185 Tu és minha verdadeira vida

I

Com rosto pálido e cabelo embolado, eu estava só e abatido.

De pé diante de Ti mas tão distante, porque éramos estranhos.

A dignidade brilha de Teu semblante benevolente.

Teu coração tão bom e gentil. Palavras não descrevem Tua

eternidade.

Nada consegue contar toda história de Teus feitos.

Numa noite fria, eu aprecio o Teu calor.

Revivi, eu recebi uma nova vida.

Minha vida tem vitalidade, minha vida tem vitalidade.

II

Tu me deste o sopro de vida.

Tuas palavras fizeram-me sentir tão pleno.

Meu coração transborda a mais sincera gratidão. Tu renovaste todo meu ser.

Tudo que é Teu é precioso pra mim. Nenhum tesouro pode se comparar,

nem montes ou espaços podem me parar.

Isso é um segredo em meu coração.

Numa noite fria, eu aprecio o Teu calor.

Revivi, eu recebi uma nova vida.

Minha vida tem vitalidade, minha vida tem vitalidade.

III

Em anos de contato, descobri Tua preciosidade.

Das coisas mundanas nada se iguala. Da humanidade, Tu és o

primeiro e único.

Numa noite fria, eu aprecio o Teu calor.

Revivi, eu recebi uma nova vida.

Minha vida tem vitalidade, minha vida tem, minha vida tem vitalidade,

minha vida tem vitalidade.

Anterior : 184 Renovando meu juramento de amar a Deus

Próximo : 186 Canção do retorno do filho pródigo

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro