1. Sou feliz por prestar serviço a Deus

Deus Todo-Poderoso diz: “Por meio de que a perfeição de Deus é realizada pelo homem? Por meio de Seu caráter justo. O caráter de Deus consiste principalmente em justiça, ira, majestade, julgamento e maldição, e Seu aperfeiçoar do homem é principalmente através do julgamento” (‘Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a beleza de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Antes da época dos servidores, o homem não entendia nada sobre a busca da vida, o que significava acreditar em Deus ou a sabedoria da obra de Deus, e nem entendia que a obra de Deus pode testar o homem. Desde a época dos servidores até hoje, o homem vê quão maravilhosa é a obra de Deus, ela é insondável para o homem e, usando seu cérebro, ele é incapaz de imaginar como Deus opera, e também vê quão pequena é sua estatura e que uma grande parte dele é desobediente. Quando Deus amaldiçoou o homem, foi para conseguir um efeito e Ele não matou o homem. Embora Ele tenha amaldiçoado o homem, Ele fez isso por meio de palavras e Suas maldições não assolaram realmente o homem, pois o que Deus amaldiçoou foi a desobediência do homem, e as palavras de Suas maldições também foram necessárias para tornar o homem perfeito. Se Deus julga o homem ou o amaldiçoa, ambos tornam o homem perfeito: ambos são para aperfeiçoar o que é impuro dentro do homem. Por esse meio, o homem é refinado e o que falta dentro do homem é aperfeiçoado através de Suas palavras e obra. Toda etapa da obra de Deussejam palavras difíceis ou julgamento ou castigotorna o homem perfeito e é absolutamente apropriado. Nunca, ao longo dos tempos, Deus realizou uma obra como essa; hoje, Ele trabalha em seu interior para que vocês apreciem Sua sabedoria. Embora vocês tenham sofrido alguma dor por dentro, seu coração se sente firme e em paz; é sua bênção ser capaz de desfrutar desta etapa da obra de Deus. Independentemente do que vocês possam ganhar no futuro, tudo o que veem da obra de Deus em vocês hoje é o amor. Se o homem não experimentar o julgamento e o refinamento de Deus, suas ações e fervor sempre estarão no exterior e seu caráter sempre permanecerá inalterado. Isso conta como ter sido ganho por Deus?” (‘Somente experimentando provações dolorosas é que você pode conhecer a beleza de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Essas palavras de Deus realmente me comovem. Sinto que a obra de julgamento e castigo de Deus é para purificar e salvar a humanidade. Quero compartilhar algum entendimento da primeira provação que sofri após aceitar a obra de julgamento de Deus nos últimos dias, que foi a provação dos servidores.

Certo dia em fevereiro de 1991, eu estava numa reunião como sempre quando um irmão nos disse com alegria: “O Espírito Santo professou palavras!” Então os irmãos e irmãs começaram a ler: “Louvores vieram a Sião e a morada de Deus apareceu. O santo nome glorioso, louvado por todos os povos, está se espalhando. Ó, Deus Todo-Poderoso! O Cabeça do universo, o Cristo dos últimos diasEle é o Sol brilhante que despontou sobre o Monte Sião, que se eleva em majestade e grandeza sobre o universo inteiro…” “Tu criaste um grupo de vencedores e cumpriste o plano de gerenciamento de Deus. Todos os povos afluirão a esse monte. Todos os povos se ajoelharão perante o trono! Tu és o único Deus verdadeiro e mereces glória e honra. Toda a glória, todo o louvor e toda a autoridade sejam dadas ao trono!” (‘Capítulo 1’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Na época em que ouvi isso, apesar de não entender isso totalmente, senti que era muito especial, muito comovente e que nenhum humano poderia ter dito tais palavras. Eu tinha certeza de que essas palavras tinham vindo de Deus, que eram declarações do Espírito Santo. Depois disso, capítulo após capítulo das palavras do Espírito Santo era enviado à nossa igreja o tempo todo, palavras que revelavam muitas verdades da fé e mistérios da Bíblia e também abriam para nós uma senda para praticar a verdade e entrar na vida. Durante aquele tempo, tínhamos reuniões quase todos os dias para ler as palavras do Espírito Santo. Isso sustentava e nutria tanto o meu coração. Todos estavam imersos em alegria e deleite e se sentiam tão abençoados. Todos acreditávamos que estávamos entre os primeiros que tinham sido levantados perante Deus, que éramos os vencedores que Deus formaria, que certamente teríamos uma porção no reino dos céus e que seríamos aptos a receber as promessas e bênçãos de Deus. Cheios de fé, todos nós nos despendemos por Deus. Alguns estavam furiosamente copiando as palavras do Espírito Santo, outros as estavam musicando para transformá-las em hinos. Nossa situação também era muito penosa na época, com muitos irmãos sendo presos durante as reuniões. Eu não era tímido nem medroso, e me despendia por Deus com entusiasmo.

Mas justamente quando eu estava cheio de esperanças de ser abençoado e entrar no reino dos céus, Deus professou novas palavras e nos lançou na provação dos servidores. Num dia em outubro fui instruído a ir para uma reunião da igreja a 25 milhas dali para buscar novas palavras professadas pelo Espírito Santo. Pensei que receberíamos notícias maravilhosas, subi em minha bicicleta e fui até o local de reunião, cantarolando uma música e transbordando de energia. Para a minha surpresa, quando cheguei, meus irmãos e irmãs pareciam preocupados e cabisbaixos. Um irmão me disse: “O Espírito Santo professou palavras. Deus diz que todos nós somos servidores”. Uma irmã disse com os olhos cheios de lágrimas: “Todos nós somos servidores. Os chineses servem para prestar serviço, e não receberemos bênção nenhuma”. Eu não conseguia acreditar naquilo. Corri para ler as palavras do Espírito Santo e li o seguinte de Deus: “Na China, exceto Meus filhos primogênitos e Meu povo, todos os outros são a prole do grande dragão vermelho e devem ser descartados. Vocês todos precisam entender que a China é, afinal, uma nação amaldiçoada por Mim, e alguns do Meu povo lá não são nada mais do que aqueles que prestam serviço para a Minha obra futura. Para dizer de outra maneira, com exceção dos Meus filhos primogênitos, não há mais ninguémtodos vão perecer. Não pensem que sou extremo demais em Meus feitosesse é o Meu decreto administrativo. Aqueles que sofrem as Minhas maldições são objetos do Meu ódio, e isso é certo” (‘Capítulo 95’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Fiquei chocado quando li isso. As palavras do Espírito Santo tinham mencionado servidores muitas vezes, e eu sempre pensei que isso se referia a incrédulos. Mas, na verdade, se referia a nós. Dizia que os chineses eram servidores que serão amaldiçoados por Deus, e quando completarem seu serviço, eles serão lançados no abismo sem fundo. Senti uma fraqueza no corpo inteiro. Nunca imaginei que eu era um servidor. Todos esses anos de fé tinham sido em vão? Eu não só não seria abençoado no reino dos céus, mas seria lançado no abismo sem fundo! Eu me senti como se tivesse sido jogado no abismo. Me senti miserável, e queixas começaram a surgir. Pensei em como eu tinha largado meus estudos para seguir o Senhor, como as pessoas do mundo zombaram de mim, como meus amigos e parentes não entenderam, pensei na perseguição pelo PCCh e em como eu quase fui preso várias vezes. Mas eu nunca tinha recuado, continuando a me despender e a fazer sacrifícios. Eu tinha sofrido muito, pensando que entraria no reino dos céus e desfrutaria de bênçãos, mas agora eu era um servidor baixo. Eu não conseguia entender. Fiquei sentado por um tempo, suspirando em desespero. Outros irmãos e irmãs estavam cabisbaixos, alguns choravam, alguns cobriram o rosto e começaram a gritar, e alguns irmãos até gemiam alto.

A caminho de casa depois da reunião, eu mal tive forças para pedalar. Perguntava-me o tempo todo: “Como posso ser um servidor?” Quanto mais pensava sobre isso, mais injustiçado me sentia, e minhas lágrimas desciam. Em casa, não senti vontade de fazer nada, andava cabisbaixo e não queria falar com ninguém. Até respirar me deixava exausto. Simplesmente não podia me resignar a ser um servidor que não receberia nenhuma bênção no fim.

As palavras de Deus foram publicadas capítulo após capítulo, e eu lia cada um avidamente, esperando que houvesse um pingo de esperança em Suas palavras, que meu destino pudesse ser mudado. Não só não vi nada sobre as bênçãos que esperava — tudo era julgamento severo. Havia algumas das palavras de Deus em especial que diziam: “Aquelas que prestam serviço e aquelas que pertencem ao diabo são as mortas sem espírito e devem ser destruídas no vazio. Esse é um mistério do Meu plano de gerenciamento e algo que a humanidade não consegue desvendar do Meu plano de gerenciamento, mas Eu também tornei isso público para todos. Os que não Me pertencem estão contra Mim; os que Me pertencem são os compatíveis Comigo. Isto é completamente inquestionável, e é o princípio do Meu julgamento de Satanás. Esse princípio deve ser conhecido por todos para que possam ver Minha retidão e justiça — todos que vêm de Satanás serão julgados, queimados e transformados em cinzas. Essa também é a Minha ira e é possível mais ainda ver Meu caráter” (‘Capítulo 108’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). “Depois de fazer o serviço para Mim hoje, todos eles devem ir embora! Não fiquem em Minha casa, não sejam descarados e apenas se aproveitem. Aqueles que pertencem a Satanás são todos filhos do diabo e perecerão para sempre”. (‘Capítulo 109’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Quando vi Deus julgando e amaldiçoando os servidores, perdi toda esperança e senti que tinha caído diretamente no abismo sem fundo. Nem sei como descrever aquele sentimento de miséria. Pensei em como estivera nos braços de Deus, desfrutando Seu amor, mas agora tinha sido expulso, condenado e amaldiçoado por Deus, jogado no abismo sem fundo. Mergulhei no refinamento da miséria e me tornei muito negativo. Eu não tinha energia para orar, ouvir hinos ou ler as palavras de Deus. Até comecei a me arrepender de tudo que tinha investido e sacrificado antes. Se soubesse que o resultado seria este, eu teria garantido algum espaço de manobra, mas agora não me restava mais nada. Se meus amigos e parentes incrédulos soubessem que eu seria um servidor que terminaria de mãos vazias, não zombariam de mim sem fim? Como poderia mostrar meu rosto? O que eu poderia fazer? Quando pensei sobre isso, eu me senti muito repreendido. Pensando em todos os meus anos de fé, apesar de ter sofrido bastante, eu tinha desfrutado muito da graça e das bênçãos de Deus. Hoje eu tinha sido elevado por Deus para ouvir Suas novas palavras e tinha aprendido tantos mistérios e verdades. Eu não podia me separar de Deus, não importava o que acontecesse.

Certa vez, numa reunião, lemos estas palavras de Deus: “Eu desejo apenas que vocês ofereçam toda a sua energia para Mim, de todo coração e alma, e o melhor da capacidade de vocês. Seja hoje ou amanhã, sejam vocês alguém que presta serviço a Mim ou alguém que ganha bênçãos, devem todos empregar a sua parcela de energia para o Meu reino. Essa é uma obrigação que todo ser criado deve assumir, e isso deve ser feito e implementado dessa maneira. Mobilizarei todas as coisas a prestar serviço para que a beleza do Meu reino se torne sempre nova e para que a Minha casa se torne harmoniosa e unida. Ninguém tem permissão para Me desafiar, e esses devem sofrer julgamento e ser amaldiçoados” (‘Capítulo 100’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). O líder da igreja na época também compartilhou alguma comunicação do alto. Eu vou lê-la, irmão. Por favor. “Muitas pessoas acham que é vergonhoso ser um servidor, mas isso é totalmente errado. O fato de podermos prestar serviço a Deus hoje foi algo predestinado por Ele e, mais do que isso, nós fomos escolhidos por Deus para fazê-lo. Na verdade, prestar serviço ao Deus supremo e todo-poderoso é uma coisa muito gloriosa! Somos humanos que foram corrompidos tão profundamente por Satanás e, diante de Deus, não somos nada mais do que criaturas minúsculas. Quem é apto para prestar serviço a Deus? Dentre toda a humanidade, nós somos aqueles que Deus escolheu para servi-Lo. Ganhamos muito, e isso é verdadeiramente uma grande elevação de Deus. Essa é a declaração mais justa, e se vocês não conseguirem entender, então vocês são arrogantes sem razão nenhuma. Deixem-me dizer-lhes honestamente: Deus permitiu que nós — nós que carecemos totalmente de humanidade — servíssemos a Ele. Mas vocês sabem quanta humilhação Ele sofreu? A cada dia, Ele é confrontado com pessoas tão corruptas como nós, no entanto, quem entre nós já pensou na grande humilhação que Deus sofreu? Nós sempre nos rebelamos contra Ele e O desafiamos, nós O julgamos segundo nossas próprias noções e imaginações e partimos Seu coração. Quanta angústia Deus sofreu? Ouçam-me quando digo que somos cheios de caracteres corruptos, e quando servimos a Ele, ficamos aquém de Suas exigências. Depois de tal comportamento, não somos nem mesmo aptos para prestar serviço a Deus. Como poderíamos ser aptos para ser Seu povo?” Ouvir isso me despertou. Deus é o Criador, e Ele é supremo. Eu sou baixo e minúsculo, então, poder prestar serviço a Ele é a elevação e bondade de Deus. Mas eu não conhecia minha própria identidade nem meu status, crendo que ser um servidor era baixo, e eu não estava disposto a fazer isso por Deus. Eu era tão arrogante e insensato. Olhando para trás, mesmo que tenha buscado avidamente, fazendo sacrifícios e me despendendo, eu fazia tudo para ganhar bênçãos, para desfrutar das bênçãos no reino dos céus. Eu fiquei muito motivado quando li as palavras de Deus sobre promessas e bênçãos para o homem e continuei mesmo em face da perseguição pelo PCCh. Mas quando li as palavras de Deus de que éramos servidores que seriam lançados no abismo sem fundo, comecei a me queixar e culpar a Deus e até pensei em trair e abandonar Deus. Como eu era um crente verdadeiro? Tudo que dei, o que sacrifiquei e despendi estava manchado pelas minhas motivações e impurezas. Eu queria ganhar bênçãos, tentei enganar a Deus e fazer um trato com Ele. Eu era tão egoísta e desprezível. Eu tinha desfrutado tanto da graça e das bênçãos de Deus, do sustento e da rega de Suas palavras, mas quis traí-Lo no momento em que não via nenhuma bênção para mim. Eu carecia de qualquer consciência ou razão. Esse pensamento me encheu de remorso e repreensão própria. Eu era a cria do grande dragão vermelho. Eu pertencia a Satanás e não era da casa de Deus, e até minha fé era motivada pelo desejo de ser abençoado. Deus é santo e justo, e Seu caráter não tolera ofensa. A julgar pelo meu comportamento e atitude para com Deus, eu não era nem digno de ser um servidor. Eu deveria ter sido condenado e mandado ao inferno por Deus há muito tempo. Deus não estava me punindo, mas permitindo que eu continuasse respirando para que eu tivesse uma chance de ouvir Suas declarações, aceitasse Seu sustento para a vida e prestasse serviço a Deus, o Altíssimo. Isso era uma exaltação extraordinária, e eu deveria dar graças a Deus. Que direito tinha eu de reclamar? Eu sabia que devia servir bem a Deus!

No fim de novembro, recebemos mais das novas palavras de Deus. Deus Todo-Poderoso diz: “Após Eu retornar a Sião, os que estão na terra continuarão a Me louvar como no passado. Os servidores leais esperarão como nunca prestar serviço a Mim, mas sua função terá chegado ao fim. O melhor que podem fazer é contemplar as circunstâncias da Minha presença na terra. Nesse momento, começarei a impor desastres àqueles que sofrerão calamidades; no entanto, todos acreditam que sou um Deus justo. Eu certamente não punirei os servidores leais, mas só os deixarei receber Minha graça. Pois Eu disse que punirei todos os malfeitores e que aqueles que realizam bons feitos receberão a satisfação material que Eu concedo, demonstrando que sou o Próprio Deus da justiça e da fidelidade”. (‘Capítulo 120’ das Declarações de Cristo no princípio em “A Palavra manifesta em carne”). Vi que Deus não tinha nos abandonado e que Ele não estava nos punindo porque éramos a cria do grande dragão vermelho. Deus ainda estava permitindo que fôssemos Seus servidores devotos e O louvássemos na terra. Isso aqueceu meu coração e me energizou. Senti que ser capaz de prestar serviço a Deus era ser exaltado por Ele e era uma bênção. Ao longo daquele período, cantamos o hino “É nossa felicidade prestar serviço a Deus” em cada reunião. Que tal cantarmos uma parte dele agora? “É através da revelação e do julgamento das palavras de Deus que reconhecemos quão profundamente corrompidos somos. Cheios de intenção e desejo de sermos abençoados, como podemos merecer viver diante de Deus? Não somos aptos para entrar no reino celestial; prestar serviço a Deus já é Sua exaltação. Ah! Pela graça de Deus prestamos serviço, e prestar serviço é nossa boa sorte. Não importa se receba bênçãos ou sofra infortúnio, estou disposto a prestar serviço até o fim.” Extraído de “Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos”

Quando nos alegramos em ser servidores e nos dispusemos a prestar serviço a Deus, Deus Todo-Poderoso professou novas palavras. Isso foi em 20 de fevereiro de 1992. Ele nos elevou para sermos o povo do reino e encerrou a provação dos servidores. “A situação não é como já foi um dia, e a Minha obra adentrou um novo ponto inicial. Sendo assim, haverá uma nova abordagem: aqueles que leem a Minha palavra e a aceitam como a sua própria vida são o povo do Meu reino. Uma vez que estão no Meu reino, eles são o Meu povo no reino. Como tais pessoas são conduzidas pelas Minhas palavras, embora sejam referidos como Meu povo, esse título não é, de forma alguma, inferior a serem chamados Meus ‘filhos’” (‘Capítulo 1’ das Palavras de Deus para todo o universo em “A Palavra manifesta em carne”). Quando vi que Deus tinha transformado servidores em Seu povo da Era do Reino, senti alegria misturada com remorso e repreensão própria. Eu me arrependi por ter sido negativo, fraco e sem esperança durante a provação dos servidores e por ter reclamado de Deus. Eu O entendi errado e O culpei. Não quis ser Seu servidor. Não tinha nenhuma devoção e obediência a Deus. Eu me senti muito arrependido e endividado com Deus. Eu estava feliz porque, como cria tão rebelde e corrupta do grande dragão vermelho, apenas por não termos desistido durante a provação, Deus nos elevou como povo do reino, como membros de Sua casa. Eu pude sentir o grande amor de Deus por nós, e gratidão e louvor a Deus jorraram de meu coração.

Após passar por aquela provação, vi a sabedoria incrível na obra de Deus. Ele julga, castiga e até amaldiçoa as pessoas com Suas palavras, e, apesar de serem duras e de nos deixarem em dor e angústia, tudo serve para nos purificar e transformar. Apesar de ter sido refinado pelas palavras de Deus, eu tinha visto Seu caráter justo. Ele Se sente enojado por nossos motivos e impurezas e pela fé que é motivada por bênçãos. Depois dessa experiência, minha perspectiva sobre a fé mudou um pouco. Eu parei de buscar bênçãos e a entrada no reino dos céus obstinadamente, mas senti que ser um servidor que presta serviço ao Criador significa ser exaltado por Deus e é uma bênção para mim. Sinto-me orgulhoso e honrado por isso!

Próximo: 2. Em meio à provação da morte

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

14. Como encarar seu dever

Deus Todo-Poderoso diz: “A exigência mais fundamental da crença do homem em Deus é que ele tenha um coração sincero, e que se devote por...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Sumário

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro