37. Os grilhões da fama e do ganho

Deus Todo-Poderoso diz: “Satanás usa a fama e o ganho para controlar os pensamentos do homem até que tudo em que as pessoas consigam pensar seja fama e ganho. Elas lutam por fama e ganho, passam por dificuldades por fama e ganho, suportam humilhação por fama e ganho, sacrificam tudo o que tem por fama e ganho e farão qualquer julgamento ou tomarão qualquer decisão para o bem de fama e ganho. Dessa forma, Satanás amarra as pessoas com grilhões invisíveis e elas não têm nem a força nem a coragem para se livrar deles. Elas, sem saber, carregam esses grilhões e caminham penosamente sempre adiante com grande dificuldade. Por causa dessa fama e ganho, a humanidade se afasta de Deus e O trai e se torna cada vez mais perversa. Dessa forma, portanto, uma geração após a outra é destruída em meio à fama e ao ganho de Satanás. Olhando agora para as ações de Satanás, seus motivos sinistros não são totalmente detestáveis? Talvez, hoje, vocês ainda não consigam discernir os motivos sinistros de Satanás por pensarem que não se pode viver sem fama e ganho. Vocês pensam que, se as pessoas deixarem para trás a fama e o ganho, elas não serão mais capazes de ver o caminho adiante, não serão mais capazes de ver seus objetivos, que seu futuro se tornará escuro, turvo e sombrio. Lentamente, porém, todos vocês reconhecerão um dia que fama e ganho são grilhões monstruosos que Satanás usa para amarrar o homem. Quando aquele dia vier, você resistirá completamente ao controle de Satanás e resistirá completamente aos grilhões que Satanás usa para amarrá-lo. Quando chegar a hora em que você desejará livrar-se de todas as coisas que Satanás tem incutido em você, você fará uma ruptura clara com Satanás e você detestará verdadeiramente tudo que Satanás trouxe para você. Só então a humanidade terá amor e anseio verdadeiro por Deus” (‘O Próprio Deus, o Único VI’ em “A Palavra manifesta em carne”). Quero compartilhar um pouco da minha experiência e do meu entendimento das palavras de Deus.

Em 2015, fui escolhido como um dos líderes da igreja nas eleições anuais. Eu estava muito animado, pensando que ser eleito como líder entre dezenas de irmãos e irmãs significava que eu era melhor do que os outros. A partir de então, em meu dever, irmãos e irmãs vinham para se comunicar comigo quando enfrentavam dificuldades com a entrada na vida, e líderes de equipes discutiam comigo problemas que encontravam no trabalho da igreja. Não consegui evitar esse sentimento de superioridade. Eu andava por aí com um ar arrogante e o peito todo inflado e quase explodia de confiança quando comunicava nas reuniões. Depois de um tempo, percebi que a irmã Liu, uma coobreira, tinha um calibre bom, sua comunicação sobre a verdade era muito clara, e ela entendia a raiz dos problemas das pessoas para resolvê-los. Ela também apontava sendas de prática, e todos queriam ouvir sua comunhão. Eu a admirava e invejava. Mas eu não queria ficar para trás e me preparava com cuidado antes de cada reunião, quebrando a cabeça para encontrar uma maneira de me comunicar de modo mais compreensível e com mais luz para parecer melhor do que ela. Quando via irmãos e irmãs concordarem comigo após terminar minha comunhão, eu ficava muito satisfeito comigo mesmo e tinha uma sensação de conquista. Mais tarde, descobri que meu coobreiro, o irmão Zheng, tinha bastante conhecimento profissional sobre filmes e sabia mexer com computadores. Os irmãos e irmãs que faziam filmagens frequentemente debatiam com ele assuntos relacionados, e, como líder da igreja, eu simplesmente não tinha nada a acrescentar. Eu me sentia como um estepe, e isso me incomodava muito. Pensei que, por sempre procurarem o irmão Zheng quando tinham um problema, eles achavam que eu não estava à altura dele. Pensei que seria maravilhoso se eu também soubesse algo sobre filmes, assim, os irmãos e irmãs discutiriam seus problemas comigo. Comecei a levantar cedo e deitar tarde para pesquisar e aprender a fazer filmes para aumentar meu conhecimento. Ignorei totalmente todos os problemas na igreja e também os estados dos irmãos e irmãs. Depois de um tempo, problemas começaram a aparecer no trabalho de várias equipes que eu não conseguia resolver, por mais que me comunicasse ou reunisse com eles. Já que os estados dos irmãos e irmãs não eram resolvidos, o progresso da produção de filmes foi impedido, e um problema após o outro apareceu. Eu estava sob tanta pressão que mal conseguia respirar. Eu me senti atormentado. Estava preocupado com o que os outros pensariam de mim se achassem que eu não era capaz de ser um líder e não era qualificado para esse dever. Parecia que eu não conseguiria manter minha posição como líder. Fiquei mais negativo quando pensei sobre isso. Eu me sentia como uma bola murcha e não tinha a energia de antigamente. Vivendo em negatividade e negligenciando meu dever, acabei perdendo a obra do Espírito Santo. Já que não estava alcançando nada em meu dever, fui substituído. Naquele momento, era como se eu tivesse sido humilhado, e eu queria que a terra me engolisse. Também me perguntei: “Os irmãos e irmãs dirão que eu era um líder falso que não fazia trabalho prático?” Quanto mais pensava sobre isso, mais agitado ficava.

Naquela noite, fiquei me revirando na cama, não conseguia dormir. Clamei a Deus em oração vez após vez, pedindo que Ele me levasse a conhecer meu estado. Então li estas palavras de Deus: “Em sua busca, vocês têm muitas noções pessoais, esperanças e futuros. A obra atual tem a finalidade de lidar com seu anseio por status e seus desejos extravagantes. As esperanças, o status, e as noções são todas representações clássicas do caráter satânico. A razão de essas coisas existirem no coração das pessoas é inteiramente porque o veneno de Satanás está sempre corroendo os pensamentos delas, e as pessoas são sempre incapazes de se livrar dessas tentações satânicas. Elas estão vivendo em meio ao pecado, porém não creem que seja pecado e ainda pensam: ‘Nós cremos em Deus, então Ele deve nos conceder bênçãos e arranjar tudo adequadamente para nós. Nós cremos em Deus, então temos de ser superiores aos outros, e temos de ter mais status e um futuro melhor do que qualquer pessoa. Já que cremos em Deus, Ele deve nos dar bênçãos ilimitadas. Caso contrário, não se chamaria “crer em Deus”’… Quanto mais você buscar dessa forma, menos você colherá. Quanto maior o desejo de status de uma pessoa, mais seriamente ela terá de ser tratada, e mais ela terá de se submeter a grande refinamento. Tais pessoas são inúteis! Elas precisam ser lidadas e julgadas de modo apropriado a fim de abrir mão dessas coisas completamente. Se vocês buscarem esse caminho até o fim, vocês nada colherão. Aqueles que não buscam vida não podem ser transformados e aqueles que não têm sede da verdade não podem ganhar a verdade. Você não se concentra em buscar uma transformação pessoal e entrada, mas se concentra, em vez disso, em desejos e coisas extravagantes que restringem seu amor por Deus e o impedem de chegar perto Dele. Essas coisas podem transformar você? Elas podem trazê-lo para o reino?” (‘Por que você é relutante em ser um contraste?’ em “A Palavra manifesta em carne”). Depois de ler isso, refleti sobre meu estado recente. Desde que tinha assumido meu dever como líder, eu só tinha buscado nome e status, querendo estar acima dos outros. Quando vi que a comunhão da irmã Liu sobre a verdade era melhor do que a minha, temi que ela me superaria. Pensei em como me comunicar melhor do que ela para que os outros me admirassem e elogiassem. Quando vi que o irmão Zheng possuía habilidades profissionais e muitos irmãos e irmãs falavam com ele sobre problemas em seus deveres, tive inveja e o rejeitei. Trabalhei muito para me equipar com conhecimento para ficar à frente dele, e até ignorei problemas nas equipes. Quando não consegui resolver os problemas dos irmãos e irmãs, eu não confiei em Deus nem busquei a verdade com eles para encontrar soluções através da comunhão. Eu estava obcecado com o ganho e a perda de status, temendo que não conseguiria defender minha posição como líder se não cumprisse bem o meu dever. Então, finalmente percebi que eu não estava cumprindo meu dever por consideração à vontade de Deus, mas para satisfazer minha ambição selvagem de ser melhor e dominar os outros. Os irmãos e irmãs puseram sua confiança em mim e me elegeram líder da igreja, mas eu não dei atenção nem ao trabalho da igreja nem à sua entrada na vida. No fundo, eu não estava assumindo meu dever nem sendo responsável, e isso prejudicou o trabalho da igreja. Eu era tão egoísta e desprezível. Eu não estava cumprindo meu dever – estava fazendo o mal e resistindo a Deus! Eu me arrependi de não estar na senda correta na minha fé, sempre lutando por nome e ganho, enojando a Deus. Ser demitido de meu dever era o julgamento justo e castigo de Deus. Ele não estava me eliminando, mas tinha me substituído para que eu refletisse sobre meu comportamento. Deus estava me protegendo e salvando! Aos poucos, meu estado melhorou através de um período de devocionais e reflexão, assim o líder da igreja me encarregou com deveres de rotina. Fiquei muito grato a Deus por me dar essa chance e, em silêncio, decidi que valorizaria esse dever e pararia de buscar nome e status numa senda de oposição a Deus.

Depois dessa experiência, pensei que conseguiria renunciar um pouco ao meu desejo de nome e status, mas Satanás tinha me corrompido demais. Esse tipo de caráter satânico não pode ser resolvido com um pouco de entendimento e reflexão, assim, Deus mais uma vez preparou uma situação para me expor e salvar.

Certo dia, alguns meses depois, o líder da igreja pediu que selecionássemos um líder de equipe. Assim que soube disso, comecei a ponderar: “Será que vou ter uma chance de ser eleito líder de equipe? Sou um trabalhador bastante capaz, mas não tenho nenhuma habilidade profissional, portanto, minhas chances não devem ser boas”. Então analisei alguns outros irmãos e irmãs na equipe. O irmão Zhang se sobressaía com habilidades profissionais, e sua comunhão sobre a verdade era prática, além disso, tinha um senso de justiça e era capaz de apoiar o trabalho da igreja. Parecia ser mais provável que ele seria escolhido. Pensei em como eu costumava delegar trabalho ao irmão Zhang quando eu era um líder da igreja, mas se ele fosse eleito como líder de equipe, ele me diria o que fazer. Isso não me tornaria inferior a ele? Esse pensamento me incomodou bastante. Quando veio o dia da eleição, eu não consegui controlar meu nervosismo, e uma batalha interior começou: “A quem devo dar meu voto? Devo votar no irmão Zhang?” Pensei em como muitos irmãos e irmãs discutiam quaisquer dificuldades em seu dever com ele, e as pessoas de outras equipes também discutiam seu trabalho com ele o tempo todo – isso o destacava. Se ele se tornasse líder de equipe, não ficaria acima de mim? Diante disso, não queria mais votar nele, mas me faltava conhecimento profissional e eu não era qualificado para ser esse líder de equipe. Fiquei deprimido e triste, e odiei não saber mais sobre o trabalho. Então, um pensamento terrível apareceu na minha mente: “Se eu não posso ser o líder de equipe, ele também não será”. E assim votei no irmão Wu, que não tinha o mesmo conhecimento profissional. Para a minha surpresa, mesmo assim o irmão Zhang foi eleito. Não fiquei feliz quando vi esse resultado, mas senti um incômodo, como se tivesse feito algo vergonhoso. Mais tarde, li estas palavras de Deus: “Se virem alguém que é melhor do que elas, elas o suprimem, iniciam um boato sobre ele ou empregam algum meio inescrupuloso para que as outras pessoas não o admirem e para que ninguém seja melhor do que qualquer outra pessoa, então isso é o caráter corrupto da arrogância e presunção, assim como da desonestidade, enganação e insídia, e essas pessoas fazem de tudo para alcançar seus objetivos. Elas vivem desse modo e, mesmo assim, pensam que são pessoas maravilhosas e boas. No entanto, elas têm um coração que teme a Deus? Em primeiro lugar, para falar do ponto de vista das naturezas dessas questões, as pessoas que agem dessa forma não estão simplesmente fazendo o que lhes agrada? Elas consideram os interesses da família de Deus? Elas só pensam em seus próprios sentimentos e só querem alcançar seus próprios objetivos, independentemente da perda sofrida pelo trabalho da família de Deus. Pessoas assim são não só arrogantes e presunçosas, são também egoístas e desprezíveis; não têm nenhuma consideração pela intenção de Deus e, sem dúvida alguma, pessoas desse tipo não possuem um coração que teme a Deus. É por isso que fazem o que querem e agem arbitrariamente, sem qualquer senso de culpa, sem qualquer receio, sem qualquer apreensão ou preocupação e sem considerar as consequências. Elas não temem a Deus, acreditam que elas são de suma importância e veem cada aspecto de si mesmas como mais alto do que Deus e mais alto do que a verdade. Em seu coração, Deus é o menos digno de ser mencionado e o mais insignificante, e Deus não tem qualquer status no coração delas. Aqueles que não têm lugar para Deus em seu coração e que não reverenciam a Deus chegaram a entrar na verdade? (Não.) Então, quando andam normalmente por aí alegres, mantendo-se ocupados e consumindo muita energia, o que eles estão fazendo? Tais pessoas até alegam ter abandonado tudo para se despenderem por Deus e sofrido bastante, mas, na verdade, o motivo, o princípio e o objetivo de todas as suas ações são beneficiar-se; só estão tentando proteger todos os interesses próprios. Vocês diriam ou não que esse tipo de pessoa é terrível? Que tipo de pessoa, diriam, é aquela que não reverencia a Deus? Ele ou ela é arrogante? Tal pessoa é Satanás? Que espécies de coisas não reverenciam a Deus? Com exceção dos animais, todos aqueles que não reverenciam a Deus incluem os demônios, Satanás, o arcanjo e os que contendem com Deus” (‘As cinco condições que as pessoas têm antes de entrar na trilha certa de acreditar em Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). Essas palavras de Deus foram um golpe duro para mim. Lembrando-me dos meus atos e pensamentos durante a eleição, senti que não poderia mostrar meu rosto. Eu tinha votado de acordo com meus motivos pessoais, para proteger meu prestígio e posição, sem aceitar o escrutínio de Deus e sem qualquer reverência a Ele. Eu sabia que o irmão Zhang era habilidoso, que sua comunicação sobre a verdade era prática, e ele como líder de equipe beneficiaria a entrada na vida de todos e o trabalho da igreja. Mas eu era invejoso, temia que ele ficaria acima de mim como líder de equipe, por isso não lhe dei meu voto. Eu tinha seguido o princípio do grande dragão vermelho: “Se a autocracia falha, garanta que a democracia não tenha sucesso”. O lema do grande dragão vermelho é que, se ele não pode estar no poder, ninguém pode. Se necessário, ele usa uma luta amarga para destruir ambos os lados. Eu não era igual? Se eu não conseguiria o cargo, o irmão Zhang também não conseguiria. Eu preferia ver a pessoa errada no cargo e o trabalho da igreja prejudicado para proteger meu próprio status e prestígio. Eu era tão egoísta, desprezível, astuto e cruel sem qualquer reverência a Deus. Eu tinha desfrutado tantas verdades expressas por Deus, e ter a oportunidade de fazer meu dever era Deus demonstrando Sua bondade. Mas em vez de pensar em como retribuir o amor de Deus, eu era invejoso e ambicionava nome e ganho. Eu estava servindo como lacaio de Satanás, perturbando o trabalho da casa de Deus. Eu não era um degenerado traiçoeiro? Pensei em como tinha sido dispensado do meu dever um ano antes porque tinha lutado por nome e ganho sem fazer meu dever corretamente e sem fazer trabalho prático. E agora eu estava no mesmo tipo de situação, mas ainda estava buscando nome e status e não a verdade. Se eu continuasse assim, seria rejeitado e eliminado por Deus.

Mais tarde, li estas palavras de Deus: “Vocês não conhecem seu próprio status, mas ainda lutam contra o outro no estrume. O que vocês poderão ganhar com essa luta? Se realmente tivessem um coração de reverência por Mim, como você poderia lutar um com o outro pelas Minhas costas? Não importa o quanto o seu status seja elevado, ainda não passa de um vermezinho fétido no estrume? Você será capaz de criar asas e se transformar numa pomba no céu?” (‘Quando as folhas que caem retornarem às suas raízes, você lamentará todo o mal que fez’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Por que Deus diz que as pessoas são ‘vermes’? Aos Seus olhos, esses humanos corruptos são claramente seres criadosmas eles cumprem as responsabilidades e deveres que seres criados devem cumprir? Embora muitas pessoas estejam cumprindo seus deveres, quão bem o cumprimento delas é expresso?… Nada em que pensem o dia todo tem algo a ver com a verdade ou com seguir o caminho de Deus; elas passam o dia todo comendo sem parar e não refletem em nada. Embora possa lhes ocorrer fazer algo, suas ações ainda causam interrupções e perturbações. Elas exaltam a si mesmas, nunca fazendo nada que beneficie os outros ou a casa de Deus. A mente delas está cheia de pensamentos sobre como buscar o que quer que seja bom para a carne, como lutar por status e renome, como se integrar a certos grupos de pessoas e como ganhar posição e ter uma boa reputação. Elas comem o alimento que Deus lhes concede, desfrutando tudo o que Ele provê, mas não fazem o que humanos deveriam fazer. Deus poderia gostar de tais pessoas?… Acima de tudo, aqueles que são vermes são inúteis, desavergonhados e, aos olhos de Deus, não têm valor! Por que digo que tais pessoas não têm valor? Deus fez você e lhe deu vida, mas você não consegue cumprir seu dever, que é o mínimo dos mínimos que você deveria fazer; você simplesmente parasita. Aos Seus olhos, você nada mais é do que um imprestável e não há sentido em você estar vivo. Tais pessoas não são vermes? Assim, o que as pessoas devem fazer se não quiserem ser vermes? Primeiro, encontre seu próprio lugar e tente de toda forma possível cumprir seu dever, e você será conectado ao Criador; você pode prestar contas a Ele. Depois disso, considere como alcançar lealdade em cumprir seu dever. Você não deve ser meramente superficial ou improvisar; ao contrário, deve pôr todo o seu coração nisso. Você não deve brincar com o Criador, mas ser capaz de aquiescer e se submeter, e agir como Deus exige” (‘Seis indicadores de progresso na vida’ em “Registros das falas de Cristo”).

Enquanto ponderava as palavras de Deus, senti uma angústia terrível. Percebi que Deus via meu caráter satânico de lutar por nome e ganho como algo tão imundo e vil. Ter a boa sorte de cumprir o meu dever na casa de Deus era uma exaltação excepcional por Deus, mas eu não estava cumprindo minhas obrigações. Em vez disso, eu só pensava em meu próprio nome e status e até perturbava o trabalho da casa de Deus por causa disso. Eu estava exercendo o papel de Satanás. Isso era tão repugnante e odioso para Deus! Deus diz: “Não importa o quanto o seu status seja elevado, ainda não passa de um vermezinho fétido no estrume?” É isso. Sou um ser criado, uma pessoa imunda e corrupta sem qualquer valor ou dignidade, assim, mesmo se conseguisse uma posição, isso não mudaria o que eu sou. Eu nem conseguia cumprir bem o meu dever, mas sempre visava a nome e ganho, querendo que outros me admirassem. Onde estavam minha razão e consciência? Que valor tinha a minha vida? Eu não era um verme totalmente inútil? Após ganhar algum entendimento da minha natureza e essência a partir da revelação das palavras de Deus, eu odiei a mim mesmo e me dispus a renunciar à carne e a praticar a verdade.

Mais tarde, procurei o irmão Zhang e me abri sobre minha corrupção, revelando meus motivos e minhas ações desprezíveis na eleição. Ele não só não me desprezou, como compartilhou sua própria experiência para me ajudar. Após nossa comunhão, o muro entre nós desapareceu, e eu me senti livre e à vontade. Em meu dever, a partir de então, sempre que eu tinha uma dificuldade ou não entendia um problema, eu procurava o irmão Zhang, e ele sempre respondia minhas perguntas com paciência. Minhas habilidades profissionais melhoraram após um tempo. Quando renunciei a nome e status e pratiquei a verdade, experimentei a tranquilidade e paz que vêm de cumprir meu dever dessa forma e me aproximei de Deus. Mais uma vez, escapei dos grilhões de status e nome através daquela situação e provei da salvação prática de Deus para mim.

As eleições anuais da igreja começaram em outubro de 2017, e eu fui recomendado como candidato pelos irmãos e irmãs. Eu me senti um pouco emocionalmente instável e pensei: “Faz mais de dois anos desde que fui removido de minha posição de liderança, e ouvi que alguns irmãos e irmãs têm uma boa opinião sobre mim. Dizem que minha comunhão se tornou mais prática e que passei por algumas mudanças. Me pergunto se conseguirei uma posição de liderança dessa vez”. Percebi que, mais uma vez, estava buscando reputação e status e me lembrei da dor que tinha sofrido quando estava amarrado e restringido por essas coisas. Eu sabia que não podia continuar essa busca, que eu devia renunciar à a carne e praticar a verdade. Então me lembrei desta passagem das palavras de Deus: “Uma vez que tenha renunciado ao prestígio e status que são de Satanás, você não será mais restringido e enganado por ideias e visões satânicas. Você encontrará libertação e se sentirá cada vez mais à vontade; você se tornará livre e liberto. Quando esse dia chegar em que você se torne livre e liberto, você sentirá que as coisas que abandonou nada mais eram do que embaraços e que as coisas que você verdadeiramente ganhou são as mais preciosas para você. Você sentirá que essas são as coisas mais valiosas e são coisas mais dignas de ser valorizadas. As coisas de que você gostavaprazeres materiais, fama e fortuna, status, dinheiro, reputação e a estima de outroslhe parecerão inúteis; essas coisas lhe causaram grande sofrimento, e você não as desejará mais. Você não as desejaria mais mesmo se lhe fossem concedidos prestígio e status até maiores; em vez disso, você as detestará e rejeitará do fundo de seu coração!” (‘Você pode obter a verdade após volver seu coração verdadeiro para Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). Meu coração se iluminou, e eu sabia que buscar nome e status não tinha valor e que entender e praticar a verdade e cumprir o dever de um ser criado eram as coisas mais preciosas. Na verdade, participar das eleições não era lutar por uma posição de liderança, mas cumprir minhas responsabilidades participando do processo. Eu precisava abrir mão de meus desejos selvagens por nome e status e votar em um líder apropriado de acordo com os princípios da verdade. É isso que seria benéfico para o trabalho da casa de Deus. Se eu fosse escolhido como um líder, eu deveria cumprir bem o meu dever. Se não fosse, eu não culparia a Deus, mas cumpriria meu dever da melhor forma possível. Após corrigir meus motivos referentes à eleição, para a minha surpresa, fui escolhido para servir como líder. Diante desse desfecho, não me deleitei com isso como no passado, pensando que eu era melhor do que os outros, mas senti que era minha comissão e responsabilidade e que deveria me concentrar em buscar a verdade e cumprir bem o meu dever para que eu pudesse ser digno do amor e da salvação de Deus.

Ao longo daqueles quase três anos, o julgamento e castigo de Deus me mostraram claramente o dano que nome e status causam em mim, e me tornei determinado a buscar a verdade. Mesmo que, às vezes, eu ainda revele aquele mesmo caráter corrupto, sou capaz de orar a Deus, me concentrar em praticar a verdade e cumprir bem o meu dever. Não sou mais restringido por meu caráter satânico corrupto. Quando renunciei a nome e status, senti que eu não tinha renunciado apenas a isso, mas que tinha renunciado também aos grilhões pesados com os quais Satanás tinha me amarrado. Agora, sinto-me tão relaxado e livre.

Anterior : 36. Dias de busca por fama e ganho

Próximo : 39. Denunciar ou não denunciar

Quando o desastre vem, como nós cristãos devemos lidar com ele? Convidamos você a participar da nossa reunião online, onde podemos explorar juntos e encontrar o caminho.
Contate-nos
Entre em contato conosco pelo Whatsapp

Conteúdo relacionado

17. Vivendo diante de Deus

Deus Todo-Poderoso diz: “Ao buscar a entrada na vida, é preciso examinar as próprias palavras, os próprios feitos, pensamentos e ideias em...

44. Afrouxando os laços que unem

As palavra de Deus dizem: “Por causa do seu destino, vocês devem buscar ser aprovados por Deus. Ou seja, já que reconhecem que pertencem à...

Configurações

  • Texto
  • Temas

Cores sólidas

Temas

Fonte

Tamanho da fonte

Espaçamento entre linhas

Espaçamento entre linhas

Largura da página

Conteúdos

Busca

  • Pesquise neste texto
  • Pesquise neste livro