7. Os crentes em Deus devem se preparar para seu destino com boas ações suficientes

Palavras de Deus relevantes:

Minha misericórdia se expressa naqueles que Me amam e negam a si mesmos. A punição que ocorre aos perversos, entrementes, é precisamente a prova de Meu caráter justo e, mais ainda, testemunho da Minha ira. Quando o desastre vier, todos aqueles que a Mim se opõem prantearão ao caírem vitimados por fome e peste. Aqueles que cometeram toda espécie de perversidade, mas Me seguiram por muitos anos, não escaparão de pagar por seus pecados; eles, também, cairão no desastre, de um tipo raramente visto ao longo de milhões de anos, e viverão num constante estado de pânico e pavor. E aqueles dos Meus seguidores que mostraram lealdade a Mim hão de regozijar e aplaudir Meu poder. Eles experimentarão inefável contentamento e viverão numa alegria que nunca antes concedi ao ser humano. Porque Eu prezo as boas ações dos homens e abomino suas más obras. Desde que comecei a conduzir a humanidade, tenho esperado ardentemente ganhar um grupo de homens da mesma opinião que Eu. Aqueles cuja opinião é diferente da Minha, no entanto, deles nunca Me esqueci; sempre os odeio no Meu coração, esperando a chance de lhes administrar a Minha retribuição, o que Me dará satisfação de ver. Agora Meu dia finalmente chegou, e não preciso esperar mais!

Minha obra final não tem por objetivo apenas punir os homens, mas também arranjar o destino deles. E, mais ainda, o objetivo é que todas as pessoas possam reconhecer Meus feitos e ações. Quero que todas as pessoas vejam que tudo o que fiz é correto e que tudo o que fiz é expressão do Meu caráter. Não foi ação do homem, muito menos da natureza, que trouxe o ser humano à existência, mas Eu, que nutro todo ser vivo na criação. Sem a Minha existência, a humanidade só perecerá e sofrerá o flagelo das calamidades. Nenhum ser humano tornará a ver a beleza do sol e da lua nem o mundo verde; a humanidade encontrará somente a noite gélida e o vale implacável da sombra da morte. Eu sou a única salvação da humanidade. Sou a única esperança da humanidade e, mais ainda, sou Aquele sobre quem se baseia a existência de toda a humanidade. Sem Mim, a humanidade imediatamente ficará paralisada. Sem Mim, a humanidade sofrerá uma catástrofe e será espezinhada por toda espécie de espectros, ainda que ninguém atente para Mim. Eu fiz uma obra que mais ninguém pode fazer, e Minha única esperança é que o homem seja capaz de Me retribuir com algumas boas ações. Embora poucos tenham sido capazes de Me retribuir, ainda assim Eu concluirei a Minha jornada no mundo humano e começarei a próxima etapa da Minha obra reveladora, porque toda a Minha correria de um lado a outro destes muitos anos em meio aos homens foi proveitosa, e estou muito satisfeito. Não Me importo com o número de pessoas, mas com suas boas ações. Em todo caso, espero que vocês preparem boas ações suficientes para seu destino próprio. Com isso, ficarei satisfeito; do contrário, nenhum de vocês escapará do desastre que lhes sucederá. O desastre tem origem em Mim e, claro, é por Mim orquestrado. Se vocês não conseguirem parecer bons aos Meus olhos, não escaparão de sofrer o desastre. No meio da tribulação, seus atos e feitos não foram considerados de todo apropriados, pois sua fé e seu amor eram vazios e vocês só mostraram ser tímidos ou durões. Quanto a isso, Meu julgamento será só de bom ou mau. Meu interesse continua a ser o modo com que cada um de vocês age e se expressa, com base nisso, determinarei o seu fim. Todavia, devo deixar claro: para com aqueles que não Me ofereceram sequer um pingo de lealdade durante tempos de adversidade, Eu não terei mais misericórdia, pois Minha misericórdia vai só até esse ponto. Não tenho apreço algum, além disso, por quem quer que já tenha Me traído, muito menos gosto de Me associar com quem trai os interesses de seus amigos. Esse é Meu caráter, seja quem for a pessoa. Eu devo lhes dizer isto: qualquer um que partir Meu coração não receberá clemência de Mim pela segunda vez, e qualquer um que tiver sido fiel a Mim ficará para sempre no Meu coração.

Extraído de ‘Prepare boas ações suficientes para o seu destino’ em “A Palavra manifesta em carne”

Só espero que, na última etapa da Minha obra, vocês serão capazes de entregar sua mais impressionante atuação, e que serão completamente devotos, e não mais indiferentes. É claro que também desejo que todos vocês tenham um bom destino. Todavia, ainda tenho Minha exigência, que é que vocês tomem a melhor decisão em Me ofertarem sua devoção exclusiva e definitiva. Se não tiver essa devoção exclusiva, a pessoa certamente virará tesouro de Satanás, e Eu não mais Me utilizarei dela, mas hei de mandá-la para casa, para seus pais cuidarem dela.

