A dor de contar mentiras

16 de Dezembro de 2022

Por Ni Qiang, Myanmar

Em outubro de 2019, aceitei a obra de Deus Todo-Poderoso nos últimos dias. Em reuniões, eu via que os irmãos eram capazes de comungar seu entendimento e experiências. Conseguiam se abrir sobre toda a sua corrupção e deficiências sem quaisquer receios, e eu sentia inveja. Eu também queria ser uma pessoa honesta e me abrir, igual a eles, mas quando chegava a hora, eu não conseguia falar honestamente. Uma vez, meus irmãos me perguntaram: “Você é jovem, ainda é aluno?”. A verdade é que eu não era aluno havia um tempo e só cozinhava e limpava num restaurante, mas eu temia que os outros me menosprezassem se soubessem disso, então lhes disse que ainda era aluno. Não dei muita importância depois de dizer isso e segui em frente. Um dia, vi uma passagem da palavra de Deus num vídeo testemunhal que me fez refletir sobre mim mesmo. “Vocês devem saber que Deus gosta de pessoas honestas. Deus tem a essência da fidelidade, então Sua palavra é sempre digna de confiança; além disso, Suas ações são irrepreensíveis e inquestionáveis. É por isso que Deus gosta daqueles que são absolutamente honestos com Ele. Ser honesto significa entregar seu coração a Deus, ser genuíno com Ele em todas as coisas, ser aberto com Ele em todas as coisas, nunca esconder os fatos, nunca tentar enganar quem está acima e abaixo de você e não fazer as coisas apenas para conseguir o favor de Deus. Resumindo, ser honesto é ser puro em suas ações e palavras e não enganar nem a Deus nem aos homens(A Palavra, vol. 1: A aparição e a obra de Deus, “Três admoestações”). Depois de ler as palavras de Deus, entendi que Deus gosta de pessoas honestas, que pessoas honestas conseguem se abrir com Deus, que são inequívocas nas coisas que fazem e dizem e que não tentam enganar nem a Deus nem aos outros. Eu, porém, quando os outros me perguntavam: “Você ainda é aluno?”, eu nem conseguia dizer a verdade porque temia ser menosprezado, muito menos conseguia ser uma pessoa honesta diante de Deus. Eu não era nem um pouco honesto. Por isso, quis confessar aos outros, mas temia que zombassem de mim; ao mesmo tempo, porém, não dizer nada me inquietava profundamente. Então orei a Deus, pedindo que Ele me ajudasse a praticar dizer a verdade e ser uma pessoa honesta. Numa reunião posterior, eu me abri sobre a minha corrupção e expus minha enganação e mentiras. Eles não só não me menosprezaram, mas até me enviaram mensagens dizendo que a minha experiência era boa. Isso me deixou mais confiante para ser uma pessoa honesta. A despeito de ter praticado honestidade e dizer a verdade naquela ocasião, eu ainda não estava ciente do meu caráter satânico, e quando se tratava de coisas que diziam respeito à minha reputação e aos meus interesses, eu só podia revelar meu caráter enganoso para me disfarçar.

Mais tarde, fui escolhido como pregador e passei a ser responsável pelo trabalho de três igrejas. Durante uma reunião de obreiros, um líder quis saber em detalhe como os recém-convertidos estavam sendo regados em cada igreja e por que alguns recém-convertidos não tinham sido apoiados corretamente. Comecei a ficar um pouco nervoso, pois eu só sabia como as coisas estavam indo numa das igrejas, mas não nas outras duas. O que eu deveria dizer? Se eu contasse a verdade, o que todos pensariam de mim? Eles se perguntariam se eu era apto a ser um pregador se nem conseguia acertar nisso? Ou diriam que eu não fazia trabalho real e que eu era incapaz de cumprir esse dever? Seria tão vergonhoso se eu fosse transferido ou dispensado. Eu só queria sumir dali, mas se me despedisse antes da hora, todos perceberiam que eu temia que eles descobrissem que eu não fazia trabalho real. Assim, não tive outra escolha senão ficar e ouvir como os outros pregadores falavam sobre o trabalho pelo qual eram responsáveis. Eu estava como um gato num teto de zinco quente e não sabia o que fazer. Quando o líder chamou meu nome, eu estava nervoso demais e fingi que não o tinha ouvido: “O que você disse?” O líder disse: “Estávamos falando sobre a rega dos recém-convertidos. Você se importaria de nos contar sobre os seus recém-convertidos?”. Meu coração estava prestes a saltar pela boca. Eu não tive escolha senão falar primeiro sobre a igreja que eu conhecia, mas não quis falar sobre as outras duas. No entanto, eu temia que todos soubessem que eu não tinha feito o trabalho de acompanhamento, por isso cerrei os dentes e menti: “Muitos dos recém-convertidos na segunda igreja não estão sendo apoiados corretamente, e, por causa da pandemia, não conseguimos contatá-los. Não tenho certeza sobre a situação na terceira igreja, porque tenho acompanhado o trabalho das duas outras igrejas o tempo todo”. Eu me senti muito incomodado por ter dito isso e temia que todos percebessem a minha mentira, o que teria sido ainda mais humilhante. Meus nervos estavam à flor da pele o tempo todo, e só pude soltar um suspiro de alívio quando a reunião terminou. Para a minha surpresa, o líder me ligou depois e perguntou: “Quanto àqueles recém-convertidos que não estão sendo apoiados por causa da pandemia, você pediu que a equipe de rega ligasse para eles e verificasse a situação deles?”. A pergunta do líder me deixou perplexo. Eu não sabia os detalhes da situação. Se eu lhe contasse a verdade, o líder perceberia que eu tinha mentido? Eu não podia dizer que não sabia. Assim, continuei mentindo. “Conversei com eles, mas alguns dos recém-convertidos não estão atendendo às ligações.” Então o líder perguntou: “Quais recém-convertidos?”. Eu pensei: “O líder continua me interrogando porque descobriu que eu menti?”. Às pressas, respondi: “Acho que são alguns daqueles que acabaram de aceitar a obra de Deus”. Vendo que eu não conseguia explicar melhor, o líder disse: “Bem, quando descobrir, conte-me”. Quando desliguei, senti uma culpa profunda. Eu tinha mentido e enganado de novo. Você teve que usar toda uma série de mentiras para encobrir a primeira. É um transtorno enorme ter que usar mentiras para encobrir outras. Naquela reunião, um pregador tinha dito que não tinha acompanhado uma das três igrejas pelas quais ele era responsável. Ele foi capaz de falar a verdade; por que, então, eu não conseguia dizer uma única palavra honesta? Mentir, enganar e apresentar uma imagem falsa desse jeito não conseguiria encobrir a verdade. Deus escrutiniza tudo; mais cedo ou mais tarde, eu seria exposto e revelado, por isso orei a Deus: “Deus, na reunião de hoje, quando o líder perguntou sobre o trabalho, eu não disse a verdade, menti. Eu temia que todos me menosprezassem se soubessem que eu não fazia trabalho real. Deus, por favor, guia-me a conhecer a mim mesmo e a me livrar do meu caráter corrupto”.

Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Em seu dia a dia, as pessoas dizem muito que é inútil, falso, ignorante, estúpido e justificativo. No fundo, elas dizem essas coisas para o bem de seu orgulho, para satisfazer sua vaidade. A profissão dessas falsidades é o que jorra de seus caracteres corruptos. Resolver essa corrupção purificará seu coração e, assim, tornará você cada vez mais puro, cada vez mais honesto. Na verdade, todas as pessoas sabem por que contam mentiras: é por causa de interesses, reputação, vaidade e status. E ao se comparar com os outros, elas se superestimam. Como resultado, suas mentiras são expostas e vistas pelos outros, resultando, em vez disso, em perda de reputação, perda de caráter e perda de dignidade. Esse é o resultado de mentiras em excesso. Quando você mente demais, cada palavra que diz está contaminada. É tudo falso, e nada disso pode ser verdadeiro ou factual. Você pode até não perder reputação quando mente, mas já se sente desonrado por dentro. Você se sentirá acusado pela sua consciência, e você odiará e desprezará a si mesmo. ‘Por que vivo de forma tão lastimável? É realmente tão difícil dizer uma coisa honesta? Preciso contar essas mentiras só pela reputação? Por que é tão cansativo viver desse jeito?’ Você pode viver de um jeito que não seja cansativo. Se praticar ser uma pessoa honesta, poderá viver fácil e livremente, mas quando escolhe mentir para proteger sua reputação e sua vaidade, a sua vida é muito cansativa e dolorosa, o que significa que isso é dor autoinfligida. Qual é a reputação que você ganha contando mentiras? É algo vazio, algo totalmente sem valor. Quando mente, você está traindo seu caráter e sua dignidade. Essas mentiras custam às pessoas a sua dignidade, custam-lhes o seu caráter, e Deus as considera desagradáveis e odiosas. Elas valem isso? De modo algum. Essa é a senda correta? Não. Aqueles que mentem com frequência vivem presos em seus caracteres satânicos e sob o domínio de Satanás, não na luz nem diante de Deus. Você precisa, com frequência, refletir sobre como contar uma mentira, e, depois de mentir, você precisa refletir sobre como encobrir isso, e se você não a encobrir suficientemente bem, a mentira aparecerá, por isso você precisa quebrar sua cabeça para encobri-la. Esse não é um jeito cansativo de viver? É cansativo demais. Vale a pena? Nem um pouco. Qual é o sentido de quebrar sua cabeça para mentir e encobrir só por status e vaidade? No fim, você refletirá sobre isso e dirá a si mesmo: ‘Por que eu me submeto a isso? É cansativo demais mentir e encobrir. Fazer as coisas desse jeito não funciona. É mais fácil ser uma pessoa honesta’. Você quer ser uma pessoa honesta, mas não consegue largar reputação, vaidade e interesses. Você só consegue mentir e usar mentiras para defender essas coisas. […] Você pode pensar que usar mentiras pode proteger sua reputação, seu status e sua vaidade desejados, mas isso é um grande erro. As mentiras não só não protegem a sua vaidade e dignidade pessoal, como também o levam a perder chances de praticar a verdade e ser uma pessoa honesta. Mesmo que você defenda a sua reputação e a sua vaidade naquele momento, o que você perde é a verdade, e você trai a Deus, o que significa que você perde completamente a oportunidade de ganhar a salvação de Deus e de ser aperfeiçoado. Essa é a maior perda e um arrependimento eterno. As pessoas enganosas nunca veem isso claramente(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente sendo honesto é que se pode viver como um ser humano verdadeiro”). A palavra de Deus revelou meu estado. O líder queria se informar sobre a situação de rega em cada igreja, o que era algo simples, e não teria sido um problema falar a verdade, mas, para mim, nada poderia ter sido mais difícil. Eu estava cheio de receios e temia que, se o líder e os outros pregadores descobrissem a verdade, eles me menosprezariam, diriam que eu não fazia trabalho real e nem resolvia uma coisa tão simples. E se eu fosse dispensado, isso seria humilhante. Para proteger meu status e reputação e a boa impressão que os outros tinham de mim, eu menti e disse que tinha investigado duas igrejas, quando eu só tinha entendimento de uma. Até entrei em detalhes sobre a segunda igreja, dizendo que seus recém-convertidos não estavam sendo apoiados por causa da pandemia. Isso não era uma mentira descarada? Quando o líder me perguntou se eu tinha pedido à equipe de rega que ligasse para os recém-convertidos, eu temi que o líder descobrisse a mentira que eu tinha acabado de contar, por isso contei outra mentira para encobrir a primeira e inventei uma desculpa para me livrar dele. Para proteger meu nome e status, eu usei uma mentira para remendar outra. Eu fui muito enganoso! Lembrei-me de um diálogo entre Deus e Satanás registrado na Bíblia. Deus perguntou a Satanás de onde ele vinha, e Satanás respondeu: “De rodear a terra, e de passear por ela” (Jó 1:7). Satanás é tão astuto. Ele não respondeu diretamente à pergunta de Deus e respondeu de forma sinuosa e tortuosa. Satanás não pode dizer de onde veio. Sua boca está cheia de mentiras, ele nunca fala honestamente, e ele sempre fala de modo equívoco e ambíguo. Em vista de minhas mentiras e enganações, eu não era igual ao demônio Satanás? Embora eu tivesse dado uma resposta sobre o trabalho que o líder estava investigando, era tudo mentira e enganação. Após ouvir minha resposta, o líder ainda não conhecia o estado exato do trabalho de rega pelo qual eu era responsável e não conseguia julgar se eu o estava acompanhando corretamente. Na verdade, minhas mentiras e enganações só preservavam meu status e reputação temporariamente, mas eu tinha perdido meu caráter, minha dignidade e a confiança dos outros. Se eu continuasse desse jeito, mais cedo ou mais tarde, todos veriam que eu não era uma pessoa honesta e que não era confiável. Ninguém acreditaria em mim, e, além disso, Deus não confiaria em mim. Assim eu não perderia todo o meu caráter e dignidade? Isso não seria estupidez da minha parte?

Mais tarde, li uma passagem da palavra de Deus: “O fato de Deus pedir para as pessoas serem honestas prova que Ele realmente abomina aquelas que são enganosas e que Ele não gosta de pessoas enganosas. A aversão de Deus por pessoas enganadoras é uma aversão pela sua forma de fazer as coisas, seus caracteres, seus motivos e seus métodos de enganação; Deus não gosta de nenhuma dessas coisas. Se as pessoas enganadoras são capazes de aceitar a verdade, reconhecer os seus caracteres enganadores e estão dispostas a aceitar a salvação de Deus, então elas também têm esperança de serem salvas, pois Deus trata todas as pessoas igualmente, e a verdade trata todas as pessoas igualmente. E assim, se quisermos nos tornar aqueles que são amados por Deus, a primeira coisa que devemos fazer é mudar os princípios do nosso ser: já não podemos mais viver segundo as filosofias de Satanás, já não podemos mais sobreviver com mentiras e enganação, devemos deixar para trás todas as mentiras e tornar-nos honestos, e dessa forma a opinião de Deus sobre nós mudará. Anteriormente, as pessoas sempre confiavam em mentiras, fingimento e trapaças para viver entre as pessoas e usavam filosofias satânicas como base existencial, vida e fundamento segundo as quais se comportavem. Isso era algo que Deus desprezava. Entre os incrédulos, se falar francamente, disser a verdade e for honesto, você será caluniado, julgado e rejeitado, por isso você segue tendências mundanas, vive segundo filosofias satânicas, torna-se cada vez mais hábil em mentir e cada vez mais enganador. Além disso, aprende a usar meios insidiosos para alcançar seus objectivos e proteger a si mesmo. Você se torna cada vez mais próspero no mundo de Satanás e, como resultado, se afunda cada vez mais no pecado até não conseguir se libertar. As coisas são precisamente o oposto na casa de Deus. Quanto mais você mentir e aplicar truques, mais o povo escolhido de Deus se cansará de você e o rejeitará. Se você se recusa a se arrepender, e ainda se agarra a filosofias e lógica satânicas, e usa conspirações e esquemas elaborados para se disfarçar e apresentar uma fachada, então é muito provável que você seja revelado e expulso. Isso é porque Deus odeia pessoas enganosas, só pessoas honestas podem prosperar na casa de Deus, e pessoas enganosas acabarão sendo rejeitadas e expulsas. Tudo isso é preordenado por Deus. Só pessoas honestas podem ter uma parte no reino dos céus, portanto, se você não tentar ser uma pessoa honesta e se não experimentar e praticar na direção de buscar a verdade, se não expuser a sua própria feiura e não mostrar a sua face verdadeira, então você nunca poderá receber a obra do Espírito Santo e ganhar a aprovação de Deus(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta”). Refletindo sobre as palavras de Deus, percebi que Deus não gosta de pessoas enganosas e que Ele não as salva, pois elas pertencem a Satanás. Pessoas enganosas usam traição e truques em tudo que fazem, e falam sem honestidade só para proteger seu status, reputação e interesses. As intenções que essas pessoas abrigam e os métodos que usam são odiosos e repugnantes para Deus. Embora eu acreditasse em Deus, eu não tinha ganhado nenhuma verdade e ainda vivia segundo filosofias satânicas como: “cada um por si” e “assim como uma árvore vive de sua casca, o homem vive de sua fama”. Essas filosofias satânicas estavam enraizadas no meu coração, me enganando e corrompendo, e levando-me a trilhar a senda de buscar status e reputação. Eu achava que as pessoas deviam viver por si mesmas, destacar-se dos outros e ganhar renome e lucro, e que só assim uma pessoa não seria menosprezada. Achava que, se uma pessoa só contasse a verdade e nunca mentisse, essa pessoa seria tola e imprestável. Por causa disso, eu sempre enganava e tecia uma rede de mentiras em nome dos meus interesses, tornando-me cada vez mais enganoso, falso e sem uma semelhança humana normal. Para mim, status e reputação eram mais importantes do que a verdade, e eu estava disposto a mentir e a violar a verdade para proteger status e reputação. Satanás é um mentiroso, e quando minto e engano desse jeito, eu não sou igual? Neste mundo maligno, ser uma pessoa honesta e franca não funciona. Mas na casa de Deus é o contrário. Na casa de Deus, justiça e verdade reinam supremas, e quanto mais uma pessoa engana, mais provável é que ela caia, e, no final, todos os enganadores são expostos e expulsos por Deus. Deus diz: “Se as pessoas desejam ser salvas, elas devem começar sendo honestas(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Seis indicadores de crescimento da vida”). “Só pessoas honestas podem ter uma parte no reino dos céus […](A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta”). Deus é santo, e pessoas imundas não podem entrar no reino dos céus. Quando percebi isso, senti que o caráter santo e justo de Deus não tolera ofensa, e eu realmente me arrependi por mentir para os meus irmãos. Eu realmente me odiei e não quis mentir nem enganar nunca mais. Queria praticar a verdade, ser uma pessoa honesta e falar honestamente com todos. Queria tirar as mentiras da minha boca e a enganação do meu coração e assim ser digno da aprovação de Deus e de entrar no reino dos céus.

Durante um dos meus devocionais, li uma passagem da palavra de Deus: “A prática da honestidade cobre muitos aspectos. Em outras palavras, o padrão para ser honesto não é alcançado apenas através de um aspecto; é preciso estar à altura em muitos aspectos antes de você poder ser honesto. Algumas pessoas sempre pensam que só precisam conseguir não mentir a fim de serem honestas. Essa opinião é correta? Ser honesto implica apenas não mentir? Não, também se relaciona a vários outros aspectos. Em primeiro lugar, não importa com o que você é confrontado, seja algo que você tenha visto com os seus próprios olhos ou algo que outra pessoa lhe tenha dito, seja interagir com as pessoas ou resolver um problema, seja o dever que você deveria estar cumprindo ou algo que Deus lhe tenha confiado, você sempre deve abordar isso com um coração honesto. Como se deveria praticar abordar as coisas com um coração honesto? Diga o que você pensa e fale com honestidade; não use palavras vazias, jargão oficial, nem palavras agradáveis, não diga coisas falsas bajuladoras ou hipócritas, mas diga as palavras que estão no seu coração. Isso é ser uma pessoa honesta. Expresse os pensamentos e as opiniões verdadeiras que estão no seu coraçãoé isso que as pessoas honestas devem fazer. Se você nunca diz o que pensa, e as palavras apodrecem em seu coração, e aquilo que você diz sempre está em desacordo com o que você pensa, isso não é o que uma pessoa honesta faz(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “Somente sendo honesto é que se pode viver como um ser humano verdadeiro”). A palavra de Deus me deu uma senda de prática. Não importa se esteja interagindo com os outros ou lidando com o meu dever, devo ter um coração honesto na minha abordagem. Já que eu não tinha acompanhado o trabalho, eu devia ser honesto sobre isso. Não devia pensar em se a minha reputação seria prejudicada. Praticar ser uma pessoa honesta é essencial.

Na reunião de obreiros seguinte, eu quis tomar a iniciativa e revelar minha corrupção, mas tinha medo do que os outros pensariam de mim. Percebi que eu estava querendo proteger status e reputação de novo, por isso fiz uma oração silenciosa a Deus, pedindo que Ele me guiasse, me desse força e me concedesse a coragem de revelar minha corrupção. Lembrei-me de uma passagem da palavra de Deus que eu tinha lido antes: “Se você não pratica de acordo com as palavras de Deus, e nunca examina seus segredos e desafios, e nunca se abre com os outros em comunhão, nem comunga, nem analisa, nem traz à luz a sua corrupção e suas falhas fatais com eles, você não pode ser salvo(A Palavra, vol. 3: As declarações de Cristo dos últimos dias, “A prática mais fundamental de ser uma pessoa honesta”). Percebi que, se eu não fosse uma pessoa honesta, se continuasse encobrindo minha corrupção e deficiências, não me abrisse, nem me revelasse e me dissecasse, então eu nunca me livraria do meu caráter corrupto e nunca seria salvo. Fiz outra oração a Deus: “Deus! Por favor, dá-me força para que eu possa me abrir e ser uma pessoa honesta”. Depois da minha oração, tomei a iniciativa e confessei aos outros: “Eu menti na última reunião quando o líder perguntou sobre a rega dos recém-convertidos. A verdade é que eu só conhecia a situação de uma das igrejas, mas não sabia nada das outras duas. Eu temia que, se contasse a verdade, vocês me menosprezassem, por isso menti e disse que sabia sobre duas das igrejas. Eu enganei todos vocês”. Quando eu disse isso, os outros não me condenaram nem me menosprezaram. Ao contrário, disseram que era bom eu ser capaz de simplesmente me abrir e ser uma pessoa honesta. Após praticar assim, me senti muito mais calmo e à vontade. Se tivesse continuado a me esconder, eu não teria feito esses ganhos e realizações.

Não demorou, e um líder superior me perguntou: “Você tem um entendimento dos estados dos líderes de igreja?”. Não me senti muito seguro diante dessa pergunta, pois só conhecia o estado de um dos líderes de igreja, mas desconhecia o estado dos outros dois. Eu pensei: “Se eu contar a verdade, o líder dirá que não fiz trabalho real?”, por isso quis dizer que tinha algum entendimento. Então percebi que estava querendo mentir de novo, então fiz uma oração a Deus e disse a verdade: “Só sei do estado de um líder de igreja, mas não dos outros dois”. O líder não me criticou e, em vez disso, fez algumas sugestões, dizendo que eu deveria ligar mais vezes para me informar sobre o estado dos líderes de igreja e ajudá-los a resolver logo suas dificuldades. Ele também me deu algumas sendas para seguir. Aprendi que, quanto mais eu falasse a verdade, fosse uma pessoa honesta e ousasse revelar minha corrupção e deficiências, mais eu seria capaz de receber a ajuda dos meus irmãos e de fazer ganhos. Antes, eu mentia e enganava para proteger status e reputação, mas depois que eu contava uma mentira, meu coração pesava, e minha consciência me acusava, e, acima de tudo, eu perdia meu caráter e dignidade. Por meio dessa experiência, entendi que Deus e os homens gostam de pessoas honestas e que, quanto mais honesto você for, mais harmoniosas serão suas relações com os outros e mais calmo e mais em paz você ficará. Os outros não só não o menosprezarão, você receberá a ajuda dos seus irmãos, em vez disso. Ser uma pessoa honesta é ótimo. Só se formos pessoas honestas poderemos receber a bênção e a salvação de Deus e entrar no reino dos céus!

Todos os dias temos 24 horas e 1440 minutos. Você está disposto a dedicar 10 minutos para estudar o caminho de Deus? Você está convidado a se juntar ao nosso grupo de estudo.👇

Conteúdo relacionado

Como denunciei um anticristo

Por Wenjing, China Alguns anos atrás, voltei para a minha igreja local para cumprir o meu dever. Quando ouvi a líder Zhang Xin dizer que a...

“Encarcerada” pelo meu pai

Por Keanna, Ucrânia No verão de 2020. Na época, minha irmã Alba e eu encontramos um vídeo da Igreja de Deus Todo-Poderoso chamado...

Uma avaliação que me expôs

Por Xidan, Estados Unidos Em meados de maio de 2021, a irmã Chen, uma líder, me procurou e perguntou se eu conhecia bem a irmã Lu, se ela...

Leave a Reply

Conecte-se conosco no Whatsapp