Convidamos a todos os buscadores da verdade que entrem em contato conosco.

A Palavra manifesta em carne

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Busca por

Nenhum resultado encontrado

`

Interpretação da vigésima declaração

Deus criou toda a humanidade, e conduziu toda a humanidade até hoje. Assim, Deus sabe tudo o que acontece entre os homens: Ele conhece a amargura no mundo do homem, entende a doçura no mundo do homem, e assim cada dia Ele descreve as condições de vida de toda a humanidade, e, além disso, lida com a fraqueza e a corrupção de toda a humanidade. Não é a vontade de Deus que toda a humanidade seja lançada no abismo sem fundo, ou que a totalidade da humanidade seja salva. Há sempre um princípio para as ações de Deus, mas ninguém é capaz de compreender as leis de tudo o que Ele faz. Quando as pessoas se tornam conscientes da majestade e da ira de Deus, Deus imediatamente muda o tom para misericórdia e amor, mas quando as pessoas chegam a conhecer a misericórdia e o amor de Deus, Ele imediatamente muda o tom, mais uma vez, fazendo com que Suas palavras sejam tão duras de engolir como se fossem uma galinha viva. Em todas as palavras de Deus, nunca o início foi repetido, e nunca nenhuma de Suas palavras foi dita de acordo com o princípio das declarações de ontem; até mesmo o tom não é o mesmo, nem há qualquer conexão no conteúdo – o que faz com que as pessoas se sintam ainda mais confusas. Esta é a sabedoria de Deus, e a revelação de Seu caráter. Ele usa o Seu tom e o Seu modo de falar para dispersar as concepção das pessoas, a fim de confundir Satanás, tirando de Satanás a oportunidade de envenenar os feitos de Deus. A magnificência das ações de Deus faz com que as mentes das pessoas fiquem atordoadas pelas palavras de Deus. Elas mal conseguem encontrar a própria porta da frente, ou nem sabem quando devem comer ou descansar, assim conseguindo realmente “renunciar ao sono e à comida para gastar em Deus”. No entanto, mesmo neste momento, Deus permanece insatisfeito com a presente circunstância, e está sempre com raiva do homem, obrigando-o a trazer o seu verdadeiro coração. Se não, à menor clemência de Deus, as pessoas imediatamente “obedeceriam” e afrouxariam. Esta é a humildade do homem; ele não pode ser coagido, mas deve ser golpeado ou puxado para fazê-lo se movimentar. “De todos aqueles que considero, ninguém jamais procurou-Me deliberadamente e diretamente. Todos eles vêm diante de Mim, a pedido de outros, seguindo a maioria, e eles não estão dispostos a pagar o preço ou gastar tempo para enriquecer suas vidas”. Tais são as circunstâncias de todos sobre a terra. Assim, sem a obra dos apóstolos ou os líderes, todas as pessoas há muito teriam se dispersado, e assim, ao longo dos tempos, não houve falta de apóstolos e profetas.

Nestas declarações, Deus presta especial atenção para resumir as condições de vida de toda a humanidade. Palavras como “A vida do homem não tem o menor calor, e é desprovida de qualquer sabor humano ou luz – ainda que ele já tenha se acostumado a ela, permanecendo numa vida desprovida de valor em que ele corre de um lado para o outro sem alcançar coisa alguma. Num piscar de olhos, o dia da morte se aproxima, e o homem morre uma morte amarga” são todas deste tipo. Por que é que Deus guiou a vida humana até hoje, mas revela também o vazio da vida no mundo do homem? E por que Ele descreve toda a vida de todas as pessoas como “com pressa de chegar e com pressa de partir”? Este, pode-se dizer, é todo o plano de Deus, tudo é ordenado por Deus e, como tal, em outro aspecto reflete como Deus despreza tudo, exceto a vida em divindade. Embora Deus tenha criado toda a humanidade, Ele nunca teve realmente prazer na vida de toda a humanidade, e assim Ele simplesmente permite que a humanidade exista sob a corrupção de Satanás. Após a humanidade passar por este processo, Ele vai aniquilar ou salvar a humanidade e, portanto, o homem alcançará uma vida na terra que não é vazia. Isso tudo é parte do plano de Deus. E assim, há sempre um desejo na consciência do homem, que levou a ninguém morrer uma morte inocente – mas os únicos que alcançam esse desejo são as pessoas dos últimos dias. Hoje, as pessoas continuam a viver em meio a um vazio irreversível e ainda esperam o desejo invisível: “Quando Eu encubro o rosto com as mãos, e aperto as pessoas sob a terra, elas imediatamente sentem falta de ar, e mal conseguem sobreviver. Todas elas clamam a Mim, com medo de que Eu vá destruí-las, pois todas desejam contemplar o dia que Eu for glorificado”. Tais são as circunstâncias de todas as pessoas hoje. Todas elas vivem em um “vácuo”, sem “oxigênio”, o que dificulta que respirem. Deus usa o desejo na consciência do homem para suportar a sobrevivência de toda a humanidade; se não, todos “sairiam de casa para se tornar monges”, e como resultado a humanidade se tornaria extinta e chegaria a um fim. Assim, é por causa da promessa que Deus deu ao homem que o homem tem sobrevivido até hoje. Esta é a verdade, mas o homem nunca descobriu esta lei, e, portanto, ele não sabe por que fica “profundamente temeroso de que a morte venha sobre ele uma segunda vez”. Sendo humano, ninguém tem a coragem de continuar a viver, nem alguém já teve a coragem de morrer e, assim, Deus diz que as pessoas “morrem de uma morte amarga.” Essa é a verdadeira situação entre os homens. Talvez, em suas perspectivas, algumas pessoas tenham enfrentado contratempos e pensamento de morte, mas esses pensamentos nunca vão se concretizar; talvez, alguns tenham pensado na morte por causa de conflitos familiares, mas estão preocupados com seus amados, e são incapazes de alcançar o seu desejo; e, talvez, alguns tenham pensado em morrer por causa de dificuldades no casamento, mas eles não estão dispostos a ir até o fim. Assim, as pessoas morrem com queixas ou arrependimentos eternos em seus corações. Tais são os vários estados de todas as pessoas. Olhando para o vasto mundo do homem, as pessoas entram e saem de um fluxo interminável e, apesar de acharem que seriam mais felizes morrendo do que vivendo, embora que da boca para fora, nunca ninguém deu o exemplo morrendo e voltando, contando aos vivos como aproveitar a alegria da morte. As pessoas são miseráveis e desprezíveis: elas não têm vergonha ou respeito próprio, e sempre voltam atrás em sua palavra. Em Seu plano, Deus predestinou um grupo de pessoas que iria desfrutar de Sua promessa, e, assim, Deus diz: “muitos viveram na carne, e muitos morreram e renasceram na terra. No entanto, nunca nenhum deles teve a oportunidade de desfrutar das bênçãos do reino hoje”. Todos os que apreciam as bênçãos do reino hoje foram predestinados por Deus, já que Ele criou o mundo. Deus arranjou para que estes espíritos vivessem na carne durante os últimos dias, e, finalmente, Deus deve ganhar este grupo de pessoas, e arranjar para que eles estejam em Sinim. Porque, em essência, os espíritos dessas pessoas são anjos, Deus diz “Realmente nunca houve qualquer traço de Mim no espírito do homem?” Na verdade, quando as pessoas vivem na carne, elas permanecem ignorantes quanto aos assuntos do reino espiritual. A partir destas palavras simples pode ser visto o humor de Deus: as palavras simples de “lança-Me um olhar cauteloso” expressam a psicologia complexa de Deus. A partir do momento da criação até hoje, no coração de Deus sempre houve tristeza acompanhada de ira e julgamento, pois as pessoas na terra são incapazes de estar conscientes da vontade de Deus, assim como Deus diz: “O homem é como um selvagem da montanha”. No entanto, Deus também diz, “Chegará o dia em que o homem nadará para o Meu lado do meio do poderoso oceano, para que ele possa desfrutar de todas as riquezas da terra e deixar para trás o risco de ser tragado pelo mar”. Este é o cumprimento da vontade de Deus, e também pode ser descrito como uma tendência inevitável, e simboliza o cumprimento da obra de Deus.

Quando o reino descer inteiramente à terra, todas as pessoas recuperarão sua semelhança original. Assim, Deus diz: “Eu desfruto do alto do Meu trono, vivo entre as estrelas. E os anjos Me oferecerem novas músicas e novas danças. Suas próprias fragilidades já não fazem com que lágrimas corram de seus rostos. Já não ouço, diante de Mim, o som dos anjos chorando, e ninguém mais se queixa de dificuldades para Mim”. Isso mostra que o dia em que Deus ganha glória completa é o dia em que o homem desfruta de seu repouso; as pessoas já não correm como resultado da perturbação de Satanás, o mundo para de progredir, e as pessoas vivem em repouso – pois as miríades de estrelas no firmamento são renovadas, e o sol, a lua, as estrelas, e assim por diante, e todas as montanhas e rios no céu e na terra, todas mudaram. E porque o homem mudou, e Deus mudou, por isso, também, todas as coisas mudam. Este é o objetivo final do plano de gerenciamento de Deus, e o que deve finalmente ser alcançado. O objetivo de Deus em falar todas estas palavras é principalmente que o homem O conheça. As pessoas não entendem os decretos administrativos de Deus. Tudo o que Deus faz é orquestrado e arranjado pelo próprio Deus, e Deus não está disposto a deixar ninguém interferir; em vez disso, Ele permite que as pessoas vejam que tudo é organizado por Ele e é inatingível pelo homem. Mesmo que o homem possa ver, ou achar difícil de imaginar, tudo é controlado somente por Deus, e Deus não deseja que seja contaminado pelo mais ínfimo pensamento humano. Deus certamente não vai perdoar a ninguém que participar, mesmo que apenas por um pouco; Deus é o Deus que tem ciúmes do homem, e parece que o Espírito de Deus é particularmente sensível a este respeito. Assim, todo aquele que tem a menor intenção de interferir será imediatamente cercado pelas chamas consumidoras de Deus, transformando-se em cinzas no fogo. Deus não permite que as pessoas exibam os seus dons da forma como quiserem, pois todos os que são dotados estão sem vida; esses supostos dons só servem a Deus, e se originam de Satanás, e, portanto, são especialmente desprezados por Deus, que não faz concessões nisto. No entanto, é muitas vezes pessoas sem vida que estão propensas a participar na obra de Deus, e, além do mais, a sua participação permanece desconhecida, porque está disfarçada por seus dons. Ao longo dos séculos, aqueles que são dotados nunca se mantiveram firmes, pois eles estão sem vida e, portanto, não têm qualquer poder de resistência. Assim, Deus diz: “Se Eu não falar claramente, o homem nunca cairá em si, e sem querer cairá em Meu castigo – pois o homem não Me conhece na Minha carne”. Todos os de carne e sangue são guiados por Deus, mas também vivem no cativeiro de Satanás, e assim as pessoas nunca tiveram uma relação normal umas com as outras, seja por causa de luxúria, ou adoração, ou os arranjos de seu ambiente. Tais relações anormais são o que Deus detesta acima de tudo, e, portanto, é por causa de tais relações que palavras como “O que Eu quero são criaturas que estejam cheias de vida, não cadáveres que foram mergulhados na morte. Já que Eu Me reclino à mesa do reino, mandarei a todas as pessoas na terra receberem Minha inspeção” vêm da boca de Deus. Quando Deus está acima de todo o universo, a cada dia Ele observa toda ação daqueles de carne e sangue, e nunca negligenciou um só deles. Estas são as obras de Deus. E assim, exorto a todas as pessoas a examinar seus próprios pensamentos, ideias e ações. Não peço que você seja um sinal de vergonha a Deus, mas uma manifestação da glória de Deus, para que em todas as suas ações, palavras e em seu viver, você não se torne alvo das piadas de Satanás. Este é o requisito de Deus para todas as pessoas.

Anterior:Interpretação da décima nona declaração

Próximo:Interpretação da vigésima primeira declaração

Coisas que talvez lhe interessem