transportá-lo para uma nova era? Como elas podem levá-lo a buscar os passos da obra de Deus? E como podem elevá-lo aos céus? O que você tem em suas mãos é a letra que só pode proporcionar conforto passageiro, não as verdades capazes de dar vida. As escrituras que você lê são aquelas que só podem enriquecer sua língua, e não são palavras de filosofia capazes de ajudar você a conhecer a vida humana, muito menos as sendas que podem levá-lo à perfeição. Essa discrepância não lhe dá motivo para reflexão? Ela não lhe permite compreender os mistérios contidos no interior? Você é capaz de, por si próprio, levar a si mesmo ao céu para encontrar Deus? Sem a vinda de Deus, você pode levar a si mesmo ao céu para desfrutar a felicidade de família com Ele? Você ainda está sonhando agora? Então, Eu sugiro que pare de sonhar e olhe para quem está operando agora, para quem está realizando a obra de salvar o homem nos últimos dias. Se não o fizer, você jamais ganhará a verdade e jamais ganhará vida(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Só Cristo dos últimos dias pode dar ao homem o caminho de vida eterna”). Enquanto lia, senti que havia algo de diferente nessas palavras e senti certa reverência por elas: essas palavras eram tão severas, tão mordazes, e cada palavra e frase possuía poder e autoridade. Não pareciam palavras que um mero mortal professaria. Só Deus poderia falar dessa maneira. Mas então também pensei: “Isso não é correto, Deus é misericordioso e amoroso. Suas palavras são consoladoras e brandas. Mas essas palavras são tão severas, são como uma maldição ou condenação da humanidade”. Eu estava num dilema: “Essas são realmente as palavras de Deus? Elas possuem tanta autoridade, portanto, devem ser as palavras de Deus, certo? Mas se Deus Todo-Poderoso realmente é o Senhor Jesus retornado, Ele deveria falar igual a Ele. Ele deveria ser misericordioso e amoroso, e Suas palavras deveriam ser brandas e atenciosas. Mas a fala de Deus Todo-Poderoso é muitosevera. Ele poderia realmente ser o Senhor Jesus retornado?”. Eu estava muito confusa.

Depois disso, compartilhei minhas dúvidas com a irmã Li e ela comungou pacientemente comigo, dizendo: “Sempre acreditamos que Deus é misericordioso e amoroso, que Ele fala conosco de modo brando e atencioso, e assim, quando Suas palavras são severas, elas não são palavras de Deus. Mas essa ideia realmente condiz com os fatos e a verdade? Na verdade, em cada era, Deus não falou só palavras atenciosas e encorajadoras, mas também palavras que repreendem, julgam e amaldiçoam as pessoas. É que não temos dado atenção a isso. Vejamos como isso está registrado na Bíblia: Deus Jeová disse: ‘Todos os seus atalaias são cegos, nada sabem; todos são cães mudos, não podem ladrar; deitados, sonham e gostam de dormir. E estes cães são gulosos, nunca se podem fartar; e eles são pastores que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, todos sem exceção(Isaías 56:10-11). E o Senhor Jesus disse: ‘Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno?(Mateus 23:33). ‘Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, para não acontecer que as calquem aos pés e, voltando-se, vos despedacem(Mateus 7:6). Há muitos outros versículos iguais a esses. Esses versículos nos mostram que, na Era da Lei e na Era da Graça, Deus repreendeu, condenou e amaldiçoou as pessoas. Embora Suas palavras soassem severas e nos ferissem, todas elas eram verdadeiras e expunham a substância das pessoas de resistirem a Deus e revoltarem-se contra Ele. Na verdade, não importa se as palavras de Deus são meigas ou severas, todas elas são expressões do caráter de Deus. Se não entendermos o caráter de Deus e O delimitarmos como misericordioso e bondoso, formaremos certas opiniões quando Ele fala severamente, achando que Deus só fala de forma meiga e não deveria falar em tom tão severo, e que, portanto, tais palavras não poderiam ser de Deus. Condicionar nossa decisão em palavras brandas ou severas é errado e é uma consequência das nossas noções e crenças. Por exemplo, se reconhecêssemos nossos pais apenas quando falassem amavelmente conosco, mas não os reconhecêssemos como nossos pais quando fossem duros ou nos repreendessem por termos errado em algo, isso não seria tolo?”. Depois de ouvir a comunhão da irmã, tive uma clareza maior. Eu pensei: “Ela está certa, não importa se nossos pais falem meiga ou severamente conosco, eles não continuam sendo nossos pais? Deus Jeová e o Senhor Jesus já falaram severamente no passado, por que não percebi isso antes? Suponho que seja errado determinar se essas são as palavras de Deus com base na brandura ou severidade delas”. Quando percebi isso, minha resistência diminuiu. Mas sempre que lia passagens das palavras de Deus que expunham e julgavam a humanidade, eu ficava angustiada, como se estivesse sendo condenada. Eu continuava indecisa: O Senhor Jesus é misericordioso e amoroso, por que, então, Deus Todo-Poderoso é tão duro e sempre se irrita com as pessoas? Uma vez, durante uma reunião, perguntei a uma irmã: “Não consigo ver Deus Todo-Poderoso e o Senhor Jesus como sendo o mesmo Deus. Os caracteres deles são diferentes demais. Quando imagino o Senhor Jesus, eu penso em como Deus é misericordioso e amoroso, mas Deus Todo-Poderoso parece ser tão severo, e muito do que Ele diz expõe e disseca as pessoas. Por que Deus Todo-Poderoso e o Senhor Jesus são tão diferentes?”.

A irmã comungou, dizendo: “As pessoas costumam ficar confusas com isso, principalmente porque não entendem o caráter de Deus. Analisemos a obra anterior de Deus. Assim que tivermos algum entendimento do caráter justo de Deus, esse problema se resolverá. Todos nós sabemos que, quando Deus percebeu as maldades das pessoas de Sodoma e Nínive, Seu caráter se enfureceu e Ele decidiu destruir essas duas cidades. Antes de destruí-las, Deus enviou dois anjos a Sodoma, e Ló foi o único que os hospedou. Os outros habitantes não só não acolheram os anjos, como até quiseram matá-los. Deus viu as maldades deles e se enfureceu. Depois de os anjos salvarem Ló e sua família, Deus fez chover fogo dos céus, destruindo todo o povo, os animais e as plantas na cidade. Analisemos agora Nínive. Deus também planejava destruir aquela cidade e enviou Jonas para transmitir esta mensagem: ‘Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida(Jonas 3:4). Quando o rei de Nínive ouviu essa mensagem, ele conduziu seu povo a se vestir com sacos, a se sentar em cinzas, jejuar e orar, renunciando ao mal que tinham adotado e se arrepender diante de Deus. Quando Deus viu isso, Ele retirou a Sua ira e poupou o povo da destruição. As diferentes atitudes de Deus em relação a Nínive e Sodoma nos mostra que o caráter de Deus é real e vívido. Ele não é só amoroso e misericordioso, mas também majestoso e irado. Quando as pessoas pecam, Ele lhes dá uma chance de se arrepender, manifestando Seu caráter amoroso e misericordioso. Quando as pessoas são teimosas e não querem se arrepender, quando resistem obstinadamente a Deus e clamam contra Ele, Deus lança Sua fúria contra elas, manifestando Seu caráter justo e majestoso. Isso nos permite ver que o caráter justo de Deus não é só amoroso e misericordioso, mas também majestoso e irado. Ambos os aspectos estão contidos no caráter inerente de Deus.

Vejamos agora a Era da Graça, em que o Senhor Jesus fez a Sua obra. Quando as pessoas pecavam e vinham para diante do Senhor para confessar e se arrepender, Ele as absolvia de seus pecados e lhes concedia graça abundante, por isso muitas pessoas acreditam que o caráter do Senhor é somente amoroso e misericordioso, e não irado e amaldiçoador. Na verdade, essas são apenas noções e imaginações das pessoas. No que diz respeito aos fariseus que condenaram e resistiram ao Senhor e protestaram contra Ele abertamente, o Senhor Jesus Se encheu de ira. Ele os condenou e amaldiçoou e pronunciou sete ais contra eles. Ele não teve misericórdia nenhuma com eles. Isso nos mostra que, desde a criação até o presente, Deus sempre expressou Seu caráter justo à humanidade. Deus é amoroso e misericordioso, mas também é majestoso, irado, amaldiçoador e punidor. É como diz Deus Todo-Poderoso: ‘A misericórdia e a tolerância de Deus existem de fato, mas a santidade e a justiça de Deus quando Ele libera Sua ira também mostram ao homem o lado de Deus que não tolera ofensa. Quando o homem é plenamente capaz de obedecer às ordens de Deus e agir de acordo com as exigências de Deus, Deus é abundante em Sua misericórdia para com o homem; quando o homem está cheio de corrupção, ódio e inimizade por Ele, Deus fica profundamente irado. Até que ponto Ele está profundamente irado? Sua ira durará até que Deus não veja mais a resistência e os atos malignos do homem, até que eles não estejam mais diante de Seus olhos. Só então a ira de Deus desaparecerá. […] Ele é tolerante e misericordioso com as coisas que são gentis, belas e boas; em direção a coisas que são más, pecaminosas e iníquas, Ele é profundamente irado, de tal forma que Ele é incessante em Sua ira. Esses são os dois aspectos principais e mais proeminentes do caráter de Deus e, além disso, foram revelados por Deus do começo ao fim: misericórdia abundante e ira profunda(A Palavra, vol. 2: Sobre conhecer a Deus, “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus II”). As palavras de Deus nos mostram que ‘misericórdia abundante e ira profunda’ são os dois aspectos do caráter de Deus que Ele manifesta sempre à humanidade. Esses dois aspectos do Seu caráter não são contraditórios. Fazem parte de Seu caráter inerente. Não devemos delimitar Deus como sendo só capaz de conceder misericórdia e não infligir ira com base no fato de que desfrutamos de Sua graça no passado. Esse tipo de entendimento é unilateral demais”. Quando ouvi isso, percebi que Deus não é só amoroso e misericordioso, mas também majestoso, irado e amaldiçoador. Todos esses são aspectos do caráter inerente de Deus. Era porque eu entendia muito pouco do caráter de Deus que eu tinha adotado a crença unilateral de que Deus é somente misericordioso e amoroso. Essas eram minhas noções e imaginações e não condiziam com a realidade. Percebi que eu precisava ouvir mais comunhão para aprofundar meu entendimento.

A irmã continuou sua comunhão, dizendo: “O caráter que Deus manifesta em cada era se baseia nas exigências da obra de salvação de Deus e nas necessidades da humanidade corrupta. Estas duas passagens das palavras de Deus Todo-Poderoso esclarecem isso para nós: ‘A obra que Jesus fez estava de acordo com as necessidades do homem naquela era. Sua tarefa era redimir a humanidade, perdoá-la de seus pecados, e assim Seu caráter era totalmente de humildade, paciência, amor, piedade, tolerância, misericórdia e benignidade. Ele trouxe à humanidade graça e bênçãos abundantes e todas as coisas de que as pessoas poderiam desfrutar, Ele lhes deu para o seu deleite: paz e felicidade, Sua tolerância e Seu amor, Sua misericórdia e benignidade. Naquele tempo, a abundância de coisas para desfrutar com as quais as pessoas se deparavama sensação de paz e segurança dentro de seu coração, o sentimento de tranquilidade dentro de seu espírito e a dependência em Jesus, o Salvadoreram todas devidas à era em que viviam(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “A verdadeira história por trás da obra da Era da Redenção”). ‘Em Sua obra final de concluir a era, o caráter de Deus é o de castigo e julgamento, o qual revela tudo que é injusto, julga publicamente todas as pessoas e aperfeiçoa as que O amam de verdade. Só um caráter como esse pode levar a era a um fim. Os últimos dias já chegaram. Todas as coisas serão separadas segundo sua espécie e divididas em categorias diferentes com base em sua natureza. Esse é o momento em que Deus revela o desfecho e o destino das pessoas. Se as pessoas não passarem por castigo e julgamento, não haverá como revelar a desobediência e a injustiça delas. Só através do castigo e do julgamento é que o fim de todas as coisas pode ser revelado. O homem só mostra quem realmente é quando é castigado e julgado. O mau deve ser colocado com o mau, o bom com o bom, e as pessoas serão separadas de acordo com a sua espécie. Através do castigo e do julgamento, o fim de todas as coisas será revelado, de modo que o mal será punido e o bem será recompensado, e todas as pessoas se tornarão submissas sob o domínio de Deus. Toda a obra deve ser realizada através de castigo e julgamento justos. Como a corrupção humana atingiu o ápice e a desobediência tem sido grave demais, só o caráter justo de Deus, que é principalmente o de castigo e julgamento e revelado durante os últimos dias, pode transformar e completar o homem plenamente. Só esse caráter pode expor o mal e dessa forma punir severamente todos os injustos. Portanto, um caráter como esse é imbuído da significância da era, e a revelação e a exibição de Seu caráter se dão por causa da obra de cada nova era. Deus não revela Seu caráter de forma arbitrária e sem significado. Se, quando o fim do homem é revelado durante os últimos dias, Deus ainda lhe conceder compaixão e amor inesgotáveis, se Ele ainda amar o homem, se não o sujeitar a um julgamento justo, mas lhe demonstrar tolerância, paciência e perdão, se Ele ainda perdoar não importando que pecados graves o homem comete, sem qualquer julgamento justo: quando, então, haveria algum dia um fim para todo o gerenciamento de Deus? Quando um caráter como esse seria capaz de levar a humanidade ao destino certo? Considere, por exemplo, um juiz sempre amoroso, bondoso e gentil. Ele ama as pessoas sem considerar os crimes que cometeram, é amoroso e tolerante seja com quem for. Quando esse juiz será capaz de chegar a um veredicto justo? Durante os últimos dias, só o julgamento justo pode separar o homem e trazê-lo para um novo reino. Dessa forma, toda a era é levada a um fim através do justo caráter de Deus de julgar e castigar’” (A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “A visão da obra de Deus (3)”).

A irmã comungou, dizendo: “Na Era da Lei, Deus Jeová Se expressou com caracteres dominados por maldições, fogo e ira. Naquele tempo, as pessoas careciam demais de entendimento. Não sabiam o que era pecado, como deveriam viver, nem como adorar a Deus. Assim, com base em suas necessidades na época, Deus emitiu leis e mandamentos para guiar as pessoas em sua vida. Aqueles que obedeciam às leis de Deus recebiam Sua misericórdia, mas os que violavam a lei eram queimados pelo fogo celestial de Deus ou apedrejados até a morte. No entanto, no fim da Era da Lei, as pessoas se tornaram cada vez mais corruptas e pecavam e violavam a lei sem querer, de modo que todas elas teriam sido mortas sob a lei se suas ações fossem julgadas pela lei daquele tempo. Assim, durante a Era da Graça, o Próprio Deus se tornou carne para redimir a humanidade de acordo com as necessidades dela, manifestando Seu caráter misericordioso e amoroso e concedendo graça abundante às pessoas. Ele as tratou com amor e misericórdia ilimitados, tolerou e perdoou os pecados delas e, no fim, foi crucificado para redimir os pecados de todas as pessoas. Ele perdoou sentenças e permitiu que continuassem vivas. Na Era da Graça, se Deus tivesse continuado a expressar Seu caráter na forma de maldições, fogo e ira, os pecados das pessoas nunca teriam sido perdoados, as pessoas nunca teriam sido redimidas sob a lei e a humanidade teria sido reduzida a nada e não estaria onde está hoje. Assim, Deus expressou Seu caráter misericordioso e amoroso na Era da Graça. Contanto que as pessoas viessem para diante Dele e aceitassem Sua redenção, Ele perdoava os pecados delas. Nos últimos dias, as pessoas têm se tornado cada vez mais corruptas. Mesmo tendo recebido a redenção do Senhor Jesus e o perdão de nossos pecados, nossa natureza pecaminosa, tais como arrogância, traição, maldade, intransigência e crueldade, ainda está enraizada em nós. Nosso caráter satânico ainda não foi totalmente erradicado e assim continuamos mentindo, pecando, nos revoltando e resistindo a Deus. Ainda não estamos qualificados a entrar no reino de Deus. Para salvar a humanidade e nos livrar do pecado, Deus encarnou mais uma vez, está realizando a obra de julgamento e purificação com base na obra do Senhor Jesus para arrancar nossos caracteres satânicos, purificar-nos do pecado e permitir que nos submetamos e reverenciemos a Deus e, no fim, levar-nos para o Seu reino. Devido às necessidades de Sua obra, Deus não expressa mais Seu caráter misericordioso e amoroso. Em vez disso, opta por manifestar Seu caráter justo, majestoso e irado para julgar e expor os caracteres corruptos do homem. Só assim Ele pode transformar e purificar a humanidade. Embora o caráter que Deus manifesta em cada era seja diferente, a essência de Deus nunca muda. Deus faz Sua obra e revela Seu caráter de acordo com as necessidades da humanidade corrupta, permitindo que as pessoas entendam e conheçam Deus melhor para que não delimitem Ele nem Seu caráter. Não devemos pensar que Deus Todo-Poderoso e o Senhor Jesus não são o mesmo Deus só porque eles expressam caracteres diferentes”.

Foi só depois de ouvir a comunhão da irmã que percebi que Deus decide que tipo de caráter Ele deve manifestar em cada era com base nas exigências de Sua obra de salvação e nas necessidades da humanidade corrupta. Em Sua obra de julgamento nos últimos dias, Deus Todo-Poderoso manifesta Seu caráter justo e majestoso para purificar e salvar a humanidade. Embora o caráter que Ele expresse seja diferente do caráter do Senhor Jesus, ele se manifesta para tratar das necessidades da humanidade corrupta. Deus Todo-Poderoso e o Senhor Jesus são o mesmo Deus. A comunhão da irmã foi muito clara e dissipou toda a minha confusão.

Na reunião seguinte, a irmã Li leu outra passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso para mim: “Por quais meios o aperfeiçoamento do homem por Deus é realizado? É realizado por meio de Seu caráter justo. O caráter de Deus consiste principalmente em justiça, ira, majestade, julgamento e maldição, e Ele aperfeiçoa o homem principalmente por meio do Seu julgamento. Algumas pessoas não entendem e perguntam por que Deus só é capaz de aperfeiçoar o homem por meio do julgamento e da maldição. Dizem: ‘Se Deus amaldiçoasse o homem, o homem não morreria? Se Deus julgasse o homem, ele não estaria condenado? Como, então, ele ainda pode ser aperfeiçoado?’. Tais são as palavras das pessoas que não conhecem a obra de Deus. O que Deus amaldiçoa é a desobediência do homem e o que Ele julga são os pecados do homem. Embora Ele fale dura e implacavelmente, Ele revela tudo o que está dentro do homem, revelando por meio dessas palavras severas o que é substancial dentro do homem, mas, por meio de tal julgamento, Ele proporciona ao homem um profundo conhecimento da substância da carne e, assim, o homem se submete diante de Deus. A carne do homem é do pecado e de Satanás, ela é desobediente e objeto do castigo de Deus. Assim, a fim de permitir que o homem se conheça, as palavras do julgamento de Deus devem vir sobre ele, e todo tipo de refinamento deve ser empregado; só então a obra de Deus pode ser eficaz(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a amabilidade de Deus”). Foi exatamente isso que a irmã Li disse na comunhão dela. Ela disse: “Nos últimos dias, a obra de julgamento é o último passo de obra na salvação de Deus para a humanidade e é a conclusão de Seu plano de gerenciamento de seis mil anos. Ao expressar Seu caráter justo e majestoso, Ele está encerrando toda a era e separando cada um de acordo com a sua espécie, os bons com os bons, e os maus com os maus. Se Deus só expressasse Seu caráter misericordioso e amoroso, sempre nos tolerando, sendo paciente e nos perdoando, independentemente dos pecados que cometemos, nós nunca nos livraríamos da nossa pecaminosidade e permaneceríamos sujeitos ao domínio e às devastações de Satanás. A obra de salvação de Deus também nunca seria concluída e o bem e o mal nunca seriam corretamente distinguidos. Assim, nos últimos dias, Deus expressa Seu caráter justo, majestoso e irado em Sua obra e expõe a natureza satânica das pessoas com Sua linguagem severa. Aqueles que amam a verdade conhecem a si mesmos e aceitam o julgamento das palavras de Deus, entendem o caráter justo de Deus que não tolera ofensa e, assim, desenvolvem reverência por Deus e evitam o mal, alcançando mudança de caráter. Quanto àqueles que estão fartos da verdade e rejeitam o julgamento e castigo de Deus, eles são expostos e expulsos por Deus. Dessa forma, todos são classificados segundo a espécie de cada um”.

Percebi que, se Deus Todo-Poderoso fizesse Sua obra de julgamento nos últimos dias da mesma forma como o Senhor Jesus fez Sua obra de redenção, só mostrando misericórdia e amor pelas pessoas sem ser severo e sem julgá-las, Ele seria incapaz de classificar cada um segundo a própria espécie, nossa natureza pecaminosa que resiste a Deus nunca seria resolvida e nós nunca seríamos salvos nem entraríamos no reino de Deus. Portanto, há um significado profundo no fato de Deus expressar um caráter caracterizado por justiça, majestade, julgamento e castigo nos últimos dias!

Mais tarde, lemos duas passagens das palavras de Deus Todo-Poderoso, que nos deram um entendimento ainda melhor da obra de Deus Todo-Poderoso e do caráter que Ele expressa nos últimos dias. “Hoje, Deus os julga, castiga e condena, mas saiba que o sentido da sua condenação é para que você possa se conhecer. Ele condena, amaldiçoa, julga, castiga para que você se conheça, para que seu caráter possa mudar e, além disso, para que você possa conhecer seu valor e ver que todas as ações de Deus são justas e de acordo com Seu caráter e as necessidades de Sua obra, que Ele opera de acordo com Seu plano para a salvação do homem, e que Ele é o Deus justo que ama, salva, julga e castiga o homem. […] Deus não veio para matar nem para destruir, mas para julgar, amaldiçoar, castigar e salvar(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Vocês deveriam pôr de lado as bênçãos do status e entender a vontade de Deus de trazer a salvação ao homem”). “Embora Minhas palavras possam ser severas, todas são ditas para a salvação do homem, pois só estou falando palavras e não punindo a carne do homem. Essas palavras fazem o homem viver na luz, saber que a luz existe, saber que a luz é preciosa e, ainda mais, saber quão benéficas elas são para ele e saber que Deus é salvação. Ainda que Eu tenha dito muitas palavras de castigo e julgamento, elas não foram de fato aplicadas a vocês. Vim fazer a Minha obra, dizer Minhas palavras, e, embora possam ser severas, elas são ditas em julgamento da corrupção e da rebeldia de vocês. O propósito de Eu fazer isso continua sendo salvar o homem do império de Satanás; estou usando as Minhas palavras para salvar o homem. Meu propósito não é fazer mal ao homem com as Minhas palavras. Minhas palavras são severas para alcançar resultados na Minha obra. Só por meio dessa obra o homem poderá se conhecer e se livrar de seu caráter rebelde(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Vocês deveriam pôr de lado as bênçãos do status e entender a vontade de Deus de trazer a salvação ao homem”). A irmã Li comungou, dizendo: “As palavras de Deus nos mostram que, nos últimos dias, Deus usa Suas palavras para julgar e purificar as pessoas. Não importa quão duras e mordazes Suas palavras possam ser, todas elas visam a ajudar-nos reconhecer a verdade da nossa corrupção, a livrar-nos da influência sombria de Satanás e a receber a salvação de Deus. Todos nós sabemos que o caráter de Deus é justo e santo, enquanto nós humanos, que fomos corrompidos profundamente por Satanás, buscamos tendências mundanas malignas e lutamos e tramamos uns contra os outros na busca por dinheiro e lucro individual, sem a menor semelhança de uma pessoa real. Até aqueles que creem no Senhor não conseguem praticar o que Deus exige e muitas vezes exigem graça e bênçãos de Deus. Qualquer contribuição que fazem é só para entrar no céu e ganhar vida eterna, não porque amam o Senhor e buscam satisfazê-Lo. Fazem tudo só para usar o Senhor para alcançar seus objetivos desprezíveis. Alguns líderes religiosos, por fora, parecem ser servos humildes, pacientes e entusiasmados de Deus, mas nos sermões eles exaltam e testificam de si mesmos para ganhar a admiração e o respeito dos outros. Quando Deus reencarnou e apareceu para realizar a Sua obra, ninguém O acolheu e todo o mundo religioso se associou ao governo ateu para condenar e resistir ao retorno Dele, espalhando mentiras para desacreditar a Igreja de Deus Todo-Poderoso e impedir que as pessoas investigassem o caminho verdadeiro. Isso significa que toda a humanidade tem condenado e resistido a Deus e rejeitado a Sua vinda. É como diz a Bíblia: ‘O mundo inteiro jaz no maligno(1 João 5:19). A humanidade corrompida se opõe a Deus de todos os jeitos. Todos eles são da laia de Satanás e serpentes venenosas. Quando Deus expressa Suas palavras severas para expor a realidade da corrupção da humanidade, só aqueles que amam a verdade conseguem reconhecer a própria natureza satânica que resiste e trai a Deus e perceber que eles não buscam conhecer a Deus em sua fé e que eles só têm intenções baixas, como ganhar bênçãos e negociar com Deus. Veem a terrível verdade de sua corrupção profunda por Satanás, se arrependem diante de Deus, juram agir de acordo com as exigências de Deus e, por fim, ganham alguma semelhança humana. Isso nos mostra que, por mais severas e mordazes que sejam as palavras de Deus, todas elas expõem a realidade da nossa corrupção e todas elas pretendem nos ajudar a reavivar nosso espírito entorpecido, a reconhecer nossa essência corrupta, a nos livrar dos grilhões do pecado e a nos purificar. As palavras severas de exposição e julgamento de Deus são muito benéficas em nosso processo de conhecer a nós mesmos e de ser salvos!”.

Depois de ouvir a comunhão da irmã Li, finalmente percebi que Deus expressou tantas palavras severas nos últimos dias para expor nosso ego verdadeiro. Essa é a Sua salvação, não condenação. Pensei em como eu só acreditava em Deus para ganhar graça e bênçãos e até delimitava Deus como misericordioso e meigo e em como eu não O reconhecia quando Ele falava duramente. Eu era tão irracional! A partir de então, fui capaz de aceitar as palavras severas e julgadoras de Deus e me dispus ainda mais a ler as palavras de Deus Todo-Poderoso. Adquiri a certeza de que Deus Todo-Poderoso era o Senhor Jesus retornado.

Após confirmar que a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias era verdadeira, eu participei ativamente das reuniões e li as palavras de Deus Todo-Poderoso todos os dias. Um dia, vi uma passagem das palavras de Deus. “Se as pessoas permanecerem presas à Era da Graça, então nunca se livrarão de seu caráter corrupto, muito menos conhecerão o caráter inerente de Deus. Se as pessoas viverem sempre em meio a uma abundância de graça, mas não tiverem o caminho da vida, que lhes permite conhecer Deus ou O satisfazer, elas nunca O ganharão verdadeiramente na sua crença Nele. Esse tipo de crença é realmente lamentável. Quando você tiver terminado de ler este livro, quando tiver experimentado cada passo da obra do Deus encarnado na Era do Reino, você sentirá que os desejos que teve por muitos anos foram finalmente realizados. Sentirá que só agora você viu verdadeiramente Deus face a face, só agora você olhou para o Seu semblante, ouviu Suas declarações pessoais, apreciou a sabedoria da Sua obra e verdadeiramente sentiu quão real e poderoso Ele é. Você sentirá que ganhou muitas coisas que as pessoas nos tempos passados nunca haviam visto nem possuído. Nesse momento, você saberá claramente o que é acreditar em Deus e o que é se conformar à Sua vontade. Naturalmente, se você se apegar às opiniões do passado e rejeitar ou negar o fato da segunda encarnação de Deus, então permanecerá de mãos vazias, não adquirirá nada e finalmente será declarado culpado de opor-se a Deus. Aqueles que são capazes de obedecer à verdade e se submeter à obra de Deus hão de ser reivindicados sob o nome do segundo Deus encarnadoo Todo-Poderoso. Eles serão capazes de aceitar a orientação pessoal de Deus, ganhando verdades superiores e maiores, assim como a vida real. Eles contemplarão a visão jamais vista pelas pessoas do passado: ‘E voltei-me para ver quem falava comigo. E, ao voltar-me, vi sete candeeiros de ouro, e no meio dos candeeiros um semelhante a Filho de homem, vestido de uma roupa talar, e cingido à altura do peito com um cinto de ouro; e a Sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve; e os Seus olhos como chama de fogo; e os Seus pés, semelhantes a latão reluzente que fora refinado numa fornalha; e a Sua voz como a voz de muitas águas. Tinha Ele na Sua destra sete estrelas; e da Sua boca saía uma aguda espada de dois gumes; e o Seu rosto era como o sol, quando resplandece na sua força’ (Apocalipse 1:12-16). Essa visão é a expressão do completo caráter de Deus e a expressão de Seu caráter completo é também a expressão da obra de Deus em Sua presente encarnação. Nas torrentes dos castigos e julgamentos, o Filho do homem expressa Seu caráter inerente por meio das declarações, permitindo a todos aqueles que aceitam Seu castigo e julgamento que vejam o rosto verdadeiro do Filho do homem, o qual é uma representação fiel do rosto do Filho do homem visto por João. (É claro que tudo isso será invisível àqueles que não aceitam a obra de Deus na Era do Reino.) O verdadeiro rosto de Deus não pode ser plenamente articulado usando linguagem humana e assim Deus usa o meio pelo qual Ele expressa Seu caráter inerente para mostrar Seu verdadeiro rosto ao homem(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Prefácio”). Por meio das palavras de Deus, percebi que a visão que João teve em Apocalipse prenunciou como as palavras de julgamento de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias são iguais à chama do fogo ou como uma espada cortante e estão repletas do caráter justo de Deus. Só aqueles que aceitam a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias conseguem entender o caráter justo de Deus e apreciar Sua intenção sincera ao usar Suas palavras para julgar e salvar a humanidade. Eu fiquei profundamente comovida com minha percepção: “Deus Todo-Poderoso! Por meio da exposição e do julgamento das Tuas palavras, reconheci que Tu és não só amoroso e misericordioso, mas também majestoso e irado. Todos esses são aspectos do Teu caráter justo inerente. Deus Todo-Poderoso! Tuas palavras são tão preciosas. Eu preciso aceitar o julgamento e castigo das Tuas palavras para conhecer a mim mesma. A partir de agora, beberei e comerei Tuas palavras com diligência, aceitarei o julgamento e castigo das Tuas palavras e trilharei a senda de buscar a verdade!”.

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Uma bifurcação na estrada

Por Li Yang, China Eu nasci no interior e cresci numa família pobre. Meus pais eram camponeses simplórios e sofriam muito bullying. Como...

Conecte-se conosco no Messenger