Extraído de ‘Sobre o destino’ em “A Palavra manifesta em carne”

Vocês devem cumprir seu dever o melhor que puderem, de coração aberto e honesto, e estar dispostos a pagar o preço que for preciso. Como vocês disseram, quando o dia chegar, Deus não será remisso com alguém que sofreu ou pagou um preço por Ele. Essa é uma convicção do tipo que vale a pena manter, e vocês não deveriam esquecê-la jamais. Somente assim posso acalmar-Me quanto a vocês. Caso contrário, nunca conseguirei acalmar-Me com relação a vocês, e sempre serão objeto da Minha aversão. Se todos vocês puderem seguir sua consciência e dar tudo de si por Mim, se não pouparem esforços pela Minha obra e devotarem uma vida inteira de esforço à Minha obra do evangelho, então Meu coração não pulará de alegria por vocês com frequência? Desse jeito, conseguirei acalmar-Me por completo a respeito de vocês, não é mesmo?

Extraído de ‘Sobre o destino’ em “A Palavra manifesta em carne”

Se buscar o caminho da verdade o agrada, então você é alguém que habita sempre na luz. Se você fica muito contente em ser um servidor na casa de Deus, trabalhando diligente e conscienciosamente no anonimato, sempre dando e nunca tirando, então digo que você é um santo leal, porque não busca recompensa e está simplesmente sendo honesto. Se você estiver disposto a ser sincero, se estiver disposto a despender tudo de si, se for capaz de sacrificar sua vida por Deus e ser firme em seu testemunho, se você for honesto a ponto de somente saber satisfazer a Deus sem considerar a si mesmo ou tomar para si mesmo, então digo que tais são pessoas nutridas na luz e que viverão para sempre no reino.

Extraído de ‘Três admoestações’ em “A Palavra manifesta em carne”

Trechos de sermão e comunhão para referência:

As boas ações são um testemunho de que alcançamos salvação e são uma manifestação da nossa entrada na verdade e na realidade da palavra de Deus. Se tivermos preparado muitas boas ações, isso significa que nos tornamos uma nova pessoa diante de Deus e que temos um verdadeiro testemunho no aspecto de ser um homem real. Nossas boas ações são o que demonstram que verdadeiramente nos arrependemos; se tivermos preparado muitas boas ações, isso significa que possuímos uma semelhança humana verdadeira. Se você acredita em Deus há muitos anos, mas não realizou muitas boas ações, então você possui semelhança humana? Você tem consciência e razão? Você é alguém que retribui o amor de Deus? Onde está a sua verdadeira fé? Onde está o seu coração de amor e obediência a Deus? Qual é a realidade na qual você entrou? Você não tem nada disso. Portanto, uma pessoa que não pratica boas ações é alguém que não ganha nada de sua crença em Deus. É alguém que simplesmente não alcançou salvação de Deus, alguém cuja corrupção é tão profunda que não mudou nem um pouco. As boas ações realmente elucidam isso.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

O que são boas ações suficientes? Podemos dizer que qualquer dever que o homem possa ou deva cumprir em sua experiência da obra de Deus, e qualquer coisa que Deus exija do homem — se o homem puder fazer essas coisas e for capaz de satisfazer a Deus, então pode-se dizer que são boas ações. Se você puder satisfazer as exigências de Deus, então é uma boa ação. Se você tem devoção a Deus enquanto cumpre seus deveres, então é uma boa ação. Se as coisas que você faz são benéficas para o povo escolhido de Deus e todo mundo pensa que o que você está fazendo é bom, então é uma boa ação. Todas as coisas que a consciência e o senso do homem acreditem estar de acordo com as intenções de Deus são boas ações. As coisas que podem satisfazer a Deus e que são benéficas para o povo escolhido de Deus também são boas ações. Se o homem puder fazer essas boas ações das quais acabamos de falar, se puder não medir esforços para as cumprir, isso significa que ele cumpriu boas ações suficientes. […] Agora todos procuram cumprir seu dever e buscam a salvação, mas não basta apenas ter resolução e desejo. É preciso demonstrar comportamentos práticos e realizar ações práticas. Quais deveres você cumpriu para a entrada na vida do povo escolhido de Deus? O que você fez e que preço pagou para atender às exigências de Deus? O que você fez para satisfazer a Deus e retribuir o Seu amor? Todas essas são coisas sobre as quais você deve refletir. Se você fez muitas coisas e pagou um preço alto para atender às exigências de Deus e promover a entrada na vida e o crescimento do povo escolhido de Deus, pode-se dizer que você preparou um número suficiente de boas ações.

Extraído de “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida”

O cumprimento mínimo de alguns deveres dificilmente constitui por si só um número suficiente de boas ações. Em outras palavras, a simples realização de alguns de seus deveres não é, de maneira alguma, considerado um número suficiente de boas ações. Realizar um número suficiente de boas ações não é algo tão simples quanto as pessoas imaginam. Preparar um número suficiente de boas ações exige que você se despenda inteiramente por Deus. Além disso, exige que você pague cada preço e seja leal à comissão de Deus de boa fé, do princípio ao fim; essa é a única maneira de atender aos Seus padrões.

No cumprimento de seu dever, há pessoas que realmente pagaram um preço e fizeram coisas que foram elogiadas por Deus, que realizaram seu dever de maneiras que são notáveis, extraordinárias, admiráveis e invejáveis ao ponto de se poder considerar que elas realizaram boas ações. Alguns irmãos e irmãs que foram presos por cumprir seu dever sofreram muitos tormentos sem se submeter a Satanás e deram testemunho. Há também pessoas que ousam se arriscar sem se preocupar com segurança ou vantagem pessoal, que se dedicam à realização de deveres perigosos, no espírito de fazer corajosamente o que é justo. E há aqueles irmãos e irmãs que são capazes de se dedicar à obra do evangelho e suportar humilhação ao pregá-lo para salvar as pessoas. Há também aqueles que são diligentes na obra do evangelho, suportando dificuldades sem reclamar e negligenciando assuntos pessoais e familiares enquanto sua mente está ocupada pensando em maneiras de espalhar o evangelho para trazer mais pessoas diante de Deus e atender à vontade de Deus. Todos os que se dedicaram a despender totalmente para satisfazer a Deus são pessoas que já realizaram boas ações. No entanto, ainda estão a certa distância do “número suficiente de boas ações” que Deus exige. A maioria das pessoas apenas preparou algumas boas ações e ainda não atendeu completamente às exigências de Deus. Isso nos obriga a buscar bem fundo nosso potencial para cumprir nosso dever e encarar seriamente a entrada profunda na verdade a fim de realizarmos um número suficiente de boas ações. Isso exige que tentemos alcançar os melhores resultados a fim de satisfazer o coração de Deus, independentemente de quais deveres estamos cumprindo. Particularmente ao espalhar o evangelho, independentemente de quão grande seja a humilhação que sofremos ou de quanto sofrimento suportamos, contanto que possamos trazer mais pessoas para ganhar a salvação, devemos assumir isso como um dever, independentemente do custo pessoal. Apenas isso é realizar a melhor ação. Se as pessoas puderem realizar mais boas ações iguais a essa, isso poderá ser considerado um número suficiente de boas ações. É isso que mais traz felicidade e alegria a Deus, e tais pessoas certamente serão capazes de receber o elogio de Deus. Além disso, no cumprimento do nosso dever, temos de ser também conscienciosos e meticulosos, sempre buscando o aperfeiçoamento pessoal e nunca agindo sem nos envolver. Para nos despendermos por Deus, devemos ter devoção leal antes de podermos satisfazer completamente a Sua vontade.

Extraído da comunhão do alto

Anterior: 6. O significado do sofrimento e que tipo de sofrimento os crentes em Deus devem suportar

Próximo: Capítulo 8 Os fins de diversos tipos de pessoas e a promessa de Deus ao homem

Durante desastres, além de rezar, a coisa mais crítica para nós é encontrar a maneira de sermos protegidos. Junte-se ao nosso grupo de estudo gratuitamente.

Conteúdo relacionado

3. Se entender conhecimento bíblico e teoria teológica significa entender a verdade e conhecer a Deus

O Próprio Deus é vida e a verdade, e Sua vida e verdade coexistem. Aqueles que são incapazes de ganhar a verdade nunca ganharão vida. Sem a orientação, o apoio e provisão da verdade, você ganhará apenas letras e doutrinas e, além disso, morte. A vida de Deus está sempre presente, e Sua verdade e vida coexistem. Se você não pode achar a fonte de verdade, não ganhará o alimento de vida; se você não pode ganhar a provisão de vida, certamente não terá verdade alguma e, assim, para além de imaginações e concepções, a totalidade do seu corpo será nada além de carne, sua carne fétida.

5. Por que se diz que as duas encarnações de Deus completam o significado da encarnação

O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus, essa substância não interromperá Sua própria obra e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua própria obra, nem jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua própria vontade.

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro