Aplicativo da Igreja de Deus Todo-Poderoso

Ouça a voz de Deus e dê as boas vindas ao retorno do Senhor Jesus!

Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

A Palavra manifesta em carne

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

0 resultados

Nenhum resultado encontrado

Introdução

Esta porção das palavras de Deus contém um total de cinco secções e foram expressas por Cristo entre agosto de 1992 e agosto de 2014. A maioria delas se baseia em gravações de Seus sermões e comunhão enquanto caminhava pelas igrejas. O texto não sofreu nenhuma modificação, nem Cristo efetuou quaisquer mudanças. O restante reúne escritos de autoria do próprio Cristo. (Quando Cristo escreve, o texto sai de uma vez só, sem pausas para pensar; nunca precisou da menor modificação e é inteiramente a expressão do Espírito. Isto não pode ser posto em dúvida.) Não os arranjamos separadamente, mas, em vez disso, os incluímos na ordem original em que foram expressos. Dessa maneira, poderemos ver as etapas da obra de Deus a partir do que Ele disse, e compreender como Ele opera em cada etapa. Essa ordem também traz maior benefício para o entendimento das etapas da obra de Deus pela humanidade e para que conheçam Sua sabedoria.

Os primeiros oito capítulos “A senda” de “As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas I” são uma pequena porção das palavras de Cristo enquando Ele está como um igual entre os homens. Elas quase parecem brandas, mas, na realidade, contêm um senso do amor e da consideração de Deus pela humanidade. Antes disso, Deus falou do ponto de vista do terceiro céu, e com isso a distância entre o homem e Deus se tornou muito grande, e as pessoas não ousavam se aproximar de Deus, nem muito menos solicitar a provisão de Deus para sua vida. Assim, em “A senda”, Deus falou com o homem como um igual e indicou a direção do caminho de modo que o relacionamento entre o homem e Deus recuperou seu estado original, o homem não duvidava mais se Deus ainda estava empregando um método para falar, e não existia mais o espectro da provação da morte. Deus desceu do terceiro céu para a terra; o homem, vindo do lago de fogo e enxofre, chegou diante do trono de Deus, livrando-se da sombra de ser servidor, e aceitou oficialmente o batismo das palavras de Deus como se fosse um bezerro recém-nascido. Foi apenas dessa maneira que Deus pôde Se sentar lado a lado com as pessoas e falar com elas, e realizar mais obra de sustentação da vida. O propósito de Deus em Se humilhar como uma pessoa é Se aproximar da humanidade, reduzir a distância entre o homem e Deus, ganhar o reconhecimento e a confiança das pessoas, e inspirar a confiança deles para buscar a vida e seguir a Deus. No fim, os oito capítulos de “A senda” são as chaves de Deus abrindo as portas do coração das pessoas; são Seus comprimidos cobertos de açúcar. Somente desse modo as pessoas podem ouvir cuidadosamente os repetidos ensinamentos e reprimendas de Deus. Poder-se-ia dizer que foi somente depois disso que Deus começou oficialmente a obra de prover para a vida e para a expressão a verdade neste estágio atual da obra, e Ele continuou a falar: “Qual ponto de vista os crentes devem manter” e “Nos passos da obra de Deus” … Essa maneira não demonstra a sabedoria de Deus e Suas sinceras intenções? Essa é a primeira provisão de Cristo para a vida; portanto, comparadas com as próximas poucas secções, as verdades são relativamente rasas. O princípio por trás disso é muito simples: Deus opera conforme as necessidades da humanidade. Ele não age nem fala às cegas; somente Deus compreende totalmente as necessidades da humanidade, e somente Ele é quem tem a maior consideração e o maior amor pelo homem.

“Obra e entrada” (de 1 a 10) são as palavras de Deus entrando numa nova fase, então começamos com esses dez capítulos e, depois disso, demos lugar a “As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas II”. Naquela fase, Deus fez mais exigências detalhadas ao Seu grupo de seguidores as quais incluíam conhecimento a respeito do estilo de vida das pessoas, exigências sobre seu calibre e assim por diante. E, como essas pessoas já tinham decidido firmemente em seu coração seguir a Deus e não duvidavam mais da identidade e da essência de Deus, Ele começou oficialmente a tratar aquelas que O seguiam como Sua própria família, compartilhando com elas em comunhão a verdade particular sobre a obra de Deus, desde a criação do mundo até agora. Ele também revelou a verdade sobre a Bíblia e, sobretudo, Ele lhes permitiu entender o verdadeiro significado de Deus Se tornar carne. As pessoas podem entender melhor a essência de Deus e a essência de Sua obra a partir dessas palavras e, além disso, elas perceberão que o que as pessoas ganharam por meio da salvação de Deus superou o que foi ganho pelos profetas e apóstolos por todas as eras. A partir de cada linha das palavras de Deus, você pode experimentar cada pedacinho de Sua sabedoria assim como Seu meticuloso amor e cuidado. Enquanto expressava essas palavras, Ele também revelou abertamente às pessoas suas noções e erros anteriores, coisas que nunca antes tinham imaginado, e até suas sendas futuras, uma por uma. Talvez esse seja o sentido estreito de amor que as pessoas são capazes de experimentar! Afinal, Deus já deu ao homem o que ele precisa e o que ele pediu – Ele não reteve e, em especial, não fez exigências.

Alguns capítulos específicos dessa parte são Suas palavras sobre a Bíblia. Isso porque a Bíblia acompanhou vários milhares de anos da história humana e todas as pessoas tratam-na como Deus, a ponto de, nos últimos dias, substituírem Deus pela Bíblia. Isso é algo que Deus realmente odeia. Por isso, em Seu tempo livre, Ele teve de esclarecer a história particular e a origem da Bíblia. Senão, a Bíblia ainda poderia tomar o lugar de Deus no coração das pessoas e elas poderiam condenar e medir os atos de Deus com base nas palavras da Bíblia. A explicação de Deus para a essência, a construção e as falhas da Bíblia não é absolutamente para negar sua existência, nem a condena. Em vez disso, é para fornecer uma explicação razoável e apropriada, para restaurar a imagem original da Bíblia e para corrigir os desentendimentos que as pessoas têm da Bíblia, de modo que todos tenham a visão correta a respeito dela, não mais a adorem e não fiquem mais perdidas; as pessoas erroneamente tomam sua fé cega na Bíblia como a crença e a adoração de Deus, e nem ousam encarar seu verdadeiro pano de fundo e seus pontos fracos. Depois que todos tiverem um entendimento puro da Bíblia, serão capazes de deixá-la de lado sem hesitação e corajosamente aceitar as novas palavras de Deus. Esse é o objetivo de Deus nesses vários capítulos. A verdade que Deus quer contar às pessoas aqui é que nenhuma teoria ou fato pode substituir a presente obra ou as palavras atuais de Deus, e que não existe nada que possa substituir a posição de Deus. Se as pessoas não conseguem se desvencilhar das malhas da Bíblia, elas nunca serão capazes de chegar diante de Deus. Se querem ficar diante de Deus, elas primeiro devem esvaziar seu coração de tudo que possa substituí-Lo; desse modo, Deus ficará satisfeito. Embora Deus somente explique a Bíblia aqui, não se esqueça de que existem muitas outras coisas errôneas que as pessoas realmente adoram além da Bíblia, e que as únicas coisas que elas não adoram são as que verdadeiramente vêm de Deus. Deus apenas usa a Bíblia como exemplo para lembrar a todos de não tomar a senda errada e não ir a extremos novamente e cair em confusão, quando acreditarem em Deus e aceitarem Suas palavras.

As palavras que Deus fornece vão de rasas a profundas. Portanto, o que Ele diz continua aprofundando, desde os comportamentos externos e atos das pessoas até seu caráter corrupto, e daí vai ainda mais fundo para colocar o holofote nos mais profundos recessos da alma humana – a natureza das pessoas. Durante a época em que “As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas III” foram expressas, as declarações de Deus enfatizam a essência e a identidade do homem, e o que significa ser um homem de verdade – as verdades mais profundas e as questões essenciais a respeito da entrada das pessoas na vida. É claro que, pensando outra vez na verdade que Deus provê ao homem em “As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas I”, em comparação, “As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas III” é simplesmente profundo demais. Essa secção trata sobre a senda futura das pessoas e como podem ser aperfeiçoadas; trata do destino futuro da humanidade assim como as palavras sobre Deus e o homem entrando juntos no descanso. (Poder-se-ia dizer que, até o momento, essas são as palavras que Deus expressou para o homem sobre sua natureza, missão e destino que são as mais fáceis de entender.) Deus espera que os que leem essas palavras sejam os que se livraram das noções e da imaginação humana e que são capazes de ter um entendimento puro de cada uma das palavras Dele no fundo de seu coração. Sobretudo, Ele espera que todos os que leem essas palavras possam tomar Suas palavras como a verdade, o caminho e a vida, e que não tratem Deus levianamente nem O enganem. Se as pessoas leem essas palavras com uma atitude de examinar ou escrutinar a Deus, então todo esse significado estará perdido para elas. Somente aqueles que buscam a verdade, seguem a Deus sinceramente e não têm nenhuma sombra de dúvida a respeito Dele estão qualificadas para aceitar essas palavras.

“As palavras de Cristo enquanto Ele caminhou nas igrejas IV” é outro tipo de palavras divinas na sequência de “Palavras de Deus para todo o universo”. Essa secção inclui as exortações, os ensinamentos e as revelações de Deus a todas as pessoas de denominações cristãs, por exemplo, “Quando você contemplar o corpo espiritual de Jesus será quando Deus terá feito novo Céu e nova terra”, “Aqueles que são incompatíveis com Cristo certamente são oponentes de Deus”. Também inclui as exigências mais específicas de Deus para a humanidade, como “Você deve preparar boas ações suficientes para seu destino”, “Três admoestações”, “As transgressões levarão o homem para o Inferno”. Fala-se de muitos aspectos como revelações e julgamentos para todos os tipos de pessoas, e palavras sobre como conhecer Deus. Poder-se-ia dizer que essa secção é o cerne do julgamento da humanidade por Deus. O que é mais inesquecível é que, quando Deus estava para fechar as cortinas sobre Sua obra, Ele expôs o que existe nos ossos das pessoas: traição. Seu objetivo é levar as pessoas a conhecer esse fato no final e a imprimi-lo no mais fundo do coração: não importa por quanto tempo você tenha sido Seu seguidor, sua natureza ainda é trair a Deus. Quer dizer, é da natureza humana trair a Deus porque as pessoas não têm maturidade absoluta em sua vida; elas só têm mudanças relativas de caráter. Embora esses dois capítulos – “Traição (1)” e “Traição (2)” – deem um golpe nas pessoas, eles são realmente as mais leais e benevolentes advertências de Deus para elas. No mínimo, quando elas se mostram complacentes e convencidas de si mesmas, depois que leem esses dois capítulos sua própria maldade será contida e elas se acalmarão. Por meio desses dois capítulos, Deus lembra todas as pessoas de que não importa quão madura seja sua vida, quão profunda seja sua experiência, quão grande seja sua confiança, e não importa onde você nasceu e aonde está indo, sua natureza de trair a Deus pode vir à tona a qualquer momento e em qualquer lugar. O que Deus quer dizer a cada uma e a todas as pessoas é isto: trair a Deus é a natureza humana. Claro que a intenção de Deus ao expressar esses dois capítulos não é encontrar desculpas para eliminar ou condenar a humanidade, mas torná-la mais consciente de sua própria natureza e, assim, viver muito cuidadosamente diante de Deus o tempo todo a fim de obter Sua orientação, evitar perder Sua presença e colocar os pés na senda sem volta. Esses dois capítulos são uma sirene de alerta para todos que seguem a Deus. Espera-se que as pessoas consigam entender as sinceras intenções de Deus. Afinal, essas palavras são todos fatos indiscutíveis, então por que o homem discute sobre quando e como foram expressas por Deus? Se Deus guardasse para Si Mesmo todas essas coisas e não falasse nada, mas aguardasse até as pessoas acharem que era o momento certo, não seria tarde demais? Quando seria o momento mais adequado?

Nessas cinco seções, Deus usa múltiplos métodos e perspectivas. Por exemplo, às vezes Ele usa sátira e às vezes Ele usa o método do provimento e do ensino diretos; às vezes, Ele usa exemplos e às vezes reprimendas severas. No geral, há todo tipo de métodos diferentes e o objetivo é atender aos vários estados e gostos das pessoas. A perspectiva da qual Ele fala muda com os diferentes métodos ou o conteúdo do que Ele diz. Por exemplo, às vezes Ele diz “Eu” ou “Mim”, quer dizer, Ele fala às pessoas da perspectiva do Próprio Deus. Às vezes, Ele fala como terceira pessoa, dizendo “Deus” é isto ou aquilo, e há outros momentos em que Ele fala da perspectiva de um ser humano. Não importa a perspectiva da qual Ele fale, ela não pode mudar Sua essência. Isso é porque não importa como Ele fala, o que Ele expressa é tudo a própria essência de Deus, é toda a verdade e é o que a humanidade necessita.

Anterior:Capítulo 46

Próximo:A senda… (1)

Coisas que talvez lhe interessem